Revista Benchmarking 2013 - Edição 9

 

Embed or link this publication

Description

Conteúdos Avançados em Gestão da Sustentabilidade e cobertura do 11o Bench Day

Popular Pages


p. 1

Edição 9 - janeiro a dezembro de 2013 R e v i s t a BENCHMARKING Aprendendo com os detentores das melhores práticas 11º Benchmarking Brasil Selo de Sustentabilidade que certifica as melhores práticas socioambientais das organizações brasileiras. Nesta edição foram certificados 30 cases de 28 empresas Legítimos da Sustentabilidade Mais de 140 especialistas de 18 diferentes países já participaram da comissão técnica e avaliaram as práticas sem ter acesso ao nome da organização 6a FIBoPS Um evento plural e agregador que reuniu a massa crítica da sustentabilidade com novos e diferentes públicos. Paginas Verdes Walter Fust, um visionário que trabalha a proteção da biodiversidade mundial criando e mantendo bancos de sementes em vários países.

[close]

p. 2

Benchmarking Brasil Selo de Sustentabilidade 2014 Inspira Empresas e Pessoas na busca contínua das Melhores Práticas Socioambientais Legítimos da Sustentabilidade www.benchmarkingbrasil.com.br Ranking Benchmarking 2014 Os Melhores da Gestão Socioambiental Brasileira Inscrição de Cases - Janeiro a Março de 2014 Bench Day - 04 de Junho de 2014, São Paulo/SP

[close]

