Edição 714

 

Embed or link this publication

Description

18/01/2014

Popular Pages


p. 1

Diretor Responsável: Homero T. Tranquilli - CNPJ: 09573449/0001-13 - Cajuru, Sábado, 18/01/2014 - Ano 15 - N.° 714 Semanal - Distribuição Gratuita / Assinantes Polícia Militar de Santa Cruz da Esperança faz a Maior Apreensão de Drogas já feita na Cidade OGG IBRAHIM Invasão na praia dos paulistanos HOL OCOLUN A HOLOCOLUNA OCOLUN 328. A Renascença e a Política Desemprego no Brasil foi de 7,7% no 1º semestre de 2013 Nova pesquisa do IBGE sobre o mercado de trabalho foi divulgada nesta sextafeira (17) SINAPSE Foto Ilustrativa Movimento é expressão das demandas políticas da juventude das periferias

[close]

p. 2

Página 2 Edição 714 - 18/01/2014 HOL OCOLUN A HOLOCOLUNA OCOLUN 328. A Renascença e a Política O pensamento político da época, com características especulativas, éticas e religiosas, vem sofrer enorme reformulação com Nicolau Maquiavel (1469-1527); ele defende que a política deve ser autônoma, ou seja, regida por princípios próprios, portanto, sem ser condicionada por princípios válidos em outros âmbitos. A ideia é produzir uma cisão entre “ser” e “dever ser”. Este realismo político – posto em O Príncipe – afirma que é preciso permanecer na verdade efetiva da coisa, sem se perder na busca de como a coisa “deveria” ser. Maquiavel chega a concluir que o homem que queira em todo lugar parecer bom, atrai ruína entre tantos que não são bons; e reconhece que o homem não é bom nem é mau, mas tende a ser mau. E ainda, o ideal para um príncipe seria o de ser, ao mesmo tempo, amado e temido, mas que tal conciliação é muito difícil, logo, o príncipe deve escolher o que é mais funcional para o governo eficaz do Estado. Maquiavel discute o tema do contraste entre “liberdade” e “sorte”, sugerindo que as coisas humanas dependem, metade da sorte e metade da virtude e da liberdade. Fala-se da volta aos princípios da república romana, fundada sobre a liberdade e sobre os bons costumes: é este o ideal político de Maquiavel, enquanto o príncipe por ele descrito é apenas uma necessidade do momento histórico. O fato é, que essas reflexões de Maquiavel encontram guarida na realidade política criada em Florença, na Itália, precipitada pela grande crise dos valores morais vigentes. Francisco Guicciardini (1483-1540) aparece defendendo uma ordem de ideias análoga à de Maquiavel sobre a natureza do homem, sobre a virtude, a sorte e a vida política, mas mostrando-se mais sensível ao “particular”. Dentre suas obras, destacase Recordações políticas e civis. Em um de seus pensamentos expressa três desejos: viver em uma república bem ordenada; ver a Itália liberta dos bárbaros; e ver o mundo liberto da tirania dos padres. Num segundo pensamento diz: “Eu não sei a quem desgostem mais que a mim, a ambição, a avareza e a indolência dos padres: porque cada um desses vícios, em si, já é odioso; porque cada um e todos juntos pouco convém a quem faz profissão de vida ligada a