Jornal Clarim Evangélico

 

Embed or link this publication

Description

Jornal de publicidade e Evagelismo da Igreja Assembleia de Deus na Cidade Nova

Popular Pages


p. 1

“Entrevista com Pr. Calais Júnior, um dos preletores do 14º Congresso de missões da IEADCIN” Pg. 03 “A igreja precisa despertar” Natal e Missões: Tudo a Nov/Dez 2013 ver. através de mim e também de Pg. 4 você. “Jesus continua a fazer missões Nº 54 Nov/Dez 2013 Ano 14 www.ieadcin.com.br Ouça o Proclamai: Amazônia viva 89.5 www.amazoniaviva.com.br Como Deus faz a história acontecer por meio de sua palavra profética Uma das características da palavra de Deus é a infabilidade de suas profecias. Isto acontece porque Deus tem zelo, cuidado com sua palavra para a fazer cumprir. Portanto, era perfeitamente normal e necessário que, em se tratando do assunto principal da bíblia essas profecias teriam que cumprir-se. Quando Jesus nasceu, cumpriram-se literalmente inúmeras profecias feitas séculos antes. O Antigo Testamento está repleto de indicações da primeira vinda de Cristo. Com o seu nascimento, as promessas da Palavra de Deus se fizeram História. O mais admirável, entretanto, é a maneira como Deus faz sua Palavra tornar-se real e suas profecias transformarem-se eventos históricos: muitas vezes Ele usa as atitudes profanas das pessoas e as circunstâncias políticas da época para concretizar Seus planos. A Bíblia nos traz muitos exemplos nesse sentido. Destacaremos três, salientando lugares relacionados com o nascimento e a infância de Jesus. Portanto, uma vez que o messias nasceu, morreu, ressuscitou e hoje aguardamos sua vinda, hoje se faz necessário que o caríssimo leitor conheça essas profecias e verifique que tudo que foi dito a respeito do messias é verdade e necessitam de uma resposta. Sim, pois afinal de contas as profecias bíblicas tem a ver com todos nós principalmente no que se refere ao nosso futuro e exige que tomemos uma posição em relação ao que Jesus fez. Ele nasceu e continua nascendo nos corações humanos mas para isso, basta darmos lugar a ele, permitindo sua morada dentro do nosso interior. Desta forma e somente assim você conhecerá o verdadeiro sentido do que representa o natal. Leia mais na página 05 O MESSIAS NASCEU ! XIV Congresso Missionário ceu o 4º Congresso de Missões com o tema: Missões uma questão de vida ou morte. Os dois primeiros dias o culto ocorreu normalmente no Templo Central mas no terceiro dia encerrou com uma cruzada evangelística na Praça da Bíblia. Dentre os preletores que ministraram a palavra de Deus, estavam o Pr. José Calais Junior de Ipatinga-MG o qual pregou nos dois primeiros dias e o Pr. Jair Felisbino de Pirassununga-SP. No culto de abertura, houve a entrada de cerca de 40 alunos cada um levando uma bandeira de vários países. Logo após houve o momento de louvor com vários conjuntos locais e orquestra. Os cantores do campo também se apresentaram. Um destaque especial ficou com uma videoconferência a qual foi realizada com três missionários em lugares diferentes. Leia mais na página 4 SEEV no campo e Interior A secretaria de Evangelização, na pessoa de seu diretor, Pr. Sadraque Sosinho juntamente com sua equipe, entre eles Pr. Cleusio, Pr. Lima e Ev. Davi Tavares, em um total de 37 pessoas esteve em caravana no município de Nova Olinda - Bragança. O evento ocorreu entre os dias 19 e 20 de outubro com um grande movimento espiritual naquela cidade resultando na realização de quatro períodos de intenso evangelismo pessoal, quando os voluntários da SEEV distribuídos em 10 equipes de trabalho, evangelizaram áreas de 3 congregações e o Templo Central daquela localidade, realizou-se também uma cruzada evangelística e uma grande concentração de encerramento no T. Central, reunindo todas as congregações do campo administrado pelo Pr. Cleidionilson. O movimento culminou com a decisão de 74 preciosas vidas para Cristo. Leia mais na página 6 A Igreja Evangelica Assembleia de Deus campo da Cidade Nova, esteve em festa durante os dias 21 a 23 de novembro de 2013 quando aconte- Palavra pastoral..................... Consciência missionária.... Missões..................................... Capa.......................................... Notícias gerais....................... Notícias do campo............... Edificação................................. Nesta Edição 2 3 4 5 6 7 8 A força notável das mulheres de Deus destacou-se no X Congresso de Senhoras do campo da Cidade Nova. Seja debaixo de sol ou chuva, as senhoras lotaram o Templo Central durante os dias 28,29 e 30 de novembro. Com o tema: “Jesus está voltando”, o evento foi voltado para a conscientização do iminente retorno do Rei dos Reis. X Congresso de Senhoras Os três dias foram marcados pela forte presença do Senhor. Em cada hino, em cada palavra, o Espírito Santo agiu no meio da igreja. “A gente não consegue descrever a emoção que sentimos. Foi muito forte”, reiterou a irmã Raimunda de Souza, da congregação Rocha Eterna, expressando sua alegria em participar do congresso. Leia mais na página 6

[close]

