JORNAL O MARISCO 187

 

Embed or link this publication

Description

Embate da Roça Velha / Boizinho da Praia na Escola Herlita Teixeira / Mais cultura nas Escolas com Ivan Therra / Tsunami ao contrário

Popular Pages


p. 1

Ano XI Nº 187 Cenas da apresentação ao vivo Cena do encontro com o General Zeca Neto à beira da lagoa. O Embate da Roça Velha é a encenação de um fato histórico ocorrido em terras do Balneário Pinhal. Encenado ao vivo com luzes, som, projeções e atuações ambientadas em cenários de época. A direção é de Daniel Maíba e a realização é da Secretaria de Turismo do Pinhal. Cena do Enforcamento com a Prof. Paty Gonçalves Cena interna na Casa Temática. Depois do sucesso da Salina da Canção, Daniel Maíba apresenta e recebe total apoio da secretária de Turismo Mari Luce Padilha para a realização da encenação ao vivo do “Embate da Roça Velha”. A pesquisa vem assinada pela Profª. Maria Faistauer e o roteiro é de Marcelo Maresia. O diretor Daniel Maíba enfrenta o desafio contando, além da equipe do turismo, com a parceria fundamental do Veterinário Clayrton e do Meneghetti, empresário local, que viabiliza os convites, homens de a cavalo, figurações e locações para as filmagens. As filmagens são produzidas pela equipe da Produtora O Marisco Cinevídeo da Casa da Cultura do Litoral e do Ponto de Cultura Flor da Areia. Na captação de imagens, sons e edição a qualidade de Ivan Therra e Lizzi Barbosa. Na edição e trilha sonora o talento do Dj Ed. As locações escolhidas pelo diretor Daniel Maíba contemplam a beleza natural da zona rural, a beira das lagoas e as dunas do Balneário Pinhal. Um excelente projeto que com o apoio da Prefeitura do Balneário Pinhal em breve vai virar filme e será exibido para que todos venham para o litoral e conheçam as belezas das culturas populares do Balneário Pinhal. Ivan Therra faz a Direção de Fotografia e Edição Lizzi Barbosa faz a captação de imagens e sons

[close]