Deus; porque, ainda, são vícios tão contrários que não podem estar juntos senão em um sujeito muito estranho. No obstante, o contato que tive com muitos pontífices levou-me, por minha conta particular, a amar a sua grandeza. Por fim, ele resume a doutrina de Maquiavel na tão famosa fórmula “os fins justificam os meios”. Uma rica literatura floresceu em torno do pensamento de Maquiavel, incluindo-se a obra de João Botero (1533-1617), intitulada Sobre a razão do Estado, cujo objetivo é temperar o cru realismo maquiavélico mediante efetiva referência à incidência dos valores morais e religiosos. Nessa mesma época surge o inglês Thomas Morus (1478-1535), humanista de estilo elegante, amigo e discípulo de Erasmo, firme na fé católica e ativo na vida política, tendo, inclusive, exercido altos cargos. Contudo, ao recusar reconhecer Henrique VIII como chefe da Igreja, foi condenado à morte aos 57 anos de idade (1935). Depois de exatos quatrocentos anos (1935) foi proclamado santo pelo papa Pio XI. Morus celebrizou-se pela obra Utopia (do grego ou = não e topos = lugar), indicando um “lugar que não existe” ou “aquilo que não existe em nenhum lugar”. O seu perfil humanitário foi positivamente influenciado por ideias de Platão e doutrinas estoicas, tomistas e erasmianas. Ele entendia que bastaria seguir a sã razão e as mais elementares leis da natureza, que estão em perfeita harmonia com a razão, para acabar com os males que afligem a sociedade. Em Utopia todos os cidadãos são iguais entre si; o trabalho seria realizado em jornadas diárias de seis horas, deixando tempo para o lazer e outras atividades; e o dinheiro (fonte de disputa e conflitos) seria abolido. A soberania absoluta do Estado seria defendida por Jean Bodin (1529/30-1596), com seus Seis livros sobre a República; ele sustenta que o verdadeiro fundamento do Estado é a soberania, que mantém unidos os vários membros sociais, ligando-os como que em um só corpo. E isso, instaurando a justiça e fazendo apelo à razão; observando as normas éticas, as leis da natureza e as leis divinas; e plena tolerância religiosa. A soberania fora destes limites seria uma tirania. A fundação do jusnaturalismo acontece pelas mãos do holandês Hugo Grotius (1583-1645), através do escrito De jure belli ac pacis (1625). Esse direito natural, que regula a convivência humana, funda-se sobre a razão e sobre a natureza, que coincidem entre si: o direito natural espelha a racionalidade, que é o próprio critério com o qual Deus criou o mundo. Diferente do direito natural é o direito civil, que depende das decisões dos homens. A Holosofia outorga ao PHS (Programa Holosófico de Saúde) a sublime tarefa de oferecer à comunidade, mesmo em doses homeopáticas, informações sobre um período de verdadeira iluminação humana, sob as denominações de Humanismo e Renascença que, para Burdach, “constituem uma só coisa”. Prof. Me. Sebastião Saraiva, Maitreya Médico, holósofo e filósofo Cel. (098) 8282.9888 Site: www.holosofia.com.br

