Jornal Eco da Tradição de Julho 2014

 

Embed or link this publication

Description

Jornal Eco da tradição de julho 2014

Popular Pages


p. 1

ECO DA TRADIÇÃO - ANO XII - Nº 155 - JULHO 2014 Chama Crioula Cruz Alta pronta para receber os tradicionalistas Página 03 TV Tradição irá contar a história do festival em filme Página 05 ENART OPINIÃO Luis Augusto Lara: Inovar para preservar Pág. 02 CTG Campo dos Bugres Porto Alegre invadida por realiza espetáculo incentivado estrangeiros durante a Copa Foto: Divulgação EVENTOS Vem ai o Congresso e a Convenção Pág. 03 PROSEANDO Foto: Divulgação Frase do Patrão Valmor Dreher, do CTG Carreteiros de Horizonte, quando reinaugurou a obra que ninguém acreditava ser possível, pelo alto custo Foto: Rogério Bastos “Trabalhando em equipe é possível fazer o impossível” Página 06 CONTRACAPA Hora de repensar valores Pág. 05 NOTICIAS Wilson Tubino toma posse na EPC Pág. 08 TURISMO NO SUL Páginas Centrais Caxias do Sul Turismo e Tradição Pág. 09 FORUM DA DANÇA Carlinhos: A moldura e a obra de arte Pág. 16 CEVANDO O MATE Entidade agregadora Pág. 17 Projeto de R$ 1.200.000,00 de reconstrução só foi possível pela parceria de empresas como a John Deere

[close]

p. 2

2 Ano XII - Edição 155 Julho de 2014 EDITORIAL Manoelito Carlos Savaris - Presidente OPINIÃO Luís Augusto Lara Deputado Estadual e Conselheiro Honorário do MTG O Patrão Rua Guilherme Schell, 60 Porto Alegre / RS CEP: 90640-040 Email: imprensa@mtg.org.br www.mtg.org.br mtg-rs.blogspot.com wp.clicrbs.com.br/mtg Contato: 51. 3223-5194 O exercício de liderança, em qualquer instância social, apresenta elementos importantes para a realização ou para o crescimento pessoal de qualquer cidadão. De todas as posições de liderança na estrutura do Movimento Tradicionalista Gaúcho a de patrão de entidade é a que mais pode realizar um tradicionalista. É na entidade que se faz a tradição (no conceito de transmitir cultura de uma geração à outra). Ser patrão de uma entidade, especialmente daquelas que tenham sede própria e os vários departamentos em funcionamento (artístico, campeiro, esportivo, cultural) é também um grande desafio, pois não basta querer e ter boa vontade, tem que poder e dispor de tempo, de muita paciência e de, não raras vezes, usar do próprio dinheiro para pagar contas e despesas da entidade. Arrisco-me a afirmar que nenhum tradicionalista terá plenas condições de aquilatar o Movimento, de dar parecer com precisão, de avaliar a ação de outras lideranças, se não exercer a função de patrão de entidade. Não de qualquer entidade, mas daquelas que tem mui- Inovar para preservar Por mais paradoxal que pareça, a preservação dos costumes gaúchos necessita de uma certa dose de inovação. O conteúdo das tradições gauchescas deve se manter preso para que tenhamos uma referência, um norte, para as futuras gerações. A forma com que é apresentado este conteúdo é que pode eventualmente receber acréscimos de inovação. Lembro bem no ano de 2003, quando assumi a secretaria do Turismo, Esporte e Lazer do Rio Grande do Sul recebi a visita do então presidente do Movimento Tradicionalista Gaúcho (MTG), Manoelito Savaris. Naquele uma vez chamado a presidir o Movimento Tradicionalista Gaúcho, Manoelito Savaris, juntamente com sua nova diretoria convocam os tradicionalistas para um novo acampamento, uma nova vigília, e uma inovadora proposta Farroupilha. O acampamento temático montado às margens do Guaíba, no parque Maurício Sirotsky Sobrinho, mantém acesa a chama da tradição como combustível para a inovação com dezenas de cursos de culinária campeira onde gaúchos do Rio Grande, do Brasil e do mundo que venham nos visitar nos jogos da copa, podem gra- EXPEDIENTE: SUPERVISÃO: Manoelito Carlos Savaris DIREÇÃO GERAL: Nairioli Callegaro DIREÇÃO DE REDAÇÃO: Rogério Bastos DIAGRAMAÇÃO E DESIGN: Liliane Pappen CONSELHO EDITORIAL: Nairioli Callegaro, Odila Paese Savaris e Gustavo Bierhaus JORNALISTAS RESPONSÁVEIS: Rogério Bastos (16.834) Liliane Pappen (16.835) Fúlvio Lopes (16.200) ESTÁGIO E REVISÃO: Ticiana Leal COMERCIAL E EXPEDIÇÃO: Rejane Azevedo IMPRESSÃO: Zero Hora TIRAGEM: 3 mil exemplares “O Movimento Tradicionalista Gaúcho está completando quase 70 anos de existência e chegou até aqui graças ao trabalho dos patrões, dos coordenadores, dos conselheiros, dos capatazes, dos presidentes, ou seja, de todos aqueles que deram de si” tos sócios, atividades diárias e contas a pagar no final do mês. Se alguém é, ou foi patrão de entidade que faz eventos grandes, que realiza rodeios, que leva grupos de danças para rodeios ou para o ENART, que participa ativamente do Aberto dos Esportes, e assim por diante, aí sim poderá melhor dar parecer, criticar e apontar caminhos mais seguros para outros líderes do MTG. Tradicionalistas (alguns nem isso são) que emitem opinião, dizem como, quando e de que forma deve ser feito, criticam, julgam, muitas vezes ofendem, sem jamais terem exercido qualquer função de liderança em que tenha sido necessário gastar do próprio bolso, que nunca tiveram que resolver querelas entre associados, que nunca tiveram que buscar parceiros e patrocinadores para garantir sucesso de eventos da entidade (não para si mesmo), esses não contam! Esses que somente veem o próprio umbigo não podem ser mais importantes, mais necessários para movimento do que os patrões. O Movimento Tradicionalista Gaúcho está completando quase 70 anos de existência e chegou até aqui graças ao trabalho dos patrões, dos coordenadores, dos conselheiros, dos capatazes, dos presidentes, ou seja, de todos aqueles que deram de si. Que serviram. Que se dedicaram para o bem dos outros e das suas entidades. Não posso crer que o MTG alcançou o patamar que hoje ocupa por conta daqueles que sempre, e a todo momento, se servem do Movimento, cobram para fazer “tradição”, se acham os tais, posam de artistas para exigir isso e mais aquilo, que vivem às custas das promoções dos CTGs. Por tudo isso, reafirmo a minha convicção de que os patrões de entidades são as nossas mais importantes lideranças. A eles meu respeito e meu reconhecimento. A eles o crédito do sucesso do Movimento. Aos patrões uma mensagem direta e reta: não se deixem abater pelas críticas e cuidem para que suas entidades sejam santuários da tradição. “O conteúdo das tradições gauchescas deve se manter preso para que tenhamos uma referência. A forma com que é apresentado este conteúdo é que pode, eventualmente, receber acréscimos de inovação” momento discutimos uma inovação no Desfile Farroupilha, que seriam os desfiles temáticos. O resultado é que naquele mesmo ano passamos de pouco mais de 10 mil expectadores do desfile do ano anterior para 100 mil pessoas assistido o desfile temático de 2003, que foi acompanhado logo a seguir do desfile tradicional. Durante 2001, juntamente com nosso presidente Manoelito presenciamos outra inovação, a tematização do Acampamento Farroupilha de Porto Alegre onde os ranchos, até então muitos cobertos por lona, foram substituídos por galpões de costaneira que de alguma forma contam um pouco da cultura gaúcha. De lá para cá, os desfiles e os acampamentos temáticos vieram consolidando-se como uma forma atrativa e pedagógica de contar a nossa historia e tradição. Neste momento, de copa do mundo, no Brasil e no Rio Grande era necessário que mais uma vez a inovação acontecesse como forma de chamar a atenção para a preservação da nossa cultura, hábitos e tradições. Foi então, que mais tuitamente aprender sobre a história do nosso Estado aproveitando as delícias da nossa gastronomia. Confesso que quando fui solicitado, como Conselheiro Honorário do MTG a participar desta inovação não pensei duas vezes e como, então secretário estadual do Trabalho, busquei o SENAC para nos dar o suporte técnico necessário para fazermos bonito aos que nos visitam nesta data. Inovar na forma para preservar o conteúdo é, sem dúvida, uma das primeiras lições que nos ensinam os livros de administração, portanto, parabéns aos homens e mulheres que atenderam ao chamado do Movimento Tradicionalista Gaúcho e fazem da copa do mundo, além de um evento esportivo, também cultural. Atendimento 09 às 12 horas e das 13 às 18 horas De segunda a sexta-feira Valores da Anuidade R$ 890,61 Plena R$ 764,52 Parcial R$ 470,31 Especial Estudantis R$ 134,06 40% do valor é repassado às RTs. Julho Valor MTG: PRESIDENTE: Manoelito Carlos Savaris VICE PRESIDENTE DE ADMINISTRAÇÃO: Nairioli Callegaro VICE PRESIDENTE DE CULTURA: Elenir Winck VICE PRESIDENTE DE EVENTOS: José Roberto Fischborn VICE PRESIDENTE DE FINANÇAS: Gerson Ludwig Não nos responsabilizamos pelas opiniões publicadas no jornal Durante 2001, presenciamos outra inovação, a tematização do Acampamento Farroupilha de Porto Alegre onde os ranchos, até então muitos cobertos por lona, foram substituídos por galpões de costaneira

