Revista-Comercio-Industria-Abril-2014

 

Embed or link this publication

Description

Edição 105

Popular Pages


p. 1

-1-

[close]

p. 2

-2-

[close]

p. 3

-3-

[close]

p. 4

ÍNDICE Artigos 05 | Da redação Sônia Maria Marques Cidade 12 | Comércio O aumento na venda de 20 | Geração Nem-Nem Nem trabalha e O drama da CTA 07 | Editorial Ivan Roberto Peroni Comenta os exemplos deixados pelos comerciantes que perdemos nos últimos tempos 24 | Pesquisa Jaime Vasconcellos Ele mostra que a geração de emprego teve queda no primeiro bimestre de 2014 25 | Jurídico Thaís Costa Domingues Analisa o reflexo das faltas injustificadas nas férias do emprego tablets em Araraquara nem estuda, focando jovens que não fazem isso, nem aquilo 23| Enquete Os preferidos das gôndolas nos supermercados da cidade 26 | Venda Casada Como se proteger da prática proibida A demolição das casas que formam a colônia da centenária Fazenda Periquito em Bueno ACIA História 14 | Encontro Aconteceu em Araraquara a 28 | Dias Contados É o triste começo de Capa Thera Investimentos Empresa situada no Centro Empresarial América, assume um compromisso com o sucesso financeiro dos investidores de Araraquara e Região Profissionais da Thera na cidade reunião regional da FACESP 15 | Antônio Golfeto Vai falar da economia regional no dia 24 de junho 16 | Baile de Aniversário Será no dia 28 de junho para festejar os 80 anos da ACIA uma história que está no fim. Sem alunos até a escola rural pode acabar Estratégia 31 | Shoppings Chegar de vez ao interior é o que eles estão querendo Política 18 | Bons Ventos Sindicato Rural 32 | Safra da Cana Ela começa com mais etanol e com 34 | Credicentro Diretoria da cooperativa é reeleita e contas 36 | Saúde Animal Dois interessantes artigos sobre a Massafera conquista mais um importante benefício para a cidade junto ao Governo do Estado PÁG. 18 bem menos açúcar no mercado são aprovadas diarreia na vida do animal e carrapatos em cachorros e gatos PÁG. 8 Roberto Massafera Especial Documento 48 | Samuel Brasil Bueno 42 | Jorge Anysio Haddad Empresário traça o perfil da Duraleve que está comemorando 30 anos de atividades A história de Francisco José Rodrigues de Almeida, o “Chicão da Funerária” MEC outra vez comete erro. Uma farra com o dinheiro público. O Ministério da Educação (MEC) recolheu todo o material didático oriundo do Programa Nacional do Livro Didático (PNLD) enviado por engano às escolas municipais de Araraquara. Os livros chegaram ao Município no final do ano passado sem a solicitação da Prefeitura, que desde 2011 utiliza o material didático do SESI, sistema de ensino implantado pelo prefeito Marcelo Barbieri a pedido da população. “Assim que as escolas informaram sobre o recebimento deste material, a gerente de Ensino Fundamental da SME entrou em contato com o MEC, que imediatamente admitiu o erro e orientou quanto ao seu recolhimento e armazenamento, até que pudessem buscá-lo para então enviar ao destino correto”, informou a secretária municipal da Educação, Arary Ferreira. “Conviva Down”, parabéns! O grupo de mães “Conviva Down”, comemorou o Dia Internacional da Síndrome de Down, em 21 de março. Lusinete Padilha Lira, presidente do Conviva Down, diz que as ações têm o objetivo de esclarecer a sociedade sobre a Síndrome de Down. A ideia é acabar com o preconceito, unir pessoas em prol da causa e conseguir melhorias. “Temos o intuito de sensibilizar as famílias, base para uma vida de qualidade e para o apoio dos portadores da síndrome de Down”, comentou. Material enviado erroneamente é recolhido pelo MEC -4-

