Embed or link this publication

Popular Pages


p. 1

Sindicato dos Administradores no Estado do Rio de Janeiro Ano 8 - Nº 35 JORNAL do ADMINISTRADOR Setembro e Outubro de 2014 Atuação do Sinaerj passeia entre as mais diversas lutas em favor dos Administradores administradores.org.br administradores-rj.blogspot.com twitter.com/sinaerj facebook.com/adm.sinaerj administradores.tv.br

[close]

p. 2

Setembro e Outubro de 2014 Jornal do Administrador A sigla de qualquer sindicato não demonstra em si, a gama de atividades que seu cotidiano exige. Aquele que, de longe, tenta avaliar o cotidiano das entidades, nem imagina quais demandas são, diuturnamente, apresentadas aos diversos Diretores. E elas exigem respostas rápidas e precisas, de acordo com a velocidade dos tempos hodiernos. A internet faz com que, ainda mais, a exigência se estabeleça nos momentos atuais. A base sindical, ávida por soluções dos conflitos laborais, do seu dia a dia e, também pretendendo ser contemplada com novos ganhos salariais, além de assegurar os benefícios já conseguidos, pressiona, cada vez mais, por atenção e apoio. A missão precípua, seu próprio fim, na assistência à sua base, sem dúvida, é a interlocução com o patronato, nas mesas de negociações, especialmente em discussões para os Acordos Coletivos de Trabalho, apresentando as proposta definidas em assembleias dos empregados nas empresas. Essa negociação, em geral, se desenvolve em diversas etapas e diversos dias, em vários locais do país e, habitualmente, demanda amplos recursos financeiros. Algumas delas levam Diretores e Delegados Sindicais ao cansaço e à exaustão. De outro lado, os Diretores devem, necessariamente, administrar sua própria casa, ou seja, o Sindicato tendo como primordiais a arrecadação e a melhor aplicação prática dos seus recursos financeiros, devem garantir a conservação do patrimônio, como imóveis e equipamentos, gerir o seu corpo funcional, zelar pela saúde e bem-estar de seus empregados, mantendo-os fiéis às melhores práticas e capacitando-os profissionalmente. Um Sindicato é, acima de tudo, uma empresa, que deve atender a todos os preceitos legais, cumprindo prazos e recolhendo impostos e taxas devidas. Cada Sindicato deve, de forma uníssona, atuar de acordo e sob orientação das entidades superiores, às quais, de forma voluntária, se filiou, quais sejam Centrais Sindicais, Intersindicais, Federações e Confederações. Delas emanam preciosas orientações e diretrizes para a peleja das entidades e para o trilhamento das demandas das diversas categorias profissionais. O Sinaerj filiado à Central Única dos Trabalhadores (CUT) e à Confederação Nacional das Profissões Liberais (CNPL), atua em franca parceria, observando criteriosamente as decisões emanadas. Tais entidades procuram capacitar os Dirigentes Sindicais e seus empregados neste liame, Diretores do Sinaerj participaram do “Fórum de Atualização Sindical”, patrocinado pela Confederação Nacional das Profissões Liberais (CNPL), do “Curso de Organização e Representação Sindical de Base e de Formação de Formadores”, na Escola Sindical 7 de Outubro da CUT. Empregados, por seu turno, frequentaram o Curso de Formação Política, patrocinado pela Escola do Professor do Sindicato dos Professores do Município do A L A B U TA S I N D I C A L Rio de Janeiro e Região, versando suas aulas sobre o tema “Formação do Estado, Sociedade, Poder, Hegemonia, Contra Hegemonia no Brasil” e “O Papel dos Sindicatos e os Movimentos Sociais”. Por outro lado, atualmente, exige-se que Diretores participem de Simpósios e Congressos para troca de experiência com entidades congêneres e o consequente aprimoramento das suas práticas. A par disto, devem participar de eventos sociais e de caráter político, pois as demandas maiores dos assistidos, passam, muitas das vezes, por negociações com parlamentares municipais, estaduais e federais. Neste contexto, o Sinaerj vem cumprindo, da melhor forma possível e com reduzidos recursos, suas políticas e propostas de trabalho. Não tendo Diretores à disposição pelas suas empresas de origem, atuam na medida de suas possibilidades de tempo e de recursos. Alguns deles participaram interagindo com outros sindicalistas de diversas categorias, além de profissionais de várias formações e de Estados do Brasil. Assim, a troca profícua de experiência faz com que se consolide, cada vez mais, a atuação em defesa dos Estudantes de Administração e dos Administradores. Interagindo intensamente na base sindical, participou o Sinaerj das discussões e acertos na negociação e homologação dos Acordos Coletivos de Trabalho nas empresas CEDAE, EMATER-RIO, INB, ELETROBRAS, ELETROBRAS ELETRONUCLEAR, ELETROBRAS FURNAS, EPE e CPRM, enfrentando, em algumas delas, severas discordâncias entre a classe laboral e o patronato, que levaram, inclusive, a paralisações de advertência e greve de vários dias. Apesar disto, as diversas campanhas chegaram a bom termo, reconhecendo os empregados as especificidades do momento econômico e político do país. O salário mínimo profissional tem levado o Sinaerj a uma forte quebra de braço com o Legislativo Federal e Estadual. Aqui, no Rio de Janeiro, há um piso, acordado com o patronato e com mediação das Centrais Sindicais, baseado nos índices apurados pelo DIEESE, cujo Decreto foi sancionado pelo Governador do Estado, há quatro anos. Não se trata de valor ideal, embora atualizado periodicamente, mas, tem sido o possível, diante da atual conjuntura político-econômica. Na esfera federal, tem havido, durante os últimos anos, contatos com diversos parlamentares, das mais variadas legendas, para que discutam e sancionem o piso nacional para os Administradores, antigo pleito da categoria. Diretores do Sinaerj, com outras lideranças nacionais, têm participado de audiências públicas na Câmara dos Deputados e Senado, todavia ainda infrutíferas as negociações, devido a discordâncias entre os parlamentares e por questão regimental de pauta. A Saúde do Trabalhador se reveste de extrema importância e tem o Sinaerj se engajado intensamente em tal discussão, quer seja em suas reuniões mensais de Diretoria, quer seja como membro efetivo da Comissão Intersetorial de Segurança e Saúde do Trabalhador – (CIST). Neste ano, como Delegado, o Sinaerj esteve, durante três dias, em Guarulhos, no Centro de Treinamento Adamastor, participando da Conferência Nacional de Saúde do Trabalhador e da Trabalhadora da CUT, juntamente com lideranças de diversos ramos de todo o país, desde profissionais liberais, até o povo da floresta. Ainda no semestre findo, o Sinaerj se fez presente, como convidado, na IV Conferência Estadual da Saúde do Trabalhador e da Trabalhadora, preparatória para a Conferência Nacional da Saúde do Trabalhador e da Trabalhadora, a ser realizada em Brasília, no corrente ano. O Sinaerj participou em fóruns de extrema relevância, que abordaram as questões do gênero, como VI Congresso da Federação de Mulheres Fluminenses e Plenária Estadual de Mulheres Odete Gomes, promovido pelas Federações de Mulheres Fluminenses e pela Central Única dos Trabalhadores (CUT), respectivamente, na cidade do Rio de Janeiro. Tal participação ocorre por reconhecer o empoderamento das mulheres, haja vista sua intensa participação na vida laboral, econômica, social e política do Brasil. Reconhecendo a estrema necessidade de franco diálogo com as lideranças dos Administradores, nos Estados, vários Diretores participaram dos três Encontros Nacionais dos Dirigentes Sindicais de Administração (ENDISA), realizados em Belo Horizonte, Salvador e São Paulo, nos quais se pretendeu aprofundar a problemática da profissão em suas especificidades. A par disto também estiveram presentes na “10ª Plenária Estatutária Washington Costa”, da CUT/ RJ, e no VI Congresso Mundial de Administração, ocorrido em Quebec, Canadá, em 2010, assim como no VII Congresso Mundial de Administração, em 2011, nas cidades de Torino e Genebra, Itália e Suíça, respectivamente, e também nos XXII Encontro Brasileiro de Administração e VIII Congresso Mundial de Administração, em 2012, no Rio de Janeiro e XIII Fórum Internacional de Administração (FIA) e IX Congresso Mundial de Administração, realizados em Gramado, Rio Grande do Sul, em 2013. Tem o Sinaerj apoiado os estudantes de Administração do Estado do Rio de Janeiro, reconhecendo a real necessidade de oxigenação da profissão e estimulado sua participação na vida sindical, reconhecendo, a importância que a juventude representa neste contexto. Palestras são feitas em alguns campi, levando-lhes informações sobre a importância dos sindicatos, da valorização profissional, auscustando-lhes seus diversos anseios. Necessário se faz que os Administradores e estudantes de Administração se aproximem, cada vez mais, do Sindicato dos Administradores no Estado do Rio de Janeiro, a fim de contribuir e ampliar sua atuação, para que a entidade se fortaleça, fazendo jus a sua luta de 36 anos. O SINAERJ é nosso, de cada um de nós que escolhemos ser ADMINISTRADOR!!! 2 Siga o Sindicato no Twitter: www.twitter.com/sinaerj

