Relatório de Contas LAM 2012

 

Embed or link this publication

Description

Relatório de Contas LAM 2012

Popular Pages


p. 1

RELATÓRIO E CONTAS 2012

[close]

p. 2

Introdução Quem somos nós A LAM - Linhas Aéreas de Moçambique sucede a DETA - Direcção de Exploração dos Transportes Aéreos criada em 1936, como uma divisão de exploração dos serviços dos Portos e Caminhos de Ferro de Moçambique. A existência da DETA, como Companhia aérea, caracterizou-se por uma primeira etapa de rápido desenvolvimento, respondendo, essencialmente, às necessidades criadas pelas ligações aos países vizinhos, nomeadamente, Suazilândia, África do Sul, Malawi e Zimbabwe. LAM - Empresa Estatal Após a Independência Nacional, por Decreto nº 8/80 de 19 de Novembro, foi extinta a DETA e criada a LAM, E.E, sob tutela do Ministério dos Transportes e Comunicações A LAM tem como objecto o serviço público de transporte Aéreo de Passageiros, Carga e Correio no âmbito Nacional, Regional e Intercontinental, com carácter Regular e não Regular. Situação Actual Segundo o Decreto nº 69/98 de 23 de Dezembro, a LAM é transformada numa entidade privada adoptando a forma de Sociedade Anónima de Responsabilidade Limitada, passando a denominar-se Linhas Aéreas de Moçambique, S.A. O capital social actual é de 708.175.955 Meticais, detido pelo Estado e pelos Gestores, Técnicos e Trabalhadores, na proporção de 96% e 4%, respectivamente. O Conselho de Administração da LAM é composto por sete (7) membros, sendo quatro não executivos, nomeadamente, Professor Doutor Teodoro Andrade Waty, Presidente de Conselho de Administração, Dr. Paulo Negrão, Dr.ª Maria da Graça Fumo e Dr. Carlos Fumo, Administradores e três executivos, nomeadamente, a Drª Marlene Augusta Manave, Administradora Delegada, o Dr. Jeremias Tchamo, Administrador Financeiro e, o Cmte. João Martins de Abreu, Administrador Técnico Operacional. 2

[close]

p. 3

A LAM tem a sua sede em Maputo e possui Representações nas Zonas Centro e Norte do país e, no estrangeiro, na África de Sul. Também está representada na Tanzânia, Quénia, Angola e Portugal e noutros países, através de GSA’s (Agentes Gerais de vendas). Emprega 689 trabalhadores. Frota A satisfação e o conforto do nosso Passageiro é uma preocupação constante da LAM - Linhas Aéreas de Moçambique. O ano de 2012 marcou o fim do processo de substituição dos B737-200 com a retirada do último deste tipo de aeronaves da frota da empresa e introdução de mais 1 EMBRAER 190. Com efeito, no fim do exercício económico de 2012, a LAM operava uma frota de aeronaves composta por quatro (4) aviões a jacto e três (3) turbo-hélice. A frota dos aviões a jacto compreende dois tipos, nomeadamente um (1) Boeing 737 - 500, com capacidade para transportar doze (12) passageiros em Classe Executiva e noventa e seis (96) em Classe Económica e três (3) Embraer190, com capacidade para transportar noventa e três (93) passageiros, sendo (9) na classe executiva e oitenta e quatro (84) na classe económica que são utilizados no serviço doméstico e regional. Os aviões turbo-hélice são de tipo Bombardier-Q400 sendo dois com capacidade para transportar 72 passageiros e um, 76, todos em classe Económica. Estas aeronaves são exploradas pela LAM através da sua subsidiária e feeder, MEX - Mozambique Express, operando também voos domésticos e regionais em rotas de menor densidade de tráfego incluindo ligações entre Joanesburgo e destinos turísticos, como são os casos de Vilanculos e Inhambane. Missão Transporte por via aérea de passageiros, carga e correio no serviço doméstico, regional e intercontinental, com carácter regular e não regular, com a máxima segurança, conforto adequado e qualidade, que satisfaçam os clientes. 3

