Instalações Elétricas de Baixa Tensão

 

Embed or link this publication

Description

Instalações Elétricas de Baixa Tensão

Popular Pages


p. 1

Instalações Elétricas de Baixa Tensão Verificação, Manutenção e Exploração das Instalações Segundo as Regras Técnicas de Instalações Elétricas de Baixa Tensão António Augusto Araújo Gomes

[close]

p. 2

Página deixada intencionalmente em branco!

[close]

p. 3

António Augusto Araújo Gomes Instalações Elétricas de Baixa Tensão Verificação, Manutenção e Exploração das Instalações Segundo as Regras Técnicas das Instalações Elétricas de Baixa Tensão III

[close]

p. 4

Titulo: Instalações Elétricas de Baixa Tensão Verificação, Manutenção e Exploração das Instalações Autor: António Augusto Araújo Gomes Local e data: Porto, Maio de 2013 IV

[close]

p. 5

Instalações Elétricas de Baixa Tensão. Verificação, Manutenção e Exploração das Instalações. Índice Índice NOTA DE ABERTURA PREFÁCIO........... XI 1. IX ASPETOS GERAIS ............................................................................................................................ 1 1.1 Generalidades .............................................................................................................................................................. 1 2. VERIFICAÇÃO INICIAL ....................................................................................................................... 7 2.1 Generalidades .............................................................................................................................................................. 7 2.2 Procedimento de verificação das instalações ..................................................................................................... 8 2.2.1 2.2.2 Inspeção visual ............................................................................................................................................ 9 Ensaios e medições................................................................................................................................... 11 3. VERIFICAÇÃO APÓS A ENTRADA EM FUNCIONAMENTO E DURANTE A EXPLORAÇÃO ........................................ 17 3.1 Generalidades ............................................................................................................................................................ 17 3.2 Procedimento de verificação das instalações ................................................................................................... 19 3.2.1 3.2.2 Inspeção visual .......................................................................................................................................... 20 Ensaios e medições................................................................................................................................... 22 4. ENSAIOS E MEDIÇÕES .................................................................................................................... 25 4.1 Generalidades ............................................................................................................................................................ 25 4.2 Verificação da continuidade dos condutores de proteção e das ligações equipotenciais ................... 27 4.2.1 4.2.2 Generalidades ............................................................................................................................................ 27 Procedimento prático de ensaio........................................................................................................... 28 4.3 Medição da resistência de isolamento da instalação elétrica ...................................................................... 33 4.3.1 4.3.2 Generalidades ............................................................................................................................................ 33 Procedimento prático de ensaio........................................................................................................... 39 4.4 Ensaio de proteção por separação de circuitos ................................................................................................ 44 4.4.1 4.4.2 Generalidades ............................................................................................................................................ 44 Procedimento de ensaio ......................................................................................................................... 44 V

[close]