p. 3

Editorial 2013 foi um ano de conquistas e solidificação para o Programa Benchmarking Brasil que foi o grande vencedor na Categoria Humanidades do Prêmio von Martius de Sustentabilidade da Câmara Brasil Alemanha. Concorreu com 38 projetos de grandes instituições e conquistou o 1o lugar. Realizou a 11a edição com apoios e adesões importantes. Contou com o apoio institucional do IAPMEI, Agência para a Competitividade e Inovação do Ministério de Inovação de Portugal e do TRF (Tribunal Regional Federal) da 3a região, além do apoio de divulgação de importantes mídias especializadas, do Brasil e Portugal. Nos dias 31 de Julho e 01 de agosto o Programa Benchmarking Brasil apresentou os Legítimos da Sustentabilidade do País em 04 modalidades. Benchmarking Brasil com 30 práticas certificadas, pertencentes a 28 organizações localizadas em 11 diferentes estados da federação. Pela primeira vez o Ranking teve práticas certificadas em todas as categorias gerenciais (10) do regulamento. Benchmarking Jr foi um sucesso. Chamou a atenção pela qualidade técnica dos 11projetos selecionados dos alunos de 03 escolas técnicas de São Paulo. Um futuro promissor e otimista para as inovações verdes apresentadas por estes alunos. Benchmarking das Artes reconheceu obras de 07 artistas plásticos que trabalham a sustentabilidade como forma de expressão. Estas obras ficaram expostas nos 2 dias do evento, dando requinte e beleza ao espaço. Benchmarking Pessoas homenageou os pioneiros da sustentabilidade, pessoas com trajetórias brilhantes que nos motivam com seus atos e exemplos de vida. Tudo isto fez do Benchmarking Brasil, uma iniciativa inspiradora. A qualidade das práticas e projetos certificados foram o ponto alto da edição, conferindo ao programa uma diferenciada imersão em sustentabilidade aplicada. Bench Day 2013 registrou o amadurecimento da gestão socioambiental brasileira em sua melhor forma. Os encontros técnicos 2013 estiveram sempre lotados. Atribuímos esta adesão ao formato do evento que trabalha temas apontados em enquete e sempre com especialistas consagrados e casos práticos (cases Benchmarkiing). Em 2013, foram 05 encontros técnicos, 20 expositores e aproximadamente 500 profissionais participantes. A FIBoPS Intercâmbio realizada nos dias 20, 21 e 22 de agosto contou com programação especial para falar de sustentabilidade com novos públicos. A 6a FIBoPS sediou o IV Congresso de Boas Práticas Socioambientais, o 2o Encontro Nacional dos Profissionais de Sustentabilidade (ABRAPS) e o 3o Cultura de Sustentabilidade com programações simultâneas e alternativas para falar de sustentabilidade com novos públicos, em especial o publico jovem. Os encontros técnicos e FIBoPS Intercâmbio tiveram apoio do Curso de Relações Públicas da Escola de Comunicação da Universidade Anhembi Morumbi de São Paulo. O Canal I+ foi outro grande sucesso. Lançado no final de 2012, cumpriu uma intensa agenda de gravações em 2013 e veiculou excelentes programas de sustentabilidade na Web TV. Foram produzidos e veiculados 43 programas, além do especial de Meio Ambiente com 2 horas de duração. E para encerrar com chave de ouro, a 9a edição da Revista Benchmarking com matérias exclusivas e especiais. Depoimentos de personalidades, artigos técnicos da maior qualidade, e entrevista especial com Walter Fust, um executivo visionário a frente de inúmeras iniciativas socioambientais na Europa e Africa. Entre elas: Globethics,net (rede mundial de ética), Global Crop Diversity Trust que mantém bancos de sementes em vários países para assegurar a conservação e disponibilidade da biodiversidade mundial e a segurança alimentar futura, além de ser membro do Comitê de Especialistas das Nações Unidas sobre Administração Pública. Haja folego para implementarmos tudo isto. Mas valeu a pena. 2013 foi um ano de conquistas e resultados. Boa Leitura. Marilena Lino de Almeida Lavorato Idealizadora do Programa Benchmarking Brasil e Editora da Revista Benchmarking Expediente Revista Benchmarking – Aprendendo com os detentores das melhores praticas - Conselho Editorial: Marilena Lino de Almeida Lavorato (Programa Benchmarking Brasil) e Alberto Augusto Perazzo (FIDES - Fundação Instituto de Desenvolvimento Empresarial e Social) - Jornalista Responsável: Gabriela André - Colaboradores desta edição em artigos técnicos: Germano Julio Badi, Maria Cecília Arruda Coutinho e Silvia Louzã NaccacheFotos da capa: Beatriz Arruda - Fotos das matérias: Gustavo Prado e outros - Projeto Gráfico: One Star .com - Gestor Web: Renata Senna. Produção Executiva: Mais Projetos - Versões Eletrônica e Impressa- Contatos: imprensa@institutomais.org A Revista Benchmarking não se responsabiliza pelos conceitos e opiniões emitidos em artigos e frases assinadas, sendo de responsabilidade exclusiva de seus autores. A reprodução, no todo ou em parte, de suas matérias só é permitida desde que citada a fonte e autor.

[close]

p. 4

SUMÁRIO R e v i s t a BENCHMARKING Aprendendo com os detentores das melhores práticas Páginas Verdes Entrevista exclusiva com Walter Fust, Presidente da Globethics.net e do Global Crop Diversity Trust 5 Ranking Benchmarking Os legítimos da sustentabilidade 2013 em práticas, projetos, trajetórias e inovações. 12 Benchmarking Brasil Inspira Benchmarking em números - Gráficos, Trajetória, Resultados e Conquistas 18 8 25 Galeria Vozes da Sustentabilidade Visão e pensamento de nossas principais lideranças 6ª FIBoPS Feira e congresso para o intercâmbio de produtos e práticas sustentáveis totalmente reformulado para falar com novos públicos, em especial com o público jovem 28 Artigos Técnicos 03 artigos exclusivos de pesquisadores e executivos sobre temas atuais e diferenciados: Governança e Ética, Voluntariado Corporativo e Jovens Executivos 31 Acontecendo Eventos e ações que formam massa crítica em sustentabilidade realizados e/ou com a participação do Instituto MAIS em 2013 39 Agende-se Conheça os principais eventos de sustentabilidade que preparamos para 2014 43 Edição 9 – Janeiro a Dezembro de 2013