[close]

p. 4

COMO É QUE A LAM LEVA À PRÁTICA A SUA MISSÃO ?  Alargando a nossa oferta de Serviços e Produtos. Acompanhando o crescimento dos nossos clientes em novos mercados e novas áreas geográficas. Através da melhoria sistemática dos nossos processos de trabalho. Contribuindo para o desenvolvimento e crescimento contínuo da nossa competência. Criando e desenvolvendo parcerias com base no conceito da geração de valor para a empresa e do reforço do bom relacionamento profissional e pessoal.      Tomando como referência os mais restritos critérios de Qualidade, Segurança e Conforto. Visão Ser um grupo de empresas no transporte aéreo, líder no mercado nacional e um forte competidor no mercado regional e intercontinental. VALORES DA LAM   Os nossos Clientes serão sempre os primeiros e a razão da nossa existência. Valorizar e seguir os princípios da responsabilidade e transparência corporativa, equidade e prestação de contas.  Estimular a inovação e a criatividade na prestação de serviços, com foco na qualidade e nos resultados.  Observar os mais elevados princípios e padrões éticos, dando exemplo de solidez moral, honestidade e integridade.  Proporcionar um tratamento justo a todos os colaboradores, valorizar o trabalho em equipa, estimulando um ambiente de aprendizagem, desenvolvimento e auto estima.  Exercer a cidadania, contribuindo para o desenvolvimento da sociedade e respeito ao meio ambiente. 4

[close]

p. 5

POLÍTICA DA QUALIDADE, SEGURANÇA E AMBIENTE A LAM considera a Safety, Security, Qualidade e Ambiente como prioridades fundamentais nas nossas operações. Através de uma postura pró-activa comprometemo-nos em oferecer serviços que vão de encontro às necessidades dos nossos clientes e, sempre que possível, excedam as suas expectativas. A LAM prima pela preservação do ambiente e garantia da segurança em todos os locais onde realiza operações. Nas operações em Terra e no Ar o objectivo é: zero defeitos. Para o alcançar:  Tratamos de todos os detalhes do negócio através de um adequado planeamento, controlo, inovação e melhoria contínua das actividades e da conformidade com a Regulamentação de Aviação Civil Moçambicana;  Investimos no capital humano que é o nosso maior activo, disponibilizando equipamentos, tecnologia moderna e formação;  Implementámos um sistema integrado de gestão da Qualidade, Segurança e Ambiente de acordo com os requisitos legais aplicáveis;  Provemos recursos necessários para o cumprimento da nossa política de Safety, Security, Gestão ambiental, Gestão de Segurança e Saúde no trabalho, com o objectivo de prevenir lesões e afecções de saúde, riscos e acidentes profissionais bem como a prevenção da poluição do ambiente. 5

[close]

p. 6

Factos Marcantes I TRIMESTRE  Retirada do último B737-200 da operação no âmbito do processo de renovação da frota e introdução de um Boeing 737–500 em regime de locação operacional (WET LEASE) de curto prazo enquanto se aguardava a chegada do EMB190 cujo aluguer estava ainda em processo de negociação.  Realização do Seminário de Avaliação do Grau de Execução do Plano Estratégico 2011 - 2013, ano de 2011, que contou com a participação dos Gestores da LAM de todas as frentes de produção no país e no estrangeiro.  Início de voos bi-diários entre Maputo e Tete, de Segunda a Sexta-Feira, visando oferecer maior flexibilidade aos passageiros e responder à cada vez maior demanda dos homens de negócio impulsionada pelos mega-projectos existentes naquele destino. II TRIMESTRE  Como habitualmente, em Abril de 2012 a LAM organizou um evento cujo objectivo era premiar as Agências de Viagens a nível nacional como um gesto de reconhecimento daquelas que se distinguiram em 2011 na venda dos serviços da LAM.  Ainda no âmbito das realizações anuais, a LAM participou no INDABA 2012, a maior feira de turismo do hemisfério sul, realizada de 12 a 15 de Maio na cidade sul-africana de Durban. A participação teve como tema principal “LAM, Companhia Aérea de Bandeira empenhada no desenvolvimento do turismo em Moçambique”.  A LAM na pessoa da sua Administradora Delegada, participou em Pequim, China, na 68ª Assembleia Geral da IATA, realizada de 10 a 12 de Junho sendo de destacar o facto de ter integrado a Comissão de nomeação dos membros do Board de Governadores composta por 10 CEO’s escolhidos de entre as companhias membros desta importante organização. 6

