Eco da Tradição - Janeiro 2014

 

Embed or link this publication

Description

jornal Eco da Tradição do mes de janeiro de 2014

Popular Pages


p. 1

ECO DA TRADIÇÃO - ANO XII - Nº 149 - JANEIRO 2014 OPINIÃO Liliane e o valor do mate Pág. 02 Tradicionalistas do RS escolherão o novo presidente do MTG Contracapa CONGRESSO Conheça a programação do evento Pág. 03 Anderson Fonseca, o multicampeão de declamação Foto: Divulgação Estância da Poesia Crioula premia concursos de 2013 Foto: Rogério Bastos PELO RS Retiro Cultural da 18ª RT Pág. 07 Página 09 Página 13 NOTÍCIAS Ordem ao Mérito do MP Pág. 08 É hora das grandes decisões Foto: Rogério Bastos TURISMO NO SUL As belezas de Canela Pág. 09 DESTAQUE Quem fez 200 pontos Pág. 17 PIÁ 21 Congressos do MTG Encarte Central Tradicionalistas se reúnem no Congresso, que acontece em Porto Alegre, e deve traçar novos rumos para o movimento organizado.

[close]

p. 2

2 Ano XII - Edição 149 Janeiro de 2014 EDITORIAL OPINIÃO Retrospectiva Rua Guilherme Schell, 60 Porto Alegre / RS CEP: 90640-040 Email: imprensa@mtg.org.br www.mtg.org.br mtg-rs.blogspot.com wp.clicrbs.com.br/mtg Contato: 51. 3223-5194 Paulo Souza - Presidente Liliane Pappen Vice-presidente Instituto Escola do Chimarrão O preço do mate dos gaúchos Nos últimos meses, tenho ouvido muitas reclamações por parte da gauchada que costuma matear diariamente. Dizem que o preço da matéria prima do chimarrão - a erva-mate - encareceu demais e que isso é um abuso. Que 1 Kg de erva-mate custando na gôndola do supermercado, em média R$ 15,00 é uma coisa descabida. E surgem assim, até piadas questionando o preço da erva. Honestamente, eu não acho nenhum absurdo o Kg da erva-mate custar esse valor. Não me condenem, trabalho a mais de 15 anos no ramo e conheço bem as dificuldades do setor. A erva-mate verde custava, aqui no Rio Grande do Sul, irrisórios de R$ 3,50 a R$ 5,00 a arroba - preço de 15 Kg de erva verde, que ao passar pelo processo de secagem, perde em média, 60% do seu peso. Atualmente, esse valor chega a bater os R$ 20,00, ou seja, o produtor, tantas vezes explorado, tem finalmente seu produto valorizado. Mas se analisarmos bem a fundo, ainda é pouco. Imaginem que um pé de erva-mate, produz a cada dois ou três anos, de acordo com as condições climáticas, de solo e matriz genética da planta. Para que tenha uma produção anual, é necessário um rodízio na colheita dos ervais. Aí é que começam os custos. Dentro dos ervais, não se deve plantar outras culturas, primeiro que, por tratar-se de uma árvore de porte considerável, não há como introduzir o uso de maquinário agrícola, depois, porque o uso de agrotóxicos nessas culturas alternativas, podem comprometer a qualidade da erva. Além disso, temos os custo de extração da erva verde (tarefeiro), transporte até a indústria, custos de secagem com luz, água, lenha, mão de obra, empacotamento, impostos, distribuição, degustação e promoção, recolhimento da erva velha, trocas e descarte. Sim, porque gaúcho que se preze, não gosta de erva amarela e chimarrão ruim e todo o processo acima descrito tem um alto preço. E a cadeia precisa custear tudo isso. Já tá começando a achar o preço justo né? Pois é, agora analisemos o consumo. Tu compras um kg de erva-mate e dura quanto tempo? Pra quem toma chimarrão duas vezes por dia numa cuia média, 1 Kg de erva-mate dura aproximadamente 1 semana, se dividirmos o valor do Kg (15,00) por 7 dias, temos o custo de R$ 2,14 por dia, que dividido por 2 (2 mates por dia) resulta em R$ 1,07 o preço da cuia de erva-mate. Mas não dá pra parar por aí, afinal, ninguém toma um mate só, e na maioria das vezes, não toma chimarrão sozinho, então, se dividirmos esse R$ 1,07 por cada vez que servimos o mate, teremos um custo de poucos centavos por cada cuia de chimarrão que consumimos. Aliado a isso, temos os benefícios físicos e sociais do chimarrão. Na roda de mate partilhamos de nossas experiências com os amigos e familiares e fomentamos o convívio profícuo e salutar, além de ingerirmos saúde, graças às propriedades medicinais e nutricionais contidas na planta da erva-mate. Mesmo depois de toda essa explicação sobre o preço do produto, muitos ainda não se sentem convencidos, então, peço licença para mais um comparativo de preços. Analisem o custo de uma cerveja, se bebida em um bar qualquer, pode custar até R$ 10,00 e quantas podem ser consumidas em uma única tarde? Ah, não bebe? Compare com o preço do refrigerante mais conhecido do mercado então! Abra uma garrafa sobre a mesa e veja quanto tempo ela dura e qual o valor agregado que ela proporciona a sua família. Chimarrão é mais que hábito, é tradição e caracteriza nosso povo. Nossa história, enquanto gaúchos e rio-grandenses, teve seus alicerces construídos sobre a extração da erva-mate durante o período guaranítico, portanto, esse costume que nos acompanha desde muito antes do descobrimento do Brasil merece ter preço justo, já que quando falamos em valor, ele torna-se inestimável! EXPEDIENTE: SUPERVISÃO: Paulo Cavalheiro de Souza DIREÇÃO GERAL: João Hermenegildo Pereira DIREÇÃO DE REDAÇÃO: Rogério Bastos DIAGRAMAÇÃO E DESIGN: Liliane Pappen DPTO COMERCIAL: Evander Bica EXPEDIÇÃO: Ana Debom JORNALISTAS RESPONSÁVEIS: Rogério Bastos (16.834) Liliane Pappen (16.835) Fúlvio Lopes (16.200) ESTÁGIO E REVISÃO: Ticiana Leal IMPRESSÃO: Zero Hora TIRAGEM: 3 mil exemplares Atendimento 09 às 12 horas e das 13 às 18 horas De segunda a sexta-feira Valores da Anuidade R$ 780,73 Plena R$ 671,12 Parcial R$ 415,37 Especial Estudantis R$ 123,07 40% do valor é repassado às RTs. Janeiro Valor MTG: PRESIDENTE: Paulo Cavalheiro de Souza VICE PRESIDENTE DE ADMINISTRAÇÃO: José Adair da Silva VICE PRESIDENTE DE CULTURA: Neusa Marli Bonna Secchi VICE PRESIDENTE DE EVENTOS: José Gelso Miola VICE PRESIDENTE DE FINANÇAS: Edson Debom Não nos responsabilizamos pelas opiniões publicadas no jornal A cada final de ano, ao encerrar-se o calendário das atividades programadas, logo se pensa nas atividades futuras e é normal fazer-se um retrospecto de tudo aquilo que de bom se construiu para a Entidade — o MTG/FCG — e por extensão ao tradicionalismo gaúcho. Evidentemente, em toda administração por mais cautelosa, eficaz e transparente que possa ser, ainda assim, poderão surgir alguns pontos críticos que precisam ser corrigidos e sanados para que não prosperem. Assim, fazendo uma breve retrospectiva das ações programadas e realizadas em 2013 concluímos que o saldo foi altamente promissor e encorajador, para que no ano seguinte, a estrutura do MTG/FCG possa continuar se fortalecendo, tornando-se cada vez mais ágil e eficiente em tudo aquilo que sua Diretoria, Conselheiros e quadro funcional se empenham conjuntamente em realizar. Entendemos seguramente que a Gestão “Sempre MTG”, iniciada com o companheiro Erival Bertolini, e continuada por mim a partir do seu afastamento para concorrer e, posteriormente, assumir a presidência da CBTG, não sofreu solução de continuidade. Pelo contrário “tocamos o barco como bom timoneiro que soube navegar tão bem quanto o antecessor comandante”. E o fruto de tudo o que foi semeado e colhido na safra de 2013 pela atual administração não se resume apenas no cumprimento do “Calendário Anual” senão por todas as demais conquistas que surgiram ao natural, ainda que extra-planejamento. O reconhecimento externo institucionalmente veio a consolidar-se pelas honrarias concedidas pelos Poderes Públicos Estaduais (Assembleia Legislativa e Ministério Público) na pessoa do Presidente Bertolini através das concessões de medalhas de mérito, inéditas para gáudio do Movimento Tradicionalista. Desnecessário, mas conveniente recordar-se do 60º Congresso Tradicionalista Gaúcho realizado em Santa Maria, como mais uma marco indelével na longa história dos congressos; da 26ª FECARS, em Campo Bom que juntamente com o 14º Seminário da Cultura Campeira, que bem entreveirados com o 25º Entrevero Cultural de Peões realizado em Panambi aliados ao Acendimento da Chama Crioula em General Câmara, e a 5ª Cavalgada a Nossa Senhora Medianeira de Santa Maria e Santa Cruz vem consolidando no meio tradicionalista e fora dele o campeirismo e esportes tradicionais campeiros — verdadeiras essências da cultura gaúcha. De outra banda, meritórios foram por seus turno a 43ª Ciranda Cultural de Prendas em Santana do Livramento, a 14ª Mostra de Arte e Tradição Gaúcha e a finalíssima do Encontro de Arte e Tradição - ENART, novamente extrapolando a capacidade de lotação dos pavilhões da Oktoberfest em Santa Cruz do Sul, com transmissão direta e ininterrupta das Televisões TVCom e TV Tradição para o Rio Grande e para o mundo. Destaques especiais tiveram a 78ª Convenção Tradicionalista, de Porto Alegre, o 23º Tchêncontro da Juventude Tradicionalista, de Espumoso e o XXII Aberto dos Esportes realizado no Parque Eduardo Gomes, no município de Canoas/RS. Evidentemente trata-se de uma amostra apenas dos principais eventos calendarizados e levados a bom termo graças ao sempre presente esforço e dedicação das vices-presidências e seus departamentos vinculados, seja da área Cultural, Administrativa, Finanças ou de Eventos, seja das Coordenadorias Regionais, Conselho Diretor, além do aporte logístico e infraestrutural da Fundação FCG, a grande parceira institucional. Administrativamente falado é de bom alvitre que se diga, ao longo dos 365 dias do ano marcou-se presença diuturna “Casa do Tradicionalista”, o MTG, a fim de viabilizar as demandas reprimidas e projetos de reforma administrativa e gerencial que se faziam absolutamente necessárias, exigidas pela nova tecnologia de telefonia, informática e outras inovações impostas pela modernidade atual. Dentre as relevantes mudanças praticadas internamente em nossa Casa e que já vêm sendo saudadas pelos tradicionalistas e colaboradores destacam-se todas as implementações feitas pelo sistema de informatização do MTG, já conhecidas por todos. Com tais inovações tecnológicas hoje é possível que o pagamento de anuidades possa ser feito tudo via o novo Site do MTG, que automaticamente gera o Alvará ao interessado sem a necessidade da intervenção da Coordenadoria Regional nesse processo. Certos de que 2013 foi um ano de grandes conquistas e realizações para o MTG/FCG, e que a humildade nos remete a uma análise crítica de que também poderíamos termos errado menos, nos despedimos com um FELIZ NATAL E UM PRÓSPERO ANO NOVO A TODOS.

