Revista O Farmacêutico em revista edição 106 2º 2014

 

Embed or link this publication

Description

edição 106 2º 2014

Popular Pages


p. 1

CONSELHO REGIONAL DE FARMÁCIA DO ESTADO DO PARANÁ Revista do Conselho Regional de Farmácia do Estado do Paraná Edição nº 106 - 2º / 2014 ASSISTÊNCIA FARMACÊUTICA A orientação sobre o uso racional de medicamentos ainda é um grande desafio para os Farmacêuticos. Farmácia do Paraná Confira os benefícios e avanços conquistados pelo programa. Vitória Farmacêutica Aprovação do PL 4385/94 determina que Farmácia é estabelecimento de Saúde. Mulheres Farmacêuticas Conheça quem está à frente de uma das maiores maternidades de Curitiba. www.crf-pr.org.br

[close]

p. 2

2014 PRÊMIO FARMACÊUTICO augusto stellfeld TEMA: A ética na prática farmacêutica PÚBLICO ALVO: Farmacêuticos ativos no CRF-PR PREMIAÇÃO: Individual: R$ 5.000,00 Institucional: R$ 5.000,00 certificado e troféu. participe! !

[close]

p. 3

:::: EXPEDIENTE ::: Sumário Edição nº 106 - 2º/2014 Editorial O Uso Racional do Farmacêutico O FARMACÊUTICO EM REVISTA Edição nº 106 - 2º/2014 Conselho Regional de Farmácia do Estado do Paraná Rua Itupava, 1.235 Juvevê Curitiba-PR | CEP: 80.040-134 Tel.: (41) 3363-0234 www.crf-pr.org.br 4 12 14 DIRETORIA CRF-PR PRESIDENTE Dr. Arnaldo Zubioli VICE-PRESIDENTE Dra. Mirian Ramos Firentin DIRETORA TESOUREIRA Uso Racional de Medicamentos O Uso Racional de medicamentos e suas consequências Dra. Marina Gimenes DIRETORA SECRETÁRIA GERAL Dra. Marisol Dominguez Muro FARMÁCIA DO PARANÁ Confira os benefícios e avanços conquistados pelo programa. 5 Farmacêuticos em Campanha pela saúde da população CONSELHEIROS REGIONAIS CRF-PR em Ação I Encontro Estadual de Fiscalização -VISA/CRF-PR 1ª Encontro Estadual dos Estudantes de Farmácia do CRF-PR Júnior 21 24 Dr. Arnaldo Zubioli Dr. Cynthia França Wolanski Bordin Dr. Dennis Armando Bertolini Dr. Emyr Robeto Carobene Franceschi Dr. José Antônio Zarate Elias Dr. Márcio Augusto Antoniassi Dra. Maria do Carmo Baraldo Wagner Dra. Marilene Provasi Dra. Marina Gimenes Dra. Marina Sayuri Mizutani Hashimoto Dra. Marisol Dominguez Muro Dr. Maurício Portella Dra. Mirian Ramos Fiorentin Dra. Sandra Iara Sterza CONSELHEIROS FEDERAIS Dr. Valmir de Santi Dra. Célia Fagundes da Cruz (Suplente) JORNALISTA RESPONSÁVEL Ana C. Bruno | MTB 2973 DRT/PR REPORTAGEM, REDAÇÃO E EDIÇÃO Dayane Carvalho | MTB 6990 DRT/PR Gabriel Leon Scussel 33 VITÓRIA FARMACÊUTICA 9 Aprovação do PL 4385/94 determina que farmácia é estabelecimento de saúde! SÉRIE DE REPORTAGENS Mulheres Farmacêuticas DIAGRAMAÇÃO E ARTE FINAL Michelly M. T. Lemes Trevisan - Designer CTP e IMPRESSÃO: Fiore & Fiore Tiragem: 15.000 mil exemplares 12 USO RACIONAL DE MEDICAMENTOS A orientação sobre o uso racional de medicamentos ainda é um grande desafio para os Farmacêuticos. 29 MULHERES FARMACÊUTICAS Conheça quem está à frente de uma das maiores maternidades de Curitiba Artigos não manifestam necessariamente a opinião da revista “ O Farmacêutico em revista”, e são de inteira responsabilidade dos seus autores.

