JORNAL O MARISCO 181

 

Embed or link this publication

Description

Instalado o Ponto de Cultura Flor da Areia / Camila por Maria Luiza Tomatis / Povo Unido Carnaval de Verdade / Ana Ferreira do Arroio do Sal é cultura praieira no V Revelando os Brasis /

Popular Pages


p. 1

Ano XI Nº 181 Instalado o Ponto de Cultura Flor da Areia O Secretário de Estado da Cultura, Assis Brasil e comitiva estiveram no Balneário Pinhal com o Prefeito Palharim, secretários e artistas da Casa da Cultura do Litoral instalando oficialmente o PC Flor da Areia.

[close]

p. 2

Fórum AOS MESTRES... Nada de piso nacional...parece que o Governador do E s t a d o e s t á trabalhando com afinco na reeleição. O Luli é um cara muito louco mesmo. Não sossega nunca! E agora saiu com essa expressão que ao mesmo tempo que não quer dizer coisa alguma pode dizer muita coisa. Essa frase entre torto em qualquer momento e ganha significados diversos conforme a entonação. Lembro quando, há alguns anos atrás, os Norte Americanos chamavam a nós brasileiros de macaquitos. Lembro que muita gente era chamada de macaquinho por apenas imitar as atitudes e pensamentos padrões sem qualquer sombra de senso crítico. Lembro também que os milicos eram chamados de “Gorilas” durante os nebulosos e duros anos da ditadura militar. Lembro que a torcida gremista chamava a torcida colorada de macacos! Lembro que na Europa era costumeiro fazer isso! Lembro que há pouco tempo a torcida peruana imitou o som dos macacos a cada vez que o Tinga pegava na bola. Lembro que muitas vezes éramos xingados com a frase: “Mas isso até um macaco sabe fazer...”! Mas a nossa frase não remete a questão do racismo que de fato existe e deve ser combatido radicalmente. Acredito que se encaixe mais na loucura de uma mente inquieta que sempre está buscando algo para agitar o pensamento e é claro dar algumas boas risadas. O fato é que as coisas vão acontecendo na nossa volta e não podemos jamais deixar de observar a comentar, dar o nosso pitaco: Soltaram um rojão que matou um homem, e apareceram estranhos suspeitos falando frases feitas que bem poderia se dizer: “Bah! Parece um Macaco”... Aqui em Cidreira a Prefeitura queria que todos os blocos e escolas de samba cantassem uma única música composta pelas sumidades musicais da prefeitura! Isso sem dúvida é de dizer sem pestanejar: “Bah! Parece um macaco”... Será lembrado, com certeza, pela classe do magistério, na hora do voto. CRIANÇADA No dia das crianças, a gurizada do Piquete Desgarrados do Piazito deu show de laço e de diversão. Parabéns para os organizadores: Marina Luz, Bianca e Fabíola Luz, Alexandre e Andrisa Ferreira e não posso esquecer do «pai»trocinador Luli Luz. Querendo dá pra fazer bastante coisa, mas tem que querer... ACADEMIAS PÚBLICAS Visitei no fim de semana, com a família, uma das academias de ginástica. Muito legais, os equipamentos são bacanas e o espaço ficou muito bonito. Só senti falta de um bebedouro, no mais um belíssimo projeto. HOMOFOBIA NA CÂMARA Vereadora Esmirrá é impedida de usar seu nome social nos documentos expedidos por seu gabinete. É bom lembrar que homofobia é crime. ALTERIDADE Sabem o que é isso? Isso é o que falta para que a cidadania e a democracia não sejam o engodo que se tornaram. Falta saber como é a vida do outro e entender que ela é bem diferente. Falta entender que lutar por liberdade e direitos inclui escolher em favor da diferença, em favor do coletivo. É por falta disso, que deputados, governadores, prefeitos não conseguem governar para todos, pois a realidade que eles vivem é muito diferente da maioria da população . Eles vivem uma realidade cheia de luxo, de riquezas, de fartura. Não