Percy Jackson e o último Olimpiano

Embed or link this publication

Description

Percy Jackson e seus amigos lutam em uma guerra assemelhando-se a guerra inicial entre os deuses gregos e os Titãs e em uma batalha final com o poderoso Titã, Cronos. Eles finalmente derrotam Cronos e o Olimpo é salvo, Percy e Luke mergulham no rio estige

Popular Pages


p. 1

rick riordan ­ percy jackson e os olimpianos o Último olimpiano este livro ainda não está pronto é provisório até a revisão oficial mais um livro traduzido pela máfia dos livros cmm=35986512

[close]

p. 2

sumÁrio agradecimentos 3 voluntÁrios 5 capÍtulo um 6 capÍtulo dois 19 capÍtulo trÊs 29 capÍtulo quatro 40 capÍtulo cinco 49 capÍtulo seis 56 capÍtulo sete 67 capÍtulo oito 77 capÍtulo nove 85 capÍtulo dez 102 capÍtulo onze 112 capÍtulo doze 119 capÍtulo treze 131 capÍtulo catorze 140 capÍtulo quinze 154 capÍtulo dezesseis 165 capÍtulo dezessete 177 capÍtulo dezoito 186 capÍtulo dezenove 191 capÍtulo vinte 201 capÍtulo vinte e um 211 capÍtulo vinde e dois 215 capÍtulo vinte e trÊs 222

[close]

p. 3

agradecimentos mais uma vez a mafia dos livros impressiona com mais um livro traduzido não seria ético deixar de observar que a mafia é um conjunto uma comunidade literalmente sendo assim todos nós fazemos parte dela mesmo que sejamos apenas comentaristas há também aquelas pessoas que contribuíram traduzindo revisando montando o e-book ou de alguma outra forma elas merecem mérito e reconhecimento por deixaram de fazer muitas coisas de sua vida pessoal para se dedicar a esse e-book enfrentarem a pressão de todos e o mais importante dividirem seus conhecimentos com os outros chegará um dia em que vocês serão recompensados por enquanto pedimos que continuem perto de nós fazendo a felicidade de muitos muito obrigado de coração por seus feitos heróicos muito obrigado ao raul por ter começado esse grande ciclo de amizades criando um espaço para as pessoas que prezam a leitura que os deuses te recompensem muito obrigado a todas as pessoas que apoiaram os tradutores e revisores as que aguentaram e não colocaram pressão nos tradutores que ainda estavam dentro do prazo Ás vezes é difícil se conter the last olympian é um livro muito empolgante o que nos fez comentar como anda o capítulo tal sem querer colocar pressão ou talvez apenas um pouquinho mas é difícil para os dois lados esperar é difícil mas se não fossem os tradutores e revisores nós não teríamos nem pelo que esperar ter que encarar a tradução não deve ser fácil para ninguém mas eles aguentam e isso faz com que eu seja fã deles no desenvolvimento desse livro a amizade entre todos nós se tornou maior e nos tornou mais próximos tenho certeza que muitas pessoas riram lendo aquelas bobagens do nosso novo chat ou se seguraram para não ler os spoilers aquelas tentações de amarelinho nós nos unimos por uma causa e essa nos fez mais próximos agora a causa se encerra mas isso não significa que iremos nos separar nós temos uma coisa em comum a paixão por percy jackson e os olimpianos ainda vamos conversar muito ainda nos divertiremos ainda vamos ver os filmes e talvez nos encontrar nas estréias teremos tempo pela frente esse pode ser o último volume de percy jackson e os olimpianos mas sabemos que rick riordan está nos preparando mais uma saga com percy teremos mais livros para traduzir pela frente e continuaremos fazendo o que fazemos agora traduzir revisar colocar spoilers colocar pressão brincar apenas conversar sendo assim muito obrigado por nos darem dias mais felizes.

