Edição 715

 

Embed or link this publication

Description

25/01/2014

Popular Pages


p. 1

Diretor Responsável: Homero T. Tranquilli - CNPJ: 09573449/0001-13 - Cajuru, Sábado, 25/01/2014 - Ano 15 - N.° 715 Semanal - Distribuição Gratuita / Assinantes Festa de São Sebastião Parceria entre Prefeitura e Hospital traz recursos para melhorias no atendimento SUS Crianças do Projeto PAAI participam do Turismo do Saber

[close]

p. 2

Página 2 Edição 715 - 25/01/2014 TIRAS POLICIAIS Crianças do Projeto PAAI participam do Turismo do Saber Com apoio da Prefeitura conheceram as praias de Bertioga Elas foram acompanhadas por quatro monitores cajuruenses (Silvia, Bahia, Vera e Valter) e ainda contaram com o apoio da equipe da cidade praiana. O passeio faz parte do programa da Secretaria de Estado de Turismo, chamado Turismo do Saber, e contou com a parceria da Prefeitura Municipal que, através da Secretaria da Educação, viabilizou a viagem participando das reuniões e cumprindo as propostas exigidas para a reativação do programa em nosso município. Nossas crianças ficaram alojadas em uma escola juntamente com outras das cidades de Brodowski e Taquaritinga. Dentre as novidades, tiveram aula de caiaque, visitaram o aquário, passearam de balsa e praticaram a pesca marinha, atividade típica da cidade. A secretária da Educação Maria Luiza foi conferir as instalações e o transporte para se certificar de que nossas crianças estavam seguras e confortáveis. Na volta, as crianças trouxeram na bagagem muitas histórias para lembrar e relembrar. O prefeito Dr. Luís Estevão ressaltou a importância de oferecer oportunidades a essas crianças. “Tenho certeza que o passeio será inesquecível, especialmente porque foi a primeira vez que viram o mar. Fico feliz em poder proporcionar esse passeio que além de divertido também foi recheado de informações”, conclui. Projeto Férias termina e deixa saudades Com a finalidade de oferecer atividades recreativas, esportivas, culturais e alimentação de qualidade aos alunos da Rede Municipal de Ensino, o prefeito Dr. Luís Estevão e a secretária da Educação Maria Luiza implantaram o Projeto Férias nas unidades dos bairros Dom Bosco (Januário Benvenuto), Jardim Maria Tereza (Lólia da Fonseca Palma Reis) e Cruz Alta (Zezito Palma). O projeto foi realizado de 6 a 24 de janeiro e contou com grande número de crianças que foram usufruir das muitas atividades preparadas e direcionadas, entre elas: cinema, jogos lúdicos, esportes e o almoço prá lá de especial. Para se ter uma ideia, na quarta-feira passada o cardápio contou com arroz, feijão, salada de legumes com maionese e frango assado, além de frutas e sucos. Para a secretária da pasta o projeto cumpriu sua finalidade, o que foi confirmado ao perguntar às crianças o que acharam da inovação, tendo como resposta muitos pedidos para mais uma edição nas férias de julho. Até lá, as crianças voltam às aulas na próxima segunda-feira, para muito estudo e aprendizagem. AGRADECIMENTO Eu, Regiane dos Santos, moradora da cidade de São Simão, venho por meio deste, agradecer atos do Hospital São Vicente de Paulo (Cajuru), pelos cuidados que tiveram comigo. Agradeço a todos os funcionários do Hospital, em especial ao Dr. João Carlos Araújo. Em nenhum hospital é bom ficar, mas este, é exemplo em tudo, educação, higiene e limpeza. Se minha cidade tivesse um hospital como este, iria ficar muito orgulhosa. Regiane dos Santos 24/01/2014 Trinta e uma crianças do Programa de Assistência à Adolescência e à Infância (PAAI) viajaram para BertigaSP nessas férias, do dia 13 a 17 de janeiro. Vende-se ou troca-se uma casa nova no bairro COHAB, na Rua Paraguai, nº 664, com 3 quartos, sala, copa, cozinha, banheiro, área de serviço, documentos ok, ou troca-se por imovel em Ribeirão Preto. Tratar 3667-0036, 99167-6284 ou 99210-3557 com Max ou Tatiane.