p. 2

Um voto pela Cultura Popular Ás vésperas de mais uma eleição que revelará o destino do nosso Brasil pelos próximos 4 anos, é imperioso que a nossa equipe convide a todos os leitores e amigos para uma reflexão sobre as possibilidades oferecidas pelo governo Dilma para o desenvolvimento das Culturas Populares. O governo Dilma, na esfera federal, juntamente com o governo Tarso, na esfera estadual, conseguiram firmar convênios e realizar projetos que há muito estavam sendo clamados pelas comunidades culturais do nosso estado. A realização da Rede RS de Pontos de Cultura, uma ação do governo Tarso e Dilma, contemplou a todos nós de Cidreira e do Balneário Pinhal com a possibilidade de registro, valorização e divulgação das nossas culturas, da nossa arte e dos nossos artistas. O Projeto Boizinho da Praia é mais um programa do governo Dilma que chega até nós aqui da beira da praia, contemplando principalmente a nossa juventude, tão carente de ações e espaços para poderem se desenvolver com qualidade. Pela certeza de avançar ainda mais nos projetos das culturas populares e pela possibilidade de que nossas crianças sejam beneficiadas e possam crescer com informação e qualidade é que pedimos aos nossos leitores que reflitam sobre o que aqui foi posto e no dia da eleição escolham aqueles que podem continuar avançando nas propostas das culturas populares. IRONIAS Eu li um texto extremamente irônico e chocante. Identifiquei tanta gente que aprecio, eu inclusive, que me assustei. Então resolvi compartilhar. Por Rafael Castilho: «Não aborte. Mas se você for pobre, não saia fazendo filho por aí para que eles dependam de esmola do governo. Então previna-se, mas não seja vagabunda de levar camisinha na bolsa. Não dê no primeiro encontro. Não use roupas apertadas e não provoque desejo indiscriminado nos homens. Não dance funk. Não queira merecer um estupro. Mas, caso seja estuprada, ainda sim não aborte. Não aborte, não tenha filhos por aí, não seja vagabunda, não dê, não provoque desejo. Se possível não exista. Vá trabalhar, vagabundo. Trabalhe, mas não proteste. Não saia por aí querendo direitos. Não seja ingrato e aceite tudo de bom grado. Se você quer ganhar mais, tem que ser estudado. Se você é só estudante é vagabundo. Quem só estuda é filhinho de papai. Filhinho de papai é vagabundo. Se você só trabalha é trabalhador. Mas se não estuda não quer o melhor pra você, então é vagabundo. Não seja um vagabundo. Não seja só trabalhador. Não seja só estudante. Não seja um pobre. Não seja um filhinho de papai. Se possível não exista. Não ande de skate, não ande de bicicleta, não vista-se como gnomo. Não seja um alternativo. Aliás, nem são necessárias tantas alternativas. Abaixe o som, desocupe as ruas, penteie este cabelo, emagreça, envelheça, cale a boca. Não use tóxico, não seja viado, não dê a bunda, não use máscaras. Não seja politicamente correto, coma a porra da banana, na Paulista não! Carnaval não! Na Pompéia não! Na Vila Madalena não! Metrô não! Ciclovia não! Faixa de Ônibus não! Exista não! Agradeço pelas surras que meu pai me deu. Quem não fez merda não foi torturado. Em briga de marido e mulher ninguém mete a colher. Ele é preto de alma branca. Ele sabe se colocar no seu lugar. Quem mandou ela querer ter direitos iguais. Deu nisso. Não morreu nenhum santo. Ela bem que mereceu. Você me conhece. A mãe chora agora. Hoje em dia a gente sai é não sabe se volta. Eu pago os meus impostos. Tudo o que eu penso eu falo na cara. Não adianta dar o peixe. Sabe com quem você está falando? Então por que não tem cota pra ruivo? Então porque você tem um IPhone? Sua casa tem senha no WiFi. Ta com dó, leva pra casa. O Chico Buarque nunca trabalhou na vida. Eu sou assim e não vou mudar. Está é a minha opinião.» Para reflexão, apenas. Sem mais. Pelo que andam dizendo por aí o Luli esqueceu de fazer a coluna... Fazer o que? Vamos esperar a próxima EdiçãoAgora . Há poucos dias atrás a televisão aberta mostrou uma reportagem mostrando a mortandade de pinguins no nosso litoral. A reportagem acompanhou os pesquisadores do Ceclimar que desceram até a Solidão e Bujurú e depois subiram até Torres para fazer a contagem dos animais encontrados mortos em nossas praias. Foram encontrados várias espécies de objetos, principalmente de plástico, nos estômagos dos pinguins. Eles confundem o lixo jogado no mar com algas e animais comestíveis e acaba por morrer sufocado, asfixiado ou por inanição. Mostravam toda a espécie de coisa no lixo marítimo, isqueiros, tampas de garrafa, anéis de plástico, armações de óculos, enfim uma barbaridade de lixo que produzimos e depois simplesmente descartamos no imenso mar, como se isso fosse resolver o problema. Pois além de não resolver, ainda está criando um outro problema para a preservação de algumas espécies mais frágeis que são as vítimas fáceis do descaso humano com o ambiente natura. A reportagem mostrou ainda muito resto de rede, resto de bóias, materiais de pesca estragado que são descartados pelos barcos pesqueiros e que acabam por poluir ainda mais as nossas praias. Acreditamos que ainda vai demorar um bom tempo para que tenhamos o mínimo de noção o quanto estamos à beira da extinção total. Edição N°187 - I de Primavera 26 de setembro de 2014 jornalomarisco@gmail.com Insc. Municipal N°008/06 - Insc. Estadual: Isento /jornalomarisco /jornalomarisco /jornalomarisco Rua Caubi da Silveira, 286 - Praia da Cidreira - RS - CEP: 95.595-000 51.3681.3456 51.9981.5593