[close]

p. 5

DA REDAÇÃO Sônia Maria Marques Serviços 44 | A OPA está no ar. Agora Saúde é só clicar e pedir Empresário Mário Franzin dá início a uma nova empresa depois da fixação da New Standart Software no mercado brasileiro 46 | Cátia Rezende Estetecista revela como obter uma maquiagem definitiva 47 | Carlinhos Tavares Começa a escrever em nossa revista, falando de Esporte e Aventura O drama da CTA não acaba A Companhia Troleibus Araraquara vive um drama pautado pela necessidade do reacerto do transporte coletivo em nossa cidade. De um lado os que dizem: “se parar o bicho pega, se correr o bicho come”. Do outro, a frase “pior do que está, não pode ficar”. Qualquer que seja a situação, o perigo é eminente de um colapso no sistema de transporte de passageiros que começou no final da década de 50. Louvamos o bom senso do presidente da companhia, Silvio Prada, em querer mudar um conceito que foi projetado para os anos 60 e 70 e até hoje se arrasta sem que alguém tivesse a disposição de ir alterando todo processo aos poucos. E chegou no que aí está. Se a venda do prédio é a solução para a transformação da companhia, que se venda logo, pois o foco está em oferecer serviço de qualidade à população, notadamente aos que precisam do transporte. São três situações bem claras: que benefício oferece a oficina da CTA numa região tão nobre e valiosa? Cidades, até mesmo as menos avançadas, vêm descentralizando seus serviços; vender para investir na qualidade do transporte coletivo e atender a quem dele precisa. Esse povo que usa merece respeito. Quem está contra a venda do prédio? Quem ganha bem, quem tem dois ou três carros na garagem. O que se observa é uma politicagem de quem teve a oportunidade de fazer e não fez. E quando alguém diz que em Araraquara, galinha cisca prá frente, não é de se duvidar... O contraste do tempo: jovens de ontem que vimos crescer PÁG. 58 Futebol Amador 51 | Eu vi o Estrela correndo. Eu vi o tempo nos pés daqueles senhores Em nossa série de reportagens sobre os clubes amadores que reinaram nos anos 60 a 80, entra em cartaz o Estrela Variedades 59 | Em foco Os fatos e as pessoas da cidade 66| Luiz Carlos Bedran Ele escreve sobre a Banalidade das Coisas Nesta terra em se plantando, tudo dá. Araraquara comemorou no dia 21 de março, Dia da Floresta Mundial e em seguida o Dia Mundial da Água. A solenidade foi realizada no Centro de Educação e Saneamento Ambiental Chico Mendes (Ceama), e teve a participação de adolescentes que frequentam o Centro da Juventude de Araraquara e alunos do curso de Biologia da Uniara, focando a questão da água no planeta e o ciclo hidrológico. Também foram debatidos os usos múltiplos da água, sua escassez e as doenças de veiculação hídrica, além de dicas sobre economia de água, as funções ecológicas, a destruição das florestas e a importância da preservação. Tem sido frequente a visita de estudantes ao Ceama seguindo trilhas para observar importantes espécies de árvores, como araucária, pau-brasil, seringueira e mogno. Lá também existe um viveiro de mudas da própria Secretaria Municipal de Meio Ambiente. Para fechar a série de atividades do dia 21 foram plantadas 40 mudas de árvores no interior do Parque Pinheirinho. No dia seguinte foi realizado o plantio de 188 mudas, na Escola Estadual Prof. Oacyr Antonio Ellero, localizada no bairro Altos de Pinheiros I, em Araraquara. Na atualidade plantar árvores e economizar água são situações que não conferem com a realidade: planta-se pouco e economiza-se muito menos. Pero Vaz de Caminha, em 26 de abril de 1500, já usava isso como marketing. Ele escreveu ao rei dom Manuel o relato da viagem, com o seguinte trecho: “Nela, até agora, não pudemos saber que haja ouro, nem prata, nem coisa alguma de metal ou ferro; nem lho vimos. Porém a terra em si é de muito bons ares, assim frios e temperados (...) Águas são muitas; infindas. E em tal maneira é graciosa que, querendo-a aproveitar, dar-se-á nela tudo, por bem das águas que tem”. Pois é, “em se plantando, tudo dá” é um erro de citação. Seja como for, o trecho é uma desculpa por não terem achado no que estavam realmente interessados - ouro, só encontrado 200 anos depois. Note a menção curiosa aos “ares frios e temperados” em Porto Seguro, na Bahia. REVISTA EDIÇÃO N°105 - ABRIL / 2014 Diretor Editorial: Ivan Roberto Peroni Supervisora Editorial: Sônia Marques Redação: Rafael Zocco Depto. Comercial: Gian Roberto, Silmara Zanardi, Marcos Assumpção, Marcello Furtado Design: Mário Francisco, Carolina Bacardi, Fernando Oprime, Bete Campos Tiragem: 5 mil exemplares Impressão: Grafinew - (16) 3322-6131 A Revista Comércio & Indústria é distribuida gratuitamente em Araraquara e região INFORMAÇÕES ACIA: (16) 3322 3633 COORDENAÇÃO, EDITORAÇÃO, REDAÇÃO E PUBLICIDADE Fone/Fax: (16) 3336 4433 Rua Tupi, 245 - Centro Araraquara/SP - CEP: 14801-307 marzo@marzo.com.br -5-