[close]

p. 3

25/01/2014 - Edição 715 Página 3 Prefeitura adquire 12 veículos para compor a Frota Municipal Parceria entre Prefeitura e Hospital traz recursos para melhorias no atendimento SUS A Prefeitura Municipal de Cajuru fez o maior investimento de todos os tempos em aquisição de veículos para compor a Frota Municipal. No início do ano, de uma só vez, a Prefeitura expôs na Praça Central 12 veículos novos. Dessa frota, quatro veículos servirão à Saúde e oito à Educação. Para a Saúde foram compradas com recursos próprios três ambu- lâncias e adquirida uma Van através de convênio com o Governo do Estado, sendo esta destinada ao transporte de pacientes que fazem hemodiálise. Já para a Educação, oito micro-ônibus foram comprados com recursos do FUNDEB (Fundo Nacional de Educação Básica) e serão destinados ao transporte de alunos da zona rural. Para o prefeito Dr. Luís Estevão, a necessidade de adquirir tantos veículos é para atender bem e com qualidade a população. As ambulâncias certamente atenderão a demanda do município, já os micro-ônibus vão possibilitar o transporte diário das crianças em veículos apropriados, seguros e confortáveis. “As crianças que residem na zona rural precisam acordar mais cedo para estudar e chegam em casa mais tarde que as outras, tanto sacrifício deve ser ao menos minimizado através de transporte confortável e, principalmente, que ofereça segurança”, acrescenta. Outro fator importante é a diminuição do custo com manutenção. Lembrando que os veículos foram licitados e comprados pelo menor preço, por isso tantos em tão pouco tempo. Um projeto realizado por meses em conjunto pela Prefeitura Municipal de Cajuru e Casa de Caridade São Vicente de Paulo, através da secretária da Saúde Patrícia Bícego e da administradora do hospital Flora Ivani, resultou em um incentivo do Governo Federal para melhoria no atendimento do Sistema Único de Saúde (SUS). O benefício é um repasse no valor total de R$ 654.650,63 divididos em 11 parcelas, sendo três de R$ 72 mil e o restante em oito partes iguais. Para marcar essa importante conquista o prefeito Dr. Luís Estevão, a secretária da Saúde Patrícia Bícego e a primeiradama Dra Ersone receberam no gabinete executivo a equipe do hospital para a entrega do cheque simbólico. “Como médico, tenho um carinho muito especial pela nossa Santa Casa e sei o quanto podemos melhorar o atendimento aos pacientes do SUS e agora, tendo a oportunidade de estar à frente do executivo, estou me dedicando para conseguir mais e mais benefícios para a entidade”, pontua. O prefeito também informa que a primeira parcela foi repassada e que a segunda já está disponível. www.ojornalzao.com.br Oração a Santa RitaOração a Santa Rita Acender uma vela branca durante 9 dias. Rezar um Pai-Nosso e uma Ave Maria, fazer um pedido necessário, um de negócio e um impossível, rezar todos os dias com a mesma vela branca que foi acessa no 1º dia. Acender a vela, rezar e apagar, assim sucessivamente durante 9 dias. No 9º dia mandar publicar, mesmo não acreditando, seus pedidos serão atendidos. R.D.P.

[close]

