A BÍBLIA TINHA RAZÃO - WERNER KELLER

 

Embed or link this publication

Description

Werner Keller, ao pesquisar fatos históricos e achados arqueológicos, provou que os acontecimentos narrados na Bíblia realmente ocorreram, e a bíblia tinha razão. E, ao dar vida a fatos do passado, criou uma reportagem histórica que fascina o leitor...uma

Popular Pages


p. 1

nova edição revista com um posfácio de joachim rehork com 131 ilustrações em preto e branco 16 a cores e 3 mapas título do original em língua alemã und die bibel hat doch recht © 1955 econ verlag gmbh düsseldorf e viena tradução de joão távora tradução das atualizações de trude von laschan solstein arneitz 18ª edição ­ 1992 isbn 85-06-00403-9 comp melhoramentos de são paulo mapas e Índice com links no final do livro digitalizado revisado e formatado por susanacap

[close]

p. 2



[close]

p. 3

e a bíblia tinha razão werner keller pesquisas arqueológicas demonstram a verdade histórica dos livros sagrados aos meus queridos pais e ao amigo th ruth completamente revista ampliada e atualizada de acordo com os mais recentes resultados das pesquisas esta obra consagrada no mundo inteiro como básica sobre pesquisas bíblicas coloca ao alcance do público leigo uma quantidade imensa de material examinado pela ciência o qual por causa do seu inestimável valor iconológico se mantinha guardado juntamente com os relatórios das expedições arqueológicas em arquivos e bibliotecas especializadas somente acessíveis aos peritos da matéria

[close]

p. 4

o maior bem do homem pensante é ter explorado o explorável e serenamente venerar o inexplorável j w v goethe escritos naturalistas o fato de um homem que não é teólogo escrever um livro sobre a bíblia é bastante incomum para que se espere dele um esclarecimento sobre a razão por que se dedicou a essa matéria desde muitos anos o meu interesse de publicista concentra-se exclusivamente em questões modernas de ciência e pesquisa em 1950 quando me ocupava com o trabalho de rotina diário da minha profissão topei com o relato da expedição dos arqueólogos franceses prof parrot e prof schaeffer sobre as escavações realizadas em mari e ugarit as inscrições cuneiformes encontradas em mari no médio eufrates continham nomes bíblicos que situaram subitamente num período histórico as narrativas sobre os patriarcas até então tomadas por simples histórias piedosas em ugarit na costa do mediterrâneo foram descobertos pela primeira vez os testemunhos do culto cananeu de baal o acaso quis ainda que no mesmo ano se encontrasse numa caverna próximo ao mar morto um rolo do livro do profeta isaías considerado de data anterior a cristo essas notícias sensacionais permita-se-me o uso desta expressão em vista da importância desses achados para a cultura despertaram em mim o desejo de me ocupar com mais atenção da arqueologia bíblica o ramo mais recente e tão mal conhecido da pesquisa da antiguidade procurei pois tanto na literatura alemã como na estrangeira uma exposição resumida e clara das pesquisas realizadas não achei nenhuma porque não existe nenhuma fui então eu mesmo às fontes e ajudado ativamente por minha mulher reuni nas bibliotecas de muitos países o que até a data havia de resultados de pesquisas cientificamente comprovados expostos em livros especializados em arqueologia bíblica quanto mais me aprofundava no tema mais fascinante ele ia se tornando.

[close]