conseguem compreender que pagar para ter água e luz e ter comida na mesa, dá muito trabalho. E ter que fazer isso todos os dias para sustentar os luxos dos quais não é permitido para nenhum «popular» desfrutar é vandalismo, agressão, violência. Diante de brutal realidade só há uma forma de reagir: fazendo barulho! Eu apoio esse barulho. E repito a máxima que hoje está em todas as redes sociais: prefiro ver o dinheiro público sendo usado para consertar vidraças do que para encher os bolsos de políticos vândalos que se esbanjam às custas do povo. Quanto mais o povo se movimenta, mais consegue sentir como estamos acorrentados, inclusive pelos discursos de cidadania e democracia que em nada nos representam, apenas apresentam ilusões de liberdade, enquanto Amarildos são assassinados sem motivos Lizzi Barbosa - Pedagoga - Esp. Educação Inclusiva. Coluna do Luli NADA DE NOVO. Nada de novo, na nossa praia. Os veranistas chegando em grande número. Os c o m e r c i a n t e s ganhando dinheiro como nunca e os trabalhadores com serviço suficiente para melhorar suas rendas. Se todo mundo está feliz, eu também estou. Mas temos muita gente reclamando de algumas coisas, tais como: Muita sujeira na beira da praia, mau atendimento na saúde e principalmente, da ganancia de alguns comerciantes e prestadores de serviços. Quantos anos mais terei que falar sobre o tema? Será que custa muito limpar a praia? Será que nunca vamos aprender que temos que tratar bem, a todos que vêem à nossa cidade, para que eles queiram voltar? Que temos que melhorar em muito nosso atendimento à saúde, tanto para veranistas, como para moradores? Que nossos clientes, tanto ‘marisqueiros’ como veranistas e visitantes, só gastarão seus dinheiros aqui, se os preços de bens materiais e de consumo, não forem ABUSIVOS? E, principalmente se estivermos, poder público e população, com boa vontade para recebe-los e só assim eles voltarão? Ou NADA disso vale a pena? Sei lá! PONTO DE CULTURA FLOR DA AREIA. Para satisfação de todos e, principalmente, para quem tem algum compromisso com a CULTURA DO LITORAL, está sendo instalado, em Balneário Pinhal, o Ponto de Cultura FLOR DA AREIA, um projeto da Casa de Cultura do Litoral, apoiado pelo Ministério da Cultura e Secretaria Estadual de Cultura. Foi inaugurado no dia quatro de fevereiro, o espaço cedido pela Prefeitura de Balneário Pinhal, com a presença do Secretário de Cultura do Estado Assis Brasil, do Diretor de Cidadania e Diversidade João Pontes e do Coordenador da Rede RS de Pontos de Cultura, Ricardo Oliveira, que falaram da importância de um Ponto de Cultura, na nossa região e ficaram encantados com o espaço a ser ocupado. Mais uma vez digo, estes loucos da Cultura e Radicais da Inclusão, sempre preparando alguma coisa para melhorar nossas Comunidades. Aguardem! SALVE O CALORÃO Bem-vindo o Calorão que nos atingiu. Só assim, nossas Praias ficaram repletas, o que nos trouxe progresso e divisas. O que mais quero é que o Guaíba pegue fogo e o calorão nos traga mais gente. CARNAVAL NO RIO. Fiquem atentos com as notícias do Rio de Janeiro, pois mais uma vez, estou de malas prontas para me mandar para curtir o Carnaval Carioca. Vou e prometo voltar, se a ressaca permitir. Vou tentar encontrar a GLOBELEZA e se não encontrar, vou me divertir com qualquer carioca e se ainda não conseguir, acharei o ZÉ CARIOCA. Lá vou eu. SOU CIDREIRENSE E NÃO DESISTO NUNCA! Insc. Municipal N°008/06 - Insc. Estadual: Isento Rua Caubi da Silveira, 286 - Praia da Cidreira - RS - CEP: 95.595-000 jornalomarisco@gmail.com /jornalomarisco /jornalomarisco /jornalomarisco 51.3681.3456 51.9981.5593 Edição N°181 - III de Verão 17 de fevereiro de 2014