[close]

p. 5

Walter Fust Por Marilena Lavorato Ser um CEO ou um Administrador são excelentes escolhas. Digo a estes futuros executivos que aceitem desafios e antecipem o futuro. Walter Fust é um visionário com trajetória brilhante em várias iniciativas globais de fomento a ética, inovação, responsabilidade social e meio ambiente. Foi CEO e Diretor Geral do Fórum Humanitário Global em Genebra até 2010 e atualmente lidera várias ações globais. É presidente da Globethics.net (detentora da maior biblioteca eletrônica sobre Ética no mundo) com sede em Genebra (Suíça), da Fundação Inovação para África em Zurique (Suiça), e do Global Crop Diversity Trust que tem por objetivo assegurar a conservação e disponibilidade da biodiversidade de sementes para a segurança alimentar futura do mundo, em Bonn (Alemanha). É membro do Conselho da Biblioteca de Alexandria (durante muitos séculos esta biblioteca abrigou o maior patrimônio cultural e científico de toda a Antiguidade) no Egito, da CATIE (Universidade Latino-Americano de Agricultura Tropical e Florestas) na Costa Rica, e da Coalizão para um diálogo sobre África (CoDA) em Addis (Etiópia), além de diversas outras Fundações na Suíça. É também membro da Comissão de Banda Larga da UIT / UNESCO e do Comitê de Especialistas das Nações Unidas sobre Administração Pública. Seu currículo é extenso e ele atua ainda em outras iniciativas locais de desenvolvimento humano e proteção ambiental. Nesta entrevista, Walter Fust fala especialmente de ética, economia e sustentabilidade. Uma cristalina e legítima fonte de conhecimento e sabedoria para o leitor interessado em desenvolvimento sustentável e justiça social. Em sua opinião, o modelo econômico mundial é sustentável? Quais os principais riscos? Não, não é. Precisamos de uma economia globalizada, de um sistema multilateral de comércio mais justo e também de um sistema financeiro governado por regras e regulamentos claros. Existe também a necessidade de uma decisão internacionalmente reconhecida sobre impostos e proteção dos investimentos. O acesso e a extração de matérias primas devem responder mais às condições locais e contribuir adequadamente ao desenvolvimento local e nacional. O “Gap” (distância)da pobreza entre ricos e pobres não deve aumentar, mas sim diminuir. A segurança pública deve permanecer como um bem público e não tornar-se um produto unicamente acessível aos ricos. Precisamos de sociedades abertas e inclusivas e não de comunidades fechadas. A educação precisa de mais investimentos. As crises financeiras que assolam países desenvolvidos e/ou em desenvolvimento intensificaram nos últimos anos. Tal fato ocorreu por falta de qualidade gerencial, tecnológica ou conduta ética? Existe uma mistura de causas articuladas de forma diferente nos países industrializados: falta de boa governança, má administração financeira, ganância dos investidores e acionistas assim como dos gerentes, maximização de lucros, parco re-investimento de resultados, ausência de valores mínimos e preocupações cívicas, comportamento antiético, pensamento de curto prazo e uso irracional dos recursos naturais, só para mencionar algumas. Não me lembro em minha vida de ter visto um estado de governança tão pobre em tantos governos assim como em instituições e setor privado tão frequentemente elogiado por sua eficiência Precisamos de sociedades abertas e não de comunidades fechadas. A Educação precisa de mais investimentos. Páginas Verdes 5 Walter Fust - Presidente Globethics.net e Global Crop Diversity Trust.