p. 5

a porta para o mundo histórico do antigo testamento fora aberta já em 1843 pelo francês paul-Émile botta em escavações efetuadas em khursabad na mesopotâmia ele se encontrou inesperadamente diante das imagens em relevo de sargão ii o rei assírio que despovoou israel e conduziu seu povo em longas colunas os relatos das campanhas desse soberano relacionam-se com a conquista de samaria igualmente descrita na bíblia há cerca de um século estudiosos americanos ingleses franceses e alemães vêm fazendo escavações no oriente próximo na mesopotâmia na palestina e no egito as grandes nações fundaram institutos e escolas especializadas nesses trabalhos de pesquisa em 1869 foi criado o palestine-exploration fund em 1892 a École biblique dos dominicanos de saint-Étienne seguindo-se em 1898 a deutsche orientgesellschaft em 1900 a american school of oriental research e em 1901 o deutscher evangelischer instituí für altertumskunde na palestina são descobertos lugares e cidades muitas vezes mencionados na bíblia apresentam-se exatamente como a bíblia os descreve e no lugar exato em que ela os situa em inscrições e monumentos arquitetônicos primitivos os pesquisadores encontram cada vez mais personagens do velho e do novo testamento relevos contemporâneos mostram imagens de povos de que só tínhamos conhecimento de nome seus traços fisionômicos seus trajes suas armas adquirem forma para a posteridade esculturas e imagens gigantescas mostram os hititas de grosso nariz os altos e esbeltos filisteus os elegantes príncipes cananeus com seus carros de ferro tão temidos por israel os pacíficos e sorridentes reis de mari contemporâneos de abraão através dos milênios os reis assírios não perderam nada de seu semblante altivo e feroz teglath phalasar iii famoso no velho testamento com o nome de fui senaquerib que destruiu lakish e sitiou jerusalém asaradão que mandou pôr a ferros o rei manassés e assurbanipal o grande e famoso asnafar do livro de esdras.

[close]

p. 6

como fizeram com nínive e nemrod a antiga cale como fizeram com assur e tebas que os profetas chamavam no-amon os pesquisadores despertaram do sono do passado a famosa babel da bíblia com sua torre fabulosa os arqueólogos encontraram no delta do nilo as cidades de pitom e ramsés onde israel sofreu odiosa escravidão descobriram as camadas de fogo e destruição que acompanharam a marcha dos filhos de israel na conquista de canaã e em gabaon a fortaleza de saul sobre cujos muros o jovem davi cantou para ele ao som da harpa em magedo descobriram uma cavalariça gigantesca do rei salomão que tinha doze mil soldados a cavalo do mundo do novo testamento ressurgiram as magníficas construções do rei herodes no coração da antiga jerusalém foi descoberta a plataforma litostrotos citada por joão o evangelista onde jesus esteve diante de pilatos os assiriólogos decifraram em tábuas astronômicas da babilônia os precisos dados de observação da estrela de belém assombrosos e incalculáveis por sua profusão esses dados e descobertas modificaram a maneira de considerar a bíblia episódios que até agora muitos consideravam simples histórias piedosas adquirem de repente estatura histórica por vezes os resultados da pesquisa coincidem com as narrativas bíblicas nos mínimos detalhes eles não só confirmam mas esclarecem igualmente os acontecimentos históricos que originaram o velho testamento e os evangelhos as experiências e o destino do povo de israel são assim apresentados não só num cenário vivo e variegado como num colorido painel da vida diária mas também nas circunstâncias e lutas políticas culturais e econômicas dos estados e impérios da mesopotâmia e do nilo das quais nunca puderam libertar-se inteiramente durante mais de dois mil anos os habitantes de estreita região intermédia da palestina na opinião geral a bíblia é exclusivamente história sagrada testemunho de crença para os cristãos de todo o mundo na verdade ela é ao mesmo tempo um livro de acontecimentos reais É bem verdade que sob esse ponto de vista ela carece de integralidade porque o povo judeu escreveu sua história somente em relação a jeová e sob a ótica de seus pecados e sua expiação mas esses acontecimentos são historicamente genuínos e têm se revelado de uma exatidão verdadeiramente espantosa.