[close]

p. 3

* O Secretário de Estado da Cultura, Assis Brasil esteve no Balneário Pinhal para formalizar o convênio com a Casa da Cultura do Litoral e instalação do Ponto de Cultura Flor da Areia. * O Prefeito Palharim recebeu a visita do Secretário de Estado da Cultura, Assis Brasil, do Diretor de Cidadania e Diversidade, João Borges e do Coordenador da Rede RS de Pontos de Cultura, Ricardo Oliveira e levou-os ao CLAC, local onde serão realizadas as oficinas e demais ações do Ponto de Cultura Flor da Areia. * O Prefeito Palharim em reunião com o Secretário de Estado da Cultura, destacou a qualidade das ações culturais da Casa da Cultura do Litoral, dizendo ser melhor quando existe gente qualificada para trabalhar e desenvolver os projetos. * O Ponto de Cultura Flor da Areia irá desenvolver projetos audiovisuais com oficinas de formação e produção de filmes curta metragens que falam da nossa cultura, imaginário e cotidiano praieiro gaúcho. Quem quiser participar, basta entrar em contato pelo email: flordaareia@gmail.com a participação é gratuita! * Saiu a lista das músicas classificadas para o I Salina da Canção do Balneário Pinhal! A qualidade das composições anuncia que teremos um excelente festival com músicas e músicos de primeira linha. I Salina da Canção é Simplesmente Imperdível! * Daniel Maíba, coordenador do I Salina da Canção do Balneário Pinhal anuncia os Shows de Elton Saldanha e Daniel Torres para o festival! UM espetáculo para toda a nossa gente da praia! * A I Salina da Canção é uma realização da Secretaria de Turismo do Balneário Pinhal. A Secretária Mari Luce Santos está convidando a todos para que prestigiem o Rodeio do Túnel Verde e a I Salina da Canção do Balneário Pinhal, nos dias 14 e 15 de março! * O Governo do RS está investindo R$50 Mil para a aquisição de um veículo para a Secretaria da Saúde de Cidreira. * Passeio nos pontos turísticos de Cidreira, um projeto da Secretaria de Turismo de Cidreira, todos os domingos, informações: direto na secretaria ou pelo fone 3681-3721. * O professor e Mestre em Educação Júlio Furtado estará em Balneário Pinhal, dia 20/02 (quinta-feira), apresentado a palestra “Afinal quem manda aqui? Pode e liderança na sala de aula.” na SAPP. * Carnaval da Prefeitura será no Domingo dia 02 de março! Desfile de alguns blocos e escola, camarotes, coisa e tal! * Carnaval da Uesc será na Segunda dia 03 de março! Povo Unido Carnaval de Verdade! Com desfile das Escolas de Samba e Blocos de Cidreira! Povão na Rua e Todo Mundo Lá! * Na nova diretoria da 23ª RT\MTG-RS, o Balneário Pinhal está presente com Fábio Maciel (Cons.Ética) Mauro Ferreita (Diretor Campeiro) e Maria C. Faistauer (Conselho Diretor do MTG). * Nova Mistura apresenta nova linha de suplementos alimentares * As Aulas estão aí! Alegrias e reencontros para viver o novo ano! * O Trânsito de Cidreira está perigoso. Crescem absurdamente os acidentes, inclusive com vítimas fatais, tanto dentro quanto fora da temporada * Deputado Alceu Moreira (PMDB) envolvido em discursos discriminatório, racistas e em incitações à violência! Está na mídia o discurso um tanto sectário e violento do Deputado Alceu Moreira e do Deputado Hans (PP) falando dos quilombola, índios e MST, aos ruralistas. * É de matar de rir a proposta da Prefeitura de Cidreira! Todos os blocos carnavalescos e escolas de samba devem cantar uma única música feita pelas próprias sumidades musicais da Prefeitura de Cidreira. É de rolar no chão de tanto rir! * E ainda tem gente que se intitula carnavalesco e aceita participar de um assombro destes! * Pelo que tudo indica teremos o Carnaval da Elite de Camarote! E o povão de Cidreira que só queria brincar o carnaval que se exploda! * Se o estado de conservação da Avenida Mostardeiro é de doer, imaginem a dureza que estão as ruas internas que há mais de 40 anos não são reparadas. Um absurdo! * Moradores e veranistas continuam reclamando da imensidão de lixo jogada pelos terrenos, ruas e estradas de Cidreira. Tá um lixão! * Continuamos sem um espaço para o Depósito de Resíduos Sólidos em Cidreira. * Onde colocar o lixo urbano? Se não temos sequer um espaço para triagem de material reciclável. Por quê não temos Coleta Seletiva? * Ainda não temos uma ETE - Estação de Tratamento de Esgoto em Cidreira, as águas fétidas são recolhidas e deixadas num esgotão à céu aberto no meio das dunas. O incrível é que nem a Fepam nem o MP acham isso ruim! * Estamos em pleno ano eleitoral e continuamos com os fraudulentos e absurdos mais de 90% de eleitores e o Cartório eleitoral e o MPE parece continuar achando tudo isso muito normal. * Em Cidreira parece que teremos dois Carnavais, um deles burocrático de elites e camarotes, sem troféus, sem Corte e sem graça. * E no outro a Uesc está propondo um Carnaval popular com a participação de todos. E agora? * Carnaval é manifestação Livre da Cultura Popular. Cidreira era célebre pela alegria dos seus carnavais, depois apareceram alguns governantes meio acabrunhados das idéias, sendo que uma vez chegou ao cúmulo de o Carnaval ser proibido em Cidreira. Agora essa, de meia dúzia querer por corda na diversão dos outros. É só o que faltava? Em Cidreira aparece cada um... * Mais uma vez surge o comentário que meteram a mão no Fundão! Será? * Vereadores aprovam que funcionários de Cidreira não precisam de educação. Eles estão se puxando! Conforme a aprovação dos vereadores agora em Cidreira, tanto faz se o funcionário vai estudar, se qualificar ou não... É! Prá votar não precisa estudo nem qualificação! Prá que Estudar? Prá que Qualificação? Na Prefeitura Não Precisa...