p. 6

Instalações Elétricas de Baixa Tensão. Verificação, Manutenção e Exploração das Instalações. Índice 4.5 Medição da resistência de isolamento dos elementos dos pavimentos e demais elementos da construção . 45 4.5.1 4.5.2 Generalidades ............................................................................................................................................ 45 Procedimento prático de ensaio........................................................................................................... 45 4.6 Verificação das condições de proteção por corte automático da alimentação....................................... 51 4.6.1 4.6.2 4.6.3 4.6.4 Generalidades ............................................................................................................................................ 51 Esquema TT – Neutro à terra ................................................................................................................. 56 Esquema TN – Terra pelo neutro .......................................................................................................... 58 Esquema IT - Neutro isolado ou impedante ...................................................................................... 61 4.7 Verificação do funcionamento dos dispositivos diferenciais ....................................................................... 64 4.7.1 4.7.2 4.7.3 Generalidades ............................................................................................................................................ 64 Procedimento prático de ensaio........................................................................................................... 64 Tempo e corrente diferencial estipulada dos dispositivos diferenciais ..................................... 69 4.8 Medição da resistência do elétrodo de terra..................................................................................................... 71 4.8.1 4.8.2 4.8.3 4.8.4 4.8.5 Generalidades ............................................................................................................................................ 71 Medição com elétrodos de terra auxiliares (método volt-amperimétrico) .............................. 73 Medição sem elétrodos de terra auxiliares (método bipolar)....................................................... 75 Impedância da malha de defeito .......................................................................................................... 76 Medição da resistência dos elétrodos de terra nos grupos geradores....................................... 76 Generalidades ................................................................................................................................. 76 Elétrodos de terra eletricamente distintos ............................................................................. 81 Elétrodos de terra comuns .......................................................................................................... 81 4.8.5.1 4.8.5.2 4.8.5.3 4.9 Medição da impedância da malha de defeito .................................................................................................. 82 4.9.1 4.9.2 Generalidades ............................................................................................................................................ 82 Procedimento prático de ensaio........................................................................................................... 95 4.10..........Medição da resistência dos condutores de proteção ..................................................................... 99 4.11..........Ensaio de polaridade............................................................................................................................. 101 4.11.1 Generalidades ..........................................................................................................................................101 4.11.2 Procedimento de ensaio .......................................................................................................................101 4.12..........Ensaio dielétrico ..................................................................................................................................... 101 4.12.1 Generalidades ..........................................................................................................................................101 4.12.2 Procedimento de ensaio .......................................................................................................................102 VI

[close]

p. 7

Instalações Elétricas de Baixa Tensão. Verificação, Manutenção e Exploração das Instalações. Índice 4.13..........Ensaios funcionais.................................................................................................................................. 102 4.13.1 Generalidades ..........................................................................................................................................103 5. MANUTENÇÃO E EXPLORAÇÃO DAS INSTALAÇÕES ............................................................................... 105 5.1 Manutenção das instalações .............................................................................................................................. 105 5.1.1 Generalidades ..........................................................................................................................................105 5.2 Exploração das instalações ................................................................................................................................. 107 5.2.1 5.2.2 5.2.3 5.2.4 5.2.5 5.2.6 Generalidades ..........................................................................................................................................107 Utilização das instalações .....................................................................................................................107 Execução de trabalhos ...........................................................................................................................108 Equipamentos de reserva e acessórios para a exploração ..........................................................111 Instruções de primeiros socorros........................................................................................................111 Acordo com outras entidades .............................................................................................................112 VII

[close]

p. 8

Página deixada intencionalmente em branco!

[close]

p. 9

Instalações Elétricas de Baixa Tensão. Verificação, Manutenção e Exploração das Instalações. Nota de Abertura NOTA DE ABERTURA A presente obra não substitui a consulta dos regulamentos e normas técnicas nela referenciadas, uma vez que, apesar de todo o esforço do autor na sua elaboração, é suscetível de conter imprecisões e omissões, além de poder não abranger todos os aspetos relevantes da temática tratada. As normas referidas na presente obra poderão ser adquiridas no Instituto Português da Qualidade (IPQ), que entre outras atribuições é o Organismo Nacional de Normalização. A realização da presente obra teve como principal elemento bibliográfico, as Regras Técnicas das Instalações Elétricas de Baixa Tensão, 1ª Edição Anotada – Volume I, II e III, coedição da Direção Geral de Geologia e Energia (DGGE) e da Associação Certificadora de Instalações Elétricas (CERTIEL), Dezembro de 2006, ISBN: DGGE-978-972-8268-37-4; CERTIEL-978-97295180-4-1. IX

[close]

p. 10

Página deixada intencionalmente em branco!