[close]

p. 7

 Com o lema da campanha “Só não voa quem não quer”, a LAM - Linhas Aéreas de Moçambique, no âmbito da celebração dos seus 32 anos, lançou para o mercado 32.000 lugares com desconto de até 65%. III TRIMESTRE  A LAM obteve excelentes resultados na auditoria de recertificação ISO 9001: 2008, realizada de 13 a 16 de Agosto de 2012.  A LAM participou na 48ª edição da FACIM que se realizou de 27 de Agosto a 02 de Setembro de 2012, em Ricatla, Marracuene.  LAM celebrou o 10º aniversário da rota Maputo/Dar-Es-Salaam e premiou agências de viagens que são seus parceiros de vendas no mercado tanzaniano numa cerimónia realizada em Dar-EsSalaam e dirigida pela Administradora Delegada IV TRIMESTRE  A LAM reiniciou a operação para Harare oferecendo dois voos semanais ligando Maputo e Beira àquela capital Zimbabweana.  A Administradora Delegada da LAM – Linhas Aéreas de Moçambique, Drª Marlene Mendes Manave, foi eleita Presidente da AASA – Associação das Companhias Aéreas da África Austral, no decurso da Assembleia Geral desta organização realizada de 18 a 21 do mês de Outubro na cidade de Maputo.  No âmbito do processo de renovação e modernização da frota, a LAM adquiriu duas novas aeronaves, sendo uma do tipo Embraer-190 e outra de tipo B737-500 ambas em regime de locação operacional. 7

[close]

p. 8

Responsabilidade Social  No âmbito das celebrações do Dia Internacional da Criança a LAM organizou visitas à empresa para crianças dos centros infantis de Maputo e Matola tendo lhes oferecido lanches e proporcionado a oportunidade de entrarem a bordo duma aeronave.  Ainda no âmbito da responsabilidade social e sobre o lema “Aqui Nós Podemos Voar”, a LAM lançou uma tarifa especial para o idoso. 8

[close]

p. 9

Envolvente Macroeconómica Economia Internacional1 Segundo o FMI, as condições económicas continuam a melhorar de forma modesta, com um crescimento global em cerca de 3,2%. Os principais impulsionadores desta aceleração foram as economias de mercado emergentes, onde as suas actividades de desenvolvimento ocorreram como esperado, os Estados Unidos que registam um surpreendente crescimento. A zona Euro continua em desaceleração com o impacto da crise soberana que assola os países associados, apesar dos esforços de contenção da mesma por organismos como Fundo Monetário Internacional, Comissão Europeia e Banco Central Europeu. Economia Nacional2 Os resultados do PIB em 2012, mostram que a economia moçambicana cresceu, em termos reais 7.2%, representando para o ano em análise, uma desaceleração na ordem de 0.1 ponto percentual quando comparada às estimativas revistas de 2011. Em termos de contribuição no PIB em 2012, a agricultura, pecuária, silvicultura e actividades relacionadas, foi o ramo com maior participação na economia com um peso de 23% do PIB gerado na economia no período em análise. Seguiram-se os ramos da indústria transformadora e dos transportes e comunicações, com uma participação de 12% cada. O ramo do comércio e serviços de reparação, teve um peso de 11%. Os ramos, financeiro e de aluguer de imóveis e serviços prestados às empresas tiveram um peso de 6% cada. Os restantes ramos de actividade tiveram em conjunto um peso de 30%. Dados do FMI indicam que a taxa de inflação em 2012 caiu para 2,5%. Esta situação foi sustentada pelos preços dos alimentos importados inferiores aos esperados (sobretudo do açúcar e do trigo), estabilidade dos preços administrados (combustíveis, transporte público, electricidade e água) e uma taxa de câmbio forte em relação aos parceiros comerciais. 1 2 Fonte: World Economic Outlook Update, January 2013 Fonte: INE: Contas Nacionais de Moçambique, IV Trimestre 2012 e I Trimestre 2013 9