[close]

p. 3

Ano XII - Edição 155 Julho de 2014 3 CONGRESSO E CONVENÇÃO TRADICIONALISTA PROGRAMAÇÃO DA CONVENÇÃO SÁBADO – 26 JULHO 48 ANOS PROGRAMAÇÃO DO CONGRESSO SEXTA-FEIRA – 25 JULHO 18h – Sessão de instalação (definição do presidente e vice-presidentes) 18h30min – Sessão plenária única (análise da proposição de alteração estatutária) 20h – Sessão de homenagens e encerramento. 79 Caxias do Sul/RS ª CONVENÇÃO TRADICIONALISTA 26 e 27 Julho 2014 CTG Rincão da Lealdade 9h – Sessão solene de abertura 10h – 1ª Sessão Plenária – Assuntos vinculados à atividade campeira 10h - Reunião dos Tesoureiros e Juntas Fiscais das RTs com a Vice-presidência de finanças - Casa do Gaúcho 12h – Almoço 14h – 2ª Sessão Plenária – Assuntos vinculados à atividade campeira 17h – 3ª Sessão Plenária – Assuntos vinculados à atividade dos esportes 18h – 4ª Sessão Plenária – Assuntos administrativos (ajustes no Regulamento Geral, aprovação de nome para conselheiro benemérito, etc.) 20h – Jantar DOMINGO – 27 JULHO 9h – 5ª Sessão Plenária – Assuntos relativos à atividades culturais (Ciranda de Prendas, Entrevero de Peões, etc) 11h30min - Lançamento do livro “Folclore na Escola - Aplicação Pedagógica - Brinquedos e Brincadeiras” de Neusa Secchi 12h – almoço 14h – 6ª Sessão Plenária – assuntos relativos à atividades artísticas (Enart, regulamento artístico, etc) 17h – Sessão de encerramento COMISSÃO EXECUTIVA Presidente: Jo Arse Vice-Presidente: Priscila Tisott Secretário: Lauro Teodoro Tesoureiro: Ivan Rodrigues Coordenador 25ª RT: Cleu Camassola Vice-Presid. da FCG: Gustavo Bierhals SUBCOMISSÕES Credenciais: Creice Arse Fone: (54) 3238 1228 - 9987 4070 Hospedagem: Gabriele Cunha Fone: (54) 3238 1228 - 9191 1368 Alojamento: Marcos Ganzer Fone: (54) 9603 4618 Alimentação: José Roberto Mallmann Fone: (54) 92069546 Recepção: Prendas e Peões da 25ª RT Fone: (54) 3238 1228 - 9909 1050 1ª Inter do Enart será em Camaquã Sábado - 02 de agosto 9hs - Palco 1 – Ginásio de Esportes – Danças Tradicionais força B Palco 2 – IFSul – auditório (pequeno) - eliminatória – Interprete Solista (masculino e feminino), Conjunto Vocal e Instrumental Palco 3 – IFSul – complexo “H” – eliminatória Declamação (masculina e feminina) Palco 4 – IFSul – complexo “400” – Gaitas, Violão, Viola, Violino e Rabeca Palco 5 – IFSul – complexo “Controle Ambiental” – Trovas e Causos Palco 6 – Dança de Salão 13h30min - Palco 1 - Ginásio de Esportes - Abertura Oficial 14hs - Palco 1 – Ginásio de Esportes – continuação danças tradicionais força B Palco 2 – IFSul – Auditório (pequeno) – continuação eliminatória – Interprete Solista (masculino e feminino), Conjunto Vocal e Instrumental. Palco 3 – IFSul – complexo “H” – continuação eliminatória Declamação (masculina e feminina) Palco 4 – IFSul – complexo “400” – continuação Gaitas, Violão, Viola, Violino e Rabeca Palco 5 – IFSul – complexo “Controle Ambiental” – continuação das Trovas e Causos Palco 6 – continuação Dança de Salão 19hs - Palco 1 – Ginásio de Esportes - Chula Domingo – 03 de agosto 9hs - Palco 1 – Ginásio de Esportes – Danças Tradicionais - Força A Palco 2 – IFSul – Auditório (pequeno) - final Interprete Solista (masculino e feminino), Conjunto Vocal e Instrumental Palco 3 – IFSul – complexo “H” – Final Declamação (masculina e feminina) 13h30min - Palco 1 – Ginásio de Esportes – continuação Danças Tradicionais força A 18hs - Palco 1 – Ginásio de Esportes – Encerramento e divulgação dos classificados 22/06/2014 19:47:05 Acendimento da Chama Crioula em Cruz Alta DIA 14/08/2014 - QUINTA-FEIRA Alimentação 09hs - Recepção e Credenciamento DIA 16/08/2014 no Parque de Exposições de Cruz Alta SÁBADO DIA 15/08/2014 - SEXTA-FEIRA 09hs - Recepção e Credenciamento no Parque de Exposições de Cruz Alta 09hs - Início da Tropeada de Mulas Saída: Lagoa Bonita (Cadeado) - Estrada Ponte Queimada - Cruz Alta - a cargo do departamento de cavalgadas da 9ª RT em direção a Benjamin Nott 12hs - Chegada no marco de fundação de Cruz Alta em Benjamin Nott para sesteada 14hs - Geração da Chama Crioula 2014 e continuidade da tropeada com a participação das demais regiões tradicionalistas em direção à Praça General Firmino. 17hs - Saudação das autoridades aos Tropeiros em frente a Prefeitura 18hs - Recepção aos Tropeiros no Parque de Exposições de Cruz Alta com encenação da Lenda da Panelinha. 20hs - Jantar para homenageados e convidados na sede do Sindicato Rural 20h30min - Apresentação com músicos regionais Praça de Alimentação 22h30min - Espetáculo Artístico Musical com Cristiano Quevedo - Praça de 06h30min - Alvorada festiva - Parque de Exposições 09hs - Abertura oficial e desfile temático - O Tropeirismo, Marco de Fundação, Lenda da Panelinha e o Tempo e o Vento - Parque de Exposições 10hs - Ato solene de distribuição da Chama Crioula 2014 12hs - Almoço Parque de Exposições Programação sujeita a alterações conforme numero de inscritos para esta inter-regional. Acompanhe as novidades pela fanpage e pelo site do MTG Locais de prova: Ginásio Municipal de Esportes Danças Tradicionais Força A e B Rua Sapiranga S/N IFSUL Provas Individuais Rua Ana Gonçalves da Silva, 901 Alojamento e Acampamento pelo email :tointercamaqua@gmail.com Acampamento da Juventude Gaúcha Dia: 15/08/2014 Sexta-feira 14hs - Credenciamento 19hs - Início das Atividades

[close]

p. 4

4 PROSEANDO COM TENÊNCIA Ano XII - Edição 155 Julho de 2014 MOVIMENTO TRADICIONALISTA GAÚCHO Por Rogério Bastos Casos e Acasos Viajamos mais de mil quilômetros para cobrir a reinauguração do CTG Carreteiros de Horizonte, em Horizontina, terra da John Deere, Gisele Bundchen, Rui Biriva e um povo pra lá de hospitaleiro. Ouvimos muitas histórias, de um CTG que completará em 2015, 50 anos. Que tem uma patronagem coesa liderada pelo Patrão Valmor Dreher há dez anos. E que reconstruiu uma história, um galpão, motivou pessoas, agregou valores, uniu famílias... Um exemplo de que, trabalhando em equipe, delegando poderes, é possível vencer. Sempre digo, em minhas palestras, que a comunicação é fundamental para melhorar o ambiente em que vivemos, por isso uso parábolas, fábulas, pequenas histórias para poder transmitir aos ouvintes a mensagem. Fizemos uma palestra diferenciada em Livramento e São Gabriel que não foram esquecidas. Agora preparamos um trabalho para dia 05 no CFor Avançado falar sobre a organização dos departamentos da entidade e seus eventos. Dia 11, em Soledade, estaremos falando diversos assuntos, incluindo o tema dos festejos de 2014. Dia 12 estarei em Lajeado, fazendo um trabalho com os jovens do Tropilha. Dia 20, em Passo Fundo, no CFor para patronagens, com história do tradicionalismo e estrutura do Movimento. Em todas palestras estarei me comunicando com centenas de pessoas, por isso, para cada momento, uma palestra organizada e diferenciadas. Exclusiva. Em setembro – Curitiba e Cachoeira do Sul. A copa do mundo de futebol representou um momento importante para apresentar, não só aos turistas de fora, mas ao Brasil, que estão assistindo aos jogos em Porto Alegre ou pela televisão, um pouco da história do Rio Grande do Sul. Em Porto Alegre milhares de turistas australianos, alemães, argentinos e chilenos estiveram no Parque da Harmonia e conheceram um pouco da cultura do nosso estado. O acontecimento mostrou o quanto o turismo de eventos é importante para um país, para um estado e para uma cidade. Aquece a economia, gera empregos, a curto e a médio prazos. Em Horizontina, o patrão Valmor explicou que o CTG organiza, em suas dependências, com os piquetes da cidade um acampamento bem no centro. Muitas cidades que, a exemplo de Porto Alegre, passaram a se unir para fazer as comemorações descobriram que ficou mais forte e atraiu mais público. Mais atrações, a prefeitura pode contratar shows e levar para o acampamento onde as entidades podem atender os visitantes, dar atenção. Os patrocínios passam a vir com menos dificuldades. Importante para refletir. Na verdade não quero julgar o mérito da questão e nem se foi rígida ou suave pelo que ele fez. Mas é importante lembrar que a sociedade vive uma crise de instituições, ou seja, reclama que as leis não são cumpridas, que pessoas se beneficiam das outras e não são punidas. Quando são, a própria sociedade trata de opinar contrariando as questões. Faltam com o respeito pela instituição família, hierarquias passam a não existir e, a própria presidente da república, em plena copa do mundo, é ofendida dentro do estádio. Hora de repensar alguns valores. Cursos do MTG em 2014 Depósito Banrisul - Ag.: 0100 - C/c 06.066982.0-3 em nome de Movimento Tradicionalista Gaúcho Enviar comprovante com nome e telefone para 51 3223-5194 ou e-mail para cursos@ mtg.org.br. Os contatos podem ser feitos com a Luciana Borges. Dia Curso Hora Valor Local CTG Carreteiros de Horizonte Julho 20 Domingo Cfor de Patronagem 9 às 18 Passo Fundo Sede do MTG - Porto Alegre Agosto 23 Sábado CFor Básico 9 às 18 R$ 40,00 Agenda pelo Rio Grande - Comunicando Novembro 22 e 23 Sábado e Domingo Curso de Instrutor de Danças de Salão 9 às 18 A definir 1º Encontro Estadual de Coordenadores de Cavalgadas O Presidente da Ordem dos Cavaleiros do Rio Grande do Sul, Airto Glademir Timm, convida os organizadores e coordenadores de cavalgadas para participarem do 1º Encontro Estadual de Coordenadores de Cavalgadas, que acontecerá no dia 05 e 06 de julho na cidade de Passo Fundo, no Parque da Roselândia. principal - Regulamento de Cavalgadas 10h45min - Palestra Segurança em Cavalgadas - Palestrante: Major Eriberto Carlos Rodrigues Branco 11h30min - Entrega Cartilha de Segurança para cavalgadas - Assuntos Diversos - Entrega de Certificados - Encerramento 13h – Churrasco de Despedida Informações: No parque da Roselândia dispomos de local para acampamento e também casas para pernoites (Tem que trazer forro de cama e coberta). Contato: Verceli: Coordenador de Cavalgadas 7ª RT - 54 9178-6756 - verceli.oliveira@ hotmail.com Refeições: Sábado: Jantar: Comida Campeira (4 pratos + saladas e complementos) e domingo: café campeiro bem sortido. Almoço: Churrasco de Gado, ovelha, porco, linguiça e complementos. R$ 45,00 Contato: Varlei Catto comandante Cavaleiros do Mercosul: 54 8135 6410 - varleicatto@ hotmail.com Acampamentos Farroupilhas pelo RS PROGRAMAÇÃO: 05/07/14 – Sábado 14h – Recepção e Credenciamento - Salão principal 16h – Abertura Oficial (salão principal) - Pronunciamento autoridades 16h30min – Espaço ao Presidente do MTG - O Futuro do Movimento e as cavalgadas 18h – Proposta de Alteração do Regimento Interno 20h – Jantar (sede Cavaleiros do Mercosul) 21h – Apresentação Encenação Batalha do Pulador - Sorteio de Brindes entre os presentes; - Tertúlia Livre 06/07/14 – Domingo 7h – Café Campeiro - Sede Cavaleiros do Mercosul 8h30min - Reinicio dos Trabalhos - Salão Opinião sobre a punição de Luizito Suárez Cachoeira do Sul com programação intensa Associação Tradicionalista Cachoeirense promove concurso de prenda e peão e gincana farroupilha nos meses de julho e agosto. A ATC estará promovendo no mês de julho, dias 25 e 26, no CTG Lanceiros do Sul, o concurso que irá escolher a prenda e o peão farroupilha para os festejos farroupilhas de 2014. O evento já contará como pontuação para a Reculuta Farroupilha, gincana que envolve as entidades de Cachoeira do Sul e que acontece no mês de agosto. Com o objetivo de integraras entidades tradicionalistas, filiadas na ATC, escolas e comunidade em atividades culturais, artísticas e sociais, cumprir com o que preconiza a carta de princípios, divulgar e valorizar o tema dos festejos farroupilhas 2014, este ano, Cachoeira do Sul terá a oportunidade de reconhecer as mais variadas manifestações culturais e as diferentes formas de expressar o orgulho de dizer: EU SOU DO SUL. E ainda, trabalhar os temas anual e quinquenal do MTG, levando à conhecimento da comunidade o que o tradicionalismo gaúcho trabalha durante o ano. Entre as tarefas da Reculuta estão: o concurso de prendas e peões, solidariedade (doações), apresentação de atividades voltadas ao folclore, buscar pessoas que nasceram no dia 20 de setembro, curtir fotografias e montar coreografias com o tema dos festejos de 2014, fazer cartazes de combate a corrupção, criativos, e apresentar entre outras atividades. REFLEXÃO “A simplicidade cativa, encanta e dá mais charme à vida. A maior sofisticação é a simplicidade” ( Por ir Elom a t Mal Leonardo Da Vinci )