[close]

p. 6

A recente crise na Europa deixa algum legado ético? Com que intensidade e constância, as empresas europeias estão incorporando a reflexão ética em suas estratégias e ações práticas neste momento? Deixa mais uma causa antiética do que um legado ético. Entretanto não creio que os gerentes e políticos tenham aprendido a lição. Muitas empresas estavam cedendo ao pensamento de curto prazo e os gestores faziam o contrário para aumentar o capital estrutural e a substancia do conhecimento. O capital, em muitas empresas, não tem mais uma face humana. Uma boa governança corporativa e a responsabilidade social corporativa não são em muitas empresas, uma prioridade visível ainda. O deposito de sementes Svalbard Global Seed em Spitzbergen (Costa da Noruega) serve como a última rede de proteção para nosso sistema de produção de alimentos. 750.000 espécies estão depositas lá. Muitas mais virão. Nas ultimas décadas se desenhou uma nova configuração econômica global com a entrada dos países emergentes na economia mundial. Qual a relevância deste fato para as questões éticas, ambientais e sociais? Isto é sem dúvida um bom desenvolvimento do ponto de vista econômico e geopolítico. O mundo está mais seguro com um sistema multipolar do que dependendo unicamente de dois superpoderes. É bom também para alavancar o comércio e as trocas mundiais e para uma melhor cooperação global. Agora, o sistema da ONU (Organização das Nações Unidas) precisa ser reformado. O G20 (Grupo dos 20 formado pelos ministros de finanças e chefes dos bancos centrais das 19 maiores economias do mundo mais a União Europeia) determinando o que outros 170 países devem fazer não é nada democrático e nem participativo. Portanto a legitimidade do auto composto G20 deve ser questionada para que a legitimidade em discutir problemas globais seja maior e mais democrática. Os países que compõem o BRIC tem uma oportunidade incrível de ter melhor desempenho do que os países industrializados, especialmente nas questões ambientais e sociais. Espera-se que se voltem também para a ética e os valores. Penso que necessitamos de uma nova ética mundial como o proposto por um grupo de experts da ONU liderado pelo Dr. Hans Kung ( professor suíço de teologia dogmática e ecumênica que escreve sobre Ética Global). Na minha opinião a educação é o investimento com maior retorno, não em termos monetários mas sim em valores econômicos e sociais. Temos falhado em dar um valor monetário para estes retornos. A eficiência medida em ternos de entradas/saídas não é suficiente. Páginas Verdes 6 Walter Fust - Presidente Globethics.net e Global Crop Diversity Trust.

[close]

p. 7

A escassez dos recursos naturais está obrigando empresas e consumidores a mudar hábitos e investir em desenvolvimento de novas tecnologias. Até que ponto este fato influenciará a evolução humana em todos os seus aspectos? Os recursos em geral se tornarão escassos, e deverão ser melhor administrados (mais eficiência e menos desperdício). Estamos todos no mesmo barco. Temos que reduzir o consumo dos recursos naturais finitos e aumentar o consumo dos recursos naturais renováveis. Acredito que a consciência dos consumidores aumentará de forma a determinar comportamentos mais sustentáveis. Devemos pensar em novos modelos de vida: redução do consumo de recursos, diminuição do custo de mobilidade, esverdeamento da economia, garantia de serviços sociais, melhor uso do conhecimento em saúde e inovar em novas tecnologias e materiais, etc. Devemos pensar nas próximas gerações e não somente no dia de hoje. Precisamos de durabilidade e perspectivas sólidas. O mundo corporativo tem um discurso afinado para a sustentabilidade, mas na prática, estão realmente fazendo o que falam? Qual a nota que daria para as organizações mundiais neste quesito? Algumas sim, outras não. O objetivo primordial é evidentemente obter lucro para sua sobrevivência, porém os métodos e abordagens para consegui-lo são o que importa.Para isso necessitamos de acionistas responsáveis e gestores menos gananciosos. Qualquer empresa somente será bem sucedida com pessoal qualificado, portanto o cuidado com recursos humanos é de importância capital. Precisamos de mais preocupações manifestadas e da administração também “de baixo para cima” nas organizações. O objetivo primordial é evidentemente obter lucro para sua sobrevivência, porém os métodos e abordagens para consegui‐lo são o que importa. Para isso necessitamos de acionistas responsáveis e gestores menos gananciosos Sabemos que as grandes transformações dependem do envolvimento coletivo, ou seja, o humano move o mundo. Então porque investimentos em educação nunca são os maiores, nem prioridade nos modelos de governança de países e empresas? Penso que não temos um número suficiente de empreendedores que pensem além das necessidades de suas empresas. Precisamos de mais liderança em investimentos e não somente altos retornos. Na minha opinião a educação é o investimento com maior retorno, não em termos monetários mas sim em valores econômicos e sociais. Temos falhado em dar um valor monetário para estes retornos. A eficiência medida em ternos de entradas/saídas não é suficiente. Precisamos investir em educação e aplicar mapeamento de Benchmarking Brasil, isto é muito bom. Parabéns. Eu espero que vocês continuem a dar exemplo para os outros. resultados, descrevendo e validando os impactos diretos e indiretos no tempo e suas contribuições ao desenvolvimento da economia e do setor social. Páginas Verdes 7 Walter Fust - Presidente Globethics.net e Global Crop Diversity Trust.