[close]

p. 4

Num casebre de madeira, no meio das dunas, em uma pequena praia do Litoral Norte do RS, vivia o casal Zé e Angelina. Zé era auxiliar de pedreiro e praticamente só tinha trabalho, a partir de dezembro, quando os veranistas apareciam na praia para providenciar obras ou reparos em suas casas. Aí sim, Zé ganhava melhor de dezembro a fevereiro. Depois... Depois, a vida na praia é dura. Difícil mesmo. Durante todo o resto do ano, Zé apenas conseguia biscates. Angelina era faxineira e, da mesma forma que Zé, somente nos meses de veraneio conseguia se empregar em casas de família e ganhar algum dinheiro. Durante os outros meses do ano, viviam em situação de extrema pobreza. Por várias vezes, a casinha do casal, quase caía, devido ao mau tempo. O telhado era castigado por chuvas de granizo. E, foi nesse ambiente, onde sempre imperou a miséria, que nasceu Camila, uma linda menina. Camila nasceu numa madrugada fria de inverno, com o Nordestão soprando forte. Nasceu no corredor do posto de saúde. As enfermeiras fizeram o parto, pois não havia médico no local. Apesar de todas as dificuldades, Zé e Angelina criaram Camila com todo o amor e zelo. A mãe fazia suas roupas, para mantê-la sempre arrumada. Camila era o mimo de seus pais e chamava atenção por sua beleza. O pai diariamente chegava em casa à procura de Camila, quando ambos se envolviam em um abraço interminável. Zé e Angelina matricularam a menina em uma escola da rede pública, onde a mesma cursou até a sétima série. Os pais se empenharam, para que Camila estudasse, sonhando com um futuro melhor para a filha. Entretanto, por volta dos 12, 13 anos, Camila passou a apresentar um comportamento completamente diferente do habitual. Chegava em casa estranha, brigava com todo mundo, vivia na rua, tirava notas baixas e escondia dos pais as frequentes solicitações, por parte da direção da escola, para que os mesmos comparecessem no Setor de Orientação Psicológica da instituição. Mostrava-se triste e revoltada em relação à vida que levava. Os pais tentavam conversar com ela, porém Camila nem tomava conhecimento da existência dos dois. As discussões passaram a se tornar comuns entre os três. Zé e Angelina não sabiam como lidar com essa nova situação. Pensaram ser "coisa de adolescente" e que logo passaria. Um dia, Camila contou uma estranha história aos pais. Um senhor e uma senhora aguardavam no portão da escola, na hora da saída, e perguntaram a Camila se ela não gostaria de trabalhar para eles, que estavam procurando por uma jovem babá para cuidar de seu filho bebê, à noite, porque os mesmos tinham um bar em uma praia vizinha e durante a madrugada o movimento se intensificava. De imediato, Zé e Angelina disseram que de maneira alguma Camila poderia trabalhar com estranhos no período noturno. Lembraram a filha que ela estudava e tinha deveres a fazer, precisava ajudar nas tarefas domésticas e dormir à noite. Concluíram, a princípio, ser um absurdo tal serviço para uma menina estudante, de apenas 13 anos. Camila enfureceu, diante da negativa dos pais. Alguns dias depois Camila retornou da escola acompanhada de um homem e de uma mulher em um carro de luxo, o casal conseguiu convencer os pais de Camila a liberar a menina para o emprego de babá. Primeiramente Zé e Angelina não queriam concordar de modo algum, no entanto as pessoas insistiram bastante, pareciam ser muito generosas e foi proposto um bom salário à menina, que continuaria seus estudos no período vespertino, passaria a noite cuidando o bebê, podendo inclusive descansar, uma vez que a criança dormia toda a noite. Pela manhã, Camila pegaria o primeiro ônibus, retornando à sua casa na praia vizinha. Zé e Angelina acabaram cedendo porque não tinham o que comer em casa e o salário proposto pela dupla de visitantes era a esperança de dias melhores. Os pais de Camila acreditaram que essas pessoas poderiam encaminhar a menina para uma vida mais digna, tirando a guria daquele ambiente de miséria. E Camila iniciou a nova rotina. No primeiro dia de trabalho, quando Camila chegou de manhãzinha, Zé comentou com Angelina: "muié, mas a Camila precisa botar tanto reboco de pintura na cara e usá tanto prefume pra cuidá da criança?" Angelina respondeu: "craro homi! Tu não viu as ropa deles, o carro! Ela tem que andá bem arrumada prá trabaiá lá!" Os dias foram passando... Angelina começou a observar que Camila chegava muito cansada, parecia "fora do ar" Se atirava na cama, no mais profundo sono. Nada comentava sobre a criança, o trabalho... E não conseguia acordar, mesmo no período da tarde, para ir à escola. No final do mês, o dinheiro que Camila apresentou foi de valor muito abaixo do prometido, ela justificou, dizendo que os patrões pagariam depois, porém mais do que o combinado. Os pais de Camila se conformaram, mas ela continuava cada vez mais estranha e agressiva. Um dia, Camila disse aos pais que largaria os estudos e que apenas trabalharia. Seus pais não aceitaram. Diante da negativa de Zé e Angelina, Camila enfureceu. Fora de si, Camila começou a agredir Angelina quando Zé foi obrigado a agarrá-la à força, para separá-la da mãe, e acabou esbofeteando a filha. Naquela noite, Camila fugiu de casa. Seus pais procuraram a polícia, mas, na sua ignorância e boa fé, os mesmos nem tinham o endereço do trabalho da filha e o nome das pessoas que haviam oferecido o emprego de nada adiantou tudo era falso. Se deram conta de que haviam sido enganados e perdido a sua menina. Já convencidos pela polícia e amigos de que sua filha havia sido mais uma vítima do tráfico de drogas e prostituição, Zé e Angelina se desesperaram e, apesar dos esforços da polícia, Camila não foi encontrada. O casal passou a viver na mais profunda tristeza pela falta da filha, embora ainda alimentassem a esperança de que um dia recuperariam Camila. E o tempo passou... Em certa ocasião, anos mais tarde, Zé foi procurar um trabalho em outra praia distante, já que não conseguia emprego no lugar onde vivia. Pegou carona com um amigo e desceu do carro, procurando o local indicado na autoestrada. Foi quando avistou ao longe várias moças que abordavam clientes em carros. Aproximando-se, reconheceu no meio delas a "sua menina". Jamais ele esqueceria o rosto da filha mesmo estando massacrada pelas drogas, violência, prostituição e talvez doente. Permaneceu observando-a por um longo tempo e constatou que aquela moça aparentando muito mais idade, apesar de ainda ser nova, havia deixado de ser a sua filha querida e passou a ser "a moça da estrada". Uma, entre muitas que "sobrevivem" nesse meio e passam na autoestrada, pedindo carona, procurando um programa e se oferecendo a todos que aparecem. De repente, Camila também viu o pai, que já havia se aproximado mais, e ficaram os dois frente a frente, com os olhos marejados... Seus olhares permaneceram fixos um no outro por instantes, para depois envolverem-se no mesmo abraço dos tempos idos da infância de Camila. O pai tentou tirá-la daquele lugar, porém ela não aceitou. Tremendo de emoção, Zé implorava: "Camila, minha fia, volta pra nossa casinha. O pai e a mãe perdoa... Nois vai cuidá di ti..." Camila, aos prantos, respondeu: "pai eu morro de saudade de vocês. Eu apanho, eu sô humilhada...Já quasi murri por causa da pedra, mas passá fomi é pior." E fugiu do pai... Camila, agora, era apenas mais uma vítima da miséria, da falta de oportunidade, da falta de conhecimento e educação... E de tantas outras faltas... Ali, naquele momento, Zé percebeu que os seus sonhos e os de Angelina haviam sido levados...E, em lágrimas, olhou para o chão e sentiu que a vida dele e da mulher tornara-se mais escura do que o próprio asfalto que sua filha percorria diariamente.