[close]

p. 7

com o auxílio dos resultados das explorações diversas narrativas bíblicas podem ser agora muito mais bem compreendidas e interpretadas É verdade que existem correntes teológicas para as quais o que vale é a palavra e nada mais que a palavra mas como se poderá compreendê-la questiona o prof andré parrot arqueólogo francês mundialmente famoso se não se puder encaixá-la no seu preciso quadro cronológico histórico e geográfico até agora o conhecimento dessas descobertas extraordinárias era privilégio de um pequeno círculo de peritos ainda há meio século o prof friedrich delitzsch perguntava-se em berlim para que tantas fadigas em terras distantes inóspitas e perigosas para que esse dispendioso revolver de escombros multimilenários até atingir as águas subterrâneas onde não se encontra ouro nem prata para que essa competição das nações no sentido de assegurarem para si o privilégio de escavar essas áridas colinas o sábio alemão gustav dalman deu-lhe em jerusalém a resposta adequada quando expressou a esperança de que um dia tudo o que as pesquisas viram e comprovaram seria não só valorizado em trabalhos científicos mas também utilizado praticamente na escola e na igreja isso porém ainda não aconteceu nenhum livro da história da humanidade jamais produziu um efeito tão revolucionário exerceu uma influência tão decisiva no desenvolvimento de todo o mundo ocidental e teve uma difusão tão universal como o livro dos livros a bíblia ela está hoje traduzida em mil cento e vinte línguas e dialetos e após dois mil anos ainda não dá qualquer sinal de que haja terminado a sua triunfal carreira durante a coleta e o estudo do material que de modo algum pretendo seja completo ocorreu-me a idéia de que era tempo de os leitores da bíblia e seus opositores os crentes e os incrédulos participarem das emocionantes descobertas realizadas pela sóbria ciência de múltiplas disciplinas diante da enorme quantidade de resultados de pesquisas autênticos e seguros convenci-me apesar da opinião da crítica cética de que desde o século do iluminismo até nossos dias tentava diminuir o valor documentário da bíblia de que a bíblia tinha razão werner keller

[close]

p. 8

hamburgo setembro de 1955.

[close]

p. 9

prefácio à nova edição revista em 1955 surgiu a primeira edição do meu livro e a bíblia tinha razão que foi traduzido em vinte e quatro línguas e usado nas escolas para o ensino religioso e nas universidades para seminários bíblicos bem como em círculos bíblicos de confissões cristãs e judaicas nas quais serviu a título de referência ao todo a tiragem global ultrapassa os dez milhões de exemplares desde aquela época e graças a técnicas e métodos de pesquisa novos e atualizados a arqueologia bíblica trouxe à luz do dia fatos até então desconhecidos algumas teses puderam ser confirmadas e ainda reforçadas ao passo que ensinamentos outrora considerados como cientificamente garantidos tornaram a ser postos em dúvida e noções incluindo aquelas reunidas por cientistas de renome tiveram de ser revistas para que este meu livro conservasse sua necessária autenticidade científica foi preciso que nele se incluíssem dados mais atualizados da pesquisa moderna pois não se deve e nem se pode rejeitar conhecimentos novos embora incômodos eu próprio gostaria de atualizar meu livro mas grave e prolongada doença impediu-me de executar essa tarefa complexa e de grande responsabilidade em vista disso e muito a contragosto resolvi confiá-la a outra pessoa e dou-me por feliz de para tanto ter encontrado o dr joachim rehork no posfácio de sua autoria ele elucidou e expôs os princípios segundo os quais convencionamos proceder à revisão em questão a ele apresento meus profundos agradecimentos werner keller ascona 1978.

[close]

p. 10

do velho testamento i o advento dos patriarcas de abraão a jacó capítulo 1 na região do crescente fértil há quatro mil anos continentes adormecidos o grande berço da nossa civilização altas culturas do antigo oriente havia muito tempo que se construíam torres escalonadas e pirâmides plantações gigantescas irrigadas por canais artificiais assalto de tribos árabes do deserto se traçarmos uma linha curva a partir do egito passando pela palestina e a síria mediterrâneas seguindo depois até o tigre e o eufrates através da mesopotâmia e descendo até o golfo pérsico teremos uma meia-lua razoavelmente perfeita há quatro mil anos esse poderoso semicírculo ao redor do deserto da arábia denominado crescente fértil abrigava grande número de culturas e civilizações ligadas umas às outras como pérolas de rutilante colar delas irradiou luz clara para a humanidade ali foi o centro da civilização desde a idade da pedra até a idade do ouro da cultura grecoromana.