p. 2

02 Palavra pastoral Nov/Dez 2013 Palavra pastoral/editorial dido neste grande desafio antes da posse da promessa: “Não se aparte da tua boca o livro desta lei; antes medita nele dia e noite, para que tenhas cuidado de fazer conforme a tudo quanto nele está escrito; porque então farás prosperar o teu caminho, e serás bem sucedido.” (v.8) Precisamos retornar à prática da Palavra de Deus, perseverando na doutrina dos apóstolos, e na comunhão, e no partir do pão e nas orações (At.2.42). Ore comigo por um poderoso reavivamento em nosso meio, que traga de volta a supremacia da Palavra de Deus em nossas vidas. Precisamos conhecer, viver e e a sua vitória. No entanto, a ordem proclamar a Palavra de Deus. Que de Deus é muita clara: “...levanta- este seja um ano de grandes bên-te, pois, agora, passa este Jordão...” çãos para você e sua família. (v.2). O tempo de agir é agora, já! A vida não se repete, não espera. Alguns vivem como se a vida fosse um ensaio, fazem as coisas sem excelência, pensando que poderão repetir tais coisas de uma forma melhor. O que você precisa fazer, deve fazer agora, sem receio, pois o Senhor é quem lhe conduz em triunfo. Não poderia encerrar estas palavras sem mencionar a condição Pr. Nerias Pinheiro para que o povo fosse bem suce- Presidente IEADCIN Mais um novo ano descortina-se diante de nós. O ano que fica para trás nos traz recordações de lutas, tentações, batalhas e perigos. Atravessamos o nosso deserto e, tal qual o povo de Israel, preparamo-nos para cruzarmos o nosso Jordão. É interessante notarmos que o povo de Israel ansiava por este momento, quando conquistariam a terra prometida por Deus a Abraão há mais de 500 anos passados. No entanto, uma crise repentina havia se instalado no arraial de Israel: Moisés, o grande líder, havia morrido e o povo parece desanimado, sem direção. Mas neste exato momento, Deus mostra ao povo que Ele ainda continuava no Trono, conduzindo Seu povo em segurança e rumo à vitória (Js.1.13) A palavra dada por Deus à Josué ecoa em nossos ouvidos ao findar deste ano: “Não to mandei eu? Esforça-te, e tem bom ânimo; não temas, nem te espantes; porque o Senhor teu Deus é contigo, por onde quer que andares” (Js.1.9). É certo que temos enfren- A SUPREMACIA DA PALAVRA DE DEUS tado muitas dificuldades, lutas e intempéries, mas a promessa de nosso Deus é nos conduzir à terra prometida. Não fomos chamados para morrermos no deserto. Aqueles que duvidaram da promessa de Deus morreram no deserto, mas os poucos que tiveram fé cruzaram o Jordão e tomaram posse da terra prometida. Talvez o desânimo tenha tomado conta do seu coração e você olha para o Jordão como uma grande barreira entre você Quando pensei em escrever estas linhas, imaginei algo especial afinal, é o último editorial do ano de 2013. Tenho sempre um pensamento sobre essa questão da vida em ciclos, em etapas. Vivemos cada dia um após o outro tentando aproveitar cada momento e quando chegamos ao final de uma etapa, glorificamos a Deus porque é Ele quem nos oferece a oportunidade de viver cada manhã. Alguém já disse que a vida é como um pacote, que vem completo: Há tristezas mas também alegrias, há choro mas também há riso. Sim, a vida é um dom maravilhoso de Deus para nós mesmos a fim de que glorifiquemos o seu nome poderoso. É claro que nem tudo é flores, há espinhos também e neste ponto, lembro-me de uma letra de um hino da dupla Édson e Telma chamado “Águas passadas” onde o compositor trata destas questões. Em um trecho do hino ele diz: “as vezes preciso pensar um pouquinho que as rosas tão belas produzem espinhos porém dão aroma e enfeitam também, assim mesmo ÁGUAS PASSADAS NÃO MOVEM MOINHOS são as provas que nos sobrevem”. E assim vamos aprendendo esse misterioso momento da vida que temos nesta terra. Pode parecer difícil aceitar mas as provas vem para testar nossa fé e nos fazer crescer espiritualmente. É claro que, quando estamos sendo provados, nós não gostamos da experiencia, é como diz na letra do hino, é o espinho entrando da carne e provocando dores, são as tribulações, tristezas, lutas, oposições, críticas, incompreensões. É muitas vezes o silêncio sepulcral de Deus que nos faz “perder o chão que pisamos”. A fé parece desfalecer e tudo que acreditamos e pregamos parece que vai por “água a baixo”. É como Pedro afundando no mar revolto por dar ouvido as ondas fortes e ao barulho terrificante do vento. O que mais me faz amar esse Deus que servimos está na capacidade dEle de nos compreender como somos. Ele não nos critica ou até mesmo se nega a ajudar-nos como as vezes nós mesmos faze- mos com o nosso próximo. Ele nos toma pela mão e nos tira da situação precária em que nos encontramos. A letra do hino repete um dito popular quando diz que, águas passadas não movem moinho, pois bem, eu desejo para mim e para todos os leitores do CLARIM que, tudo de ruim que aconteceu conosco neste ano de 2013 seja deixado para trás pois de nada mais adiantará ficarmos recarregando acontecimentos maus que só nos trouxe sentimentos negativos. A palavra de Deus nos diz que “a vereda ou caminho do justo é como a luz da aurora que vai brilhando até ser dia perfeito” Pv. 4.18 A luz de 2013 já está se apagando, e a luz do novo ano está quase acendendo. Essa luz serviu para nos conduzir no caminho, a palavra nos iluminou e o Espírito Santo clareou nossa mente e nos deu poder para vencer todo mal. Desejamos a todos os nossos leitores um ano novo abençoado e cheio de vitórias e realizações em nome do nosso Senhor Jesus Cristo. Diretoria Clarim Editorial

[close]