[close]

p. 3

* O Embate da Roça Velha, encenação ao vivo do fato histórico ocorrido em terras do Balneário Pinhal, foi um sucesso! * A produção audiovisual do Embate da Roça Velha foi realizada pela Produtora O Marisco Cinevídeo e Ponto de Cultura Flor da Areia com o apoio da Secretaria de Turismo do Balneário Pinhal. * A direção do Embate da Roça Velha é de Daniel Maíba. * A pesquisa do embate da Roça Velha é da Profª Maria Faistauer e o roteiro de Marcelo Maresia. * A realização do Embate da Roça Velha é da Secretaria de Turismo do Balneário Pinhal com coordenação geral da secretária Mari Luce Padilha. * A participação dos cavaleiros e atuadores foi o grande destaque do evento. Contando com atores locais e cavaleiros de Cidreira e do Balneário Pinhal, com destaque para a atuação do Gelson do Capivarí! * Mais seis pescadores da região do Litoral Norte assinaram contratos de financiamento do programa RS Pesca e Aquicultura, da Secretaria de Desenvolvimento Rural, Pesca e Cooperativismo (SDR/RS), para viabilizar a aquisição de equipamentos de pesca e de armazenamento de pescado. * Com o apoio da diretora Valquíria Ferreira segue em frente o Projeto “Boizinho da Praia”, agora com o início das oficinas de canto, violão, dança, percussão e produção audiovisual! * As inscrições estão abertas para toda a comunidade da Escola Herlita Teixeira. Participe! Informações direto na secretaria da escola! * As oficinas acontecem todos os sábados das 9:00 às 12:00! Participe! * O CTG Piazito do Litoral marcou presença no Desfile Farroupilha! * Marcelo Maresia conquista o 1º Lugar no festival Mulher em Canto que aconteceu em POA durante a Semana Farroupilha com a música “Luta de Penha” interpretada por Jessilena Etcheverry. Q BLZ! * Além da construção da nova faixa, a ERS-040 está passando por recuperação. A EGR administra cerca de 83 Km da rodovia, entre Viamão e Balneário Pinhal, e toda essa extensão passará por melhorias. * O ProconRS lançou a plataforma online que disponibiliza que aos usuários que acompanhem as empresas na solução das reclamações. A plataforma deve ser utilizada como um espaço de conciliação, para que o consumidor possa fazer suas reclamações e oportunizar a resolução dos problemas de forma rápida, prática e sem sair de casa. * O Mutirão para o Seguro Defeso dos pescadores está previsto para os dias 6 a 8 de outubro na Prefeitura de Tramandaí e no dia 9 de outubro, no Sine de Imbé, na Av. Paraguassú, 2016. Senhas na Secretaria de Agricultura e Pesca de Tramandaí e Sine de Imbé a partir de 01/10. * O nosso carinho aos familiares do nosso amigo Iedo Fraga que levou suas histórias para contar em outras paragens. Fica a lembrança de boas histórias da praia ouvidas da boca pro ouvido! * Chegou a Primavera com suas flores, cores e ventos! * Fazer a criançada desfilar no olho da chuva enquanto os queridos estavam protegidos embaixo de toldos é o fim do mundo. * E ainda tem gente “inocente” que achou muito lindo tudo isso. Vale tudo pela campanha. Até botar as crianças na chuva! * E o que foi aquele “Tsunami” ao contrário que rolou aqui em Cidreira? Obra de quem? Responsabilidade de quem? Quem paga o prejuízo das pessoas? * O que será que os eleitores de Cidreira estão pensando para as eleições 2014? * Será que estão realmente interessados em conhecer os candidatos e suas propostas ou mais uma vez serão enganados pelo dinheiro fácil, materiais de construção e promessa de empregos? * Será que nesta eleição teremos um índice de abstenção enorme como o que ocorreu há 4 anos atrás? * Será que o MPE - Ministério Público Eleitoral e o nosso Juiz Eleitoral vão continuar achando normal que casualmente nas eleições presidenciais faltem mais de 3.000 eleitores em Cidreira? * A Violência nas Escolas é um tema a ser amplamente discutido pelas pessoas com formação, qualificadas e responsáveis pela construção e comprometidas com o pensamento para a educação do litoral. * Sei que para a surpresa de muitos dos nossos administradores em breve estaremos novamente no verão, e o trânsito de Cidreira, que já fez várias vítimas fatais, continua a ser tratado de maneira amadora! * Quando será que teremos uma estação de tratamento de água em Cidreira? Somos a praia mais antiga do estado e mesmo assim nossos administradores pensam como se estivéssemos no século passado. * Quando será que teremos Coleta Seletiva de Lixo em Cidreira? * Quando teremos uma Cooperativa de Reciclagem em Cidreira? * Será que vamos continuar jogando o lixo pelas ruas, pelas dunas, pelas áreas de preservação permanente, pela praia? * Parece que estamos retrocedendo também na qualidade dos serviços, pois agora é só dar uma chuvinha que já falta luz em Cidreira. Pensei que já havíamos superado essa fase. * Seria um absurdo se, depois de tantos e importantes avanços, escolhêssemos recuar para as ultrapassadas soluções do neoliberalismo. * Alguém sabe prá onde tá indo o dinheiro da cultura? Maria Farofa Olha só... Um Tsunami... ...ao contrário! Dizem que alguém inventou de fazer uma represa de areia! Ninguém seria tão burro! Uma Represa de areia é muita criatividade ou muita burrice!