[close]

p. 5

COTIDIANO Pág.5 OLHA O TAMANHO DA INGRONHA! As Escolas de Samba e Blocos Carnavalescos de Cidreira, organizados e representados pela UESC - União das Escolas e blocos de Cidreira foram surpreendidos pela administração pública quando convocados para uma reunião com a Secretaria de Turismo, contando inclusive com a presença do Prefeito de Cidreira. Para o espanto geral a Prefeitura comunicou que não haveria competição, não haveria troféus para os vencedores, não haveriam dois carros de som, não haveria sambas de enredo (todos deveriam cantar uma única canção feita pelos magníficos compositores da Prefeitura), não haveria corte e que todas as 21 agremiações deveriam desfilar em uma única noite. Tudo isso foi imposto de coma prá baixo sem qualquer apelação. A Prefeitura disse que vai ser assim e ponto final! O POVO DISSE NÃO! Foi daí que o povão se rebelou e disse que não aceitaria as imposições da Prefeitura, pois no ano passado tinham conseguida fazer um bom carnaval e que o Prefeito havia prometido melhorar a estrutura para o carnaval deste ano e nunca piorar como está acontecendo. Alguns blocos e escolas beneficiadas por uma negociação de camarotes e pela situação aceitaram as imposições e fecharam com a Prefeitura A UESC VAI FAZER UM CARNAVAL DE VERDADE PARA O POVO! A grande maioria das Escolas e Blocos permaneceram unidos e lutando pela proposta de um carnaval com resultados, com escolas e blocos vencedores, com troféus, com Rei Momo e Corte, com cada agremiação cantando o seu samba de enredo, com jurados qualificados, com participação e transparência. Como, apesar das tentativas, a Prefeitura não quis fazer a festa popular, então a Uesc, por seus representados, resolveu fazer acontecer o carnaval que o povão queria! A Uesc fará o carnaval de verdade! Será na Segunda, dia 03, a partir das 19 horas no Calçadão Kanitã com a participação de mais de 20 escolas de samba e blocos carnavalescos de Cidreira! Muita animação e alegria em um espaço que servirá para que todos e todas possam manifestar a sua alegria e brincar o carnaval. No esquenta da beira da praia a Escola de Samba Vamos Nessa fez a alegria da galera, enquanto a Rainha do Carnaval do Mundo, Estarlei Oss, recebia a comitiva da Escola Imperadores do Samba da capital. A expectativa é de mais de mil pessoas desfilando para o encanto de todos os que quiserem participar deste carnaval de beira de praia. A promessa é de muito ritmo e alegria no Carnaval de Cidreira!