[close]

p. 4

EDITORIAL O uso racional do Todo profissional da área da Saúde é responsável por cuidar e prezar pelo bemestar humano. O Farmacêutico, como perito em fármacos e medicamentos, é responsável por orientar sobre o uso dessas substâncias com o propósito de preservar a saúde e bem-estar O FARMACÊUTICO em revista|Edição nº 106 - 2º|2014 FARMACÊUTICO evitem a prescrição exagerada ou desnecessária de produtos farmacêuticos. E a educação sanitária da população também é imprescindível para um resultado efetivo. O Farmacêutico, como último profissional de saúde que tem contato com o usuário de produtos farmacêuticos, exerce função fundamental na orientação do uso racional de medicamentos. Se cada Farmacêutico fizer a sua parte, já estaremos dando passos la rgos no c a mi n h o pa ra solucionar o problema do mal uso de medicamentos. O CRFPR está fazendo a sua parte, pois promover ações para a qualidade do exercício profissional dos Farmacêuticos em benefício da população é sua premissa principal. importância desse Para tentar dar uma resposta assertiva a esse problema, vamos mudar o foco. Vamos pensar no “uso racional do Farmacêutico”. Visto a profissional, é preciso que sejam adotadas medidas para promover uma melhor atuação e disponibilizar ferramentas para qualificar técnica e humanisticamente o Farmacêutico para atuar na Atenção à Saúde. Em razão disso, o CRF-PR vem continuamente investindo na capacitação dos profissionais ao promover cursos, palestras, seminários, simpósios, grupos de estudos, reuniões, congressos e ainda disponibiliza boletins, cartilhas e vídeos online; uma variedade de materiais destinados à melhoria da formação dos Farmacêuticos. Mesmo com todas as ações do CRF-PR, é preciso encarar a questão na sua totalidade. Os profissionais de saúde devem ser incentivados a adotar cuidados que dos usuários. Mas o número de casos de efeitos indesejáveis e ausência de resultados pelo uso terapêuticos incorreto de medicamentos no Brasil é alto. O sistema de saúde pública que sofre as consequências e o pior, as pessoas utilizam de forma medicamentos inadequada sofrem graves problemas de saúde e, às vezes, pagam com a vida pela falta de informação. Mas depois de tanto se falar da importância do uso racional de medicamentos, por que isso ainda acontece? Boa Leitura! 4 Dr. Arnaldo Zubioli Presidente - CRF-PR Farmacêutico na área de Ensino e Pesquisa. Dra. Mirian Ramos Fiorentin Vice- Presidente - CRF-PR Farmacêutica na área de Serviço Público. Dra. Marina Gimenes Diretora Tesoureira - CRF-PR Farmacêutica na área de Farmácia Hospitalar, Ensino e Pesquisa. Dra. Marisol Dominguez Muro Diretora Secretária Geral - CRF-PR Farmacêutica na área de Análises Clínicas.

[close]