[close]

p. 4

sentiremos falta de percy annabeth grover thalia tyson luke nico rachel quíron zeus poseidon hades atena senhor d ares hera perséfone afrodite sally apolo hermes Ártemis deméter clarisse silena e outros milhares de personagens brilhantes que a mente poderosa de rick riordan nos proporcionou mas nós sabemos que isso é apenas o começo haverá mais agora aproveitem sua última jornada com percy jackson e os olimpianos fiquem por perto e podem ter certeza que eu ficarei gabriela emanuelli gonçalves

[close]

p. 5

voluntÁrios sinceros agradecimentos a todos os revisores tradutores e colaboradores do projeto de tradução de mais um livro organizado pela mafia dos livros organização responsável mafia dos livros chefe de tradução raul nogueira fernandes organização felipe vizentim e anderson almeida comando felipe vizentim apoio à tradução raphael pompeu anderson almeida guilherme macedo mariana albuquerque rosane rodrigues cibele hamburg gabriel gabriela gonçalves e-book provisório felipe vizentim e gustavo guerra tradução raphael pompeu felipe vizentim fernando jane ricardo pina felipe bergh luisa oliveira ricardo pina mark revisão anderson almeida rosane rodrigues jéssica sara lucas silva cibele hamburg lais curado mariana albuquerque anna catherine gabriel iago isabella

[close]

p. 6

capÍtulo um ­ eu vou À um cruzeiro com explosivos o fim do mundo começou quando um pégaso pousou no capô do meu carro até então eu tinha tido uma tarde ótima tecnicamente eu não deveria estar dirigindo porque eu não faria 16 anos por mais uma semana mas minha mãe e meu padrasto paul levaram a minha amiga rachel e eu para uma área privada na praia do litoral sul e paul nos emprestou seu prius para uma volta curta agora eu sei que você está pensando wow isso foi muito irresponsável da parte dele e blá blá blá blá mas paul me conhece muito bem ele me viu fatiar demônios e sair de escolas explodindo então ele provavelmente achou que dirigir um carro por alguns quilômetros não era a coisa mais perigosa que eu já tinha feito de qualquer forma rachel e eu estávamos dirigindo era um dia quente de agosto o cabelo ruivo de rachel estava preso em um rabo de cavalo e ela usava uma blusa branca por cima do maiô eu nunca a tinha visto usar qualquer coisa além de camisetas maltrapilhas e calças jeans antes e ela parecia como um milhão de dracmas de ouro oh pare aqui mesmo ela me disse nós estacionamos em uma colina em que podíamos ver o atlântico o mar sempre é um dos meus lugares favoritos mas hoje estava especialmente legal ­ verde água e suave como vidro como se meu pai o estivesse mantendo calmo para apenas para nós meu pai falando nisso é poseidon ele pode fazer esse tipo de coisa então rachel sorriu para mim sobre aquele convite oh certo eu tentei soar excitado quer dizer ela tinha me chamado para ir para a casa de campo da família dela em st thomas por três dias eu não recebia muitas ofertas assim a idéia da minha família de férias chique era um fim de semana em um chalé degradado em long island com alguns filmes alugados e algumas pizzas congeladas e agora os pais da rachel estavam dispostos a me levar com eles para o caribe além disso eu realmente precisava de férias esse verão tinha sido o mais difícil da minha vida a idéia de descansar mesmo que por poucos dias era realmente tentadora ainda assim alguma coisa grande estava para acontecer a qualquer dia agora eu estava esperando alguma missão pior ainda semana que vem era meu aniversário tinha essa profecia que dizia que quando eu fizesse 16 anos coisas ruins aconteceriam percy ela disse eu sei que o momento é ruim mas sempre é ruim para você certo ela tinha razão eu realmente quero ir eu afirmei É só a guerra

