Informativo CNG 10

 

Embed or link this publication

Description

Informativo CNG 10

Popular Pages


p. 1

Filiado à: CEA #SINASEFEemGREVE há 40 dias! | Nº 10 | 30 de maio de 2014 É hora de intensificar a greve e fortalecer a luta! Por causa da intransigência do governo em negociar, nossa greve já está em sua sexta semana. São 40 dias de muita luta, união, debates políticos e retroalimentação do movimento com todos os companheiros em defesa de nossos direitos. Defendemos que os trabalhadores da Educação Federal devem seguir firmes na defesa de nosso objetivo: ter nossa pauta atendida. Esta semana se iniciou com boas notícias: novas adesões e novos aliados que irão fortalecer o movimento, além de unificar essa luta que é de todos nós. Estivemos reunidos com Fasubra e AndesSN, na segunda (26), trocando informações, buscando esforços coletivos e construindo novos horizontes para esse movimento que se fortalece dia a dia. Os companheiros do Andes-SN, inclusive, estiveram reunidos no último final de semana (24 e 25 de maio) em uma reunião do Setor das Ifes, com aproximadamente 80% de suas bases, onde aprovaram o indicativo de greve dos docentes das Universidades Federais. A estratégia agora passa por dialogar com suas bases entre os dias 2 e 6 de junho, quando decidirão a data para deflagração de greve em nova reunião, a se realizar no dia 7. É um bom momento para recebermos os lutadores das Universidades Federais que fortalecerão esse movimento paredista em busca de melhor qualidade na Educação pública. A Fasubra, em greve desde 17 de março, continuará no movimento paredista por entender, assim como nós, que sem luta nada se conquista. Por isso devemos fortalecer a unidade, as estratégias de mobilização e a articulação em atos unificados. Vamos aproveitar todos os momentos comuns para fortalecermos as ações de radicalização, além de dar volume ao movimento, e com isso chamar ainda mais a atenção do governo, que se fecha à negociação e insiste em dizer NÃO à Educação e à Saúde públicas. Na terça-feira, dia 27, o CNG apoiou o Movimento contra a criminalização da luta popular, participando de ato público realizado em Goiânia-GO, no qual foram denunciadas as arbitrariedades do governo e do Estado em querer transformar as lutas por reivindicações populares em delitos, como a prisão de três estudantes, pelo fato destes terem participado de manifestações (confira a moção aprovada em n o s s a 1 2 2 ª P L E N A : www.goo.gl/Hxqb3s). O grito dos mais de 2 mil manifestantes na capital goiana era de não parar enquanto os direitos dos trabalhadores não fossem respeitados, atendidos e cumpridos pelo Estado. É inadmissível que o governo continue drenando recursos públicos para a realização de megaeventos esportivos, em detrimento dos direitos da população e das justas reivindicações dos trabalhadores da Educação Federal. Não podemos aceitar a continuidade da corrupção, como ficou evidente nas artimanhas expostas através da recente declaração da diretora do Comitê Organizador Local da Copa do Mundo (COL), Joana Havelange, onde afirmou que “o que tinha que ser roubado já foi”. Chega do abuso com a coisa pública e do favorecimento aos homens de colarinho branco. Exigimos o fim da intransigência do governo e o respeito à população e aos trabalhadores da Educação deste país, bem como a imediata abertura de negociação com a categoria.

[close]