[close]

p. 3

Jornal do Administrador Setembro e Outubro de 2014 Metas e estratégias são cruciais para alcançar os objetivos desejados 5W1H dá consistência ao plano de ação O Quê? Quando? Quem? Por quê? Onde? Como? Diretor do Sinaerj discursa sobre a conjuntura política e social do estado do Rio O Administrador e Diretor de Comunicação do Sinaerj, Reinaldo Antonio, redigiu um artigo onde faz uma análise da conjuntura política e social do estado do Rio de Janeiro, expressando sua posição sobre aspectos que dizem respeito a atual situação da democracia no Brasil e como anda a luta de classes no Estado. No texto, o Administrador faz um diagnóstico do atual cenário do Rio frente a um período de eleições para governador e a repercussão que o mundial de futebol teve no mundo. O intuito foi encontrar respostas para descobrir esse novo cenário onde se encontram as lutas de classe e como se comportam a burguesia e o proletariado perante essas frentes. Segundo o Diretor do Sinaerj, a soberania burguesa funciona intensamente em todas as instâncias do país e o período de lutas de classe no Estado, no presente tempo e espaço, se encontra numa fase não revolucionária. “Ainda sou daqueles que pensam a sociedade a partir da existência de duas classes: a burguesia (donos dos meios de produção) e o proletariado (trabalhadores)”, diz Reinaldo em parte do texto. No documento, o Administrador explica que na sociedade carioca, onde a burguesia detém o poder, os trabalhadores buscam no governo formas vitoriosas como as que conseguiram atualmente, com a aprovação de questões importantes para a população, dentre elas a adesão dos 10% para a Educação no PNE, a PEC do trabalho escravo, a análise da repressão durante a escravatura e entre outros. Entretanto, as frentes de lutas pela classe trabalhadora estão um pouco apáticas, principalmente, as advindas do governo e das empresas. Além disso, no ponto de vista das eleições, Reinaldo faz uma análise sobre o comportamento da soberania empresarial e questiona qual será o comportamento dos empresários nesse pleito e quais os candidatos que eles apoiarão. Será que darão continuidade ao regime burguês que domina atualmente o Estado ou estarão ao lado de políticos que têm a visão e o foco na melhora da classe proletária? Essas e outras perguntas são questionadas ao longo do artigo. O Diretor de Comunicação observa ainda que os movimentos de massa, como as manifestações ocorridas em junho e julho de 2013, não demonstraram se posicionar de forma unificada de um lado nem de outro, mostrando-se menos difusos e obtendo apenas a presença de entidades institucionais como sindicatos, ONGs e movimentos organizados. Ou seja, a população tem se mostrado atualmente aquém. E, para encerrar, Reinaldo Antonio pondera que sua análise tem mais profundidade que apenas a consideração de uma política institucional, mas a perspectiva de incentivar uma luta em prol do socialismo. Leia na íntegra o artigo sobre a conjuntura política e social do estado do Rio de Janeiro, escrito pelo Diretor de Comunicação do Sinaerj, Reinaldo Antonio, através do site: www.administradores.org.br/. Gerir é estar a par de todo processo de criação, desenvolvimento e planejamento dos atos da organização ou equipe. Para ser um bom Administrador é preciso desenvolver os rumos, as metas e principalmente as estratégias e ações para que a empresa consiga alcançar os objetivos desejados. No entanto, é preciso criar um planejamento estratégico antes do ato efetivo, o famoso plano de ação, que nada mais é do que a elaboração de táticas fundamentais antes de iniciar o ataque. Mas, como elaborar um plano de ação simples e focado, de forma a desenvolver um melhor trabalho na empresa e equipe? Com a ferramenta 5W1H. Muito usado por jornalistas no desenvolvimento dos leads (introduções nas matérias) e no meio empresarial como uma espécie de check-list, esse mnemograma (micro-check-list na língua empresarial) pode ser muito importante no desenvolvimento do planejamento estratégico. Agora você deve estar se perguntando: mas o que é essa tal 5W1H? A expressão é originária de seis palavras em inglês What (o que), When (quando), Who (quem), Why (por que), Where (onde) e How (como), e tem como objetivo promover um “brainstorm” baseado em uma meta clara. A ferramenta parte do princípio que é preciso deixar claro tudo o que deve ser feito, quem deve ser responsabilizado, onde desenvolver, quando iniciar e por quê. O foco principal é justamente ajudar os empreendedores a pensar estrategicamente com perguntas e questionamentos importantes, antes de praticar a ação efetivamente. Desenvolver um bom plano, considerando o 5W1H, é relativamente simples e sem necessidade de algo especial, além disso, o resultado é sempre positivo e auxiliador. Pense na meta, crie uma planilha com as 6 perguntas da ferramenta (O que fazer, quando fazer, quem irá fazer, por que irá fazer, onde irá fazer e como irá fazer), acrescente uma ação para cada uma delas e responda conforme a necessidade do momento. Ao final do processo, será possível obter um plano de ação elaborado, simples e com objetivos bem traçados. Com o planejamento pronto, é só colocar a mão na massa e partir para a ação. Já diz o ditado: “A prática é o que leva a perfeição”, então quanto mais e melhor utilizar o 5W1H, igualmente terá um resultado mais produtivo e um plano de ação delimitado de forma correta. A ferramenta consegue dar consistência à estratégia, sendo usada como um guia para os gestores implementarem atuações estratégicas dentro da organização. Contudo, isso precisa ser realizado de forma integrada. Não adianta o Administrador somente pensar e planejar, é preciso que ele desenvolva, ou como o próprio nome sugere, coloque em ação. Entidades sindicais entregam pauta referente ao ACT 2014/2015 para presidência da CPRM Os Diretores do Sinaerj, junto com os dirigentes sindicais do SINDIMINA/RJ, SITRAMICO/RJ, SENGE/ RJ, SITRAMICO-RS/RONDÔNIA e SANTA CATARINA, além de representantes da bancada dos trabalhadores, se reuniram no dia 9 de junho, na sede da Companhia de Pesquisa de Recursos Minerais (CPRM) com o presidente da empresa, Manoel Barretto e seus assessores, a fim de tratar questões referentes ao Acordo Coletivo de Trabalho dos empregados da companhia. A reunião teve como principal objetivo entregar formalmente à presidência da CPRM a Pauta Unificada com as reivindicações dos empregados da empresa, deliberada em Assembleia Geral, referente a negociações do XXVII ACT 2014/2015. Adm. Julio Reis, Diretor do Sinaerj (de costas e de camisa branca), participou da reunião Visite o nosso Blog: www.administradores-rj.blogspot.com 3

