REVISTA ENCENAÇÃO

 

Embed or link this publication

Description

Onde desfilam juntos,a literatura,a música, a ciência, e muito mais.

Popular Pages


p. 1

REVISTA Edição 03 Maio de 2014

[close]

p. 2

NOSSO BRASIL Maravilhas do Espírito Santo Vila Velha a cidade mais antiga do Estado, possui patrimônios como o Convento de Nossa Senhora da Penha, símbolo da fé capixaba. O Convento da Penha, conjunto arquitetônico tombado pelo Instituto do Patrimônio Histórico Nacional (IPHAN), é considerado uma das mais belas construções do Brasil Colonial. Está localizado no Município Convento de Nossa Senhora da Penha de Vila Velha – ES e foi construído em 1558 pelo Frei Pedro Palácios. Situa-se num rochedo a 154 metros de altitude e do seu alto é possível avistar não só o município de Vila Velha como também Vitória e outros municípios. Segundo a lenda, o convento foi erguido depois que a imagem da padroeira Nossa Senhora da Penha foi trazida pelos jesuítas, sumiu e foi encontrada pelos índios no alto do rochedo. Como o fato se repetiu outras vezes, os jesuítas resolveram construí-lo sobre a enorme rocha de difícil acesso Além do convento, a Ladeira das Sete Voltas – o antigo caminho de pedras polidas que dá acesso ao mesmo -, também integra o conjunto arquitetônico. Cada uma das voltas dessa ladeira representa uma das sete alegrias de Nossa Senhora. O Museu Vale, inaugurado em 15 de outubro de 1998 . nele, encontra-se o acervo histórico da Estrada de Ferro Vitória a Minas. A exposição permanente possui um painel interativo, uma maquete ferroviária, fotos, equipamentos e ferramentas de trabalho dos ferroviários, objetos antigos, documentos, publicações e cenários que retratam ambientes que já não existem mais, além de uma Maria Fumaça, locomotiva a vapor adquirida pela Vale em 1945. É o Café do Museu, um restaurante anexo ao prédio da Estação Pedro Nolasco, que funciona dentro de um vagão de trem, local excelente para um fim de tarde saborear um delicioso capuccino. No próximo números continuamos com nossa viagem. 2 Veronica Lomeu

[close]

p. 3

CENTENÁRIO DE CAYMMI Dorival Caymmi, foi cantor, compositor, violonista, pintor e ator, Caymmi ultrapassou os limites da arte e a viveu plenamente. Nascido em 30 de abril de 1914, em Salvador, Caymmi usou o seu povo como inspiração. Sua música nasceu dos hábitos, vícios e tradições baianas. Mas foi a inegável influência da música negra, que carregou as melodias de sensualidade e espontaneidade. Dorival Caymmi morreu no dia 16 de Agosto de 2008 no Rio de Janeiro, ( Copacabana) , terra que passou a chamar, também, de lar. Deixou três filhos: Dori Caymmi, Danilo Caymmi e Nana Caymmi , todos cantores, influenciados por um pai que levou a música tão a sério quanto a vida. Entre suas canções de sucesso estão "Samba da Minha Terra", "Marina", "Samba da Bahia", "O Dengo Que a Nega Tem" e "Saudade de Itapoã". AYRTON SENNA 20 anos de saudade O Brasil teve três campeões mundiais de Fórmula um, mas nenhum conquistou tamanha paixão quanto Ayrton Senna. Ele nos encantou, conquistou nossos corações, foi o nosso herói dos domingos. A cada vitória, o orgulho de ser BRASILEIRO. Ele foi o melhor piloto que tivemos no Brasil. Pena que nos deixou, no dia 1º de maio de 1994, com 34 anos. Senna, sempre vai ser nosso herói, por tudo que fez para o Brasil, trazendo reconhecimento para nosso país. Ayrton Senna foi e continua sendo especial em nossos corações Ele foi o melhor, e maior de todos os ÍDOLOS e PATRIOTAS que o BRASIL já teve. Senna, sempre Senna! Eternamente SENNA!

