Caderno Ituporanga - Versão Final

 

Embed or link this publication

Description

Caderno Ituporanga - Versão Final

Popular Pages


p. 1



[close]

p. 2



[close]

p. 3



[close]

p. 4



[close]

p. 5

A capital nacional da Cebola A atmosfera agradável e tranquila, a natureza exuberante, a gente amiga e acolhedora e os diversos locais para visitação dão opções para que os visitantes passem dias e horas agradáveis no convívio dos ituporanguenses. Localizada no Alto Vale do Itajaí, em Santa Catarina, com área territorial de 336 km², numa altitude que chega a 830 m acima do nível do mar e temperatura média anual de 17,58ºC, com clima bastante agradável. Ituporanga tem uma população de aproximadamente 22.250 habitantes. É banhada pelo Rio Itajaí do Sul e possui indescritíveis belezas como a Gruta Nossa Senhora de Lourdes; o Salto Grande com suas corredeiras (origem do nome da cidade); o legendário Seminário São Francisco de Assis, com seus bosques, jardins e museu; a Igreja Matriz, que denota em sua arquitetura todo o estilo de época; a Barragem Sul, onde o homem edificou seu trabalho em harmonia com a natureza; a Cascata Rio Bonito, com queda de 65m e suas três cavernas; a Casa da Cultura; o Parque de Exposições, com toda a sua infraestrutura para eventos, lazer e acampamentos, entre muitos outros. Mas, Ituporanga não se resume a estes dados. Mais que tudo, seu povo trabalhador, educado, organizado, com amor por todos e por tudo que os rodeiam, faz com que o turista se sinta a vontade no município.

[close]

p. 6

Ituporanga - SC - Brasil Unidade federativa: Santa Catarina Mesorregião: Vale do Itajaí Microrregião: Ituporanga Municípios limítrofes: Agronômica, Alfredo Wagner, Atalanta, Aurora, Chapadão do Lageado, Imbuia, Petrolândia, Presidente Nereu e Vidal Ramos Distância até a capital:163 km Localização no Brasil: 27° 24' 50" S 49° 36' 03" O Características geográficas Área: 336,957 km² População: 23 490 hab. Estimada IBGE/2013 Densidade: 66,03 hab./km² Altitude: 370 m Clima: Subtropical Cfa Fuso horário: UTC−3 Indicadores IDH 0,825 elevado PNUD/2000 PIB R$ 440.786 mil IBGE/2011 PIB per capita R$ 19.623,63 IBGE/2011

[close]

p. 7

Rio do Sul Joinville Curitiba Criciúma Chapecó São Paulo Porto Alegre Florianópolis (BR 282) 23 km 235 km 347 km 421 km 460 km 750 km 780 km 160 km Distâncias

[close]

p. 8



[close]

p. 9

Mapa Turístico 5 7 3 9 6 1 8 2 4 1 - Salto Grande 2 - Igreja Matriz Santo Estêvão 3 - Seminário São Francisco de Assis 4 - Parque Ingo Altenburg 5 - Gruta Nsa. Senhora de Lourdes 6 - Barragem Sul 7 - Casa Giratória 8 - Museu Colonial 9 - Parque Nacional da Cebola 10 - Cachoeira do Rio Bonito LEGENDAS 10

[close]

p. 10

5. 24. 25. 1. 19. 28. 2. 12. 3. 13. 29. 27. 10. 6. 15. 9. 30. 16. 11. 20. 22. 31. 14. 21. 17. 1.Alto Águas Negras 2.Alto Braço Perimbó 3.Tifa Schäffer 4.Alto Rio Bonito 5.Alto Rio das Pedras 6.Alto Rio Novo 7.Chapadão Três Barras 8.Barra do Rio Bonito 9.Barra do Rio dos Bugres 10.Barragem Sul 11.Bela Vista 12.Braço Perimbó 13.Cerro Negro 14.Chapadão Rio Areia 15.Chapadão Santana 16.Três Barras 17.Coqueiral 18.Ilha Grande 19.Lageado Águas Negras 20.Ribeirão Klauberg 21.Rio Areia 22.Rio Batalha 23.Rio Bonito 24.Rio das Pedras 25.Rio do Norte 26.Rio dos Bugres 27.Rio Novo 28.Rio Perimbó 29.Barra do Indaiá 30.Santana 31.Tifa Mees 26. 18. 7. 8. 23. 4. Localidades