[close]

p. 6

-6-

[close]

p. 7

EDITORIAL As lições, os exemplos que foram deixados por eles Araraquara perdeu nestes últimos anos importantes valores da sua vida comercial: Clodoaldo Medina (Eletro Tamoio e Anchieta), Neil Passos (Livraria Acadêmica), Sérgio Rossi Júnior (Francine), Mário e Bento Marques da Silva (Rádio Elétrica Geral), Yussuf e Jalal Samaha (Casa Nenê), Gassen Gibran, Joaquim Palomino (Hotel Municipal), Vicente Michetti (Uirapuru e BVM) e tantos outros empreendedores que viveram um dos mais significativos períodos do empreendedorismo e evolução da nossa economia. Não há como negar a influência deles no desenvolvimento da cidade, muito menos questionar o percentual desta participação. Cada um fez ao seu modo e na sua época. Uns mais, outros menos. Porém, o amor devotado a terra em que nasceram ou trabalharam, nos toca profundamente e quem teve a oportunidade de conhecê-los mais de perto, sabe perfeitamente a dosagem desta paixão que carregavam por Araraquara. Eles foram artífices de uma economia incerta e insegura, mestres de uma matemática feita a toque de lápis e borracha, ousados em seus negócios e audaciosos quando chamados para discutir as questões políticas e sociais da cidade. Atrás de sí, tinham símbolos e bandeiras que poderiam apresentar divergências, mas os conceitos, os objetivos e as finalidades seguiam a mesma rota. Serviam aos Rotarys, Lions, Lojas Maçônicas, clubes sociais, esportivos e associações com apreço e responsabilidade. Preservavam seus espaços e respeitavam a privacidade e os limites do próximo com tamanha candura que a cidade era de fato a morada a abrigar a todos, como se fossem uma só família. Não pregavam nas esquinas a filosofia de “amigos, amigos, negócios a parte”. Está certo que a sabedoria popular diz que não se deve misturar negócios com amizades. Em cada pedaço da Rua Dois a imagem daqueles tempos Certamente há um pouco de verdade nisso, principalmente se falamos de pessoas que não conseguem diferenciar o trabalho do lazer ou da sua responsabilidade como cidadão ou homem público. Um deles sempre me dizia: “Ivan, é sempre melhor dar do que receber, especialmente quando falamos de um contexto profissional com os amigos”. Esses tipos de pessoas ou personagens de um passado romântico fazem parte de uma raça em extinção. Muitos deles desciam à humildade, pois sabendo que ao descer estariam seguros, com os pés no chão, firmes e em perfeito equilíbrio. E a teoria aplicada por muitos destes comerciantes, empresários natos, ajudou muito na construção da Associação Comercial e Industrial de Araraquara e na formação de outras gerações que aos poucos se dizimam, pois quem os seguiu, não teve a mesma fonte de energia e tão pouco coragem para enfrentar os desafios que a vida coloca a nossa frente. São os 80 anos da ACIA a serem comemorados em junho, que permitem uma reflexão passageira sobre estes homens. Hoje vivemos um novo tempo, movido por fatores tecnológicos que assustam e preocupam, agentes depressivos de um período que nos obriga a sermos mais frios e calculistas a cada passo. No entanto, em sendo bem mais novo que eles, confesso que aprendi, utilizo e agradeço os conselhos que me foram dados. Carrego frases e palavras que o tempo não apaga, como aquela do saudoso jornalista e patrão, Roberto Barbieri: “Se amanhã você quiser ser um grande profissional, comece hoje sendo um grande aprendiz”. Já se passaram 48 anos e confesso que ainda estou aprendendo com a vida e as pessoas. -7-