[close]

p. 7

eu assenti eu não gostava de falar sobre isso mas rachel sabia diferentemente da maioria dos mortais ela podia ver através da névoa ­ o véu mágico que distorce a visão humana ela tinha visto monstros ela tinha conhecido alguns dos outros meio-sangues que estavam lutando contra os titãs e seus aliados ela até tinha estado lá no último verão quando o cortado em pedaços lorde kronos saiu de seu caixão em uma terrível nova forma e ganhou meu respeito permanente por ter cravado o olho dele com uma escova de cabelos de plástico azul ela colocou a mão no meu braço só pense nisso ok nós não vamos partir por mais alguns dias meu pai a voz dela vacilou ele está complicando a sua vida rachel sacudiu a cabeça com repugnância ele está tentando ser legal comigo o que é quase pior ele quer que eu vá para a clairon ladies academy no outono a escola onde sua mãe estudou É uma escola idiota de boas maneiras para garotas de sociedade lá em new hampshire você consegue me ver em uma escola de boas maneiras eu admiti que a idéia soava bem estúpida rachel gostava de projetos de arte urbana e alimentar os sem-teto e ir a comícios de protesto salvem os pica paus de barriga-amarela e coisas assim eu nunca a tinha visto usar um vestido era difícil imaginá-la aprendendo a ser uma socialite ela suspirou ele acha que se fizer algumas coisas legais para mim eu vou me sentir culpada e desistir É por isso que ele concordou em me deixar ir com vocês nas suas férias sim mas percy você estaria me fazendo um grande favor seria muito melhor se você estivesse lá conosco além disso tem uma coisa que eu quero falar alguma coisa que você quer falar sobre eu perguntei você quer dizer tão sério que teríamos que ir a st thomas para falar sobre isso ela cerrou os lábios olhe só esqueça isso agora vamos fingir que somos duas pessoas normais nós saímos para dar uma volta de carro e estamos vendo o oceano e é bom estarmos juntos eu sabia que tinha alguma coisa a incomodando mas ela sorriu bravamente a luz do sol fazia o cabelo dela parecer fogo nós tínhamos passado bastante tempo juntos esse verão eu não tinha exatamente planejado isso mas quanto mais sérias as coisas ficavam no campo mais eu me via precisando ligar para rachel e fugir para ter espaço para respirar eu tinha que lembrar a mim mesmo que mundo mortal ainda estava lá longe de todos os monstros que me usavam como saco de pancadas pessoal okay eu disse só uma tarde normal e duas pessoas normais ela assentiu e então hipoteticamente se essas duas pessoas gostassem uma da outra o quanto custaria para o garoto estúpido beijar a garota huh oh eu me senti como uma das vacas sagradas de apolo ­ lentas burras e muito vermelhas um

[close]

p. 8

eu não posso fingir que não havia pensado sobre rachel ela era muito mais fácil de lidar do que bem do que algumas garotas que eu conhecia eu não precisava me esforçar muito ou prestar atenção no que estava dizendo ou torturar o meu cérebro para tentar entender o que ela estava tentando dizer rachel não escondia muita coisa ela deixava você saber como ela se sentia eu não tenho certeza do que teria feito em seguida ­ mas eu estava tão distraído não notei a forma negra gigante descendo do céu até que quatro cascos pousaram no capô do prius com um wump-wump-crunch hey chefe disse uma voz em minha cabeça carro legal o pégaso blackjack era um velho amigo meu então eu tentei não ficar irritado pelas crateras que ele tinha acabado de colocar no capô mas eu não achava que o meu padrasto ficaria realmente chocado blackjack eu suspirei o que você então eu vi quem estava cavalgando em suas costas e soube que o meu dia estava para ficar muito mais complicado e aí percy charles beckendorf conselheiro sênior da cabine de hefesto faria a maior parte dos monstros chorarem pelas suas mães ela era enorme com músculos definidos por trabalhar nas forjas todo verão dois anos mais velho que eu e um dos melhores campistas fazedores de armamentos ele fazia coisas mecânicas realmente engenhosas um mês antes ele tinha colocado uma bomba de fogo grego no banheiro de um ônibus turístico que estava carregando monstros pelo país a explosão tinha acabado com uma legião do mal de kronos assim que a primeira harpia deu descarga beckendorf estava vestido para o combate ele usava uma couraça de bronze e elmo de guerra com calças de camuflagem pretas e uma espada atada a sua cintura seu saco de explosivos estava lançado sobre seu ombro está na hora eu perguntei ele assentiu austeramente um amontoado se formou na minha garganta eu sabia que isso estava vindo estávamos planejando isso há semanas mas eu meio que esperava que nunca acontecesse rachel olhou para beckendorf oi oh hey eu sou beckendorf você deve ser rachel percy me contou uh quero dizer ele mencionou você rachel ergueu uma sobrancelha sério isso é bom ela olhou rapidamente para blackjack que estava batendo as patas contra o capô do prius então eu acho que vocês têm que ir salvar o mundo agora algo assim beckendorf concordou eu olhei para rachel desamparado você falaria para a minha mãe eu vou falar com ela tenho certeza que ela já está acostumada com isso e explicarei a paul sobre o capô