[close]

p. 5

Ano XII - Edição 155 DEPARTAMENTO JOVEM Julho de 2014 TV TRADIÇÃO 5 ENART - O filme TV Tradição quer contar essa história ENART - O Filme, vai contar a história, de como tudo começou, desde o festival do MOBRAL, das pessoas, das conquistas, das dificuldades, e de como nascem os campeões, chegando ao final das gravações mostrando os grandes vencedores de 2014. Para tanto, a TV estará fazendo as gravações nas Inter-regionais, depois nos ensaios dos grupos classificados e por fim, no ENART, etapa final, em Novembro. “A partir das Inter-regionais, quando saberemos quem irá para a etapa final, estaremos registrando também fatos pitorescos de pessoas e grupos nos mais diversos locais do estado e para tanto agradeceríamos se nos enviassem informações de fatos, coisas, romances que nasceram nos ensaios, enfim, tudo que poderia ser interessante para esta história maravilhosa que vocês escrevem no dia a dia, dançando, cantando, chuleando, declamando e cantando” – explica Zeca Tessmann, diretor da TV. Por Maria Angélica Saraiva - Diretora e Murilo Andrade - Vice-diretor O resgate do Acampamento da Juventude Gaúcha Depois de 7 anos, Departamento Jovem do MTG busca resgatar o Acampamento da Juventude Gaúcha. Evento ocorre paralelo ao Acendimento da Chama Crioula, na cidade de Cruz Alta, no mês de agosto Quem se lembra de um evento que o MTG promovia denominado Acampamento da Juventude Gaúcha? Muitos dos jovens que hoje fazem parte do tradicionalismo organizado talvez não lembrem ou até não tenham sequer vivenciado esse período em que este evento era realizado. A última edição do Acampamento da Juventude Gaúcha ocorreu no CTG Lalau Miranda, na cidade de Passo Fundo, 7ª RT, no ano de 2007. Este evento era uma responsabilidade do Departamento Jovem do MTG e desde aquele ano nunca mais fora realizado. Pensando nisso, estaremos neste ano, com o apoio da Vice-Presidência de Cultura e a diretoria do Movimento, resgatando a ideia de congregar esses jovens em um espaço de confraternização, com intuito de agregarmos valor a nossa cultura e também estimular o crescimento e o fortalecimento dos laços de amizade que são construídos nos eventos que participamos. O Acampamento da Juventude Gaúcha não é apenas mais um evento, mas sim um momento especial, para todas as pessoas que sintam que a juventude não está somente relacionada à faixa etária, mas principalmente com a idade da alma de cada tradicionalista. O Departamento Jovem do MTG está elaborando com o auxílio de muitas pessoas uma pro- no sábado. As informações gramação de cunho cultural e fraternal com todo acerca do evento você poo carinho e respeito por derá encontrar no folder do cada jovem, cada tradicio- Acendimento da Chama nalista que tiver o desejo Crioula onde está inserida de conosco participar des- a programação, os telefose momento histórico para nes e e-mail’s dos respono tradicionalismo, pois sáveis do Acampamento afinal estaremos fazendo da Juventude Gaúcha. um resgate de um evento que teve e terá como principal marca o aprendizado e as amizades construídas. Este evento será realizado em paralelo ao Acendimento da Chama Crioula, na cidade Cruz Alta, 9ª RT, com atividades iniciando na sextaMurilo e Maria Angélica buscam resgatar o Acampamento da Juventude Gaúcha -feira e encerrando TEMA ANUAL: PRESERVANDO O PASSADO, CONSTRUINDO O FUTURO

[close]

p. 6

6 PELO RIO GRANDE Ano XII - Edição 155 Julho de 2014 NOTÍCIAS CTG Farroupilha realiza o 2ª Seminário da Cultura Gaúcha Nos dias 13 e 14 de junho, na cidade de Alegrete, foi realizado um seminário voltado para a historia e cultura do Rio Grande do Sul. O Seminário estava voltado para os professores e para os tradicionalistas os temas abordados: - “Artinha da leitura” de João Simões Lopes Neto – cem anos de silencio, palestrante a professora Norma Gallo Tuerlinckx - Assim cantam os gaúchos, com Rodrigo Guterres - Oficina de indumentária gaúcha com a coordenadora Ilva Borba Goulart e Carlos Humberto Velasques - Farroupilha: Guerra ou revolução com o vereador e historiador Carlos Alberto Duarte - O tema dos festejos Farroupilhas: EU SOU DO SUL, com Odila Paese Savaris O evento também fazia parte da programação dos Festejos de homenagem aos 60 anos de existência do CTG Farroupilha, que foi destaque na homenagem pela Câmara de Vereadores da cidade de Alegrete. Entidade de Ponta Grossa, no Paraná, comemora, em 2014, uma década de sua fundação, de uma cultura que foi conduzida pelos tropeiros Nesse ano, o CTG Rancho Alegrete, da cidade de Ponta Grossa, 2ª Região Tradicionalista do MTG-Paraná, comemora dez anos de sua fundação. Por iniciativa da 1ª Prenda Veterana do CTG, Mônica Jasper, a entidade, que conta com as invernadas campeira, artística e cultural, está promovendo um resgate histórico das atividades dessas invernadas. Fotos, vídeos, trajes, troféus e documentos estão sendo reunidos para criar uma exposição da trajetória do Rancho Alegrete. “Queremos comemorar com a honra que nossa entidade merece. Para isso, nada melhor que lembrar nossa história de realizações e de amor à tradição”, afirma Mônica. Um dos grandes triunfos do Movimento Tradicionalista Gaúcho é a capacidade de se manter forte e ativo, mesmo quando longe dos pampas sulinos. O gaúcho leva consigo sua cultura e suas tradições por onde passa – e uma das regiões que recebeu essa influência cultural foi os Campos Gerais, no Paraná. Essencial para o tropeirismo, por conter campos que sustentavam as tropas de gado ou muares durante o transporte de Viamão a Sorocaba, a região dos Campos Gerais se formou e se desenvolveu por conta dessa atividade. Ponta Grossa, principal cidade da região e hoje a 4ª maior cidade do Paraná, surgiu assim: um pouso de tropas. A cultura gaúcha trazida pelos tropeiros acabou por se firmar nessas terras do Paraná. Tanta foi a identificação que o primeiro CTG do estado surgiu em Ponta Grossa, no ano de 1958, apenas 10 anos após a fundação do primeiro CTG do mundo – o 35 CTG, de Porto Alegre. Foi em Ponta Grossa também que foi fundado o MTG do Paraná, em 1975, e a Confederação Brasileira da Tradição Gaúcha, em 1987. Assim como as demais entidades tradicionalistas da região, o CTG Rancho Alegrete contribuiu nos últimos 10 anos e continua a contribuir, na luta e no trabalho contínuo pela manutenção das tradições gaúchas, para o engrandecimento do Movimento Tradicionalista Gaúcho do Paraná. CTG Rancho Alegrete: 10 anos de história no Paraná! Odila Paese Savaris, autora do tema dos festejos de 2014, “Eu sou do Sul” palestrou no seminário 190 anos da Imigração Alemã no Brasil Campo dos Bugres realiza projeto pelo A história da imigração alemã produtos agrícolas, manufaturados até FINANCIARTE inicia antes de 1824, motivos econô- artesanato. micos e sociais lavaram o império a ceder a famílias estrangeiras terras no Brasil. Era uma grande extensão de terra e população de poucos brancos e muitos negros. O negro trazido da África era a principal força produtiva, eram os homens negros feitorizados que lidavam com açúcar, minério e pecuária. O senário social fez a corte braquear a população, a imigração foi o meio encontrado. Um representante foi a Hamburgo acertar a vinda de famílias ao Brasil. Foram oferecidos benefícios, como custo da viagem, terras, ferramentas e animais. As promessas não se efetivarem, e os imigrantes tiveram que desbravar o território e até pelear com os nativos. Em julho de 1824 desembarcam em Porto Alegre os primeiros imigrantes, por rio aforam até a região onde hoje fica São Leopoldo. Até a década de 30 do séc XIX chegaram mais de cinco mil imigrantes, alguns destes chegaram a se envolver com o refrega farrapa, já outros, se deslocaram para regiões distantes do conflito. Apos a proclamação da República do Brasil, o Estado gaúcho passou a ter muitas colônias, muitos imigrantes vieram com recursos próprios. As propriedades de subsistência prosperaram e passaram a enviar seus produtos à Porto Alegre, Havia a necessidade de povoar o Brasil, os portugueses não poderiam pois se desligara a pouco da metrópole, os ingleses haviam tentado se instalar no Brasil bem como os holandeses e franceses, os espanhóis eram a força a ser combatida e os imigrantes serviriam de tampão para as tentativas de retomada do território pelos platinos. A escolha dos alemães se deu pelo envolvimento do Imperador Dom Pedro I com Leopoldina Catarina Josefa filha do último Imperador do Sacro império Romano de Nação Alemã. A década de 30 do séc. XX marcou o mundo com os nacionalistas, aqui os colonos foram ignorados em suas necessidades, sofreram com as tentativas de intervenção nazista, ideologia que não foi aceita pelo descendentes de imigrantes, mas o nacionalismo de vargas os atingiu em cheio pois foram impedidos até de usar a língua alemã em suas atividades sociais. A saga deste povo é revivida em 2014, onde há um descendente “deutsche”, são 190 anos de uma história de bravura, abandono, perseverança e vitória. O alemão que veio para o Brasil conquistou uma nova vida e desenvolveu sua cultura em uma nova terra que foi bem cuidado para que se tornar terra de bons frutos para todas as etnias. Nos dias 22 e 23 de Maio de 2014, no teatro Percy Vargas em Caxias do Sul, aconteceu a estreia do espetáculo: De Gênova à Serra Gaúcha: Uma história que não se Conta! Com a Itália passando por uma grande crise, o Brasil passa a receber os POBRES SEMEADORES DE RIQUEZAS. Alguns embarcam por acreditar nos propagandistas e sonhar com: “Paese de La Coccagna”, outros são expulsos pelo governo. A viagem que ninguém conta, é que junto com os sonhos e alegrias, embarcaram as decepções e a tristezas! Sob direção de Márcia Scariot, roteiro musical de Thiago e Tomás Savaris e um elenco de aproximadamente 30 figurantes e dançarinos, o CTG Campo dos Bugres apresentou através de dramatizações e coreografias de Robson Cavalheiro e Josué Borges, dois espetáculos para aproximadamente 600 pessoas. O público viajou pelas páginas da história ítalo-gaúcha. Realização: CTG CAMPO DOS BUGRES Financiamento: FINANCIARTE Muito além dos rodeios e do ENART, Campo dos Bugres organiza espetáculos em Caxias TEMA QUINQUENAL: O MTG ENGAJADO NA CAMPANHA DE COMBATE À CORRUPÇÃO - “LAÇANDO A CORRUPÇÃO”