[close]

p. 8

MATÉRIA DE CAPA Os empresários José Rafael Vaz da Silva e Luiz Augusto Nigro Toloi, fundadores da Thera Investimentos em Araraquara Público participante em uma das palestras da Thera Investimentos De forma bem simples e muito inteligente, a Thera Investimentos ajuda você a atingir seus objetivos Cinco jovens formam a equipe da Thera, referência em assessoria de investimentos na cidade de Araraquara e região. Por meio de uma equipe de especialistas, a Thera enxerga além dos números, dos gráficos, das análises, atuando no que realmente importa: o seu futuro e os seus objetivos. Todos possuem um sonho, um objetivo. Para alcançá-los com eficiência é preciso utilizar o que há de melhor em soluções financeiras. É necessário ainda ter o suporte de uma equipe experiente que o oriente e o acompanhe durante toda a jornada. E é exatamente isso que a Thera Investimentos oferece aos investidores. Criado pelos diretores José Rafael Vaz da Silva e Luiz Augusto Nigro Toloi em setembro de 2008, a empresa se expandiu e atualmente trabalha na consultoria e no planejamento financeiro dos investidores. Com o crescimento constante da base de clientes, novos sócios passaram a fazer parte da Thera: Thiago Andrade de Menezes, Fernando Henrique Minussi e Raphael Fortino Verdan. A equipe é dinâmica, atualizada e bem informada sobre o mercado e suas constantes alterações. Conquistar a confiança do investidor é sempre um desafio, principalmente, no mercado financeiro de alta renda – o valor mínimo para começar na Thera é de R$ 50.000,00. THERA INVESTIMENTOS Por não estar vinculada a nenhum banco, a Thera oferece as melhores marcas e produtos financeiros do mercado. Mais do que ações, o investidor encontra produtos de renda fixa, imóveis, seguros, previdência, fundos de investimentos, mercado futuro e educação financeira, através de palestras gratuitas e cursos. “Somos a única empresa de investimentos da região onde o cliente tem a liberdade de escolha. O cenário muda, taxa de juros, inflação, nem sempre o que é bom hoje pode ser bom daqui um tempo. Por isso é importante essa proximidade com o cliente, no que se reflete sobre serviço diferenciado que não se encontra em um banco, por exemplo”, afirma Luiz Toloi. -8- Quando se trata de um tema tão importante como sua vida financeira, é prudente conversar com um profissional que possa definir o rumo a seguir. O objetivo da Thera é apresentar as diversas opções de mercado, sempre em acordo com seu perfil de investimentos. Para os assessores da Thera, o atendimento oferecido facilita a vida do investidor. De acordo com o sócio José Rafael: “Sabemos que na maioria das vezes, a correria do dia-a-dia não permite aos investidores analisar, avaliar e acompanhar o mercado diariamente. E é isso que fazemos. Além disso, avaliamos e entendemos os motivos, as metas e as necessidades imediatas dos investidores. Quantificamos sua situação atual financeira e sua tolerância ao risco, para que seus investimentos tenham rentabilidade, segurança e liquidez.” THERA CÂMBIO A Thera Câmbio, empresa criada nesse ano pela Thera Investimentos, com o objetivo de comercializar as principais moedas do mundo com excelentes taxas. Por estar localizado no Centro Empresarial América, a Thera Câmbio pode realizar operações de compra e venda de moedas estrangeiras com muito mais segurança e co-