[close]

p. 11

por volta do ano 2000 a.c quanto mais o olhar se afasta do crescente fértil mais esparsos são os vestígios de vida civilizada e de cultura dir-se-ia que os povos dos outros continentes dormiam como crianças prestes a despertar no mediterrâneo oriental já cintila um clarão brilhante em creta floresce o domínio dos reis minóicos fundadores da primeira potência marítima historicamente conhecida há mil anos já que a cidade de micenas defende seus habitantes e uma segunda tróia se ergue há muito sobre as ruínas da primeira nos vizinhos balcãs entretanto apenas começou a primitiva idade do bronze na sardenha e na região ocidental da frança os mortos são inumados em túmulos de pedras gigantescas esses túmulos megalíticos são a derradeira manifestação considerável da idade da pedra na grã-bretanha constrói-se o mais famoso santuário da época megalítica o templo do sol de stonehenge cujo círculo de pedras gigantes próximo a salisbury é ainda hoje uma curiosidade envolta em lendas na germânia lavrava-se o solo com arados de madeira.

[close]

p. 12

ao pé do himalaia extingue-se bruxuleando sobre o vale do indo a luz solitária de uma ilha cultural na china nas vastas estepes da rússia e na África reina a escuridão e além das águas do atlântico dorme pesadamente o continente da américa enquanto isso no crescente fértil e no egito convive uma multidão verdadeiramente confusa de culturas e civilizações altamente desenvolvidas há mil anos já que os faraós ocupam seu trono por volta do ano 2000 a.c reina aí amenemés i fundador da décima segunda dinastia sua influência estende-se desde a núbia ao sul da segunda catarata do nilo passando pela península do sinai até canaã e a síria um domínio tão grande como a noruega ao longo das costas do mediterrâneo encontramse as ricas cidades marítimas dos fenícios na Ásia menor no coração da atual turquia lançam-se os fundamentos do poderoso reino dos antigos hititas na mesopotâmia entre o eufrates e o tigre dominam os reis da suméria e de acad que têm como tributários os reinos menores desde o figura 1 o crescente fértil e o egito os grandes centros de civilização do mundo por volta do ano 2000 a.c golfo pérsico às nascentes do eufrates.

[close]

p. 13

as imensas pirâmides do egito e as imponentes torres escalonadas da mesopotâmia já haviam assistido à passagem de muitos séculos havia dois mil anos que fazendas e plantações de proporções tão consideráveis como os grandes empreendimentos agrícolas de hoje produziam cereais legumes e os frutos mais seletos nos vales artificialmente irrigados do nilo do eufrates e do tigre por toda parte no crescente fértil e no reino dos faraós era cultivada a arte da escrita cuneiforme e hieroglífica serviam-se dela os poetas e os funcionários da corte e da administração governamental para o comércio havia muito se tornara indispensável o ativo intercâmbio de mercadorias realizado pelos grandes importadores e exportadores da mesopotâmia e do egito através dos caminhos das caravanas e pelas rotas de navegação desde o golfo pérsico até a síria e a Ásia menor desde o nilo pelo mar até chipre e creta e mais além até o mar negro reflete-se hoje na correspondência comercial gravada em barro e papiros as mercadorias mais procuradas entre a profusão de artigos eram o cobre das minas egípcias do monte sinai a prata das minas da cordilheira do tauro ouro e marfim da somália na África ocidental e da núbia no nilo corantes de púrpura das cidades fenícias do litoral de canaã incenso e especiarias raras do sul da arábia magnífico linho dos teares egípcios e vasos maravilhosos da ilha de creta a poesia e a ciência estavam em pleno florescimento no egito surgia a primeira literatura de passatempo e a primeira poesia mundana a mesopotâmia já experimentava o seu renascimento os filólogos de acad o grande reino do eufrates inferior compunham a primeira gramática e o primeiro dicionário bilíngüe a lenda de gilgamesh as lendas da criação e do dilúvio dos antigos sumérios escritas em acádico a língua do mundo dessa época tornaram-se epopéias repletas de emoção dramática os médicos egípcios guiavam-se por livros de receitas para preparar seus remédios de plantas de valor curativo comprovado os cirurgiões discorriam entre si sobre conhecimentos anatômicos os matemáticos da terra do nilo conseguiam pelo método empírico fazer o mesmo cálculo dos lados do triângulo que só meio milênio depois o grego pitágoras fixaria no axioma que leva seu nome os engenheiros da mesopotâmia resolviam com base na prática o problema do cálculo do quadrado os astrônomos determinavam se bem que a serviço da astrologia mas baseados em observações exatas as órbitas dos planetas!