[close]

p. 10

Segundo dados divulgados pelo BM, o metical face ao dólar americano registou uma depreciação anual de 8,73% (comparado com a apreciação de 17,33% em igual período de 2011). Em relação ao rand o metical depreciou-se em 5,42%. O Sector da Aviação Civil3 Em 2012, o forte crescimento económico nos mercados emergentes resultou numa expansão do tráfego de passageiros e crescimento na conectividade aérea. As aeronaves recém introduzidas no mercado trouxeram melhorias significativas na eficiência das companhias. Posição diferente teve o negócio da carga aérea, que sofreu o segundo ano consecutivo de recessão do mercado, queda nas utilizações e rendimentos mais baixos. Embora, a boa performance do tráfego neste ano, a rentabilidade do sector ficou aquém das expectativas, este facto está estritamente relacionado com as economias desenvolvidas, que mantêm-se fracas em termos de crescimento económico e com o preço do Jet-A1 que alcançou novos máximos durante o exercício. Dos três maiores mercados que juntos constituem 83% do tráfego global, as companhias aéreas Asiáticas continuam garantindo maiores margens e maiores resultados, embora os resultados sejam inferiores aos do ano de 2011 devido ao enfraquecimento no sector de carga aérea. As companhias norte americanas conseguiram alcançar ganhos significativos e aumentar a eficiência operacional como resultado de alianças estabelecidas. As companhias Europeias continuam com as margens negativas, resultante da contínua recessão na zona Euro. Os mercados emergentes da Ásia, América Latina e África verificaram um crescimento significante no tráfego, associado ao forte crescimento económico. Durante o ano de 2012, 65% do crescimento no número de passageiros no mercado global esteve associado as economias emergentes. 3 Fonte: IATA Annual review 2013 10

[close]

p. 11

O tráfego global de passageiros (Expresso em Receita por passageiro Quilómetro - RPK) cresceu 5,3% em 2012. Em contraste com os passageiros, o volume da carga aérea esteve novamente fraco, embora tenha crescido 2,9% em 2012. A carga aérea medida em Carga Global por tonelada Quilómetro retraiu-se em 1,5% como resultado da perda da quota para outras formas de transporte. O preço de referência do JET-A1 em 2012 cresceu alguns dólares em relação ao nível do ano anterior tendo estado numa média de 130 USD o Barril. Parcialmente, em resposta, aos altos gastos com combustível, a entrega de novas e mais eficientes aeronaves atingiu níveis recorde em 2012, com 1.374 jactos e turbo-hélices entregues. Estas novas aeronaves significaram um adicional de 238.000 assentos, equivalentes a um adicional de 7 a 8% na capacidade global. Os altos gastos com combustível também encorajaram as companhias aéreas a retirar parte da sua frota mais antiga. Os Lucros líquidos globais do sector de aviação ascenderam os 7,6 Biliões de USD abaixo dos 8,8 Biliões de USD atingidos em 2011. 11

[close]

p. 12

Indicadores de Actividade Evolução da produção Passageiros Em termos gerais, o tráfego de passageiros teve uma variação positiva em relação ao período homólogo, tendo contribuído o seguinte:    Aumento da oferta a partir da segunda metade do ano; Crescimento turístico nos diversos pontos do pais. Prospecção do gás e exploração mineira e florestal no pais, envolvendo significativo fluxo de passageiros para Tete, Nampula, Pemba e Lichinga;   Realização do X Congresso da Frelimo Introdução da 3ª Frequência na rota DAR. Entretanto, há que referir ainda outros factores que impactaram para que o desempenho ou crescimento não tenha sido mais significativo:     Aumento da Concorrência Aérea; Horário no mercado doméstico não flexível para conexões com o regional; Dificuldade de voos directos ponto-a-ponto; Aumento de voos directos POL/JNB e TET/JNB pela concorrência. Descrição Domestico Regional Intercontinental Tabela 1 – Passageiros transportados 2012 2012 362.055 220.320 582.375 2011 336.836 204.974 17.154 541.810 Variação 7% 7% -100% 7% Carga O sector de carga registou uma retracção global em 6% face ao ano anterior, resultante dos seguintes factos: 12