p. 5

FARMÁCIA DO PARANÁ PROGRAMA FARMÁCIA DO PARANÁ AVANÇA COM SUCESSO PELO ESTADO A reestruturação das farmácias e centrais de abastecimento farmacêutico está proporcionando grandes avanços para a Assistência Farmacêutica e muitos benefícios à comunidade Desde a inauguração da primeira Farmácia do Paraná, no ano de 2011 em Guarapuava, o Programa Farmácia do Paraná vem fortalecendo a área de assistência farmacêutica em todo o Estado e promovendo o acesso da população a medicamentos seguros, eficazes e de qualidade. O Programa Farmácia do Pa r a n á atua em três eixos estratégicos: na estruturação da Assistência Farmacêutica, na capacitação dos profissionais Farmacêuticos envolvidos – tanto em âmbito estadual quanto municipal – e no custeio da Assistência Farmacêutica. O Programa tem registrado grandes avanços na reestruturação física das unidades estaduais. Neste processo têm sido trabalhados projetos arquitetônicos para a reforma e/ou construção das unidades, de forma que os novos espaços físicos possibilitem melhor ambiência para o atendimento aos usuários e a otimização dos fluxos de trabalho – com atendimentos melhores e mais ágeis. O sistema de agenda, já utilizado nas unidades regionais de Maringá e Ponta Grossa é outra ação que tem o propósito de agilizar e otimizar o atendimento aos pacientes. Neste eixo trabalha-se também para a melhoria das condições de armazenamento dos medicamentos. Para este fim, já foram adquiridas por processo licitatório 54 câmaras de refrigeração de 1200L e 1350L para as 22 Regionais de Saúde. Nas regionais cuja sede é própria do Estado, também estão sendo investidos recursos na construção de câmaras frias, o que permite armazenar os grandes estoques de medicamentos termolábeis segundo as Boas Práticas de Armazenamento, expandindo a rede de frio no Estado. Todas as benfeitorias têm refletido valorização na do melhoria do atendimento à população e à profissional Farmacêutico que atua no programa. Em cada farmácia têm-se destinado também espaço para consultórios farmacêuticos, nos quais se prestam serviços especializados. De acordo com a Diretora do Departamento de Assistência Farmacêutica da SESA – PR, Dra. Deise Pontarolli, “as farmácias reestruturadas estão garantindo mais conforto tanto aos usuários quanto aos servidores, oferecendo serviços REESTRUTURADAS ESTÃO GARANTINDO MAIS CONFORTO TANTO AOS USUÁRIOS QUANTO AOS SERVIDORES, OFERECENDO SERVIÇOS QUALIFICADOS COM ORIENTAÇÃO ACERCA DO USO CORRETO DOS MEDICAMENTOS E O ACOMPANHAMENTO PELO FARMACÊUTICO. - Dra. Deise Pontarolli - Diretora do Depto. de Assistência Farmacêutica da SESA – PR - qualificados com orientação acerca do uso correto dos medicamentos e o acompanhamento Farmacêutico”. pelo >> 5 O FARMACÊUTICO em revista|Edição nº 106 - 2º|2014 “ AS FARMÁCIAS

[close]

p. 6

FARMÁCIA DO PARANÁ O FORTALECIMENTO DA ASSISTÊNCIA FARMACÊUTICA O Custeio da Assistência Farmacêutica estratégico é outro eixo do importante Programa Farmácia do Paraná, cujas ações abrangem a aquisição, o recebimento e a distribuição de medicamentos às 22 Regionais de Saúde. Em 2013, o montante envolvido nestas ações foi da ordem O FARMACÊUTICO em revista|Edição nº 106 - 2º|2014 de R$ 606 milhões. Toda esta logística é executada pelo Centro de Medicamentos do Paraná – Cemepar. A Secretaria de Saúde do Paraná também repassa recursos financeiros para qualificar a Assistência Farmacêutica nos municípios paranaenses. Em 2012, cerca de um milhão de reais foram repassados a 111 municípios com até 20.000 habitantes para a utilização em ações de custeio. Em 2013, foram destinados aproximadamente 2,7 milhões de reais a 312 municípios para a utilização em ações de custeio e de investimento. Para 2014, uma nova ampliação está planejada e serão repassados R$ 4,8 milhões a todos os 399 municípios paranaenses para que sejam utilizados em ações de investimento. Michele Caputo Neto, ressalta que a presença dos Farmacêuticos está fortalecendo a área de assistência farmacêutica e é crucial para os avanços do programa Farmácia do Paraná. Segundo Dr. Michele, “o reforço do quadro próprio de profissionais e a reestruturação das unidades já estão fazendo a diferença no atendimento à população paranaense”. Atualmente, o Estado conta com 351 profissionais Farmacêuticos. Os servidores atuam em hospitais, Farmácias do Paraná, Centrais de Abastecimento Farmacêutico, Regionais de Saúde, 2011, ampliando substancialmente o quadro de Farmacêuticos nesta área. >> 7ª Regional de Saúde Farmácia Pato Branco/PR Fonte: SESA/PR DADOS Atualmente, o Estado conta com 351 Profissionais Farmacêuticos. Os servidores atuam em hospitais, Farmácias do Paraná, Centrais de Abastecimento Farmacêutico, Regionais de Saúde, unidades do Hemepar, Centros de Especialidades, Vigilância Sanitária, Centro de Medicamentos do Paraná - Cemepar e outras unidades da Secretaria da Saúde. 6 A AMPLIAÇÃO DO NÚMERO DE PROFISSIONAIS FARMACÊUTICOS O Secretário Estadual da Saúde, Dr. unidades do Hemepar, Centros de Especialidades, Vigilância Sanitária, Centro de Medicamentos do Paraná - Cemepar e outras unidades da Secretaria da Saúde. Destes 351 profissionais, 115 atuam na Assistência Farmacêutica, sendo que 90 foram nomeados a partir de