[close]

p. 4

Setembro e Outubro de 2014 Jornal do Administrador Presidenta representa Administradoras no Congresso da Federação de Mulheres Fluminenses Buscando garantir os direitos trabalhistas, bem como o respeito à condição da mulher, a Presidenta do Sindicato dos Administradores no Estado do Rio de Janeiro (Sinaerj), Dirce Beltrão, participou no dia 24 de maio, na Universidade do Estado do Rio de Janeiro, UERJ, no Maracanã, do VI Congresso da Federação de Mulheres Fluminenses. O encontro teve como principal objetivo tratar sobre a mulher e seu meio social. Com o tema: “Mulheres por mais Direitos, Presidenta Dirce Beltrão (com cachecol amarelo) representando o Sinaerj Igualdade, Justiça Social, Desenvolvimento e Soberania”, o evento abordou assuntos relacionados à independência financeira da mulher, como forma de reduzir a discriminação, violência e preconceitos; políticas públicas e programas sociais que auxiliem na melhora da qualidade de vida da classe feminina; igualdade de oportunidades; redução da jornada de trabalho; entre outros. Tendo o Sinaerj como uma de suas bandeiras a paridade entre gêneros, Dirce Beltrão explica a importância desses encontros para a redução da discriminação das mulheres. “A classe feminina não pode deixar de lutar por seus direitos e, nesse Congresso, pudemos abordar temas relevantes para o futuro das mulheres. O Sinaerj levanta a bandeira da paridade entre homens e mulheres e, por isso, faço questão de estar presente em todos os encontros em favor das Administradoras do Estado do Rio de Janeiro. A classe não está sozinha, lutamos continuamente para a garantia dos seus direitos”, explica a Presidenta. Centrais sindicais Sindicato participa de reuniões e fazem ato em arranca avanços da CEDAE e da INB homenagem ao Dia da Mulher O Sindicato dos Administradores no Estado do Rio de Janeiro (Sinaerj) vem, ao longo dos anos, mediando com as empresas as melhores formas de fazer valer o direito do trabalhador e, através de muitas reuniões e assembleias, neste ano de 2014 foi possível arrancar avanços e vitórias para os empregados da CEDAE, da Indústria Nucleares do Brasil (INB), dentre outras. Representado pelo Diretor Jair de Carvalho Peixoto, o Sinaerj participou nos dias 24 e 25 de março, junto com os representantes dos sindicatos (SINTSAMA/RJ, STIPDAENIT, STAECNON e SENGE/RJ), da reunião de reabertura do Plano de Cargos, Carreiras e Salários (PCCS) dos empregados da Companhia Estadual de Águas e Esgotos, CEDAE, na sede do Sinaerj, no Centro do Rio de Janeiro. No encontro, foi possível analisar a proposta da empresa com relação à abertura do PCCS, que desde a data da implantação, em 1990, não houve qualquer andamento. Já na INB (Indústria Nucleares do Brasil), o Sinaerj foi representado pela sua Presidenta Dirce Beltrão, onde no dia 29 de março, junto com os representantes da Intersindical (QUIMSULF, SINDIMINA-RJ, METABASE, SINDMINE, SENGE-RJ, SINDECON-RJ e SINSERJ), participou da reunião de assinatura do Acordo Coletivo de Trabalho (ACT) 2013/2014, na sede da empresa, no Rio de Janeiro. Fator importante realizado durante o encontro foi a emissão de uma Carta Compromisso, por O Sinaerj, junto com a CUT e demais centrais sindicais, participou no dia 18 de março, na Cinelândia, Centro do Rio de Janeiro, do ato unificado em comemoração ao Dia Internacional da Mulher. O movimento, que teve a presença da Presidenta do Sindicato, Dirce Beltrão, foi organizado pelo Fórum Estadual de Mulheres Trabalhadoras das Centrais Sindicais, “Mulheres nas Ruas pela Igualdade de Direitos no Trabalho e na Vida”. O evento, marcado por apresentações musicais, encenações, panfletagem de material e reivindicações, pela primeira vez reuniu todas as centrais sindicais, com o objetivo de comemorar o Dia Internacional da Mulher - celebrado em 8 de março - e explanar as lutas por igualdade de direitos das mulheres no trabalho e na vida, como o fim da violência doméstica, licença maternidade de 180 dias estendida a funcionárias de órgãos particulares, regulamentação do trabalho doméstico, salário igualitário, combate ao racismo, entre outras bandeiras e lutas em prol da classe feminina. Presidenta Dirce na assinatura do ACT da INB e Diretor Jair em reunião com representantes da CEDAE parte da INB, que propõe a criação de um conjunto de melhorias administrativas como: progressão salarial de um estágio na tabela salarial para todos os empregados a partir de agosto de 2014 (algo em torno de 3%), aplicação da Súmula 60, do TST, para os trabalhadores em regime de turno e revisão do modelo de Avaliação de Desempenho incluindo o mapeamento de performance dos gestores por seus subordinados. Sinaerj participa de cursos de formação sindical Buscando aperfeiçoamento e capacitação dos seus dirigentes sindicais, o Sinaerj, representado pelo Diretor de Comunicação, Reinaldo Antonio, participou de cursos de especialização organizados pela CUT: o ORSB - Organização e Representação Sindical de Base, no Sindicato dos Bancários, no Rio de Janeiro e o FF – Formação de Formadores da Central Única, em Belo Horizonte, Minas Gerais. Nos cursos, o Diretor pôde interagir com representantes sindicais de diversos estados, abordar aspectos sociológicos do Brasil, bem como tratar de questões de conteúdos para a formação de dirigentes sindicais. 4 Visite o nosso Site: www.administradores.org.br

[close]