[close]

p. 7

Ano XII - Edição 155 ESPAÇO DA CITG Julho de 2014 7 Por: Dorvílio Calderan - Presidente ESPAÇO DO IGTF Por: Rodi Borghetti - Presidente IGTF Cavalgada na Serra da Mantiqueira - Parte II Baependi/Minas Gerais, de 10 a 15 de julho 2013 Buenas, vamos agora a cavalgada. No dia 10 de julho, no mesmo dia que saímos de Porto Alegre, aproveitamos para conhecer a Fazenda Morro Grande, onde pousamos. No dia 11, uma quinta-feira, madrugamos, tomamos nosso café e encilhamos nossos cavalos. Quase todos tordilhos e muito dóceis. Montamos e seguimos rumo a Serra de Baependi. Nome que faz jus. É uma serra mesmo, com muita pedra. Almoçamos no meio do caminho, por volta das 13 horas, ao lado de uma bonita cachoeira. Seguimos até a Pousada do Janio, onde chegamos no fim da tarde. Nesta Pousada fizemos o nosso QG, porque cavalgávamos durante o dia e retornávamos à noite. Tudo muito simples, mas agradável. A temperatura do local variava muito, foi de 8 a 20 graus e em uma noite, acredito que tenha chegado perto de zero grau. No dia 12, saímos cedo com um guia que nos levou por trilhas e campos muito bonitos. Cavalgamos de 15 a 20 quilômetros por turno. Sempre almoçando no caminho e voltando para jantar e dormir na pousada. A comida mineira é muito boa e variada. Comemos uma feijoada preparada pelo Marcelo e o Julinho, na sexta-feira, que foi de lamber o bigode. À noite sempre fazíamos “tertúlia”, que se estendia noite a dentro. No sábado, dia 13, voltamos a cavalgar em outras trilhas onde encontramos muitas cachoeiras e campos. No domingo, dia 14, só tínhamos a manhã para cavalgar. Como devíamos voltar à tarde para o Rio de Janeiro, já dentro da nossa volta, tínhamos pensado em não cavalgar. Todavia, houve um desafio para fazer um trecho muito perigoso, íngreme e cheio de pedras. Foi feito. Muitos cavalos cansaram e alguns se machucaram. Nada que não pudesse ser resolvido, mas aqui, no Rio Grande, certamente não correríamos o risco de levar nossos cavalos em uma trilha tão perigosa. Finda a cavalgada, nos reunimos com nossos anfitriões, liderados pelo Zé Acir, para comemoramos os dias felizes que ficamos juntos, cavalgando e fazendo amigos. No dia 15 já estávamos de volta a Porto Alegre, saudando mais uma cavalgada no rol das que já fizemos como Cavaleiros da Paz. Reunião do Conselho Coordenador da CITG No dia 02 de agosto de 2014, a partir das 10 horas, será realizada a próxima reunião anual do Conselho Coordenador da Confederação Internacional da Tradição da Gaúcha – CITG, para tratar de assuntos relacionados aos interesses e manutenção das atividades da CITG; do 12º. Congresso da CITG e de outros assuntos. A reunião será realizada na sede do MTG-RS. Estão convocados os membros do Conselho Coordenador e a reunião é aberta a participação de todos os tradicionalistas interessados no assunto. O Conselho Coordenador, composto na forma prevista no item 3, letra “b”, da Carta Constitutiva, tem mandato de dois anos, competindo-lhe reger e representar a CITG. Os conselheiros de cada país são escolhidos da seguinte forma: o presidente da Confederação do respectivo país, que será vice-presidente, e dois membros e um suplente indicado pela mesma Confederação. Compete ao Conselho Coordenador, dentre outras atribuições: – gerir os interesses e a manutenção das atividades da CITG; e promover todos os meios para que a CITG seja reconhecida oficialmente em todos os Países membros; Está confirmada a presença do Presidente da Confederação Gaúcha Argentina – CGA, Sr. Adolfo Caballero e os Delegados daquele País. O representante do Uruguai, Sr. Carlos Arezo Posada, o Presidente da Sociedade Elias Regulles, Sr. Manolo e, estão sendo convidados também o Presidente da “Unión de aparcerías y sociedades del sur del Uruguay” - entidade que congrega as Sociedades Crioulas do Uruguai, Srs. Ñuber Fernandez e Jorge Alvez. ESPAÇO DA CBTG João Ermelino de Mello - Presidente Congresso e Convenção Extraordinários Nos dias 08 e 09 de agosto o Brasil gaúcho irá se reunir em Piratuba/SC Nossos comprimentos às Patroas, Patrões, Prendas e Peões de todo Brasil Gaúcho! No dia 29 de maio, na cidade de São José dos Pinhais/PR, durante reunião do Conselho Diretor da Confederação Brasileira da Tradição Gaúcha (CBTG), assumimos a Presidência desta entidade máxima de nosso movimento tradicionalista. Estamos preocupados com a organização administrativa, por isso temos muito trabalho pela frente e os desafios são imensos. Precisamos do apoio de todas as Federações com a finalidade de fortalecer o movimento e unir a grande família tradicionalista gaúcha. Também precisamos completar os cargos da Diretoria Executiva, seus Departamentos e Assessorias para trabalharmos juntos conforme delega os poderes em nossa coletânea de Legislação Tradicionalista. Vamos congregar as Federações filiadas para cumprirmos o regulamento da CBTG (Artigo XI - parágrafo 2) sempre observando e aplicando os princípios filosóficos definidos na “Carta de Princípios do Movimento Tradicionalista Gaúcho do Rio Grande do Sul”. Está marcado para o dia 9 de agosto um Congresso Extraordinário e logo após a Convenção Extraordinária em Piratuba/SC, pois ficaram pendentes no último Congresso alguns itens a serem aprovados e adequados nos regulamentos Campeiro e Artístico. Acompanhamos a CBTG desde a sua fundação. Particularmente estive presente em todos os congressos e convenções. Pelo movimento do Estado que participo (MS), sediamos duas edições do Fenart: o 1º realizado na cidade de Coxim/MS (1994) e depois em Ponta Porã/MS (1999). Quando estive à frente do CTG, bem como diretoria do MTG/MS, procurei valorizar a juventude tradicionalista gaúcha, porque eles são nosso esteio. E é preciso sempre incentivar os nossos jovens, para resgatarmos os valores da tradição gaúcha. Aproveitamos a oportunidade para registrar aqui o convite a todo o movimento tradicionalista de nosso País que participem de nossos eventos para discutirmos o que é melhor para a preservação e união de nossa tradição gaúcha. Além disso, Precisamos e contamos com a ajuda de todas as federações tradicionalistas nesta empreitada. Conheça o novo presidente João Ermelino de Mello, natural de Santo Ângelo/RS, tem 63 anos, casado com Carmen Beatriz Kraemer de Mello e possuem três filhas e uma neta. Atua no movimento tradicionalista gaúcho há muitos anos. Integrava o grupo de danças do CTG de sua cidade natal desde muito jovem, período em que já participava de congressos e reuniões. Naquela época vivenciou a elaboração e estava presente na solenidade que aprovou a Carta de Princípios. Em 1973 João Mello mudou-se para o Estado de Mato Grosso do Sul e reside atualmente na capital Campo Grande. Resumidamente o tradicionalista já foi patrão do CTG Tropeiros da Querência (Campo Grande/MS); Conselheiro da Cultura em MS (2002 à 2010); Presidente do MTG/MS (gestão 2000 a 2008); Presidente do Conselho de Ética da CBTG (2007 à 2011); e Vice-Presidente da CBTG (2007 à 2013). Entre títulos recebidos, destacam-se Medalha Mérito Rio-Grandense (2004); Embaixador Honorário do Estado do RS (2005) e Cidadão Sul-Mato-Grossense/ALMS (2010). Um dos mais famosos grupos de cavalgadas do Rio Grande do Sul, os Cavaleiros da Paz, partiram no dia 4 de julho de 2014, para um de seus maiores desafios: uma cavalgada de duas semanas na Mongólia (terra do imperador Gengis Khan). O país asiático possui tanta tradição em cavalos que registrou no livro dos recordes a maior corrida de equinos já realizada, no ano de 2013, com 4.249 cavaleiros. Também foi tema de um Globo Repórter, veiculado em maio deste ano, pela TV Globo. A reportagem registrou que o país possui os últimos cavalos selvagens do planeta. Em 20 anos, Os Cavaleiros da Paz realizaram 30 cavalgadas pelo Brasil, Argentina, Uruguai, Paraguai, Chile, Bolívia, Portugal, Canadá e África. “Já tô com o pé no estribo indiada, contando os dias para enfrentar uma cavalgada totalmente diferente, difícil e apaixonante” – escreveu em seu facebook, Helder Rocha Menezes, sobre a cavalgada. TEMA ANUAL: PRESERVANDO O PASSADO, CONSTRUINDO O FUTURO