[close]

p. 4

Rio Grande do Sul , março de 1845 O último combate foi a batalha de Quero, em 29 de dezembro de 1844 e então não se ouviu mais o barulho das armas farroupilhas. A revolta que iniciou em 1835, denominada Revolução Farroupilha ou Guerra dos Farrapos, ocorreu em função dos elevados impostos cobrados no local de venda ( normalmente outros Estados ) sobre itens ( animais, couro, charque e trigo ) produzidos nas estâncias do Estado . Charqueadores e estancieiros, reclamavam ainda, de outros impostos: sobre o sal importado e sobre a propriedade da terra. A guerra eclodiu contra o Governo Imperial do Brasil, na Província de São Pedro do Rio Grande do Sul , com a declaração da independência da Província em 1836, dando origem à República Rio – Grandense. As tratativas de paz, iniciaram em 1840 quando Bento Gonçalves respondeu carta propondo que as dívidas contraídas fossem pagas pelo governo imperial; os escravos alistados libertados e soldados republicanos liberados. Seguiu a guerra e em 1844, Fructuoso de Rivera propôs negociar a paz. Houve suspensão de armas para que o governo pudesse negociar a paz, mas Moringue quebrou a suspensão de armas e avançou contra o acampamento, na curva do Arroio de Porongos e os Lanceiros Negros, pelearam até a aniquilação. Bento Gonçalves, em 1844, volta para negociar a paz, mas retirou-se assumindo Davi Canabarro. O denominado “ Tratado de Paz de Poncho Verde “, celebrado em 1845, atendeu algumas reivindicações, principalmente em relação a obtenção de tratamento mais justo por parte do governo imperial . Cabe considerar que o nome Poncho Verde é devido à relva e pastagem verde, região hoje de Dom Pedrito e que vale Paz de Poncho Verde e Convenção de Poncho Verde. Com efeito, não tratamos legitimamente de um TRATADO e nem tal foi firmado pelos Farroupilhas e o Império. Os tratados são realizados entre Estados e o Governo Imperial, não considerava a República Rio – Grandense outro Estado, outro país. Caxias, para agradar interesses e não criar conflito para o Império , firmou uma Ata e a população recebeu a notícia por meio de impressos. Assim, em 1º de março de 1845, foi assinado o denominado “ Tratado de Poncho Verde “, que deu fim à revolução . Farrapos e Imperiais reunidos acampamento imperial de Carolina fizeram concessões, decretaram a paz . A província retorna para o Império e Vicente da Fontoura, em 25 de fevereiro de 1845, faz a leitura das 12 cláusulas : 1- Nomeado presidente da província, o indivíduo indicado pelos republicanos; 2- Pleno e inteiro esquecimento de todos os atos praticados pelos republicanos durante a luta, sem ser permitida, em nenhum caso, a instauração de processo contra eles, nem mesmo reivindicado interesses privados; 3- Dar-se-á pronta liberdade para todos os prisioneiros e serão estes às custas do governo imperial, transportados para o seio de suas famílias, inclusive os que estejam como praça no exército ou na armada; 4- Fica garantida a dívida pública segundo o quadro que dela se apresentar 5- Serão revalidados os atos civis das autoridades republicanas, sempre que nestes se observe as leis vigentes; 6- Serão revalidados os atos do vigário apostólico; 7- Está garantida pelo Governo Imperial, a libertação dos escravos que tenham servido nas fileiras republicanas , ou nelas existentes; 8- Os oficiais republicanos não serão submetidos à serviço militar algum e quando espontaneamente queiram servir, serão admitidos em seus postos; 9- Os soldados republicanos ficam dispensados do recrutamento; 10- Só os generais deixam de ser admitidos em seus postos , porém em tudo o mais, gozarão da imunidade concedida para os oficiais; 11- O direito de propriedade é garantido em toda a sua plenitude; 12- Ficam perdoados os desertores do exercito imperial. David Canabarro redigiu e proclamaram o fim da Guerra dos Farrapos ... cessados os canhões e as balas.. e o cumprimento? Foram lá os escravos libertados? Escolheram os republicanos o Presidente? O Império ressarciu totalmente as dívidas de guerra? Certo que consolidada a força política do Rio Grande do Sul e revelado que somos um povo aguerrido e bravo e que buscamos a Justiça Social, Fiscal e a Liberdade . Vencemos a Guerra dos Farrapos ! Acesse direto pela Internet pelo www.omarisco.com.br