[close]

p. 11

Instalações Elétricas de Baixa Tensão. Verificação, Manutenção e Exploração das Instalações. Prefácio PREFÁCIO É com muita honra que prefacio o livro Instalações Elétricas de Baixa Tensão. Verificação, Manutenção e Exploração das Instalações, Segundo as Regras Técnicas das Instalações Elétricas de Baixa Tensão, do Engenheiro António Augusto Araújo Gomes. Conheço o autor há imenso tempo, pois somos ambos docentes no Departamento de Engenharia Eletrotécnica do Instituto Superior de Engenharia do Porto. Neste âmbito, para além da amizade que nos une, estou numa posição privilegiada para atestar as qualidades do autor nesta área da Engenharia Eletrotécnica. São várias as atividades desenvolvidas pelo autor nos assuntos relacionados com as Instalações Elétricas, algumas em estreita colaboração comigo. Quero destacar a competência que coloca na lecionação de unidades curriculares relacionadas com o Projeto de Instalações Elétricas, na organização e moderação de palestras, seminários e conferências e, fundamentalmente, no seu envolvimento em Projetos Eletrotécnicos de grandes dimensões. O Projeto de Instalações Elétricas é , provavelmente, a mais tradicional das áreas da Engenharia Eletrotécnica. Tal como outros setores da Engenharia Eletrotécnica, também neste se tem verificado nos últimos anos uma forte evolução, que tem assentado na competição entre empresas do setor eletrotécnico e exigências ao nível da segurança, das instalações e das pessoas. Este facto nem sempre é acompanhado com a necessária regulamentação, deixando os profissionais do setor muitas vezes equivocados. XI

[close]

p. 12

Instalações Elétricas de Baixa Tensão. Verificação, Manutenção e Exploração das Instalações. Prefácio Com este livro, o autor pretende dar um contributo a todos os profissionais desta área da engenharia eletrotécnica, especialmente para os responsáveis por projeto, execução e exploração de instalações elétricas. Assenta fundamentalmente em assuntos relacionados com a inspeção das instalações elétricas, os ensaios e medições que são necessários efetuar para validarem a qualidade da instalação elétrica, assim como as principais técnicas de manutenção e exploração das instalações. Neste livro, o autor dá particular destaque às medidas de proteção de pessoas por corte automático da alimentação, devidamente enquadradas com os diferentes esquemas de ligação à terra possíveis de serem adotados nas instalações elétricas. O autor analisa com algum detalhe os diferentes ensaios e medições necessários efetuar nas instalações, nos diferentes métodos de proteção, de forma que a segurança das pessoas fique garantida. Em todos os assuntos abordados neste livro, é de louvar a preocupação do autor em fazer o enquadramento do assunto com o especificado nas Regras Técnicas das Instalações Elétricas de Baixa Tensão (RTIEBT). Também neste âmbito este livro é importante, pois o autor baseado na sua experiência pedagógica enquadra os diferentes assuntos nas RTIEBT de uma forma clara, facilitando a leitura e a sua interpretação. Em suma, um livro que é recomendado a todos os profissionais do setor eletrotécnico, que exerçam funções nas áreas do projeto, execução e exploração de instalações elétricas. É também mais um contributo do autor para esta temática das Instalações Elétricas de Baixa Tensão, que mais uma vez partilha com os interessados os fortes conhecimentos teóricos e práticos que possuí nesta área da Engenharia Eletrotécnica. Porto e ISEP, 25 de Janeiro de 2013 José António Beleza Carvalho XII

[close]

p. 13

Instalações Elétricas de Baixa Tensão. Verificação, Manutenção e Exploração das Instalações. 1. Aspetos Gerais 1. Aspetos gerais 1.1 Generalidades Técnico Pessoa singular com inscrição válida em organismo ou associação profissional, quando obrigatório, cujas qualificações, formação e experiência a habilitam a desempenhar funções no processo de elaboração de projeto, fiscalização de obra pública ou particular ou como diretor de obra da empresa responsável pela execução da obra. Técnico responsável por instalações elétricas Indivíduos que, preenchendo os requisitos fixados no Estatuto do Técnico Responsável por Instalações Elétricas de Serviço Particular, podem assumir a responsabilidade pelo projeto, pela execução ou pela exploração das referidas instalações. Decreto Regulamentar nº 31/83, de 18 de Abril Publica o Estatuto do Técnico Responsável Por Instalações Elétricas de Serviço Particular. A segurança dos utilizadores, das instalações e dos equipamentos elétricos é a preocupação primeira e fundamental dos técnicos responsáveis pelo projeto, pela execução e pela exploração das instalações elétricas. 1