[close]

p. 4

A violinista, e professora Helena Busak, nasceu dia 4 de junho de 1946.Seus pais eram romenos, e sua família pertencia a nobreza da musica clássica ,cuja arte musical, era uma atividade constante entre as gerações.Desde a tenra idade,Helena contava com o apoio dos pais para os estudos de musica.Seu pai,Sr.Godel Iavelberg (pintor) e sua mãe Dresjzla (cantora lírica) a presenteou quando tinha 7 anos com um violino.Coube a seu tio Jacques Niremberg todo o ensino de técnica do instrumento, e posteriormente a parte de repertórios, e interpretação, com seu irmão Henrique Niremberg.É válido lembrar que Jaques e Henrique Niremberg,foram notórios músicos do cenário erudito carioca, e brasileiro. A atuação na docência, e o trabalho no Quarteto de musica da UFRJ, encantava cada vez mais sua sobrinha, que crescia com as dinâmicas de musicalização,criada pelos tios.Helena, nos relatou sobre os exercícios que Jaqcues criava durante sua musicalização infantil. O reconhecimento das figuras musicais, e a introdução de musicas para as devidas execução. Helena terminou o ciclo colegial no Colégio Pedro II, e ingressou na Faculdade de Arquitetura realizando somente dois anos do curso. Em 1956,resolve se casar com Salomão Busack, com quem teve dois filhos. Arnaldo e Zilda ,ambos moram atualmente no EUA. 4

[close]

p. 5

Após ter se dedicado exclusivamente a família,Helena retorna aos estudos e ao meio musical.Em 1971, matricula-se no curso superior de Musicoterapia, fundado por seu tio e medico psiquiatra Jacques Niremberg, diretor também do Hospital Pinel.Na época, a musicista cita que Jacques aproveitou os estudantes de Musicoterapia, para realizarem seus estágios com os pacientes do hospital. A violinista nos relatou que fora uma experiência muito enriquecedora para sua formação terapêutica. A convite do professor catedrático Rafael Batista veio, durante sua juventude,quando ingressou na Orquestra Universitária da Casa do Estudante do Brasil como bolsita.Por volta da década de 70, iniciara na vida profissional, atuando na Orquestra Filarmônica do RJ,que pertencia a Escola de Musica da UFRJ com regência do maestro Florentino Dias,Orquestra da TV Globo, atuando em programas de linha de shows,Festivais da Canção no Maracanãzinho, entre outros programas.Convidada pelo maestro Alceo Bochino, a participar da Orquestra Sinfônica Nacional, que estava com seu quadro incompleto por falta de concurso publico,Helena preencheu o naipe de violinos ate sua aprovação na Orquestra Sinfônica Brasileira. Na década de 80 , Helena se graduou em Bacharelado em violino e viola, pela Escola de Musica da UFRJ.Fora a primeira aluna a se inscrever juntamente com seu primo Ivan Niremberg, na nova classe de viola.Ela ressaltou que antigamente o curso de pratica de violino, era reconhecido para o instrumento de viola, e que devido a separação feita pelo MEC,a viola passou a ter um curso próprio.Paralelamente,sua vida profissional crescia muito. Atuava em shows populares,como cantores populares. Vinicius e Toquinho, Simone, Bethania, Jane Duboc, Wilson Simonal, e o tradicionalíssimo show de Roberto de Roberto Carlos no Canecão. Priscila Farias

[close]

p. 6

RESPEITO Para Affonso Romano de Sant´Anna e Marina Colasanti O teu silêncio fica arquivado na minha imaginação. Quero imaginar que a lucidez esteja residindo em ti. Do outro lado, viajo sozinho em busca do mesmo sonho e da mesma inspiração. Às vezes somos um. Às vezes somos dois. O que importa é o respeito e a nossa vontade de sermos sempre um independente um. A LÁGRIMA Na lágrima que escorre pela face, O sonho nos parece que falece. Contudo, nem o tempo faz que passe, Um sonho bem sonhado, não se esquece! O sonho que com lágrima é chorado, Embora sendo triste, foi bom sonho! Jamais será, então, abandonado; Quem sabe, ainda, possa ser risonho. Um sonho que, na vida, foi um alvo Que em nosso coração teve guarida, Mas, nele, infelizmente, fez ferida. Contudo pelo amor, enfim, é salvo! As lágrimas se tornam, então, fugaces, Sorrisos, já renascem pela face. Manoel Virgílio QUEM SOU EU Sou alguém do universo Aqui neste mundo inverso Que quer mostrar em seu verso O quanto ainda tem que andar E demonstrar harmonia Na prosa e na poesia Tecendo uma sinfonia Nelson Marzullo Tangerini Com as notas do verbo amar Marisa Cajado 6