p. 4

Página 4 Edição 715 - 25/01/2014 HOL OCOLUN A HOLOCOLUNA OCOLUN 330. O Pensamento Renascentista Considerando-se os vértices e os resultados conclusivos do pensamento renascentista, destacam-se quatro figuras: Leonardo da Vinci (1452-1519), Bernardino Telésio (15091588), Giordano Bruno (1548-1600) e Tomás Campanella (1568-1639). Leonardo nasceu em Vinci, em Valdarno, e frequentou as primeiras letras em Florença, tendo entrado para o ateliê de Verrochio em 1470; estudou matemática e perspectiva, interessando-se por anatomia e botânica, enfrentando problemas de geologia e fazendo projetos mecânicos e de arquitetura. Em 1482 foi para Milão, junto a Ludovico, o Mouro, onde ficou até 1499. Depois de morar em Mântua, em Veneza e em Florença entrou no serviço de César Bórgia em 1502, como arquiteto e engenheiro militar. Valentino, o seu protetor, morre em 1503, o que faz com que Leonardo retorne para Florença, dedicando-se ao estudo de anatomia e se envolvendo com problemas relativos a voo, chegando a construir uma máquina para voar. A sua famosa pintura Mona Lisa é desse tempo. Em 1506 Ele volta a Milão, a serviço do rei da França. Com a volta de Sforza para Milão seis anos depois, ele se transfere para Roma, agora a serviço de Leão X. Por fim, em 1516, ele se muda para a França, na qualidade de pintor e arquiteto. Como hóspede de Francisco I, no castelo de Cloux, em 2 de maio de 1519, veio a falecer (aos 67 anos de idade). No campo da filosofia ele concorda com a ideia neoplatônica do paralelismo entre microcosmo e macrocosmo – o homem abriga tudo que está no mundo grande – entre o homem e o universo. Ele contemplava a ciência, mas ressaltava a importância da prática, dizendo: “A ciência é o capitão, a prática os soldados”. Também, busca a intermediação entre razão e experiência, tendendo a conhecer a lei que regula os fenômenos, e com isso antecipa o “método resolutivo” de Galileu e da ciência moderna. Telésio nasceu em Coenza e recebeu sólida educação humanista de seu tio Antônio Telésio, homem de letras. Acompanhou o tio a Milão, depois a Roma e, em 1527 foi aprisionado por ocasião do conhecido “saque de Roma”, sendo libertado após dois meses, por intervenção de um conterrâneo. Foi para Pádua, onde estudou filosofia e ciências naturais, em especial, a medicina, formando-se em 1535. Depois de formado esteve em várias cidades da Itália, depois passou algum tempo meditando em solidão em mosteiro de monges beneditinos. Em 1553 passou a fixar residência em Cosenza, permanecendo por dez anos; e depois foi a Roma e Nápoles e, por fim, retornou à terra natal, vindo a falecer em 1558. Ele foi construtor de uma física qualitativa; essa física se baseava na defesa de que o “sentido” revela a realidade da natureza, sendo a própria natureza, em sua essência, vitalidade e sensibilidade ou seja, uma concepção vitalista da natureza. Ele recorre ao “espírito produzido pela semente”, fazendo uma analogia com o “espírito” de Ficino. Assim, o homem é explicável como todas as outras realidades naturais. Bruno nasceu em Nola, seu nome de batismo era Felipe, o nome Giordano lhe foi dado quando, ainda jovem, ingressou no convento de São Domingos, em Nápoles, onde foi ordenado sacerdote aos 24 anos, em 1572. Ainda estudante, em 1567, foi processado, mas não deu em nada. Entretanto, em 1576, sob suspeita de heresia e de envolvimento no assassinato de um frade que o havia denunciado; nesse meio tempo ele fugira para Roma e já pensava em abandonar o hábito, refugiando-se no norte do país – Gênova, Nola, Savona, Turim e Veneza – e, finalmente, em Genebra, na Suíça, onde frequentou ambientes calvinistas, ficando por pouco tempo, em virtude de sua rebeldia contra os teólogos calvinistas. Em 1579 vai passar dois anos na Europa, em Tolosa, depois, em Paris, onde passou a receber apoio e proteção de Henrique III. Em 1583, acompanhando o embaixador francês, vai morar em Londres, mas logo entrou em conflito com os docentes da universidade. Em 1585 retornou a Paris, teve desencontros com os aristotélicos e fugiu para a Alemanha, abraçando o luteranismo; no ano seguinte foi para Wttenberg; em 1588, sem sucesso, tentou obter favores junto ao imperador Rodolfo II; no ano seguinte inscreveu-se na comunidade luterana, sendo expulso em um ano. Em 2592 teve que se retratar para encerrar um processo em Veneza. Em 1593 foi novamente processado e, por conta disso, foi condenado à morte na fogueira, tendo sido executada no Campo dei Fiori, em 7 de fevereiro de 1600. Campanella nasceu em Stilo, na Calábria e, aos quinze anos ingressou na ordem dos dominicanos; seu nome de batismo era Giandomenico, mudado para Tomás em homenagem a Santos Tomás de Aquino ao entrar para o convento. Vítima de torturas e muitas vezes preso, escapou da condenação à morte fingindo perfeitamente estar louco, recebendo condenação a prisão perpétua, mas cumprindo apenas vinte e sete anos. Grande parte desse tempo foi utilizado em escritas, passando a conquistar credibilidade. A partir d 1634 viveu momentos de glória, em Paris. O rei Luís XIII concedeu-lhe honras e passou a gozar dos favores do poderosíssimo Richelieu. Embora viesse tentado adiar a sua morte usando artes mágico-astrológicas, veio a falecer em 1639. A Holosofia considera o PHS (Programa Holosófico de Saúde) como o Setor adequado para desempenhar a função de levar à comunidade informações compreendidas como úteis e necessárias ao bom desenvolvimento cultural de todos. Este momento histórico da Filosofia trouxe enormes mudanças sociais, por isso, precisamos registrar e internalizar tais mudanças e suas respectivas influências. Prof. Me. Sebastião Saraiva, Maitreya Médico, holósofo e filósofo Cel. (098) 8282.9888 Site: www.holosofia.com.br Prefeito renova convênio do “Vivaleite” O p r e f e i t o D r. Luís Estevão participou na quinta-feira (23), da cerimônia de assinatura de renovação do programa Vivaleite, do Governo do Estado. O evento aconteceu em Jaboticabal e contou com as presenças do secretário estadual do projeto social de distribuição gratuita de leite fluido, pasteurizado, com teor de gordura mínimo de 3%, enriquecido com ferro e Vitaminas A e D. O projeto tem o objetivo de oferecer um complemento alimentar seguro e de alto valor nutritivo às pessoas de baixa renDesenvolvimento So- da. São 115 milhões cial Rogério Hamam e de litros de leite enrid e p r e f e i t o s d e 2 5 quecido distribuídos municípios. por ano, beneficiando Segundo Dr. Luís a p r o x i m a d a m e n t e Estevão, a renovação 520,5 mil crianças e do convênio vai ga- mais de 111,5 mil idorantir por mais dois sos em todo Estado anos o complemento d e S ã o P a u l o . E m alimentar em muitos Cajuru, o número de lares de nossa cidade, beneficiados chega a pois o Vivaleite é um 384.