[close]

p. 5

“Era o namoro gostoso do verão com a pitangueira Era eu o beija-flor e tu a flor da corticeira” Da música “Amar Amor” Letra de Ivan Therra e melodia de Elton Saldanha E o padrinho São Pedro nos beneficiou com um belo Sábado de sol e o Dia do Gaúcho foi comemorado em alto estilo aqui em Cidreira. O destaque do desfile foi o CTG Piazito do Litoral que sob o comando do patrão Renato Ouriques levou a cultura e a tradição gaúcha para a avenida. Foi simplesmente espetacular a iniciativa da AMVERCOL que montou um galpão crioulo e fez acontecer a tradição do Rio Grande abrindo as portas e com a velha e boa hospitalidade gaúcha recebeu a comunidade e visitantes para celebrar a Semana Farroupilha. Com muita organização e contando com a participação de vários segmentos das comunidades culturais, o Desfile Farroupilha no Balneário Pinhal ficou marcado pela alegria da gauchada, Desde as crianças muito bem pilchadas que mostravam orgulhosas suas bombachas, botas e lindos vestidos de prenda, até a gauderiada que veio desfilar de a cavalo com garbo e maestria, tudo combinado com o belo dia de sol, foi perfeito para que as comunidades do Balneário Pinhal comemorassem felizes o Dia do Gaúcho na beira da praia. E lá se foi Iedo Fraga prá estância grande do céu prosear de perto com o patrão velho. despediu-se de Cidreira desfilando gaúcho de a cavalo pelas ruas desta cidade que o viu crescer e que ele ajudou a fazer crescer. Para nós da equipe de produção do Jornal O Marisco fica a boa lembrança de algumas prosas soltas como o vento, das lembranças dos primeiros tempos de Cidreira, contadas da boca pro ouvido. Fico a lembrança do sorriso e do brilho nos olhos quando recordava das muitas vezes que vinha lá de fora para a praia com o cavalo carregado de vasilhas de leite para vender aos veranistas. Naquele tempo era assim, recordava e sorria.

[close]

p. 6

Marcelo Maresia é o compositor da música vencedora do Festival Mulher em Canto que aconteceu durante a Semana Farroupilha, no Parque da Harmonia em Porto Alegre. Apresentando uma temática social e representativa tendo por sul a Lei Maria da Penha e a sua relação com o comportamento das nossas comunidades, a música cresceu muito para o palco do festival quando ganhou a interpretação teatralizada e emblemática de Jessilena Etcheverry que pela plástica proposta e pela encenação acrescentou à interpretação detalhes que fizeram a diferença, contribuindo muito para o sucesso no festival. Marcelo Maresia é músico e compositor do Balneário Pinhal, sendo muito conhecido pelas belas composições e interpretações em parceria com o seu irmão Daniel Maíba. Referenciais da musicalidade e das culturas na nossa região praieira. A Escola Raul Pilla apurou as urnas e dando aula de processo democrático com mais de 600 votos, anunciou a nova diretoria eleita diretamente pelos estudantes, professores e funcionários: Diretora: Marisa Liane Almeida Vice Diretor: Rafael Preussler de Aguiar Vice Diretora: Marilene Sessim Ferreira Vice Diretora : Edite Joaquina de Lima Chegou e já está instalado o novo laboratório de ciências da Escola Herlita Teixeira. O laboratório é completo e com equipamentos que agregarão ainda mais qualidade à educação para um melhor desenvolvimento das nossas crianças. A diretora Valquíria Ferreira festeja mais esta conquista “Por certo este espaço contribuirá muito para qualidade do ensino na Escola Herlita”, disse a diretora. Simplesmente espetacular a realização da proposta da Profª Paty Gonçalves com a criançada da Escola Diogo Penha. A gurizada encenou a música “Pé de Mato” que tem letra de Ivan Therra e melodia de Adriano Sperandir e Cris Sperandir. Brilharam no palco e fizeram muita gente chorar de emoção. Parabéns pela iniciativa e pela qualidade no trato com a educação. Marcelo Ventura da Academia Pri Fitness é o Vice Campeão estadual na Copa RS de Muay Thai garantindo vaga pra lutar o Campeonato Brasileiro no RJ. “Após nocautear um grande adversário, saí com nariz quebrado e não tive condições de lutar a final. Mas estou orgulhoso de poder representar muito bem meu município Balneário Pinhal e minha Equipe PRIDE”, disse o campeão. Os empresários Lucas Thomaz e Rodrigo Thomaz da Cia da Impressão, estiveram participando da Feira do Empreendedor da FIERGS onde estavam sendo apresentadas entre outras coisas as novas tecnologias e tendências da área da impressão digital. Assim temos aqui em Cidreira o top de qualidade gráfica oferecido pelos irmãos empreendedores de Cidreira. Tá bem grande a correria e a função para as filmagens do curta “Lavadeiras: O viver das águas”, da nossa amiga Ana Beatriz do Arroio do Sal. A história de Ana Beatriz foi contemplada no projeto Revelando os Brasis e em breve deverá ter o seu lançamento oficial no RJ e exibição para todo o Brasil. Mais um registro de qualidade para o fortalecimento da cultura do nosso litoral gaúcho.

