Jornal Sinpol Maio

 

Embed or link this publication

Description

Jornal Simpol Maio 2014

Popular Pages


p. 1

Informativo Oficial do Sindicato dos Policiais Civis - Ano XX - Maio de 2.014 - nº 210 SINPOL COBRA REESTRUTURAÇÃO TABATINGA: Cansado de esperar o tão prometido projeto de Reestruturação da Polícia Civil ser apresentado às entidades representativas e enviado ao governador para encaminhar à votação na ALESP, o presidente do Sinpol, Eumauri Lúcio da Mata, pede o recrudescimento nas negociações com DGP e demais integrantes do governo. Leia na página 5. EQUIPE EFICIENTE Foto: Assessoria de Comunicação da Delegacia Seccional de Bebedouro DIG PRENDE LADRÃO DE TERNO Fazendo um trabalho complexo e atuando em diversas frentes, equipe da especializada tem realizado um grande número de esclarecimentos, dentre os quais o de um homem que, vestido de terno, vinha praticando assaltos em farmácias de Ribeirão Preto. Saiba mais na página 2. Foto: Raphael Abbate Em visita à cidade, presidente do Sinpol reuniu-se com o delegado titular, dr. Roberto Carlos de Santi, que fez questão de mostrar a rotina de trabalho feita de forma eficiente por sua equipe. Veja na página 9.  DISE de Ribeirão Preto mantém alto índice de produtividade no combate ao narcotráfico;  Escrivães reúnem-se no Sinpol e discutem problemas da carreira;  Seccional de Sertãozinho leva nome do dr. Edgardo Kroll Filho desde 2008;  Policiais civis de Bebedouro desmontam organização criminosa. E MAIS: Impresso Especial 9912250402 - DR/SPI Sinpol CORREIOS SINPOL - Sindicato dos Policiais Civis da Região de Ribeirão Preto Rua Goiás, 1.697 - Campos Elíseos - Ribeirão Preto - SP CEP: 14085-460 - Fone: (16) 3612-9008 Fone Jornal: (16) 3610-2886 - jornaldosinpol@uol.com.br DGP APRESENTA PROJETO DE REESTRUTURAÇÃO A EUMAURI Maio/2014 Em cima da hora - página 5

[close]

p. 2

A ÇÃO Especializada faz esforço concentrado para combater crimes contra o patrimônio e roubos em caixas eletrônicos sem descuidar de outros tipos de delitos A DIG (Delegacia de Investigações Gerais) de Ribeirão Preto tem obtido destaque no noticiário por conta do crescente índice de esclarecimento dos casos. A pedido do titular da especializada, dr. Ricardo Turra, os policiais civis têm realizado um esforço concentrado para combater os crimes contra o patrimônio e os ataques a caixas eletrônicos. “São modalidades de crimes que têm preocupado bastante por conta dos altos índices que vinham apresentando. Fizemos um esforço concentrado e realizamos diversas prisões. Já observamos que houve uma queda significativa nesses indicadores e as investigações prosseguem. Isso, todavia, não prejudica os demais casos. Fizemos o esforço concentrado nessas modalidades criminosas, mas continuamos o trabalho intenso em outros tipos de delitos”, explica o delegado. Em 2014, Ribeirão Preto registrou três latrocínios - roubo seguido de morte. Em todos os três, os autores foram identificados. No primeiro, registrado em fevereiro, um pintor foi morto durante assalto em sua residência. A DIG identificou os autores e apreendeu um menor, que participou do assalto. Os outros dois estão com prisão decretada. No caso do mototaxista morto em um motel, em março, a DIG identificou seis pessoas e prendeu todas elas. Em outro latrocínio, um empresário foi assassinado quando entrava em seu carro no Alto da Boa Vista, em Ribeirão Preto, quando foi morto durante assalto. Um menor foi apreendido dias depois e, em 28 de abril, o maior de idade que participou do latrocínio do empresário. Ladrão do terno No dia 08 de abril a equipe da DIG prendeu um suspeito que vinha atemorizando estabelecimentos farmacêuticos, mas causando curiosidade popular. Em todos os casos a forma do assalto era a mesma: um homem bem vestido, de terno e gravata, entrava nas farmácias para roubar remédios para infecção urinária, além de diversos produtos de higiene e também o dinheiro do caixa. “Por baixo do terno ele escondia uma máquina de choque semelhante a uma pistola. Depois de pegar o que queria, exibia a arma, anunciava o assalto e levara o dinheiro e os produtos”, explicou o dr. Turra. Após as investigações, a equipe da DIG chegou até R.R.S., de 29 anos, morador de Jardinópolis. O homem tinha em seu guarda-roupas três calças sociais e três paletós, um dos quais risca de giz. O homem fazia bicos como segurança. Ele foi reconhecido através de imagens e não ofereceu resistência durante a prisão. Teve a prisão temporária decretada e segue preso no CDP (Centro de Detenção Provisória) de Ribeirão Preto. R$ 61 mil No dia 17, a equipe da DIG prendeu em flagrante, por receptação, um homem que utilizava um veículo clonado. E.F.S., de 46 anos, estava em casa, em Jardinópolis, quando os investigadores da DIG chegaram. O homem é procurado há mais de um ano, mas não por receptação. Ele teria praticado um golpe em um hipermercado de Ribeirão Preto há pouco mais de um ano. Ele combinou com um comerciante que iria passar-lhe um bônus de compra e, no dia do encontro, ameaçou a vítima e levou o dinheiro, R$ 61 mil. Como agiu com violência, segundo o dr. Turra, vai responder por roubo, não por estelionato. Os policiais civis chegaram até ele por conta de uma multa aplicada em um veículo clonado. Na ocasião, ele apresentou seu documento aos policiais rodoviários. Velozes e atrás das grades Também no dia 17, policiais da especializada desmantelaram uma quadrilha que receptava motocicletas roubadas em Ribeirão Preto. Os três foram flagrados em uma casa utilizada como desmanche, no Parque dos Pinus, zona norte da cidade. No local havia três motos de alta potência, além de um simulacro de arma de fogo. A.N. de 32 anos, R.N.S. de 23 anos e L.I.R. de 19 anos foram presos. Uma adolescente de 17 anos foi apreendida. A ação foi coordenada pelo dr. Eduardo Rodrigues Martinez e foi deflagrada após investigações que demandaram um mês de trabalho. Os três adultos foram presos. Os dois homens seguiram para o CDP de Ribeirão Preto e a mulher para a Cadeia Pública de Cajuru. A adolescente foi encaminhada aos órgãos competentes e depois liberada. “Pelo volume de trabalho, talvez nosso efetivo esteja abaixo do necessário, mas o resultado tem sido satisfatório por conta da experiência desse grupo. São policiais civis mais experientes, alguns com mais de 15 anos de trabalho. O empenho é total. Uma equipe excelente. No meu caso, que já conhecia a base da DIG, também facilitou o trabalho. Aqui trabalhamos com critérios para a solução dos casos. São investigações feitas com base em inteligência policial e os resultados indicam que estamos no caminho certo”, conclui dr. Turra. Além do titular a DIG contra com outros três delegados: dr. Luciano Henrique Cintra, dr. Alexandre Dahur Filho, dr. Eduardo Rodrigues Martinez e um time respeitado de investigadores, escrivães, agentes e carcereiros. DIG: “CLÍNICA GERAL” Policiais civis da DIG, comandados pelo dr. Turra (2º à partir da direita), esclareceram diversos casos e mantiveram resultados satisfatórios 02 Maio/2014

[close]