[close]

p. 3

Ano XII - Edição 149 Janeiro de 2014 3 CONGRESSO TRADICIONALISTA A importância dos Congressos É inegável a importân- Lourenço do Sul, Farroupilha, cia dos congressos tradicio- Rio Grande (reerguimento do nalistas para a criação de um Mate Amargo entidade fundada “sistema” organizado do tradi- em 1934), Pinheiro Machado, cionalismo gaúcho. Se a cria- Porto Alegre (Estância da Amição do “35” CTG foi a grande zade), Quaraí, Cacequi, Júlio de largada para o Movimento Tra- Castilhos, Rio Pardo, Esteio, São dicionalista Gaúcho, gerando o Gabriel, Canela, São Francisco aparecimento dos CTGs em to- de Assis, entre outros. O jornalisdos os rincões, o primeiro Con- ta Sady Scalante, da União Gaúgresso foi o passo inicial para cha, nesta ocasião, transferiu-se a formação de uma federação de Pelotas para Porto Alegre e destes CTGs. Sem os congres- passou a liderar os preparativos. sos tradicionalistas não haveria Foi agendada para novembro condições de serem estabele- de 1953, em Rio Pardo, uma cidos e mantidos padrões ho- segunda Assembleia Tradiciomogêneos, princípios comuns nalista, que se realizou no CTG e a fundamental troca de ex- Fogão Gaúcho Riopardense. periências e interação entre as Nesta assembleia surentidades que surgiram, muitas giram as primeiras dificuldades, vezes, sem saber exatamente o especialmente no transporte e que fazer. Podemos dizer que os hospedagem dos participantes. congressos foram e, continuam Emílio Rodrigues, do Ponche sendo, a argamassa que possi- Verde CTG, disse que Santa bilitou a edificação do MTG. Maria assumiria o evento. Ficou Na cidade de Pelotas, então decidido que seria em Fernando Brockstedt, Ubiraja- Santa Maria, no Ponche Verde ra Timm e Oswaldo Lessa da CTG, com o apoio do CTG Mate Rosa convocaram uma As- Amargo de Rio Grande, CTG sembleia Tradicionalista, que Sepé Tiaraju de São Lourenço foi realizada em dezembro de do Sul e CTG Lalau Miranda de 1952, com a presença de repre- Passo Fundo. Como organizasentantes de sete Centros de dor, a União Gaúcha de Pelotas. Tradições Gaúchas. Neste enBarbosa Lessa reuniucontro ficou aprovada a ideia -se em dezembro de 1953 com de realizar um Congresso Tra- Sady Scalante, Emílio Rodridicionalista e criar uma federa- gues e Fernando Brockstedt, ção de entidades tradicionalis- ponderando que o “35” CTG, tas do Rio Grande do Sul. como pioneiro e por localizarFernando Brockstedt -se na capital, não poderia ficar trabalhou na elaboração do de fora da organização. Assim, anteprojeto do estatuto dessa procuraram um dos intelectuais federação e distribuiu cópias mais conceituados do momenaos CTGs que participaram da to, Manoelito de Ornellas. Do assembleia em março de 1953. encontro resultou a formação Era o primeiro passo para o Io de uma comissão organizadoCongresso, bem como da cria- ra de cinco membros: Manoelição do MTG, que se concretiza- to de Ornellas e Walter Spalding ria somente 14 anos depois. (“35” CTG), Sady Scalante e Luiz Simultaneamente es- Alberto Ibarra (União Gaúcha palhou-se através da imprensa de Pelotas) e Emílio Rodrigues para todo o Estado, a realiza- (Ponche Verde CTG). De imeção do pretendido congresso. diato marcaram a data do ConEm Erechím, o professor Hugo gresso para o período de 2 a 4 Ramírez havia fundado o CTG de julho de 1954. Foto: Divulgação Galpão Campeiro, em Bagé, Jaime Tavares causava entusiasmo com o CTG 93. Rapidamente outras entidades eram fundadas: Cachoeira do Sul, Piratini, Luiz Alberto Ibarra (E), Walter Miller Barlém (C) e Soledade, São Guilherme Schultz Filho (D), no 1º Congresso Programação 61º Congresso Tradicionalista SEXTA-FEIRA – 10/01 09h - Início dos credenciamentos e dos trabalhos de finalização das comissões temáticas. 17h - Chegada da Chama Crioula vinda da 13ª RT. 17h30 - Sessão Preparatória - Escolha da Mesa Diretiva do 61º Congresso. 18h - 1ª Sessão Plenária 20h - Sessão Solene de Abertura. 21h - Suspensão temporária dos Credenciamentos. - Jantar. SÁBADO – -11/01 08h - Reinício dos Credenciamentos 08h45 - Homologação do Edital de Convocação da Assembleia Geral Eletiva. 09h - 2ª Sessão Plenária - Apresentação das propostas para sediar o 62º Congresso e Acendimento da Chama/2014. Inicio da votação 10h. - Encerramento do credenciamento (até o final desta sessão) 10h - 1ª Palestra: “A História de Porto Alegre” - Coordenação: Vice-Presidência de Cultura - Local: Câmara Municipal de Vereadores 10h45 - 2ª Palestra: “A Colonização Alemã no RS” - Coordenação: Vice-Presidência de Cultura - Local: Câmara Municipal de Vereadores 11h - 3ª Sessão Plenária - Instalação e inicio da votação da Assembleia Geral Eletiva ao Conselho Diretor e Junta Fiscal. 12h30 - Almoço. 14h30 - 4ª Sessão Plenária - Apreciação/Aprovação do Relatório Final / Prestação de Contas / Votação do Parecer da Junta Fiscal da Atual Gestão/ MTG. - Passeio Orientado: Pontos Turísticos e Históricos de Porto Alegre a cargo da Secretaria Municipal de Turismo e Supervisão da Vice-Presidência de Cultura. 16h30 - Formatura CFOR Avançado 17h - 5ª Sessão Plenária - Encerramento das Votações (Assembleia Geral Eletiva, Escolha dos Locais do 62º Congresso e Acendimento da Chama Crioula 2014). 19h - Promulgação do Resultado das Votações. 19h30min - Sessão Especial do Conselho Diretor para Eleição do Presidente e Vice-Presidentes do MTG. 20h30min – Janta. DOMINGO – 12/01 09h - 1ª Reunião Ordinária do Conselho Diretor. - 1ª Reunião Ordinária dos Coordenadores Regionais / Escolha e Instalação do Conselho de Ética Tradicionalista. 10h30 - Sessão Solene de Encerramento e Posse do Conselho Diretor, Coordenadores e Junta Fiscal. 12h - Almoço de Encerramento.  IMPORTANTE:  No início de cada Sessão Plenária será aberto espaço (15 minutos) para as Comunicações.  O Credenciamento de Congressistas poderá ser feito antecipadamente via Sistema MTG.NET, até o dia 27 de dezembro/2013.  Será exigido o Cartão Tradicionalista. Proposições que serão debatidas na capital Congresso tradicionalista discutirá, além dos temas dos festejos farroupilhas, local da chama, tema anual, uma série de assuntos importantes par ao Movimento organizado. Cidades candidatas ao Acendimento da Chama Crioula 2014 - Cruz Alta, Rosário do Sul e Guaíba Tema dos Festejos Farroupilhas: - O Campeirismo Gaúcho e a sua Importância Social e Cultural - Califórnia da Canção Nativa, Caminho para os Festivais no RS - Eu Sou do Sul - Ao coronel Gavião Joaquim Teixeira Nunes e seus lanceiros negros Objetivo anual: - “Preservando o passado, construindo o futuro: MTG em defesa do Patrimônio Histórico e Cultural do RS” - “A Sustentabilidade Integral das Entidades Tradicionalistas Gaúchas” - ”Em cada ação, a preservação! - Cultura, civismo, Tradição e Ética: Os compromissos sociais do tradicionalista - MTG em busca do uso coerente das tecnologias e valorização do ser humano Patrono Espiritual do 61º Congresso - Mario Monteiro Outras Propostas: - Reconhecimento do Tiro de Laço como esporte - Utilização da Vaca Mecânica - Proposta de Alteração Estatutária - Desvincular Jogos Campeiros Tradicionalistas da FECARS - Mudança da sigla FECARS para FECAERS - Quitação dívidas coordenador candidato à reeleição - Prazo Máximo para candidatura a presidente do MTG - Alterar sistema de eleição Junta Fiscal - Música tema do congresso - Alterar sistema de eleição presidente - Alterar sistema de formação do conselho de ética - Organização de Cfor especializado para avaliadores - Fórum de Debates Jovens tradicionalistas - Cidade Candidata a receber o 62º Congresso - Dom Pedrito - Consciência, Moral e ética tradicionalista TEMA ANUAL: MTG EM DEFESA DA SAÚDE E BEM ESTAR DO TRADICIONALISTA

