Revista NA MOCHILA - ed. 12 - Dezembro/10

 

Embed or link this publication

Popular Pages


p. 1

r evistar$5,00 ano 2 na mochila amor entre irmãos proteção solar perder é preciso ano 2 ­ 2010 ­ nº 12 tiragem auditada 10 mil exemplares ensine seu filho que perder é preciso para amadurecer videogame mais danos que benefícios veja como alimentar este vínculo mesmo quando eles brigam amor entre irmãos 12 dicas para passar o verão bem protegido do sol

[close]

p. 2

editorial como nascem os ídolos estou entrando em uma fase interessante com meus filhos de 8 e 5 anos a fase em que eles descobriram um ídolo o justin bieber de repente o adolescente descabelado virou febre lá em casa tive que baixar seus vídeos da internet suas músicas comprar revistas e até serviu como tema de decoração do aniversário das crianças se você também está vivendo esta mania bieberiana em sua casa sabe o que eu estou falando não me lembro qual foi o meu primeiro ídolo na infância mas o mais marcante foi o grupo menudo foi da sua época também era delicioso curtir aqueles cinco meninos de porto rico ­ o que eu gostava mais era o robby e disputava a preferência com minhas amigas para ver qual dos cinco era o mais cotado em segundo lugar gostava do rick martin que foi crescendo e ficando cada vez mais lindo até acho que ele se parecia com o bieber quando era adolescente o mais interessante é que a tietagem pelo justin começou igualmente com minha filha e meu filho ele também curte É engraçado ver como seus gostos se completam e é sobre isso que falamos na matéria de capa desta edição amor de irmãos os meus pequenos brigam e muito mas é só não tomar partido de ninguém que em poucos minutos já estão brincando juntos novamente acho bonito ver a cumplicidade que existe entre os dois embora de vez em quando minha filha reclame que gostaria de ter tido uma irmã e logo muda de ideia como explicar este sentimento tão contraditório que existe entre muitos irmãos ­ às vezes de amor e outras de ódio ­ é o que você vai ver nesta edição e se o chatinho do bieber também anda perambulando em sua casa relaxe dos males o menor lucy de miguel editora lucy@editoravetor.com.br site e twitter da redação acompanhe nosso site e fique por dentro das notícias que você não vê aqui na revista visite-nos www.namochila.com www.twitter/namochila 4 na mochila foto celda sanches ­ painel artemanha

[close]

p. 3

Índice 14 revista na mochila ano 02 ­ nº 12 proteção solar 12 dicas para enfrentar o verão sem neuras amor entre irmãos veja como reforçar o vínculo afetivo entre eles 18 22 videogame mais danos que benefícios 26 aprender a perder dificuldades da vida são importantes para o amadurecimento capa 33 acupuntura técnica milenar é eficiente também no tratamento infantil 36 moda alto verão brincadeiras de criança mostram os looks que vão arrasar 48 vícios de linguagem gerundismo e internetês linguista explica quando é correto usá-los É dor não é manha as principais dores que as crianças podem sentir o que significam e como tratá-las 52 na mochila 6

[close]

p. 4

modelos tiago e sabrina cantero fotografia e produção gui grimaldi produção de arte daniela yamauti e lilian flaitt agradecimentos puc sorocaba looks e parque da biquinha nossa capa sempre aqui 08 curtinhas informação atualizada sobre o universo da criança 30 bichanos cuidado com o que você dá de comer para seu pet mochila tiragem de 10 mil exemplares auditada pela aspr auditores independentes www.aspr.com.br certificado a disposição dos interessados 43 planeta melhor aprenda a fazer um boneco com tampinhas ano 02 ­ nº 12 ­ dezembro 2010 46 diversão na rede dicas de sites pra família navegar unida na a revista na mochila é uma publicação bimestral com distribuição dirigida em parceria revista com escolas particulares da cidade de sorocaba diretoria executiva lucy de miguel cassiano ricardo cantero diretora comercial celda sanches 15 7835-8560 celda@editoravetor.com.br redação rafael tadashi e rose araújo editora de arte lilian flaitt fotos daniel auvray gui grimaldi efeito fotografia colaboração carina alves e vitor lobo tratamento de imagens daniella yamauti e lilian flaitt jornalista responsável lucy de miguel mtb 24.662 impressão ibep gráfica 56 minimercado novidades lançamentos livros dvds 60 Álbum de família fotos das crianças pra guardar de recordação 64 escolas relação dos colégios parceiros da revista na mochila vetor comunicação e editora rua braz laino 305 ­ jd emília 66 cecília você também vai se apaixonar por ela para anunciar comercial@editoravetor.com.br na mochila 7