p. 3

MOBILIZAÇÃO Diretoria convocou policiais civis da carreira para tratar de baixo efetivo e excesso de trabalho que pode acarretar penalidades administrativas A diretoria do Sinpol promoveu, no dia 28 de abril, uma reunião com escrivães de Polícia de Ribeirão Preto e de toda a região do Deinter3 (Diretoria de Polícia Judiciária do Interior), com sede em Ribeirão Preto e que responde por 93 municípios na área. O objetivo do encontro foi debater as dificuldades enfrentadas nos Cartórios das delegacias de polícia. O encontro ocorreu na sede social do Sinpol. Segundo o presidente do Sinpol, Eumauri Lúcio da Mata, a reunião foi agendada após o sindicato ouvir diversas queixas dos profissionais da carreira. “Temos recebido muitas reclamações dos colegas escrivães, expondo a terrível situação em que se encontram, dado ao excesso de serviço e temerosos que possam vir a sofrer alguma penalidade administrativa”, explicou Eumauri. De acordo com o Sinpol, os escrivães enfrentam em seus cartórios um número excessivo de Inquéritos. Somando-se a isso, há também os TCs (Termos Circunstanciados), pautas de oitivas e plantões que os profissionais são obrigados a encarar. “Isso tem causado aos escrivães muito desgaste físico e mental”, acrescentou Eumauri. Vários escrivães estiveram presentes à sede do Sinpol, porém Eumauri ressaltou que o número de presentes poderia ser ainda maior. De qualquer forma, assim que a reunião foi iniciada, ele afirmou que o sindicato tem por obrigação defender seus associados, mas é preciso que os escrivães autorizem o Sinpol a interferir. “Nossa intenção é cobrar o governador do Estado, o secretário da Segurança Pública, comunicar o que vem ocorrendo à Justiça, à Corregedoria e à administração local, para que entendam as penúrias que nossos colegas estão passando, e para que todos saibam que os escrivães estão fazendo o melhor possível”, discursou Eumauri. Em seguida, houve a apresentação efetiva dos problemas que a categoria vem enfrentando. Eumauri também expôs o que tem ouvido durante suas frequentes visitas aos DPs (Distritos Policiais) e DMs (Delegacias dos Municípios), em todas as cidades que vem percorrendo através de suas visitas sindicais realizadas todas as semanas. “Sempre temos visitado várias cidades da região, encontrando os colegas, passando as novidades, posicionando sobre nossas lutas mas, sobretudo, ouvindo seus anseios, seus clamores, suas necessidades profissionais. E é impressionante como o problema é generalizado. Os escrivães estão sendo penalizados pela falta de efetivo e pelo excesso de trabalho em todos os locais. Eles também contam que alguns delegados deixam os inquéritos totalmente a cargo dos Escrivães. Isso também aumenta a sobrecarga dos colegas”, avalia Eumauri. Entre as soluções emergenciais determinadas durante a reunião, algumas já começarão a ser encaminhadas pelo Sinpol às autoridades o mais rápido possível. Uma delas é fazer um trabalho de conscientização junto ao Ministério Público e aos juízes da Comarca para que seja concedida dilação de prazo nos inquéritos policiais por mais de 30 dias. “Sabemos que muitos colegas não querem se expor e não é interesse do Sinpol expor ninguém. Ressaltamos que o problema é generalizado. Os escrivães estão tendo problemas em todas as unidades policiais onde atuam. Não há casos isolados. É uma questão de efetivo, sobretudo”, acrescentou Eumauri. O presidente do Sinpol alertou a todos os escrivães que sempre verifiquem os prazos, principalmente quando os inquéritos retornarem com a necessidade de complementação. Ele também pediu aos presentes e vai solicitar a todos os escrivães associados que encaminhem sugestões ao Sinpol para que possa ser desencadeada uma luta para aliviar a carga de trabalho da categoria. Ao encontro realizado no Sinpol também compareceu o presidente do Sipocirb (Sindicato dos Policiais Civis da Região de Barretos), André Carnaz. Após o encontro, Eumauri informou que o Sinpol vai enviar ofícios para a Procuradoria, Corregedoria e Fórum, para dar ciência da situação dos escrivães. O Sinpol soube, informalmente, que alguns escrivães estão certificando no Inquérito Policial que, por absoluta falta de condições, não tiveram como dar andamento no feito quando do pedido de dilação de prazo. Aos escrivães presentes foi esclarecido que a justificativa para dilação de prazo é do delegado de Polícia, não cabendo a eles qualquer justificativa através de certidões, mas sim apenas certificar o cumprimento total ou parcial do despacho do delegado. Aí sim, justificar o excesso de serviço à autoridade policial, no caso do não cumprimento total do despacho. Porém, independente de medidas emergenciais para minorar o problema enfrentado pelos escrivães, caso medidas efetivas não sejam tomada, o paliativo acabará não resolvendo nada. “Todos nós sabemos que o grande problema enfrentado pelos escrivães é em relação ao efetivo. Não adianta o governador anunciar posse de 200 ou 300 escrivães. Se isso for diluído, dá menos que meio escrivão para cada cidade. O problema é profundo. Estamos com uma Polícia Civil esvaziada em efetivo. Há muito tempo o Sinpol tem denunciado essa situação. Queremos a contratação emergencial dos aprovados em concursos já realizados e a realização de concursos para suprir as reais necessidades. Necessitamos, somente na região do Deinter-3, de muitos escrivães, investigadores, delegados, agentes e profissionais de todas as carreiras. Quando isso ocorrer, o problema será resolvido”, dispara Eumauri. O Sinpol realizará novas reuniões com os escrivães, para continuar ajudando naquilo que for possível. SINPOL REÚNE-SE COM ESCRIVÃES Eumauri falou aos presentes que é preciso haver união e participação entre os escrivães e garantiu que o Sinpol continuará ao lado da categoria FAZENDA SANT’ANA São Joaquim da Barra - SP Pabx: (16) 3810-1000 Fax: 3810-1044 Maio/2014 03

[close]

p. 4

EDITORIAL A luta do Sinpol é por uma Polícia Civil melhor para todos. Os policiais civis anseiam por uma Polícia Civil melhor para todos. A população clama por uma Polícia Civil melhor para todos. O governador diz que oferece uma Polícia Civil melhor para todos. Mas o que está errado entre a luta, o anseio e o clamor com o que de fato existe, apesar da falácia do governador? Simples: a Polícia Civil está aquém de seu brilho, do que pode oferecer para a população e para seus servidores. Isso é fruto de sucessivas gestões de governadores, principalmente a partir de 1994, quando Mário Covas venceu nas urnas e levou seu partido, o PSDB, a ocupar a mais cobiçada cadeira do Estado de São Paulo, no Palácio dos Bandeirantes. Desde então, houve um tremendo descaso para com os policiais civis. Começando por Covas, passando por Alckmin, Serra, Cláudio Lembo e Alberto Goldman - esses dois últimos, ocupando mandatos tampões por conta da campanha por reeleição de seus pares. A princípio, os grandes problemas enfrentados eram os salários - que começaram a despencar - e materiais. Na década de 1990, havia problemas crônicos como, por exemplo, falta de papel sulfite para inquéritos, falta de combustíveis para viaturas, falta de armamentos para os policiais civis. É bem verdade que muita coisa mudou e, felizmente, essa situação não mais é enfrentada, em muitos casos. Mas os problemas mudaram. Hoje NÃO vemos em todo o estado instalações precárias. Raras são as delegacias do interior devidamente aparelhadas para a atividade fim da Polícia Civil, que é a Polícia Judiciária. Em nossa última edição, por exemplo, mostramos algumas unidades, como a Delegacia de Polícia de Guatapará, que tinha paredes escoradas por madeira para evitar problemas maiores causados pela rachadura do prédio. Ou a Delegacia de Polícia de Santa Cruz da Esperança, que funciona precariamente num espaço mínimo de uma casa sem condições de abrigar uma delegacia. Mas a questão é ainda mais preocupante. Se perguntarmos para o policial civil qual o principal problema da categoria, ele será enfático. Tempos atrás ele diria que é o salário. Essa é ainda uma questão problemática, que aflige a categoria. Porém hoje o maior problema é mesmo o efetivo. Apesar de descontente com o salário, o que mais atormenta o policial civil é a falta de policiais civis. A questão é crônica. Estimamos que, em todo o Estado, faltem pelo menos 12 mil policiais civis. Já ouvi da boca do próprio secretário da Segurança Pública que faltavam pelo menos seis mil. Isso a algum tempo, de lá pra cá a situação piorou e o esvaziamento aumentou. A SSP (Secretaria da Segurança Pública) esconde os números necessários para cada unidade policial, mas o Sinpol tem uma estimativa baseado no volume de trabalho das unidades e no que HÁ SEGREDO EXPEDIENTE O Jornal do Sinpol é uma publicação oficial, de circulação mensal, do Sindicato dos Policiais Civis da Região de Ribeirão Preto. Rua Goiás, 1697 - Campos Elíseos CEP: 14085-460 - Ribeirão Preto - SP e-mail: sinpolrp@sinpolrp.com.br Diretoria: Presidente: Eumauri Lúcio da Mata Vice-Presidência: Célio Antonio Santiago, Darci Gonzales, João Gonçalo Palaretti, Dorlei Morales, Luís Henrique Maringolli de Lima e José Gonçalves Neto; Suplentes: Adilson Massei, Sérgio Ribeiro dos Santos, Luiz Henrique Batista, Carlos Henrique Carneiro Scarparo, Targino Donizete Osório, Adhemar Pereira da Costa e Cláudio Expedito Martins; Secretários: Fátima Aparecida Silva e Doracy Alves da Silva; Suplentes: José Álvaro Ament Júnior e Luís Henrique Zanoello. Diretores Financeiros: Júlio Cesar Machado e Carlos Henrique Pischiotini; Suplentes: José Angelo Marques e Josiane Kátia P. do Nascimento. Patrimônio: Arnaldo Vaz Ferreira; Suplente: Olavo Elias dos Santos. Conselho Fiscal: Prisclia Yoshi S. Hashimoto, Clévis Samuel Lors de Faria e Diva Rodrigues dos Santos; Suplentes: Robert Schmengler Guilhaume, Marisa Lelis Takata e Jefferson Pessoti; Delegados Sindicais: Antonio Carlos Schivo e Josiane K. P. de Souza; Suplentes: Décio Kury Marques e Hélio Augusto da Silva. O JORNAL DO SINPOL É UMA PUBLICAÇÃO EXCLUSIVA DO LABORATÓRIO DE NOTÍCIAS R. Paschoal Bardaro, 633-A - Jd. Irajá Ribeirão Preto - SP Fone/fax: (16) 3610-2886 DIRETOR DE JORNALISMO: Adalberto Luque - MTb 19.218 EDITOR CHEFE: Júlio Castro O Jornal do Sinpol não se responsabiliza por especificações ou informações que não estejam previstas no contrato de publicidade AS COBRANÇAS SERÃO FEITAS EXCLUSIVAMENTE POR: Sub Ten Res PM Oswaldo Bonfim Martha J. Araújo Luque DEPARTAMENTO COMERCIAL: CONTATOS EXCLUSIVOS DEVIDAMENTE AUTORIZADOS: Fernando Mendonça Vanderlei Garcia da Costa Antonio Pereira Alvin Marcos Antonio Fernandes Israel Leal de Souza EDITORAÇÃO ELETRÔNICA: Laboratório de Notícias Fone: (16) 3610-2886 e-mail: jornaldosinpol@uol.com.br Os artigos assinados não refletem, necessariamente, o conceito do jornal e são de inteira responsabilidade de seus autores. era a estrutura da Polícia Civil décadas atrás. E estou citando somente a cidade de Ribeirão Preto, não é em termos de Seccional, muito menos de Deinter (Departamento de Polícia Judiciária do Interior). Apenas para Ribeirão Preto, ficando em somente duas carreiras, faltam no mínimo 200 escrivães e 400 investigadores. É bom endossar que isso seria o mínimo necessário. Portanto se o governador quiser atender aos anseios da população e demonstrar respeito para com os policiais civis, que estão sobrecarregados em suas unidades de trabalho, que contrate de verdade. Não só escrivão, investigador ou delegado, mas de todas as 14 carreiras. As carências são generalizadas. Que num primeiro momento, convoque todos os que foram aprovados em concurso público e não foram chamados, para assumir seus cargos. Que imprima agilidade aos concursos. Que crie instrumentos dignos para que a Instituição volte a funcionar com o brilho que conquistou em sua riquíssima história. Sem falácia, governador Geraldo Alckmin. E pagando, claro, salários dignos. Só assim será possível manter o alto nível da Polícia Civil, com servidores interessados, dedicados, capacitados e bem remunerados. Não há segredo, senhor governador. Basta contratar de verdade. EUMAURI LÚCIO DA MATA Presidente do Sinpol (Sindicato dos Policiais Civis da Região de Ribeirão Preto) Falecimentos A diretoria do Sinpol comunica, com pesar, os seguintes falecimentos: + Roberto Bolzoni, policial militar, sogro do investigador Wesley Osvaldo Prudente, ocorrido no dia 06 de maio; + Dosolina Passarelli Minto, mãe da escrivã Sônia Maria Aparecida Minto, ocorrido no dia 09 de maio; + José Gonçalves Filho, pai do delegado e diretor do Sinpol dr. José Gonçalves Neto e do investigador Jefferson Gonçalves, ocorrido no dia 13 de maio. O Sinpol manifesta seus sentimentos aos familiares. Notas Cantina sob nova direção A Cantina da Chácara do Sinpol está sob nova direção. Desde o dia 21 de março estão no comando do estabelecimento Paulo e Cristina. Aos sábados e domingos estão sendo servidos pratos feitos. Maiores informações e reservas nos telefones (16) 993986912, com Paulo ou (016) 99398-8820 com Cristina. Atualização de dados Sinpol Para atualização de dados e de situação profissional, principalmente dos recémaposentados, o Sinpol está promovendo um recadastramento de todos os associados. Participe da atualização e garanta o recebimento de toda correspondência que enviamos, procurando a Secretaria do Sinpol, ou enviando e-mail para secretaria@sinpolrp.com.br. Atenção policial civil A diretoria do Sinpol alerta a todos os policiais civis associados que, se receberem intimação para comparecer à Corregedoria ou a qualquer outro órgão, para depoimento, busquem antes orientação no Departamento Jurídico do sindicato. É direito constitucional que em todo e qualquer depoimento, o depoente esteja assistido por um advogado. Pensionistas O Sinpol solicita às pensionistas que verifiquem seus holerites, pois há informações de que a SPPrev não tem efetuado corretamente os pagamentos no que diz respeito aos 7% de reajuste. Algumas pensionistas não têm direito ao aumento, porém a SPPrev tem cometido erros. Qualquer dúvida, entrar em contato com a Central de Atendimento do Sinpol, pelo telefone (16) 3612-9008, falar com Fátima, para esclarecer a situação. Para quem pretende se aposentar A diretoria do Sinpol alerta os associados que pretendem se aposentar pela Lei Complementar 1062/2008, que perdas podem ocorrer e solicita aos interessados que entrem em contato com seus diretores para saber quais serão suas perdas imediatas. Maiores informações na sede social do sindicato, à Rua Goiás, 1697 ou através da Central de Atendimento Sinpol, pelos fones (16) 3625-3890, 3612-9008 e 3979-2627. Atenção O Sinpol comunica aos associados que está entrando com as ações referentes à incorporação do ALE (Adicional de Local de Exercício) e do GAP (Gratificação de Atividade Policial), Sexta Parte, Quinquenal (recálculo) e URV (Unidade Real de Valor). Quem tiver interesse, favor entrar em contato com a Central de Atendimento Sinpol, pelos fones (16) 3625-3890, 3612-9008 e 3979-2627 para obter maiores informações. O Sinpol deixa claro que não haverá problema algum de entrar com esta ação, pois a que foi ingressada em relação ao ALE foi um Mandado de Segurança. Novos Associados Associaram-se ao Sinpol em abril os seguintes policiais civis: - Benedito Donizetti Villas Boas, carcereiro; - João Batista de Oliveira, carcereiro; - Alexandro Leandro de Oliveira, investigador; - Luiz Antonio Giora, investigador; - Nelson Valentim de Moraes, escrivão; - Ocimara Aparecida Paiola, escrivã; - Roberto Rodrigues Costa, investigador. A diretoria do Sinpol dá boas vindas aos novos associados e está à disposição de todos os policiais civis que quiserem integrar o quadro associativo do sindicato. Dia das Mães na Chácara do Sinpol A diretoria do Sinpol está preparando um domingo especial para celebrar o Dia das Mães. O evento será realizado na Chácara do Sinpol, no dia 18 de maio, a partir das 11h00. A Cantina do clube, que está sob nova direção, servirá uma deliciosa feijoada a R$ 15,00 por prato. O evento será animado com a banda Carlos Henrique e Daniel e haverá sorteio de brindes para as mães presentes. Convites podem ser retirados na Sede Social do Sinpol, à Rua Goiás, 1697, com Rosana ou Anissa. Maiores informações na Central de Atendimento ao Associado, pelos fones (16) 3612-9008 / 3625-3890 / 3979-2627, ou ainda com o Paulo da Cantina pelo celular (16) 99398-6912. 04 Maio/2014