[close]

p. 6

1º Festival Surf ASAPS TÁXI DE CIDREIRA Srs. Passageiros de Táxis de Cidreira Como presidente do Sindicato dos Taxistas tenho o dever de alertar todos os passageiros desta cidade que existem alguns companheiros usando seus números de telefone particular como sendo o telefone da rodoviária. Quero dizer que é tudo mentira, pois o único telefone do ponto de táxi da rodoviária é o 3681.1213. O passageiro está sujeito a chamar um táxi por um destes telefones e comparecer algum assaltante ou estuprador que tenha assaltado o motorista momentos antes e você não sabia, por isto aconselhamos sempre que precisar de um táxi chame pelo número 3681.1213 para a sua segurança. José Braz Ferreira Presidente do Sindicato dos Taxistas de Cidreira A ASPS - Associação de Surf e Skate de Salinas convocou a galera para participar do 1º Festival de Surf da ASPS e todo mundo atendeu ao chamado. o pessoal da organização coordenados pelo amigo Andy Naza se puxou e montou uma estrutura legal para receber os surfistas de várias localidades que se fizeram presentes. O Festival foi marcado por um bom número de competidores e por muita gente que foi prestigiar o evento na beira de Salinas. O que mais se viu, além de um belo show de surf nas ondas de Salinas, foram muitos sorrisos demonstrando a alegria de realizar um encontro para a prática deste esporte que aproxima muita gente em nossas praias. 1 - Estância do Pinhal: Nino Saldanha / Nino Saldanha - Viamão 2 - Puxa-puxa: Paulo Fleck / Davi Hackbart Porto Alegre / Candiota 3 - Deusas Águas: Luiz Teixeira / Jociel Lima Torres / Florianópolis SC 4 - Mar Grande do Sul: Cao Guimarães - São Leopoldo 5 - Oficio Pesqueiro : Julio Rodrigues / Marco Araujo - Porto Alegre 6 - Mar de Amor : Mario Amaral / Tuny Brum Capão da Canoa / Santa Maria 7 - Tambores do Rio Grande: Caio Martinez / Adriano e Cristian Sperandir - Porto Alegre/Osório 8 - A Cor do Verde : Marcelo D'Ávila / Clóvis de Souza - Santana do Livramento 9 - Bolicho de Tábua: Rubens Moreira e Cristiano Medeiros / João Pokorski / Manoel Souza - Candiota / Guaíba 10 - Na Cevadura do Mate: Mário Amaral / Felipe Prates - Eldorado do Sul / Porto Alegre 11 - Parceria Oitavada: Gilnei Antonio da Silva / Leonardo Almeida - Campo Bom / São Leopoldo 12 - Pra quem Maltrata o Cavalo: João Sampaio / Celso Oliveira - Itaqui / Balneário Pinhal Cidreira, fevereiro de 2014 Por conta própria Ana Ferreira do Arroio do Sal é a cultura praieira no V Revelando os Brasis No Balneário Pinhal a Secretaria de Esporte e Juventude realiza pelo segundo ano consecutivo o Projeto BE-A-BÁ do Surf. Este projeto propõe realizar durante os meses de janeiro e fevereiro, oficinas que ensinam as primeiras noções sobre a arte de Surfar. As oficinas são ministradas por surfistas responsáveis por ensinar desde as técnicas primárias até os cuidados necessários para entrar no mar. São oferecidas pranchas e demais equipamentos para a gurizada que ainda não tem, possibilitando assim a inclusão de todos. Com a maravilhosa história das “Lavadeiras do Arroio do Sal”, a nossa amiga Ana Ferreira é a única representante gaúcha classificada no V Revelando os Brasis. Levando toda a diversidade e a riqueza da cultura praieira, Ana Ferreira está no Rio de Janeiro participando de oficinas de produção audiovisual que a estarão habilitando para dirigir o curta metragem de sua história. O Revelando os Brasis é uma iniciativa do Instituto Marlin Azul do Espírito Santo que sob a coordenação de Beatriz Lindenberg vem ao longo desta 5 edições revelando as maravilhas da diversidade das culturas do nosso país, proporcionando aos criadores das cidades brasileiras com até 20 mil habitantes o acesso a produção do cinema brasileiro. A Casa da Cultura do Litoral esteve representando o RS em duas edições com Ivan Therra com o “Maestro da Areia” e Lizzi Barbosa com “Duas Cruzes”, agora Ana Ferreira leva, mais uma vez a cultura praieira gaúcha ao reconhecimento nacional através da produção de seu filme “As Lavadeiras do Arroio do Sal” no V Revelando os Brasis! A galera do skate cansou de tanto esperar pelo cumprimento de mais uma promessa feita durante as eleições e também não realizada pelos políticos da administração pública. A construção de uma pista de Skate foi prometida e alardeada por muitos políticos e cupinchas, porém como sempre acontece em Cidreira, passada as eleições e cada qual em sua teta, nada de cumprir o prometido. Pois a gurizada cansou de esperar e resolveu construir uma pista de Skate por conta própria. Fizeram uma vaquinha e receberam algumas doações de material e puseram mãos à obra e pronto! Em tempo bem inferior a qualquer obra pública ficaram prontos os obstáculos que compõem a pista da gurizada. É assim mesmo, quando de fato a gente quer fazer alguma coisa para o coletivo é só a gente se unir, se organizar e começar a realizar, pois de turminha as coisas ficam mais fáceis. Valeu gurizada! O projeto é focado na gurizada do Balneário Pinhal e são oferecidas 20 vagas a cada etapa para os guris e para as gurias. Não existe custo para a inscrição, necessitando apenas a autorização de um adulto responsável e muita vontade de aprender a surfar da gurizada. O projeto vem se mostrando, cada vez mais, como um ponto altamente positivo pois além de ensinar a prática esportiva também vem agregando parcerias, fazendo amizades e proporcionando alegria para a nossa gurizada.