p. 3

Consciência Missionária Nov/Dez 2013 03 Pr. Calais Junior: “A igreja precisa despertar” Qual a sua experiência no campo missionário? Tive o privilegio de trabalhar no México onde plantamos três igrejas na periferia da capital e todas ainda estão funcionando. Fiquei dois anos no campo e depois voltei ao Brasil para trabalhar em uma agência missionaria O Sr. trabalhou como diretor da Missão Boas novas. Conte-nos como foi essa experiência. Foi uma surpresa quando meu pastor me comunicou sobre a minha indicação para ser diretor. Na época a agência estava endividada e então trabalhamos para quitar essas dívidas. Deus colocou no meu coração de ainda enviar mais missionários, parecia um contracenso mas Deus me dispertou para conhecer o interior do Brasil. especialmente o meu estado, Minas Gerais onde no interior deste, começamos a plantar igrejas nesses locais onde não havia igrejas. Quais os maiores desafios missionários para a igreja de nosso século? É a igreja entender que essa obra é interdenominacional. Como pastor tenho que ter visão da obra missionária. Creio que Deus move a igreja, mas nós líderes precisamos estar abertos a investir em missões. Isso não prejudica o trabalho local. Fiz isso na prática onde pastoreamos e mesmo tendo muito o que fazer na igreja local, ainda enviamos missionários. Precisamos avançar. Quais os países que oferecem maiores perigos a evangelização mundial? Falei na primeira noite do Congresso sobre o mito da porta fechada. Sei que existe países com restrições a pregação mas não quer dizer que a porta esteja fechada. Sabemos de países como a Coréia do Norte, Arábia Saudita, Mauritânia no norte da África onde não se conhece cristãos nativos nesses países, o que há são cristão estrangeiros. Um dos itens do pacto de Lausanne refere-se a unidade e cooperação das igrejas em relação a evangelização mundial, como isso pode ser possível dado a diversidade denominacional existente em nosso país? O grande desafio em missões é que tem muitos líderes pensando apenas na sua denominação. E quando vamos ao campo missionário, precisamos criar igrejas autóctone ou seja, uma igreja para ao povo e não para o meu império. As igrejas tem que ser organizar, fazer suas metas de missões e procurar parcerias. Vejo que o pacto de Lausane foi muito importante mas penso que muita coisa não passou de teoria precisamos não ficar apenas na teoria mas ir para a prática. O crescimento do ISLÃ ainda é um grande desafio. Quais outras religiões ou movimentos se configuram como dificuldades no campo missionário? Acredito que a palavra de Deus é poder para desfazer as obras das xar a politicagem, concorrencias e ir para a prática, pois eu creio que se investirmos mais em missões não vai faltar bençãos nas igrejas locais. A liderança brasileira precisa se concientizar nesse quesito e investir mais em missões. Precisamos unir forças como por exemplo, a igreja aqui na Cidade Nova unindo forAcredito na obra social mas com autoridade divina. Aquele pastor interrompeu o culto dizendo: “Irmãos, quero que vocês vão agora para suas casas pois Deus vai mandar chuva torrencial” Os irmãos não creram mas foram e mesmo assim choveu por três dias. Não é só questão de assistencialismo pois tem coisas que você faz para o povo que não é benéfico, por exemplo: se você vai para uma tribo indígena levando muitas coisas, eles passam a lhe ver como alguém rico, e que está disposto a lhe dar o que ele precisa, então isso tem que ser muito bem analisado porque o social tem que ser feito com o que o povo tem e não com o que vem de fora. Talvez se deva criar formas de cooperativas. O maior bem que o missionário faz não é o que ele traz de fora mas o que ele consegue extrair de dentro para beneficio da própria comunidade. Sabemos que o IDE de Jesus é uma ordem imperativa que começa em Jerusalém e segue até os confins da terra. A igreja divide essa ordem em dois setores: Evangelismo e Missões e alguns polarizam essas duas situações. Como não conflitar esses dois seguimentos de forma que, valorizemos mais um em detrimento do outro? A igreja deve acrescentar mais ingredientes. Deve haver evangelização, ensino, oração na igreja local e a partir disso: pregação, ensino, oração e aí haverá missões pois a igreja estará preparada para missões. Deve haver um trabalho em conjunto e não apenas valorizar um seguimento em detrimento do outro. Foi assim no início da nossa igreja: Pregação, ensino da palavra, oração e posteriormente o envio de obreiros. Mas algumas igrejas só focalizam os três primeiros pontos e investem pouco ou quase nada no trabalho missionário. Sinta-se a vontade para dar um mensagem final aos leitores. Fiquem firmes, Deus conta com vocês. Desejo parabenizar a organização do Congresso pois tenho participado de muitos pelo Brasil e sei que o que funciona é a conscientização. Percebi serieade na igreja da Cidade Nova, nos lideres, Pr. Nerias Pinheiro e Pr. José Monteiro, Pb. Norberto e além da preparação que é feito nos obreiros por meio dos cursos missionários. Deus já levantou essa igreja para a obra missionária e sei que levantará ainda mais por meio da concientização. Que o Senhor os abençoe. Calais Júnior é Pastor na AD em Ipatinga - Minas Gerais trevas. Por exemplo, há uma previsão para a Europa para que esta possa ser islamizada até 2030. Qual é a estratégia que eles estão usando? é por meio do nascimento dos filhos. Enquanto o europeu tem um ou dois filhos o islamita tem 8, 10 filhos e estes estão se infiltrando na sociedade europeia, mas acredito que estes também podem ser evangelizados. Há ainda as religiões indianas onde é trabalhada a ideia do antropocentrismo, onde o homem é o centro das coisas. As religiões estão voltadas para o ceticismo onde a pessoa crê que ela é capaz e onde a cultura familiar também impera. Como o Sr. vê o fechamento de templos na Europa por falta de crentes? Jesus disse que por se multiplicar a iniquidade o amor de muitos esfriaria. Esse fogo espiritual do qual falamos precisa ser espalhamos para essas pessoas, acredito que devemos investir mais na pregação no reino, pois a Europa passou por grandes avivamentos nos séculos 19 e 20. Porém a igreja não deu sequência no avivamento e nós corremos sério risco de que isso aconteça na igreja brasileira, mas para que isso não aconteça, nós temos que mobilizar a igreja na pregação do evangelho enviando missionário pois o evangelho é poder de Deus. Como a liderança da Ig. Ev. Brasileira pode fazer missões com responsabilidade? Nosso problema não é tanto o dinheiro, pois o dinheiro existe, agora quanto a liderança, precisamos dei- ças e fazendo parcerias com a VEM BRASIL e sustentando obreiros em outros países. O Sr. acredita que exista um fervor missionário do tipo cantado pela dupla Otoniel e Oziel no hino desejo missionário? O que aconteceu com esse fervor? Ele precisa ser reacendido? Acredito que todo fogo tem que ser reanimado. Então eu vejo esse fogo acendendo e apagando e Deus sempre levanta alguém para acendê-lo. Acredito que o tempo é esse, mas há igrejas grandes que estão fazendo pouco sobre missões. Então eu creio que, quando cantamos esse hino não estamos sendo totalmente verdadeiros. Tenho cuidado em cantar esse hino. Mas creio que Deus sempre vai levantar alguém para reacender esse fogo. O evangelho deve ser integral: “O pão que vem do céu e o pão que brota da terra” em sua opinião isso deve ser observado também em missões ou seja, missões também é uma questão de responsabilidade social? Com certeza. Lembro-me de um missionário no norte da África onde em uma noite ele pregava sobre o arrebatamento da igreja, quando foi interpelado por uma jovem que disse: - Pastor, o Sr. está pregando sobre o arrebamento e isso é muito bom mas quero saber uma coisa: O que o evangelho pode fazer por nossa cidade que há três anos não chove? Como posso crer num Deus que só me fala de coisas futuras?