[close]

p. 5

curtinhas texto rafael tadashi melhoria do desempenho escolar mães que melhoram suas habilidades de leitura podem contribuir para o sucesso acadêmico dos filhos segundo estudos realizados na universidade de michigan nos estados unidos após analisarem 2.350 crianças com idades entre 3 e 17 anos os pesquisadores concluíram que mães que leem e escrevem de modo claro e objetivo facilitam a assimilação de informações e aprendizado dos filhos aumentando as chances de sucesso dos pequenos no futuro de acordo com os estudiosos quanto mais cedo as crianças forem estimuladas de modo adequado maiores as possibilidades de serem bons estudantes quando chegarem à universidade de 1 a 2 anos como nessa fase os movimentos chamam mais a atenção dos bebês as histórias devem ser curtas e contadas com mímicas e movimentos fantoches e li8 na mochila o que ler para as crianças vros de pano e madeira com gravuras são boas opções de 2 a 3 anos enredo simples com poucos personagens e histórias contadas com variações de entonação na voz ajudam na compreensão incluir canções nas histórias também ajuda de 3 a 6 anos livros com gravuras que a criança deve visualizar enquanto os pais contam a história ajudam a nomear as coisas que circundam o universo dos pequenos contribuindo para o desenvolvimento cognitivo e de linguagem de 6 a 8 anos nessa fase a fantasia tem papel importante no desenvolvimento por isso histórias clássicas como branca de neve e os sete anões e joão e o pé de feijão são recomendadas peça à criança que leia e conte a história para você de 8 anos em diante enredos mais sofisticados como os das histórias de monteiro lobato narizinho e sítio do pica-pau amarelo e ziraldo menino maluquinho são recomendados bem como o clássico alice no país das maravilhas dreamstime

[close]

p. 6

curtinhas concepção artificial aumenta risco de autismo crianças concebidas a partir de métodos de inseminação artificial fertilização in vitro têm três vezes mais possibilidades de serem autistas se comparadas com bebês concebidos por meio de métodos tradicionais a afirmação é resultado de pesquisa desenvolvida por pesquisadores israelenses do centro médico assef harofeh no entanto a principal autora do estudo a médica ditza zachor diz que a descoberta tem como objetivo estimular que médicos e pesquisadores busquem maneiras de evitar o problema e não desencorajar pais com problemas de fertilidade já que a grande maioria 89,5 das crianças concebidas por inseminação artificial não apresentam autismo dreamstime crianças entendem ironias os adultos em geral subestimam a capacidade das crianças para atestar que os pequenos são muito mais perspicazes do que imaginamos pesquisadores da universidade de montreal no canadá entrevistaram pais e crianças e chegaram à conclusão de que mesmo os menores de 4 anos já compreendem linguagens não literais como a hipérbole exagero eufemismo expressões suaves que substituem outras mais grosseiras sarcasmo ironia mais ríspida e perguntas retóricas quem pergunta não espera respostas de acordo com os cientistas as crianças têm entendimento mais sofisticado do que pensamos e essa certeza pode ajudar os pais a adotarem linguagem mais adequada que contribua para o desenvolvimento dos filhos tanto na compreensão daquilo que lhes é dito quanto nas suas argumentações 10 na mochila canstockphoto

[close]

p. 7

curtinhas sono desregulado interfere no peso dormir pouco ou com muitas alternâncias de horários na infância pode ser um fator de risco para a obesidade na fase adulta foi o que constatou estudo realizado na universidade da califórnia a principal relação se dá pelo fato de crianças que dormem pouco ou não têm sono noturno regulado tiram sonecas durante o dia costumam ter também uma alimentação mais desregulada e menos saudável embora os cientistas tenham verificado aumento de peso em crianças com sono desregulado desde os 2 anos de idade até os 17 anos a faixa etária mais afetada é dos 6 aos 11 anos que pode triplicar as chances de desenvolver obesidade afetadas por noites mal dormidas asma piora com mães estressadas o estresse é involuntário resultado das muitas responsabilidades compromissos e cobranças mas quem tem filhos asmáticos precisará se controlar ainda mais para afastar esse problema pesquisa da universidade kyushu no japão detectou que o problema respiratório tende a se agravar em crianças quando as mães estão cronicamente estressadas ou reprimem suas emoções de modo aparente ou seja verbal ou fisicamente as mamães acabam transmitindo aos pequenos suas dificuldades emocionais como resposta inconsciente os filhos acabam tendo agravado o quadro de asma 12 na mochila imagens dreamstime