p. 5

Jornal do Administrador Setembro e Outubro de 2014 A evolução de uma ciência chamada Administração A Administração é considerada uma ciência complexa e fascinante, que estuda as organizações a fim de compreender seu funcionamento, sua evolução e seu comportamento. Ao longo dos anos, essa ciência foi evoluindo e acompanhando as mudanças e tendências que as revoluções trouxeram ao mundo corporativo. Hoje, a ciência de administrar pode ser notada em cada decisão formulada dentro das empresas, assim como em cada área que uma organização engloba. A Administração passa por todas elas, afinal gere pessoas e materiais com um fim específico, um objetivo em comum. Aplicá-la no dia a dia das organizações pode ser muito fácil, quando adotada por profissionais capacitados. Como ciência, a Administração faz parte do ramo das ciências humanas, ditas sociais, pois trata dos agrupamentos humanos, mas com uma peculiaridade que é o olhar holístico, buscando a perfeita integração entre pessoas, estruturas, recursos, entre outros. A mesma recebeu em sua formulação influências de outras ciências como a Psicologia, Sociologia e a Matemática. Hoje, a Administração conta com incríveis aliados na área tecnológica, o que trouxe inovação para os profissionais da classe. A transformação tecnológica aplicada nas empresas vem demonstrando implicações estratégicas para o competitivo mercado atual. A tecnologia afeta na determinação do custo ou da diferenciação de uma organização, fazendo com que a mesma aponte na frente dos concorrentes. Na Administração, um processo de inovação específico, cujo alicerce tem bases tecnológicas, só está completo quando novos conhecimentos estiverem definitivamente incorporados em produtos, serviços, processos produtivos, técnicas de gestão, orientações planejadas, etc. Para isso, é necessário se ater ao desenvolvimento das peças fundamentais de qualquer empresa: os profissionais da ciência da Administração. Por assim ser, a ciência da Administração veio se moldando ao longo do tempo passando por uma verdadeira revolução para atender às necessidades de mercado. As novidades no mundo corporativo são notáveis e de grande necessidade para manter as empresas vivas no mercado contemporâneo, onde sai na frente quem une o conhecimento com agilidade e inovação. Da hora do almoço ao Vale-Cultura A história dos trabalhadores no Brasil sempre foi marcada por muitas lutas e dificuldades na busca por direitos e libertação da escravização patronal. Os primórdios da organização dos trabalhadores se deram entre o final do século XIX e início do século XX, quando a economia brasileira começava a ser diversificada nos grandes centros, bem como se dava o crescimento da migração de trabalhadores vindos da Europa. Já acostumados em seus países de origem onde tinham diversos direitos, esses europeus estranharam e muito a sociedade brasileira daquela época, principalmente porque os direitos básicos dos trabalhadores não eram reconhecidos, sendo predominantes as práticas escravocratas. Basicamente, foi a partir da insurgência oxigenada pelos imigrantes europeus que se deu a fecundação e gestação do movimento sindical brasileiro. O nascimento e a criação das primeiras entidades representativas dos trabalhadores - no formato de sindicatos - só veio a acontecer mesmo em 1931, quando o Governo Federal publicou o Decreto nº 19.770 que regulamentou a sindicalização. Em decorrência das fortes e coerentes lutas organizadas pelos sindicatos, rapidamente o governo brasileiro se viu obrigado a reconhecer e oficializar alguns direitos dos trabalhadores. Desta forma, em 1943, o governo sancionou a CLT (Consolidação das Leis do Trabalho) que trouxe em seu bojo alguns avanços e inúmeras garantias aos trabalhadores. O nascimento da “Consolidação” avigorou Conquistas oriundas das lutas dos trabalhadores demonstram que vale a pena buscar direitos a possibilidade de aperfeiçoamento das garantias existentes, bem como a oficialização de novos direitos. Exemplo disso, é que muitos que hoje labutam e param ao menos uma hora para almoçar, não sabem que no passado nem mesmo horário de almoço era permitido aos trabalhadores. No mesmo nível se dá o “Vale Transporte”, que é um direito bem jovem, conquistado e oficializado em 1985. Outro exemplo de conquista resultante da luta dos sindicatos é a multa de 40% que todo empregador é obrigado a pagar quando demite um trabalhador sem justa causa. Esse é também um direito bem recente, haja vista ter sido a sua lei sancionada em 1990, há apenas 24 anos. Mais um jovem benefício conquistado é o “Vale-Cultura”, promulgado em 2012. Através dele, o trabalhador que recebe até cinco salários mínimos tem direito mensalmente ao Cartão Vale Mais Cultura, no valor de R$ 50,00. Os créditos são acumulativos e podem ser usados para entradas em cinema, teatros, espetáculos, shows, circo e até mesmo na compra de artigos culturais como livros, CDs, DVDs e revistas e jornais. Esses e outros êxitos comprovam e não deixam de fazer crer que as conquistas de hoje são resultantes das lutas de ontem. Assim como as vitórias de amanhã serão consequências das batalhas de hoje. O Sinaerj, na sua condição de representante dos Administradores no Estado do Rio de Janeiro, não abre mão de estar em todas as lutas que buscam a manutenção dos direitos, bem como as que vislumbram novas conquistas para os Administradores. Sinaerj fortalece imagem e amplia leque de informações com o avanço de sua comunicação O Sindicato dos Administradores no Estado do Rio de Janeiro (Sinaerj) vem, ao longo dos anos, lutando e conquistando muitas vitórias para toda a classe administradora. Além dos inúmeros avanços, como melhores condições de trabalho, conquista do piso salarial para a categoria, assinaturas de Acordos Coletivos de Trabalho, assessoria jurídica, entre outros, a comunicação do Sindicato teve um merecido destaque. O Sindicato sabe do poder da informação e, desta forma, investe em seus meios de comunicação como jornal, revista, site, blog, informativos eletrônicos (de texto e imagem), redes sociais e até mesmo um canal de TV na internet: a ADM TV. Para isso, conta com uma equipe de comunicação bem estruturada, que leva aos Administradores o que eles necessitam saber, tanto sobre assuntos que tangem o interesse da sociedade, como temas mais voltados sobre o mundo da Administração. Priorizando sua comunicação, o Sindicato dos Administradores viu seu público crescer nas redes sociais, além do alto e expressivo número de visualizações dos vídeos da ADM TV, que por sinal, foi uma grande inovação. Isso porque, ao apostar nesse novo modelo de mídia, o Sinaerj conseguiu alcançar mais os Administradores e estudantes de Administração de uma forma audiovisual, método este que, poucas entidades representativas de trabalhadores possui. De acordo com a Presidenta Dirce Beltrão, o principal objetivo da Entidade, ao ampliar suas formas de comunicação sindical, é tornar-se mais acessível, inserindo-se cada vez mais no dia a dia dos Administradores. “Através de nossos meios de comunicação, informamos tudo o que acontece no Sindicato, além de assuntos pertinentes ao interesse daqueles que tem a Administração como profissão e paixão”, salienta a Presidenta. Acesse nosso canal de vídeos: www.administradores.tv.br 5

[close]

p. 6

Setembro e Outubro de 2014 Jornal do Administrador Após luta dos sindicatos, CEDAE finalmente assina ACT 2014/2016 Representado pelo Diretor Jair de Carvalho Peixoto, o Sinaerj, participou em julho, junto com os representantes dos sindicatos (SINTSAMA/RJ, STIPDAENIT e STAECNON), da reunião de assinatura do Acordo Coletivo de Trabalho (ACT) 2013/2014, dos empregados da Companhia Estadual de Águas e Esgotos (CEDAE). Com o ACT, os trabalhadores da CEDAE tiveram oficializado o reajuste salarial de 10%, correspondente à variação do INPC no período de maio de 2014 a abril de 2015 e abono fixo e único no valor de R$ 2.000,00, a todos os seus empregados ativos em 1º de maio de 2014, que não estavam em período de experiência. Entre as principais conquistas estão ainda: ticket-refeição no valor de R$ 25,00 diário, mais valor adicional de R$ 5,00, por dia trabalhado para café da manhã; cesta básica no valor de R$ 317,00 por mês, de acordo com as normas do Programa de Alimentação do Trabalhador - PAT do Ministério do Trabalho; bolsa de estudo indenizatória para o ensino fundamental, ensino médio ou ensino médio profissional, com reembolso ao seu empregado ativo, até R$ 400,00; bolsa indenizatória de até R$ 510,24, para ressarcir auxílio creche e pré-escolar; auxílio funeral no valor em até R$ 1.563,03; entre outros. Para ver o ACT completo, basta ir ao site do Sinaerj (www.administradores.org.br/acordos) e clicar em CEDAE, ACT 2014/2016. Diretores do Sinaerj participam do II Congresso de Direito Sindical da OAB Federal em BH O Sinaerj, representado pelos Diretores Dejalmar Francisco de Pinho, Júlio Reis e o Advogado da entidade Rodrigo Machado, esteve presente no II Congresso de Direito Sindical da OAB Federal, que aconteceu nos dias 5 e 6 de junho, em Belo Horizonte, Minas Gerais. Organizado pelo Conselho Federal da Ordem dos Advogados do Brasil e a Seccional Mineira, através da Comissão Nacional de Direito Sindical, o evento teve como tema principal a importância da democracia e do crescimento dos movimentos sindicais no Brasil. O encontro, que somente no dia 5, contou com cerca de 2.000 participantes, dentre Ministros das Cortes Superiores, Desembargadores, Juízes, Procuradores, Promotores, Advogados, Líderes Políticos e Sindicais, Professores, Pesquisadores e Estudantes, apresentou a importância das lideranças sindicais como instrumento para que as relações trabalhistas sejam mais fraternas e humanas no país. O presidente da Central Única dos Trabalhadores (CUT), Vagner Freitas de Morais, observou sobre a importância de instituições sociais na garantia para obtenção da democracia. Já Ricardo Lewandowski, vice-presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), informou que a liberdade na criação de sindicatos independentes é o instrumento efetivo para garantia dos interesses e da defesa da classe trabalhadora. Foram debatidos ainda temas como: criminalização dos movimentos sociais, efeitos do sindicalismo, lutas pela inviolabilidade da advocacia - como as férias dos advogados, principalmente da área trabalhista direito de greve, conflitos intersindicais, fortalecimento da atividade sindical, dissídio coletivo e assédio moral no serviço público, entre outros. O Sindicato dos Administradores no Estado do Rio de Janeiro, Sinaerj, realizou no dia 20 de agosto, na Sede Administrativa da Entidade, no Centro do Rio, palestra aos estudantes da área sobre a importância do Administrador na Gestão da Segurança e Saúde do Trabalhador. O evento, que foi ministrado pela Administradora e Delegada de Administração em Saúde do Sinaerj, Aldilene Sousa, teve como objetivo esclarecer as dúvidas dos estudantes quanto à questão. Durante a palestra, a também Gestora de Segurança no Trabalho explicou que uma gestão eficaz, focada na segurança e saúde do trabalhador, é a chave para que as empresas e seus Administradores garantam a redução de acidentes dentro do ambiente de trabalho, bem como os índices de falta ao trabalho que são ocasionados Palestra sobre gestão de segurança e saúde do trabalhador atraiu muitos estudantes ao auditório do Sinaerj E dital por doenças laborais. O encontro contou com a participação de dezenas de estudantes e profissionais de Administração, que muito interessados no assunto, lotaram o auditório da Entidade e tiraram diversas dúvidas com a palestrante durante o evento. Após a apresentação, houve sorteio de brindes e distribuição de revistas e panfletos do Sindicato. 6 Siga o Sindicato no Twitter: www.twitter.com/sinaerj