[close]

p. 5

25/01/2014 - Edição 715 Página 5 Iniciada Reforma da EE Galdino de Castro Solicitação é do prefeito Dr. Luís Estevão por intermédio do deputado Roberto Engler em abril de 2013, quando o prefeito convidou o deputado Roberto Engler para visitar Cajuru e o levou à unidade escolar, onde a diretora Maria de Fátima Abrahão mostrou o prédio e a necessidade da reforma. Com total apoio dos vereadores Alex Moretini, João (do mercado), Nei (da ambulância), Juliano (do bar) e Marcelo (da Menta), o prefeito reforçou a solicitação, nascendo aí um compromisso de empenho para que a obra fosse realizada. Depois disso, o parlamentar discutiu a reforma em duas reuniões, uma delas com Barjas Negri, em maio, e outra com o secretário estadual de Educação, Herman Voorwald, em junho. Em dezembro veio a boa notícia e 2014 começa com melhorias nessa escola tão querida. Reforma da escola Lólia está quase concluída Os alunos da escola Lólia da Fonseca Palma Reis iniciarão o ano letivo com uma agradável surpresa: as benfeitorias realizadas pela Prefeitura Municipal na unidade educacional. A escola ganhou muros de alvenaria no lugar dos alambrados e também uma entrada nova, com muros no formato de lápis, aos moldes dos já existentes. Para completar, o jardim que separa os corredores ganhou cobertura especial e logo será colocada uma centopéia no Bosque Curumim, que será mais uma alternativa para recreação dos pequenos, que poderão entrar no brinquedo, do tipo túnel. Os professores também vão gostar da nova sala de reunião, com gesso contornando o teto e nichos de alvenaria. Agora faltam peque- Ciente da necessidade de reformas no prédio da EE Dr. Galdino de Castro, considerado patrimônio histórico da população cajuruense, o prefeito Dr. Luís Estevão não mediu esforços e através de uma solicitação ao deputado Roberto Engler, conseguiu a tão esperada recuperação da unidade. A reforma foi licitada pelo Governo do Estado e ficará em R$ 876.787,24. As in- tervenções a serem executadas vão incluir reparos no telhado, na cozinha e refeitório, na quadra poliesportiva, na calçada externa e nos sistemas elétrico e hidráulico, troca de caixas de água, colocação de grades nos vidros e aumento da grade da entrada principal, além de obras de acessibilidade a portadores de necessidades especiais. O processo teve início nos detalhes para a conclusão da obra, que foi licitada para garantir o melhor preço na sua execução. Complementando, o espaço ganhou as bandeiras do Brasil e do Município, marcos que em breve estarão em todas as unidades escolares. Prefeitura conclui Galeria de Águas Pluviais e Constrói Praça próxima ao acesso Manoel Bento Após a conclusão da Galeria de Águas Pluviais no acesso Manoel Bento do Nascimento, que resolverá o problema de enchentes e inundações no início da Rua 28 de Setembro, a Prefeitura Municipal cuidou de revitalizar o espaço, construindo uma Pracinha. Próximo ao córrego que recebe o fluxo de água da galeria havia um espaço ocioso, que com cuidado e planejamento se transformou em uma bela praça com palmeiras e jabuticabeiras. A razão das árvores frutíferas foi uma homenagem que o prefeito quis fa- zer a um grande médico e político de nossa cidade: Dr. Salvador, cuja esposa apreciava muito jabuticabas. Completando o traba- lho, foram feitas calçadas ecológicas no entorno e os moradores das proximidades ganharam um belo local de contemplação e lazer.