[close]

p. 8

8 NOTÍCIAS Ano XII - Edição 155 Julho de 2014 Texto e Fotos: Ticiana Leal Estudante de Jornalismo da UFSM DTG Noel Guarany, de Santa Maria, tem sua própria Sede Cultural Departamento de Tradições Gaúchas, da UFSM, inaugurou sua sede na noite de 17 de junho com coquetel para convidados. Fotos: Divulgação Wilson Tubino toma posse na EPC Aconteceu no sábado, dia 28, a posse do comunicador Wilson Tubino na Presidência da Estância da Poesia Crioula A Estância da Poesia Crioula é uma entidade cultural sul-rio-grandense que visa congregar os poetas e prosadores voltados para a temática gauchesca, além de pesquisar, manter, promover e divulgar tudo aquilo que se relacione com esta arte crioula em suas mais diversas formas de manifestações. A fundação da Academia Xucra do Rio Grande, como é carinhosamente conhecida por seus membros, aconteceu no dia 29 de junho de 1957, dia de São Pedro, padroeiro da estância, graças a visão e ao esforço de abnegados poetas e prosadores que sentiram a necessidade de organizar-se como instituição com o objetivo de exaltar nossos usos e costumes, nossas valorosas e ricas tradições. A primeira diretoria da Estância foi assim constituída: Presidente Hugo Ramirez, Rui Cardoso Nunes, Jayme Caetano Braun, José Barros Vasconcellos, Dimas Costa, Lauro Rodrigues, Pery de Castro, Nitheroy Ribeiro e Olynto Sanmartin. Nestes 50 anos de existência foram presidentes da Estância da Poesia Crioula: Hugo Ramires (1957/1959 – 1963 – 1986/1988); Nitheroy Ribeiro (1959/1960) Jayme Caetano Braun (1960/1961); Guilherme Schultz Filho (1961/1963 – 1970/1972); Cyro Gavião (1963/1964); Mozart Pereira Soares (1964/1966); Pery de Castro (1966/1970); Hélio Moro Mariante (1972/1974); José Paim Brites (1974/1976); Zeno Cardoso Nunes (1976/1980); Vasco Mello Leiria (1980/1982); José Hilário Retamozo (1982/1986-1992/1994-2000/2002); Francisco Pereira Rodrigues (1988/1990); Dias Francisco Fiorenzano (1990/1992); Caio Flávio Prates da Silveira (1994/2002); Sérgio de Laforet Padilha (2002/2004); Léo Ribeiro de Souza (2004/2006); Beatriz de Castro (2006/2008); José Machado Leal (2008/2010) e, deixando a presidência, após duas gestões, Cândido Brasil(2010/2014). Wilson Tubino, o novo presidente (2014/2016), é, entre outras coisas, terapeuta floral, desenhista, músico, compositor, homem de rádio e televisão, além de profundo conhecedor do regionalismo e do tradicionalismo gaúcho. Poeta, escritor, estudioso das ciências ocultas, autor de diversos livros, entre eles, “Os mistérios ocultos no chimarrão”. Coordenador Ildo Vagner prestigiou a inauguração da sede do DTG Noel Guarany Apenas 08 anos e muitas conquistas, esse é o Departamento Tradicionalista Gaúcho Noel Guarany da Universidade Federal de Santa Maria. A entidade inaugurada em 22 de novembro de 2005 já teve sua Invernada adulta entre as finalistas do ENART na força B, Prendas e Peões Regionais e mais recentemente teve um de seus representantes, Rafael Silva, como 3º Peão Farroupilha do Rio Grande do Sul. Mas, foi na noite do dia 17 de junho, que a Família Guarany realizou o maior de todos os sonho, inaugurou sua Sede Cultural. “Esse espaço que inauguramos é a realização de um sonho, fruto de muito trabalho, dedicação e coesão com a função social que temos com a UFSM”, diz Tainá Valezuela, Patroa do DTG Noel Guarany. Na cerimônia estavam presentes importantes nomes do tradicionalismo e autoridades locais, entre eles o Coordenador da 13ª Região Tradicionalista, Ildo Wagner e o Pró-Reitor adjunto de extensão da UFSM, Ascisio dos Reis Pereira. Além, da Patroa da entidade e do coordenador do programa de extensão, Luciano Pes, que possibilitou essa conquista. A solenidade, contou ainda com apresentações artísticas, onde a cantora Laura Guarany e o jovem Rafael Silva cantaram músicas do saudoso Noel Guarany. O fim dessa noite que ficará marcada na história dessa entidade, foi celebrada com um grande coquetel de comemoração e um momento de confraternização entre aqueles que se fizeram presentes. Tradição gaúcha na copa CTG Guapos do Itapuí e CTG Ronda Charrua participaram da abertura do Mundial de Futebol, com apresentações na Fifa Fan Fest de Porto Alegre. O público que estiver em Porto Alegre poderá acompanhar todas as 64 partidas da Copa 2014 por um grande telão e também vibrar com shows, antes e depois da disputa, na Fan Fest, no Anfiteatro Pôr do Sol. A programação se estende do dia 12 de junho até 13 de julho, data da final da Copa do Mundo. Às margens do Guaíba, o Anfiteatro Pôr do Sol recebeu ampla infraestrutura de atrações e serviços com capacidade para até 20 mil pessoas. O evento promove a cultura do Rio Grande do Sul e a integração entre os visitantes e a comunidade local. Na abertura da copa dia 12 de junho dois CTGs estiveram presentes representando o Rio Grande do Sul. O campeão e vice do ENART 2013, CTG Ronda Charrua e CTG Guapos do Itapuí, fizeram parte do espetáculo de abertura juntamente com Neto Fagundes, Renato Borghetti e a fábrica de gaiteiros, Shana Muller e Cadica, grupo de danças. Não é a primeira vez que um CTG participa de eventos ligados à Copa. Em 2002, o Guapos do Itapuí esteve na Ásia, fazendo diversas apresentações, quando o Brasil sagrou-se pentacampeão. Presença maciça dos tradicionalistas santa marienses no evento do DTG da UFSM TEMA QUINQUENAL: O MTG ENGAJADO NA CAMPANHA DE COMBATE À CORRUPÇÃO - “LAÇANDO A CORRUPÇÃO”

[close]

p. 9

Ano XII - Edição 155 TROPEANDO VERSOS Por: Luciano Salerno Julho de 2014 TURISMO NO SUL 9 Por Jeandro Garcia Versejando pelo Rio Grande Estamos iniciando as etapas rol, ter o mínimo de conhecimenregionais do ENART, dentro do que to sobre história, geografia, folclore, convivo, acompanho e converso lendas, vocabulário, usos e costucom meus irmãos declamadores, a mes campeiros, tradição, literatura nossa poesia regional na sua atuali- regional, brasileira e espanhola, etc. dade está em transformação, assim Todos estes aspectos envolvem a como a própria declamação. A nova nossa cultura, pois é nela em que os safra de poetas e declamadores vem poetas fazem sua referencia. abordando uma visão/mensagem A escolha do poema é funrenovadora dentro da arte, claro, ain- damental na apresentação do interda possuímos um débito e muito aos prete, pois o que é bom pra um nem grandes intérpretes e compositores. sempre é bom para outro! O bom A maior parte dos interpre- senso deve prevalecer. Atualmente tes preparam-se para o concurso temos 4 a 5 grandes festivais de poecomo o ápice da pirâmide, pois digo, sia por ano no estado, cada um deles no meu humilde parecer é apenas com 10 poemas, no mínimo 50 poea base, existe uma longa estrada a mas novos por ano! Fora os livros ser trilhada depois que se editados e arquivos antigos Foto: Gabriel Schmidt conquista um reconhede coletâneas e antocimento no ENART, logias, “vamos evitar e em alguns vos a mesmice”, evitar digo: não há de declamar sose ter um titumente os poelo de ENART mas premiados para ter senem festivais ou sibilidade, copoemas que nhecimento e os interpretes bom trato com foram premianosso verso! dos! Existem Como disse no poucos sites meu parecer, é bons que dispoapenas uma etanibilizam poemas pa, o reconhecimento de forma confiável pelo trabalho “naquele na sua fidelidade textual, momento”! Pude apreciar apremas com o advento da internet, sentações belíssimas de prendas e facebook etc... Não há mais desculpeões no ano passado, onde a cada pas em não encontrar poemas ou gesto a “imagem poética” estava ra- não conseguir poemas com os poediante frente aos meus olhos, em ou- tas e declamadores. tros momentos a imagem totalmente Vamos ao palco com novas escondida pela falta de um entendi- mensagens, novas interpretações... mento maior do poema. Devemos Mas, não se esquecer da naturalidasim, devemos, pois me incluo neste de e o carinho que a poesia merece! Caxias do Sul, turismo, Congresso e Convenção do MTG em Julho De colonização italiana, em Caxias do Sul no ano de 1885. sua maioria, a cidade será sede da A cada 2 anos acontece na cidade a 79ª Convenção Tradicionalista, de 26 Festa da Uva, com comidas típicas e 27 de julho, e do 62º Congresso Tra- de Caxias do Sul, muitas bebidas e dicionalista Gaúcho (Extraordinário), vários derivados da uva, é um ver25 de julho. Localizada no coração dadeiro sucesso e bate recordes de da Serra Gaúcha, a 130 Km de Por- público todos os anos seguidos. Há to Alegre, Caxias do Sul, a segunda ainda muita dança, música e trajes cidade mais importante do estado, típicos para os apaixonados pela culguarda na memória a herança cul- tura dos gaúchos. tural e costumes deixados por seus Se você é um verdadeiro decolonizadores, inserindo este legado gustador de um bom vinho, não deino ambiente tradicionalista gaúcho: xe de participar do evento e experiCaxias do Sul é a cidade gaúcha que mentar os melhores vinhos do país e possui o maior número de CTGs. da Itália. Um sonho de consumo para A história do município pode todos os amantes da bebida! ser conhecida através de visitas ao Em Fevereiro aconteceu a Museu Municipal, ao Museu de Am- Festa da Uva deste ano. Mas as próbiência Casa de Pedra e ao Monu- ximas edições já estão agendadas mento Nacional ao Imigrante, locais para 2016 e anos seguintes. Com 120 que guardam um acervo magnífico anos de tradição, a Festa da Uva traz de imagens e fotos do crescimento todos os anos diversos festivais e conda cidade. A religiosidade pode ser cursos culturais, com dança e música conhecida através da Igreja de São italiana, que são promovidos ao púPelegrino com as pinturas de Aldo blico durante os dias da Festa. Mais Locatelli, e da Catedral Diocesana – informações sobre turismo acesse o Igreja de Santa Teresa, primeira Igre- blog: www.turismonosul.com.br ja fundada na cidade, que carrega o nome da padroeira do município. A história também pode ser vivida através do Espetáculo Som e Luz, que narra à saga da imigração italiana em uma narração emocionante do texto de José Clemente Pozzenato, onde o cenário é um conjunto arquitetônico de 20 Prepare-se para enfrentar o frio da serra gaúcha em julho casas que representam Estudantes da Unisinos criam aplicativo para mapear rodeios no RS Um grupo de cinco estudantes de Jornalismo da Unisinos utilizou uma plataforma interativa na internet para localizar a cidade, a data e os detalhes da programação dos rodeios no Rio Grande do Sul. Utilizando o aplicativo Crowdmap, eles criaram o BagualSquare, que faz uso de geolocalização para mostrar onde estão acontecendo os tradicionais eventos gaúchos. Além de localizar as atrações, o usuário pode criar seu próprio login ou utilizar seu perfil no Facebook para informar a programação da sua cidade. O BagualSquare também pode mostrar serviços e produtos relacionados aos rodeios, em suas várias modalidades (rodeio, tiro de laço, etc). Os usuários também podem fazer avaliações e verificar antecipadamente as condições dos serviços apresentados, buscando direto pelas categorias, tais como CTG, Rodeio, Festival, etc. As empresas ou marcas que desejam utilizar a plataforma precisam pagar para anunciar seus serviços durante os eventos mapeados. O BagualSquare pode ser acessado através do endereço eletrônico: https://bagualsquare.crowdmap. com/ Fúlvio Lopes agora na rádio da 1ª RT Fulvio estreia na Rádio 1ª RT onde a cultura do Rio Grande viaja nas ondas da web. Uma emissora parceira da 1ª Região Tradicionalista/MTG Este Projeto traz uma proposta precursora no seguimento de Radiodifusão Comunitária via Web no seguimento da cultura rio-grandense, pois se propõe trazer até seus microfones a cultura do estado do Rio Grande do Sul, falar sobre os gaúchos e gaúchas, contar sua história, suas origens, os povos gaúchos aqueles que formaram o nosso povo, seus costumes, hábitos, vestes, musica, sua culinária, enfim falar, contar e cantar o Rio Grande do Sul através de seus microfones. Ser um canal de comunicação da cultura regional. Agregando a este projeto o Jornalista e Radialista Fulvio Lopes, que a partir do mês de junho passou a fazer parte da equipe de comunicadores da Rádio 1ª RT com o Programa 100% Gaúcho às quartas a partir das 16 horas e na sextas-feiras às 18 horas. Acesse: www.radio1rt.rs. Fúlvio, dedicação total à comunicação