[close]

p. 4

4 Ano XII - Edição 149 PROSEANDO COM TENÊNCIA Janeiro de 2014 PELO RIO GRANDE Por Rogério Bastos VOCÊ SABIA QUE ... Casos e Acasos Discurso de Manoelito de Ornellas, em 1954 “Vamos dar aos nossos centros finalidades mais amplas no campo moral e do espírito? Torne-mo-los escolas práticas de civismo e moral, pelo premio dos aplausos às virtudes reveladas e pelo ensinamento constante de quanto possa dar a nossa gente um nível mais alto de espírito e uma mais solida estrutura de caráter. Cada centro poderá ser um núcleo de irradiação cultural, no ensino da historia, da caracterização do nosso folclore, no estudo da literatura e na prática do teatro.” É isso que estamos fazendo em nossos CTGs? Chama Crioula rumo ao congresso Foi aceso, no dia 29 de dezembro, na Praça General Osório, mais conhecida como a Praça do Mallet, o fogo simbólico que saiu de Santa Maria até Porto Alegre. A concentração foi no DT Querência da Medianeira. A chama do 61º Congresso Tradicionalista Gaúcho marca o início do evento que reúne milhares de tradicionalistas para votar principais assuntos relacionados ao Movimento Tradicionalista Gaúcho. A cavalgada que é comandada pelo Grupo Tropeiros do Coração do Rio Grande, integrante da 13ª Região Tradicionalista (RT), estando a frente o coordenador da região, Sr. Ildo Wagner, sai no mesmo dia para a capital. Até lá, será um grande trajeto feito “a pata de cavalo” pelos tradicionalistas da região central. A previsão de chegada ao Parque da Harmonia, onde será o evento, é para o dia 10 de janeiro, onde acontece um ato de entrega da chama. Ao todo, o grupo percorrerá 342 km, levando a tradição gaúcha pelo estado. Foto: Divulgação ... a virada de ano é uma das datas mais comemoradas em todo o mundo? O principal motivo que explica essa comemoração talvez seja o fato das pessoas tomarem para si o sentimento de renovação, na esperança de que o ano seguinte será melhor do que o anterior. ... no ocidente, a prática de comemorar o ano novo surgiu através de um decreto do imperador romano Júlio César, em 46 a.C, no qual estabeleceu o dia 1º de janeiro como o dia do ano novo? Se alguém te perguntasse agora quais foram os temas trabalhados em 2013, você saberia dizer? Vamos recordar juntos: Tema Anual: “O MTG em defesa da saúde e do bem estar do tradicionalista” Tema quinquenal: “O MTG engajado na campanha de combate a corrupção” Tema dos Festejos: “O Rio Grande do Sul no imaginário social” Tema do departamento Jovem: “Reculutando locais históricos” Tema do Tchêncontro: “O imigrante dos séculos XIX e XX que contribuíram na formação do povo gaúcho” Tema do Aniversário do MTG: “A tradição floresce na união e nos valores do gaúcho” Tema do ENART: “Solidariedade – acenda a chama no seu coração” Tema da Mostra folclórica do ENART: “Literatura Riograndense” Temas trabalhados em 2013. Cavaleiros da 13ªRT já foram ao ENART, agora, irão ao Congresso na capital O Advogado e escritor São-borjense, Israel Lopes, lançou seu livro na feira do livro de Porto Alegre. O livro é resultado de 30 anos de pesquisas desde Pedro Raymundo, que foi o introdutor da música regional gaúcha no Rio Grande do Sul na Era do rádio, chegando até os dias atuais com os estilos nativista e missioneiro. Aproveito para agradecer ao escritor pelo belíssimo regalo que recebi, um exemplar de seu livro. Pedro Raymundo e o canto monarca 18ª RT realiza Retiro Cultural Com o lema “Tradição em ação”, Andrea e Rui Rodrigues realizam o ultimo retiro cultural antes da posse da nova coordenadoria 1º/02/2013 - CTG Presilha do Pago em Livramento 17 horas – Mate Doce e Chá Gelado - Recepção de Chegada 18 horas – Conversa Informal: A Juventude Tradicionalista 19 horas – Trabalho: REDAÇÃO – Técnicas de Redação 20 horas – Como Falar em Público – Rogério Bastos 22 horas – Jantar e após, brincadeiras de confraternização Importante: Não esquecer a “hora cheia” O que levar pro Retiro Cultural: Material de Estudo: Livros, lápis, canetas, folhas em branco, caderno de anotações. Dúvidas, perguntas (por escrito), temas a serem debatidos. Material Pessoal: Colchão, Travesseiro, lençóis, pijamas (meninas: não levar roupas de dormir muito curtas) escova de dentes, escova cabelo, desodorante, sabonete, shampoo, cremes, perfume etc. Material coletivo: Refrigerantes, sucos, bolachinhas, frutas, bolos, etc. Levar um presente que sirva para ambos os sexos: Exemplo: bombons, botons, CDs, chaveiros, lenços, porta retratos, etc. Observações: Não temos limite de idades, todos serão bem-vindos. O Convite é aberto à todos: Prendas, peões, departamentos culturais, patronagens e todos que queiram ensinar e aprender. Confirmar presença para quem vai posar no local até dia: 30/01/2014 - andreamcavalheiro@hotmail.com - 55 9966.9866 ... a comemoração da virada de ano é chamada de réveillon? Tal nome é uma derivação do verbo francês “réveiller”, que significa “despertar”. Trabalhamos há tantos anos buscando a excelência na área administrativa e de liderança para poder ajudar as entidades tradicionalistas e, a cada Eco da Tradição, trazemos ensinamentos que possam contribuir com o crescimento destas. Um líder na entidade, região, ou onde quer que seja, tem que estar atento, sempre buscando melhorias. Deve ter um leque de sabedoria, habilidades e qualidades. Precisa ser treinado e treinar constantemente autodisciplina e busca de conhecimento. Só é possível liderar com ajuda, pois uma roda sozinha nunca irá se mover. Ouvir é muito importante, por isso Deus nos deus duas orelhas e uma boca. Devemos mais ouvir do que falar. A roda não se move sozinha Assine ou renove sua assinatura Rua Guilherme Schell, 90 Bairro Santo Antônio, Porto Alegre/RS CEP 90640-040 Fone 51 3223 5194 lojafcg@mtg.org.br É sempre importante lembrar o que grandes pensadores nos trouxeram de teorias, que podemos colocar me pratica, para melhorarmos as atividades nas entidades e na própria sociedade. John Stuart Mill, inglês, que viveu no século XIX, escreveu sobre princípios básicos de liberdade e utilitarismo. A liberdade de pensamento e ideias, liberdade absoluta de opinião e de expressão (sem coerção). A liberdade de buscar gostos e objetivos, ou seja, como julgamos melhor, desde que não causemos danos ao próximo. E finalmente, a liberdade de associação entre os indivíduos, para fins não prejudiciais, desde que não haja coerção dos membros. E o Utilitarismo é um tipo de ética normativa segundo a qual uma ação é moralmente correta se tende a promover a felicidade e condenável se tende a produzir a infelicidade. Vamos refletir! E até o mês que vem, se Deus quiser! O pensamento político “O homem acredita numa grande ilusão: que a vida seja algo separado dele, mas a realidade mostra que cada um é a própria vida se tornando gente. Portanto, quando você escolhe algo é a vida escolhendo em você” ( ) Luiz Antônio Gasparetto REFLEXÃO Por ir Elom a t Mal

[close]

p. 5

Ano XII - Edição 149 DEPARTAMENTO JOVEM Janeiro de 2014 RECUERDOS 5 Por Jonathas Oliva e Éridio Silveira Juventude fortalecida em 2013... Que venha 2014! A vocês Jovens que nos acompanharam durante todo esse ano que passou, que dedicaram seu TEMPO e AMOR a nossa TRADIÇÃO, gostaríamos de compartilhar este momento... Ao término desse ano, onde os sentimentos de fé e esperança renovam-se, rogamos a Deus que abençoe todos vocês, que ilumine nosso caminho, afastando de todos nós o pensamento de desesperança e de descrédito em nosso semelhante, assim traçamos metas ao longo do ano e também temas propostos onde vocês Jovens realizam e foram compridas com Grande Sucesso. O segredo para um Ano Novo cheio de alegrias e conquistas está guardado dentro de cada um de nós, aqueles que conseguem se lembrar onde guardaram esses valores poderão resgatá-los a qualquer momento transformando o mundo ao seu redor num lugar mais digno e propício para colher os bons frutos plantados durante a vida. Tenhamos força e tranquilidade para enfrentarmos este novo ano, que nossos sentimentos de coragem, superação e justiça possam estar presentes em nossos novos dias. Neste Ano Novo compartilhamos nossos votos de felicidade e agradecimento por tudo que conseguimos ao longo deste ano que acabou e faço nossos votos de felicidades e muita prosperidade as pessoas que iriam estar por aqui nesta nova jornada que se inicia no dia 12 de janeiro de 2014. “Quando chegar de a cavalo um gaúcho em sua porteira, mesperem de mate pronto, sou eu, de alma fronteira Quando apear no seu rancho de alma grande, lhes garanto, não precisa nem dois mates para entenderem o meu canto!” (Pirisca Grecco) Muito Obrigado Juventude Gaúcha!!! Foto: Rogério Bastos O Eco da Tradição de janeiro de 2004 publicava: Jonathas e Éridio, no Tchêncontro, fizeram um belo trabalho ... Campeões do ENART fazem show em Porto Alegre – O evento programado par aacontecer no teatro do SESI, palco dos maiores shows do estado ...ORCAV tem novos integrantes, e Jarbas Lima, Antônio Augusto Fagundes, Gustavo Bierhals, Armando Fraga da Rocha estavam entre eles. ...20 anos da cavalgada do mar ...Congresso da CBTG em Cascavel, no Paraná ...MTG lança livros em congresso de Bagé: Indumentária gaúcha, brincando com o tempo e tropilha de afagos ...Cyro Dutra Ferreira escrevia o opinião do eco, paleteada ou aparte? ... SAT e Cfor serão reprisados em 2004 – com mais de 2000 pessoas participantes, os cursos foram realizados durante o ano de 2003. ... Rudimar Santos, conhecido com o”Ferrinho” sagrava-se campeão brasileiro de provas de rédeas ...Identidade tradicionalista será obrigatória em 2004 – Criada em 2003 por decisão do conselho diretor a identidade tradicionalista tem a finalidade de padronizar as identificações e possibilitará no futuro a informatização das atividades realizadas pelo MTG e entidades. ...TV Portuguesa faz reportagem no estado. O Jornalista da rede portuguesa Açores, Carlos Tomé, esteve algumas vezes no Rio Grande do Sul fazendo reportagens. ... Paulo Gonçalves apresentava relatório do Dpto Jovem central de 2003. TEMA ANUAL: MTG EM DEFESA DA SAÚDE E BEM ESTAR DO TRADICIONALISTA