[close]

p. 7

FARMÁCIA DO PARANÁ Em relação à capacitação dos profissionais que trabalham em Assistência Farmacêutica nos municípios e Regionais de Saúde, a Secretaria Estadual celebrou convênio com o Consórcio Paraná Saúde para a sua operacionalização. A gestão do medicamento e o desenvolvimento de habilidades clínicas serão o foco desta qualificação. Londrina, Telêmaco Borba Jacarezinho. Cinco unidades e Nomeação de 90 Farmacêuticos para atuação na com Assistência Farmacêutica do Estado. projetos finalizados e/ou com obras em andamento: Paranaguá, Curitiba, Cianorte, Paranavaí e Maringá. Nove unidades em fase de desenvolvimento de projetos de construção, reforma ou ampliação: Ponta Grossa, Irati, Mourão, Umuarama, Francisco Cornélio Beltrão, Foz do Iguaçu, Campo Procópio, Ivaiporã e Cemepar. Reestruturação da rede de frio da Assistência Farmacêutica da SESA-PR. Implantação do Incentivo Financeiro Estadual para a Organização da Assistência Finalizar a estruturação de 14 unidades do Programa Farmácia do Paraná. Implantar nas 22 Regionais de Saúde serviços de atenção farmacêutica. Ainda para 2014 está prevista a inauguração da maior farmácia pública do Estado do Paraná, em Curitiba. O investimento pretende dobrar à a área de atendimento população. O FARMACÊUTICO em revista|Edição nº 106 - 2º|2014 DESAFIOS PRINCIPAIS AVANÇOS Entre os principais avanços do Programa introduzidos a partir de 2011, estão: Inauguração de nove Farmácias do Paraná – Guarapuava, Pato Branco, União da Vitória, Apucarana, Toledo, Cascavel, Atualmente, a unidade da 2ª Regional de Saúde atende uma média de 800 usuários por dia. Farmacêutica, atendendo a todos os 399 municípios do Estado. ANTES E DEPOIS detalhes que fazem toda a diferença DEPOIS GELADEIRAS As novas câmaras de refrigeração são equipamentos imprescindíveis para garantir o adequado armazenamento dos medicamentos. ANTES Fonte: SESA/PR 5ª Regional de Saúde Unidade Guarapuava Fonte: SESA/PR 7

[close]

p. 8

FARMÁCIA DO PARANÁ 20ª Regional de Saúde TOLEDO Na unidade de Toledo foi implantado o Espaço Kids, uma área reservada especialmente para as crianças brincarem enquanto os pais recebem atendimento na farmácia. “O espaço promove maior comodidade e facilita a atenção do usuário às orientações prestadas Furlan. A unidade de Toledo também conta com outro diferencial: a presença de três Farmacêuticos, pois além da Diretora Técnica, também atuam a Dra. Karen Aline Pegoraro e Dr. Paulo Roberto Stoef. Fonte: SESA/PR Fonte: SESA/PR DEPOIS pelo Farmacêutico”, explica a Diretora Técnica, Dra. Luciana Cristina ANTES O FARMACÊUTICO em revista|Edição nº 106 - 2º|2014 Fonte: SESA/PR Espaço Kids - Inovação da Unidade Toledo 6ª Regional de Saúde UNIÃO DA VITÓRIA Reestruturação da Unidade - A Farmácia foi reformada e ganhou novos mobiliários para melhor atender à população. 8 DEPOIS ANTES SA/PR Fonte: SE Fonte: SESA/PR