[close]

p. 7

Jornal do Administrador Setembro e Outubro de 2014 Sindicato participa de seminário da FNU O Diretor Dejalmar Francisco de Pinho, representando o Sindicato dos Administradores no Estado do Rio de Janeiro (Sinaerj), esteve presente no seminário “O papel do setor elétrico para as políticas de Governo”, que ocorreu no dia 24 de julho, no Clube de Engenharia, Centro do Rio de Janeiro. Organizado pela Federação Nacional dos Urbanitários (FNU), o evento teve como objetivo tratar da análise da conjuntura política no setor elétrico brasileiro e debater sobre as dificuldades que as empresas da esfera estão tendo para a renovação das concessões, após a implantação da Lei 12.783/13 - que trata das concessões de geração de energia elétrica e do regime de cotas. Na mesa de debates estavam: o O papel do setor elétrico no país foi tema do importante debate presidente do Sistema Eletrobras, José da Costa; o ex-presidente da Eletrobras e professor da UFRJ, Luiz Pinguelli; o deputado federal (PT-AL), Paulão; o professor da UFRJCOPPE, Neilton Fidelis; o diretor de Itaipu, Adriano Bardou Martins e o presidente da FNU, Franklin Moreira, que presidiu a mesa. O encontro reuniu pessoas interessadas no assunto, bem como diversos dirigentes sindicais que, durante o debate, puderam participar ativamente com perguntas sobre questões relativas ao Sistema Eletrobras, dentre outros temas de relevância para os trabalhadores. O Sinaerj e o Conselho de Administração do Rio de Janeiro (CRA-RJ) estiveram coesos para facilitar a vida dos Administradores e estudantes que trabalham no Centro da cidade. Assim, no dia 11 de junho, das 10h às 17h, a unidade móvel do CRA-RJ (CRA Itinerante) pôde realizar inúmeros atendimentos em frente à Sede do Sindicato (Av. Treze de Maio, 13, Centro do Rio de Janeiro). Na unidade móvel, os profissionais e estudantes de administração puderam solicitar Auditório do Administradores e estudantes aproveitaram o CRA-RJ Itinerante Sinaerj está disponível em frente à Sede do Sinaerj para locação registro, requerer carteira definitiva ou segunda via, fazer parcelamento de débito, regularizar transferência e licença de registro, entre outros serviços que também são oferecidos pelo Conselho em sua sede física. Ana Maria Martins, Coordenadora do Setor de Registro do CRA-RJ, disse que esse tipo de ação visa facilitar a vida dos que têm questões para resolver no Conselho, mas que por trabalharem ou estudarem no Centro da cidade ficam impossibilitados de comparecer à sede física do CRA-RJ. “Como trabalhamos com sistema web, conseguimos atender os profissionais com qualidade em qualquer parte do estado”, conta Ana. Para Dirce Beltrão, Presidenta do Sinaerj, a iniciativa do CRA-RJ valoriza a classe administradora e proporciona facilidades aos profissionais e estudantes. “Sabemos das dificuldades de muitos em comparecer à sede do Conselho. Por assim ser, nada melhor do que aproveitar o fato da Sede do Sindicato ser localizada ao lado do Theatro Municipal e criar facilidades para essa ação do CRA-RJ Itinerante”, disse Dirce. O projeto CRA-RJ itinerante tem por objetivo atender as demandas dos Administradores de todo o Estado no Rio de Janeiro, tendo já percorrido diversos municípios como Niterói, Petrópolis, Teresópolis, Friburgo, Campos, Macaé e Cabo Frio. O Sinaerj disponibiliza aos seus associados e público em geral o melhor ambiente para eventos empresariais, educacionais, científicos e culturais no coração do Rio de Janeiro: o auditório da Entidade. Localizado no Centro da cidade carioca, o espaço conta com todo aparato necessário para que eventos como palestras, cursos, reciclagens, workshops, encontros profissionais, entre outros, sejam um perfeito sucesso. Com uma infraestrutura que combina conforto e funcionalidade, o auditório do Sinaerj tem capacidade para 90 pessoas, palco para palestrante, mesa de debate, cadeiras acolchoadas altamente confortáveis, quadro branco móvel e ar-condicionado, tudo que é fundamental e necessário para a realização de eventos. Além disso, o espaço tem um horário flexível, podendo ser locado das 10h às 21h. Mais informações sobre o auditório podem ser obtidas através dos telefones: (21) 2262-3090, (21) 2533-9847, pelo e-mail: sinaerj@administradores.org.br ou diretamente na Sede, que fica na Avenida Treze de Maio, 13, 8º andar, Centro do Rio de Janeiro. O local pode ser alugado tanto por empresas, como por pessoas físicas. Curta no Facebook: www.facebook.com/adm.sinaerj 7

[close]

p. 8

Setembro e Outubro de 2014 Jornal do Administrador Sede do Sindicato está à disposição dos Administradores e estudantes Dilma sanciona lei e institui 9 de setembro como Dia Nacional do Administrador Os Administradores de todo o Brasil obtiveram uma grande vitória e agora podem oficialmente comemorar. Foi sancionada, no dia 6 de maio, pela Presidenta Dilma Rousseff e publicada, no dia 7 de maio no Diário Oficial da União, a Lei de nº 12.967, que institui o 9 de setembro como o Dia Nacional do Administrador. A data já era comemorada e festejada pela categoria, mas após a sanção da lei, o 9 de setembro fica oficialmente registrado como o Dia do Administrador. Essa grande conquista é o resultado de muita luta dos Sindicatos e Conselhos de todo o país, entre eles, o Sindicato dos Administradores no Estado do Rio de Janeiro (Sinaerj) que sempre batalhou para que a classe vislumbrasse uma data oficial no calendário. A Presidenta do Sinaerj, Dirce Beltrão, parabeniza a todos os Administradores e frisa que com união a categoria é capaz de conquistar seu espaço e direito. “Estamos muito contentes com a sanção da lei que estabelece em 9 de setembro, o Dia Nacional do Administrador. Já comemorávamos anualmente a data, mas após muitas lutas, agora temos uma data oficial registrada na Legislação. Parabéns aos Administradores”, comemora Dirce. É com muita satisfação que disponibilizamos a publicação do Diário Oficial da União – Seção 1 - folha 1 – da Lei 12.967: Localizado bem no coração da cidade maravilhosa - ao lado do Theatro Municipal - a Sede Administrativa do Sinaerj está sempre pronta para receber os Administradores. Por estar em local de simples acesso, fica mais fácil tanto para os estudantes, quanto para os profissionais de Administração conhecer, frequentar e desfrutar melhor das dependências do Sindicato que os representa. A Sede Administrativa oferece uma infraestrutura completa para que os sindicalizados e filiados Sucesso profissional só pode ser conquistado com qualidade de vida e produtividade Já é comprovado que investir na qualidade de vida do funcionário aumenta a produtividade do trabalho. Então, por que não unir essas duas peças fundamentais para o desenvolvimento, tanto dos trabalhadores quanto da própria empresa? Um trabalhador com a saúde em dia consegue lidar melhor com as pressões impostas pelo ambiente laboral. Além disso, ele falta menos, tem um melhor relacionamento com os colegas de profissão e se sente mais motivado. Essa motivação o incentiva a dar o seu melhor, logo, sua produtividade aumenta, beneficiando a organização. De olho nessa perspectiva, onde as empresas devem entender que os trabalhadores são peças fundamentais para o alcance dos objetivos e realização de projetos, as mesmas percebem a cada dia que possam, além de desfrutar do espaço, se interarem mais sobre o trabalho da Entidade que luta em prol da classe Administradora. No local, os Administradores podem ainda usufruir do ambiente reservado para a categoria: o Espaço do Administrador. Nesse ambiente, os estudantes e profissionais da área podem acessar computador com internet, assistir televisão, usar o DVD, fax, fazer pesquisas na minibiblioteca, além de poder folhear revistas e jornais especializados nos assuntos da categoria. o bem-estar dos trabalhadores deve ser priorizado. Para isso, muitas organizações têm investido em programas para a saúde do trabalhador com palestras, exercícios de alongamento no próprio local de trabalho, sessões de massagem, esportes, peças de teatro, horários mais flexíveis, entre outras iniciativas que melhoram a qualidade de vida dos funcionários. Esse trabalho tem como principal objetivo privilegiar o ser humano dentro das empresas, para que o mesmo perceba o seu valor. Atitudes deste tipo melhoram as relações no ambiente de trabalho incidindo diretamente na produtividade, pois os trabalhadores percebem que a organização não está somente em busca dos lucros, mas também reconhecem que a empresa está preocupada com sua satisfação. 8 Visite o nosso Blog: www.administradores-rj.blogspot.com