p. 2

2 SINDICATO NACIONAL DOS SERVIDORES FEDERAIS DA EDUCAÇÃO BÁSICA, PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA informes defende e debate democraticamente os verdadeiros interesses dos trabalhadores da Educação. Negociação para quem? É relevante analisar, ainda, o questionamento dos trabalhadores sobre possíveis negociações que estejam ocorrendo com aquela “entidade”. Precisamos expor a tática nefasta do governo de acenar com propostas apenas para seus escolhidos: qualquer coisa que ofereçam será aceita pelos pelegos, sem levantar quaisquer debates com o conjunto da categoria, como já aconteceu em 2012. Isso facilita a vida dos governantes. O governo assume que fez uma aposta: negociou (de maneira questionável e imoral) com um conjunto de pessoas que não possuem amparo legal para tal processo, e, descaradamente, legitimou isso no Congresso Nacional. Próximos passos Seguimos defendendo a necessidade de negociação e atendimento das reivindicações dos trabalhadores da Educação Federal com as entidades legítimas para tal processo (SINASEFE e Andes-SN, no caso dos docentes; SINASEFE e Fasubra, no caso dos técnico-administrativos). Vamos denunciar amplamente a postura nefasta e desrespeitosa do governo: nas redes sociais, em nossos locais de trabalho, atividades de greve e nas ruas de todo o país, onde quer que haja um trabalhador e uma trabalhadora da Educação Federal. Os trabalhadores das bases do Andes-SN, da Fasubra e do SINASEFE exigem respeito e reivindicam a imediata abertura de uma negociação efetiva do governo com as entidades classistas dos servidores da Educação Federal. Basta de ataques ao movimento sindical e de desrespeito com aqueles e aquelas que constroem a educação e a vida intelectual deste país! SINASEFE Denúncia: Proifes não fala em nosso nome! Chegando ao 40º dia do nosso movimento paredista, que se alonga exclusivamente por causa da intransigência do governo, trazemos aos trabalhadores da Educação Federal uma séria denúncia. Não se trata exatamente de uma novidade, mas uma denúncia necessária quando nos deparamos com a recorrente postura do governo de negociar com uma pseudo entidade sindical, que não representa, nem de longe, os interesses de nossa categoria. Repudiamos essa repetida ação, tanto do MEC quanto do MPOG, que negligenciam as decisões judiciais que já deixaram bastante claras a não representatividade do Proifes (leia aqui: www.goo.gl/2pRNjD), tanto no segmento dos docentes do EBTT, quanto no MS (confira: www.goo.gl/YyKHCg). O governo está pisoteando a história de lutas do movimento sindical brasileiro, onde tantos companheiros foram perseguidos e mortos, e onde se Confira os informes do CNG expediente Na Cola de Dilma Após o desrespeito do MPOG, que nos recebeu no dia 20 com ironias e negativas, a ordem agora é fortalecer a nossa greve e radicalizar as ações. Como já fizemos no dia 23, quando calamos Dilma na Arena da Participação Social, vamos continuar “em perseguição” à Presidenta. Se naquele dia ela prometeu negociar, agora queremos que ela cumpra! Apoio Os participantes do 5º Simpósio Internacional Trabalho, Relações de Trabalho e Identidade, realizado em Belo Horizonte-MG no início desta semana, aprovaram uma moção de apoio à nossa e outras greves de trabalhadores em andamento no país. Confira o documento em nosso site: www.goo.gl/1e7d0A. Pedido de audiência Após marcha na Esplanada dos Ministérios, Fórum de Entidades Nacionais dos SPF protocolou pedido de audiência com a Presidenta Dilma na tarde de ontem (29). Comando Nacional de Greve do SINASEFE esteve presente no ato. Confira o pedido que foi protocolado: www.goo.gl/uWLGmj. Dia Nacional de Luta Pela Educação Na próxima terça-feira (dia 3), SINASEFE, Seções Sindicais e CNG estarão realizando o Dia Nacional de Luta Pela Educação, que terá atividades em todo o país, com o objetivo de mobilizar nossas bases e dar visibilidade à nossa greve. 123ª PLENA do SINASEFE O terceiro fórum de nossa greve será realizado nos dias 14 e 15/06, em Brasília-DF. Caso haja alguma excepcionalidade, o mesmo pode ser antecipado. Confira em nosso site um resumo e os encaminhamentos aprovados na 122ª PLENA: www.goo.gl/sXRdwC. Esta é uma publicação do SINASEFE NACIONAL Comando de Greve Ângelo Carvalho (SS IFPA-ETRB), Camila Ferreira (SS IFSP), Clério Guaitolini (SS Ifes), Everaldo Araújo (SS Rio Branco-AC), Franco Dariz (SS Pelotas-RS), Leida Alves (SS Jataí-GO), Raimundo Conceição (SS IFSE), Renato Tadeu (Assines-RJ), Roberta Lima (Sintef-PB) e Silvana Pineda (Aprofcmpa). Jornalistas Mário Júnior | MTE-AL 1374 Monalisa Resende | MTE-DF 8938 Contatos (61) 3879-7558 cngsinasefe2014@hotmail.com imprensa@sinasefe.org.br

[close]

p. 3



[close]

Comments

no comments yet