[close]

p. 5

SINDICALISMO Demora da DGP para definir Reestruturação e falta de perspectivas de aumento salarial com descumprimento da Data Base preocupam Sindicato O presidente do Sinpol, Eumauri Lúcio da Mata, está pregando o recrudescimento nas negociações com a cúpula da Polícia Civil e com o governo do Estado de São Paulo em relação às questões da Reestruturação das carreiras da Polícia Civil e ao reajuste salarial da categoria quando, mais uma vez, a Data Base, que é março, foi descumprida e solenemente ignorada por Alckmin e sua equipe. De acordo com Eumauri, existem comentários nos bastidores de que o governador pretende sim dar algum reajuste, não somente para os policiais civis, mas para todos os servidores públicos estaduais. “Por se tratar de ano eleitoral, é bem possível que ele tome algum ato concreto. Mas também pode tentar ‘cozinhar’ o funcionalismo público, portanto, todo cuidado é pouco. Há muito comentário mas queremos cobrar alguma coisa prática, sólida”, avisa Eumauri. O presidente do Sinpol tem reclamado da demora nas negociações e pediu ao presidente da Feipol Sudeste (Federação Interestadual dos Trabalhadores Policiais Civis da Região Sudeste), Aparecido Lima de Carvalho, o Kiko, e aos demais integrantes das conversas, que sejam intensificados os contatos e as cobranças na negociação de 2014. “Neste ano, teremos muita dificuldade. É futebol, eleição, tudo ao mesmo tempo e o País para. Mas temos que intensificar a cobrança, principalmente agora, porque depois ficará muito em cima para qualquer mudança”, defende o presidente do Sinpol. Reestruturação Para Eumauri, o principal ponto a ser debatido é justamente a questão da Reestruturação. Antiga bandeira da categoria, o projeto está, durante pelo menos duas décadas, engavetado. Ora vem à tona pelas mãos de algum delegado Geral ou secretário da Segurança Pública, ora segue sendo debatido ou, simplesmente, encostado e esquecido. Em outubro, após conversa prévia com o delegado Geral de Polícia, dr. Luiz Maurício Souza Blazeck, decidiu convidar alguns policiais civis da ativa para acompanhá-lo e para que pudessem sensibilizar o titular da DGP com a situação de suas carreiras. “Levei quatro carcereiros e um agente policial para o encontro. Lá eles puderam se manifestar e falar a respeito da situação em que se encontram suas carreiras. Mas a visita foi ainda mais importante porque eles testemunharam o que o dr. Blazeck me garantiu a respeito da Reestruturação”, lembra Eumauri. Participaram da reunião os carcereiros Juliano Ferreira da Silva, Valter M. Braga Júnior, Evaldo Armando Antonialli, Francisco José Coelho e o agente Cláudio Edílio P. da Silva. Na ocasião, o titular da DGP garantiu que as carreiras da Instituição terão exigência de, no mínimo, nível médio. Também garantiu que seria eliminada a exigência de, no mínimo, cinco anos de permanência na classe, quando da aposentadoria para todas as carreiras. Também pretendia facilitar promoções para todas as carreiras, desvincular totalmente da Lei 731/93 e aumentar a diferença salarial entre as classes. Ele também teria garantido que a proposta estaria na mesa do governador até 10 de dezembro para, em junho, ser votada na ALESP (Assembleia Legislativa do Estado de São Paulo). “Nada disso aconteceu até agora. O dr. Blazeck parece estar evitando encontros com os representantes dos policiais civis e pouco evoluímos nesta questão. Precisamos acirrar esse processo, cobrar mais da DGP e do governo, além de buscar apoio de deputados”, enfatiza Eumauri. “Basicamente é a Polícia Civil ficar em três patamares: Carreira Jurídica, Nível Universitário e Ensino Médio. Diminuir o tempo para promoção. Os policiais civis de todas as carreiras passariam a receber em regime de subsídio, ou seja, um salário único sem ‘perfumaria’. Neste caso, o policial da ativa receberia o mesmo que o inativo e também contemplaria os delegados de polícia aposentados e pensionistas que não recebem como Carreira Jurídica. Outro ponto importante proposto e que vamos cobrar é o fim da exigência de cinco anos na classe para efeitos de aposentadoria”, adiantou Eumauri. Quanto aos salários, o presidente do Sinpol acredita que, se houver uma cobrança maior em todos os locais por onde Alckmin estiver, durante a campanha política, as chances de conseguir o reajuste o quanto antes são maiores. “Ele se notabilizou em desrespeitar nossa Data Base. As negociações têm sido exaustivas não só com esse governo, como com todos os do PSDB, seu partido, nos últimos 20 anos. Agora temos a arma nas mãos. Vamos usá-la. O voto é o caminho. Mas antes vamos cobrar, vamos buscar nossos direitos, a valorização de nossos policiais civis. Só assim é que o governador poderá, quem sabe, se sensibilizar e praticar justiça para com a categoria”, desafia Eumauri. SINPOL QUER RECRUDESCER NEGOCIAÇÕES EM CIMA DA HORA DELEGADO GERAL APRESENTA dando maiores detalhes, pelo site do Sinpol (www.sinpolrp.com.br) e na próxima edição do Jornal do Sinpol. “Ainda é cedo para tecer qualquer comentário. São temas importantes para a categoria, porém o processo promete ser muito moroso e precisamos da Reestruturação para ontem”, lamentou Eumauri. Reajuste Antes e depois do encontro, em conversas informais nos corredores da DGP, Eumauri ouviu que existe uma grande disposição do governador Geraldo Alckmin conceder um reajuste linear para todo o funcionalismo estadual. “Ouvimos de algumas pessoas que pediram para não serem identificadas, que o governador estuda a possibilidade de dar um reajuste salarial uniforme, no mínimo, acompanhando a inflação. Vamos aguardar para ver se isso se concretiza”, finalizou Eumauri. Mais informações na edição de junho do Jornal do Sinpol . PROJETO DE REESTRUTURAÇÃO O presidente do Sinpol, Eumauri Lúcio da Mata, ao lado de vários sindicalistas, reuniu-se na DGP (Delegacia Geral de Polícia) com o delegado Geral, dr. Luiz Maurício Souza Blazeck; o delegado geral adjunto, dr. Valmir Eduardo Granucci e alguns assessores. O encontro, realizado no dia 15 de maio, ocorreu a pedido de Eumauri e o tema tratado foi Reestruturação. O DGP apresentou um projeto de Lei com 15 anteprojetos reestruturando as carreiras policiais civis. “Foi um encontro realizado para dar-nos uma satisfação, mas percebi que o projeto apresentado havia acabado de ser redigido, com algumas imprecisões e não estou tão otimista assim, embora haja alguns pontos interessantes. O problema é que isso será truncado, possivelmente vai demorar para chegar ao formato definitivo”, disse Eumauri logo que o encontro terminou. O material apresentado será avaliado por Eumauri, que pretende se pronunciar a respeito, Segundo Eumauri, o governo já teve tempo mais que suficiente para tratar a questão da Reestruturação da Polícia Civil e ele prega rigor nas conversas com o delegado geral, secretários e com o governo Alckmin Maio/2014 05