[close]

p. 3

18/01/2014 - Edição 714 Página 3

[close]

p. 4

Página 4 Edição 714 - 18/01/2014 TIRAS POLICIAIS Polícia Militar de Santa Cruz da Esperança faz a Maior Apreensão de Drogas já feita na Cidade uma sujeito nome Romário da cidade de Serrana, que pediu que ele fizesse duas entregas na cidade de Santa Cruz da Esperança, uma no dia 11/01 e outra na no Segunda feira dia 13/01. Segundo o que disse a polícia, o mesmo não conhece o indivíduo que receberia a droga, mas receberia uma ligação em um celular fornecido por “Romário”, marcando o local exato da entrega que seria realizada no centro da cidade. Ainda disse que a moto utilizada foi alugada por “Romário” para efetuar as entregas. Lucas foi conduzido a DP onde foi registrada a ocorrência de trafico de entorpecentes e determinada sua prisão. Segundo o Sargento “De Sá”, comandante em Santa Cruz da Esperança, que forneceu as informações ao “O Jornalzão”, essa foi a maior apreensão de drogas já feita na cidade. Desemprego no Brasil foi de 7,7% no 1º semestre de 2013 Nova pesquisa do IBGE sobre o mercado de trabalho foi divulgada nesta sexta-feira (17) RIO DE JANEIRO, 17 Jan (Reuters) - O Brasil registrou taxa média de desemprego de 7,4% em 2012 e de 7,7% no primeiro semestre de 2013, segundo a nova pesquisa do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) sobre mercado de trabalho divulgada nesta sexta-feira, batizada de PNAD Contínua. O novo levantamento, que tem maior abrangência nacional e será trimestral, mostra que a taxa de desemprego foi maior do que a anteriormente anunciada via Pesquisa Mensal de Emprego (PME), que leva em consideração apenas seis regiões metropolitanas. Por ela, a taxa média de desemprego no país havia fechado 2012 em 5,5% e, no primeiro semestre do ano passado, em 5,7%. A PNAD Contínua inclui 211 mil domicílios distribuídos por cerca de 3.500 municípios e também substituirá a PNAD em vigor. Atualmente, a PME reúne informações de apenas seis regiões metropolitanas e inclui cerca de 45 mil domicílios a cada mês. De 2011 para trás, as três pesquisas (PME, PNAD e PNAD Contínua) não serão mais comparáveis. A perda da série histórica se deve à mudança na metodologia da PNAD Contínua e abrangência mais ampla da pesquisa. Segundo a PNAD Contínua, nos primeiros três meses de 2013 a taxa de desemprego ficou em 8% em todo o país e em 7,4% no segundo trimestre. A PME vai coexistir com a nova PNAD até dezembro. Na noite do último dia 11/01 por volta das 23:00h os policiais militares Tarsitano e Victor, em patrulhamento próximo ao km 17 da rodovia Abraão Assed, se depararam com um indivíduo, parado ao lado de uma moto em uma parte não iluminada do Posto Santa Cruz, o qual já se encontrava fechado. Os policiais acharam estranha a situação e pararam para averiguar o que estava ocorrendo, ao abordar o in- divíduo a respeito do motivo pelo qual estava parado naquele local, o mesmo se mostrou suspeito, os PMs então realizaram a revista pessoal a qual encontrou em suas roupas intimas um saco contendo 98 capsulas de cocaína. Após averiguação constatou-se que o indivíduo era Lucas Donizete Pedro de 25 anos, morador da cidade de Serrana. Segundo o mesmo, ele tem uma dívida de R$250,00 de drogas com EXPEDIENTE - “O JORNALZÃO CAJURU” Empresa: H. T. TRANQUILLI-ME. Contato comercial: Rua Orlando V. Figueiredo, 676 - Fone - 36674497, Diretor Responsável: Homero Tranquilo Tranquilli, tiragem: 3.500 mil exemplares, impressão: Editora Grafisc - São Carlos/SP. distribuição Gratuita e Assinantes. Circulação: Cajuru, Cássia dos Coqueiros e Santa Cruz da Esperança. Colaboradores: Lurdinha, Roberta, Fabiano L.Gomes, Luciano Porfirio, Caio Luis. Tentativa de Homicídio (Vítima leva mais de 20 facadas) No dia 13/1 p.p., às 22:00 aproximadamente, no Bairro Cohab, nesta cidade foi preso em flagrante delito pela Polícia Militar a pessoa de Ronan Alves Bibiano(21), Vulgo: “Ribinha”, o qual logo após um entrevero com a vítima(47), apossou-se de uma faca na cozinha do imóvel e desferiu mais de vinte golpes com a arma branca em várias partes do corpo da vítima, somente não consumando sua morte, devido a intervenção de duas testemunhas que passavam defronte ao local e ao ouvirem os gritos de socorro da vítima, arrombaram a porta da casa, vindo enquanto uma das testemunhas prestar auxílio ao esfaqueado a outra veio a deter o criminoso, até a chegada tanto do S.A.M.U. quanto da Polícia Militar que foram rápidos e concluíram com sucesso suas missões, apreendendo ainda os policiais a arma do crime utilizada no esfaqueamento, dando voz de prisão ao homicida. A vítima foi encaminhada ao Hospital de Cajuru, onde devido a gravidade dos ferimentos suportados e risco de morte levada até o H.C.-U.E. de Ribeirão Preto ao passo que o autor foi apresentado no Plantão Policial, onde confessou o crime e alegou a versão que depois de ter sido convidado pela vítima para fazerem uso de bebida alcoólica no decorrer dos fatos, haveria recebido propostas sexuais e daí em diante devido sua recusa e insistência da vítima nesse sentido, ocorrera o crime. Durante a ocorrência, equipes da Polícia Civil de Cajuru e Polícia Científica de Ribeirão Preto também se fizeram presentes na residência da vítima e hospital local a fim da realização dos levantamentos e perícias necessárias. O indiciado depois do trâmites legais foi encaminhado ao CDP de Serra Azul, permanecendo à disposição da Justiça. Segundo consta a vítima após os procedimentos médicos de urgência estaria com seu quadro de saúde estável, aguardando a Autoridade Policial sua melhora e recebimento de alta médica para ouvi-lo acerca do ocorrido.