[close]

p. 7

Não é de hoje que as comunidades de Nazaré e Salinas estão carentes de um espaço público para o atendimento da saúde de todos. Pois vieram verbas federais e finalmente a obra física está pronta e já faz tempo! Então por quê ainda não foi aberto o espaço para que as comunidades possam ter mais conforto e eficiência no atendimento? Tá Demorado! Nossa gente vem há anos sofrendo com a inacessibilidade da Farmácia Popular. Idosos, pessoas com limitações de mobilidade e pessoas com deficiências são obrigadas a subir degraus para poderem acessar um espaço público que por Lei deveria ser acessível. Pois vieram verbas estaduais e federais e ficou pronto o prédio da Farmácia Popular. Mas por quê essa demora em abrir o espaço e deixar que a nossa gente necessitada possa buscar seus remédios com mais dignidade. Tá demorado! Estamos em plena temporada. Tempo de a nossa gente da praia trabalhar mais um pouco para garantir um pouco mais de grana para ter acesso a bens de consumo e dignidade para a família. Mas muitas famílias estão impedidas de aproveitar este momento pois não tem com quem deixar as crianças. OS espaços que bem estariam servindo para apoiar as famílias das mulheres trabalhadoras de Cidreira estão prontas. As obras da Escolas Municipal de Educação Infantil estão concluídas, porém por razões que não são lá muito compreensíveis os espaços ainda não estão abertos ao público. As famílias necessitam, o espaço existe, mas não pode ser ocupado porque a Prefeitura ainda não inaugurou. Por que tanta demora em dar para o povo de Cidreira o que é dele por direito? Tá Demorado! www.blogdolobao.com.br twitter.com/lobaopc Buracos – Olha está difícil a situação das ruas de nossa cidade, a mostardeiros então esta virada em buracos. A falta de manutenção deteriorou nossas ruas. A Costa do Sol, terra do vice prefeito e de mais dois vereadores nem parece ter toda esta representação, pois é um caos administrativo. O que prova o que digo, ninguém tem poder neste governo, são todos marionetes nas mãos de alguns mal intencionados. Mas só aceita quem quer ser mandado e humilhado por esta gente. Fim do Verão – Chegamos ao fim de mais um verão, com praia lotada e calor excessivo. Agora nos resta voltar a nossa realidade, de ruas esburacadas, falta de médicos e remédios. Operação Verão – da Polícia Civil encerra dia 10 de março, quando os reforços vão embora e as Delegacias ficam com meia dúzia de policiais, esforçados e atendendo o acúmulo de serviço cartorário do verão. Chefe de polícia – Considerado por muitos o melhor chefe que já tivemos na PC gaucha, estará deixando o cargo no inicio de Abril, para concorrer a cargo eletivo. Deverá assumir o seu lugar o atual subchefe. Chefe de polícia I – Fez mudanças significativas na instituição e na defesa dos agentes de polícia. Com apoio ao aproveitamento dos investigadores, subsidio e novo marketing fez a polícia crescer muito aos olhos da população gaúcha. Ponto de Cultura – Foi criado em Balneário Pinhal pelo pessoal da cultura de Cidreira, simplesmente por não haver apoio político da prefeitura, e Balneário Pinhal que não tem burros em sua administração abraçou a causa e tem um ponto de cultura que irá receber 180 mil reais no projeto. Os Loucos – Por cultura de Cidreira a cada ano que passa vem mostrando, através de projetos vencedores, que não precisam dos políticos da cidade para mostrar Cidreira para o Brasil e o mundo. Parabéns ao Ivan Therra e a todos os que carregam consigo esta luta. Deputado Alceu Moreira – Após ter vencido o deputado Alceu Moreira, no Fórum de Tramandaí e no Tribunal de Justiça em Porto Alegre, vem aí o terceiro round. Os Embargos Declaratórios pedido pelo deputado serão julgados no dia 20 de fevereiro no TJ/RS. Acredito na vitória novamente e vamos até o STF - Superior Tribunal Federal. Promoção – Em breve serei comissário de polícia, valeu a espera!! Todos iguais na PPC gaúcha. Da Frase - Algumas pessoas te amam pelo jeito como você é... Outras te odeiam pelo mesmo motivo!! Saudamos e brindamos o esforço da Prefeitura de Cidreira que buscou junto aos governos estadual e federal os recursos para a realização destas obras, sem qualquer sombra de dúvida, muito importantes para as nossas comunidades. Porém fica difícil de entender o porquê desta demora toda para inaugurar as obras e finalmente permitir que a nossa gente tenha acesso aos espaços novos e bem melhor qualificados que os anteriores. Valeu pelo trabalho, mas agora deixa o povo usar! Tá demorado! Desde o ano passado, quando o Secretário de Obras mandou abrir uma rua totalmente irregular por cima de terrenos documentados que os proprietários estão tentando resolver, junto ao jurídico da Prefeitura, de modo amigável. Porém passado mais de ano do fato ocorrido ainda não foi possível para a Prefeitura demarcar a situação correta dos terrenos e colocar a rua no lugar conforme o mapa do Cartório. A irregularidade foi causada pela má ação administrativa que pensou apenas em favorecer alguns em detrimento de outros.