[close]

p. 9

VITÓRIA DOS FARMACÊUTICOS VITÓRIA DOS FARMACÊUTICOS NA CÂMARA DOS DEPUTADOS APROVADO O PL 4385/94: AGORA FARMÁCIA É ESTABELECIMENTO DE SAÚDE! Uma só voz: Farmacêuticos de todo o país se uniram em Brasília pela aprovação do PL. A classe farmacêutica já se sente vitoriosa, foi aprovado na Câmara dos Deputados no dia 02/07, em Brasília, a subemenda aglutinativa ao Projeto de Lei 4385/94 que regulamenta o funcionamento de farmácias no país e as torna estabelecimentos de assistência à saúde. O PL foi aprovado na forma de uma emenda do relator pela Comissão de Defesa do Consumidor, deputado Ivan Valente (PSOL-SP). Agora segue para o Senado e, posteriormente, presidente Dilma Rousseff. O momento é histórico para os Farmacêuticos. Após mais de 20 anos de mobilização, a luta pela aprovação do PL foi uma das mais importantes da categoria. O projeto determina que farmácias são estabelecimentos destinados a será encaminhando à sanção da prestar assistência farmacêutica e à saúde, orientação sanitária individual e coletiva, e que somente um Farmacêutico possa ser o Responsável Técnico. O projeto ainda exige que o Farmacêutico esteja presente nas drogarias e farmácias de manipulação durante todo o período de funcionamento. Na tentativa de garantir a votação, participaram da articulação pelos gabinetes dos deputados os representantes das entidades que compõem o Fórum Nacional de Luta pela Valorização da Profissão Farmacêutica – CFF, Fenafar, Feifar, Abef e Enefar, conselheiros federais e lideranças do setor, além de representantes da indústria farmacêutica. >> Foto: André Rodrigues 9 O FARMACÊUTICO em revista|Edição nº 106 - 2º|2014 Fotos: Marina Gimenes

[close]

p. 10

VITÓRIA DOS FARMACÊUTICOS Diretoria do CRF-PR esteve à frente de diversas mobilizações em Brasília, juntamente com o Conselho Federal de Farmácia e estudantes de várias regiões do país. O FARMACÊUTICO em revista|Edição nº 106 - 2º|2014 “ Do ponto de vista institucional este projeto representa todos os propósitos que a categoria farmacêutica tem postulado ao longo de mais de 20 anos, tornando a farmácia como estabelecimento de saúde e como o local onde o Farmacêutico exerce a sua atividade. Com esta vitória, quem sai ganhando é a sociedade, pois poderá se beneficiar com serviços de qualidade, tendo a sua disposição profissionais Farmacêuticos em tempo 10 integral nas farmácias para atendê-los, prestar serviços e Fotos: Marina Gimenes cuidados, não somente para o O CRF-PR marcou presença em Brasília. A Diretoria do Conselho foi representada pelo Presidente, Dr Arnaldo Zubioli; pela Vice-Presidente, Dra Mirian Ramos Fiorentin; a Diretora Tesoureira, Dra Marina Gimenes e pela Diretora Secretária Geral, Dra Marisol Dominguez Muro. Além da Assessora Política, Dra Sônia Dornelles, do Gerente Geral, Dr Sérgio Satoru Mori e a Presidente do SINDIFAR-PR, Dra Lia Mello de Almeida. >> uso racional de medicamentos, mas sobre outros aspectos que dizem respeito ao bem-estar e à saúde como um todo, relata Dr. Arnaldo Zubioli, Presidente do CRF-PR.