[close]

p. 5

18/01/2014 - Edição 714 Página 5

[close]

p. 6

Página 6 Edição 714 - 18/01/2014 SINAPSE Movimento é expressão das demandas políticas da juventude das periferias Há dois modos usuais de se conceber o conflito social. O primeiro o vê negativamente, por aquilo que o conflito destrói: a ordem civil, a boa convivência entre pares, o passeio no shopping. Identifica-se sua causa —o desordeiro— e sua repressão restabelece a ordem. Essa lógica, no limite, é a da guerra. O inimigo nos ameaça, sua eliminação nos devolve a paz. O segundo modo de conceber o conflito social o enxerga positivamente, por aquilo que ele produz: ele deixa claro, as diferenças entre desiguais e cria um espaço potencial no qual se poderia negociá-las, em pé de igualdade. Essa visão, em última instância, é a aposta democrática: criar espaços de negociação política igualitária em universo social inevitavelmente desigual. Desse conflito resultam direitos e não repressão. Por exemplo, conflitos entre patrão e empregado produzem direitos do trabalho. Há dois modos opostos, portanto, de lidar com o conflito que emana dos altofalantes de jovens favelados, agora nos shoppings centers. O primeiro é silenciálos à força. A desordem deve ser reprimida em prol da boa convivência mercantil. O segundo é escutar a diferença que enunciam em suas músicas. O samba dos morros já a cantou, depois o rap, hoje o funk. Ritmo, letras e corporalidade são cada vez mais agressivos, por que será? O volume, nem se fala: o canto virou grito e, pasmem, segue inaudível. Jovens que nasceram nas periferias nas duas últimas décadas estão bradando suas demandas políticas em porta-malas de carros financiados. Quadras em “p” resumem ali as alternativas em pauta: “Poder e Paz para o Povo Preto” ou “Prisão do Preto Pobre e Periférico”? A população carcerária cresce em todo o país —em São Paulo quintuplicou em duas décadas. Como diz o rap: “Se quer guerra, terá/ Se quer paz, quero em dobro”. Quanto mais se tentar silenciar esses meninos à força, ao invés de escutar o que têm- dito, mais barulho eles vão fazer. Ainda há escolha. Fonte: GABRIEL DE SANTIS FELTRAN, 37, é professor de sociologia da UFSCar e pesquisador do Centro de Estudos da Metrópole/Cebrap - FOLHA DE SÃO PAULO. Apôio: Saúde Mental AMBULATÓRIO “dona Fifia” – fone 16-3667 9962 Oração a Santa RitaOração a Santa Rita Acender uma vela branca durante 9 dias. Rezar um Pai-Nosso e uma Ave Maria, fazer um pedido necessário, um de negócio e um impossível, rezar todos os dias com a mesma vela branca que foi acessa no 1º dia. Acender a vela, rezar e apagar, assim sucessivamente durante 9 dias. No 9º dia mandar publicar, mesmo não acreditando, seus pedidos serão atendidos. C.A.P.S