[close]

p. 9

Uma das grandes ações da Thera está centrada no Thera Educação Financeira, que visa orientar seus clientes sobre aplicações e outros negócios existentes no mercado. Todo trabalho é voltado para palestras gratuitas e cursos com foco para a educação e o planejamento financeiro. José Rafael Vaz da Silva - Sócio-Diretor Formado em Economia pela USP , com MBA em Agronegócios. Possui certificação Ancord e CVM. PRÓXIMA PALESTRA DA THERA Dia 16 / abril Horário: 9h Local: Auditório da ACIA (Rua São Bento, 825 - centro) Faça sua reserva (gratuita) Fone: (16) 3332 9416 Luiz Augusto Nigro Toloi Sócio-Diretor Formado em Administração pela USP . Possui certificação Ancord e CVM. modidade. A Thera também faz atendimento personalizado para fechamento de câmbio para importação e exportação com excelentes taxas e com agilidade. THERA EDUCAÇÃO A Thera Educação é o braço responsável pela educação financeira dos investidores, através de palestras e cursos. A Thera, dentro da sua linha de trabalho, oferece um curso personalizado, exclusivo e completo: o XP Premium. Esse curso na verdade é uma Consultoria de Investimentos Individual que ajuda as pessoas a tomarem decisões de investimentos e realizar seus objetivos. “Uma combinação que tem tudo para fazer a diferença nos objetivos das pessoas. As aulas são dadas de maneira individual, na hora e no lugar mais conveniente para o investidor”, conclui José Rafael. Thiago Andrade de Menezes Sócio Agente Autônomo de Investimentos. Possui certificação Ancord e CVM. ASSESSOR DE INVESTIMENTOS - O QUE É? Um bom assessor de investimentos deve colocar o investidor acima de tudo, e estar totalmente focado em suas necessidades e objetivos, oferecendo o que é melhor para o investidor. Além disso, tem que ter uma plataforma independente e aberta, ou seja, totalmente livre de vínculos como um grande banco acaba não oferecendo. Da mesma forma que um cardiologista está mais capacitado para cuidar de uma doença do coração do que um clínico geral, os gestores financeiros especialistas em rendas fixas, por exemplo, estão mais habilitados a trazer retornos nessa categoria do que os bancos tradicionais. E onde os assessores da Thera podem te ajudar? 1) Entender o cliente, a sua realidade de vida e seus objetivos futuros. Com isso, pode-se apresentar as melhores opções que o mercado oferece, para que seja possível montar um plano de investimento que leve em consideração seus objetivos de retorno, tolerância ao risco, restrições de liquidez e necessidades específicas. 2) Analisando a carteira atual de investimentos, pode-se orientar novas possibilidade de alocações de acordo com o perfil do investidor, buscando que esse realize e alcance seus objetivos. 3) Monitorar as tendências de mercado e acompanhar a carteira sugerida. E você, já tem um assessor de investimentos? Agende um horário agora mesmo com os assessores da Thera Investimentos, no telefone 16 3332-9416. Ou faça uma visita no Centro Empresarial América, Rua Padre Duarte, 151 – Araraquara, 16º andar. -9- Fernando H. P . Minussi - Sócio Agente Autônomo de Investimentos. Possui certificação Ancord e CVM. Rafael Fortino Verdan - Sócio Agente Autônomo de Investimentos. Possui certificação Ancord e CVM.

[close]