[close]

p. 8

A Casa da Cultura do Litoral representada por seus membros: Lizzi Barbosa, Ivan Therra, Luli Luz, Daniel Maíba, Fabíola Luz, Henrique Soares, Gi Teixeira e Denilson Ferreira recebeu, juntamente com o Prefeito Palharim, a visita do Secretario de Estado da Cultura, Antonio Assis Brasil, juntamente com o Diretor de Cidadania e Diversidade, João Pontes e o Coordenador da Rede RS de Pontos de Cultura, Ricardo Oliveira para formalizar o convênio firmado entre a Casa da Cultura do Litoral, a Secretaria de Estado da Cultura e o MINC - Ministério da Cultura para o Projeto Flor da Areia que estará possibilitando às comunidades praieiras o acesso a formação e produção audiovisual das culturas, imaginário e cotidiano do povo praieiro gaúcho. Estão previstas oficinas de direção, roteiro, arte, produção e tudo o mais para que a nossa gente praieira possa registrar a sua história fazendo filmes pensados, produzidos e protagonizados pela própria comunidade. Estiveram prestigiando o evento e acompanhando a comitiva da Cultura o vice Prefeito Ogando, a Secretaria de Educação Ana Clara Ogando, o Diretor de Cultura, Diego e a Secretária de Turismo Mari Luce dos Santos. Após o encontro no Gabinete, o Prefeito Palharim convidou o Secretário da Cultura e comitiva para visitar o CLAC - Centro de Lazer, Arte e Cultura, local onde serão desenvolvidas as atividades de produção e oficinas do Ponto de Cultura Flor da Areia. O espaço é excelente e foi articulada a sua utilização pelo Secretário Jorge Fonseca que vem apoiando há tempo as ações culturais comunitárias da Casa da Cultura do Litoral. A gente da cultura acredita que num espaço de aproximadamente 30 dias estarão sendo publicadas as primeiras ações do Ponto de Cultura Flor da Areia. Adiantando que a participação é livre e gratuita para todos e todas de todas as comunidades indiscriminadamente. As associações e coletivos de qualquer natureza que quiserem compor parcerias com o Ponto de Cultura, basta contatar pelo email: flordaareia@gmail.com ou pelo fone: 3681.3456. O Ponto de Cultura Flor da Areia com o financiamento do MINC - Ministério da Cultura, da Secretaria de Estado da Cultura e com o apoio da Prefeitura do Balneário Pinhal estará propondo a formação, produção e realização de filmes de curta metragem que mostrem a cultura, o imaginário e o cotidiano das gentes que moram pela beira da praia. Vamos fazer Cinema Praieiro com a cara da nossa gente praieira gaúcha! Rádio

[close]

Comments

no comments yet