[close]

p. 7

18/01/2014 - Edição 714 Página 7

[close]

p. 8

Página 8 Edição 714 - 18/01/2014

[close]

p. 9

18/01/2014 - Edição 714 Página 9

[close]

p. 10

Página 10 Edição 714 - 18/01/2014 NEGOCIOS E OPOR TUNIDADES OPORTUNID TUNIDADES VENDE-SE Fusca 1.500, alternador, vermelho R$ 2.000,00. Tratar 992896985 ou 99999-6090. VENDE-SE Gol branco 1.6 AP, álcool. R$ 3.000,00. Tratar 99289-6985 ou 999996090. VENDE-SE Casa na Vila Real, 2 quartos, sala, cozinha, banheiro, piso frio, laje, quintal grande, portão e garagem. Tratar (16) 993071244 ou 99272-5282, direto com a proprietária, Cida. VENDE-SE Chácara no Big Walley, com casa. Tratar 99238-4732 com Ednalva. VENDE-SE Opala, ano 97, cor amarelo, banco de couro, e roda 17. Tratar 99129-3019 com Anderson. VENDE-SE Casa no Jardim Santa Clara com, 2 quartos, suíte, garagem para 2 carros, área de laser e edícula. Tratar 99201-4665. VENDE-SE Potência Taramps, 6500 RMS e uma de 8.000 RMS, 2 auto falantes Tornado de 15" de 2.500 RMS. Tratar 99374-0653. VENDE-SE uma Paleteira Paletrans 2.250 Ks Seminova. Tratar 99178-8903. VENDE-SE Carretinha Alongada, documentada. Tratar 99178-8903. VENDE-SE Caixa de vasilhames de cerveja 600ml. Tratar 99117-7589. VENDE-SE Caminhonete F4.000, ano 79. Tratar 99117-7589. VENDE-SE Moto XTZ Lander 250, Yamaha, ano 2008. Tratar 99289-6667 com Matheus. VENDE-SE Lotérica em Santa Cruz da Esperança. Preço R$ 130.000,00 com o prédio. Tratar Fone 993462144 – 36661211. VENDE-SE Terreno Jardim São Luiz 11 x 25 quitado face sombra e não vai arrimo. Preço R$ 80.000,00 facilito pagamento. Tratar Fone 993462144. ALUGA-SE 2 pontos para comércio, Rua Tassim Vieira, 41 no CDHU. Tratar 99166-4258. ALUGA-SE Casa 3 dormitórios, quintal, garagem, R. Santa Terezinha, 190. Tratar (16) 99172-6194 com Silvio ALUGA-SE Casa na Rua José Bonifácio, 1.168. Tratar 3667-1438. VENDE-SE ou ALUGA-SE apartamento no Edificio Antares. Tratar 99101-8858. Vende-se ou troca-se uma casa nova no bairro COHAB, na Rua Paraguai, nº 664, com 3 quartos, sala, copa, cozinha, banheiro, área de serviço, documentos ok, ou troca-se por imovel em Ribeirão Preto. Tratar 3667-0036, 99167-6284 ou 99210-3557 com Max ou Tatiane.

[close]

p. 11

18/01/2014 - Edição 714 Página 11

[close]

p. 12

Página 12 Edição 714 - 18/01/2014

[close]