[close]

p. 8

12 dicas para que as crianças curtam o verão sem problemas de queimaduras lucy de miguel saúde cuidados com o sol você sabia que 80 do sol que tomamos nos primeiros 20 anos de vida é o que determina o estado de nossa pele na velhice É que na infância ficamos três vezes mais expostos ao sol e os danos cumulativos começam a se manifestar apenas após 4 ou 5 décadas de vida isso significa que se uma criança tiver proteção solar regular durante 20 anos é possível diminuir em 70 as chances de ter câncer de pele na velhice se você ainda não se convenceu de que é importante proteger seus filhos agora nós damos 12 dicas para que as crianças de hoje tenham uma pele bonita e saudável no futuro na escola antes de vestir o uniforme crie o hábito de passar o protetor solar nas áreas mais expostas como braços pernas e rosto 2 3 fique de olho no horário todos nós estamos carecas de saber mas sempre que chega o verão na praia ou na piscina nos esquecemos de que o horário das 10h às 16h é o mais prejudicial sob o sol se não der pra evitar pelo menos deixe as crianças brincando embaixo de guarda-sol ou em outros locais com sombra 14 na mochila 1 atenção nas escolas pesquisas apontam que 47 da exposição diária das crianças ao sol acontece evite queimaduras com bolhas especialistas comprovaram que a ocorrência de duas ou mais queimaduras

[close]

p. 9

que ocasionam bolhas na infância duplica o risco de ter melanoma ­ o câncer de pele mais grave novidades novo bloqueador da johnson´s possui filtros 100 físicos de origem natural que agem na camada externa da pele r 37,00 4 5 6 cinco minutos de sol para bebês crianças menores de 6 meses não podem usar protetor solar pois a pele ainda está em formação é fina e a absorção do produto seria maior o problema é que até esta idade o bebê não tem o sistema hepato-renal desenvolvido o que ocasionaria complicações para excretar os componentes químicos do produto por isso 5 minutos sob o sol da manhã antes das 10h ou de tardezinha após 16h são suficientes e importantíssimos para estimular a circulação sanguínea e a síntese da vitamina d passe o protetor 30 minutos antes embora alguns produtos apresentem a indicação de proteção imediata é mais prudente passar o protetor solar de 20 a 30 minutos antes da exposição a linha sundown kids foi reformulada e agora oferece 6 horas de resistência na água r 23,00 cuidado com áreas esquecidas o nívea sun baby fps 60 protege a pele delicada do bebê o é resistente à água r 33,32 na euforia de estar na praia ou na piscina algumas áreas do corpo são esquecidas no momento de passar o protetor solar por isso capriche a aplicação nos dorsos dos pés e das mãos nas orelhas e pescoço atrás dos joelhos e até mesmo no couro cabeludo.

[close]

p. 10

saúde 7 8 reforce a cada duas horas o protetor solar vai perdendo sua eficiência conforme aumenta a absorção pelo organismo por isso é importante reaplicar o produto a cada duas horas para aumentar a proteção do mar e na areia portanto garanta a proteção das crianças com chapéus ou bonés após enxugarse reaplique proteção aos raios uvb 50 75 93,3 96,7 98 98,6 fps 2 4 15 30 50 70 muitas mamães pensam que o protetor solar não sai na toalha ao enxugar a criança mas especialistas garantem que aquela enxugadinha básica retira 85 do produto portanto não economize na proteção Água nela enquanto brinca sob o sol a criança perde muita água pela transpiração por isso lembre-se de oferecer muita água para evitar problemas de desidratação de absorção uvb 11 mantenha a criança bem hidratada nossa fonte · dra silmara cestari dermatopediatra e professora adjunta da universidade federal de são paulo-escola paulista de medicina 9 atenção com o tempo dentro da água leia o rótulo do produto para entender quanto tempo de proteção há dentro da água produtos à prova d´água garantem até 80 minutos de proteção já os resistentes à água o fps se mantém ativo em até 40 minutos de imersão desde pequenos ouvimos que o mormaço queima mas é comum vermos na praia ou na piscina crianças e adultos que mais parecem um camarão após um dia de mormaço o tempo fechou mande ver protetor solar na família inteira e curta o dia 12 cuidado com o mormaço 10 não abra mão de bonés e chapéus a proteção física também é muito importante mesmo com o uso de protetor solar É que a luz do sol reflete na água da piscina filtro físico ou químico protetores solares a base de filtros físicos agem somente na camada externa da pele formando uma barreira física contra os raios solares na aplicação formam uma camada esbranquiçada que desaparece após alguns minutos ­ os raios uv refletem na pele e se dispersam estes produtos minimizam o risco de alergias já os protetores com filtros químicos são rapidamente absorvidos pela pele assim como os raios uv 16 na mochila fotos dreamstime