[close]

p. 14

Instalações Elétricas de Baixa Tensão. Verificação, Manutenção e Exploração das Instalações. 1. Aspetos Gerais Para se poder garantir a qualidade, segurança, funcionalidade, flexibilidade e fiabilidade das instalações, bem como a diminuição dos custos de execução e exploração das mesmas, é importante que se verifiquem, entre outras, as seguintes premissas: • Existência de um projeto de instalações elétricas Somente a existência de um projeto realizado por um técnico responsável, reconhecido pela Projeto Conjunto coordenado de documentos escritos e desenhados, integrando o projeto ordenador e demais projetos, que definem e caracterizam a conceção funcional, estética e construtiva de uma obra, bem como a sua inequívoca interpretação por parte das entidades intervenientes na sua execução. respetiva associação profissional, dá garantias do cumprimento de todos os aspetos regulamentares aplicáveis, da promoção da melhor solução técnico-económica e funcional para a instalação em questão e de segurança de pessoas e bens. O projeto, de licenciamento ou de execução, deverá ser constituído por um conjunto Projeto de Licenciamento Documento requerido às instalações que obrigam à existência de projeto de licenciamento. Consiste num projeto realizado de acordo com o definido nos regulamentos, de forma a permitir o licenciamento das instalações, perante as entidades competentes. Projeto de Execução coordenado de informações escritas e desenhadas de fácil e inequívoca interpretação por parte das entidades intervenientes na execução da obra, obedecendo ao disposto na legislação e Constituído por um conjunto coordenado das informações escritas e desenhadas de fácil e inequívoca interpretação por parte das entidades intervenientes na execução da obra, obedecendo ao disposto na legislação e regulamentação aplicável. regulamentação aplicável. No âmbito do exercício das suas competências, a Associação Certificadora de Instalações Elétricas (CERTIEL), entende que o projeto de licenciamento é também um projeto de execução devendo como tal, observar os disposto na definição anteriormente apresentada. 2

[close]

p. 15

Instalações Elétricas de Baixa Tensão. Verificação, Manutenção e Exploração das Instalações. 1. Aspetos Gerais A definição das instalações elétricas que carecem de projeto de licenciamento encontra-se vertida no Decreto-Lei n.º 26:852, de 30 de Julho (de 1936), com as alterações introduzidas pelo Decreto-Lei n.º 517/80, de 31 de Outubro, DecretoLei n.º 272/92, de 3 de Dezembro e Decreto-Lei n.º 26:852, de 30 de Julho (de 1936) Aprova o Regulamento de Licenças para Instalações Elétricas. Decreto-Lei n.º 517/80, de 31 de Outubro Estabelece normas a observar na elaboração dos projetos das instalações elétricas de serviço particular. Define responsabilidades e classifica estas instalações; inclui algumas disposições sobre a atividade dos técnicos responsáveis por instalações elétricas de serviço particular. Decreto-Lei n.º 272/92, de 3 de Dezembro Aprova as normas relativas ao funcionamento das Associações Inspetoras de Instalações Elétricas, que passarão a exercer as competências até então atribuídas aos Distribuidores Públicos, no que se refere à aprovação de projetos e sua fiscalização. Decreto-Lei n.º 101/2007, de 2 de Abril Simplifica o licenciamento de instalações elétricas, quer de serviço público quer de serviço particular. Realiza uma nova classificação das Instalações de Serviço Particular para efeitos do seu licenciamento ou aprovação. posteriormente pelo Decreto-Lei n.º 101/2007, de 2 de Abril. Mas mesmo não sendo legalmente exigido o projeto de licenciamento, para um conjunto muito significativo de instalações elétricas, é recomendável que para essas instalações seja realizado um projeto de execução. • Execução das instalações em conformidade com o projeto A garantia de execução das instalações em conformidade com o definido no projeto e com as boas regras da arte é a segunda premissa para garantir as condições atrás referidas. 3

[close]

Comments

no comments yet