[close]

p. 6

R ADAR Reunião O delegado Seccional de Ribeirão Preto, dr. Marcus Camargo de Lacerda, juntamente com os comandantes do 3º BPM/I e 51º BPM/ I, respectivamente Ten Cel PM Paulo César Gomes e Ten Cel PM Renato Armando Alves, realizaram, no dia 11 de abril, na sede da Delegacia Seccional, uma reunião integrada entre Polícia Civil e Polícia Militar da região. O objetivo do encontro foi adotar medidas efetivas para diminuir a criminalidade e proporcionar maior integração entre as Polícias, além de aprimorar as atividades de policiamento preventivo e investigação criminal. Tiros O delegado titular do 6º DP de Ribeirão Preto, dr. Samuel Zanferdini, indiciou J.S.S.S., de 64 anos, autor de disparos que feriram quatro pessoas no Jardim Marchesi. Os tiros ocorreram após uma discussão entre vizinhos por conta de um vazamento de água em uma das casas. O homem teria atirado contra quatro pessoas, duas das quais seguiam em estado grave até o fechamento desta edição. Segundo o dr. Zanferdini, o homem alegou ter se sentido ameaçado durante a discussão e disse ter atirado para se proteger de possíveis agressões. Uma das vítimas dos disparos é uma criança, que não corre risco de morte. Um técnico de uma empresa de TV a cabo também foi atingido e passa bem. Mãe e filho seguem internados. Palestra A titular da DDM (Delegacia de Defesa da Mulher) de Ribeirão Preto, dra. Luciana Renesto, participou no dia 23 de abril, de um evento realizado no salão nobre da Câmara Municipal da cidade. Ela foi convidada pela vereadora Gláucia Berenice para proferir palestra evidenciando os crimes relacionados à corrupção de menores. Durante o evento, foram discutidas ações articuladas para a prevenção da exploração sexual de crianças e adolescentes na Copa do Mundo e em grandes eventos realizados na cidade. Participaram do encontro representantes de várias entidades do Poder Judiciário, poder público diversos materiais para embalar a droga. A. foi recolhido ao CDP (Centro de Detenção Provisória) de Araraquara e P. à cadeia Pública de Fernando Prestes. Ibitinga Policiais civis de Ibitinga receberam denúncias e realizaram uma rigorosa investigação até que, no dia 16 de abril, munidos de mandados de busca e apreensão, fizeram diligências e conseguiram prender J.A.C., de 43 anos e P.A.C., de 52. Com a dupla os policiais civis enconOs comandantes da PM ao lado do delegado Seccional traram uma espingarda Rossi calibre 32 municiada com dois de Ribeirão Preto, dr. Marcus Lacerda cartuchos, além de 13 cartuchos calibre 32 já deflagrados. Os dois foram premunicipal e estadual e Polícia Civil. sos por posse e porte ilegal de arma de fogo Fernando Prestes No dia 17 de abril, após trabalhos de uso restrito. Ambos foram encaminhados à investigativos e em cumprimento de mandado Cadeia Pública de São Carlos. Ibaté de busca, policiais civis de Fernando Prestes No dia 16 de abril, policiais civis da Delegase deslocaram até uma residência onde prenderam em flagrante J.S.P. e J.E.W.A., ambos de cia de Ibaté, com apoio de policiais militares da 18 anos. Com a dupla, os policiais civis encon- cidade, cumpriram mandado de busca e apretraram porções de cocaína e maconha, além de ensão em um local apontado como ponto de R$ 294 em dinheiro, três aparelhos celulares e venda de drogas. Eles conseguiram prender em duas porções de pó branco de origem desco- flagrante H.R.S., de 19 anos. O fato ocorreu em nhecida, pesando cerca de 170 gramas, além de uma casa no bairro Cruzado, onde os policiais civis localizaram, dentro do banheiro, 251 embalagens com cocaína, além de 48 pedras de crack, um celular e mais de R$ 630 em dinheiro. O acusado de tráfico ainda tentou fugir, mas foi capturado. Após o flagrante, foi encaminhado à Cadeia Pública de São Carlos. Franca Dois irmãos, de 15 e 17 anos, moradores do bairro Leporace, em Franca, foram apreendidos no início de abril e recolhidos à Fundação Casa. A dupla confessou vários roubos praticados em apenas 18 dias na região. Segundo apurado, um jovem de 18 anos que trabalha como sapateiro, foi identificado pela A vereadora Gláucia Berenice (esq. ) e a equipe do 5º DP (Distrito Policial) de Frantitular da DDM de Ribeirão Preto, dra. ca. Ele participou de alguns assaltos ao lado Luciana, durante evento Fotos: Polícia Civil do irmão mais velho. Os investigadores Reginaldo Calil, Dênis Sérgio, Wilson e Júnior, comandados pelo dr. Hélder Rodrigues, tinham informações da participação dos dois irmãos nos roubos do Leporace, Tropical e Portinari, bairros próximos. A dupla foi reconhecida por pelo menos quatro vítimas. De posse de mandado de apreensão de menores, os dois foram encontrados pela equipe do 5º DP. Na delegacia, diante da mãe, ambos confessaram roubos a dois supermercados, uma farmácia e uma tabacaria. O rapaz de 17 anos também admitiu ter participado, ao lado do irmão de 18 anos, em outro roubo a um supermercado no bairro Tropical. O último assalto praticado pela dupla foi em um posto de combustíveis, no dia 20 de março. Apesar de negarem autoria, eles também são apontados por um assalto em uma ótica no bairro Leporace, onde foram roubados R$ 500 em dinheiro e uma grande quantidade de óculos, totalizando um prejuízo superior a R$ 25 mil. O investigador do 5º DP de Franca, Reginaldo Calil, comandou equipe que identificou envolvidos em assaltos 06 Maio/2014

[close]

p. 7

BEBEDOURO Policiais da especializada realizaram Operação Tentáculo e conseguiram desarticular célula de organização que traficava drogas na região Foram mais de três meses de investigações até que a DISE (Delegacia de Investigações Sobre Entorpecentes) de Bebedouro colocasse nas ruas a Operação Tentáculo para desarticular e prender a célula de uma organização criminosa que traficava drogas e cometia crimes em várias cidades da região. A ação contou com o apoio operacional de diversas unidades policiais especializadas. Da operação, realizada no dia 16 de abril, participaram cerca de 30 policiais civis de especializadas de Bebedouro, Sertãozinho, Barretos e São José do Rio Preto, onde os criminosos tinham ramificações de negócios. Foram presos em flagrante nove adultos e quatro adolescentes foram apreendidos, entre homens e mulheres. A Operação Tentáculo foi comandada pelo delegado titular da DISE de Bebedouro, dr. Maurício Vieira Silva. O objetivo foi desarticular e prender em flagrante o grupo criminoso que traficava sistematicamente em cidades de toda a região e era ligado a uma facção criminosa que atua dentro e fora dos presídios paulistas. O trabalho foi minucioso e demandou campanas, escutas telefônicas com autorização judicial e um rigoroso serviço de Inteligência Policial, cruzando dados e informações obtidas, até conseguir determinar a estrutura da célula criminosa. Segundo o delegado, em entrevista à imprensa, um dos presos seria o líder da “Regional 17” - a facção define as áreas de atuação de acordo com o DDD da região. No caso, Bebedouro, Barretos e São José do Rio Preto, por exemplo, têm DDD 17, ao passo que Ribeirão Preto, Sertãozinho e Franca têm DDD 16 e seriam da “Regional 16”. “Nós, durante as investigações, identificamos que um dos cabeças da facção residia em São José do Rio Preto e mantinha contato com outros membros do grupo de Bebedouro. Entramos em contato com policiais da cidade que localizaram o acusado. Ele foi preso e trazido para Bebedouro para ser autuado em flagrante”, disse o dr. Maurício. J.P.D.R., de 24 anos, conhecido por “Riquelme”, foi preso no Parque Aroeira, em São José do Rio Preto. Ele seria o líder do grupo e tinha a incumbência de destinar semanalmente R$ 900 do movimento arrecadado com o tráfico de drogas para a facção criminosa. O dr. Maurício informou que ele mantinha um contato com outro membro da facção, que seria o responsável pelo cadastro dos regionais e dos demais integrantes do bando. “Inclusive esse homem já tinha sido preso e ficou detido durante 14 anos. Assim que saiu da prisão, voltou a se envolver com o crime novamente. Ele colocou sua família inteira para trabalhar no crime. Foram presas suas duas mulheres e seus três filhos, dois deles menores de idade”, revelou o delegado. Os policiais civis saíram às ruas ainda na madrugada do dia 16 de abril e a ação durou até o início da tarde, quando todos foram encaminhados à DISE de Bebedouro para a lavratura dos flagrantes e autos de apreensão. Durante a Operação Tentáculo, os policiais civis encontraram porções de cocaína, balança de precisão, papéis contendo informações da contabilidade e, sobretudo, anotações e cadastros dos integrantes do grupo criminoso, além de diversos telefones celulares e objetos característicos do tráfico de entorpecentes. O grupo também foi associado a uma recente apreensão de drogas. Foi constatado que eles seriam os responsáveis por cerca de 650 gramas de cocaína apreendida no dia 18 de março, na cidade de Bebedouro, próximo a uma rodovia. A estrutura da célula criminosa desarticulada pelos policiais civis da DISE de Bebedouro e das cidades de São José do Rio Preto, Bebedouro e Sertãozinho, demonstra que havia três líderes. Além do “líder” e do “cadastro” da “Regional 17”, havia ainda um terceiro membro da facção, que teria sido apadrinhado por Riquelme. Eles eram o elo efetivo da facção criminosa na região. Os demais integravam o esquema de venda de drogas na região, atuando como colaboradores. Durante os flagrantes, a equipe da DISE de Bebedouro se surpreendeu com um dos menores apreendidos. “O que nos chamou atenção é que um adolescente de 14 anos exercia uma importante função na venda e distribuição de drogas ilícitas, sob supervisão de seu pai, um dos presos na operação”, divulgou o dr. Maurício, através de nota da Assessoria de Comunicação Social da Delegacia Seccional de Polícia de Bebedouro. Por se tratar de crime inafiançável, todos os nove adultos permanecerão presos, à disposição da Justiça. Os menores foram encaminhados aos órgãos competentes e também deverão seguir apreendidos para medidas sócio educativas. Foto: Reprodução DISE DESMONTA ORGANIZAÇÃO CRIMINOSA O titular da DISE de Bebedouro, dr. Maurício, que comandou operação resultante na desarticulação de grupo ligado a facção criminosa CANTINA MUDA E AGRADA Fotos: Rosana Rodrigues Os novos empreendedores da Cantina da Chácara do Sinpol ( dir.), durante evento “Macarrão ao Vivo” Desde março a Cantina da Chácara do Sinpol está de nova direção. A mudança vem agradando os associados, que têm aumentado a frequência e o consumo nas dependências do clube. Com diversos tipos de porções, salgados fritos e assados, a equipe, comandada pelo casal Paulo e Cristina oferece também, aos finais de semana, pratos feitos e em determinadas ocasiões, alguns pratos à La Carte. Tudo muito bem servido e acompanhado com cerveja, refrigerante e sucos bem gelados. Os associados têm aprovado o serviço da cantina e já começam a sugerir opções de pratos. Maiores informações, reservas e sugestões podem ser feitas diretamente com o Paulo (16) 99398-6912 ou com Cristina (16) 99398-8820. Maio/2014 07