[close]

p. 9

eu assenti agradecendo eu achei que essa talvez fosse a última vez que paul fosse me emprestar seu carro boa sorte rachel me beijou antes mesmo que eu pudesse reagir agora vá indo meio-sangue vá matar alguns monstros para mim minha última visão foi dela sentada no banco do motorista do prius de braços cruzados observando enquanto blackjack fazia círculos mais e mais altos carregando beckendorf e eu para o céu eu me perguntei sobre o que rachel queria falar comigo e se viveria o suficiente para descobrir então beckendorf disse eu acho que você não quer que eu mencione essa pequena cena a annabeth oh deuses eu murmurei nem mesmo pense nisso beckendorf riu e juntos atravessamos o atlântico já era quase noite quando descobrimos nosso alvo o princesa andrômeda brilhava no horizonte ­ um enorme cruzeiro iluminado de amarelo e branco de longe você acharia que era apenas um navio de festas não a sede do lord titã então enquanto se aproxima você poderia notar a gigante figura na proa ­ uma donzela de cabelos negros em uma túnica grega amarrada com correntes com um olhar de horror em sua cara como se pudesse sentir o fedor de todos os monstros que estava sendo forçada a carregar ver o navio de novo fez meu intestino se retorcer eu quase tinha morrido duas vezes no princesa andrômeda agora ele estava indo direto para nova york você sabe o que fazer beckendorf gritou acima do vento eu assenti tínhamos feito testes nos estaleiros de nova york com navios abandonados eu sabia o quão pouco tempo teríamos mas também sabia que nossa melhor chance de acabar com a invasão de kronos era antes mesmo dela começar blackjack eu disse nos deixe no pavimento mais baixo da popa certo chefe ele disse cara eu odeio ver esse barco três anos atrás blackjack tinha sido escravizado no princesa andrômeda até conseguir escapar com uma pequena ajuda dos meus amigos e eu eu achei que ele preferiria ter seu rabo trançado como o my little pony do que voltar para cá novamente não nos espere eu disse a ele mas chefe confie em mim eu disse nós sairemos daqui sozinhos blackjack dobrou suas asas e mergulhou em direção ao barco como um cometa preto o vento assoviava em meus ouvidos eu vi monstros patrulhando os níveis superiores do navio ­ dracaenes mulheres-cobra cães infernais gigantes e os demônios humanóides conhecidos como telekines mas nós passamos por eles tão rápido que nenhum soou o alarme nós estávamos na popa do navio e blackjack abriu suas asas pousando suavemente no deque inferior eu desmontei me sentindo enjoado.