p. 13

18/01/2014 - Edição 714 Página 13 Horóscopo Áries (20/03 a 20/04) Nesta época do ano, assuntos profissionais serão marcados por situações diferentes devido a mudanças na rotina ou por decisões em virtude de novas metas. É um momento de mais atenção para que seu ritmo não sobrecarregue a parte física ou a saúde, suprindo com diversões e atividades que façam bem ao corpo. Nas relações de vínculo afetivo, tende a esclarecer sentimentos e vivenciar momentos mais afetuosos. Touro (21/04 a 20/05) Período especial para divulgações, para obter resultado em projetos profissionais e também nos negócios. Há mais tendências para convívios sociais em função dos contatos de trabalho ou mesmo por outras situações do seu cotidiano, como estudos, convivências em grupos e diversões. Na vida amorosa e nos vínculos familiares, cuide para não exagerar ao expor sentimentos e opiniões. Tende a expor mais os sentimentos. Gêmeos (21/05 a 20/06) Assuntos familiares são propensos a esclarecimentos neste momento do ano. Evite se desgastar com antigos problemas e implicar com manias das pessoas que mais gosta em seu lar. Período especial para cuidados com o corpo e para evitar que o stress interfira na saúde, dedicando-se a atividades que façam bem a sua mente. A vida afetiva estará favorecida para retomar costumes a dois e para esclarecer antigos sentimentos se estiver só. Câncer (21/06 a 21/07) O interesse por atividades culturais e por novos conhecimentos estará mais intenso e será uma ótima oportunidade para amenizar desgastes do dia a dia. Em negócios e assuntos profissionais o momento favorece decisões relacionadas a contratos, papéis, e-mails e correspondências. Período positivo para novos conhecimentos profissionais. A vida amorosa aponta tendências para mais romantismo e exposição das emoções. Leão (22/07 a 22/08) Situações que envolvam finanças serão tratadas com mais intensidade e terão mais oportunidades para concretizar metas. Marte ingressa seu signo ao fim de Agosto, permanecendo em Setembro, o que aumenta a disposição para lidar com os assuntos de sua rotina e a vontade de solucionar assuntos pendentes. Fique atento(a) com impulsos principalmente para não agir de maneira precipitada com assuntos das pessoas que tem vínculo afetivo. Virgem (23/08 a 22/09) No período do aniversário há mais chances para que os assuntos estagnados e difíceis de solucionar finalmente tenham definições positivas. Momento indicado para retomar projetos e dedicar mais disposição aos seus objetivos. Questões relacionadas a temas materiais terão ajustes para todo o ano. Na vida amorosa, observe os detalhes e gostos para surpreender quem está ao lado ou deseja conquistar. Momento para dedicar mais cuidados a si mesmo(a). Libra (23/09 a 22/10) São grandes as tendências para distanciamento de convivências em sua rotina. Se dedicar a espiritualidade, terapias ou hobbys ajudará no equilíbrio de suas energias. Tendências a maior envolvimento com atividades culturais e estudos. Ainda com possíveis distanciamentos de alguns grupos, tende a se socializar e mais lidar com novas relações por volta do dia 9, com Mercúrio em seu signo e a partir do dia 22 quando começa o período do Sol em Libra. Nos assuntos afetivos, uma mudança de postura e desprendimentos de antigos assuntos marcarão este momento. Escorpião (23/10 a 21/11) O momento do ano aponta propensões para mais envolvimento com grupos e vivências com os amigos. Período especial para decisões relacionadas a projetos que possua, especialmente de trabalho. Esta é uma área com mais tendências a disputas e decisões ousadas. A vida afetiva aponta indicações para paqueras, se estiver só, bem como conversas sobre hábitos individuais e de liberdade se for comprometido(a). Sagitário (22/11 a 21/12) Este é um período em que responsabilidades diferentes serão vivenciadas no trabalho. É um setor propenso a reconhecimento de esforços, mas também para revisar o que quer para o futuro. Bom momento para recompor suas energias exercitando suas crenças, seus interesses por espiritualidade e filosóficos. Cuide para que seus objetivos no dia a dia não afastem momentos especiais e de diversão com as pessoas que mais gosta. Capricórnio (22/12 a 21/01) O momento é especial para lidar com novos conhecimentos que favoreçam assuntos profissionais e mesmo que façam bem ao seu próprio intelecto. Contatos com pessoas distantes, sejam por viagens ou online, farão muito bem. O trabalho recomenda estratégia e sigilo ao conduzir planos. Parcerias profissionais terão momento propício para revisões. Na vida amorosa, interesses culturais e a partilha de conhecimentos proporcionarão momentos felizes. Aquário (21/01 a 18/02) Agir com estratégia e sigilo será essencial diante de assuntos profissionais e para zelar metas que tenha em tais temas. Seja mais cuidadoso(a) com as finanças. Momento propenso a despesas não programadas em função de imprevistos na rotina. Confidências serão mais compartilhadas, doando-se a assuntos das pessoas mais próximas. Na vida amorosa, também será essencial confidenciar sentimentos com quem gosta. Peixes (19/02 a 19/03) Suas relações terão melhores condições para esclarecer problemas e chegar a entendimentos, mas desde que porte-se pacientemente. Momento para observar o quanto compensa manter vínculos profissionais e de negócios. Evite que sua dedicação a outras pessoas provoque desgastes emocionais. Não esqueça que você é prioridade também. Período para solucionar pendências na vida a dois e para se expor em paqueras, caso esteja só.