p. 10

TOP BRAZIL QUALITY Em noite de gala o Liceu Monteiro Lobato recebe prêmio por estar entre as melhores escolas do país Os grandes empreendedores são conhecidos pelas suas ações e o impacto positivo que causam na sociedade. Mais que isso: quem realiza e participa da vida de uma cidade escreve uma história e inspira novas gerações ainda mais sendo uma escola, cujo objetivo é formar os cidadãos do futuro. No dia 28 de março ao receber o Prêmio Top Brazil Quality em Ribeirão Preto, o casal Eliane e Daniel José de Barros, diretores do Liceu Monteiro Lobato, sentiu que valeu a pena atravessar o tempo, vencer as adversidades e transformar em sonho uma realidade: ser o Liceu uma das melhores escolas do Brasil. No Salão Esmeralda do Centro de Convenções, cerca de 400 convidados de diversas cidades da região reconheceram o trabalho do corpo diretivo do Liceu e aplaudiram os ilustres homenageados. “Este prêmio tenho a honra de dividir com nossos coordenadores, colaboradores, alunos e ex-alunos, e, também os pais que sempre apoiaram a escola”, disse Daniel de Barros. “Não podemos deixar de Orgulhosos, Regina, Daniel e Eliane recebem o Prêmio Top Brazil Quality no Centro de Convenções de Ribeirão Preto Diretora Eliane de Barros no momento em que recebe a premiação agradecer aqueles que estão compartilhando e lutando pelos mesmos objetivos, sonhos, todos os dias”, completou Eliane de Fátima Tedeschi de Barros. Para Daniel e Eliane, foi também uma noite de boas lembranças: “Em 1989 abrimos a CETEC INFORMÁTICA, para atuar junto a executivos do meio empresarial educacional, no treinamento de pessoal e desenvolvimento de Sistemas Informatizados. Devido ao grande sucesso do empreendimento, inúmeras empresas de grande porte foram atendidas. Estiveram em treinamento na CETEC mais de 2 mil alunos”, disse ele. Os planos de ambos eram bem mais arrojados: Em 1996, com a imprescindível assessoria de um de seus colaboradores mais ilustres, o Diretor José Guilherme De Nardi, nasceu o colégio Liceu Monteiro Lobato, iniciando suas atividades com professores do mais alto gabarito técnico, com sede própria e estrutura física totalmente planejada de forma a antever o futuro do ensino educacional. Tal como foi previsto pelos idealizadores da escola na época, hoje é uma realidade a ampla integração da informática no processo educacional, através das redes de transmissão de dados, das salas de aula virtuais, das lousas eletrônicas, das apostilas digitais, etc. Desde o início das suas atividades o co- 10 - légio firmou convênio com o mais completo e moderno grupo educacional do país - o Sistema Positivo de Ensino - integrando-se a uma rede de ensino, na qual fazem parte hoje mais de 2000 instituições em um universo de mais de 530 mil alunos e 53 mil professores. Através das soluções educacionais inovadoras oferecidas pelo Grupo Positivo às escolas conveniadas, o colégio Liceu Monteiro Lobato de Araraquara incorpora no seu dia a dia A diretora Eliane de Barros e a professora Regina Célia Tavares, do Liceu Monteiro Lobato no hall do Centro de Convenções em Ribeirão

[close]

p. 11

Eliane de Barros (diretora), Daniel de Barros (diretor administrativo) e Maria Calegari (coordenadora educacional), do Liceu Monteiro Lobato 37 anos de experiência em suas salas de aula. Seu excelente quadro profissional e moderna estrutura física, faz com que o colégio atenda com qualidade alunos desde o maternal até o pré-vestibular, oferecendo sempre os melhores e mais avançados recursos educacionais. “Levando-se em conta o mundo globalizado atual, somente com diferenciais de qualidade e constante aperfeiçoamento tecnológico é possível o reconhecimento da opinião pública para estar entre as melhores instituições de ensino do Brasil”, diz Eliane de Barros. O Liceu Monteiro Lobato com suas instalações no bairro de São Geraldo, mantém os cursos de Educação Infantil, Ensino Fundamental e Ensino Médio Regina Tavares, Daniel de Barros e Eliane de Barros recebem o prêmio Top Brazil Quality dos apresentadores Fabiana Teixeira e Nivaldo Prieto (Band) No Liceu Monteiro Lobato a comemoração é de todos - 11 -

[close]