[close]

p. 7

TEU OLHAR Na folha em branco, Palavras escritas, Em vermelho sangue, ferida! Na sepultura dos sonhos, Enfrentando as lutas, Deixo-me morrer Frente a frente aos seus olhos, Sem jamais te alcançar. No azul das algas salgadas, Nas tormentas e marés calmas, Lá longe, castanho, severo, Brilha o teu olhar! Delasnieve Daspet QUANDO TE CONHECI Quando te conheci, meu amor, meu dia se vestiu com as cores do arco-íris. Um Sol clareou meus dias e me deu calor. Vislumbrei um azul celeste no mar. Ao anoitecer, meus olhos ganharam o brilho de todas as estrelas do céu. Perfume de jasmim me acompanha. Desde quando te conheci... Sol meu! Sonia Medeiros Imamura MINHA VIDA Eu preciso arranjar um jeito de entrar em teu coração. Eu te vejo em tudo que faço, sinto ou penso. É você que aquece o meu coração com seu carinho, com seu abraço, com esses olhos lindos que, quando encontram os meus, sabem ler e decifrar o que vai na minha Alma. Minha vida passou a ser diferente quando nela você entrou e nela ficou, porque você faz parte de minha Alma. Alguém sem Alma consegue viver ? Nancy Cobo

[close]

p. 8

"Criatividade é inteligência, divertindo-se” Albert Einstein FOI EM DIAMANTINA... Há um velho e sábio ditado: “Quem diz o que quer, ouve o que não quer”. Minha mãe sabia inúmeros, e tirava-os da manga em situações inusitadas. Ficava deslumbrado com aquilo, e não conseguia entender como uma pessoa podia guardar tantos ditados populares e lançá-los nos momentos certos. Lamento muito, até hoje, não ter explorado esse disquete salvo em sua memória. Em janeiro de 2001, caminhava distraidamente pelo centro histórico de Diamantina, Minas Gerais, tirando fotografias do velho casario, das igrejas barrocas e do famoso Beco do Mota, por onde passaram os ilustres rapazes do Clube da Esquina, Milton Nascimento, Fernando Brant, Toninho Horta, Beto Guedes, Lô Borges, Márcio Borges, entre outros, quando ouvi uma voz me chamar. Era um senhor muito idoso, aparentando mais de 70 anos. Caminhei em sua direção – talvez por respeito – talvez pela sua maneira de falar. Gosto de ouvir o falar das pessoas de outros estados e do interior. Mineiro é sempre calado, fechado, mas aquele curioso branquelo aproximou-se de mim e desandou a falar: - O senhor é turista? – perguntou ele. - Sim, sou – respondi-lhe. - De onde? São Paulo? - Não. Sou do Rio de Janeiro. - O senhor já escutou falar de Chica da Silva? - Sim, já ouvi falar. Assisti ao filme e li o livro de João Felício dos Santos. - Já visitou a casa de Chica? - Sim. É uma casa muito bonita, com uma vista belíssima para a Serra do Espinhaço. Gostei especialmente do quintal, com suas árvores. - Já visitou a igreja que João Fernandes mandou construir só para ela? - Sim, é uma igreja interessante, barroca. Tenho um interesse especial pelo barroco. - Com ar sarcástico, o velho senhor aproveitou a deixa para prosseguir: - Chica da Silva foi a maior puta de Diamantina. - É mesmo? Não sabia... - Não sei por que dão tanto cartaz a uma vagabunda. Vendo que havia ali, naquele “dedo de prosa”, um desrespeito à memória de Chica e uma demonstração “clara” de preconceito racial, aproveitei para alfinetar o velho: - O senhor é de Diamantina? - Sim – respondeu-me o altivo cidadão diamantinense. - Toda a sua família é daqui? - prossegui. - Sim, toda a minha família é daqui. Temos raízes profundas em Diamantina. - Soube que Chica da Silva teve perto de 20 filhos. Quem sabe o senhor é descendente de algum deles? Enraivecido, o senhor virou a cara e bateu em retirada resmungando. Nelson Marzullo Tangerini, Escritor, poeta, jornalista, fotógrafo, compositor e professor de Língua Portuguesa. 8 nmtangerini@yahoo.com.br