[close]

p. 9

Jornal do Administrador Setembro e Outubro de 2014 Sindicato luta contra o assédio moral O assédio moral no ambiente de trabalho, também conhecido como terror psicológico e violência moral laboral, é um fenômeno que existe há décadas, mas que tem tomado proporções inimagináveis dentro das empresas nos últimos anos, principalmente diante do fato da crescente demanda de concorrência e pela aceleração da globalização no mundo. Poucas vezes denunciado pelos sofredores, o assédio moral é configurado pela exposição dos empregados a situações humilhantes, vexatórias ou constrangedoras por um período prolongado ou com atos repetitivos, com o objetivo de desestabilizar emocionalmente ou psiquicamente o profissional. Normalmente, o ato ocorre quando a organização deseja desligar o trabalhador sem ter que demiti-lo, fazendo-o passar por constrangimentos para que ele possa pedir demissão, mas existem também diversos outros casos. Especialistas afirmam que situações vexatórias normalmente resultam em questões muito sérias, sendo as doenças psíquicas e a redução da produção no trabalho as principais. Estudos indicam que ao sofrer assédio moral o trabalhador fica sujeito as mais diversas doenças, tais como: depressão, síndrome do pânico, crises de ansiedade, estresse, enxaqueca, cefaleia, entre inúmeras outras. Além disso, a redução em sua produtividade logo aparece, pois a praga do assédio moral joga a sua autoestima lá para baixo. Ninguém mais duvida de que as situações vexatórias no ambiente de trabalho são prejudiciais ao trabalhador e a empresa, pois elas trazem também em seu bojo a desagregação, abalo da reputação da empresa, acidentes de trabalho, despesas com rescisões contratuais, entre outros. O Sinaerj também está na luta contra a prática de assédio moral dentro das organizações. Por assim ser, informa que caso algum Administrador esteja passando por tais situações em sua empresa que este busque o Sindicato através do telefone (21) 2262-3090, pelo e-mail: sinaerj@administradores.org.br ou diretamente na Sede Administrativa da Entidade, localizada na Avenida Treze de Maio, 13, 8º andar, Centro do Rio de Janeiro, para que medidas cabíveis possam ser tomadas. Paridade de gêneros é uma das diversas bandeiras levantadas pelo seu Sinaerj O mercado de trabalho, bem como as relações trabalhistas tiveram gigantescas transformações ao longo das últimas décadas. Uma delas é a crescente e frequente participação das mulheres nos mais diversos postos de trabalho, inclusive na Administração, onde a classe feminina tem se tornado cada vez maior e mais atuante. De acordo com a 5º edição da Pesquisa Nacional – Perfil, Formação, Atuação e Oportunidade de Trabalho do Administrador, realizada pelo Conselho Federal de Administração, o número de Administradoras no Brasil cresceu 67% entre os anos 1994 e 2011. O que fortalece a constatação de que a parcela feminina no mundo dos negócios tem sido cada vez mais crescente e sólida. Entretanto, apesar de toda evolução da mulher no meio corporativo, ainda são diversas as desigualdades entre homens e mulheres e preconceitos para com a classe feminina. Diferenças nos salários, assédio sexual, negação a cargos de chefia e distinção no meio social são algumas das disparidades que as profissionais do sexo feminino vêm enfrentando nesse novo século. Lutando sempre em favor da classe administradora, o Sinaerj tem como uma das suas bandeiras a paridade de gêneros na sociedade e no meio corporativo. E para que isso ocorra, o Sindicato luta diariamente com veemência pelos direitos da mulher no mercado de trabalho, meio social e também nos movimentos sindicais. Entre as reivindicações para a igualdade entre homens e mulheres estão: equivalência de oportunidades; redução da jornada de trabalho; igualdade salarial e valorização profissional, redução da jornada de trabalho, fim da violência contra as mulheres, pela negociação coletiva no setor público, fim do assédio moral e sexual e por mais creches públicas. Para a Presidenta do Sinaerj, Dirce Beltrão, o mercado de trabalho e as organizações sindicais ainda são dominados e administrados pelos homens, que na maioria das vezes, infelizmente não valorizam o trabalho das mulheres e muitas vezes as enxergam como seres inferiores. “Nossa luta é por uma sociedade mais justa e igualitária. É preciso, além da extinção da discriminação, que as mulheres se façam presentes em diversos setores sociais, inclusive na política, pois, somente assim, caberá a nós, da classe feminina, mais poder de decisão”, afirmou Dirce. Além disso, um dado do Governo Federal informou que somente nos três primeiros anos da administração da Presidenta Dilma Rousseff, mais da metade dos 4,5 milhões de novos postos de trabalho foram ocupados pela classe feminina, ou seja, 2,4 milhões de mulheres tiveram suas carteiras assinadas em três anos. O que revela o aumento de instrução e oportunidades. “A classe feminina tem mostrado que pode se desenvolver tão bem quanto os homens nas suas funções. Acredito que o mercado tem espaço para os dois gêneros, precisamos apenas que as mulheres sejam mais bem valorizadas. E por isso, o Sinaerj levanta a bandeira em prol da igualdade real de gêneros”, finaliza a Presidenta. ADM TV: www.administradores.tv.br E-mail: sinaerj@administradores. org.br Blog: www.administradores-rj. blogspot.com Twitter: www.twitter.com/sinaerj Facebook: www.facebook.com/sinaerj JORNAL DO ADMINISTRADOR Conselho Editorial: Diretoria do Sindicato Assessoria de Comunicação Convictiva Comunicação Rua Alcindo Guanabara, 24, sala 1109, Centro, RJ. Tel.: (21) 3549-3633 Tiragem: 10 mil exemplares Presidente: Adm. Dirce Beltrão Vice-Presidente: Adm.Edson Machado Diretor Financeiro: Adm. Reginaldo Souza de Oliveira Diretor Administrativo: Adm. Júlio Souza Reis Diretor de Relações Trabalhistas e Intersindicais: Adm. Jair de Carvalho Peixoto Jr. Diretor de Políticas Adm. Carlos José Martins Manhães Adm. Dácio Antonio M. de Souza Adm. Luís Antônio D. Correia Adm. Luiz Cláudio Brítes Lobato Setoriais de Administração: Adm. Orlando D´Almeida Marques Adm. Héldon Barbosa Conselheiros Fiscais Diretor de Comunicação: Efetivos Adm. Reinaldo Antônio da Adm. Cléres Maciel Azeredo Silva Adm. Márcia da Silva Diretor de Relações Tavares Corporativas de Emprego Adm. Reimont L. O. Santa e Renda: Bárbara Adm. Dejalmar F. de Pinho Conselheiros Fiscais Diretores Adjuntos: Suplentes Adm. Aloísio Carneiro Adm. Lucas Guimarães Adm. Antônio Marcos de Adm. Paulo Cezar Duque de Oliveira Pinho Adm. Carlos E. Del Negro Adm. Pedro Pessoa Sansone SEDE DO SINAERJ Av. 13 de Maio, 13/8° andar, Centro, Rio de Janeiro, RJ CEP: 20003-900. Tels.: (21) 2262-3090 e 25322387 Subsede Sul Fluminense: Rua Quarenta, 8/1.302, Vila Santa Cecília, Volta Redonda, RJ, CEP: 27260-200. Subsede Norte Fluminense: Rua Oliveira Botelho, 244/302, Centro, Campos, RJ, CEP: 28010-320 Subsede Região Serrana: Rua Lúcio Meira,330/304, Centro, Teresópolis, RJ, CEP: 25953-007 Site: www.administradores.org.br Acesse nosso canal de vídeos: www.administradores.tv.br 9