[close]

p. 6

Página 6 Edição 715 - 25/01/2014 SINAPSE Enxugando gelo e sangue ilícitas idem e a população amedrontada dá força a políticos que prometem ainda mais rigor: mais da suposta solução que é, em última análise, o próprio problema. A tragédia do presídio de Pedrinhas é parte dessa equação, como bem aponta Julita Lemgruber. Quebrar esse círculo vicioso depende, primeiramente, de reconhecer que o cenário atual é insustentável. Depois, é preciso desadjetivar o debate, por assim dizer. Expressões como “droga maldita”, “reféns das drogas” e “exército de zumbis” podem ser boas para explorar o medo dos telespectadores nos programas vespertinos e no horário eleitoral gratuito, mas não ajudam a avançar as políticas públicas. Para isso é preciso menos preconceito e mais coragem, como a que demonstraram o Uruguai e os Estados americanos de Colorado e Washington ao decidirem regulamentar sem hipocrisia seus mercados locais de maconha. Essas experiências devem ser avaliadas de forma atenta e desapaixonada no Brasil, em especial neste ano de eleições presidenciais, no qual a tendência dos candidatos é repetir 2010 e endurecer o discurso da repressão na disputa pelo voto conservador. Enquanto diversos países avançam em direção a uma abordagem distinta da fracassada guerra às drogas, seria muito ruim se a sociedade brasileira condenasse a si própria a passar os próximos anos enxugando gelo –e sangue. Parte superior do formulário Parte inferior do formulário Fonte: LUÍS FERNANDO TÓFOLI, médico, doutor pela Universidade de São Paulo, é professor de psiquiatria na Universidade Estadual de Campinas Apôio: Saúde Mental - AMBULATÓRIO “dona Fifia” – fone 16-3667 9962 Vício com endereço certo rentemente” limpa da cracolândia. Só que desta vez ao invés de esparramar os viciados, esconderam boa parte deles dentro dos hotéis, livres dos olhos dos turistas. “Mantê-los aqui, na mesma rua onde moravam não foi nada inteligente. É um passo para a recaída” reclama um dos usuários que se negou a ir para o hotel. Outro problema que se prevê é que muitos poderão morrer de overdose dentro dos quartos, coisa que não acontecia na rua porque sempre tinha um monte de gente em volta que ajudava e chamava o Samu. “Agora, se o camarada entrar, trancar a porta e fumar além do limite, sabe-se lá o que pode acontecer”, profetiza o usuário. Dar a eles um espaço discreto como um quarto de hotel também vai permitir que eles recebam os traficantes com tranquilidade. No dia em que acompanhei a “Operação Braços Abertos” para o Jornal da Record, conversei também com gente esperançosa. Mas eram, principalmente, casais. A possibilidade deles terem sua intimidade longe das ruas num quarto que não precisem dividir com outros viciados deu-lhes a esperança de sair dessa vida, de construir uma família de verdade, se livrar do vício. Por esse lado e se não houver recaída, o programa até que pode ajudar alguns a se salvarem. Esperemos até o fim da Copa e das eleições para ver no que isso vai dar. Como já se tem noticiado que muitos dos inscritos no Braços Abertos passam o dia fumando a droga em seus quartos, muitos acreditam no fracasso do programa e que ele seja mais uma jogada eleitoreira do que uma ação humanitária. Nos últimos dias, a expressão “enxugar gelo” foi usada duas vezes nesta Folha para referir-se à atuação do Estado em relação aos problemas gêmeos das drogas e da criminalidade. O curioso é que ela marca duas avaliações opostas da questão. Em entrevista ao jornal no dia 11 (http://bit.ly/ 1ewZH54), a socióloga Julita Lemgruber diz que a guerra “falida” contra as drogas está ajudando a produzir o caos nos nossos presídios e aumentar a violência ao multiplicar as prisões de pequenos traficantes. “Estamos enxugando gelo”, diz. No dia 30 de dezembro, o colega psiquiatra Antônio Geraldo da Silva reconhece em artigo (http://bit.ly/ 1dIsJCD) que o governo enxuga gelo no combate às drogas. Seu diagnóstico parece ser o de que falta pulso firme ao Palácio do Planalto para vencer essa guerra. Antes de analisar essa tensão, permita-me contar uma história: não muito tempo antes da legalização da produção e da distribuição de maconha no Uruguai (porte pessoal para consumo já não era crime por lá), eu fui a um bairro da periferia de uma cidade brasileira para orientar ações de saúde mental. Circulando pelo bairro, perguntei a um profissional de saúde que conhecia muito bem a região: “É difícil comprar drogas por aqui?”