[close]

p. 10

10 Ano XII - Edição 155 Julho de 2014 Carreteiros de Horizonte - Um CTG com gra O CTG Carreteiros de Horizonte começou seus 49 anos de história num dia 20 de setembro, como tantos. O ano era 1964. Um grupo de pessoas realizou uma cavalgada pelo centro da cidade de Horizontina, em homenagem ao tradicional dia do Gaúcho. A partir deste dia, este grupo resolveu fundar um CTG, para zelar pelas tradições do Rio Grande do Sul, sua história, costumes e cultura, divulgando e transmitindo às gerações presentes e futuras os hábitos de seus antepassados. Na falta de uma sede própria para os encontros e reuniões, o pároco, Dom Amadeum Brot, cedeu as dependências do antigo salão paroquial da Igreja católica para o grupo dançar, tocar músicas, cantar, contar causos e cartear. A fundação oficial do CTG aconteceu no dia 19 de junho de 1965, com a doação do atual terreno onde está o galpão, pela família Scherer, para a construção do primeiro Centro de Tradições Gaúchas com sede e foro jurídico na cidade de Horizontina. O primeiro Patrão do CTG Carreteiros de Horizonte foi o Sr. Alberi Diniz, seguido por Ademar Ferreira Canabarro, Adão Canabarro Prestes, Ataide José Boeno, João Beraldo da Silva Motta (falecido), Elvido Reckziegel, José Baromeu Boles da Motta (falecido), Edison Atunes de Almeida, Antônio Reck, Edo Godoy, José Décio Pereira da Silva, Ervino Alves da Silva, Paulo de Tarso Pereira, Eloi Miguel Tiecker, Evandro Carlos Coitinho, Gilmar Quintilhano da Silva, Ailton Quintino de Lima. João Luis Bertoletti e atualmente Valmor Alfredo Dreher (2004/2014). Na ocasião da inauguração do primeiro galpão da entidade foi escolhida a 1ª prenda do CTG, Eva Mazurkiewicz. Eva também foi a 1ª Prenda das Missões, gestão 1970/1971, quando o CTG Carreteiros de Horizonte ainda fazia parte da 3ª RT. Em função de reestruturação e organização das regiões, em 1975, o CTG passou a integrar a 20ª RT. Faz parte dos departamentos do CTG Carreteiros de Horizonte a invernada campeira, que conta atualmente com 13 piquetes filiados à entidade. Desde de 2006, os Festejos Farroupilhas contam com a participação mais efetiva da população, em um acampamento nas dependências do CTG, onde os visitantes cultivam as tradições do estado nos ranchos instalados no terreno do CTG, com rodas de chimarrão, cafés campeiros e churrascadas. Com a participação de piquetes e apreciadores das lides campeiras, acontecem várias cavalgadas durante o ano inteiro, porém a mais importante por sua simbologia é a cavalgada de busca da chama crioula, que acontece na semana anterior aos Festejos Farroupilhas, trazendo o fogo que mantém o tradicionalismo vivo em nossa entidade e município. A entidade, hoje, tem em torno de 600 associados, com uma mensalidade de R$12,00, uma área de 6.000m² e seu departamento artístico conta com quase 1% da população de Horizontina em suas invernadas dente de leite, mirim, juvenil, adulta e xiru, além de contar com um grupo especial de crianças carentes que estão sendo incluídas nos grupos através de uma escolinha. Fotos: Rogério Bastos Uma equipe coesa na gestão de 10 anos bem trabalhados à frente do CTG Carreteiros de Horizonte e o apoio dos associados garantiu ao patrão Valmor Dreher a motivação necessária pa Invernada dente-de-leite é o começo de tudo na entidade Fotos: Rogério Bastos CTG possui o equivalente à 1% da populção da cidade em seus grupos de danças, algo em torno de 180 pessoas A reconstrução Fachada da sede traz a simbiose do rústico e do moderno Momento de grande emoção - O canto no hino rio-grandense Fotos: Rogério Bastos Giulio Ariel menin, 3º Guri Farroupilha do RS é do Carreteiros O respeito das novas gerações durante a execução dos hinos Patronagem do Carreteiros - Equipe coesa em busca dos objetivos No ano de 2004, Valmor Dreher, atual patrão, foi procurado e convidado a voltar ao CTG, onde viu suas filhas crescerem, Daiane e Vanessa, pois o galpão estava em precárias condições e, o terreno, sendo loteado para reformas do galpão. Foi então que tomou uma decisão, considerada por muitos como uma loucura: “Vamos unificar o terreno do CTG, derrubar este galpão e reerguer o Carreteiros, como ele merece, como a comunidade merece” – Falou em seu discurso. “Trabalharemos em equipe, um ajudando o outro. Está chegando aqui um caçador de fofocas” – intimou Valmor, aos que quisessem seguir com ele e com o projeto. Com as senhoras Lisete Friske e Brigida Heck, da Lucano Cultura e Marketing, fizeram um projeto de lei de incentivo federal, a Lei Rouanet, com valor superior à R$1.200.000,00 e encontraram na empresa John Deere, a mais forte parceira para a construção da nova sede. Outras parcerias vieram junto atendendo ao chamamento. Ao lado de sua esposa, Eliane Carvalho Dreher, suas filhas, e de sua patronagem, Valmor não hesita em dizer: “O melhor resultado é fruto das melhores equipes. O sucesso de qualquer empreendimento passa por uma equipe bem organizada, com poderes delegados, e confiança mutua” – completa. Fotos: Rogério Bastos

[close]