[close]

p. 14

profunda devia ser a paz e grande o bem-estar desse mundo do nilo do eufrates e do tigre pois dessa época não se encontrou nenhuma inscrição que falasse de grandes acontecimentos guerreiros mas no coração desse crescente fértil e poderoso nas vastidões ofuscantes e áridas do deserto da arábia lá onde ele é banhado pelas águas do oceano Índico desencadeou-se com poderoso ímpeto avançando para o norte e para o noroeste para a mesopotâmia para a síria e a palestina uma avalanche de povos e tribos nômades de raça semítica em ondas sucessivas os amoritas ou ocidentais pois era esse o significado de seu nome se espraiaram para os reinos do crescente fértil o reino dos reis da suméria e acad caiu em 1960 a.c sob os seus ataques obstinados os amoritas fundaram uma série de estados e dinastias uma destas viria finalmente a atingir o predomínio a primeira dinastia de babilônia o grande centro de poder de 1830 a 1530 a.c seu sexto rei foi o famoso hamurabi entretanto uma dessas tribos nômades semitas estava destinada a adquirir uma importância decisiva para milhões de pessoas em todo o mundo até nossos dias era um pequeno grupo talvez apenas uma família desconhecida e insignificante qual minúsculo grão de areia numa tempestade do deserto a família de abraão pai dos patriarcas capítulo 2 a bíblica ur dos caldeus uma estação na estrada de ferro de bagdá a torre escalonada de tijolos ruínas com nomes bíblicos os arqueólogos procuram os sítios citados na sagrada escritura um cônsul armado de picareta um arqueólogo no trono da babilônia expedição ao tell al muqayyar livros de história arrancados dos escombros recibos de impostos gravados em barro abraão era cidadão de uma metrópole?

[close]

p. 15

tomou pois terah a seu filho abraão e a lot seu neto filho de haran e a sarai sua nora mulher de abraão seu filho e fê-los sair da ur dos caldeus gênese 11.31 e fê-los sair da ur dos caldeus assim soa a lenda aos ouvidos dos cristãos há quase dois mil anos ur um nome tão misterioso e lendário como os numerosos e desnorteantes nomes de reis e chefes guerreiros de reinos poderosos de templos e palácios recobertos de ouro de que nos fala a bíblia ninguém sabia onde ficava ur a caldéia ficava sem dúvida na mesopotâmia há trinta anos ninguém podia imaginar que a busca da ur bíblica fosse conduzir à descoberta de uma cultura que penetra no crepúsculo dos tempos pré-históricos distante mais ainda que os mais antigos testemunhos humanos do egito atualmente ur é uma estação de estrada de ferro cento e oitenta quilômetros ao norte de baçorá perto do golfo pérsico uma das muitas estações da célebre estrada de ferro de bagdá o trem regular faz uma breve parada nessa estação ao romper da aurora quando se extingue o ruído das rodas do trem que continua em seu trajeto para o norte o viajante que aí desembarca é envolvido pelo silêncio do deserto seu olhar desliza pela monotonia pardo-amarelada de intermináveis planícies de areia É como se se encontrasse no meio de um prato raso riscado apenas pelos trilhos da via férrea um único ponto altera a vastidão ondulante e desolada iluminado pelo sol nascente avulta no meio do deserto um imenso toco vermelho-fosco o qual apresenta profundas mossas como se fossem produzidas por um titã.

[close]

Comments

no comments yet