[close]

p. 4

04 Nov/Dez 2013 Missões IEADCIN realiza o IV Congresso de Missões Um destaque especial ficou com uma videoconferência a qual foi realizada com três missionários em lugares diferentes: Stella Gomes, no Timor Leste, Miss. Jennifa Amorim no Paraguai; e alunos da EMAD que estavam na Argentina em treinamento. Todos eles fizeram agradecimentos a liderança e a igreja local pela ajuda nas orações e contribuições. No final, todos juntos recitaram o tema do congresso: Missões uma questão de vida ou morte. Na segunda noite, também houve uma video conferência, mas desta feita com o missionário Herbert e esposa no Peru. Os louvores ram ao Senhor Jesus. Um outro destaque especial aconteceu no estacionamento do Templo Central denominado “Feira das N a ç õ e s ”. Barracas foram montadas para demonstrar aos visitantes a cultura e costumes das nações onde estão nossos missionários no Timor, Bolívia, Perú, Paraguai, Piauí e Amapá. No culto da praça também foi feita oração pelo Missionario Pedro Gomes e Família (foto abaixo) que estarão sendo enviados à Ásia para trabalhar naquela localidade. Que Deus os abençoe. A Igreja Evangelica Assembleia de Deus campo da Cidade Nova, esteve em festa durante os dias 21 a 23 de novembro de 2013 quando aconteceu o IV Congresso de Missões com o tema: Missões uma questão de vida ou morte. Os dois primeiros dias o culto ocorreu normalmente no Templo Central mas no terceiro dia encerrou com uma cruzada evangelística na Praça da Bíblia. Dentre os preletores que ministraram a palavra de Deus, estavam o Pr. José Calais Junior (Foto1) de Ipatinga-MG o qual pregou nos dois primeiros dias e o Pr. Jair Felisbino de Pirassununga-SP. (foto 2) No culto de abertura, houve a entrada de cerca de 40 alunos cada um levando uma bandeira de vários países. (foto ao lado) Logo após houve o momento do louvor com vários conjuntos locais e orquestra. Os cantores do campo também se apresentaram. foram entoados pelo coral, orquestra entre outros. A pregação tanto no primeiro quanto no segundo dia ficou a cargo do Pr. Calais Junior. O terceiro e último dia do congresso aconteceu na praça da bíblia, onde pela manhã houve um evangelismo com a participação da SEEV (Pr. Sadraque e equipe) com a decisão de 19 almas. A noite foi o encerramento, onde o culto na praça, começou com oração, louvores e ministração da palavra pelo Pr. Felisbino. No final houve um total de 45 almas que se rende- NATAL E MISSÕES: TUDO A VER Embora a palavra “missões” não se encontre nas Escrituras, a idéia está em toda a Bíblia, do Gênesis ao Apocalipse. “Missão” vem do latim “mitto” e significa “enviar”. Deus olhou para mim e para você e nos amou com tanta intensidade que nos enviou seu único Filho.“Mas tu, Belém-Efrata, embora pequena entre os clãs de Judá, de ti virá para mim aquele que será o governador sobre Israel. Suas origens estão no passado distante, em tempos antigos” (Miqueias 5.2). O profeta Miquéias que viveu 700 anos antes de Cristo já profetizava o envio de Jesus ao mundo. O grande presente de Deus ao homem é fruto de seu projeto para restaurar algo que se havia perdido. “Ela dará à luz um filho, e você deverá dar-lhe o nome de Jesus, porque ele salvará o seu povo dos seus pecados” (Mateus 1.21). Jesus não veio fazer turismo na Terra. Ele tinha uma missão muito clara: salvar os pecadores. Jesus veio fazer missões! Você já tinha parado para pensar nisso? “A virgem ficará grávida e dará à luz um filho, e lhe chamarão Emanuel, que significa “Deus conosco” (Mateus 1.23). Salvar os pecadores significa estar junto deles, não desampará-los nunca. “O Espírito do Senhor está sobre mim, porque ele me ungiu para pregar boas novas aos pobres. Ele me enviou para proclamar liberdade aos presos e recuperação da vista aos cegos, para libertar os oprimidos e proclamar o ano da graça do Senhor” (Lucas 4.18,19). A missão que Jesus desenvolve ainda hoje é completa. Ela contempla o ser humano como um todo. Ele cuida da alma e também de suas necessidade básicas. “Então, Jesus aproximou-se deles e disse: “Foi-me dada toda autoridade nos céus e na terra. Portanto, vão e façam discipulos de todas as nações, batizando-os em nome do Pai e do Filho e do Espírito Santo, ensinado-os a obedecer a tudo o que eu lhes ordenei. E eu estarei sempre com vocês, até o fim dos tempos” (Mateus 28.18-20). Jesus continua a fazer missões através de mim e também de você. A Deus toda honra e glória por, apesar das nossas fraquezas, termos este privilégio: o de ser canal de bençãos ao nosso próximo. Fonte: Prazer da palavra O menino e o natal Sentado em sua poltrona, lia fixamente o jornal da cidade. Era um homem cristão, embora nunca tenha realmente se dedicado em obedecer ao Senhor. Concentrado, de improviso surge seu filho pequeno jogando-lhe logo um questionamento: -Ô pai, o que é o Natal? Pensando em uma forma mais didática de responder, o pai diz: - É o aniversário de Jesus, meu filho. Ele, surpreso com a novidade, arregala os olhos e retorque: - E o papai Noel, não é a festa dele? “Não”, responde pacientemente, “isso foi o capitalismo quem criou”. - Ah, o capitalismo... é mesmo. O garoto, então, sai da sala com um ar de dúvida. . Passado alguns minutos, volta sorrateiro o filho indagando: - Ô pai, o senhor tá me dizendo que papai Noel não existe? Tímido por desfazer uma crença de criança, lenimenta o tom de voz, acaricia os cabelos do menino e responde: “É, meu filho, na verdade ele nunca existiu mesmo”. De cabeça baixa, meio que desconfiado, o garoto sai da sala descobrindo cada passo. Chegando à beira da porta, ele vira repentinamente e pergunta: - Não entendo: por que as pessoas só falam de papai Noel? Se a festa é de Jesus, por que ninguém fala dEle? Por que Ele não vem pro aniversário que é dele mesmo? . O pai, pensativo e cheio de culpa, admite o seu próprio erro: - É meu filho, Jesus só vem para a festa quando alguém o convida. Convide Jesus para as suas comemorações. Sem Ele, essa data perde o sentido. Jhonatas Wesley