[close]

p. 11

Bela Vista Rio Batalha Cerro Negro

[close]

p. 12



[close]

p. 13

‘’y’tu porang’’ Da língua tupi-guarani, a cidade ganhou seu nome que significa salto grande. Santa Catarina foi o estado onde se encontrava a maior população de índios da tribo dos ''botocudos''. A palavra não tem origem indígena, pois, designavam os índios por causa dos ''botoques'' no lábio inferior. Em 1852 ocorreram os primeiros contatos entre os colonos e a população nativa e até meados do ano de 1870, muitos índios ainda desconheciam outros seres, a não ser eles e os animais. Após a criação, pelo Governo Provincial das patrulhas dos ''bugreiros'', pouco a pouco, a imensa nação, principalmente de povos xokleng, foi sendo dizimada, a exemplo do que aconteceu na região de Ituporanga, com o conhecido Martinho Brugreiro. Nos apontamentos existentes em relação aos primeiros anos de colonização, mesmo que um pouco confusos, mas confirmados pelo Sr. José Egídio Sens, filho de Egídio Sens, consta que seu pai sempre contava que, em 08 de maio de 1913, por volta do meio dia, descansando em seu ranchinho (hoje localizado na várzea em frente ao morro das Pedras, na beira do rio), viu-se de surpresa atacado por um bando de índios botocudos, os quais eram em torno de setenta índios. Atacaram e saquearam o que havia de comida, matando e soltando porcos e galinhas. Fazendo ele uso de sua garrucha de dois canos, feriu um deles na cabeça e os outros recuaram para socorrer o índio ferido. Ele, Egídio, fugiu para casa do seu irmão Matias, salvando-se milagrosamente. Das muitas flechas que lhes atiraram, apenas uma o acertou, atravessando-lhe o braço direito. Ele mesmo a arrancou em pedaços do braço ferido e defendeu-se do assalto como pode. Ouvindo o barulho dos índios e das gritarias de porcos e de galinhas, veio em seu socorro o Sr. João Steffens, seu futuro sogro, da barra do Rio Perimbó. Com uma arma e sua espada, veio atacando os índios e os fazendo correr, sendo que muitos deles foram feridos e mortos. Mais tarde outros colonos chegaram, mas, não encontraram índios mortos ou feridos. Todos desapareceram e não foram mais vistos, restando apenas um que havia se ferido no calcanhar. Em seguida, os colonos se organizaram para procurar cemitérios ou cadáveres de índios próximos aos ataques na região. Não encontrando nenhum vestígio de silvícolas não houve mais problemas com estes. O curativo do ferimento no braço do Sr. Egídio foi feito pelo então capitão Rosinha (General Vieira da Rosa), que casualmente estava fazendo o levantamento da estrada de rodagem da região.

[close]

p. 14



[close]

p. 15

Os bravos fundadores A construção de uma estrada entre Alfredo Wagnerque a época tinha o nome de Barracão - e Barra do Rio do Oeste (hoje Rio do Sul) trouxe os primeiros colonizadores para a região onde hoje está Ituporanga. Descendentes de alemães, italianos e portugueses, os colonos chegaram a partir de 1912. Após a construção da estrada, a principal atividade econômica foi a extração de madeira, mas o cultivo da cebola desenvolveu-se tornando o município conhecido nacionalmente. Até 1924, a localidade chamava-se Generosópolis, mas uma cascata no Rio Itajaí mudou a denominação para Salto Grande. O nome definitivo veio porque já existia uma cidade denominada Salto Grande – o significado, porém, é o mesmo: Ituporanga é “salto grande” em Tupi-guarani. Mathias Gil Sens e Katharina Gorges

[close]

Comments

no comments yet