[close]

p. 9

O Identidade Cultural é um projeto originário de uma ideologia de liberdade e independência, tendo a arte como elemento transformador. O evento dá voz ao que é visto como marginal e que, na verdade, é arte e uma cultura que tem como marca a independência dos seus difusores e interlocutores. Isso é concreto. A poesia das ruas - em suas diversas linguagens: escrita, falada, visual, gestual, musicalizada e etc. - é o que vemos todos os dias. O Movimento Identidade Cultural nasceu com o objetivo de valorizar e mostrar a arte da periferia, as expressões das identidades culturais do povo brasileiro e suas raízes ao próprio povo - numa forma bem-conceituada - "lembrando" ao POVO que ELE É O BERÇO DE TODA CULTURA. Esse é um legado de Euclydes da Cunha - um dos maiores poetas, escritores e ativistas socioculturais do Brasil - dando continuidade a sua ação social dentro da cultura, informação e diversas manifestações artísticas. O Movimento Identidade Cultural defende a ARTE pela CULTURA e a CULTURA em prol da SOCIEDADE. A arte é um elemento fundamental de transformação porque ela humaniza. A cultura é uma fonte inesgotável de conhecimento e o conhecimento é chave de liberdade e poder. Todos pela CULTURA; todos pelo BRASIL!!! Janaína da Cunha Idealizadora e Diretora/Presidente do Identidade Cultural Equipe Identidade Cultural: Janaína da Cunha, Debora Moreno, Uly Riber, Nelson Marzullo Tangerini, Dan Juan Nissan Cohen e Wagner Gonsalez. Parceiros Culturais: Movimento Culturista, Coletivo Pó de Poesia e Sarau Donana da Baixada Fluminense, A Resistência Gonçalense, Projeto Horizonte do Conhecimento, Favela Orgânica, Sarau Solidões Coletivas de Valença, Movimento União Cultural de SP, Programa Litteratudo da TV Cidade Taubaté, CONINTER, FEBACLA, ANBA, ARTPOP, Bar e Restaurante Amarelinho da Cinelândia, Editora Maple e ALB.

[close]

p. 10

Que teu alimento seja teu remédio... (Hipócrates) ABACAXI O abacaxi é uma fruta típica de países tropicais e subtropicais, portanto, não se adapta em regiões de clima frio. O abacaxi contém muitos minerais como o cobre, mineral que pode acabar com as dores, principalmente de cabeça, o ferro que encontramos no fígado, manganês que mantém os ossos fortes, além do que, esse mineral está envolvido no metabolismo ósseo e sem ele as pessoas podem desenvolver osteoporose intensa. Seu alto poder de fibras ajuda na prisão de ventre, pois age como laxativo suave e natural. O abacaxi também possui a vitamina A e C, que aumentam a imunidade. A vitamina A impede que o colesterol se torne tóxico, além de ser um excelente antídoto contra o derrame. A vitamina C é importada para o corpo celular e para os vasos sanguíneos, combatendo as infecções e é essencial para a boa saúde dos dentes, da gengiva e dos ossos. A maior virtude dessa fruta em benefícios está na quantidade bromelina extraída do talo do abacaxi, uma enzima capaz de degradar materiais albuminoides (proteínas solúveis em água), dissolver gorduras, principalmente das carnes, sendo empregadas também para amaciá-las. A bromelina é encontrada no fruto e no miolo do abacaxi que se concentra a maior quantidade desta enzima, ou mesmo na parte central da fatia (parte dura), que muita gente retira na hora de saborear a fruta. A enzima bromelina age no nosso organismo, desempenhando três funções: - Mucolítica, dissolvendo o muco ou catarro dos pulmões, favorecendo uma limpeza geral, como se fosse passada uma esponja, facilitando a expectoração, além de ajudar no trânsito intestinal. - Anti-inflamatória, ajudando a desobstruir a circulação, principalmente se houver edema, provocado por batida em algum acidente. - Digestiva, sua principal virtude. Age no estomago, pois a bromelina é a enzima que desdobra as proteínas alimentares, facilitando seu melhor aproveitamento dos nutrientes, favorecendo e acelerando a digestão pesada, principalmente nos dias de churrasco e feijoada. 10