[close]

p. 11

em família amor e ódio por que alguns irmãos se amam e outros não se suportam entenda as razões e como ajudar seus filhos a terem um relacionamento fraterno rafael tadash 18 na mochila

[close]

p. 12

o relacionamento entre irmãos raramente é tranquilo há aqueles que se suportam outros que agem com indiferença aqueles que se provocam mas há também os que se abraçam se adoram não conseguem ficar separados para os pais é sempre uma incógnita compreender as razões para comportamentos tão distintos no entanto a qualidade do relacionamento entre irmãos é bastante influenciada pela maneira como os pais os tratam a atenção que dispensam a cada um e a forma como lidam com os conflitos que surgem dessa convivência que mistura sentimentos tão contrastantes como admiração e inveja relacionamentos humanos são sempre complexos pois abrangem diferentes pessoas diferentes sentimentos diferentes contextos ao tratar-se de irmãos a situação se mostra ainda mais delicada já que o laço afetivo é construído das características individuais e do contexto familiar onde esses laços são criados no entanto os pais são os maiores responsáveis para que o relacionamento entre os filhos seja harmonioso e as atitudes e os cuidados oferecidos a esses filhos são de extrema importância explica a psicóloga lucimeire de oliveira tomé 4 dicas para melhorar 1 respeite a individualidade de cada filho e 2 3 4 o relacionamento entre os filhos jamais compare as qualidades e defeitos de cada um estimule e participe de jogos e brincadeiras em que os filhos têm que trabalhar em conjunto para alcançar resultados como as crianças se espelham nos pais nunca tenha atitudes contrárias às orientações que dá aos filhos se os filhos estiverem brigando ou discutindo interfira questione a razão do desentendimento sempre escutando os dois lados e repreenda-os de modo lógico e conciliador sem comparações embora a enorme maioria dos pais ressalte que gosta de todos os filhos da mesma forma e em igual proporção já ouvi em conversas informais e claro longe dos filhos pais deixarem escapar a predileção por um ou outro rebento pode parecer algo absurdo para alguns mas empatia mesmo pelos filhos é um sentimento espontâneo inconsciente não tem como controlar o que não pode ocorrer é deixar transparecer esse sentimento em ações e no modo como os filhos são tratados e nesses casos a comparação é a prova maior da diferenciação as comparações feitas por pais e familiares são as maiores responsáveis pela existência de relacionamentos conflituosos e rivalidades entre irmãos É fundamental que as pessoas possam compreender que cada ser humano é um ser único com capacidades e dificuldades que deverão ser acolhidas valorizadas e respeitadas afirma lucimeire o psicólogo oliver zancul prado fundador do instituto de psicologia comportamental corrobora a não comparação e destaca que as ações dos pais na mochila 19

[close]

p. 13

em família servem de espelho para os filhos os pais devem evitar as comparações entre irmãos e precisam adotar regras e critérios que sejam os mesmos para todos os irmãos É importante ter diálogo e explicitar os direitos e deveres que todos têm como filhos e como irmãos o comportamento dos pais também deve servir de exemplo estes procedimentos não terão efeito desejado caso não exista correspondência entre o dizer e o fazer dos pais que existem entre as pessoas dentro de um contexto familiar não possibilitem diferenças no tratamento oferecido É fundamental que utilizem de maturidade e sabedoria na educação dos filhos de forma que não existam privilégios e preferências pois se isso ocorrer certamente estará sendo estimulada a rivalidade entre os irmãos afirma lucimeire idades diferentes desentendimentos entre filhos com muita diferença de idade também são comuns motivados muitas vezes por ciúme e imaturidade em geral o ciúme que quase sempre parte do mais velho nasce do fato de os pais darem mais atenção ao filho mais novo e a imaturidade atitude dos mais novos deriva da superproteção cabe aos pais dialogarem com os filhos e exigir comportamentos compatíveis com suas idades bem como tratá-los de maneira igual partilhando as atenções e os carinhos É imprescindível que os pais propiciem aos filhos momentos de afeto e diálogo em família em que carinhos e elogios estejam sempre presentes dando a oportunidade de que cada filho desenvolva uma auto-estima positiva certificando a cada um a importância do seu papel e função dentro do contexto familiar salienta a psicóloga fotos dreamstime paz e amor se a comparação entre os filhos deve ser extinta do comportamento dos pais existem outras tantas que eles devem adotar para estimular o bom entendimento e a amizade nossas de um irmão para com o outro como por fontes exemplo agir com espontaneidade na hora · oliver zancul prado é psicólogo de elogiar e de criticar não pode parecer que conselheiro do um filho recebeu palavras carinhosas apenas conselho regional porque outro as teve antes observar as aptide psicologia de dões e dificuldades de cada filho para ajudar são paulo crpa desenvolvê-las ou superá-las de modo indisp e membro vidualizado e nunca dar privilégios a um em do instituto de psicologia detrimento do outro comportamental os pais devem agir sempre com naturali· lucimeire dade e espontaneidade em relação aos filhos prestes de devem estar atentos para que as afinidades oliveira tomé é psicóloga com formação em avaliação neuropsicológica de crianças e adolescentes especialista em psicologia escolar e educacional e terapeuta sistêmica de casais e famílias 20 na mochila