[close]

p. 10

boa sorte chefe disse blackjack não deixe eles o transformarem em comida de cavalo com isso meu velho amigo voou para noite eu tirei minha caneta do meu bolso e tirei a tampa e contracorrente se expandiu ao seu tamanho máximo ­ 90 centímetros de bronze celestial brilhando nas sombras beckendorf puxou um pedaço de papel de seu bolso eu pensei que fosse um mapa ou algo assim então eu percebi que era uma fotografia ele olhava para ela na luz fraca ­ o rosto sorridente de silena beauregard filha de afrodite eles começaram a sair no último verão depois de anos do resto de nós dizendo duh vocês gostam um do outro mesmo com todas as missões perigosas beckendorf esteve mais feliz esse verão do que eu já o havia visto até então nós vamos conseguir voltar para o campo eu prometi por um segundo eu vi preocupação em seus olhos depois ele colocou seu velho sorriso confiante pode apostar ele disse vamos explodir kronos em um milhão de pedaços de novo beckendorf escolheu o caminho nós seguimos por um corredor estreito até a escada de serviço como tínhamos praticado mas congelamos quando ouvimos barulhos acima de nós eu não me importo com que o seu nariz diz disparou uma voz meiohumana meio canina ­ um telkhine a última vez que você cheirou um meiosangue acabou sendo um sanduíche de carne com pão sanduíches de carne com pão são bons disse uma segunda voz mas isso é cheiro de meio-sangue juro eles estão a bordo bah o seu cérebro não está a bordo eles continuaram a discutir mas beckendorf apontou para as escadas nós descemos o mais silenciosamente possível dois andares abaixo as vozes dos telkhines começaram a sumir finalmente nós chegamos a uma escotilha de metal beckendorf falou sem som algum casa das máquinas estava trancada mas beckendorf tirou da bolsa alguns cortadores da mochila e quebrou o ferrolho como se fosse feito de manteiga dentro umas filas de turbinas amarelas do tamanho de silos se agitavam e zuniam manômetros de pressão e terminais de computadores revestiam a parede oposta um telkhine estava debruçado sobre o console mas estava tão envolvido em seu trabalho que não nos notou ele tinha aproximadamente 2 metros de altura com o pelo preto marcado e ensebado e pés pequenos e atarracados ele rosnava e murmurava enquanto digitava no teclado talvez estivesse passando mensagens para seus amigos no carafeia.com eu dei um passo à frente e ele ficou tenso provavelmente cheirando alguma coisa errada ele saltou para o lado em direção a um grande e vermelho botão de alarme mas eu bloqueei seu caminho ele me bateu e lutou mas com um corte de contracorrente e ele explodiu em pó.

[close]

p. 11

um a menos disse beckendorf agora faltam mais uns 500 ele me jogou uma jarra de um espesso líquido verde ­ fogo grego uma das mais perigosas substâncias mágicas no mundo.depois ele me jogou outra ferramenta essencial de heróis meio-sangues ­ fita adesiva jogue aquele no console ele disse eu cuidarei das turbinas nós fomos fazer o trabalho a sala estava quente e úmida e em pouco tempo estávamos encharcados de suor o barco continuava andando sendo o filho de poseidon e tudo eu tenho noção perfeita no oceano não me pergunte como mas eu sabia que estávamos 40.19º norte 71.90ºoeste andando a 18 nós o que significava que o barco chegaria ao porto de nova york ao amanhecer essa seria nossa única chance de pará-lo eu tinha acabado de amarrar uma segunda jarra de fogo grego no painel do console quando ouvi o som de passos no metal ­ tantas criaturas descendo as escadas que eu podia ouvi-las acima das máquinas não é um bom sinal eu troquei um olhar com beckendorf quanto tempo tempo demais ele bateu no próprio relógio que era o nosso detonador manual eu ainda tenho que conectar o fio do receptor e carregar as cargas mais dez minutos no mínimo julgando pelo som dos passos nós tínhamos uns dez segundos eu vou distraí-los eu disse te vejo no ponto de encontro percy me deseje sorte ele parecia que queria discutir a idéia toda era entrar e sair sem sermos vistos mas nós teríamos que improvisar boa sorte ele disse eu passei pela porta meia dúzia de telkhines estava descendo rapidamente as escadas eu os atravessei com contracorrente mais rápido do que eles poderiam gritar eu continuei subindo ­ passei por outro telkhine que estava tão assustado que derrubou sua lancheira lil demons eu o deixei vivo em parte porque eu achei sua lancheira legal em parte para que ele pudesse tocar o alarme e esperava que seus amigos me seguissem ao invés de ir para a sala de máquinas eu passei irrompendo por uma porta no deque seis e continuei correndo tenho certeza de que o hall atapetado um dia deve ter sido muito bonito mas com os últimos três anos de ocupação de monstros o papel de parede carpete e as portas duplas haviam sido estragadas e arrebentadas parecia agora mais como a garganta de um dragão e sim infelizmente falo por experiência própria de volta a minha primeira visita ao princesa andrômeda meu velho inimigo luke tinha mantido alguns turistas iludidos a bordo envoltos pela névoa desse modo eles não percebiam que estavam em um navio infestado de monstros agora eu não via sinal algum de turistas eu odiava pensar no que tinha acontecido com