[close]

p. 8

SERTÃOZINHO As instalações são novas, mas a homenagem foi mantida e o nome continua: Delegacia Seccional de Sertãozinho Dr. Edgardo Kroll Filho Desde 2008, a Delegacia Seccional de Sertãozinho é denominada Dr. Edgardo Kroll Filho. A homenagem foi feita a um dos mais carismáticos policiais civis a trabalhar naquela cidade. O dr. Kroll foi, por muitos anos, delegado em Sertãozinho e conquistou muitos amigos. Nascido em Sertãozinho no dia 06 de janeiro de 1948, na Fazenda Paraguaçu, o dr. Edgardo Kroll Filho ingressou na SSP (Secretaria de Segurança Pública) como escrivão de Polícia. Tempos depois, foi aprovado em concurso público e tornou-se delegado de Polícia, cargo em que atuou até sua morte, ocorrida em 17 de setembro de 2006, aos 58 anos de idade. Ele era delegado de 1ª Classe. Durante sua carreira como delegado, atuou nas cidades de Ribeirão Preto, Barrinha, Dumont, Pitangueiras, Pontal e Sertãozinho. Em sua cidade natal ficou por muitos anos e conquistou muitos amigos dentro e fora da Instituição. O dr. Kroll é tido como um dos mais carismáticos policiais civis da região. De hábitos simples, preferia sempre uma boa conversa para resolver os impasses do dia-a-dia. Já atuava em Sertãozinho há vários anos quando foi criada a Delegacia Seccional na cidade. Desde sua criação, em 18 de fevereiro de 1999, até seu falecimento, foi designado delegado de Polícia Assistente da Seccional. Por conta de sua história de muito brilho, o deputado estadual Baleia Rossi apresentou o Projeto de Lei 1353 em 21 de novembro de 2007, propondo que o dr. Kroll se torna-se o Patrono daquela Seccional, que passaria a se chamar Delegacia Seccional de Polícia Civil de Sertãozinho “Dr. Edgardo Kroll Filho”. O projeto foi aprovado e tornou-se a Lei 13.064, de 09 de junho de 2008, que teve a seguinte redação: “LEI Nº 13.064, DE 09 DE JUNHO DE 2008 (Projeto de lei nº 1353/07, do Deputado Baleia Rossi - PMDB) Dá denominação à Delegacia de Polícia que especifica O GOVERNADOR DO ESTADO DE SÃO PAULO: Faço saber que a Assembleia Legislativa decreta e eu promulgo a seguinte lei: Artigo 1º - Passa a denominar-se “Doutor Edgardo Kroll Filho” a Delegacia Seccional de Polícia de Sertãozinho. Artigo 2º - Esta lei entra em vigor na data de sua publicação. Palácio dos Bandeirantes, 9 de junho de 2008 JOSÉ SERRA Ronaldo Augusto Bretas Marzagão Secretário da Segurança Pública Aloysio Nunes Ferreira Filho Secretário-Chefe da Casa Civil Publicada na Assessoria TécnicoLegislativa, aos 9 de junho de 2008” Prédio Moderno As novas instalações da Delegacia Seccional de Polícia Civil de Sertãozinho foram entregues para população durante ato político que contou com a presença do governador Geraldo Alckmin, no dia 26 de março. Além de Alckmin, participaram da inauguração o secretário da Segurança Pública, dr. Fernando Grella Vieira; o delegado geral, dr. Luiz Maurício Souza Blazeck; o diretor do Deinter-3, dr. João Osinski Júnior e o delegado Seccional de Sertãozinho, Cláudio José Ottoboni, além de diversos policiais civis e autoridades em geral. A nova unidade vai atender 422 mil habitantes de 10 cidades: Barrinha, Dumont, Guariba, Jaboticabal, Monte Alto, Pitangueiras, Pontal, Pradópolis, Taquaral e Sertãozinho. Localizada na avenida Eduardo Toniello, nº 200, no bairro Jardim Eugênio Mazer, a unidade, de 1.054 m² de área construída, conta com 22 ambientes, entre salas para cartórios, delegados, copa, almoxarifado, setor de administração, de identidade e de cartas precatórias, centro de inteligência policial, auditório com capacidade para 37 pessoas, além de amplo estacionamento. O governo alega ter gasto em torno de R$ 1 milhão e a prefeitura de Sertãozinho teria doado o terreno e contribuído com mais R$ 500 mil. Segundo o delegado Seccional de Sertãozinho, dr. Cláudio José Ottoboni, a mudança ocorreu apenas de prédio. “O governador inaugurou o novo prédio, mas o patrono continua o mesmo, desde que foi instituído com cerimônia e placa homenageando o dr. Kroll. Aliás, tive prazer em conhecê-lo antes de ingressarmos na Polícia Civil, eu havia começado a trabalhar no Fórum e ele estava de saída. O dr. Kroll foi meu grande amigo de longa data. Mas a homenagem foi feita por Lei específica e está mantida com muita justiça”, finalizou. NOVA SEDE, ETERNO PATRONO Acima, a partir da esquerda, o segundo vice-presidente do Sinpol, Darci Gonzales; o delegado Seccional de Sertãozinho, dr. Cláudio José Ottoboni e o presidente do Sinpol, Eumauri Lúcio da Mata, diante da placa da nova sede da Seccional; ao lado o dr. Edgardo Kroll Filho, patrono da Seccional de Sertãozinho Foto: Arquivo 08 Maio/2014

[close]

p. 9

REGIÃO Presidente do Sinpol encontrou-se com delegado titular e policiais civis para falar tratar de assuntos sindicais O presidente do Sinpol, Eumauri Lúcio da Mata, fez uma visita à Delegacia de Tabatinga, acompanhado pelo diretor do sindicato, Dorlei Morales. A visita fez parte da série de encontros que o presidente do sindicato vem mantendo com policiais civis de toda a região. Na ocasião, Eumauri encontrou-se com o titular da DP (Delegacia de Polícia) de Tabatinga, dr. Roberto Carlos de Santi, além dos escrivães Nelson Valentin de Moraes, Ocimara Aparecida Paioca e da estagiária Sara Jenifer Santos de Carvalho. O encontro ocorreu no dia 14 de abril e, além de tratar de questões sindicais, a visita também rendeu muitas recordações. O dr. Roberto Carlos, delegado de Polícia há 10 anos, ingressou na instituição como investigador de Polícia em Ribeirão Preto, tendo como um de seus primeiros chefes justamente o atual presidente do Sinpol, Eumauri. “Atuei como investigador por 19 anos e sempre atuei intensamente ao lado de Eumauri e outros colegas. Milito desde a criação da Apocirp [Associação dos Policiais Civis da Região de Ribeirão Preto, embrião do Sinpol]. Cheguei a fazer o curso para a Classe Especial, fui chefe dos investigadores no 1º DP [Distrito Policial] e há 10 anos sou delegado”, revela o dr. Roberto Carlos. Ele está no comando de Tabatinga há seis anos e conta com uma equipe reduzida, mas garante que é eficiente. “Em 2014 tivemos cerca de 30 inquéritos no Cartório. Atualmente, menos de 10 inquéritos estão em andamento. Aqui todos levamos à risca nossas obrigações. A equipe é bastante afinada, estão há mais de 20 anos na cidade, são todos moradores e o empenho é grande em concluir os inquéritos, sempre com qualidade”, destaca o delegado. Atualmente, compõem a DP de Tabatinga, além do delegado titular, dois escrivães, um investigador e um oficial administrativo. A cidade tem cerca de 15 mil habitantes. “Somos do mesmo porte de cidades como Borborema e Rincão, mas lá eles têm muito mais inquéritos em andamento do que nós”, compara. De acordo com o dr. Roberto Carlos, a questão da criminalidade em Tabatinga não é preocupante. Os índices são bastante satisfatórios, a população conta com a sensação de segurança e a qualidade de vida, por conta disso, acaba sendo elevada. Em relação à estrutura, o Ciretran (Circunscrição Regional de Trânsito) não pertence mais à SSP (Secretaria da Segurança Pública), ficando agora sob a administração da Gestão Pública naquela cidade, a exemplo do que vem ocorrendo em todo o Estado. O município também não conta com cadeia pública. Os presos em Tabatinga são enviados par São Carlos e, em seguida, transferidos para o CDP (Centro de Detenção Provisória) em Araraquara. Sindicalismo Durante o encontro com Eumauri, dr. Roberto Carlos fez questão de destacar a importância do Sindicato. “O Sinpol é a evolução da Polícia Civil. Tanto na área social, quanto de sindicalismo e saúde. O convênio do Sinpol é um dos melhores. Eumauri é uma pessoa aguerrida, determinado. Apoio seu trabalho. Sabemos que o governo tem dificuldades financeiras e o Sinpol, diante disso, acaba sendo o equilíbrio da balança”, avalia o delegado. Em relação à futura sede social que vem sendo construída em Ribeirão Preto, o delegado é objetivo: “Vivemos num mundo capitalista e a evolução, neste meio ambiente, é salutar. Com o crescimento da sede e a união dos policiais civis, faremos a diferença. Isso nos deixa mais fortes, mais otimistas quanto às ocasiões em que é necessário negociar, mostrar nossa importância. O Sinpol faz parte do chamado quinto poder. Temos um patrimônio bastante respeitável. Nosso clube, por exemplo, é sensacional. Assim como nosso convênio, o clube é melhor que o da Associação dos Delegados em nossa região. Eu frequento lá, com muito orgulho. Tudo isso é fruto do trabalho do Sindicato que eu e o Eumauri ajudamos a construir e que hoje está muito bem administrado”, pondera o delegado. Em seus 29 anos de Instituição - 10 dos quais como delegado -, o dr. Roberto Carlos orgulha-se da carreira que trilhou e acredita que o fato de antes ter sido investigador o ajudou em sua atual fase. “É importante que um delegado conheça a fundo todo o mecanismo da Polícia Civil. Acho muito importante”, acrescenta. Nomeado delegado após aprovação em concurso, dr. Roberto Carlos ficou quatro anos em São Paulo. Passou pelo 3º DP, 4º DP, 5º DP e 11º DP, todos da Capital. o 3º e o 11º, segundo ele, são os mais movimentados da América do Sul. Após essa fase, ficou um mês em Ibitinga, já de volta à região do Deinter3, onde iniciou sua carreira como investigador. Depois assumiu Tabatinga, onde está até hoje. “É uma cidade pequena, mas muito funcional. Temos um ótimo relacionamento com as autoridades, com o Conseg (Conselho de Segurança dos Bairros). Aqui não tem diferenças entre Polícia Civil e Militar. É um trabalho bastante gratificante”, conclui o dr. Roberto Carlos. Foto: Raphael Abbate EUMAURI VISITA TABATINGA Em frente ao prédio da delegacia de Tabatinga, a partir da esquerda: dr. Roberto Carlos, Eumauri, a estagiária Sara Jenifer, a escrivã Ocimara, o escrivão Nelson e o quarto vice-presidente do Sinpol, Dorlei Morales Maio/2014 09