[close]

p. 5

Capa Nov/Dez 2013 1. Jesus deveria nascer em Belém Por volta de 700 anos antes de Cristo viveu o profeta judeu Miquéias, que predisse acerca do aparecimento do Messias de Israel: “E tu, Belém-Efrata, pequena demais para figurar como grupo de milhares de Judá, de ti me sairá o que há de reinar em Israel, e cujas origens são desde os tempos antigos, desde os dias da eternidade” (Mq 5.2). Aquele que tem origens eternas, e que age desde sempre, viria a nascer em um lugar pré-definido e específico, que era Belém, pequeno e insignificante lugarejo na Judéia. Caso a anunciação do nascimento do Rei de Israel se referisse a Jerusalém nada haveria de extraordinário, uma vez que os reis normalmente nascem na capital do reino. Porém, com muitos séculos de antecipação, um lugar sem representatividade foi destacado entre os milhares de Judá para ser o local do nascimento do Rei que viria, o que era algo muito especial. Praticamente todo cidadão de Israel conhecia essa passagem das Escrituras que afirmava que um dia o Messias viria de Belém. Por isso, quando Herodes perguntou onde nasceria o rei dos judeus, os entendidos na Lei puderam lhe fornecer imediatamente o nome do lugar onde deveria nascer o Prometido segundo as profecias: “Então, convocando [Herodes] todos os principais sacerdotes e escribas do povo, indagava deles onde o Cristo deveria nascer. Em Belém da Judéia, responderam eles, porque assim está escrito por intermédio do profeta: [em Miquéias 5.2] E tu, Belém, terra de Judá, não és de modo algum a menor entre as principais de Judá; porque de ti sairá o Guia que há de apascentar a meu povo, Israel” (Mt 2.4-6). Entretanto, em relação a essa profecia havia um problema, e este não era pequeno: Maria e José não viviam em Belém, mas em Nazaré (Lc 1.26), e aparentemente não planejavam se mudar para Belém. Deus não enviou um anjo para lhes dizer: “Querido José, querida Maria, vocês não sabem que o Messias deve nascer em Belém? Vocês não sabem que a Palavra de Deus precisa se cumprir e Seu Filho não pode nascer em Nazaré? Levantem! Ponham-se a caminho para que se cumpra a palavra do Senhor falada através do profeta Miquéias!” Nasce o messias: Esperança para a humanidade 05 Não foi o que aconteceu. O imperador César Augusto tomou uma decisão política em Roma, bem longe de Israel e sem ter a mínima noção das profecias bíblicas – decretando um recenseamento do povo. Essa decisão política obrigou José, juntamente com Maria, que estava no final da gravidez, a irem até Belém para se registrarem no censo populacional. Em Lucas 2.4 lemos que José era “da casa e família de Davi”. Portanto, era em Belém (a “cidade de Davi”) que ele tinha de se registrar. Chegando lá, Maria logo deu à luz ao Filho de Deus. É o que podemos chamar de “tempo de Deus”! O Senhor, em Sua onisciência e onipotência, usou a política secular e um de seus líderes para fazer cumprir Suas profecias e para concretizar as previsões de Sua Palavra. 2. Jesus viria do Egito A Bíblia não apenas profetiza que Cristo nasceria em Belém mas também diz que Ele viria do Egito. No oitavo século antes de Cristo, outro profeta anunciava em Israel a respeito do vindouro Messias: “Quando Israel era menino, eu o amei; e do Egito chamei o meu filho” (Os 11.1). Os comentaristas judeus aplicavam essa profecia a Israel e ao Messias, o que se torna bem evidente conhecendo o contexto do Novo Testamento. Mas como ela se cumpriu, como foi que Jesus, ainda menino, veio do Egito? A maioria de nós conhece a história da matança dos meninos judeus em Belém ordenada pelo infanticida rei Herodes, que via seu trono ameaçado pelo nascimento de Jesus. A Bíblia diz a esse respeito: “Tendo eles partido, eis que apareceu um anjo do Senhor a José, em sonho, e disse: Dispõe-te, toma o menino e sua mãe, foge para o Egito e permanece lá até que eu te avise; porque Herodes há de procurar o menino para o matar. Dispondo-se ele, tomou de noite o menino e sua mãe e partiu para o Egito; e lá ficou até à morte de Herodes, para que se cumprisse o que fora dito pelo Senhor, por intermédio do profeta[em Os 11.1]: Do Egito chamei o meu Filho” (Mt 2.13-15). Os planos cruéis, egoístas e assassinos de um político mundano acabaram contribuindo para que a Palavra se cumprisse. Herodes pensava que aniquilaria os planos divinos, mas sua maldade apenas contribuiu para que as profecias se cumprissem literalmente. 3. Jesus, o Nazareno Segundo minha contagem, Jesus é chamado de “Nazareno” pelo menos 18 vezes no Novo Testamento. Ele era conhecido como “Jesus de Nazaré”, pois tinha vivido ali por muitos anos. Quando morreu na cruz, sobre Sua cabeça estava afixada uma placa que dizia: “Este é Jesus de Nazaré, o Rei dos judeus”. O nome “Nazaré” origina-se da raiz hebraica “nezer”, que significa “broto”, “renovo” ou “ramo”. O profeta Zacarias anunciou o seguinte, 520 anos antes de Cristo, acerca do Messias de Israel: “E dize-lhe: Assim diz o Senhor dos Exércitos: Eis aqui o homem cujo nome é Renovo; ele brotará do seu lugar e edificará o templo do Senhor” (Zc 6.12). “Ouve, pois, Josué, sumo sacerdote, tu e os teus companheiros que se assentam diante de ti, porque são homens de presságio; eis que eu farei vir o meu servo, o Renovo” (Zc 3.8). Jeremias proclamou o mesmo 80 anos antes de Zacarias: “Eis que vêm dias, diz o Senhor, em que levantarei a Davi um Renovo justo; e, rei que é, reinará, a agirá sabiamente, e executará o juízo e a justiça na terra” (Jr 23.5). Quando Jesus veio, Ele foi o “Nazareno”, o “Renovo” do qual falavam as profecias. Mas como Jesus não apenas nasceu em Belém sem que seus pais residissem ali, veio do Egito por razões inacreditáveis e ainda pode ser chamado de Nazareno? Porque mais tarde Ele morou em Nazaré, confirmando uma vez mais as profecias, mostrando que elas se cumprem por razões às vezes bastante profanas. Herodes havia morrido, e José ainda vivia com Maria e o menino no Egito quando, através de um anjo, recebeu ordens de retornar à terra de Israel. Era óbvio que José desejava retornar à sua terra com sua família, mas quando ficou sabendo que Arquelau reinava no lugar de seu pai, ficou com medo. Arquelau era um dominador de triste fama e muito cruel, que os romanos suportaram por apenas dois anos e depois o depuseram. Na realidade, quem deveria assumir o trono de Herodes na Judéia era outro de seus filhos, mas por um capricho pessoal, Herodes mudou seu testamento pouco antes de morrer e colocou Arquelau no poder. Para não se submeter ao seu domínio, José foi viver na Galiléia, na cidade de Nazaré, que estava subordinada a outro governante. Mt. 2.19-23. Esses três exemplos mostram muito claramente que nada nem ninguém pode impedir ou barrar os planos de Deus. Não há falha humana, manobra política, crueldade, capricho ou força da natureza que impossibilitem Deus de concretizar Seus propósitos. Nada impedirá que Jesus volte cumprindo Suas promessas a Israel. Os acontecimentos proféticos, cujo desenrolar vemos em nossos dias, culminarão na volta de Cristo e mostram que ela está se aproximando. Todos os fatos que acontecem no mundo são dirigidos por Deus de tal forma que acabarão servindo para que os Seus desígnios se realizem e para que Jesus venha a este mundo como o Rei e Messias. Nossa pergunta é: Você estará preparado para a segunda vinda do messias? Pense nisso! Fonte: Chamada da meia noite