p. 11

Ano XII - Edição 155 Julho de 2014 11 andes histórias e exemplos de sucesso. Fotos: Rogério Bastos Fotos: Rogério Bastos ara alcançar um dos principais objetivos: Inaugurar uma bela sede, e ter mais de 1% da população de Horizontina integrando as invernadas da entidade. Expandindo Horizontes Daiane Raquel de Carvalho Dreher, há dois anos mora em Indaiatuba, São Paulo, para onde foi transferida pela empresa John Deere, de Horizontina, onde é líder de projetos. Filha do patrão Valmor, do CTG Carreteiros de Horizonte, onde já foi 1ª Prenda do CTG em 2001/2002, 1ª Prenda da 20ª RT do MTG-RS 2002/2003, onde chegou ao 4º lugar no concurso estadual de prendas daquele ano, Daiane chegou à São Paulo para trabalhar mas a saudade dos pagos falou mais alto. Reuniu-se aos amigos, também gaúchos, para relembrar as coisas boas do sul e, entre mates e guitarras, fundaram o CTG Tropeiros do Indaiá, do qual hoje, é patroa. Daiane conta com uma grande experiência, pois além da família fazer parte do CTG aqui no Rio Grande do Sul, ela já foi prenda em Santa Catarina, quando seus pais lá trabalhavam. Foi 1ª prenda mirim, do CTG Quero-Quero, em Chapecó, 1ª prenda mirim, da 12ª RT, do MTG-SC, 2ª prenda mirim do estado de Santa Catarina. Chegou a 1ª prenda juvenil, do CTG Quero-Quero. Durante seu prendado, a família retornou à Horizontina, não dando tempo de concorrer na região. Fotos: Rogério Bastos Pequenos integrantes dos grupos de danças alegraram o evento Daiane, Valmor, Eliane e Vanessa: Família é o alicerce de tudo A reinauguração A festa de reinauguração contou com um belíssimo trabalho das equipes do CTG. OS Monarcas foram contratados para abrilhantar a festa. Uma cavalgda foi buscar a chama em São Sepé, cumprindo uma promessa feita ainda no século passado (matéria em destaque). A presença maciça das forças vivas da cidade valorizou o evento: Nildo Hickmann, prefeito de Horizontina, Alessandro dos Santos, presidente da Câmara Municipal de Vereadores, Gladimir Ames, gerente de fabrica da John Deere, Unidade de Horizontina, Jesus Garrido, diretor da plataforma de fabricação e implementos da John Deere, de Monterrey no México, Luis Perocchin, gerente de recursos humanos da John Deere, Alexandre Giordani, gerente do Banco do Brasil, Giulio Ariel Menin, 3º Guri Farroupilha do Rio Grande do Sul, Lisete Friske e Brigida Heck da Produtora Lucano Cultura e Marketing, Felipe Johann, Sota-Capataz do CTG, braço direito do patrão Valmor, Danielle Schirmann, coordenadora cultural, Vânia Janete, Vitancourt, coordenadora artística e Jessica Zimermann, 1ª Prenda da casa. Fotos: Rogério Bastos Atenção as novas gerações é prioridade no Carreteiros Placa em homenagem ao grande parceiro - John Deere Daiane (E) grande experiencia para liderar o Tropeiros do Indaiá A cavalgada da chama Uma tragédia. Uma promessa. A palavra empenhada levou a uma cavalgada de mais de 350km. A história desta cavalgada, de busca da chama, começa no século passado, em 1986, quando, depois de uma tragédia envolvendo o veterinário da cidade de Horizontina, Silvio Miguel Silveira da Silveira, o “tio Padrinho”, veterinário e ginete. De férias, estava na estância de seus pais, na cidade de São Sepé, e saiu durante a noite para camperear e fazer ronda, visto que o roubo do gado e ovelhas era uma constante naquela época. Nesta madrugada, dia 30/12/1986, ele foi alvejado e faleceu. Segundo José Motta, líder da equipe de cavalarianos, que buscou a chama em São Sepé, o “nego Beto”, como era conhecido, empenhou-se em organizar uma cavalgada, mas desde de 1986, nunca se enquadrou. Mas ele vivia cobrando. Foi então que, em 2011 o “nego Beto” faleceu vitima de um acidente, ficando José Motta encarregado de cumprir o que foi prometido há 28 anos. Fizeram parte da cavalgada: Ademir Meirelles, Álvaro Callegaro, Aleksander Hirt, Clóvis Gonçalves, Daniel Sartor, Felipe Johann, Glênio Silva, Houssan Fadel, Jeferson Bieger, João de Moura, José Alfredo da Motta, Júlio Bernardi, Mário Cavalheiro, Milton Manjabosco, Sadi Servat, Valtemir Alegranzzi e Vinicius Segato. O Mexicano Jesus Garrido, Executivo da empresa John Deere A patronagem do CTG. Só com trabalho em equipe se tem sucesso José Motta é descendente de um dos fundadores e liderou a cavalgada

[close]

p. 12

12 ENTREVISTA Ano XII - Edição 155 Julho de 2014 Dedicação e esforço para alcançar objetivos Gustavo Henrique dos Santos, 16 anos, Começou a dançar em 2009, no ano de 2012 concorreu pela primeira vez, e com muito esforço depois de três anos conquistou o título de 2º Guri do Estado do Rio Grande do Sul. Eco - Como foi a sensação de ver o trabalho reconhecido e conquistar um dos crachás do entrevero? Foi uma sensação maravilhosa, receber um reconhecimento depois de um grande esforço é sempre uma vitória. É um misto de emoção, alegria, entusiasmo e principalmente de felicidade, pois mostra o quanto a caminhada vale a pena quando você tem um sonho. Eco - Quais os teus planos para a gestão? Desenvolver um bom trabalho junto com os demais para expandir a nossa cultura, fortalecer os departamentos culturais e trabalhar para que mais jovens se interessem em concorrer e continuar trabalhando para a nossa tradição. Eco – Comida: Churrasco, como todo bom gaúcho. Eco – Hobby: Laçar e Andar a Cavalo. Eco – Filme: Cavalo de Guerra. Eco – Livro: Nunca Desista de Seus Sonhos – Augusto Cury Amor ao Rio Grande e a certeza de trilhar o caminho da felicidade Tayline Alves Manganeli é, atualmente, a 2ª Prenda Mirim do Rio Grande do Sul. Natural da terra da Querência do Bugio, São Francisco de Assis, integra com orgulho o CTG Pedro Telles Tourem, 10ª RT. Tem 11 anos e cursa o 7º ano do Ensino Fundamental. “O amor pelo Rio Grande nasceu junto comigo, era 20 de setembro de 2002 quando decidi vir ao mundo, dia este, de muitos festejos farroupilhas” - diz a pequena grande prenda. ECO – Como foi a preparação para a ciranda de prendas 2014? A preparação para a Ciranda foi muito intensa, comecei cedo, pois a trajetória não foi nada fácil, encontrei pelo caminho vários obstáculos, mas aprendi a contorná-los, assim como a água aprendeu a contornar seus obstáculos para chegar ao oceano. Acredito que a maior dificuldade encontrada não só por mim, mas pelas outras prendas também, foi a conciliação entre estudos da escola, preparação para a Ciranda e rotinas diárias. Como a beleza de nossa caminhada depende dos que vão conosco, eu só tenho a agradecer a todas as pessoas que de uma forma ou de outra me ajudaram para chegar até aqui, que me apoiaram e me deram suporte, que abriram as portas para o meu futuro, pois, com certeza sem essa ajuda este SONHO jamais teria se realizado. ECO – O que o concurso contribuiu para o teu desenvolvimento pessoal? Acredito que a Ciranda é o sonho de cada uma de nós prendas, queremos fazer parte deste sonho, estar lá e na hora que subir no palco sentir o “friozinho” na barriga, ter a sensação de dever cumprido e saber que muito bem representamos nossa região é uma experiência inexplicável! A Ciranda Estadual contribuiu muito na minha vida, ela me mostrou o quanto devemos sonhar e também acreditar em nossos sonhos, acreditar que somos capazes de atingir nosso objetivo, que querer é poder. Ela me ensinou a vencer meus medos e nunca desistir, pois se é o nosso sonho, devemos ir em busca dele, correr atrás pois sem o esforço é impossível a felicidade da conquista. Aprendi também que das pedras que são jogadas no nosso caminho, podemos fazer degraus para subir e alcançar nosso objetivo. Mas com certeza a principal contribuição que a Ciranda me deixou, foram as amizades. Na minha opinião não devemos encarar a Ciranda como uma competição, nem tratar nossas concorrentes como inimigas, mas sim como AMIGAS, pois sem a amizade não chegaremos a lugar nenhum. Posso dizer sim, que estas amigas que fiz na Ciranda vou levar para o resto da vida, assim como eu, elas também são SONHADORAS. ECO – Quais teus projetos para a gestão? Como Prenda Mirim tenho inúmeros planos para a gestão. Minha principal meta é trazer mais crianças para nosso movimento, pois elas não são só o futuro do tradicionalismo, mas também o presente, elas que hoje aprendem e amanhã ensinam. Quero incentivar desde cedo prendinhas e peõezinhos a preservar nossa tradição, nossos usos e costumes para que futuramente elas possam passar para seus filhos, netos, os valores que nossos antepassados nos legaram. Espero que nesta nova gestão desenvolvemos grandes amizades, onde possamos através desta família tradicionalista, ter um alicerce bem forte para irmos em busca do que queremos e fazermos um ótimo trabalho. ECO – Comida: Tortas Salgadas ECO – Hobby: Sempre que possível procuro estar em contato com a natureza e lugares históricos ECO – Livro: Sempre tive paixão por contos, então meu livro favorito é “Mitos e Lendas do RS” ECO – Filme: A Casa das Sete Mulheres CTG Chaleira Preta faz pré-estreia O CTG de Gravataí organizou um jantar para receber o DTG Querência Santa Mônica, que foram padrinhos da nova invernada adulta do CTG Na noite de 28 de junho, no CTG Chaleira Preta, na cidade de Gravataí, aconteceu o jantar de pré-estreia da invernada adulta, que teve a participação dos demais grupos da entidade e um visitante, que veio de longe, o Querência Santa Mônica, de Curitiba, no estado do Paraná. O grupo veterano, multicampeão paranaense, estava participando do festival de veteranos no CTG Rancho da Saudade e aproveitou a oportunidade e apadrinhou o grupo adulto, em um batismo de danças. A responsabilidade técnica e coreográfica dos grupos ficam a cargo de Alexandre e Lilian Ourique, acompanhados pelo amigo e parceiro, Rinaldo Souto, que fez as apresentações durante o jantar. Eloim Pereira, veterano ex- patrão da entidade, ex-conselheiro de diversas instituições, entre elas FCG/MTG, 1ªRT e CBTG, estava lá com os netos e com a família: “Danço no grupo, que é uma mescla de xiru e veterano, pelo prazer de dançar. De trazer meus netos. Um ambiente que a gente construiu para ter onde levar nossas famílias” – completou Eloim. Rodrigo Maciel, dançarino do grupo estava tremulo logo após apresentação: “Comecei a pouco, mas estou muito entusiasmado com o grupo e com o CTG” – completou o jovem promissor, que já trabalha pela entidade. Foto: Douglas Barcelos Momento de registrar padrinhos e afilhados no jantar de pré-estreia do grupo adulto do Chaleira Preta TEMA QUINQUENAL: O MTG ENGAJADO NA CAMPANHA DE COMBATE À CORRUPÇÃO - “LAÇANDO A CORRUPÇÃO”