p. 12

COMÉRCIO O aumento na venda de tablets em Araraquara A RCI foi às lojas e constatou que além da crescente venda de tablets, há também por parte do consumidor uma preferência pelos aparelhos mais baratos. Leves, fáceis de levar e de serem conectados à Internet, os tablets tomaram conta do mercado em todo o Brasil e a situação não é diferente em Araraquara. Segundo estudo da IDC Consultoria, a venda dos aparelhos subiu 119% no país em 2013 em comparação ao ano de 2012. Não há índices que possam dimencionar esse crescimento em Araraquara, mas sabe-se que é bem alto. Segundo Ana Micheli Celestino, chefe do setor de eletroeletrônicos do Extra, as vendas subiram 40% em toda a rede, impulsionadas pelos aparelhos mais baratos. “Aqui se seguiu a mesma tendência. A procura maior é por tablets que custam em torno de R$ 500,00”, afirma. As marcas mais procuradas são Samsung, Toshiba, Multilaser, CCE e Phaser. Efeito semelhante viu Gustavo Paulino, gerente da filial da loja Magazine Luiza na cidade. “As vendas aumentaram em 25% em 2013. A expectativa é de que neste ano, dobrem as vendas, chegando a 50%”, explica. Gustavo também reafirmou a grande procura por tablets mais baratos. A maioria dos compradores é jovem como Felipe Mazzei, de 24 anos. Ele comprou seu tablet no ano passado, pela praticidade que o aparelho proporciona. “Eu o acho útil porque levo aonde eu quero e por estar sempre conectado. Ainda economizei dinheiro porque estava mais barato que um notebook”, explica o técnico de informática. Walther e o presente que ganhou da avó Os aparelhos ainda vêm mudando a forma como as crianças veem a tecnologia. “Hoje em dia, elas não querem brincar mais com os brinquedos, elas querem tablets”, conta Gustavo Paulino, gerente da loja Magazine Luiza. O pequeno Walther Jorge, de 7 anos, ganhou um tablet de presente de Natal da avó e não desgrudou dele. “Ficou todo feliz e passou as férias brincando com ele”, conta a mãe do garoto, Cilene Beatriz de Mattos. A fascinação foi tanta, que a mãe precisou tirar o aparelho do filho. “Ele parou de brincar com outros brinquedos, porque ficou viciado no tablet. Até que chegou num ponto que eu tirei dele. Está de castigo faz mais de um mês”, finaliza. Cilene Beatriz de Mattos chegou ao ponto de tirar o tablet do filho Whalter que abandonou os demais brinquedos para ficar depedente da tecnologia. São ações que - se não regradas - prejudicam a formação da criança e que a maioria dos pais não adota. - 12 -

[close]

p. 13

Gustavo Paulino, do Magazine Luiza CONVERGÊNCIA DE TECNOLOGIAS O tablet possui características de um computador e de um smartphone, tendo funções presentes em ambos os aparelhos. Com tela touchscreen (sensível ao toque), o aparelho possui diversas aplicabilidades, como o acesso à internet e às redes sociais, visualização de fotos e vídeos, leitura de emails, jornais, revistas, livros, jogos, organização pessoal e muitos outros usos, que podem ser feitos através dos aplicativos do tablet. Tablets invadem as escolas: algumas em Araraquara, permitem que os alunos possam levá-los de casa uma vez por mês Exposição de tables no Extra - 13 -

[close]

p. 14

Mais de 20 associações comerciais da região se reuniram em Araraquara ENCONTRO ACIA recebeu em março a regional da FACESP Desta feita o encontro regional da FACESP foi em Araraquara, em março, para a discussão de problemas que envolvem as associações comerciais. Pelo menos uma vez por mês as associações comerciais integrantes da Regional da FACESP (RA 18), da qual Araraquara faz parte, se reúnem para debater os assuntos relacionados à classe. Hoje a região administrativa é composta por 23 municípios e o seu vice-presidente regional é Gino Torrezan, empresário em Dourado. No Estado de São Paulo são mais de 400 associações comerciais filiadas à FACESP, federação fundada em 1962 . Agregando as associações comerciais paulistas nesse tempo, a FACESP possibilitou o compartilhamento de problemas comuns e ações estratégicas conjuntas, participando e contribuindo para ações decisórias importantes nos âmbitos federal, estadual e municipal, em benefício do empresário brasileiro. É a missão que a ACIA também exerce, diz o presidente Renato Haddad. Normalmente, as reuniões mensais feitas pela Regional 18, servem para a elaboração de uma pauta de assuntos que será discutida na Federação em São Paulo. Como ocorreu em março, cada entidade da região apresentou suas dificuldades e reivindicações, com o objetivo de proteger a classe empresarial, notadamente os micro e pequenos empreendedores. O presidente da ACIA, Renato Haddad, aproveitou o encontro para anunciar os preparativos da entidade que em junho estará completando 80 anos de fundação. O vice-presidente regional da FACESP , Gino Torrezan, ladeado pelo presidente Renato Haddad e o tesoureiro Antônio Junquetti, ambos da ACIA Dany Boarini, Executivo da Associação Comercial de Descalvado e Gustavo Marques, Consultor do SEBRAE em Araraquara Representantes de Itápolis: Emerson Leandro Tozzi, gerente da Associação Comercial e Douglas Tozzi, do SCPC - 14 - O consultor regional da FACESP , Márcio Pessolo, ao lado de Maurício de Marco, do Departamento Jurídico da Associação Comercial de Descalvado, aproveitou para anunciar a retomada do Projeto Empreender em nossa cidade