[close]

p. 12

eles mas eu meio que duvidava que eles tiveram permissão para ir para casa com seus prêmios do bingo eu alcancei o promenade um grande shopping que ocupava todo o meio de navio e eu congelei no meio do pátio tinha uma fonte e a fonte estava ocupada por um caranguejo gigante eu não estou falando gigante tipo no por r$7.99 coma-tudo-o-queconseguir do caranguejo rei do alasca eu estou falando gigante em tipo maior do que a fonte o monstro se ergueu 3 metros fora d água sua casca estava manchada de azul e verde e suas pinças eram maiores do que meu corpo se você já viu a boca de um caranguejo toda espumosa e nojenta com bigodes você pode imaginar que este não parecia muito melhor expandido para o tamanho de um outdoor seus lustrosos olhos pretos me encararam e eu pude ver inteligência neles ­ e ódio o fato de eu ser filho do deus do mar não iria me fazer ganhar pontos com o sr.crabby fffffffffff ele silibou a espuma marítima gotejando de sua boca o cheiro saindo dela era o de uma lata de lixo cheia de peixe que tinha sido deixada ao sol por uma semana alarmes soaram logo eu teria muita companhia e eu tinha que continuar andando hey crabby eu fui andando pela borda do pátio eu só vou passar a seu redor e o caranguejo se moveu com uma velocidade absurda ele saiu da fonte e veio direto para mim com as pinças estalando eu entrei em uma loja de presentes destroçando algumas camisas uma pinça esmagou as paredes de vidro e atravessou a sala eu voltei para o lado de fora respirando pesadamente mas o sr.crabby se virou e me seguiu ali disse uma voz na bancada acima de mim intruso se eu quisesse criar uma distração teria sido bem sucedido mas não era ali que eu queria lutar se eu fosse apanhado no centro do navio eu viraria comida de caranguejo o crustáceo demoníaco me atacou eu o cortei com contracorrente arrancando a ponta de sua garra ele se remexeu e espumou mas não pareceu muito machucado eu tentei me lembrar alguma coisa das histórias antigas que pudessem me ajudar com essa coisa annabeth tinha me dito alguma coisa sobre um caranguejo monstro ­ algo sobre hércules tê-lo esmagado sob seu pé isso não ia funcionar aqui esse caranguejo era ligeiramente maior do que meus reeboks então eu pensamento estranho me ocorreu no natal passado minha mãe e eu tínhamos trazido paul blofis para nosso velho chalé em montauk onde íamos desde sempre paul tinha me levado para pescar caranguejos e quando ele conseguiu uma rede cheia dessas coisas ele me mostrou como os caranguejos têm uma fissura em seu casco bem no meio de suas barrigas feias o único problema era chegar na barriga feia.