[close]

p. 13

   Fraca capacidade de transporte de carga devido a limitação do equipamento; Retirada da operação intercontinental. Massificação dos transportes terrestres, com tarifas competitivas; Contudo, no subsector regional o desempenho foi positivo, tendo sido alavancado pelo seguinte:  Aumento do volume de carga oriunda de vários países da Europa e América, com trânsito em JNB e MPM, destinado aos projectos de prospecção de petróleo e gás natural na Bacia do Rovuma.  Nomeação de GSA’s no mercado Asiático que impulsionou significativamente o aumento do volume, caso de medicamentos importados pelo MISAU e pelo Ministério da Saúde de Angola, cujo trânsito é feito em MPM;  Aumento do volume de tráfego TET e JNB devido aos projectos de exploração mineira. 2012 2.806 716 0 3.523 2011 2.840 558 355 3.753 Variação (%) -1% 28% 100% -6% Descrição Doméstico Regional Intercontinental Total Tabela 2 - Carga Transportada 2012 (Em toneladas) Coeficiente de Ocupação No período em análise, o índice de ocupação melhorou em 0,4 p.p no doméstico e em 1,6 p.p no regional. Descrição Doméstico Regional Tabela 3 – Coeficiente de Ocupação, Fonte: GEP 2012 77,4% 67,9% 2011 77,0% 66,3% Pontualidade Operacional Em prol da melhoria contínua nos serviços prestados, destaca-se o gradual crescimento na pontualidade operacional, tendo superado o ano transacto em 1,5 p.p. Descrição Média Tabela 4 – Pontualidade Operacional 2012, Fonte: GEP 2012 92,0% 2011 90,5% 13

[close]

p. 14

Recursos Humanos O desenvolvimento e a valorização dos recursos humanos da LAM estão cada vez mais orientados para o reforço das competências técnicas e comportamentais dos colaboradores. A Empresa considera vital disponibilizar os instrumentos de aprendizagem apropriados para o desenvolvimento sustentado dos seus colaboradores, em linha com os objectivos estratégicos definidos, bem como implementar mecanismos para a sua captação, motivação e retenção. Até ao final do exercicio de 2012 a LAM contou com 689 colaboradores conforme mostra a tabela abaixo: ANO/GÉNERO 2012 2011 M 421 435 F 268 263 TOTAL 689 698 Tabela 5 – Nº Trabalhadores por Género, Fonte: Balanço Social LAM 2012 A distribuição por género apresentou-se composta por 61% de colaboradores do sexo masculino e 39% do sexo feminino. Formação Profissional4 Em 2012, a LAM previlegiou acções de formação específicas e consideradas indispensáveis ao desenvolvimento sustentável da Empresa, como é o caso das áreas de Atendimento ao Cliente, Safety e Qualificação de técnicos e pessoal navegante. Durante o ano de 2012, foi administrado um total de 6.905 horas de formação a um total de 1.731 presenças. No âmbito da melhoria contínua e dotação dos colaboradores com conhecimentos sólidos e actualizados das áreas onde estão enquadrados, foram realizadas formações com as seguintes linhas de orientação:  Frontline ‐ atendimento de qualidade orientado para a satisfação das necessidades do cliente em toda a cadeia de atendimento;  Redução do gap evidenciado vs monografia de função ‐ qualificação técnica específica e desenvolvimento das componentes comportamentais e de liderança;  Exigências ISO/IOSA ‐ cumprimento de requisitos da indústria. Nº de Acções Formação 2012 Tabela 6 – Síntese da Acções de Formação - 2012 Nº de Participantes 1.731 Nº de Horas de Formação 6.905 72 4 Fonte: Relatório da Formação 2012 14

[close]

p. 15

15

[close]

Comments

no comments yet