[close]

p. 15

NO ANIVERSÁRIO DA ACIA A palestra de Antônio Golfeto Em junho, ao completar 80 anos, a nossa Associação Comercial e Industrial inicia uma série de promoções até o final de 2014 para comemorar a data. Uma das atrações será o palestrante Antônio Vicente Golfeto que falará sobre a Economia Regional. Mais que um palestrante, um sábio dos negócios. Assim é Antônio Vicente Golfeto, professor universitário de Economia há 52 anos; assessor técnico da Associação Comercial e Industrial de Ribeirão Preto há 48 anos e comentarista do Sistema Clube de Comunicação desde 1 995. O economista, a convite da ACIA, estará em Araraquara no dia 24 de junho para uma palestra sobre a economia regional e seus reflexos no mercado mundial. Em recente entrevista ao programa Cidade Agora, Golfeto mostrou que atuar bem no mercado vai além do saber empreender e se relacionar com clientes. Essa situação ele trará para a palestra da ACIA, mostrando caminhos e técnicas para ser um profissional de sucesso. Ele, dentro do tema, reforçará que é importante o valor da leitura na árdua tarefa da qualificação, distinguindo o saber do conhecer. Riqueza, afirma, está atrelada à inteligência. Em suas andanças pelo mundo o senhor identificou vários tipos de empreendedores, formado por empresários e administradores. Há um ponto em comum entre eles? Todos gostam de correr risco, todos são parentes do jogador, porque ganham a prazo sua estabilidade econômica e podem perder à vista. Essa assimetria que faz do jogador às vezes um temerário, que é o que o empresário é. O empresário percebe que está navegando nas águas de mercúrio. O mercado tem o Mercúrio como seu deus e Mercúrio é o deus da oscilação, da insegurança e da incerteza. E esta incerteza quanto mais acentuada maior as neuroses, ansiedades e algumas psicoses. O Mercúrio impede a acomodação, palavra que vem de cômodo, sentado e o mercado é justamente o local onde se navega. É daquela forma: quem não faz poeira come poeira. Então não existe empreendedor acomodado? Não! Aí ele é empregado. E mesmo o empregado não pode se acomodar. Ou ele se atualiza ou vem outro e toma o lugar dele. O mercado está chegando agora na área do emprego, de quem não corre risco, mas tem a possibilidade de perder o emprego para um mais competente e preparado, ou mesmo mais jovem ou experiente, vai depender do que a empresa quer. Como o senhor enxerga esta avalanche de informações da contemporaneidade? A vantagem da revolução tecnológica. Agora, é preciso verificar que o remédio pode se tornar um veneno. O uso excessivo da tecnologia da informação pode afastar a atenção das pessoas e a atenção nasce exatamente quando passa a ser uma matéria-prima da concentração. É uma vantagem e uma desvantagem. O excesso de atenção leva à tensão, que é o insumo da neurose de todas as psicoses. Apesar de avanços tecnológicos, o relacionamento é a chave para bons negócios, não? As condições de sucesso: primeiro, relacionamento. Você pode ser o melhor médico do mundo, mas nem sei se você é médico. Eu, com 71 anos, em todo lugar que vou, levo meu cartão, peço cartão, entro em contato, faço um processo de interação. Estava chegando na universidade de Berkeley, na Califórnia, e na entrada estava escrito assim: “Ser é ser notado”. É preciso que a pessoa te note. Mas não pode despertar a inveja. Um provérbio japonês diz que o prego mais saliente é sempre o que leva mais martelada. É começar a se destacar que a inveja começa a destruir. O limite é aparecer sem se expor. Como criar e inovar mesmo em coisas consideradas comuns? É o marketing, transformar o desejo em necessidade. Esta mudança muitas vezes vem do vício, palavra que tem a mesma origem de vezes. Quando se faz várias vezes vira vício. A economia é a ciência da necessidade. Luxo é o supérfluo, mas é passado à categoria de necessidades. Mercado é o território onde se transforma neurônios em dinheiro. Ninguém fica rico sendo burro. É possível ficar rico sendo analfabeto, mas inteligente. Antônio Vicente Golfeto - 15 -

[close]

Comments

no comments yet