[close]

p. 13

eu olhei para a fonte depois para o chão de mármore já escorregadio por causa do rastro do caranguejo eu estendi minha mão me concentrando na água e a fonte explodiu Água foi borrifada para todos os lugares até três andares acima encharcando os balcões os elevadores e as janelas das lojas o caranguejo não se importou ele amava a água ele veio de lado até mim espumando e sibilando e eu corri direto para ele gritando ahhhhhhhh logo antes de colidirmos eu me joguei no chão no estilo baseball e escorreguei no chão molhado direto para debaixo da criatura foi tipo escorregar sob um veículo armado de sete toneladas tudo que o caranguejo tinha que fazer era sentar e me esmagar mas antes que ele entendesse o que estava acontecendo eu atingi a fissura com contracorrente soltei o punho e empurrei a mim mesmo para o lado de trás o monstro estremeceu e sibilou seus olhos se dissolveram sua concha se tornou vermelho vivo enquanto seu interior se evaporava a concha vazia caiu no chão com um estrondo e se amontoou pesadamente eu não tive tempo para admirar meu trabalho manual eu corri para as escadas mais próximas enquanto a minha volta monstros e meio-sangues gritavam ordens e desembainhavam suas armas eu estava de mãos vazias contracorrente sendo mágica reapareceria no meu bolso mais cedo ou mais tarde mas por enquanto estava presa em algum lugar nos destroços do caranguejo e eu não tinha tempo de reavê-la na área de elevadores do deque oito duas dracaene se arrastavam no meio do meu caminho da cintura para cima elas eram mulheres com pele verde e escamosa olhos amarelos e línguas bifurcadas da cintura para baixo tinham dois troncos de cobras ao invés de pernas elas seguravam arpões de pesca e redes e eu sabia por experiência que elas poderiam usá-las oooo queeee é isssso disse uma delas um prêmio para kronosss eu não estava com vontade de brincar de quebre-a-cobra mas na minha frente estava um modelo do navio do tipo vocÊ estÁ aqui eu arranquei o guia do pedestal arremessou na primeira dracaena o barco bateu na cara dela e ela caiu com o navio eu passei por cima dela agarrei o arpão de sua amiga e girei com ela ela bateu no elevador e eu continuei correndo em direção a frente do navio pegue-o ela gritou cães infernais latiram uma flecha veio de algum lugar passando assoviando pelo meu rosto e ficou empalada nos painéis de mogno da parede da escada eu não me importei ­ desde que os monstros ficassem longe da sala de máquinas e dessem mais tempo a beckendorf enquanto eu subia a escada correndo uma criança me atacou descendo ele parecia que tinha acabado de acordar de uma soneca sua armadura estava vestida pela metade ele puxou sua espada e gritou kronos mas ele pareceu mais assustado do que com raiva ele não poderia ter mais do que doze anos ­ mais ou menos a mesma idade que eu tinha quando cheguei pela primeira vez ao acampamento meio-sangue.

[close]

p. 14

esse pensamento me deprimiu essa criança estava passando por uma lavagem cerebral ­ treinada para odiar os deuses e insulta-los por ter nascido meio olímpiano kronos o estava usando e ainda assim o garoto pensava que eu era seu inimigo sem chance de eu machuca-lo eu não precisava de uma arma para isso eu entrei dentro do golpe dele agarrei seu pulso e o bati contra a parede sua espada caiu com ruído de sua mão então eu fiz uma coisa que não tinha planejado provavelmente era idiota definitivamente comprometeria a missão mas eu não pude evitar se você quiser viver eu disse a ele saia desse navio agora avise aos outros meio-sangues então eu o empurrei pelas escadas e ele desceu dando cambalhotas até o próximo andar eu continuei subindo más memórias um corredor passava pela cafeteria annabeth meu meio irmão tyson e eu nos esgueiramos por aqui três anos atrás na minha primeira visita eu irrompi para fora do convés principal acima da proa o céu estava escurecendo de roxo para preto uma piscina brilhava entre duas torres de vidro com balcões e deques de restaurante toda a parte superior do navio parecia deserta tudo que eu tinha que fazer era chegar ao outro lado daí eu poderia pegar as escadas e descer até o heliporto ­ nosso ponto de encontro de emergências com alguma sorte beckendorf me encontraria lá nós pularíamos para o mar meus poderes aquáticos nos protegeriam e nós detonaríamos os explosivos a um quilometro e meio de distância eu estava na metade do caminho quando uma voz me fez congelar você está atrasado percy luke estava num balcão acima de mim com um sorriso no rosto e uma cicatriz ele usava calças jeans uma camisa branca e chinelos de dedos como se ele fosse apenas um cara normal na época da faculdade mas seus olhos falavam a verdade eles eram como ouro sólido nós o estivemos esperando por dias no começo ele parecia normal como o luke mas então sua cara mudou um tremor passou por seu corpo como se ele tivesse acabado de beber alguma coisa realmente nojenta sua voz se tornou mais pesada e poderosa ­ a voz do lorde titã kronos as palavras passaram raspando pela minha coluna como a lâmina de uma faca agora se curve diante de mim yeah como se isso fosse acontecer eu murmurei uma multidão de monstros estava em cada lado da piscina como se estivessem esperando por um sinal cada um tinha 2 metros e meio de altura com braços tatuados e armaduras de couro arqueiros meio-sangues apareceram no telhado acima de luke dois cães infernais saltaram do balcão oposto e rosnaram para mim dentro de segundos eu estava cercado uma armadilha sem chance de eles terem se colocado em posição tão rápido a menos que soubessem que eu estava vindo.