. A resposta: “Não, doutor. O difícil é não comprar. Está tudo liberado aqui”. Produz-se, dessa forma, uma situação paradoxal: a maconha, o crack e outras drogas são, ao mesmo tempo, proibidíssimas e completamente liberadas. Essa sobreposição de estados se faz acompanhar de um conjunto nefasto de implicações sociais, penais e sanitárias. Tais consequências são particularmente proeminentes no caso daqueles com maiores riscos: os adolescentes – em especial os pobres. Ainda assim, o rigor me obriga a apontar que, em seu artigo, Antônio Geraldo da Silva se equivoca na interpretação dos dados da Universidade Federal de São Paulo ao afirmar que “37% dos jovens que usam maconha ficam viciados”. Na verdade, o estudo citado aponta uma estimativa de que 10% dos adolescentes que usaram maconha no ano anterior à pesquisa sejam dependentes. Da mesma forma, ainda inexistem dados científicos que permitam sustentar a afirmativa de Silva de que o número de usuários de crack “dobra a cada dois anos”. No caso da maconha, a proibição suprime benefícios do uso medicinal, reprime quem não quer alimentar a criminalidade plantando a própria erva e impossibilita a existência de controle e conhecimento sobre teores de canabinoides, algo particularmente importante para diminuir riscos e maximizar benefícios. O resultado todos conhecemos: o impacto negativo do consumo de drogas sobe, a pressão sobre o SUS também, a violência relacionada ao comércio de drogas Essa semana que passou a prefeitura de São Paulo lançou mão de mais uma tentativa de livrar as ruas do centro, mais propriamente a chamada “Cracolândia”, dos usuários de drogas. Mas desta vez, a tentativa difere do que fez a administração de Gilberto Kassab que numa tentativa estapafúrdia revestida de “internação compulsória”, acabou esparramando os viciados por vários pontos da cidade, até mesmo no Jardins, bairro nobre da capital. O que se fez agora foi cadastrar os moradores de rua viciados daquela região, acomodá-los em hotéis baratos (de graça, claro) e dar-lhes café da manhã, almoço e jantar. Também sem custo nenhum para eles. Quem topou fazer parte do programa, além de receber estes benefícios vai ter de trabalhar seis horas por dia na manutenção e limpeza de parques e praças ganhando 15 reais por dia trabalhado. Ao final de um mês, serão 450 reais se não houver faltas ao serviço. O programa, que já está sendo chamado de “Bolsa Crack”, parece uma boa idéia. Mas só parece! Em primeiro lugar, a ver o estado psicológico e de saúde da maioria dos viciados, se percebe de cara que o que eles mais precisam é de tratamento médico e internação. E isso o programa não prevê. Também não está sendo considerada uma boa idéia te-los colocado em hotéis na mesma região por onde perambulavam. Alguns darão menos de 30 passos do quarto onde estão para a calçada onde estavam. Apesar de muitos com quem conversei terem a intenção de se afastar das drogas, eles vão continuar sob a tentação e sentindo até o cheiro da fumaça dos cachimbos de crack que vão continuar sendo usados por ali, já que muitos rejeitaram a mudança. E outra: a intenção do programa não é fazer com que eles parem de fumar a droga imediatamente, portanto, não há nada que vá trabalhá-los nesse sentido agora. Em resumo, eles vão poder continuar fumando tranquilamente seus cachimbos, mas agora sob a proteção de um quarto de hotel. E só vão trabalhar nos dias que quiserem porque não serão obrigado a isso. Só não vão receber pelas faltas. O que os programas de Kassab e Haddad tem em comum? O objetivo! Na verdade, às vésperas da Copa do Mundo o que se tenta mais uma vez é varrer a sujeira para debaixo do tapete, deixar a cidade “apa-