[close]

p. 10

JURÍDICO Departamento continua efetiva luta para que direitos dos associados do Sinpol sejam respeitados Enquanto o governo do Estado, por conta de parecer da PGE (Procuradoria Geral do Estado) mantiver a LCE (Lei Complementar Estadual) 1062/2008 para nortear a aposentadoria de policiais civis, o Sinpol vai continuar a ingressar com mandados de segurança garantindo a seus associados a paridade e integralidade no salário. Essa é a afirmação do presidente do sindicato, Eumauri Lúcio da Mata, que considera a lei estadual altamente prejudicial para a categoria. Quem opta em se aposentar pela lei especial praticada pelo governo do Estado desde 2008, perde o direito à paridade e integralidade no salário. “Isso representa um prejuízo financeiro enorme”, adverte Eumauri. Ele explica que o Estado de São Paulo é o único em todo o País que utiliza esse tipo de lei por entender que a LF (Lei Federal) 51/1995 não teria sido recepcionada pela CF (Constituição Federal) de 1988, portanto em tese seria inconstitucional. “Só mesmo na cabeça do governo de São Paulo para uma besteira dessa se manter. Todos os demais Estados já praticam a 51/85. O STJ (Supremo Tribunal de Justiça) já deu inúmeros pareceres que garantem a legalidade da Lei 51/85. Não há mais o que questionar. Até porque a lei federal, além de ser soberana a uma lei estadual, é muito mais justa, pois garante paridade e integralidade ao servidor”, ensina Eumauri. Para combater aquilo que considera intransigência prejudicial do governo, o sindicato criou um esquema através de seu Departamento Jurídico, onde os interessados em se aposentar, que já cumpram os requisitos necessários, para entrar com mandado de segurança. Há alguns anos as vitórias do Sinpol em favor de seus associados se multiplicam. “A situação é bastante simples. O colega já cumpriu sua jornada na Polícia Civil. Já tem tempo suficiente para comprovar na contagem de tempo, inclusive de serviço estritamente policial. Então ele nos procura e ingressamos com a ação para obter mandado de segurança garantindo ao associado aposentar-se pela Lei Federal 51/85. Podemos perder em primeira instância. Então vamos recorrer. O caso segue para o TJ, que já tem dado ganho de causa para os nossos associados, visto que o STJ já reconheceu a constitucionalidade da 51/85. Mas, na hipótese de também perdermos, novo recurso, desta feita em Brasília, vai nos garantir a vitória. Há a outra possibilidade: ganhamos em primeira instância, mas o governo recorre. O trâmite é o mesmo. Depois da segunda instância, não cabe mais recurso para o governo. Tudo é questão de tempo, mas a vitória é garantida”, comemora Eumauri. Segunda instância Quem também tem motivos de sobra para comemorar é o investigador Durval de Souza Lima Júnior, de Guaíra. “Obtivemos a sentença favorável, concedida em segunda instância pelo Tribunal de Justiça de São Paulo. Garantimos a aposentadoria especial, com paridade e integralidade”, explica o dr. Ricardo Ibelli, do departamento jurídico do Sinpol. Em sua justificativa, o relator do processo, dr. Edson Ferreira, é enfático: “Considerando-se, pois, o entendimento do Supremo Tribunal Federal, que tem a última palavra em matéria constitucional, tem cabimento a aposentadoria especial, atendidos tão-só os requisitos da legislação especial. O impetrante preenche os requisitos temporais, contando com mais de trinta anos de contribuição previdenciária e, pelo menos, vinte de efetivo exercício em cargo de natureza estritamente policial. Porque o Supremo Tribunal Federal já se posicionou a respeito, não incide hipótese da cláusula de reserva de plenário do artigo 97 do texto constitucional e da Súmula Vinculante nº 10 do Supremo Tribunal Federal, por disposição expressa do artigo 481, parágrafo único do CPC. Desse modo, para conceder a segurança e determinar que o impetrante seja aposentado com proventos integrais, dá-se provimento ao recurso”. Shopping Em outro caso, o departamento jurídico atuou na defesa do investigador Luiz Fernando Junqueira Azevedo, do 6º DP (Distrito Policial) de Ribeirão Preto. Ele respondia por um processo na 4ª Vara Criminal da cidade por conta de um desentendimento ocorrido no estacionamento de um Shopping, quando estava na companhia da esposa e filho. O investigador teria sido acusado de ter ameaçado um homem e seu sogro, durante uma disputa de vaga. O dr. Ricardo Ibelli, que fez a defesa, solicitou as imagens das câmeras de segurança do Shopping, que comprovaram a inocência do policial civil, absolvendo sumariamente o policial civil. As imagens comprovaram que foi ele o ameaçado e que apenas mostrou a arma para amedrontar os dois homens. “Nosso departamento jurídico está sempre à disposição de nossos associados. Nosso objetivo é proporcionar tranquilidade seja na questão da aposentadoria, seja em questões administrativas ou em outras esferas. O associado é a razão de existir um departamento jurídico tão atuante e vencedor”, acrescenta Eumauri. NOVAS VITÓRIAS O representante do Departamento Jurídico, dr. Ricardo Ibelli e o presidente do Sinpol, Eumauri Lúcio da Mata: defesa incondicional do associado 10 Maio/2014

[close]

p. 11

NOVA SEDE A cada dia que passa, os detalhes da futura sede social do Sinpol são cada vez mais notados por quem passa em frente ao imóvel. O ritmo de construção do empreendimento segue de acordo com o planejado pela Diretoria do sindicato. A futura sede social vai receber todos os departamentos do Sinpol, possibilitando oferecer maior conformo aos associados que buscarem informações. O prédio também vai contar com um grande e estruturado salão de festas, tornando-se uma opção a mais para o policial civil que pretenda organizar seus eventos com qualidade e economia. O prédio terá salas para abrigar todos os departamentos, além de um auditório para eventos e cursos de aprimoramento profissional que poderão ser realizados nas dependências do Sinpol. De acordo com o planejado, as obras que estão edificando a futura sede social do Sinpol, estão prosseguindo, já em fase final de construção. O imóvel, segundo o presidente do Sinpol, Eumauri Lúcio da Mata, vai beneficiar não somente a categoria como também os moradores daquela região e a sociedade ribeirão-pretana em geral. O prédio está sendo construído na Avenida Francisco Massaro Farinha, esquina com a rua Pedro Pegoraro, que é uma travessa da Av. Leão XIII, na Ribeirânia, atrás do Campus da Unaerp (Universidade de Ribeirão Preto) e terá área total construída de 1.600 m². Está sendo erguido em um terreno com área total de 2.247,95 m². O presidente do Sinpol, Eumauri Lúcio da Mata, convida todos os associados que tenham interesse em visitar as obras para conhecer como será a nova sede social do sindicato. Os custos da obra também estão à disposição de todos os interessados, com FALTA total transparência. Uma comissão de associados foi formada para acompanhar passo a passo o que é investido no local. “Temos que destacar que esse terreno foi conquistado graças ao empenho do vereador e delegado Samuel Zanferdini. Com POUCO seu importante trabalho, conseguimos que a Prefeitura elaborasse um projeto Lei que foi aprovado pela Câmara Municipal cedendo a área em regime de comodato. Há que se ressaltar que muitas entidades de classe procuram a Prefeitura para tentar conseguir áreas, mas poucas conseguem. É nossa grande vitória, numa luta idealizada desde a época da antiga fundação da APOCIRP [Associação dos Policiais Civis de Ribeirão Preto e Região]. Nossa sede é própria e é uma feliz realidade”, comemora Eumauri. Maio/2014 11