[close]

p. 6

6 VOCÊ SABIA QUE... Ano XII - Edição 149 Janeiro de 2014 NOTÍCIAS Cavalgada da Costa Doce abre o ano Foto: Divulgação No dia 06 de janeiro comemora-se o dia de Reis, que na tradição cristã foi o dia em que os três reis magos levaram presentes a Jesus Cristo? Coordenador reeleito, Flávio Rodrigues fala sobre os projetos para 2014 em entrevista à Rádio Independente, de Lajeado Em 2014, um dos objetivos da 24ª Região Tradicionalista (RT) é atuar mais em escolas. Conforme o coordenador reeleito, Flávio Rodrigues, em 2013, já ocorreu uma aproximação com a sociedade, tendo em vista o aumento de artistas nos Centros de Tradições Gaúchas (CTGs). Para o próximo ano, o projeto é de intensificar a presença na escola por meio do treinamento de líderes regionais sobre o tradicionalismo. Rodrigues destaca que um dos trechos da Carta de Princípios do Movimento Tradicionalista Gaúcho (MTG) cita o auxílio aos poderes públicos nos objetivos do Estado. Uma mudança também deve ocorrer nas grades curriculares, segundo Rodrigues, por causa do lançamento do filme O Tempo e o Vento, que projeta nacionalmente a rica história do Rio Grande do Sul. O coordenador salienta que em um CTG é possível reforçar conceitos de cordialidade, honestidade e lealdade, além disso, pessoas de todas as idades se reúnem, o que possibilita o reforço dos laços familiares. Atualmente, a 24ª RT concentra 68 CTGs de 32 municípios. Em entrevista à Rádio Independente, o coordenador da 24ª RT também falou sobre questões relacionadas a presença de veterinários em rodeios, guia de transporte para animais e o projeto que reconhece o tiro de laço como esporte Foto: Christian Ely 24ª RT quer aproximar estudantes do tradicionalismo Cavalgada passa por paraísos ecológicos e históricos durante a trajetória ...cada um dos reis magos saiu de sua localidade de origem, ao contrário do que pensamos - que viajaram juntos? ... Baltazar saiu da África, levando para o menino mirra, um presente ofertado aos profetas? A mirra é um arbusto originário desse país, onde é extraída uma resina para preparação de medicamentos. Com o objetivo de refazer os caminhos centenários ensinados por índios e percorridos, inúmeras vezes, por escravos e tropeiros a caminho das charqueadas, por onde se observam relíquias ecológicas e patrimoniais de valor incalculável e só existentes nesta região, de 16 a 26 de janeiro de 2014 será realizada a 15ª Cavalgada Cultural da Costa Doce, que é considerada por muitos cavaleiros uma das cavalgadas mais bonitas do estado. Saindo de Guaíba e costeando a Lagoa dos Patos até a cidade de Pelotas, em um percurso de 300km, sendo realizada pela Associação dos Cavaleiros da Costa Doce. Durante a sua passagem ou pouso envolverá diretamente as comunidades de Guaíba, Barra do Ribeiro, Tapes, Arambaré, Camaquã, São Lourenço do Sul, Turuçu e Pelotas. No dia 23 a cavalgada chega São Lourenço do sul, estabelecendo-se na Fazenda do Sobrado, fazenda que pertenceu a D’onana, irmã de Bento Gonçalves. Ali serão realizadas diversas atividades até a noite do dia 24, como: Confraternização entre os cavaleiros, recebimento de mais cavaleiros, apresentações culturais, missa crioula e tertúlia. Dia 25 partem em direção a ilha da Feitoria, e no dia 26 chegam a Pelotas, trecho onde não haverá mais o apoio por terra, sendo acompanhada apenas por barcos. Mais informações e vídeos: www.cavaleirosdacostadoce.com.br Foto: Divulgação Flávio (E), aproveitou o veículo de comunicação e falou sobre a importância do tradicionalismo gaúcho. Ele, que já foi coordenador na década de 90, foi reeleito ...Melchior ou Belchior partiu da Europa, levando ouro ao Messias? O ouro simbolizava a nobreza e era oferecido apenas aos deuses. TEMA QUINQUENAL: O MTG ENGAJADO NA CAMPANHA DE COMBATE À CORRUPÇÃO - “LAÇANDO A CORRUPÇÃO”

[close]

p. 7

Ano XII - Edição 149 Janeiro de 2014 7 Por Erival Bertolini - Presidente ESPAÇO DO IGTF Cavaleiros Internacionais da Paz El Calafate e Ushuaia – Argentina - De 11/02/10 até 21/02/10 Na edição anterior deste Jornal, no espaço destinado ao IGTF, onde está à primeira parte desta Cavalgada em determinado momento eu relatei os cavalaríamos já falecidos. Por um esquecimento da minha parte, deixei de nomear o querido e saudoso, Cavaleiro da Paz José Bráulio de Borba Fernandes, o Zé Bráulio, também falecido. Para me redimir desta falha tenho incluído o nome dele nas minhas orações. Viajando de avião no dia 11 de fevereiro de 2010, chegamos em Buenos Aires por volta das 20 horas, conforme já foi dito. Ficamos hospedados no Hotel Republica. Aproveitamos para usufruir um pouco da famosa noite argentina. Alguns voltaram tarde para o poso! No dia seguinte, saímos a tarde rumo a EL CALAFATE também de avião com mais três horas do vôo. Já no dia 13 iniciamos a cavalgada na sua primeira fase em El Calafate, na Província de Santa Cruz, na fronteira do Chile. Foi o primeiro contato que tivemos com os cavalos nos quais iríamos montar. A impressão foi ótima. Eram cavalos crioulos parecidos com os nossos, mas um pouco mais robustos fruto certamente do sangue cardal, linhagem muito usada na Argentina e também aqui no Brasil. Nos últimos anos os criadores brasileiros iniciaram a importar cavalos crioulos chilenos, que são ótimos de função, porem de porte menor e de altura um pouco mais baixos. Com os cavalos distribuídos cada um passou a cuidar do que lhe coube. Encilhamos sem qualquer contratempo. Já estávamos usando roupas para enfrentar frio de 0 a 5 graus, pois havíamos sido prevenidos anteriormente. Bem agasalhados, montamos ao comando do Nico Fagundes, que com sua tradicional ordem: “À CAVALO INDIADA”. Seguimos o guia que se mostrou ao longo das caminhadas muito eficiente e conhecedor do terreno. Estávamos no Parque Nacional Los Glaciares, em plena Patagônia, fazendo o trajeto chamado Monte Suzana. A topografia era de montanhas geladas, totalmente brancas nas suas partes mais altas e nas encostas havia vegetação rasteira, espinhenta de calafates e longas e no chão entre as montanhas haviam banhados perigosos, que, mais de uma vez tivemos que desatolar cavalos a muque, porque no local não havia qualquer tipo de apoio, só se chegava a cavalo ou de helicóptero. Quando alcançávamos o topo das montanhas geladas encontrávamos flocos de neve caindo e era uma farra. Até corrida a cavalo fizeram lá em cima, na neve. Como nós estávamos cavalgando em um Parque Nacional, protegido, os pequenos troncos e galhos de árvores velhas que caiam, não podiam ser removidos obrigando os cavalos e os cavalarianos a procurarem entre o entrevero daqueles troncos caídos os lugares onde os cavalos podiam pisar para se firmar e continuar a marcha. Andamos por lugares que não tinham estrada, dormimos no relento, sem luz, sem celular, passando frio. Como escreveu o Nico em sua coluna na Zero Hora do dia 27/02/2010 “Como disse Mermoz, quando desceu os Andes conforme a descrição de Saint Exupéry: O que eu fiz palavra que nenhum bicho, só um homem poderia ter feito!”. O que salvou foi o bom vinho e bons cavalos Argentinos e a maravilhosa carne de ovelha da Patagônia, que nos eram servidos, além de uns sacos de dormir próprio para enfrentar até 7 graus negativos que usávamos a noite. Na primeira noite, me enfiei dentro do saco e, cansado, dormi logo. La pelo meio da noite, acordei sentindo um terrível mal estar, foi quando botei a mão na cabeça e senti que estava totalmente gelada, parecia um bloco de gelo. Consegui um boné e voltei para dentro do saco com cabeça e tudo. Demorou um pouco, mas voltou ao normal. Até aqui completamos a primeira etapa, cavalgando por três dias (13, 14 e 15 de fevereiro). A tribo do pé no estribo - Cavalgada do �im do mundo Por Rodi Borghetti - Presidente ESPAÇO DO CBTG Charlando Companheiros tradicionalistas deste Brasil de bombachas, do Rio Grande à grande Amazônia... Sentado em minha casa, penso, com muita humildade, questionando o que nossa administração fez nestes 27 dias de mandato e, percebi que ainda não foi feito nada, mas que não precisamos ter pressa. Estamos aguardando passarem as festas de final de ano, tudo se acalmar, e podermos nos debruçar em cima de nosso planejamento para a CBTG. O congresso, onde seria um local para apenas trocarmos ideias e ver o que era melhor par ao fortalecimento e aprimoramento das nossas mais sagradas tradições, não foi possível por inúmeros acontecimentos e atividades que aconteceram por lá. Temos que estar atentos ao cumprimento da carta de princípios, que busca evitar as vaidades pessoais. Lamentamos o que aconteceu na ciranda de prendas e entrevero de peões, onde vieram, do Brasil inteiro, para Santa Catarina, prendinhas e peões, conquistaram faixas e crachás e receberam, simbolicamente, faixas e crachás velhos que pertencia aos detentores dos títulos que estava findando. A solenidade de troca de faixas e crachás deve ser o ponto máximo de reconhecimento já que depois de empossados ficam sem saber nem para onde vão e nem como vão. Vamos nos reunir na convenção, dia 22 de fevereiro, para regulamentarmos o que foi aprovado no congresso e nomearmos uma comissão para estudar os nossos regulamentos e podermos dizer aos tradicionalistas quem é a CBTG, e de que forma podemos ser úteis para aqueles que querem fazer tradição de verdade. Vamos buscar repetir o trabalho feito no Rio Grande do Sul que deu tão certo e foi muito bem aceito pelos tradicionalistas, que é de simplificar processos, manter o que está bem feito e ajustar o que estava andando de forma errada. O MTG do Rio Grande do Sul esta em harmonia e buscaremos o mesmo para o Brasil. Lages, cidade este estado maravilhoso de Santa Catarina, que nos abrigou durante o congresso, liga o Rio Grande aos demais estados, queremos agradecer a hospitalidade. Por aqui a poeira do vendaval está baixando e, o dia 11de janeiro está muito próximo e acaba de vez. Vamos todos nos reunir e nos ajudar para que possamos nos abraçar por inteiro e gritar viva a CBTG, viva nossas sagradas tradições e o Movimento Tradicionalista Gaúcho Brasileiro e um prospero Ano Novo muita saúde e paz. TEMA ANUAL: MTG EM DEFESA DA SAÚDE E BEM ESTAR DO TRADICIONALISTA