[close]

p. 7

“Sete ondas eu contei, prá depois jogar no mar meu botão de flor azul prá saudar Iemanjá! Da música “Oração das Sete Ondas” de Ivan Therra, Jociel Lima e Emanuel Santos Pois em Cidreira acontece cada uma que parece duas! Eis que de repente, não mais que de repente, em uma linda tarde de sol as ruas de Cidreira são invadidas por uma onda, um tsunami, porém ao contrário! No lugar de vir do mar para terra o Tsunami cidreirense veio das dunas para o mar! Mas como? Pois aí é que tá! Ninguém sabe ao certo o que de fato aconteceu. Uns dizem que foi a caixa d’água que rebentou, outros disseram que foi a comporta da lagoa que rebentou e outros ainda dizem que foi a barragem que ruiu. Mas que caixa d’água é essa que teria tanta água assim? Simplesmente não existe! Então não foi isso! Mas e essa tal comporta da Lagoa que teria rebentado? Pois essas comportas existem e ficam junto aos levantes de água, nas lagoas. Esses levantes são assunto proibido pois é um mistério, como é que algumas pessoas são proprietárias destes levantes e vendem para os agricultores a água da lagoa. Muito estranho vender água da lagoa. Muito estranho vender algo que não é seu. Muito estranho. Mas enfim, parece que em Cidreira pode de tudo. Mas não tem nenhum levante tão perto assim para que pudesse invadir as ruas da cidade, Então também não foi isso que aconteceu. Então prá desvendar esse mistério anda por bocas de madame que um certo personagem da administração pública teria mandado fazer uma represa de areia, com o intuito de reter o fluxo de uma nascente natural que existe logo após a última rua aberta naquela região. Represa de areia? Mas não existe represa de areia, pois qualquer tonto sabe que com areia não dá para represar nada, pois é certo que a água vai romper a areia. Então esse povo falador tá querendo dizer que nós temos um administrador tão burro que é capaz de mandar fazer uma represa de areia? Impossível acreditar! Pois por mais absurdo que possa parecer parece que foi isso o que aconteceu. Mandaram fazer uma represa de areia e esta com o volume de água excessivo acabou por fazer ruir a frágil barreira e foi assim que toda aquela água inundou casas, pátios, jardins e ruas, sujando e estragando muita coisa. E agora quem paga pelo prejuízo das pessoas? Pois é um tsunami ao contrário só em Cidreira mesmo. Mas nós nos recusamos a creditar que alguém tenha de fato feito isso. Eleições – No dia 05 de outubro, será o dia de escolher nossos representantes no estado e união pelos próximos quatro anos. Portanto, sua escolha é fundamental para nosso futuro. Eleições I – Essa decisão deveria ser nos padrões da honestidade e chances de eleição, você só tem um tiro e este não deve de ser desperdiçado. Festa na Concha – Quase trinta dias de festa. Após 10 anos pedindo que no inverno fosse feito eventos para que nosso comércio pudesse vender e gerar empregos e renda para nosso povo. Pois bastou ter um candidato da cidade, para que usassem o dinheiro público para fazer campanha para tal cidadão, realizando muita festa. Para ele! PMDB – O partido gaúcho envergonhado de sua linha política, pois perdeu o norte, ou seja, dividido por cargos e salários no nível nacional, não usa mais o nome do partido em sua propaganda. O desgaste é muito grande. RBS – A empresa que não passa por boa situação financeira, desempregou 130 funcionários do seu jornal. E tentando resolver todos os seus problemas lançou candidatos em todos os níveis da política gaucha. Governo, senado, deputado estadual e federal. Boa forma de arrumar a casa e dominar o estado. Reeleição – É a primeira vez que vejo um político ser contra a reeleição, e esta deve ser uma boa pratica para o futuro da política. Deveriam abolir a reeleição em todos os cargos políticos, no estado, união e municípios. Asfalto – Nestes dias começaram a asfaltar várias ruas da cidade, mas sem nenhuma noção, pois em ruas não preparadas que já nas próximas chuvas irão se deteriorar. Mais um pouco do dinheiro público na campanha política partidária. Horário de Verão – Começa no dia 19 de outubro o horário de verão, alguns odeiam, mas eu particularmente gosto, os dias ficam maiores e como a vida não foi feita para dormir e sim para ser vivida, viva o horário de verão. Governo – O atual governo do estado, foi o melhor que houve na questão segurança pública, nunca se prendeu tanto quanto agora, armamentos, viaturas, coletes e equipamentos novos. Tudo em prol da sua segurança. Santo de Casa – Como dizem santo de casa não faz milagre mesmo, quando mais se precisa dele, menos ele te ajuda. Na política é assim, quando você precisa, não dá, mas quando eles precisam aí tudo fica muito mais fácil. Sua Escolha – Dilma, Marina ou Aécio. Tarso ou Ana Amelia. Olívio, Lasier ou Simon. Boa sorte para todos nós! Da Frase - Não publico e exponho meus pensamentos achando que mudarei a cabeça de pessoas que pensam diferente de mim. Exponho meus pensamentos para mostrar às pessoas que já pensam como eu, que elas não estão sozinhas.