[close]

p. 12

10 1 Cláudia Silva Vieira Cleusa Palombo Navajas 11 Angela Maria Pastori José Roberto Cerri Carlos Henrique Guilhermiti 12 João Luiz Lacruz Otávio Franco 2 Nelson Benito Júnior José Antonio Floriano Nilton Cesar Curt Odair Gaspar Jarim Lopes Roseira Paulo Roberto de Souza 13 Sandro Aparecido Bonádio Milton Antonio Bernardo Clério Aparecido Teixeira Júlio César Fabbri Leandro Carlos dos Santos Antonio Luís Carossi 3 Renato da Silva Bueno Carlos Augusto Miura 14 José Luís Cremasco Maria Aparecida Goulart Carlos Dionino Augusti 15 Antonio Carlos Arrighi Diego Rodrigo Anaia Mayumi Tobace Sílvio Luís Passagem 4 Iole Augusto Benedito Celso Pinheiro de Luís César Machado Quadros 16 Henrique Ap. Gonçalves Aguilar Fernando Tadeu Diniz Centurion Lopes Jorge Abdo Chedid Cristiana Martins dos Reis 17 Bernardo Maria do Amparo Faria Solange de Oliveira Teresa Raquel Merlino Luiz Eloi Teixeira de Aguiar Constantino Joseane Ap. Polegatto de 18 Moraes Lázaro Jair Fernandes Josias Martins dos Santos José Roberto Pereira II Filho Ronaldo Dutra 5 Ivanize Alexandra de Aguiar Carlos Donizeti Nogueira Carina Bianca Cesca Carmen Lúcia Borguini 19 Rodrigues Ida Lúcia Nunes José Américo Marchezi José Henrique Ventura 6 Denize Aparecida da Silva Neusa Aparecida Pian da Mata Moraes 7 Fernando Scafi Nogueira Jaime Gilberto Rosa Heliton Silva Amaral Antonio Gilberto de Aguiar Paulo Henrique Martins de Abrahão Guevara Weigert Cleto Castro Antonio Benedito Ferreira Valmir Eduardo Granucci Valéria da Silva Pereira Oliveira 20 8 Jarlete Froes de Aguillar Galli Nélio Rezende Cardoso Bráulio Geraldo de Oliveira Carlos Cesar Costa Odacir Cesário da Silva Cristina Elena Lopes da Cunha Antonio Carlos Martins Nogueira Ailton Gomes dos Santos 9 Marcos Leandro Antonio Marcos Antonio Adalberto Gonini Junior Júlio César Malaspina Florentina Fernandez Munari Milton Antonio Ribeiro João de Souza Lima Eber Donizeti Barbosa 21 Aparecido Donizeti da Celso Correa de Moura Silva Carlos Amir Pessoa ANIVERSARIANTES A vida é um milhão de novos começos movidos pelo desafio sempre novo de viver e fazer todo sonho brilhar. Feliz Aniversário aos nascidos em junho! Walter Dias José Carlos Damasceno Lucas Renato Luchetti Alexandre Jorge Daur Filho Samuel Duarte Martins Aparecida de Freitas Queiroz Pires Marcos Antonio Ferreira 22 João Jacinto do Amaral Eliane Ap. Ferreira da Silva Endrigo Rodrigues de Sá Nasser Mamed Saleh 23 José Luis Juns Louzada 24 João Carlos Alves João Batista do Nascimento João Carlos de Menezes Ricardo Fernandes Vieira 25 Rosangela Fátima dos Santos João Reinaldo de Souza Sandro Lemes Araújo 26 Sebastião Flauzino Ferreira Júnior Isabel Aparecida Ribeiro João Murakami Edmir Valera Sheyla Pimentel Alvim Perone Luciano Porfírio da Silva José Gobetti Júnior 27 Marco Antonio Bianchi Leila de Paula Mônica Maria Santos Rocha Borges 28 Ilza Maria Vieira Maria José Gotardo Bartolomeu Pedro Venâncio Duarte Jacira Othon Teixeira Fumagali Edmar Antonio Piovani Iara Sales 29 Roberto Tomasella Monteiro Márcio Antonio Sabain 30 Geraldo de Paula e Silva Maria Aurea Birches Lopes Sales Sonia Maria Aparecida Minto João Pedro de Andrade Cloves Rodrigues da Costa Edgard Meirelles de Siqueira ENCONTRO MEMÓRIA HISTÓRICO Foto de arquivo do Sindicato dos Policiais Civis da Região de Ribeirão Preto registra encontro de membros da entidade com o então Secretário da Febem, José Wilson Toni, já falecido ( 3º, da esq. para a dir. ). Participaram da reunião Eumauri Lúcio da Mata, Julio Warner Telles de Menezes (como Presidente do Sindicato dos Investigadores de Polícia do Estado de São Paulo), José Rubens Vieira, Carlos Alberto Campi e Mauricio Kusumota ( da esq. p/ a dir.). À época, Eumauri ocupava o cargo de Tesoureiro do Sinpol, José Rubens o de Vice-Presidente e Maurício o de Secretário. Campi era Presidente do sindicato - ele foi o primeiro policial civil a ocupar esse cargo. DESAPARECIDO O Sinpol lembra aos aniversariantes que é preciso fazer o recadastramento anual junto ao Banco do Brasil, em qualquer agência ou naquela onde receber seus vencimentos ou, em caso de portabilidade, no banco em que o beneficiário optou. Quem não se recadastrar corre o risco de ter os vencimentos suspensos. Eduardo Coelho, o Du, está desaparecido desde a tarde de 30 de abril de 2014. Ele é epilético e não sabe dar qualquer informação. Vestia bermuda escura e camiseta polo amarela com listras. Quem o encontrar ou tiver qualquer informação, entre em contato com a cidade de Bebedouro-SP pelo telefone (17) 99151-4529 Disque Denúncia: 197 Pizzas prontas em 10 MINUTOS!! No balcão ou mesas Entrega a partir das 16h - Aceitamos cartões e tickets SABOREIE COM CHOPE GELADÍSSIMO!! Agora com Rodízio - Pizzas, Massas e Saladas!! www.cascatacatanduva.com.br Parque das Américas, 103 (ao lado do Fórum) - Catanduva - SP Disk Pizza: (17) R. Antonio Girol, 294 - Pq. Glória- Catanduva - SP Disk Pizza: (17) 3522-3403 3523-7383 Maio/2014 12

[close]

p. 13

TÚNEL DO Na edição 20 do Jornal do Sinpol: visita a Brasília; reunião com o novo DGP, dr. Braga Braun e crime que marcou época na região Em sua 20ª edição, que circulou em maio de 1997, o Jornal do Sinpol veio repleto de notícias de interesses da categoria. Logo no editorial, o então presidente Eumauri Lúcio da Mata criticava os baixos salários praticados e a violência com a qual eram tratados policiais civis e militares em serviço, quando em confronto com criminosos. O presidente do Sinpol deixava claro sua opinião: “Não apoiamos a violência gratuita, contra pessoas comuns, trabalhadores. Mas é preciso que se diga que os policiais vivem em constante tensão”, dizia Eumauri. Nesta edição, o jornal mostrou a mudança da sede do 3º DP (Distrito Policial) de Ribeirão Preto, de um galpão onde funcionava improvisado, para um imóvel um pouco melhor, na mesma rua. O titular da unidade era o dr. Norberto Bocamino. Em matéria de turismo, o Jornal do Sinpol mostrava o perfil da cidade de Uberaba, no Triângulo Mineiro, que via sua população crescer, mas procurava manter a qualidade de vida. Naquela ocasião, dois delegados mineiros, Heli Andrade e Dutra, exerciam mandados na Câmara Municipal de Uberaba. A cidade de Tupã, no interior paulista, também foi alvo de reportagem. A relação de aniversariantes era encabeçada pelo policial civil Odair Fernando Machado. Na entrevista da edição 20, o dr. Segismundo Lahoz Júnior, já aposentado, falou sobre sua carreira e sobre a importância do Sinpol. Procurado um ano antes para a entrevista, quando atuava como delegado assistente da então Regional de Ribeirão Preto, ele justificou que ainda não era hora de falar. Então aposentado, ele justificou dizendo que o problema enfrentado pela Instituição estava no tripé salário/condições de trabalho/efetivo. Infelizmente pouca coisa mudou em 17 anos. O delegado também elogiou muito a atuação do Sindicato. “O Sinpol vem se mostrando útil e necessário”, disse à época. Um crime que ainda não teve seu desfecho foi uma das principais notícias da edição. A reportagem com o título “Faroeste Burguês” contou a história do assassinato do representante comercial Marco Antonio de Paula - então com 29 anos - e do comerciante João Falco Neto - com 34 - além de provocar ferimentos no motorista Sérgio Coelho, então com 35 anos. O acusado pelo crime, o empresário Marcelo Cury, segundo investigações, teria atirado contra o trio e, em seguida, fugido da cidade com a ajuda de um funcionário. Durante a fuga, houve um acidente e o funcionário acabou morrendo. Marcelo, segundo consta, teria continuado a fuga. Desde então, os advogados do acusado entraram com vários recursos, protelando o julgamento marcado e adiado várias vezes. O empresário alega ser inocente e que teria agido em legítima defesa “após ter sido provocado” pelos rapazes no local. O inquérito, à época, foi concluído pelo então titular da DIG, dr. Odacir Cesário da Silva, que apresentou denúncia contra Cury. Na Campanha Salarial, a decepção ficou por conta da ausência do então titular da SSP (Secretaria da Segurança Pública), dr. José Afonso da Silva, em reunião previamente agendada com sindicalistas. Houve frustração geral. Em outras reportagens, a nomeação do dr. Luiz Braga Braun para a DGP (Delegacia Geral de Polícia) e a Unidade de Operações Especiais da Polícia Civil em Campinas, que contava até mesmo com um helicóptero à disposição. Em artigo, o escrivão e atual diretor financeiro do Sinpol, Júlio Cesar Machado, discordava de entrevista do então presidente do Sindicato dos Delegados de Polícia do Estado de São Paulo, dr. Paulo Roberto Siqueto a respeito de Reforma Administrativa, feita ao Jornal do Sinpol em edição anterior. Outra decepção para a categoria foi a reunião evasiva entre sindicalistas e diretores do CDHU a respeito da concessão de linha de crédito para habitação de policiais civis. O assunto continuava indefinido e não avançou nada, desde então. À frente nas negociações, o presidente do Sinpol foi a Brasília cobrar dos políticos o engajamento na luta dos policiais civis por mais efetivo, por melhores condições de salários e de trabalho para todas as carreiras. Ele encontrou-se com diversos políticos, dentre os quais o então deputado federal e presidente da Câmara, atual vice-presidente do Brasil, Michel Temer. Também conversou com Moreira Franco e vários líderes partidários. O jornal mostrou ainda um crime bárbaro cometido na cidade de Rio Claro, onde a vítima foi estuprada e teve o globo ocular arrancado. Na editoria Herói Anônimo, o investigador Ronaldo Nogueira de Moura contou sua história. A escrivã Cristina Moroti também falou de sua carreira na Instituição. Na reportagem especial, sob o título o “Mal do Século”, o jornal mostrou o problema das drogas, que já em 1997 afligia a sociedade. Policiais civis como o dr. Adalberto Oliveira Gonçalves e o dr. Gino Augusto Santana, além do especialista em toxicologia do HC (Hospital das Clínicas), dr. João batista de Menezes, falaram das drogas em geral e do surgimento de uma nova droga, o crack, que hoje é motivo das principais preocupações no combate ao tráfico. EUMAURI TEMPO COBROU APOIO DE MICHEL TEMER Reprodução da capa da edição nº 20 do Jornal do Sinpol Maio/2014 13

