Maria Dolores de La Sagra - Arquitetura e Design

 

Embed or link this publication

Description

Uma breve apresentação profissional

Popular Pages


p. 1



[close]

p. 2



[close]

p. 3

Das maquetes aos móveis Minha breve história

[close]

p. 4



[close]

p. 5

Olá! Me chamo Maria Dolores de La Sagra. Sou Arquiteta e Urbanista. Formei-me pela EAU da Universidade Federal Fluminense já há um "tempinho". Antes de cursar Arquitetura, eu estudava Desenho Industrial na Universidade Federal do Rio de Janeiro, no final da década de 80. Não concluí essa faculdade por problemas de currículo em mudança na época, falta de professores para ministrar aulas e, o mais importante, eu era muito jovem e me custava muito passar o dia inteiro no campus da Ilha do Fundão com seus prédios isolados, corredores sombrios e pouco com o que me ocupar entre as aulas. Prédio da Reitoria e Escola de Belas Artes – Ilha do fundão

[close]

p. 6

Mas ao mesmo tempo esse "isolamento" me abriu horizontes. Eu vivia circulando pelas bibliotecas dos institutos. Passava horas desenhando, mergulhada em livros de arte magníficos. Nas aulas e nas oficinas do curso esse tempo de "estudo" era aplicado, e eu simplesmente me apaixonei pelas disciplinas onde saíamos do papel para o espaço em três dimensões. Adoro o exercício de visualizar, construir e desconstruir objetos na mente antes de levar isso para o papel. Construir as coisas que desenhava sempre foi para mim algo sensacional. Perspectiva livre – Proposta Urbana para conjunto habitacional – UFF - 1995 Essa facilidade com o 3D, com o espaço, me foi extremamente útil na arquitetura. . . Nas maquetes então...

[close]

p. 7

Maquete para mim nunca foi instrumento somente de conclusão de um projeto. Aprendi na faculdade e aplico ainda hoje, a maquete como ferramenta do processo de projetar. Lembro de uma frase ouvida de um professor quando ainda na faculdade de Desenho Industrial. "O papel aceita tudo. O espaço não." Verdade pura. Por melhor que seja minha visão espacial, às vezes vejo na maquete de estudo que meu cérebro me pregou uma peça e o desenho não funciona em 3D. Me especializei na produção de maquetes para construtoras. Imagens de minhas maquetes.

[close]

p. 8

Para divulgar o trabalho em Arquitetura e Maquetes, criei um blog, o Maqueteria e uma página no Facebook http://amaqueteria.blogspot.com.br/ https://www.facebook.com/Maqueteria.oficial Já possuia um outro blog, o Maria Nolita onde posto meu lado “crafter”, minha verve cronista e coisas que faço ou acontecem no dia a dia. Isso ajuda a ordenar todos as outras mil coisas que testo, que apronto, que crio. http://marianolita.blogspot.com.br/

[close]

p. 9

Mas isso tudo foi para falar dos móveis. Depois de muito tempo com maquetes, construindo, buscando soluções para representar o que o projeto pedia, usando para isso conhecimentos adquiridos nas oficinas na faculdade e em marcenarias e marmorarias onde já trabalhei supervisionando e aprendendo com os profissionais, agora parti para a movelaria. Uma proposta de re-uso de materias que iriam ser descartados ou que uma vez encerrada sua função primária, ficam encostados, empilhados, abandonados até virarem uma pilha fumegante de lixo. Madeira, metal, borracha. No que conseguir pôr as mãos e re-inventar.

[close]

p. 10

Sei que tem muito hoje em dia dessa proposta de consumo consciente, ecológicamente correto. Não estou inventando absolutamente nada. Eu apenas concordo e sou adepta deste estilo. Acho que há espaço para objetos mais rústicos junto à alta tecnologia. E eu particularmente me sinto melhor cercada também de objetos que não pareçam ter saído de um filme de ficção. Não que eu não seja fã de tecnologia! Trabalho com computadores, tablets, smartphones. Uso eletrodomésticos. Amo de paixão meu aparelho de ar condicionado. Adoro combinar isso tudo com coisas mais acolhedoras e, se feitas por minhas mãos então! Mas o reciclar para mim, quando falamos de usar objetos com “milhagem” por assim dizer, tem uma regra. Não é por ser reciclado que tem que parecer ter sido feito de lixo. Nos móveis que projeto e construo juntamente com meu marido, usamos madeiras de reuso, mas estes são pensados para integrarem-se em qualquer ambiente onde um móvel rústico em madeira possa participar. São criados para durar, para serem belos em sua rusticidade, funcionais e resistentes. Não empilhamos pallets, por exemplo. Usamos suas madeiras para criar algo que em nada lembra o pallet. Essa é uma das nossas propostas: usar pallets para criar móveis e adornos com essa cara mais rústica e assim, não só ter uma linha de mobiliário com uma proposta ecológica, mas também algo fora da pattern language encontrada em movelaria. Isso tudo está em outro blog, o Rufus Wood Works onde conto todo o processo de produção e criação deste mobiliário.

[close]

p. 11

http://rufuswoodworks.blogspot.com.br/

[close]

p. 12

Estamos começando agora a empreitada de comercializá-los. E para isso temos buscado maior presença nas redes sociais. Já contamos com um site o www.rufusgaragesale.com, onde compartilharemos informações, novos produtos, dicas e onde nos colocamos à disposição para contato. E estamos em outras mídias! Muito obrigada pelo tempo e atenção dedicados à leitura deste. Um abraço! Maria Dolores de La Sagra

[close]

p. 13

Os móveis... Cadeiras (duas versões).

[close]

p. 14

Espreguiçadeira.

[close]

p. 15

Banco com jardineiras (peça modulável)

[close]

Comments

no comments yet