[close]

p. 8

O Projeto “Boizinho da Praia” que foi contemplado no Programa Mais Cultura nas Escolas do Governo Federal através do Ministério da Educação e Ministério da Cultura, está seguindo em frente. Todos os estudantes de todas as turmas foram convidados, assim como os professores e funcionários, para participar das atividades e oficinas que culminarão com a apresentação da Ópera Popular Boizinho da Praia, uma grande brincadeira que valoriza e registra o auto folclórico original da região praieira gaúcha. Os estudantes estão entusiasmados e já começam a participar das oficinas de dança, violão, canto, percussão e produção audiovisual. Para participar basta se inscrever na secretaria da escola ou direto no Facebook/boizinho na escola herlita. Faça a sua inscrição e participe! Além dos estudantes, professores e funcionários da escola, também podem participar os familiares e amigos dos estudantes. Não existe limite de idade para a participação e todos que quiserem podem chegar na escola Herlita Teixeira todos os sábados a partir das 9:00 até as 12:00 para aprender, participar e brincar o boizinho da praia. Contando com o apoio da Diretora Valquíria Ferreira o projeto ganha dimensão e promete espraiar a idéia para outras escolas da cidade e da região. O pensamento disseminador de idéias da Diretora Valquíria fortalece e amplia as possibilidades das ações de cultura para o desenvolvimento pleno dos estudantes da Escola Herlita Teixeira, ultrapassando a rigidez do currículo e construindo uma educação diferenciada focada na formação de sujeitos protagonistas de suas histórias atuando pelo fortalecimento das identidades culturais e potencializando o sentido de pertencimento comunitário. Com uma proposta diferenciada de educação e contando com o apoio da Casa da Cultura do Litoral, do Ponto de Cultura Flor da Areia, do Ministério da Cultura e do Ministério da Educação a Escola Herlita avança no pensamento de como fazer educação em Cidreira.

[close]

Comments

no comments yet