[close]

p. 11

VITÓRIA DOS FARMACÊUTICOS tempo integral, ou seja, durante todo o horário de funcionamento do estabelecimento. “Depois de mais de 17 anos em tramitação no Congresso Nacional, conseguimos! Esse acordo envolveu o reconhecimento da farmácia como estabelecimento de saúde. Quem ganha é a população, que agora tem direito à assistência Foto: Marina Gimenes farmacêutica em período integral. Ganha Valente. O O acordo pela aprovação do PL foi impresso e assinado por todas as entidades envolvidas, tendo sido endossado também pelos Deputados Ivan Valente (PSOL-SP), relator da matéria, Alice Portugal (PCdoB-BA) e Leonardo Quintão (PMDB-MG) e pela senadora Vanessa Grazziotin (PCdoB-AM), além de várias lideranças. Depois, foi protocolado para deixar claro à Presidência da Casa e aos demais parlamentares. A v o t a ç ã o f o i acompanhada por representantes do Fórum e por Farmacêuticos de vários Estados, que comemoraram muito. Com o projeto de lei, não haverá mais dúvidas de que farmácias são estabelecimentos de saúde e não simplesmente estabelecimentos comerciais. Além disso, está claro também que somente os Farmacêuticos podem assumir a responsabilidade técnica nas farmácias, drogarias e na indústria farmacêutica. Essa permanência, diz a lei, deve ser em PL original foi apresentado em 1994, propondo justamente o contrário: que as drogarias deixassem de ser obrigadas a manter Farmacêuticos como responsáveis técnicos. A proposta foi modificada apenas com o substitutivo de Ivan Valente que, posteriormente, foi acrescido de novas modificações, baseadas em estudo técnico do C F F, transformando-se numa subemenda aglutinativa. o povo brasileiro”, comemorou o Deputado Ivan O FARMACÊUTICO em revista|Edição nº 106 - 2º|2014 “ Esse acordo envolveu o reconhecimento da farmácia como estabelecimento de saúde. Quem ganha é a população, que agora tem direito à assistência farmacêutica em período integral. Ganha o povo brasileiro. - Deputado Ivan Valente - 11

[close]

p. 12

USO RACIONAL DE MEDICAMENTOS O FARMACÊUTICO em revista|Edição nº 106 - 2º|2014 O USO NÃO RACIONAL DOS MEDICAMENTOS E SUAS CONSEQUÊNCIAS Dr. Jackson C. Rapkiewicz Gerente do Centro de Informação sobre Medicamentos Em 1985, a Organização Mundial da Saúde definiu que o uso racional ocorre quando o paciente recebe o medicamento adequado para o seu quadro clínico, na dose apropriada para seus requisitos individuais, durante o tempo de tratamento correto e ao menor custo para ele e todo o sistema de saúde. Quase 30 anos depois, o uso não racional dos medicamentos morbidades como cegueira, Foto: http://migre.me/kul6X tanto em ambientes hospitalares como fora deles. Com frequência os pacientes usam antimicrobianos por conta própria, por poucos dias e com a finalidade de tratar infecções causadas por vírus. deste Como uso consequência amputação de membros e doença renal, gerando grande sofrimento aos doentes e elevados custos à sociedade. No Brasil, há enormes gastos destinados à compra de medicamentos que são disponibilizados gratuitamente na rede pública, o que não significa dizer que os tratamentos são realizados com sucesso. Grande parte dos doentes crônicos têm acesso aos medicamentos e mesmo assim não obtêm controle adequado de sua patologia. Isto ocorre porque muitos gestores preocupam-se apenas com o fornecimento dos medicamentos e não com a efetividade dos tratamentos, o que resulta em grande desperdício dos recursos públicos. M e d i c a m e n t o s antimicrobianos também têm sido utilizados de forma não racional, inapropriado, é cada vez mais comum o surgimento de cepas de micro-organismos resistentes. Outra quanto critério, à preocupação de relacionada ao uso racional é prescrição conhecida medicamentos em demasia e sem como polifarmácia. Há casos em que o paciente recebe medicamentos em duplicidade, sinérgicos e mesmo antagônicos, o que pode resultar em reações adversas ou perda do efeito. Pessoas idosas geralmente utilizam vários medicamentos, são mais propensas a certos tipos de reação adversa e podem apresentar comprometimento renal ou >> 12 continua sendo um problema de saúde pública, com graves consequências para a qualidade de vida das pessoas e para as finanças públicas. Uma das formas de uso não racional ocorre quando o paciente não tem acesso a medicamentos básicos para o tratamento de patologias prevalentes como hipertensão e diabetes. Sem controle, estas doenças podem levar a óbito ou ocasionar