[close]

p. 14

comportamento embora entretenham videogames podem aumentar riscos de obesidade agressividade e déficit de atenção rafael tadashi mais danos que benefícios há tempos os videogames não são apenas entretenimento para crianças conquistando cada vez mais adeptos entre adultos e até idosos no entanto além de ainda serem os maiores consumidores os pequenos são os mais afetados emocionalmente socialmente 22 na mochila e fisicamente pelo brinquedo entre os aspectos positivos está o fato de ser uma diversão um entretenimento o problema é que a criança não fica pouco tempo jogando videogame a atividade motora é extremamente baixa em comparação com esportes danças e

[close]

p. 15

outros jogos o sono fica prejudicado podem surgir distúrbios de atenção e de hiperatividade e as capacidades de socialização ficam comprometidas descreve a psicóloga heliane ribeiro de faria risco de obesidade empinar pipa pular corda subir em árvores brincar de pega-pega basta ler essas ações e parece que já perdemos um pouco o fôlego sem contar a nostalgia de quando as brincadeiras de crianças movimentavam todos os músculos e sujavam as roupas a violência é razão mais do que suficiente para impedir que os filhos usufruam essas atividades mas o videogame definitivamente não é uma opção saudável de lazer estudo publicado em 2004 pelos pesquisadores vanderwater shim e caplovitz mostra que existe uma relação direta entre o tempo gasto com jogos eletrônicos e o peso corporal de acordo com os cientistas que analisaram quase 3 mil crianças reduzir o tempo de uso de videogames e televisão pode ajudar a prevenir a obesidade infantil pidez a reação de quem joga é quase automática e o pensamento consciente sobre o que se está fazendo é lento assim os jogos em si já representam uma situação de hiperatividade em ações extremamente especializadas e repetitivas como as imagens dos jogos são muito rápidas produzem uma falta de concentração ligada à contemplação e aos pensamentos calmos isto é uma deseducação da concentração como uma criança ou adolescente vai tolerar ficar quieto em uma carteira escolar se estão viciados em agir freneticamente nos jogos eletrônicos de ação questiona heliane agressividade e socialização o videogame não condiciona só pela imagem mas também pela ação se a ação é atirar bater matar acaba induzindo à ação de agressão de acordo com a psicóloga o aumento da agressividade a curto médio e longo prazo devido ao uso de videogames violentos já foi comprovado em laboratórios e na vida real podendo manifestar-se em vários graus desde a agressão verbal até a agressão física a partir do momento em que os computado sono aprendizado e memória outro problema relacionado ao uso contínuo de videogames segundo a psicóloga é a dificuldade de conseguir dormir ou a perda da qualidade do sono a tela da tevê e a necessária atenção e atividade motora para jogar geram um estado semi-hipnótico que produz efeitos perniciosos passíveis de serem constatados no cérebro em 2007 o pesquisador m dworak desenvolveu uma pesquisa sobre os efeitos de assistir tevê e jogar videogames no sono de crianças os resultados sugerem que a exposição à tevê e a jogos eletrônicos afetam o sono de crianças e deterioram o desempenho cognitivo verbal ou seja têm influência negativa sobre o sono o aprendizado e a memória déficit de atenção e rendimento escolar os jogos de ação são apontados por especialistas como os que mais podem afetar negativamente as crianças isso porque as cenas de ação e violência se sucedem com extrema ra-

[close]

Comments

no comments yet