[close]

p. 8

8 Ano XII - Edição 149 Janeiro de 2014 TRADICIONALISMO VOCÊ SABIA QUE... Bertolini é agraciado com a Ordem do Mérito do MP Foto: Rogério Bastos ... O presente do rei Gaspar, que partiu da Índia, foi o incenso, como alusão à sua divindade? Os incensos são queimados há milhões de anos para aromatizar os ambientes, espantando insetos e energias negativas, além de representar a fé, a espiritualidade. Erival Bertolini recebeu a Ordem do Mérito do MP grau Oficial ... o Dia do Fico deu-se em 09/01/1822, quando o então príncipe regente, D. Pedro de Alcântara foi contra as ordens das Cortes Portuguesas que exigiam sua volta a Lisboa, ficando no Brasil? Depois de focar a gestão em um trabalho contra a corrupção e superar os olhares desconfiados com os processos em torno da Fundação, Bertolini recebeu o parecer do Ministério Público arquivando processos e foi homenageado com a maior honraria do MP. A Ordem do Mérito do Ministério Público do Rio Grande do Sul foi instituída pelo Provimento 12/09/2003, e tem como objetivo homenagear personalidades e instituições nacionais e estrangeiras por seus méritos e relevantes serviços prestados à cultura jurídica e ao Ministério Público. A condecoração é constituída pelos graus “Grã-Cruz”, “Comendador” e “Oficial”, ou instituições indicadas pelo Procurador-Geral de Justiça, por ações que as credenciem a esse reconhecimento. Acompanhado do Presidente do Movimento Tradicionalista Gaúcho, Paulo Roberto Cavalheiro de Souza, e de sua esposa, Graça, da vice-presidente de cultura do MTG, Neusa Secchi e seu esposo, Valdir Secchi, Celso Farias, Carlos Moser, e Rodi Borghetti, presidente do IGTF, Erival Bertolini recebeu a medalha de grau “Oficial” do Ministério Público doo estado, coroando sua gestão. Autoridades como o Governador Tarso Genro e o Presidente do Comitê Editorial do Grupo RBS, Nelson Sirotsky, também foram homenageados. Foto: Rogério Bastos Borghetti, Valdir Secchi, Moser, Neusa Secchi, Paulo Souza, Deputado Pozzobom, Graça, Bertolini, Izabel e Celso Farias na homenagem ... D. Pedro foi pressionado pelos liberais radicais a ficar? Eles juntaram 8 mil assinaturas. Foi então que, contrariando as ordens emanadas por Portugal para seu retorno à Europa, o príncipe regente declarou para o público: “Se é para o bem de todos e felicidade geral da Nação, estou pronto! Digam ao povo que fico”. Processos contra a FCG/MTG foram arquivados pelo MP O expediente movido contra a Fundação Cultural Gaúcha - MTG, em 2010, tendo como objeto o uso indevido da instituição para locupletamento de seus dirigentes, ou para fins ilícitos, ou ainda, desvio de finalidade, recebeu promoção de arquivamento e foi encaminhado ao Conselho Superior do Ministério Público, conforme oficio enviado à Presidência da Fundação pela promotora Gislaine Rossi Luckmann. Os depoimentos, durante o inquérito, foram recolhidos e foram elucidadas as dúvidas referentes às captações de recursos para a realização dos grandes eventos do tradicionalismo gaúcho. A farta documentação enviada ao Ministério Público (divisão de assessoramento técnico - DAT) diretamente ao assessor contador, que analisou profundamente a documentação comprobatória dos valores repassados à Fundação. Desta forma a analise feita pelo DAT, consoante os pareceres 1031/2012, 1078/2013 e 1859/2013 concluiu-se que os valores referentes aos patrocínios/contratos foram lançados na contabilidade da entidade, conforme cópias dos Livros Razão dos exercícios de 2006 a 2009. “Tínhamos convicção de que tudo seria esclarecido, como foi! Todas as contas aprovadas, acusações retiradas, tudo em cima de documentos, como o Ministério Público nos solicitou. Foi muito difícil trabalhar sob olhares desconfiados, mas sempre tivemos a consciência tranquila.” – Disse Paulo Souza, presidente do MTG, na época das acusações, era vice-presidente de administração. TEMA QUINQUENAL: O MTG ENGAJADO NA CAMPANHA DE COMBATE À CORRUPÇÃO - “LAÇANDO A CORRUPÇÃO”

[close]

p. 9

Ano XII - Edição 149 Janeiro de 2014 TURISMO NO SUL 9 Por Jeandro Garcia VICE-PRESIDÊNCIA DE CULTURA Tecendo a “colcha de retalhos” Chegamos ao final de mais um ano, é chegado o momento de refletir e analisar tudo o que fizemos, todos os objetivos que alcançamos e o que queremos para o próximo ano que se aproxima. Iniciamos o nosso trabalho no ano de 2013, pensando e planejando várias ações, várias estratégias dentre elas a confecção da “colcha de retalhos”. Com todos os planos e projetos, muitas dúvidas surgiram, inseguranças e até mesmo irritação de alguns colegas. Os meses foram passando e os desafios sendo enfrentados, mas com transparência, vontade, diálogo e muita lucidez, vencemos todos os obstáculos e a “colcha de retalhos” continuava a ser tecida - mostrando a nossa capacidade de realizar, o nosso crescimento dando direção aos nossos objetivos. Finalmente chegamos à conclusão da “colcha de retalhos” na qual estava inserida a nossa unidade, a solidariedade, o companheirismo e o crescimento da cultura regional. Ela nos mostrou o quanto somos fortes quando há união e interação e que somos capazes de fazer muito mais, desde que aconteça a compreensão, a transparência e o comprometimento com as tradições gaúchas. Neste momento temos muito a agradecer. Agradecer a Deus por ter nos abençoado e cuidado de todos nós nos dias do ano de 2013. Agradecer a todos vocês, DIRETORES DE CULTURA das 30 Regiões Tradicionalistas, nossos incansáveis parceiros e amigos nesta luta diária em prol da Cultura e Tradições Gaúchas e em prol das Regiões Tradicionalistas. Vocês são pessoas muito especiais. Muito obrigada pela parceria, companheirismo e principalmente confiança. Neusa Bohna Secchi Vice-presidente de Cultura MTG/2013 Luce Carmem Mayer Diretora Depto. de Cultura Interna MTG/2013 Joseane Volkart Diretora Depto. Concurso de Prendas e Peões MTG/2013 Canela tradicionalista, europeia e linda Canela abrirá a temporada cascata. Também há um passeio de rodeios de 2014 do Estado. O de trenzinho, que leva a uma vila de evento, que acontece entre os dias faroeste abandonada, bem interes8 e 12 de janeiro, no Parque Saiqui sante também. acontece em uma das cidades gaúNa Igreja Matriz de Nossa chas mais conhecidas por turistas Senhora de Lourdes você estade todos os lugares que vem visitar rá diante de uma das mais belas o Rio Grande do Sul. Infelizmente construções do nosso estado. Inauainda há uma grande quantidade gurada em 1953, a construção de de gaúchos que não conhecem pedra em estilo gótico inglês é oresta cidade de colonização alemã, namentada ainda com uma torre que ainda guarda diversos traços de 65 metros e carrilhão com 12 de sua origem, destacando os cos- sinos. Os gigantescos vitrais colotumes e a arquitetura de suas ca- ridos enchem de luz o interior da sas e prédios. “Catedral de Pedra”, como é conheNão há como escrever so- cida a igreja. bre Canela e não mencionar dois Mas Canela possui diversos pontos turísticos símbolos da cida- atrativos turísticos, e vou menciode: o Parque do Caracol e a Cate- nar apenas alguns que já conheço, dral de Pedra. Uma das dicas para mas gostaria de conhecer todos: visitar o parque é ir com tempo, há o Mundo a Vapor (um belo museu muito que se fazer por lá, logo na sobre os maquinários movidos a entrada há o Observatório Ecológi- vapor), o Museu da Moda, Teleférico, uma plataforma com elevador co e o Alpen Park que é cheio de panorâmico que leva o visitante atrações aventureiras. Mais infora uma altura de 27 metros, com mações sobre turismo no Rio Granvista de 360º do parque. A grande de do Sul acesse meu blog www. atração é a Cascata do Caracol, turismonosul.com.br Foto: Rogério Bastos com 131 metros de queda livre, e existe uma escadaria que leva até a base, mas somente recomendo para quem tem bastante tempo, e muito boas condições físicas, para quem não se encaixa em pelo menos uma destas opções indico seguir a trilha e passear por belos Cascata do Caracol, um dos principais atrativos de Canela caminhos sob a Por Anderson Fonseca Um pouco de Anderson Fonseca, exemplo de dedicação ao verso Creio que a arte declamatória deva ser a mais pura das artes existentes em nossos tempos. Dar vida a um sonho, um sentimento, uma visão de um autor que transcreve do coração pra um papel que vai se tornar poesia. Apesar de começar muito tarde (fazem 8 anos que declamo) tive pessoas muito importantes e de grande conhecimento literário e artístico perto de mim. Neles vi sempre um grande espelho e um norte pra me basear. No ano de 2012 tive a grande felicidade de ganhar um ENART. E justamente no ano que eu não tinha ido com ganas de me classificar pro domingo e almejar algo mais. Compreendi, neste ano, que a poesia tem que ser dita com amor e não com intuito de ganhar alguma coisa. Declamação é muito mais que troféus e conquistas materiais. Quando compreendi isso as coisas ficaram mais claras pra mim. E quando eu achava que não poderia ficar melhor estive em Jataí/GO este ano disputando o FENART por conta de ter ganho o ENART 2012. E mais uma vez fui abençoado com o 1° Lugar, declamando contra gente muito forte que veio de todas as partes do Brasil. Daí tu começa a pensar em parar ou dar um tempo. Mas vi novamente que só parar ou dá tempo quem não tem mais o que alcançar... e quem ama o verso não declama pra alcançar alguma coisa... declama por amor... pelos amigos... pela emoção do palco... pelo sentimento ao verso. E mais uma vez vim disputar o ENART agora neste ano de 2013. Este ano sabia que seria muito mais difícil que o ano anterior... muita gente muitíssimo bem preparada e totalmente aptas pra levar a taça. Mas novamente a vitória veio tanto no sábado como no domingo. É realmente uma aula pra quem se dispõe a assistir o sábado e o domingo no ENART. E eu sempre fui aluno assíduo... acho isso imprescindível para quem quer aprender... para quem quer buscar algo mais. A leitura também é um diferencial que antes não tinha e que não via como importante. Mas sem ela ficamos muito cegos, bitolados. Não posso deixar de citar pessoas importantíssimas nesta formação declamatória como Wilson Araújo, Luciano Salerno, Mirele e Everton Hugo, Luiz Otávio Trindade, Liliana Cardoso, que além de sempre me dar apoio, me cobravam quando errava e me apontavam os rumos certos. Essa bagagem é que eu acho que é o sumo da declamação... Essa simbiose... Essa troca de informação e de conhecimento. Mas principalmente agradeço à minha namorada Kassiana Oliveira que me apoiou muito e me fez entender realmente o verso. O ano de 2014 iniciará da mesma forma que os outros... Expectativa por muitos rodeios onde reencontro meus bons amigos, de novos versos que farão parte da minha vida, de novos horizontes que eu vou sempre seguir buscando.