[close]

p. 14

LEGISLAÇÃO A Câmara dos Deputados, em Brasília, aprovou na noite do dia 22 de abril um item de grande importância na Lei 51/85. Segundo o presidente do Sinpol, Eumauri Lúcio da Mata, a alteração é bastante significante para a categoria. “Essa mudança estabelece que a mulher policial poderá se aposentar com 25 anos de trabalho, dos quais 15 anos deverão ser prestados na atividade policial”, explica Eumauri. O projeto ainda depende de ser sancionado pela presidência da República e o Sinpol vai acompanhar sua nova etapa. Elaborado pelo já falecido senador Romeu Tuma, a mudança foi aprovada pelo Senado Federal e, após entrar na pauta de votações, também foi aprovado na Câmara dos Deputados sob o número 275/2011. Segundo Eumauri, a deputada estadual Rosmary Corrêa, atual subsecretária de Assuntos Parlamentares da Casa Civil do Governo do Estado, também elaborou Lei nesse sentido, favorecendo várias mulheres que, à época, se aposentaram como tratou da Lei Estadual. Essa Lei, de certa forma, acompanha o raciocínio praticado pela Previdência Social na iniciativa privada, com diferença de idade e tempo de LEI 51/85 ATENÇÃO serviço entre homens e mulheres. Porém, a Lei 51/85 não estabelecia essa diferença e a PGE (Procuradoria Geral do Estado), considerou que a lei estadual da Deputada Rosmary não era válida. O Governo cancelou seu uso, embora a Polícia Militar ainda tenha mantido por mais algum tempo, até que o caso foi definido na Justiça. Romeu Tuma, a exemplo da deputada Rose, apresentou a mudança na Lei 51/85. “Essa mudança na 51/85 deve representar um grande avanço para nós que lutamos por seu reconhecimento pelo governo do Estado de São Paulo, o único estado brasileiro que não aplica tal lei e prejudica os policiais que se aposentam, pois a Lei Estadual 1062/2008 nega-lhes o direito à paridade e a integralidade no salário. Uma vez aprovado, derruba de vez os fracos argumentos ainda mantidos pela PGE para a utilização da Lei 1062. O relator do projeto de trabalho na Câmara foi o deputado federal Arnaldo Faria de Sá, com quem o Sinpol tem mantido frequentes contados. Ele sempre se mostrou um defensor das causas das Polícias brasileiras. Agora é com a presidenta Dilma”, concluiu Eumauri. TEM IMPORTANTE ALTERAÇÃO COM A A diretora do Sinpol, Fátima Aparecida Silva, explica que, pela Lei 51/85, o tempo de licença saúde não é computado para efeito de aposentadoria Segundo a Lei Estadual 10268/1968, após alteração do artigo 81, que se deu pela Lei Complementar 318/1983, a Licença para tratamento de saúde será contada para efeito de aposentadoria, exceto para a Lei 51/85, que se baseia somente no tempo efetivo de exercício, conforme comunicado 1 e 3 de 2013 emitido pela SPPrev. A pesquisa foi feita pela Diretora Secretária do Sinpol, Fátima Aparecida Silva. “Em relação à Licença para tratamento de saúde, o Estatuto dos Funcionários Públicos Civis do Estado de São Paulo, da qual trata a Lei 10.261, de 28 de outubro de 1968, é taxativo: o tempo de licença é computado para efeito de aposentadoria. Contudo, na lei 51/85, é considerado apenas o tempo em LICENÇA SAÚDE Segundo Eumauri, a mudança é bastante significativa e só depende da sanção de Dilma Rousseff exercício estritamente policial. Desta forma, a licença saúde não é considerada para a contagem de tempo de aposentadoria”, explica a diretora. Os associados que podem ter problemas na contagem do tempo necessário para a aposentadoria devem procurar a diretoria do Sinpol para sanar suas dúvidas. Fátima e o presidente do Sinpol, Eumauri Lúcio da Mata, informam que estão à disposição para dirimir quaisquer dúvidas a esse respeito. 14 Maio/2014

[close]

p. 15

DROGAS Especializada tem realizado diversos flagrantes, capturado foragidos e apreendido grandes quantidades de entorpecentes, impingindo duros golpes ao crime organizado Os policiais civis da DISE (Delegacia de Investigações Sobre Entorpecentes) de Ribeirão Preto vêm colecionando êxitos na luta contra o tráfico de entorpecentes na região. A delegacia especializada, comandada pelo dr. Ariovaldo Torrieri, tem se destacado pela produtividade no combate a uma das maiores atividades criminosas, que tem teias espalhadas em praticamente todas as cidades brasileiras e movimenta bilhões de dólares todos os anos. Segundo o delegado titular, os policiais civis vêm se desdobrando e obtendo os resultados satisfatórios. “Utilizamos todos os métodos disponíveis. Contamos com a tecnologia, com equipamentos sofisticados e recursos como o georreferenciamento, onde imagens bem detalhadas obtidas via satélite que nos permitem planejar ações. Além disso, utilizamos também as técnicas tradicionais, como a campana, a investigação, além de contar com um serviço eficiente de disque-denúncia, onde a população tem colaborado efetivamente”, explica o dr. Torrieri. Em relação às denúncias, é importante ressaltar que elas podem ser feitas de forma anônima pelo telefone 181 ou pelo telefone da DISE: (16) 3913-4343. A identidade do denunciante é preservada e a denúncia é apurada para ver se há procedência. “A DISE de Ribeirão Preto, de forma contínua e firme, vem mantendo suas ações de repressão ao tráfico de drogas em nossa região. Dentre as Operações Policiais desencadeadas e prisões executadas, no dia 16 de abril, no local conhecido como ‘Favela do Pó’, no bairro Quintino Facci II, conseguimos prender W.M.F.C., contra o qual existiam cinco mandados de prisão pelo Poder Judiciário de Goiás e tido como pessoa de alta periculosidade”, destacou o dr. Torrieri. O homem foi abordado pela Equipe Delta 2 da DISE, durante averiguação de rotina. Mas durante pesquisa pelo sistema Infoseg, os policiais civis constataram que o elemento era procurado e perigoso. O homem foi detido e encaminhado ao CDP (Centro de Detenção Provisória) de Ribeirão Preto, ficando à disposição da Justiça. Em ação realizada no final do mês de março, os policiais civis da Equipe Delta 3 da DISE, prenderam M.A.R. em uma residência da Rua Tapajós, na Vila Augusta. Com o homem os policiais civis encontraram cerca de cinco quilos de cocaína. A equipe cumpria mandado de busca e apreensão após solicitação feita pela própria especializada após minuciosa investigação. O suspeito não ofereceu resistência e até indicou os locais onde a droga estava escondida. Além da cocaína, os policiais civis encontraram balança de precisão e equipamentos para acondicionar a droga em pequenas porções destinadas ao usuário final. Em outra ação da Equipe Delta 3, realizada na Rua Rio Verde, bairro do Ipiranga, os policiais civis constataram aquilo que já haviam levantado através de rigorosa investigação. Na casa de R.G.B., os policiais civis encontraram dois tijolos de maconha e 30 pequenas porções da droga, além de 58 invólucros com cocaína. Parte do material apreendido estava escondido em uma caixa de som dentro do quarto do suspeito. As outras partes estavam atrás de uma cômoda e dentro do guarda-roupa. Além da droga, os policiais civis apreenderam três balanças de precisão e diversos objetos utilizados para embalar pequenas porções de drogas. Outro traficante que vinha sendo investigado pelos policiais civis acabou atrás das grades. A ação ocorreu na Rua Luiz Antonio de Oliveira, Parque Ribeirão Preto, na casa de G.C.S. As investigações davam conta de que, no local, funcionava uma biqueira de venda de entorpecentes. Ao ingressar no local, os policiais civis encontraram 188 pedras de crack já devidamente embaladas em porções individuais. Também encontraram material utilizado na confecção do entorpecente alucinógeno popularmente conhecido por “lança perfume”. Durante o flagrante realizado pela DISE de Ribeirão Preto, G. admitiu ser dono do entorpecente e confessou com riquezas de detalhes como funcionava a biqueira. Ele foi autuado e enviado ao CDP de Ribeirão Preto. No dia 14 de abril, os policiais civis davam continuidade às investigações a partir de denúncias recebidas pelo Disque Denúncia, informando que havia uma residência na Rua Juruá, Vila Virgínia, onde haveria tráfico de drogas. Ao chegar ao local, os policiais civis prenderam em flagrante J.C.R.S. e apreenderam o menor L.G.B. Com a dupla, os policiais civis encontraram 112 porções de maconha, 70 de cocaína, sete comprimidos de ecstasy e 13 pontos de LSD, além de armas e outros objetos. A estrutura da equipe é modesta para a quantidade de casos solucionados. São dois delegados, onze investigadores, quatro escrivães e um auxiliar de papiloscopia. Mas os números positivos impressionam. “A DISE trabalha com determinação. Não só no combate às drogas, como também em outras ações pontuais, como a prisão de procurados. Tudo isso só é possível graças a confiança depositada na equipe por nosso delegado Seccional e pelo nosso diretor do Deinter-3”, conclui o dr. Torrieri. DISE MANTÉM ALTA PRODUTIVIDADE Policiais civis da especializada realizaram diversos flagrantes e conseguiram prender vários traficantes, além de apreender menores envolvidos com a venda de drogas Maio/2014 15

[close]

Comments

no comments yet