[close]

p. 6

06 Nov/Dez 2013 Notícias do campo SEEV: Evangelismo no campo e interior do Estado tro períodos de intenso evangelismo pessoal, quando os voluntários da SEEV distribuídos em 10 equipes de trabalho, evangelizaram áreas de 3 congregações e o Templo Central daquela localidade, realizou-se também uma cruzada evangelística e uma grande concentração de encerramento no T. Central, reunindo todas as congregações do campo administrado pelo Pr. Cleidionilson. O movimento culminou com a decisão de 74 preciosas vidas para Cristo. A SEEV lembra ainda que, o trabalho de evangelismo continua em nosso campo, por isso convoca jovens e adultos que possuam prática no evangelismo pessoal, para atuar somente aos sábados pela manhã nas áreas das congregações do campo. Os interessados podem entrar em contato com os telefones dos pastores responáveis. A SEEV contabiliza um expressivo número de pessoas que se converteram a Cristo nos meses de setembro a outubro deste ano em suas campanhas evangelísticas pelo campo, que somam um total de cerca de 140 pessoas, segundo dados colhidos pela própria secretaria junto aos irmãos das congregações locais. Que Deus continue A secretaria de Evangelização, na pessoa de seu diretor, Pr. Sadraque Sosinho juntamente com sua equipe, entre eles Pr. Cleusio, Pr. Lima e Ev. Davi Tavares, em um total de 37 pessoas esteve em caravana no município de Nova Olinda - Bragança. O evento ocorreu entre os dias 19 e 20 de outubro com um grande movimento espiritual naquela cidade resultando na realização de qua- abençoando esse importante trabalho e que toda a igreja também se engaje nessa obra. Quem desejar colaborar com esse abençoado trabalho de evangelização pessoal, deve entrar em contato com os pastores para que os mesmos possam orientá-los. Pr. Sadraque: 9994-6329; Pr Lima: 8707-5458; Pr. Cleucio: 8826-2549; ou Ev. Davi Tavares: 8899-0106 / 8133-8849 X CONGRESSO DE SENHORAS DA IEADCIN igreja. “A gente não consegue descrever a emoção que sentimos. Foi muito forte”, reiterou a irmã Raimunda de Souza, da conA programação também gregação A força notável das mu- Rocha Eterna, expressando sua teve participação de convidados lheres de Deus destacou-se no X alegria em participar do congres- ilustres como a presidente da Câmara dos Vereadores de AnaninCongresso de Senhoras do campo so. da Cidade Nova. Seja debaixo de Para muitas irmãs, o X deua, a deputada cristã Francy Pesol ou chuva, as senhoras lotaram Congresso foi especialmente mar- reira que ressaltou a relevância do o Templo Central durante os dias cante, como a irmã Nazaré Silva evento e a importância da atuação 28,29 e 30 de novembro. do Grupo 1, congregação Monte dessas mulheres de Deus na socieCom o tema: “Jesus está das Oliveiras, que participou pela dade: “a mulher cristã contribui voltando”, o evento foi voltado primeira vez do evento com vinte para um ambiente social melhor para a conscientização do iminen- e cinco anos de cristã. Ela reforça na medida em que honra o nome te retorno do Rei dos Reis. o que incorpora como lição dessa do Senhor, buscando sempre a paz Os três dias foram marca- experiência: “Jesus trabalhou bas- e falando do seu amor”. A minisdos pela forte presença do Senhor. tante. Analisando profundamente tração da palavra de Deus ficou Em cada hino, em cada palavra, a palavra ministrada e os louvores sob a responsabilidade da irmã o Espírito Santo agiu no meio da entoados, podemos perceber isso”. Arézia Cabral, de Brasília, ela é esposa do Pa s t o r. Elienai Cabral, comentarista das lições da C PA D. Na última noite, a pregação ficou por conta da irmã Eliã Ma- rinho. A Diretoria do Departamento de senhoras na pessoa da irmã Débora Holanda agradece a Deus, pela grande vitória e oportunidade de ter realizado este X Congresso de Senhoras, aos pastores em especial ao Pr. Presidente Nerias da Costa. A todo o ministério e colaboradoras deste abençoado evento. À igreja do Senhor, que é alvo das orações das irmãs e a todos que colaboraram direta ou indiretamente para a realização deste evento. Deus vos abençoe.