[close]

p. 7

25/01/2014 - Edição 715 Página 7

[close]

p. 8

Página 8 Edição 715 - 25/01/2014 Festa de São Sebastião A Centenária Festa de São Sebastião mais uma vez foi um grande sucesso. Todos os dias com muita gente e muita diversão. No domingo, dia 19, aconteceu a já tradicional cavalgada, reunindo centenas de cavaleiros, seguido pela Missa. Na segunda feira, dia do Santo, muita movimentação desde cedo, as 10h a Missa em Louvor ao Santo com a presença do Arcebispo de nossa Arquidiocese, Dom Moacir Silva, os padres de nossa cidade, Pe. Gil, Pe. Adi, Pe. Robson além de padres de outras paróquias da região, após a missa os fiéis seguiram a procissão. As 11h o tradicional almoço. O leilão também foi um sucesso de público, finalizando a parte religiosa da festa com a missa e a procissão, seguida de uma grande queima de fogos. E Viva São Sebastião

[close]

p. 9

25/01/2014 - Edição 715 Página 9

[close]

p. 10

Página 10 Edição 715 - 25/01/2014

[close]

p. 11

25/01/2014 - Edição 715 Página 11 Começando... Bom dia com muita alegria a todos leitores. Hoje a primeira coluna do ano, e pedimos a Deus que seja um ano de muita paz, amor, saúde e felicidades para todos nós. Pelo menos para mim, a cada ano que se passa, maior é a velocidade do tempo, quanto mais velho eu fico, mais depressa o tempo passa, bem que poderia ser ao contrário, mas fazer o que ? Já estamos no final do primeiro mês do ano, já curtimos como todos os anos a nossa famosa e tradicional Festa de São Sebastião, que por sinal, como sempre estava muito boa. Daqui a pouco vem o Carnaval, e o Brasil como sempre vai parar por uma semana. Temos ainda esse ano a Copa do Mundo de Futebol, que será realizada em nosso país. Com certeza o Brasil para de novo, mas esperamos agora que ele pare os seus adversários também. Depois da Copa, vamos comemorar (pensamento positivo) e logo depois eleição, vamos escolher o nosso novo Presidente, ou seria Presidenta ? Bom, seja quem for, já chegamos no final do ano, então já desejo a todos vocês um ótimo Natal e feliz 2015. Fora do Ar O programa Fala Eugenio, transmitido pela Cajuru FM está fora do ar, pelo menos e por enquanto. Acontece que a Rádio recebeu uma notificação da Anatel de que um programa como o nosso não pode ser feito em uma rádio comunitária. A denuncia deve ter partido de algum ouvinte não satisfeito com o conteúdo de algum programa e por esse motivo o programa está suspenso. Não sei quem é ou quem são os denunciantes, mas digo que essa denuncia é uma atitude covarde. O Programa sempre dá oportunidade para qualquer cidadão dar a sua opinião. Se não estiver satisfeito com qualquer comentário feito no Programa, vá até o Programa e dê a sua opinião. Se continua insatisfeito, vá na Justiça contra os integrantes do Programa. Agora, tentar prejudicar a APAE, que não tem nada haver com isso, é uma atitude COVARDE. Por enquanto o Programa está suspenso, e com certeza vai fazer falta para centenas de pessoas, seja por laser ou para fazer alguma reivindicação para as nossas autoridades. Nossas entidades também sentirão falta. Como exemplo podemos ter o nosso Hospital que está uma maravilha, e essa melhora se deve muito aos Leilões beneficentes e ao Brechó Solidário. Eventos esses sempre divulgados e apoiados pelo Rádio. È isso aí pessoal, por causa de atitudes covardes, de verdadeiras picuinhas, estamos fora do ar. Vamos aguardar. O Neguito Quero lembrar e mandar um grande abraço para o meu amigo Neguito, grande cidadão, grande pai de família, grande desportista e acima de tudo um grande amigo. Conheço o amigo desde o tempo de moleque, quando ele exercia a sua profissão de Barbeiro, em seu salão lá na rua José Bonifácio, um pouco a frente do Hotel da dona Páscoa, hoje Hotel Tropical. Lembrando que antes disso, Neguito trabalhou por muitos anos no tradicional salão do saudoso senhor Mario Longo. Neguito mudou por muitas vezes o seu local de trabalho, o seu Salão, mas os clientes e amigos sempre o acompanhavam em qualquer lugar. O salão do Neguito sempre foi ponto de encontro dos boleiros de Cajuru, e ele com a sua educação, com a sua paciência ouvia e respeitava a opinião de cada um, e ainda sobrava tempo para as partidas de Dominó, e as Piadas contadas por ele. Além de muitos amigos, Neguito formou uma grande e honrada família, e ainda faz os cortes de cabelo na sua residência, com direito às Piadas. Grande abraço amigo Neguito, é uma honra tê-lo como amigo e ter jogado futebol com você. Pessoas como você devem ser sempre lembradas e homenageadas, e servir como exemplo de vida. BOM FINAL DE SEMANAA TODOS E FIQUEM COM DEUS www.ojornalzao.com.br