[close]

p. 10

10 Ano XII - Edição 149 Janeiro de 2014 Às vésperas da copa, tradicionalis reflexão e renovação. Retrospec Foto: Rogério Bastos Depois da tragédia da boate Kiss, em Santa Maria, muita coisa mudou para os CTGs. Trabalh vitorias em 2013. Festejos Farroupilhas fez o Rio Grande viajar no imaginário e, no ENART, os 60º Congresso em Santa Maria Erival Bertolini foi reeleito para seu terceiro mandato (2011/2013) em um congresso que antecedeu, em alguns dias, a tragédia da boate Kiss. Algumas decisões importantes tomadas no evento foi a localidade Santo Amaro, em General Camara, escolhida para o acendimento da chama crioula oficial do estado, o tema anual: “O MTG em defesa da saúde e do bem estar dos tradicionalistas”, de autoria das prendas, Taynara Hella Moraes Ouriques e Aline Rigão de Vargas. O tema dos festejos farroupilhas do Rio Grande do Sul, de autoria de Rogério Bastos: “O RS no imaginário social” e a capital como sede do congresso de 2014, também foram aprovados em Santa Maria. Zeno Dias Chaves, ex-presidente do MTG, propôs que os tradicionalistas, com a ajuda de historiadores e, a parceria da secretaria de cultura do estado, que pesquisassem locais históricos e as respectivas identificações. Virou tema de trabalho do departamento jovem: “Reculutando locais históricos”. Foto: Divulgação Congresso aconteceu na cidade de Santa Maria, 13ª RT Foto: Rogério Bastos Cavalgada levando a chama para o Congresso 25ª FECARS A Festa Campeira do estado aconteceu na cidade de Campo Bom, 30ª RT, teve a 27ª como campeã geral do evento. Paralelo a ela, aconteceram o 26º seminário estadual de prendas e peões e o 14º seminário de cultura campeira. O seminário abordou “Literatura Rio-grandense”, e teve como palestrante o ex-secretário de cultura de Porto Alegre, o professor Sergius Gonzaga. Já o seminário de cultura campeira teve como tema: “Pelagens de Cavalos” Foto: Divulgação 27ª RT venceu Laço Seleção e ganhou o troféu Laço de Ouro Foto: Rogério Bastos Juninho Félix, multicampeão em prova de rédeas Foto: Rogério Bastos Festejos Farroupilhas 2013 Os festejos tem seu inicio com o acendimento da Chama Crioula oficial do estado, que este ano aconteceu em Santo Amaro, distrito de General Câmara. O espetáculo “Contos, mitos e lendas” foi o sucesso esperado. Com tema: “O RS no imaginário social”, voltado para a lúdica, o espetáculo noturno de 19 de setembro, em Porto Alegre, foi marcado por carros com a temática, com efeitos especiais de luz, fumaça e coreografias de integrantes de CTGs e piquetes. A temática favoreceu o trabalho nas escolas e nos desfiles pelo interior. Foram produzidos 2.000 livros distribuídos para as entidades, via lista destaque (mínimo 50 pontos), para os acampados do Parque da Harmonia e em algumas escolas. Membros da Sociedad La Criolla, do Uruguai, visitou o acampamento. M’Boitatá foi para a avenida com efeitos especiais e agradou o público Foto: Rogério Bastos Personagens saiam de dentro de livros para contar as histórias Foto: Rogério Bastos Por todo estado fantasias de Lobisomens relembraram contos dos avós O Rio Grande do Sul no Imaginário Social mexeu com a criatividade

[close]

p. 11

Ano XII - Edição 149 Janeiro de 2014 11 smo gaúcho vive um ano de crescimento, ctiva 2013, para relembrar as vitórias Maio, mês da 43ª Ciranda de Prendas Foi na fronteira da paz, na cidade de Santana do Livramento que aconteceu a 43ª edição da Ciranda de Prendas do RS. Depois da tragédia da boate Kiss, Santa Maria vivia presa às tristes lembranças do dia 27 de janeiro. Mesmo com o fardo da tristeza, a universitária de 19 anos, Taynara Ouriques, conquistou o título máximo e levou um pouco de alegria par ao coração do Rio Grande. Ao Fotos: Rogério Bastos lado de Taynara, classificaram-se, também, as prendas Mariana dos Santos Soares, de Canoas,12ª RT e Kelly Rocha, de Porto Alegre, 1ªRT, 2ª e 3ª prendas, respectivamente. Na categoria juvenil, Paloma Drum Schacht, de Carazinho, a 1ª prenda juvenil, juntamente com Djuly Pereira Rutz, de Canguçú, e Letiane Labandeira Munhoz, de São Gabriel, 2ª e 3ª prendas juvenis do RS. Já na categoria mirim, Anna Maria Socol, de Bento Gonçalves conquistou o título de 1ª prenda mirim, Nathália Todero Boeira, de Esmeralda, foi a 2ª prenda mirim e Priscila Araújo Fagundes, de Pinheiro Machado ficou com a faixa de 3ª prenda mirim do RS. hos junto ao Ministério Público mostraram total transparecia do MTG e queda das multas das GTAs foram algumas s “charruas” do Ronda, 23 anos depois, voltaram a levantar o troféu mais cobiçado do estado. Convenção Tradicionalista aconteceu na capital gaúcha 78ª Convenção do MTG A 78ª Convenção tradicionalista foi marcada por decisões tomadas com excelente nível de debate e pela aprovação da boina, da jaqueta campeira e do troféu para a entidade campeã do ENART. Propostas de alteração na idade do piá na FECARS, inclusão de troféu rotativo no aberto de esportes, o vanerão nas danças gaúchas de salão foram algumas das propostas. A coordenadoria da 30ª RT, sugeriu aumentar o número de pares para entrada e saída dos grupos, da Força “A”, passando para o máximo de 16 pares, ou 32 integrantes. Os tempos para as provas oral e artísticas dos concursos passam a ser contados em três partes: 1º) as três categorias terão para sua apresentação inicial até 3 minutos para todas as categorias, tanto de prendas quanto de peões; 2º) prova oral será contada para prenda mirim e guri de até quatro minutos; para prenda juvenil, adulta e peões de até sete minutos; 3º) prova artística continua a mesma redação anterior, peões e guris até vinte minutos e prendas de até quinze minutos; A pasta relatório, das prendas, recebe um acréscimo de 5 pontos, vindos do quesito caracteres pessoais, que fica, agora, com 5. Foi aprovado o regulamento do concurso de Piá do Rio Grande do Sul. Como apoio ao departamento jovem, e ao esporte, deu-se a inclusão de atividades para a lista destaque tradicionalista, incentivando as entidades a promoverem atividades nestas áreas. Foto: Liliane Pappen Ciranda de Prendas aconteceu na Fronteira da Paz, Santana do Livramento Fotos: Rogério Bastos Panambi recebeu o 25º Entrevero de Peões A 9ª região recebeu a peonada do Rio Grande para a 25ª edição do Entrevero e, a cidade de Giruá, 3ªRT, levou, em dose dupla, os títulos de Peão e Guri Farroupilha do estado. Bruno Kamien e Guilherme de Abreu Machado. Completaram o grupo: 2º Peão, Josué Matter dos Santos, de Santo Augusto, 20ªRT; 3º Peão, Rafael Santos da Silva. de Santa Maria, 13ªRT; 2º Guri, Julio Cortese Lorenset, de Três de Maio, 20ªRT; e o 3º Guri do RS, Leonardo Gustavo Rossatto, de Bento Gonçalves, 11ªRT. No mesmo mês, Nésio Alves Correa, o Gildinho, do grupo Os Monarcas, foi escolhido patrono dos festejos farroupilhas do RS. Giruá mostrou força no Entrevero - 2 Títulos - Peão e Guri do RS Comissão Avaliadora do ENART 28º ENART, sucesso crescente Foram 4 inter-regionais do ENART: Esteio, Uruguaiana, Caxias e São Jerônimo. Mais de 3.500 participantes. O credenciamento de profissionais de imprensa superou a marca de 100 inscritos. Uma TV web (TV Tradição) e uma TV aberta (TVcom), 4 rádios tradicionais e mais três rádios web, transmitiram a força “A”, direto do ginásio poliesportivo. Na força “A”, o CTG Ronda Charrua, de Farroupilha, depois de 23 anos, voltou a conquistar o estado. Na força “B”, os Nativos de Santa Maria. O troféu Marca Grande, prêmio máximo do ENART, foi para a 1ª RT pela nona vez. 1ª Região levou o nono troféu do ENART. É a maior campeã Sergius Gonzaga, o patrono, ao lado dos campeões da 9ª RT