[close]

p. 7

Notícias gerais Nov/Dez 2013 07 Igrejas criam alternativa para Black Friday, o “Bless Friday” Enquanto no Brasil a promoção chamada de “Black Friday” [Sexta-feira Negra] é cercada de polêmicas, nos EUA onde foi criada, ela ainda é o dia de maior fluxo de comércio do ano. Contudo, em 2009, um sermão pregado em uma igreja de Houston, Texas, lembrou que a pregação do evangelho apenas como prosperidade atrapalha a percepção dos cristãos que “abençoar” é melhor que “ser abençoado”, segundo o próprio Jesus. Essa foi uma semente que acabaria resultando na criação da “Bless Friday” [Sexta-feira de Benção]. O pastor Chuck Fox, da Igreja Presbiteriana, decidiu levar esse plano adiante e não deixar apenas na teoria. A ideia básica é que as igrejas que já possuem projetos de serviços comunitários os intensificam nestes dias e as que não têm, envolvam-se em atividades em prol da comunidade. O propósito é combater a cultura do consumo desenfreado com a valorização do trabalho voluntário, sempre enfatizando que trata-se de um mandamento bíblico. A proposta é simples, o dia de Ação de Graças é comemorado na última quinta-feira de novembro. A Black Friday é no dia seguinte, sendo o “grande dia” para as compras de Natal, celebrado menos de um mês depois. A proposta da Bless Friday é que ao invés de saírem para as compras e ficarem horas procurando pelas melhores ofertas do comércio, os cristãos saiam para a rua e sirvam os necessitados. Algumas começam as atividades na sexta e só param após o culto no domingo. Chuck Fox, o criador da Bless Fr i d ay, e n f at i za: “As pessoas entenderam a nossa mensagem de que quando nos concentramos demais em comprar coisas, perdemos de vista a verdadeira razão do Natal: lembrar de Cristo e celebrá-lo. Queremos começar a nossa celebração do Natal servindo aos outros, assim como Jesus fez”. Usando a internet e contatando pastores conhecidos, Fox ajudou a ideia a se difundir. Este ano igrejas de fora do Texas também participaram, pertencentes a diferentes denominações: Presbiteriana, Metodista, Episcopal, Metodista Africana, e até católica. Myree Francis, um dos líderes da Igreja Beacon of Light Christian Center, que está participando pelo terceiro ano da Bless Friday conta que as atividades deste ano inclui a distribuição de alimentos, atendimento de saúde e até a limpeza de parques da cidade. “Minha esperança é que nós possamos resgatar o serviço ao próximo como parte da nossa celebração cristã. Precisamos apenas recolocar nosso foco em Cristo e todo o resto será consequência disso”, finaliza o pastor Fox. Com informações Christian Post. Fonte: Gospel prime Fiéis gastam mais de R$ 4.000 para se batizar no Rio Jordão A equipe de reportagem do portal UOL esteve em Israel acompanhando a Caravana da Igreja Renascer em Cristo na Terra Santa. Além de conversar com os líderes da denominação e filmar trechos da primeira Marcha para Jesus de Jerusalém, o jornalista Roberto também conferiu de perto a cerimônia de batismo no Rio Jordão. A viagem para Israel custa mais de R$4.000,00 e para se batizar no mesmo Rio que Jesus Cristo o fiel desembolsa mais algumas notas. O aluguel de toalha e bata saem por R$20 e o vestiário do parque custa R$4. O batismo acontece em um parque turístico, e a reportagem lembra que o local exato onde Jesus foi batizado por João fica há quilômetros dali, estando em uma área menos preservada, com a água suja de lama e rodeado por soldados fortemente armados. Quem participou da Caravana testemunhou para as câmeras que estava se sentindo revigorado, transformado por ter passado pelas águas. Uma das fiéis disse que tinha um compromisso de “só se batizar no Rio Jordão e este ano ela conseguiu realizar este sonho”. Todos os anos milhares de brasileiros saem para conhecer Israel e passar pelos locais por onde Jesus passou. Diversas denominações e ministérios realizam caravanas com destino à Terra Santa promovendo passeios como esse administrado pela Renascer. Fonte: Gospel Prime Cristãos árabes querem construir estátua de Jesus em Nazaré Bishara Shlayan, um cristão de origem árabe que vive em Nazaré está liderando um projeto que visa construir uma grande estátua de Jesus no Monte do Precipício, na cidade onde o Salvador viveu a maior parte da vida. A angariação de fundos para o projeto já teve início e, segundo ele, a resposta da comunidade cristã árabe-israelense tem sido positiva, inclusive por parte dos judeus. Não foram divulgados muitos detalhes, mas a ideia é edificar uma estátua semelhante a do Cristo Redentor, no Rio de Janeiro, mas com proporções maiores. Shlayan deseja ainda fundar um partido político cristão, cujo nome seria “Bnei HaBrit [Apoiadores da Aliança]. Um dos objetivos seria reforçar para o mundo que nem todos os árabes são muçulmanos e que muitos deles que vivem em Israel são cristãos. A proposta principal do partido é apoiar Israel como um Estado judeu e defender que os árabes sirvam no exército. Ele conta ainda que fundou a organização Diglei HaBrit [Bandeiras da Aliança] para coordenar a construção da estátua. O Monte Kedumim, também conhecido como Monte do Precipício, segundo a tradição, é o local mencionado em Lucas 4.29 onde o povo de Nazaré tentou empurrar Jesus para o abismo, depois de rejeitá-lo como o Messias. Fonte: Gospel Prime