[close]

p. 13

USO RACIONAL DE MEDICAMENTOS hepático. Estes fatores fazem com que a polifarmácia em idosos seja ainda mais preocupante. Há no mercado medicamentos que foram aprovados para uso sem a necessidade de supervisão médica em quadros leves e autolimitados. É comum, no entanto, que os pacientes utilizem medicamentos sujeitos a prescrição por conta própria, desconhecendo contraindicações e riscos desta utilização. Um caso ocorrido em Belo Horizonte em 2006 retrata bem o que pode ocorrer nestes casos. Antes de realizar um teste de direção, uma mulher de 25 anos utilizou propranolol para diminuir os sintomas da ansiedade. Ela era asmática e morreu devido a uma broncoconstrição desencadeada pelo uso do medicamento, que é contraindicado em asmáticos. Casos semelhantes também ocorrem com medicamentos sujeitos a controle especial como a comercialização ilegal de esteroides anabolizantes por praticantes de atividade física. Igualmente preocupantes são os relatórios que apontam que os medicamentos são as substâncias que mais causam intoxicação no Brasil, representando cerca de 30% dos casos. Apesar de grande parte destas situações envolverem tentativa de suicídio, várias outras ocorrem de forma não intencional por erros de dose, troca de medicamentos e uso abusivo. Diferentes estratégias são necessárias para reduzir estes números, entre elas uma maior conscientização da população quanto aos riscos envolvidos no uso dos medicamentos. Se parte da solução passa pela educação sanitária da população, não menos importante é adotar medidas para uma melhor atuação dos profissionais da saúde. Problemas como com a prescrição de medicamentos em desacordo diretrizes clínicas, de prescrição existência Folhetos orientativos elaborados pelo CRF-PR. Educação sobre medicamentos para a população é uma das estratégias para a promoção do uso racional dos medicamentos. Em 1995 o CRF-PR implantou seu Centro de Informação sobre Medicamentos. O objetivo do serviço é prover informações atualizadas, confiáveis e independentes aos profissionais da saúde, colaborando na promoção do uso racional dos medicamentos. ( Dr Jackson C. Rapkiewicz e Dra Rafaela Grobe) medicamentos e a utilização de fontes de informação sobre medicamentos inapropriadas são prejudiciais para a promoção do uso racional. Várias estratégias foram propostas pela Organização Mundial da Saúde para a promoção do uso racional dos medicamentos. Algumas caminham bem, entre elas a adoção de listas de medicamentos essenciais e diretrizes terapêuticas, a criação de comitês para medicamentos e terapêutica em instituições e o acesso facilitado a fontes de informação independentes. Outras, como a aplicação apropriada dos recursos públicos, a melhoria do ensino de farmacoterapia, o fim dos incentivos financeiros prejudiciais e a educação sobre medicamentos para a população têm um longo caminho a percorrer. Para o sucesso de todas elas, a atuação e o conhecimento dos Farmacêuticos serão imprescindíveis. exagerada de preparações injetáveis, incentivos financeiros para a prescrição ou a dispensação de determinados