[close]

p. 15

eu olhei para luke e a raiva ferveu dentro de mim eu nem sabia se a consciência de luke estava ao menos viva dentro daquele corpo talvez o modo como sua voz mudou ou talvez seja apenas kronos se adaptando a sua nova forma eu disse a mim mesmo que isso não importava luke já era distorcido e mal desde antes de kronos o possuir uma voz em minha mente disse eu vou ter que lutar contra ele eventualmente por que não agora de acordo com a grande profecia eu deveria fazer uma escolha que salvaria ou destruiria o mundo quando eu fizesse dezesseis anos isso aconteceria em apenas sete dias por que não agora se eu realmente tivesse o poder qual diferença que uma semana faria eu podia terminar essa ameaça agora mesmo se destruísse kronos hey eu já tinha lutado contra monstros e deuses antes como se estivesse lendo meus pensamentos luke sorriu não ele era kronos eu tinha que me lembrar disso avance ele disse se você ousar a multidão de monstros se dividiu eu subi as escadas meu coração batendo forte eu tinha certeza que alguém me apunhalaria pelas costas mas eles me deixaram passar eu procurei no meu bolso e achei minha caneta esperando eu tirei a tampa e contracorrente se transformou em uma espada a arma de kronos apareceu em suas mãos ­ uma foice de dois metros de altura metade bronze celestial metade aço mortal só olhar para aquela coisa fez os meus joelhos virarem gelatina mas antes que eu pudesse mudar de idéia ataquei o tempo diminuiu sua velocidade quero dizer literalmente diminuiu a velocidade porque kronos tinha esse poder eu senti como se estivesse me movendo através de um xarope meus braços estavam tão pesados que eu mal podia erguer minha espada kronos sorriu agitando sua foice na velocidade normal e esperando que eu me arrastasse em direção a minha morte eu tentei lutar contra sua magia me concentrei no mar a minha volta ­ a fonte do meu poder eu tinha ficado melhor em canalizá-lo através dos anos mas agora nada parecia acontecer eu dei mais um passo lento à frente gigantes zombaram dracaenae chiaram com seu riso hey oceano eu invoquei agora seria uma boa hora de repente eu senti um dor como um puxão no meu intestino o barco inteiro deu uma guinada lateral fazendo monstros caírem quatrocentos galões de água salgada saíram de dentro da piscina encharcando eu e kronos e todo mundo no deque a água me revitalizou quebrando o feitiço do tempo e eu ataquei diretamente eu assolei kronos mas eu ainda era lento demais eu cometi o erro de olhar para o rosto dele ­ o rosto de luke ­ um cara que uma vez foi meu amigo por mais que eu o odiasse era difícil mata-lo.

[close]

Comments

no comments yet