[close]

p. 12

Página 12 Edição 715 - 25/01/2014 Para iniciar o ano de atividades com o grupo de idosos, a equipe da Estratégia Saúde da Família do bairro Jardim Maria Tereza realizou a primeira reunião com o objetivo de planejar as atividades que irão ocorrer durante todo o ano. Um a um do grupo teve a oportunidade de opinar sobre quais os temas que deverão ser discutidos e também sobre as atividades recreativas que farão parte das quartas-feiras de encontros. O forró foi o mais pedido, mostrando a animação e preparo do grupo, seguido das aulas de alongamento, relaxamento e condicionamento físico, além das sempre bemvindas orientações médicas sobre temas de interesse comum: nutrição, hipertensão entre outros, sempre realizadas por especialistas. A médica da unidade, Dra Ersone, participou e ouviu atentamente as sugestões. “Buscamos oferecer um espaço que seja informativo e recreativo para aumentar a qualidade de vida do grupo”, informa. ESF Piscina realiza 1a reunião do ESF Dom Bosco promove reunião de Gestantes e Planejamento ano com Grupo de Idosos Familiar A ESF Dom Bosco realizou na quinta-feira (16), reunião com as gestantes da área de abrangência abordando a importância do prénatal, onde Dr. Fábio explicou as etapas a serem seguidas e os cuidados com a gestante e o bebê. O encontro terminou com sorteio de brindes e um descontraído café da manhã. Outra reunião importante, realizada no mesmo dia, discutiu o Planejamento Familiar orientando sobre tipos e uso corretos dos métodos contraceptivos existentes: hormonais, comportamentais e cirúrgicos e as vantagens e desvantagens de cada método, evidenciando as indicações e contraindicações. Em ambas as reuniões os participantes puderam sanar dúvidas e solicitar informações complementares. Os encontros da ESF Piscina com o grupo de idosos são realizados todas as quartas-feiras, a partir das 14 horas, no Clube Recanto da Amizade, que foi gentilmente cedido para a realização das atividades. A equipe da ESF convida os moradores do bairro Dom Bosco a participarem dos grupos. Informe-se na unidade e usufrua dos muitos benefícios que irão contribuir para sua qualidade de vida. NEGOCIOS E OPOR TUNIDADES OPORTUNID TUNIDADES VENDE-SE Fusca 1.500, alternador, vermelho R$ 2.000,00. Tratar 99289-6985 ou 99999-6090. VENDE-SE Casa na Vila Real, 2 quartos, sala, cozinha, banheiro, piso frio, laje, quintal grande, portão e garagem. Tratar (16) 99307-1244 ou 99272-5282, direto com a proprietária, Cida. VENDE-SE Chácara no Big Walley, com casa. Tratar 99238-4732 com Ednalva. VENDE-SE Opala, ano 79, cor amarelo, banco de couro, e roda 17. Tratar 991293019 com Anderson. VENDE-SE Potência Taramps, 6500 RMS e uma de 8.000 RMS, 2 auto falantes Tornado de 15" de 2.500 RMS. Tratar 99374-0653. ALUGA-SE Casa 3 dormitórios, quintal, garagem, R. Santa Terezinha, 190. Tratar (16) 99172-6194 com Silvio VENDE-SE ou ALUGA-SE apartamento no Edificio Antares. Tratar 991018858. VENDE-SE, CB 300R preta 2011, 7.000 km muito nova. Tratar 99294-7512. VENDE-SE, Parati 1.6, 2008 kit trend, prata, 4 portas, flex. Tratar 3667-3986 ou 99267-4161 com Simone ou Nilton. VENDE-SE, Carretinha alongada, documentada, seminova, R$ 2.400,00. Tratar 99178-8903 com Ivan Bloco. VENDE-SE ou TROCA-SE, Moto Honda Fan, 125ks ano 2014 OK por Pickup Strada. R$ 6.000,00. Trata 99178-8903 com Ivan Bloco. VENDE-SE, Monza, preto 86, 1.6, álcool. R$ 2.500,00 documentação OK. Tratar 99289-6985 ou 999996090. VENDE-SE, Ranger completa, 2001 cabine dupla. Tratar 3667-3322 ou 991990890. VENDE-SE, Guincho motocana em trator 985. Tratar 3667-3322 ou 99199-0890. VENDE-SE, Esticadores para cerca (citrodorus). Tratar 3667-3322 ou 99199-0890. VENDE-SE Lotérica em Santa Cruz da Esperança. Preço R$ 130.000,00 com o prédio. Tratar Fone 993462144 – 36661211. www.ojornalzao.com.br

[close]

p. 13

25/01/2014 - Edição 715 Página 13

[close]

p. 14

Página 14 Edição 715 - 25/01/2014

[close]

p. 15

25/01/2014 - Edição 715 Página 15

[close]

Comments

no comments yet