[close]

p. 10

Setembro e Outubro de 2014 Jornal do Administrador Breves considerações sobre a Lei Geral de Licitações e o Regime Diferenciado de Contratações Públicas – RDC Uma das principais questões que se coloca com o advento da Lei 12.462/11, que criou o Regime Diferenciado de Contratações Públicas, usualmente tratado como RDC, é se ela terá o condão de substituir ou mesmo enterrar a conhecida Lei Geral de Licitações, a famosa Lei 8.666/93. É importante registrar que a Lei 8.666/93 foi um diploma legal concebido, pelo Congresso Nacional e pela sociedade brasileira como resposta a uma série de desvios, notadamente no início dos anos 90, e, ao longo do tempo ela acabou por se tornar uma lei, se não obsoleta, mas incapaz de fazer frente à necessidade de celeridade do processo de contratação para a Administração pública. O que se avizinha, a nosso ver, é um processo, iniciado com o advento do RDC, que irá provocar uma série de alterações na Lei 8.666/93, sem, contudo, acabar com a sua funcionalidade processual – o modo de fazer as coisas. A Lei 12.462/11 foi concebida, inicialmente, para fazer frente à necessidade do governo de realizar contratações com maior celeridade que os trâmites normais, com maior transparência, eficiência e segurança jurídica, para atender, exclusivamente às licitações e contratos referentes à realização dos Jogos Olímpicos e Paraolímpicos de 2016, da Copa das Confederações de 2013, da Copa do Mundo de 2014 e da infraestrutura dos aeroportos das cidades sede dos mundiais. Posteriormente o RDC passou a abranger, também, as obras do PAC - Plano de Aceleração do Crescimento, que é um programa do governo federal, lançado em 28 de janeiro de 2007, que visa acelerar o crescimento econômico do Brasil, com investimentos, prioritariamente, em infraestrutura – saneamento, habitação, transporte, recursos hídricos, energia, entre outros, e as obras e serviços de engenharia no âmbito dos sistemas públicos de ensino. A grande diferença do RDC frente à Lei Geral de Licitações é no tocante a obras e serviços de engenharia, e nisso ele apresenta uma grande inovação, ao permitir maior flexibilidade que o processo anterior, notadamente ao permitir que o próprio licitante, caso vença a licitação, se responsabilize pela execução do Projeto Básico, diferentemente da Lei 8.666/93 no qual o mesmo é um instrumento prévio aprovado pela Autoridade Competente e disponível aos interessados, de maneira que o vencedor assuma todos os riscos de todas as etapas da obra ao elaborar, além do citado Projeto Básico, também, o Projeto Executivo. Faz parte do RDC uma série de outras inovações relevantes nos procedimentos licitatórios, tais como a contratação integrada, onde o contratado fica responsável desde o projeto básico até a entrega final do objeto; a inversão de fase no processo licitatório, onde o julgamento acontece anteriormente à habilitação, reduzindo os custos da licitação visto que a análise da qualificação técnica, financeira, jurídica e fiscal é feita somente do licitante vencedor; a possibilidade de contratação por remuneração variável, fixado em metas, padrões de qualidade, critérios de sustentabilidade e prazos, em que a remuneração do contratado depende da economia de recursos públicos em função de possíveis mudanças implantadas, respeitando o limite do orçamento fixado pelo órgão contratante; o sigilo no orçamento estimado pela Administração, que busca aumentar a concorrência pelo desconhecimento do valor estimado, que se torna disponível ao término da licitação, a possibilidade de disputa aberta, com a apresentação das ofertas por lances públicos e sucessivos, o que a nosso ver, tende a ser um instrumento de combate à corrupção, evitando os ditos “conchavos” e “falcatruas”; a pré-qualificação permanente, sendo um processo anterior à licitação, que permite o uso de um cadastro de fornecedores de bens e serviços, que deve ser amplamente divulgado e aberto a novos interessados, a adoção preferencialmente da forma eletrônica, apesar de admitida a forma presencial de licitação, bem como o modelo de disputa aberto, fechado ou a combinação de ambos, a dispensa de publicação no Diário Oficial para contratações com valor entre R$ 80.000,00 a R$ 150.000,00, mantida a obrigatoriedade de publicação em portal eletrônico. É necessário registrar que a Administração Pública ao optar pela adoção do Regime Diferenciado de Contratações Públicas na licitação afasta o regramento imposto pela Lei 8.666/93, exceção àquelas situações em que a própria Lei 12.462/2011 diz que se aplicam os dispositivos constantes nos artigos 24 e 25 da Lei Geral de Licitações, como é o caso da ocorrência da contratação direta (inelegibilidade e dispensa de licitação). É importante mencionar que a opção pelo Regime Diferenciado de Contratações Públicas deve constar de forma expressa no instrumento convocatório. A nosso ver, o RDC pode ser visto como uma evolução nas leis de licitações e contratação pública, em função das diversas inovações introduzidas, e, acima, ligeiramente, comentadas, sendo as mais significativas a redução do tempo de trâmite do processo licitatório, uma maior eficiência e eficácia do processo, uma melhor qualidade e redução dos gastos públicos, considerando a relação custo x benefício. A grande realidade, inegável a todos que vivem o cotidiano dos processos licitatórios, caso deste articulista, é que a Lei 8.666/93, de há muito tempo, vem necessitando de uma revisão, visto o tempo decorrido entre a sua concepção, os diversos diplomas legais que a “remendaram”, o processo de globalização, o avanço tecnológico e a necessidade de maior celeridade dos processos de contratações na Administração Pública. O RDC, contudo, tem sofrido críticas das mais variadas, que passam pela questão da contratação integrada, vista por muitos como uma possibilidade de contratações sem os devidos cuidados e de má qualidade em função da delegação ao contratado de todas as etapas da obra ou serviço; pela questão do sigilo do orçamento da Administração, visto como uma porta aberta para a corrupção, por permitir que “alguns”, venham, efetivamente, a ter acesso à informação do valor, entre outras. Imprescindível salientar, contudo, que a Lei 8.666/93 contém, em seu escopo, um conjunto de princípios, como a observância do princípio constitucional da isonomia, da seleção da proposta mais vantajosa para a administração, da legalidade, da impessoalidade, da moralidade, da igualdade, da publicidade, da probidade administrativa, da vinculação ao instrumento convocatório, do julgamento objetivo, que devem ser preservados para o bem do erário público. Não podemos deixar de ter em mente que não existe um modelo ideal que seja perene e imutável, pois a própria dinâmica da sociedade atual implica em que o que é bom hoje, pode não o ser, necessariamente, bom no amanhã. O Regime Diferenciado de Contratações Públicas, assim como a Lei Geral de Licitações, não possui o condão de acabar com a corrupção, visto que, como disse o Barão de Montesquieu “A corrupção dos governantes quase sempre começa com a corrupção dos seus princípios”, contudo o regramento jurídico deverá atentar para a manutenção dos princípios exarados no Artigo 37 da CF/88. Adm. Dácio A. M. de Souza Mestre em Ciências da Educação, Professor de Planejamento Estratégico da Faculdade Sul Fluminense, Conselheiro Suplente no Conselho Federal de Administração – CFA e Diretor do Sindicato dos Administradores no Estado do Rio de Janeiro - Sinaerj. 10 Visite o nosso Site: www.administradores.org.br

[close]