[close]

p. 12

12 Ano XII - Edição 149 Janeiro de 2014 NOTÍCIAS ENART 2013 Entidades que alcançaram 200 pontos na Lista Destaque CTG Tríplice Aliança - 4ª RT CTG Sentinelas do Rio Grande – 6ª RT CTG Felipe Portinho – 7ª RT CTG Júlio de Castilhos – 9ª RT CTG Rincão da Roça Reúna – 11ªRT CTG Estância de Sapucaia – 12ª RT CPF Piá do Sul – 13ª RT CTG Sentinela da Querência – 13ª RT AT Poncho Branco – 13ª RT CTG Sentinela da Querência – 19ª RT Finalizado projeto “MTG vai à Escola” na 18ª RT A Primeira Prenda Juvenil da 18ª Região Tradicionalista, Letiéle Labandeira Munhoz, concluiu no mês de dezembro de 2013 o projeto MTG Vai à Escola, realizado na Escola Municipal de Ensino Fundamental Ginásio São Gabriel, no 4º ano, da professora Fernanda Sanchez e na Escola Municipal de Ensino Fundamental Professora Brandina Mello, no 5º ano, da professora Charlene Saldanha. O trabalho da prenda, realizado entre os meses de setembro e dezembro, teve como objetivo promover momentos de conhecimento sobre a cultura gaúcha, incentivando e valorizando a nossa tradição. A oficina do chimarrão contou a história da bebida típica do gaúcho e foi realizada uma roda de chimarrão, com a participação de alunos e professores. Na oficina de brincadeiras folclóricas, procurou resgatar as que andam mais esquecidas nos dias atuais, como: passa-anel, passa-passará, pula corda, entre outras. Também realizou uma oficina de confecção de brinquedos com materiais recicláveis. Fez parte ainda do projeto uma oficina de contação de lendas, onde foram trabalhadas lendas do folclore gaúcho e por ultimo a oficina sobre a formação do Natal Gaúcho, contando a história dos símbolos natalinos trazidos pelos imigrantes. As oficinas contaram com a participação da 3ª Prenda Juvenil do Rio Grande do Sul, Letiane Labandeira Munhoz. Foto: Divulgação/Arquivo pessoal Conheça mais um campeão do ENART 2013 - Os Nativos Como lema: “No altar da tradição comungamos os mesmos ideais”, o CTF Os Nativos, de Santa Maria, 13ª RT, que tem como patrão o tradicionalista Elizeu da Silva Souto e como coordenadores da invernada, Galvão Dutra e Maria Irai Dutra e instrutor, Telmo Almansa, sagrou-se campeão do ENART 2013 na força “B”. Fé, persistência, atenção, união e família. “Essas são as palavras que distinguem a invernada, ou melhor, a família, que luta pelos seus ideais e sonhos, para que seus objetivos sejam alcançados. Uma invernada que está sempre unida, em busca do melhor para seus colegas e companheiros”. A invernada atual é formada a pouco mais de dois anos, iniciou os trabalhos em 2011. Valendo-se de um estilo “primitivo”, que deu vida à invernada, vem sendo trabalhado desta forma há um ano. Quando, por propostas dos integrantes da invernada, o coreografo Telmo Almansa da Silva se jogou de cabeça nesse novo e diferente tema, “Mulheres da guerra”, 2012, a invernada conquistou o 2º lugar na Inter-regional, em Santiago, na força “B”, e, na final do ENART, pela primeira vez, o nome do CTF Os Nativos chegou a final no domingo, conquistando o 15º lugar em danças tradicionais em 2012. Em 2013, com uma nova proposta, apresentado pelo coreografo, foi outro desafio, com o tema “Assombros”. O ano de 2013, foi muito bom para os Nativos, pois a invernada conquistou todos os circuitos promovidos pela 13ª RT em danças força “B”, além de alguns rodeios artísticos. Além da etapa regional da 13ª RT, inter-regional foi classificado em 1º lugar para a final do ENART. E o tão sonhado título de CAMPEÃO danças tradicionais força “B” chegou, garantindo a vaga como cabeça de chave para a final do ENART 2014 na força “A”. “Talvez a receita para ter chegado a esse sonho, seja a humildade. Sempre foi trabalhado muito sobre isso, humildade sendo a palavra chave dessa invernada”- conta Luanna. “Para a entidade, invernada, e coordenação, isso só foi possível porque tivemos o apoio de muitas pessoas dentre elas: coordenadores Galvão e Irai, patronagem CTF Patrão Elizeu, Instrutor Telmo Almansa, grupo musical, e muitas outras pessoas que ajudaram a construir nossos sonhos”completou. Segundo a coordenadora, Maria Irai, essa invernada, “é formado por grandes dançarinos, pessoas de caráter, que trato como filhos, pessoas que lutam pelo que querem, procuram sempre a união, e estão sempre juntos, querendo fazer alguma coisa, eles gostam de estarem juntos, e eu me sinto muito bem e feliz, pois minha filha também dança, e isso me faz feliz”. Foto: Divulgação Ao alcançar a marca dos 200 pontos da lista destaque, CTG de Erechim se iguala ao CTG Laço Velho, de Bento Gonçalves, que em 2013 esteve em 1º lugar no ranking. - CTG Sentinela da Querência, de Erechim - 7 - CTG Laço Velho, de Bento Gonçalves - 7 - CPF Piá do Sul, de Santa Maria - 6 - CTG Prenda Minha, de Bagé - 5 - CTG Gaudério Serrano, de Bento Gonçalves - 4 Sentinela da Querência, de Erechim, é hepta Letiéle, de São Gabriel, finalizou seu projeto nas escolas MTG representado em Sessão Plenária do CREA O Engenheiro Agrônomo Valdir Secchi (centro), designado pelo Presidente Paulo Souza, representou o MTG na Sessão Plenária, que aconteceu em 29 de dezembro, do Conselho Regional de Engenharia e Agronomia (CREA-RS), oportunidade em que o Deputado Adão Villaverde fez uma síntese do Projeto de Lei Complementar PLC 155/2013 (Lei da Prevenção contra Incêndio), recentemente aprovada por unanimidade pela Assembleia Legislativa. Por diversas vezes o MTG foi destacado pela sua presença e participação nas audiências para discussão e elaboração do Projeto. Foto: Divulgação/Arquivo pessoal O CTG Sentinela da Querência teve uma de suas prendas representando a entidade na FENAMATE. Daniela Bonet, no cargo de PRENDA DA FRINAPE 2013. Valdir Secchi, sempre atento aos assuntos que interferem no tradicionalismo Os Nativos, de Santa Maria, 13ªRT, sagrou-se campeão e foi homenageado TEMA QUINQUENAL: O MTG ENGAJADO NA CAMPANHA DE COMBATE À CORRUPÇÃO - “LAÇANDO A CORRUPÇÃO”

[close]