[close]

p. 14

Página 14 Edição 714 - 18/01/2014 Invasão na praia dos paulistanos A nova onda nos shoppings de São Paulo e outras capitais brasileiras tem assustado seus frequentadores contumazes e lojistas. Afinal não nos traz tranquilidade nenhuma a invasão repentina de mil, duas, três mil pessoas, a maioria adolescentes da periferia na casa dos 16 anos, correndo e gritando pelos corredores. O chamado Rolezaum (assim mesmo como eles escrevem) não tem objetivo violento, ideologia e nem bandeira a ser levantada, mas assusta pelo volume e pela algazarra. E não é para menos. Já considerada uma espécie de modalidade de manifestação, esse tipo de reunião tem soado para muitos como as manifestações do meio do ano passado que causaram terror e quebradeira em várias capitais. Imagine isso acontecendo dentro de shoppings onde famílias inteiras costumam passear nos fins de semana como um dos poucos meios de diversão que possuem. O grande problema dessa nova onda, erroneamente chamada de arrastão por alguns pseudo-analistas, é o que ela pode acobertar. Quando se há um volume muito grande de pessoas é praticamente impossível se ter controle sobre essa massa e, como aconteceu nas manifestações, é muito fácil que vândalos, com objetivos muito mais funestos, se infiltrem ali e promovam a barbárie. Basta uma meia dúzia deles se escondendo covardemente entre os “rolezeiros” para causar terror e fazer com que a depredação se espalhe e tome dimensões incontroláveis. E, tenho certeza, não é isso que os próprios organizadores desejam. O “rolezinho” tem, no fundo, um motivo: é uma espécie de protesto pacífico ao fim dos bailes funk de rua, proibidos por lei em São Paulo e várias outras cidades brasileiras. Os Pancadões, como são chamados, eram a única diversão dos jovens mais pobres das metrópoles que não exigiam gastos. Bastava encostar um carro com som alto na rua ou num posto de combustíveis e a festa atravessava a noite. Sem isso, esses jovens não viram outra alternativa a não ser invadir a “praia do paulistano”, os shoppings. Sou contra qualquer aglomeração ou tumulto em locais fechados, sejam eles shoppings ou estádios de futebol. Então é preciso por uma ordem nessas “invasões” para que não venham prejudicar pais e crianças que estão ali, simplesmente, para ter algum momento único de lazer e paz. É preciso frear qualquer tipo de movimento que incite ou acoberte a violência e o vandalismo. Mas ao mesmo é preciso impedir que se instale no país uma espécie de Apartheid, proibindo os jovens das classes mais baixas de frequentar locais públicos considerados “mais requintados”, como certos shoppings. Todos tem o direito de ir e vir e a seleção deve ser natural, como já acontece hoje em relação aos locais mais caros. Agora, os próprios organizadores dos rolezinhos devem ficar atentos pois estão criando uma modalidade de mobilização que pode - e vai, com certeza - dar cobertura a bandidos, vândalos e outros criminosos que tem apenas o intuito covarde de se esconder entre os ingênuos para promover baderna. E em ano de Copa do Mundo e Eleições, isso viria a calhar para quem pretende jogar a culpa em alguém.

[close]

p. 15

18/01/2014 - Edição 714 Página 15

[close]

Comments

no comments yet