[close]

p. 14

USO RACIONAL DE MEDICAMENTOS FARMACÊUTICOS EM CAMPANHA PELA SAÚDE DA POPULAÇÃO CRF-PR realiza mobilização em Curitiba e em mais 11 cidades do Paraná O FARMACÊUTICO em revista|Edição nº 106 - 2º|2014 Foto: CRF-PR 14 Acadêmica de Farmácia durante atendimento à população na campanha Uso Racional de Medicamentos, em Curitiba/PR. prescrição, orientação e administração correta dos medicamentos. Pensando nisso, Farmacêuticos, estudantes, faculdades e organizações da área farmacêutica mobilizaram-se em todo o Estado em Campanha pelo Uso Racional de Medicamentos, no dia 05 de maio, data que marca esta luta em nível nacional. O CRF-PR com apoio do CRF-PR Júnior juntamente com as instituições de ensino de Farmácia de Curitiba (UFPR, PUC-PR, Uniandrade e UniBrasil), promoveram a ação “Medicamento sem orientação é um risco”, na Boca Maldita, no centro de Curitiba, e simultaneamente em mais 11 cidades do Estado. >> M ilhares de pessoas passam por algum tipo de intoxicação anualmente no Brasil e cerca de 30% dos casos são por causa dos medicamentos, segundo o Sistema Nacional de Informações Toxico-farmacológicas (SINITOX). Esses dados demonstram a necessidade de conscientizar a população sobre a importância da

[close]

p. 15

USO RACIONAL DE MEDICAMENTOS Participaram da ação, cerca de 70 acadêmicos de Farmácia, foram realizados 300 testes de glicemia e 400 aferições de pressão. Aproximadamente 2000 pessoas prestigiaram a ação e passaram pelo local, recebendo orientações. “Esta ação é de Foto: CRF-PR “ ...A orientação do Farmacêutico é fundamental para que a população utilize os medicamentos adequadamente e de acordo com a evitando assim possíveis danos ao intoxicações e até internações hospitalares... paciente, como O FARMACÊUTICO em revista|Edição nº 106 - 2º|2014 extrema importância para conscientizar a sociedade sobre os cuidados com a utilização dos medicamentos, Acadêmico prestando orientação à população. mas principalmente para mostrar o papel do Farmacêutico como Em sua sétima edição a campanha buscou novamente envolver os acadêmicos, oportunizando aos mesmos a chance de praticar alguns conhecimentos Medicamentos, através da aprendidos na universidade sobre o Uso Racional de principalmente com a interação recebeu profissional de saúde. A orientação do Farmacêutico é fundamental para que a população utilize os medicamentos adequadamente e de acordo com a prescrição, evitando assim possíveis danos ao paciente, como intoxicações e até internações hospitalares”, ressaltou o presidente do CRF-PR, Dr. Arnaldo Zubioli. A ação contou também com o apoio da Prefeitura Municipal de Curitiba, Secretarias Estadual e Municipal de Saúde, do Meio Ambiente, Vigilância Sanitária Municipal, APAD – Associação Paranaense do Diabético Juvenil, Fundação de Apoio e Valorização do idoso, FAVI e Polícia Militar. prescrição, comunidade. Durante as atividades, a população folders explicativos com informações gerais sobre saúde e ainda encontrou alguns serviços farmacêuticos, como aferição de pressão arterial, testes de glicemia capilar e explicações sobre a correta higienização das mãos, oferecidos gratuitamente. - Dr. Arnaldo Zubioli - Presidente do CRF-PR O QUE É A CAMPANHA PELO USO RACIONAL DE MEDICAMENTOS? O ponto de partida da campanha é o princípio de que qualquer medicamento produz efeitos positivos e negativos, mesmo aqueles vendidos sem prescrição médica. Um estudo realizado recentemente pelo Instituto de Ciência, Tecnologia e Qualidade (ICTQ) em 132 cidades, revelou que cerca de 54% da população brasileira tem o hábito de consumir regularmente medicamentos. A pesquisa ainda mostrou que os analgésicos e medicamentos para hipertensão são os mais consumidos. Este índice foi obtido por meio do Estudo "Saúde, Medicalização e Qualidade de Vida”, realizado pelo ICTQ - Instituto de Pós Graduação para Farmacêuticos em parceria com Instituto de Pesquisas Datafolha. >> 15 “

[close]

Comments

no comments yet