[close]

p. 11

PROSA DE PSICÓLOGA Loucura, loucura! Uma frase como essa "finca" na história. Bem, pensando com os meus botões e acordando cedo...O dia está quente e nublado, a prosa hoje é outra:Como amar e desconhecer o homem ao lado? - Isso mesmo. Pensamos que conhecemos o outro, mas na verdade dormimos com o inimigo, e é pouco! - Hoje vou falar da moça livre e do Lobo solto por ai! Quando você acredita que está tudo bem... Desconfie! - A infidelidade conjugal é assunto do passado? Hoje as mulheres casadas nem ligam se seus maridos saem aos sábados à noite, aos domingos na tardinha, as quintas, as segundas, as terças à noite! - Nossa! Só conhecendo alguém na padaria mesmo, e de manhã bem cedo! Para dar bom dia! Claro. - Isso resta! Bom dia! Uma porção de afetos e desafetos, tanto desejo por outras? Você está feliz?Desejo nessa de Dia das Mães e ano de 2014. - Reflexão! Não é por causa de doenças sexualmente transmissíveis ou das infidelidades conjugais. É mais pelas mentiras, pelos acordos nem ditos, ou pela (in) justiça social... Ou pela liberdade de escolha. Outro dia, por exemplo, vivi uma situação como essa: Uma Juíza pode faltar às audiências do dia, e tudo será transferido para o semestre que vem. Mas você não pode chegar 10 minutos atrasado, quando ela começar na hora? - É fechamento do processo! Percebe? - Isso é a justiça. E por aí vai, no dia a dia, o que vale é a situação do imediato. Se eu digo que eu te amo hoje, não vale mais para daqui à uma hora, quando vou estar com a minha amante?! O coração brasileiro é grande e cheio de tentações, mas vamos lá! Será que agora vou ter que dar aulas aos adultos?- Vamos amadurecer! Porque tudo isso está me parecendo uma pré-escola, com 15 minutos de concentração na tarefa! - E é só isso! Sei não. Hoje acordei feliz, porém é loucura!Esse método de viver a vida não me satisfaz... Tem alguém que pode propor algo diferente, tranquilo, mais linear e verdadeiro? -Estamos procurando! Gisele Lemos

[close]

p. 12

12

[close]

p. 13



[close]

p. 14

"Profeta", disse eu, "profeta - ou demônio ou ave preta! Pelo Deus ante quem ambos somos fracos e mortais. Dize a esta alma entristecida se no Éden de outra vida Verá essa hoje perdida entre hostes celestiais, Essa cujo nome sabem as hostes celestiais!" Disse o corvo, "Nunca mais“. Que Deus seria esse então que só de fora impelisse, E o mundo preso ao dedo em volta conduzisse! Que Ele, dentro do mundo, faça o mundo mover-se, Manter Natureza em Si, e em Natureza manter-Se, De modo que ao que nele viva e teça e exista A Sua força e o Seu gênio assista. O corvo Edgar Allan Poe Proémio Goeth 14

[close]

p. 15

Neste mês de maio, homenagearemos uma grande esposa, mãe e avó, que muito contribuiu com seu talento,e que marcou a história da música carioca. Falaremos da querida Pérside Leal. A graduada em Direito, pela Faculdade de Direito de Niterói, em Inglês, pela Universidade de Michigan, e em Música pelo Conservatório de Música de Niterói e pela UFRJ, local onde concluiu seu bacharelado em violino e mestrado em música, assim começa a história de uma guerreira que dedicou sua vida a educação e pedagogia musical. Pérside é uma mulher versátil e pioneira no ensino e atuação como musicista, pois participou da fundação da Orquestra de Câmara de Niterói e do Quarteto Niterói exercendo na primeira a função de spalla por 15 anos; nossa amada sempre obteve a melhor classificação, em violino e viola, nos concursos e seleções orquestrais do Rio de Janeiro com performance no Conjunto de Música Antiga da Rádio - MEC, Orquestra Sinfônica Brasileira, Orquestra Sinfônica de Niterói, Musikkreis de Niterói, Orquestra Sinfônica da UFRJ, Orquestra Sinfônica do Teatro Municipal do Rio de Janeiro, Orquestra Pró-Música, e Orquestra Sinfônica Nacional da UFF. No tocante a participações externas, a professora Pérside Leal, teve a felicidade de publicar um livro de poesias, a Coletânea Bennett, em 1967, e realizou importantes conferências sobre música, e o papel da mulher na sociedade moderna; viajou pelo Brasil como spalla, e solista de orquestra, tendo gravado discos juntamente com as Orquestras de Câmara de Niterói e Orquestra da UFRJ, além de concertos para a TVE, contudo a mais recente de sua carreira foi a oportunidade de divulgar a música brasileira de violino e viola nos Conservatórios de Amsterdam e Haia na Holanda. Gostaríamos de agradecer a querida professora Pérside por desbravar novos caminhos para os profissionais da música brasileira e deixar nossa pequena lembrança e carinho para uma mulher virtuosa.

[close]

Comments

no comments yet