p. 13

Ano XII - Edição 149 Janeiro de 2014 13 ENTREVISTA NOTICIAS O mago das coreografias Robson Cavalheiro, filho do seu Arnaldo e da Maria Aparecida, pai da Isadora e do Arthur, natural de Santana do Livramento, 37 anos, professor de danças, musico e coreografo. Robson é membro da Associação Nacional de Danças de Salão - Andanças / RJ, diretor do Balé Folklorico do Sul e sócio da BAILLARIUM ESCOLA DE DANÇA, em Tramandaí/RS. Eco – Qual foi teu primeiro trabalho de coreografia para grupos de danças? A carreira de coreógrafo no tradicionalismo é a história da minha vida, mas foi em 1999 que a coisa começou a ficar séria. Estava afastado do tradicionalismo a uns 2 anos, trabalhando e dançando em uma companhia de dança em Pelotas, quando encontrei Rinaldo Souto que eu já conhecia lá da fronteira, e ele me convidou a assistir o ensaio do seu grupo adulto do CTG Cel. Thomaz Luiz Osório (onde fui seu aluno). Rinaldo também dava aula em outro CTG em Porto Alegre e estava querendo renovar o estilo do grupo, então me disse: _” Tu tens coragem de coreografar um grupo gaúcho em Porto Alegre? Se sim, quero que faças tudo que sempre quisestes fazer e te diziam que não deveria ser feito no tradicionalismo” – disse Souto. E com a orientação e a parceria de Rinaldo, eu fiz! Foi quando o Madrugada chegou a final do ENART de 99. Eco – Quantas coreografias já têm em teu currículo e qual a que mais gostou ao longo dos tempos? São tantas que já perdi as contas. Com certeza uma das mais importantes foi no CTG Madrugada Campeira, a estreia de minha primeira coreografia, Rancho de Luz no rodeio de Guaíba, com publico aplaudindo em pé logo no meu primeiro trabalho. Tem alguns grupos com os quais trabalho há vários anos consecutivos: CTG Potreiro Grande desde 2000, CTG Ronda Charrua desde 2004, DTG Lenço Colorado do Sport Club Internacional desde 2006, CTG Cel. Chico Borges desde 2002, CTG Campo dos Bugres desde 2007, CTG Guapos do Itapuí - Campo Bom desde 2010. E alguns mais recentes como o CTG Clube Farroupilha de ijuí,. No estado do Paraná trabalhei com o CTG Charrua de Foz do Iguaçu, CTG Querência Santa Mônica de Curitiba, CTG Fogo de Chão Guarapuava, CTG Recordando os Pagos de Francisco Beltrão. Fora os CTGs, juntamente com o Balé Folklorico do Sul, faço participação nos shows de artistas regionais como: Cantadores do Litoral, Grupo Chão de Areia, Loma, Monica Ramos, Yangos Quarteto Instrumental e o Grupo Mas Bah. Enfim cada trabalho é uma nova passagem e todas são interessantes e marcam minha vida, todas as premiações no Enart: CTG Campo dos Bugres, CTG Porteira Velha, GAN Ivi Maraé, CTG Sentinela da Querência, CTG Potreiro Grande, CTG Querencia do Quero-Quero, CTG Ronda Charrua, GTG Clube Caixeiral, DTG Juventude, CTG Rancho de Gaudérios, CTG Guapos do itapuí e os trabalhos feitos para serem apresentados nas entidades e cidades, como os que eu fiz no CTG Sepé Tiaraju de São Lourenço do Sul, CTG Rodeio da Querencia de Frederico Westphalen e CTG Três Coqueiros de Soledade durante as festividades natalinas a anos atrás. Eco – Quantas coreografias fizestes em 2013 pra o ENART? Em torno de 15 coreografias para os grupos: DTG Lenço Colorado, CTG Campo dos Bugres, CTG Recanto dos Tauras, CTG Clube Farroupilha, CTG 20 de Setembro, CTG Candieiro Da Amizade, CTG Guapos do Itapuí e PTG Bocal de Prata. Estância da Poesia Crioula premiou concursos de 2013. A EPC premiou seus Concursos Literários do 2º semestre de 2013. O evento aconteceu na Churrascaria Garcias, na capital gaúcha, dia 21 de dezembro, em evento de confraternização. Abaixo a lista dos artistas e versos premiados nos concursos do segundo semestre, promovidos pela EPC com o objetivo de estimular a poesia e a inspiração dos poetas. 4º CONCURSO DE SONETOS NILZA CASTRO 1º lugar: Serenata Dolorida - Autor: Pedro Mello, de São Paulo/SP 2º lugar: Pedido - Autor: Gislaine Canalles, de Porto Alegre/RS 3º lugar: Poema de Percurso - Autor: João Baptista Coelho, de S. Domingos de Rana/Portugal 4º lugar: Contradição - Autor: Pedro Mello, de São Paulo/SP 5º lugar: Soneto Nilza Castro - Autor: Delcy Rodrigues Canalles, de Porto Alegre/RS Comissão Avaliadora: Beatriz de Castro, Wilson Tubino e Cândido Brasil 4º CONCURSO DE POESIA OLIVEIRA SILVEIRA 1º lugar: Negritude - Autor: Dilmar Paixão, de Porto Alegre/RS 2º lugar: O mulatinho do pastoreio - Autor: Nelson L. Guimarães de Paula, de Praia Grande/SP 3º lugar: Das razões de minha lança - Autor: Edson Marcelo Spode, de Panambi/RS 4º lugar: Fuga pra liberdade - Autor: Gargione Ávila, de Rio Grande/RS 5º lugar: Legado a um Lanceiro Negro - Autor: Juarez Fontana de Miranda, de Porto Alegre/RS Comissão Avaliadora: Sidnei Azambuja, Cristiano Ferreira e Cândido Brasil TEMA ANUAL: MTG EM DEFESA DA SAÚDE E BEM ESTAR DO TRADICIONALISTA

[close]

p. 14

14 VOCÊ SABIA QUE... Ano XII - Edição 149 Janeiro de 2014 GRANDES MOMENTOS DA HISTÓRIA PARÁBOLA O gaúcho que laçou um avião Numa tarde de janeiro de 1952, o jornalista Cláudio Candiota, então diretor de “A Razão”, de Santa Maria, encontrava-se em sua sala quando foi procurado pelo comandante do aeroclube da cidade, Fernando Pereiron. O visitante trazia uma notícia de impacto, mas não para ser divulgada. Pelo contrário, queria escondê-la. Temia causar prejuízo à imagem do estabelecimento sob sua responsabilidade. Quando soube do que se tratava, a reação de Candiota foi em sentido oposto: “Deixa comigo. Vou tornar este aeroclube famoso em todo o mundo. É a primeira vez que acontece uma coisa como essa”, disse de imediato. Como também era correspondente no Rio Grande do Sul de O Cruzeiro, o jornalista telefonou para a direção da revista, no Rio, que mandou, já no dia seguinte, para Santa Maria, o seu melhor fotógrafo, o gaúcho Ed Keffel. Uma semana depois aparecia, com exclusividade, a reportagem em cinco páginas, amplamente ilustrada. Um peão de estância tinha simplesmente laçado um avião em pleno vôo. E como houve dano na hélice do aparelho, o piloto estava ameaçado de demissão, por ter agido de forma imprudente e provocativa, e por não ter comunicado o fato às autoridades aeronáuticas. União Houve uma reunião em uma marcenaria, onde as ferramentas juntaram-se para acertar suas diferenças. O martelo estava exercendo a presidência, mas os participantes lhe notificaram que teria que renunciar. A causa? Fazia demasiado barulho e além do mais passava todo tempo golpeando. O martelo aceitou sua culpa, mas pediu que também fosse expulso o Parafuso, dizendo que ele dava muitas voltas para conseguir algo. Diante do ataque o parafuso concordou, mas por sua vez pediu a expulsão da lixa. Dizia que ela era muito áspera no tratamento com os demais, entrando sempre em atritos. A lixa acatou, com a condição de que se expulsasse o metro, que sempre media os outros segundo a sua medida, como se fora o único perfeito. Nesse momento entrou o marceneiro, juntou todos e iniciou o seu trabalho. Utilizou o martelo, a lixa, o metro e o parafuso. Finalmente, a rústica madeira se converteu num fino móvel. Quando a marcenaria ficou novamente sem ninguém, a assembleia recomeçou a discussão. Foi então que o serrote tomou a palavra e disse: - Senhores, ficou demonstrado que temos defeitos, mas o marceneiro trabalha com nossas qualidades, ressaltando nossos pontos valiosos. - Assim, não pensemos em nossos pontos fracos e concentremo-nos em nossos pontos fortes. Então a assembleia entendeu que o martelo era forte, o parafuso unia e dava força, a lixa era especial para limpar e afinar asperezas e o metro era preciso e exato. Perceberam, como uma equipe unida, por mais diferença que tenham, são capazes de produzirem qualquer coisa trabalhando juntos. O mesmo ocorre com os seres humanos. Basta observar. Quando uma pessoa busca defeitos em outra, a situação torna-se tensa e negativa. Ao contrario, quando se busca com sinceridade os pontos fortes dos outros, florescem as melhores conquistas humanas. É fácil encontrar defeitos, qualquer um pode fazê-lo. Mas encontrar qualidades..., bem! aí entra o egoísmo. Procure sempre elogiar em vez de criticar. Veja sempre, na outra pessoa, algo positivo. ... o dia do farmacêutico é 20 de janeiro? A data foi escolhida por um fato histórico, no dia 20 de janeiro de 1916, foi fundada a Associação Brasileira de Farmacêuticos (A.B.F), no Rio de Janeiro. ... os farmacêuticos são profissionais da saúde de tradição milenar, sucessores dos boticários, peritos no uso de fármacos e medicamentos? TIRANDO RASANTES ...na antiguidade o farmacêutico elaborava medicamentos a partir de princípios ativos presentes na natureza? ... no dia 30 de janeiro é comemorado o dia da saudade, essa palavra existe apenas na língua portuguesa e galega e serve para definir o sentimento de falta de alguém ou de algum lugar? O autor da façanha de “laçar um avião pelo focinho” foi o peão Euclides Guterres, 24 anos, solteiro, descrito na época como vivaz , fazedor e contador de proezas. Tudo começou quando o jovem piloto Irineu Noal, 20 anos, pegou o “Paulistinha” Manuel Ribas e decolou rumo à fazenda de Cacildo Pena Xavier, em Tronqueiras, nas proximidades da base aérea de Camobi, e passou a tirar repetidos rasantes sobre as coxilhas. No alto de uma delas, Euclides cuidava de uma novilha com bicheira e não gostou do que viu. Achando que aquilo era alguma provocação, não teve dúvidas: armou o laço de 13 braças e quatro tentos e atirou em direção ao bico do teco-teco, acertando o alvo. Por estar preso na cincha do arreio sobre o cavalo, o laço, com o impacto, arrebentou na presilha e seguiu pendurado no avião. O piloto, assustado, tratou de pousar. Ainda na cabeceira da pista, longe do hangar, retirou o laço e o escondeu no meio das macegas. “Eu não fiz por maldade. Foi pura brincadeira. Para falar a verdade, não acreditava que pudesse pegar o aviãozinho pelas guampas num tiro de laço.”, disse o peão Euclides Guterres. “Nada nos pode parecer mais estranho do que a notícia de que um homem tenha laçado um avião. A vontade que a gente sente é mesmo de duvidar. Mas, a verdade é que a extraordinária façanha aconteceu no pampa gaúcho, em Tronqueiras, na rica fazenda de Arroio do Só, no município de Santa Maria.” Abertura da reportagem publicada por O Cruzeiro, em 23 de fevereiro de 1952, assinada por Cláudio Candiota 1952. TEMA QUINQUENAL: O MTG ENGAJADO NA CAMPANHA DE COMBATE À CORRUPÇÃO - “LAÇANDO A CORRUPÇÃO”

[close]

p. 15

Ano XII - Edição 149 Janeiro de 2014 15 Um próspero e abençoado 2014 são os votos do Movimento Tradicionalista Gaúcho

[close]

Comments

no comments yet