[close]

p. 8

08 Nov/Dez 2013 Edificação Um homem caminhava de cabeça baixa pela rua movimentada. Ele parecia profundamente preocupado e nem percebia a bonita decoração natalina e o movimento intenso. Por um momento ele parou e tirou do bolso uma carta amassada, voltando a ler as palavras: “Não podemos comemorar o Natal sem que você esteja conosco, pois isso não teria sentido. Nós o amamos. Por favor, volte para casa!” O homem enxugou as lágrimas furtivamente e tomou a decisão: ele iria viajar imediatamente para passar o Natal com os seus, com aqueles que o amavam. Milhões de pessoas comemoram o Natal. Os pinheirinhos são enfeitados, as casas e ruas ficam cheias de luzes, ceias familiares são realizadas e muitos presentes em lindas embalagens são trocados. Mas, será que pode existir uma comemoração real sem a presença dAquele por causa de quem o Natal é NATAL SEM JESUS NÃO É NATAL festejado? Há 2000 anos, Jesus Cristo nasceu em Belém. Agora Ele não se encontra mais fisicamente entre nós, pois está assentado à direita de Deus, o Pai. Seus olhos penetram nas festividades natalinas e vêem o coração de cada um de nós. Ele quer passar o Natal com aqueles que O amam! Trata-se dos que confiam inteiramente nEle e conhecem a paz que Ele trouxe: “Justificados, pois, mediante a fé, temos paz com Deus, por meio de nosso Senhor Jesus Cristo” (Romanos 5.1). R e a l me nte, sem Ele, o Natal perde o sentido! Sem um relacionamento vivo com o Redentor eterno, com Jesus Cristo, a vida é apenas uma seqüência de preocupações e aflições. Apenas Ele tem o poder de perdoar pecados e dar paz aos corações atormentados. Por isso Ele veio ao mundo, nascendo em Belém: “…e lhe porás o nome de Jesus, porque ele salvará seu povo dos pe- cados deles” (Mateus 1.21). Por isso Ele entregou Sua vida na cruz e ressuscitou da sepultura. Para todos que aceitam Jesus Cristo pela fé como seu Salvador e Senhor, está preparada uma vida que tem sentido, pois Ele disse: “… eu vim para que tenham vida e a tenham em abundância” (João 10.10). E em 1 João 5.12 lemos: “Aquele que tem o Filho tem a vida; aquele que não tem o Filho de Deus não tem a vida.” Se você vive sem Ele, não pode ter a única alegria verdadeira e permanente que existe para os homens – e acabará se perdendo eternamente. Aceite a Jesus agora mesmo em sua vida! Então você fará parte dos que O amam, que se alegram com Sua presença e O servem. Aceite hoje de Suas mãos a vida que é eterna e abundante! Chamada da meia noite. A palavra natal vem do latim natale, relativo ao nascimento. O mundo ocidental cristão define o Natal como a celebração do nascimento de Jesus Cristo, e isso ocorre, todos os anos, no dia 25 de dezembro. Observando a história, podemos analisar que a comemoração do nascimento de Jesus, através de uma data específica, era de pouco interesse dos cristãos primitivos. A primeira evidência histórica de que dispomos sobre o Natal é da primeira metade do século III d.C. Hipólito, bispo de Roma, escolheu a data de 2 de janeiro para celebrar o nascimento de Jesus. Outros cristãos escolheram datas diferentes, tais como: 6 de janeiro, 25 ou 28 de março, 18 ou 19 de abril e 20 de maio. A comemoração universal de 25 de dezembro se firma entre 325 a 354 d.C., aproximadamente. Os evangelhos não indicam a data em que o Senhor Jesus nasceu, mas apresentam um quadro grandioso e jubiloso da celebração desse dia: (Lc 2.9-14). Visto que não há registro bíblico do dia específico desse extraordinário acontecimento: o verbo se fez carne (Jo 1.1;14), os cristãos escolheram por si mesmos uma data para celebrar o Natal. Poderiam escolher outra data qualquer, mas a escolha recaiu sobre o dia 25 de dezembro, que era uma ocasião já consagrada no calendário do Império Romano pela grande festividade do Natal do Sol Invicto. A festividade do Natal do Sol Invicto era celebrada pelos adoradores do Sol (normalmente identificado com Mitra). O mitraísmo era um culto que possuía algumas semelhanças com o cristianismo e, paradoxalmente, intransponíveis diferenças. Era uma religião de Natal: a maior festa de aniversário do mundo! mistério, que concorria intensamente com o cristianismo na busca de fiéis. O cristianismo entrou em conflito com essa religião e, finalmente, venceu. A escolha do dia 25 de dezembro como data do nascimento de Jesus ofuscou as festividades do Natal do Sol Invicto dos pagãos e consagrou o dia do nascimento do verdadeiro Sol da Justiça, que para os cristãos é Cristo (Ml 4.2). Dessa maneira, os cristãos daquela época cristianizaram um dia festivo do calendário romano, argumentando que Jesus é a luz verdadeira. Pois o próprio Senhor Jesus disse, em João 8.12, que ele é a luz do mundo. Foi uma maneira que esses cristãos acharam de considerar o feriado romano e trocar o objeto de culto, já que não tinham uma data específica. Com isso, destruíram o culto pagão, condenando-o ao desaparecimento. Embora a maioria dos cristãos celebre o nascimento de Jesus no dia 25 de dezembro, nem todos consideram essa data, mas isso não consiste um problema propriamente dito, já que para muitos o importante não é a data em si, mas o acontecimento: Jesus nasceu. Grande parte dos cristãos evangélicos comemora o acontecimento, e não o dia em si, pois para eles todos os dias é Natal. Independente da data e da comemoração do Natal, acredita- mos que todos os cristãos são gratos a Deus pela vinda de Jesus. O Senhor Jesus é a pessoa central da fé cristã. A primeira profecia referente ao Messias está registrada no livro de Gênesis, onde o apresenta como a semente da mulher: E porei inimizade entre ti e a mulher e entre a tua semente e a Sua semente; Este [Jesus] te ferirá a cabeça, e tu lhe ferirás o calcanhar (Gn 3.15). O Messias nasceria da descendência de Abraão: . . .e em ti serão benditas todas as famílias da terra (Gn 12.3). A respeito dele, lemos o seguinte em Números 24.17: Vê-lo-ei não agora, contemplá-lo-ei, mas não de perto; uma estrela procederá de Jacó e um cetro subirá de Israel… O nascimento do Senhor Jesus é motivo de grande alegria a todos o povos. Para os cristãos, o Natal (o nascimento de Jesus) significa a materialização do grande amor de Deus: Porque Deus amou o mundo de tal maneira que deu o seu Filho unigênito, para que todo aquele que nele crê não pereça mas tenha a vida eterna. Independente de qualquer posição em relação à festa de Natal, louvamos a Deus por essa feliz Boa Nova: Jesus nasceu! Fonte: Defesa da Fé

[close]

Comments

no comments yet