[close]

p. 13

Ano XII - Edição 155 Julho de 2014 13 NOTÍCIAS Por: Marcos Nepomuceno Jornalista Festa Nacional do Churrasco 2015 terá Seminário sobre Pecuária de Corte Dentro da programação alusiva ao Rodeio Internacional e Festa Nacional do Churrasco, que acontece de 28 de janeiro a 1ª de fevereiro de 2015, no Parque de Rodeios Ítalo Nunes Mondadori, será realizado o 2º Seminário Serrano Sobre Pecuária de Corte e 2º Simpósio da Carne Devon nos Campos de Cima da Serra. O evento terá como objetivo ampliar o conceito técnico-científico e cultural de porque o churrasco de Lagoa Vermelha é considerado o melhor do Brasil, proporcionando ao município o título de Capital Nacional do Churrasco - Um município filho do tropeirismo. Além disso, tem como meta compreender a evolução racional da bovinocultura de corte nos Campos de Cima da Serra e a identidade da pecuária regional. Segundo os organizadores, da mesma forma, se buscará compreender a formação histórica dos Campos de Cima da Serra e a influência dos tropeiros para o desenvolvimento da região serrana do Rio Grande do Sul. O tema central do Seminário e Simpósio será a Fundação do povoado - São Paulo da Lagoa Vermelha 170 anos (1845 - 2015) - Uma dádiva do Tropeirismo. A programação será realizada no dia 28 de janeiro de 2015, no Galpão do CTG Alexandre Pato. As palestras a serem realizadas iniciam com o tema “Competitividade e intensificação da pecuária de corte”, com Danilo Santana, da Embrapa de Bagé. Logo depois, “Do boi franqueiro ao Devon - A evolução racial nos Campos de Cima da Serra”, a cargo da Associação Brasileira dos Criadores de Gado Franqueiro e Associação Brasileira dos Criadores de Devon. “A formação histórica dos Campos de Cima da Serra e a influência dos tropeiros para o desenvolvimento da região serrana do Rio Grande do Sul”, com Sebastião Fonseca será outro tema de palestra. Ele é historiador e escritor de Gramado, RS. No mesmo dia, ato e homenagem aos antigos condutores de tropas - Os Tropeiros da grande Lagoa Vermelha. Finalizando, haverá almoço do Devon, com o tradicional churrasco de Lagoa Vermelha. A promoção é do CTG Alexandre Pato, Associação Brasileira dos Criadores de Devon, Núcleo de Criadores de Devon dos Campos de Cima da Serra, Emater, Prefeitura de Lagoa Vermelha, Câmara de Vereadores, Sindicato Rural, Ideau, Sindicato dos Trabalhadores Rurais, Associação Nordeste de Engenheiros Agrônomos e Associação dos Médicos Veterinários e Zootecnistas de Lagoa Vermelha. Foto: Divulgação Chama Crioula 2014 já tem data e hora definida para chegar na 13ª RT O cronograma de busca da Chama Crioula da 13ª RT já está pronto e os participantes se preparam para mais uma grande cavalgada. A data e hora prevista ficaram assim definidas: - Saída dos cavaleiros e comitiva de Santa Maria em direção ao Parque de Eventos de Cruz Alta: Dia 15 de agosto, às 7 horas. - Participação da geração da Chama Crioula em Cruz Alta: Dia 15 de agosto, às 14 horas. - Participação da Cerimônia Estadual de acendimento e distribuição da Chama Crioula: Dia 16 de agosto, às 9 horas. - Saída da cavalgada de Cruz Alta às 7 horas do dia 17 de agosto em direção a Santa Maria, passando pelos Municípios de Tupanciretã, Júlio de Castilhos, São Martinho da Serra, chegando à Santa Maria no dia 23 de agosto, às 10 horas, no CTG Tropeiros da Querência, homenageado local. A cavalgada terá um total de 166 Km percorridos pelos cavaleiros. CTG Relembrando Tio Lautério O Centro de Tradições Gaúchas Relembrando Tio Lautério foi fundado no dia 14 de Junho de 1985, por um grupo de gaúchos defensores das tradições gaúchas, com o intuito de perpetuar as coisas da nossa terra, a cultura do povo gaúcho. No município já havia outra entidade tradicionalista que se denominava CTG Relembrando o Passado (que existia desde o ano de 1969). Em 1999 os dois centros se uniram, formando-se apenas um CTG em Chiapetta, o CTG Relembrando Tio Lautério, que neste ano está completando 29 anos de histórias e tradição gaúcha. O lema da entidade é “DE GERAÇÃO EM GERAÇÃO, CULTUANDO A TRADIÇÃO” e, o CTG, através dos integrantes da Patronagem desempenham suas funções a fim de manter viva a chama da Tradição Gaúcha, no município de Chiapetta preservando a ética, o respeito, valores e costumes, contribuindo para o bem da comunidade tradicionalista e chiapetense. “Esse pequeno histórico do nosso CTG é para lembrarmos desta data especial para os tradicionalistas chiapetenses, deixamos os PARABÉNS a todos que de uma forma ou de outra auxiliaram ou auxiliam a construir essa história de honrar as coisas do Rio Grande. Assim é feito o gaúcho: da boa hospitalidade e de amor por seu chão, de orgulho de bravura e de preservar a tradição” – completou Douglas Brum Almeida, 2º Coordenador Cultural do CTG. Foto: Divulgação CTG Alexandre Pato e a 8ª RT, orgulhosos da história que envolve os Campos de Cima da Serra CTG Relembrando Tio Lautério nasceu da fusão de duas entidades. Decisão inteligente. TEMA ANUAL: PRESERVANDO O PASSADO, CONSTRUINDO O FUTURO

[close]

p. 14

14 ECO ENTREVISTA Ano XII - Edição 155 Julho de 2014 Orgulho de ser missioneira Andressa Canova Motter, 2ª Prenda Juvenil do Rio Grande do Sul é natural e reside em Tuparendi, um pequeno município localizado no noroeste do Estado. Tem 17 anos e cursa o 3º ano do Ensino Médio integrado ao Curso Técnico em Edificações no Instituto Federal Farroupilha, no Campus Santa Rosa. Representa, desde os 5 anos de idade, o CTG Fronteira da Amizade na região missioneira. Sua trajetória nos concursos de prendas é longa. Iniciou ainda quando era ainda criança, entretanto, a primeira participação na fase Regional de uma Ciranda ocorreu apenas no ano de 2013, quando consagrou-se 1ª Prenda Juvenil da 3ª RT. Esta conquista deu-lhe a possibilidade de sonhar ainda mais alto. Foi a primeira representante do CTG Fronteira da Amizade na Ciranda Estadual. ECO – Como foi a preparação para a ciranda de prendas 2014? A missão de conciliar trabalhos, provas e outras obrigações escolares com os estudos, ensaios, treinos e pesquisas para a Ciranda, não foi fácil. Levava para a escola livros, resumos, questões e polígrafos, principalmente no período próximo ao concurso. Explicava para mim mesma os conteúdos, lia e relia em voz alta, fazia esquemas, cartazes para colar na parede... O foco era total! Tive que abdicar de tardes com amigos, passeios e momentos de lazer, mas nada disso me incomodava, afinal, nada era maior que minha vontade de me preparar bem! ECO – O que o concurso contribuiu para o teu desenvolvimento pessoal? É claro nosso desenvolvimento na fala, na expressão e desenvoltura e no aprimoramento de nossos talentos. Além disso, nos desenvolvemos intelectualmente através da pesquisa e estudo sobre os mais diversos aspectos de nosso Estado. ECO – Quais teus projetos para a gestão? Poder repassar o conhecimento que adquiri ao longo de minha caminhada a outras prendas e peões que carregam consigo o sonho de representar sua entidade, região ou estado. E, em conjunto com as demais prendas e peões do Rio Grande, trabalhar em prol do fortalecimento do tradicionalismo e de nossa cultura, buscando sempre bem representar a juventude gaúcha. ECO – Comida: Churrasco ECO – Hobby: Cantar e ouvir música ECO – Livro: Obras da autora gaúcha Martha Medeiros ECO – Filme: O Tempo e o Vento Do Vale dos Sinos para o Rio Grande Laura Callegaro de Oliveira, 27 anos, filha de Luiz Adir Rodrigues de Oliveira (in memorian) e Isoldi Maria Callegaro, natural de São Luiz Gonzaga, graduada em Direito, em 2009, e pós-graduada em Direito Público, em 2012, pela Anhanguera/Polo Novo Hamburgo. Atualmente é advogada no escritório “Araújo Costa Advogados” de Novo Hamburgo/RS. Representa a Sociedade Gaúcha de Lomba Grande. “Iniciei cedo, em 1992, no Departamento Nativista Carlos Bastos do Prado, de São Luiz Gonzaga, onde, além de ter sido prenda dente-de-leite, simpatia e mirim, dancei nas invernadas. Em 2001, passei a integrar o CTG Galpão de Estância, onde dancei em sua invernada adulta, onde representei a Catedral Xucra do Pago na fase regional da ciranda de prendas, realizada em 2004, em São Borja. Tive ainda a grata satisfação de dançar com grandes amigos no Piquete Tradicionalista Irmãos Sagrilo de Santiago – 10ªRT.” – contou Laura. Eco – Como foi a preparação para a Ciranda de Prendas 2014? Contei com a ajuda de verdadeiros anjos da guarda, mas sempre tive para mim que não me valia um título estadual se não tivesse sido uma boa prenda regional. E foi pensando assim que ao realizar cada projeto orientado pela Vice-Presidência da Cultura do MTG, eu fazia muito além do que era solicitado, bem como sempre me preocupei com atender as bases e auxiliar outras prendas e peões que tivessem o mesmo sonho que eu. Muitas pessoas me ajudaram, a elas devo este título, e só tenho a agradecer a cada uma, e, em especial, minha mãezinha, Dona Isoldinha, que mesmo distante mais de 500 km, esteve presente na decisão de todos os detalhes. A 30ª Região Tradicionalista e a Sociedade Gaúcha de Lomba Grande também foram fundamentais nesta preparação e investiram muito para que tudo saísse a contento. Claro que aliado a todos estes pontos dediquei meus dias para horas de leitura, prática de exercícios e muitos ensaios. Eco – O que o concurso contribuiu para o teu desenvolvimento pessoal? O concurso me confirmou aquilo que minha mãe sempre me ensinou: quando se tem um objetivo, uma meta traçada, nada nem ninguém conseguem nos impedir. Depende de nós mesmos alcançar os nossos sonhos. Não basta querer, é necessário batalhar para que as conquistas venham. Como disse em inúmeras manifestações anteriormente feitas: “não adianta ter fé e não fazer ou ainda fazer sem fé, é um conjunto de coisas e o artista somos nós mesmos”. Portanto, a Ciranda de Prendas foi fundamental ao me mostrar que tudo é possível para os que têm coragem de lutar pelos nossos sonhos e um desejo enorme de alcançá-los. Eco – Quais teus projetos para a gestão? Além de atender as determinações da Diretoria do MTG, cumprindo com minhas obrigações de prenda do RS, quero continuar meu trabalho nas bases auxiliando entidades tradicionalistas a fortalecerem seus Departamentos Culturais, integrando mais jovens a esta bela sociedade organizada que representamos, bem como unificando ainda mais as invernadas artísticas, campeiras e esportes, mostrando a elas que o Departamento Cultural é fundamental na preservação do legado de nossos antepassados. Eco – comida: não tenho preferências, por sinal, “sou boa de garfo” Eco – hobby: não vou negar, adoro dormir. Eco – Livro: os mais variados, especialmente espíritas e os romances históricos. Eco – Filme: todos ligados a 2ª Guerra Mundial, mas não dispenso uma boa comédia. TEMA QUINQUENAL: O MTG ENGAJADO NA CAMPANHA DE COMBATE À CORRUPÇÃO - “LAÇANDO A CORRUPÇÃO”

[close]

p. 15

Ano XII - Edição 155 Julho de 2014 15

[close]

Comments

no comments yet