p. 11

Jornal do Administrador Setembro e Outubro de 2014 III ENDISA teve a participação de Diretores do SINAERJ A Presidenta Dirce Beltrão e os Diretores do Sinaerj Júlio Souza Reis, Reinaldo Antonio da Silva, Dejalmar Francisco de Pinho e Luiz Antonio Domingues Correia estiveram juntos nos dias 8, 9 e 10 de maio, para participar do III Encontro Nacional de Dirigentes Sindicais de Administração (ENDISA), no Hotel Le Premier Suítes, Jardim Paulista, São Paulo. O Encontro teve como principal objetivo unir as entidades sindicais representativas da classe Administradora de todo o país, a fim de buscar soluções comuns para a melhoria e desenvolvimento da categoria no mercado, além de debater os mais diversos temas, tais como: as tendências e desafios das organizações; os 50 anos da Administração, a ser celebrado em 2015; e as funções das entidades representativas dos Administradores. Para Dirce Beltrão, encontros como este são medulares para a união do movimento sindical que defende a classe Administradora. “Mais uma vez o ENDISA buscou a coligação entre os sindicatos de forma a debater sobre os avanços que podem ser alcançados”, conta a Presidenta do Sinaerj. Conferências abordam temas sobre a saúde dos trabalhadores Plenária Estadual “Odete Gomes” teve como tópico paridade de gêneros Sinaerj mais uma vez se fez presente Conferência sobre saúde do trabalhador no Rio de Janeiro atraiu dirigentes sindicais de todo o país Debatido constantemente pelo Sindicato dos Administradores no Estado do Rio de Janeiro, o tema saúde do trabalhador também ganhou a pauta de duas grandes conferências sindicais que ocorreram nos meses de maio e abril, no Rio de Janeiro e em São Paulo. A primeira delas foi a 4º edição da Conferência Estadual de Saúde do Trabalhador e Trabalhadora do Estado Fluminense, realizada pela Secretaria de Estado de Saúde do Rio de Janeiro, nos dias 28 a 30 de maio, no Hotel Othon, Copacabana, Rio de Janeiro. Já a outra foi a 1º Conferência Nacional de Saúde do Trabalhador, organizada pela Central Única dos Trabalhadores (CUT), dias 23 a 25 de abril, em Guarulhos, São Paulo. Presidenta Dirce Beltrão presente no evento em Copacabana Os encontros, que tiveram a participação do Sinaerj, representado por sua Presidenta Dirce Beltrão, reuniram os trabalhadores, dirigentes e sindicalistas de todo o país a fim de buscar propostas e consolidar políticas relacionadas à saúde do trabalhador. Em ambos os encontros foram debatidos eixos com as implementações de ações que devem entrar na pauta de reivindicações dos trabalhadores, entre elas: implantação de estudo, diagnósticos e mapeamentos epidemiológicos dos tipos de adoecimentos no trabalho; reorganização sindical nos locais de trabalho; instalação e aprimoramento da política de saúde do trabalhador e da trabalhadora do SUS; intensificação da luta pela redução da jornada de trabalho para 40 horas semanais, fim da quebra da paridade salarial entre aposentados e ativos, além de manter o comprometimento de eleger candidatos nas eleições de outubro empenhados em melhorar a saúde do trabalhador. Na Conferência Estadual do Rio de Janeiro foram tratados ainda temas como: implementação da Política Nacional de Saúde do Trabalhador e da Trabalhadora; Efetivação da Política Nacional de Saúde do Trabalhador e da Trabalhadora, considerando os princípios da integralidade e intersetorialidade nas três esferas de governo; Financiamento da Política Nacional de Saúde do Trabalhador, nos Municípios, Estados e União, entre outros. Reunidas no auditório da CUT/RJ, no Centro do Rio de Janeiro, as diversas sindicalistas, entre elas, a Presidenta do Sindicato dos Administradores no Estado do Rio de Janeiro (Sinaerj), Dirce Beltrão, participaram no dia 5 de junho, da Plenária Estadual de Mulheres “Odete Gomes”, onde foram debatidas questões sobre a situação da mulher no mercado de trabalho, conjuntura política, igualdade de gêneros, entre outros temas relevantes para a classe feminina. Um dos pontos altos do encontro foi a igualdade de gêneros na sociedade, que segundo as sindicalistas, passa pelo posicionamento e presença da mulher na política e no meio sindical. No encontro, foi realizada ainda uma homenagem à ex-presidente da CUT Amapá, falecida em outubro de 2013, Odete Gomes, que teve seu nome dado a Plenária Estadual de Mulheres. Curta no Facebook: www.facebook.com/adm.sinaerj 11

[close]

p. 12

Setembro e Outubro de 2014 Jornal do Administrador Eleições: a importância do processo eleitoral no exercício da democracia Próximo às eleições que escolherão os representantes da população pelos quatro anos seguintes, surge a necessidade de entendimento sobre a relevância que o processo eleitoral tem perante o exercício da democracia no Brasil. Contudo, para elucidarmos melhor o tema, primeiramente precisamos falar sobre o objeto que administra e controla o poder de decisão do povo: o voto. É através do voto que o cidadão exerce o poder de livre escolha daqueles que o representarão na Administração Pública, bem como na aprovação de leis e fiscalização do poder Executivo. O voto é a manifestação de vontade ou preferência do eleitor, sendo ele primordial para o exercício da democracia. No Brasil, o processo democrático é realizado através de um sistema heterogênio onde a soberania popular é exercida através dos plebiscitos, referendos, iniciativas populares e por meio dos representantes eleitos pela população através do voto. O que poucas pessoas sabem é que a palavra democracia é derivada do grego demos, que corresponde a povo, e kratos, a poder. Ou seja, é um sistema onde a capacidade de decidir, agir e gerar provém do povo, sendo os cidadãos os legítimos detentores do poder. E, em meio a uma série de questões que assolam, preocupam e determinam o nosso país, o instrumento fundamental para manutenção ou mudança, ainda é, incontestavelmente, o voto. O Sindicato dos Administradores no Estado do Rio de Janeiro (Sinaerj), bem como o Conselho Federal de Administração (CFA), o Conselho Regional de Administração (CRA) e o próprio país, passarão neste ano de 2014 pelo crivo do voto. O ato das eleições como expressão da democracia é o que conceberá transformações e construirá o país e as instituições de classe mais soberanas, democráticas, justas e igualitárias. Por isso, caro Administrador, eleitor e cidadão, nesse ano onde tantos processos irão ocorrer, use o seu voto como voz e outorgue poderes constitucionais aos representantes que mais fizeram ou podem fazer pelo seu país e pelas instituições. Lembre-se, um candidato tem o poder que cada um de nós brasileiros delegamos a eles. Ao participar destes processos, estamos legitimando as nossas instituições e concedendo poderes às entidades representantes. Participe das eleições do Brasil e das instituições de classe de forma consciente e atue com democracia e cidadania. Saiba que seu voto pode mudar o futuro. Pense nisso! Adm. Reginaldo Souza de Oliveira Diretor Financeiro do Sinaerj FGTS: trabalhadores têm direito a revisão Desde 1999, quando ocorreram as alterações no cálculo da Taxa Referencial (TR) dos Fundos de Garantia por Tempo de Serviço (FGTS), o Governo Federal deixou de aplicar a TR conforme a inflação anual, fazendo com que os rendimentos dos trabalhadores deixassem de ser corrigidos e, consequentemente, tornando o valor recebido pelo trabalhador defasado. Contudo, todos os trabalhadores que tiverem algum saldo em seu FGTS entre os anos de 1999 e 2013, aposentados ou não, têm direito a requerer na justiça a revisão dos cálculos do fundo, a fim de reaver suas perdas. Em muitos casos, o valor a ser ressarcido pode chegar a 90%. Apesar do Superior Tribunal de Justiça (STJ) ter suspendido a tramitação de todas as ações judiciais de correção do FGTS, ainda assim, novos pedidos têm sido apresentados. Essas ações vêm ganhando cada vez mais espaço porque têm sido embasadas na baixa da TR - muitas vezes chegando a zero – que faz com que a correção do FGTS seja menor do que a inflação, comprimindo assim, o rendimento do trabalhador. Ainda não é estimado o valor exato das perdas, principalmente, porque o fundo recebe depósitos mensais e cada parte do dinheiro precisa ser corrigida por um percentual diferente. Contudo, fala-se em algo entre 70% e 100%, para os saldos que já existiam em 1999. Diante disso, o Sindicato dos Administradores no Estado do Rio de Janeiro, Sinaerj, se coloca à disposição dos sindicalizados para impe- trar ações visando o regaste das perdas por conta do erro na correção do FGTS, bastando apenas que os filiados procurem o advogado da Entidade, Dr. Rodrigo Machado, as terças e quintas-feiras, das 13h às 16h30, na Sede Administrativa do Sindicato, para entrada com o processo. O atendimento é realizado a todos os Administradores, mas o serviço prestado é somente para os sindicalizados. Então Administrador, se você teve seu FGTS achatado todos esses anos e busca uma reparação para suas perdas, consulte nosso departamento jurídico e saiba quais são os documentos necessários para a entrada com a ação. Lembrando que é importante agendar previamente a consulta jurídica através do telefone: (21) 2262-3090. Busque pelos seus direitos, venha para o Sinaerj. A Sede Administrativa fica na Avenida Treze de Maio, 13, 8º andar, Centro do Rio de Janeiro. 12 Sinaerj - Av. 13 de Maio, 13 - 8º andar, Centro, Rio de Janeiro / RJ - CEP 20003-900

[close]

Comments

no comments yet