[close]

p. 8

No Brasil temos uma iniciativa chamada “Benchmarking Brasil” que faz benchmarking das melhores práticas de sustentabilidade há 11 anos. Considera esta prática proativa e contributiva com o desenvolvimento ético das organizações? Tem conhecimento de iniciativas similares em outros países? Benchmarking Brasil, isto é muito bom. Parabéns. Eu espero que vocês continuem a dar o exemplo para os outros. Espero que os cidadãos de seu País demonstrem apreciação por estas abordagens. Existem iniciativas similares em outros lugares: a introdução do produto nacional de felicidade pelo Butão, ou as particularidades de algumas organizações derivadas de empresas na Índia ou ainda as iniciativas híbridas de ONGs/empresas em Bangladesh. Como vê a ética e a responsabilidade social no mundo? Há diferenças de conduta e intensidade entre países? Se tivesse que classificar os continentes, como seria esta classificação? E Brasil como está em relação a estas questões? Gloebethics.net publicou recentemente um estudo global sobre o ensino, aprendizado e pesquisa com foco em ética nos negócios e liderança. Esta primeira pesquisa mostrou grandes diferenças entre os países em que a ética faz parte dos currículos escolares e os países que não adotam esta prática. Fiquei positivamente impressionado com os resultados da Índia. Também é interessante notar que o Global Compact da ONU (iniciativa da ONU para motivar empresas na adoção de políticas de responsabilidade social corporativa e sustentabilidade) está progredindo e que o conceito de responsabilidade social corporativa é cada vez mais adotado. Porém os relatórios feitos pelas empresas ainda são fracos. Para fazer um Ranking precisaríamos de mais informações que revelem a intensidade e qualidade dos esforços sendo desenvolvidos. Acredito que o Brasil está no bom caminho. Quais as principais experiências da Globethics, a rede mundial de ética aplicada que tem a participação de representantes de mais de 200 países e a maior biblioteca eletrônica disponível sobre este tema? Quando e Porque surgiu e qual seu propósito principal? Globethics foi criada em 2005 como uma associação suíça e transformada em 2008 numa fundação internacional registrada na Suíça. A idéia básica era de dar acesso gratuito à informação e conhecimento para os estudantes, professores e pessoas interessadas nos países em desenvolvimento, pois na maioria dos casos não tem cartões de crédito para pagar o download ou comprar livros. Por este motivo estabelecemos uma biblioteca eletrônica e negociamos com numerosos editores o pagamento pelo uso de seus jornais. Para evitar o mau uso, pedimos aos usuários de nossa biblioteca, de mais de 1,1 milhão de títulos, textos e livros, que se inscrevam. Criamos diversos espaços virtuais para grupos de trabalho sobre varios temas e continuamos, através de sistemas de coleta, acessando qualquer publicação que deva ser adicionada à biblioteca. Desenvolvemos também uma série de publicações sobre ética. Além disso, oferecemos compilações e hospedamos outras bibliotecas de forma gratuita. O uso da biblioteca da Globethics está crescendo continuamente e hoje estamos com mais de 80.000 usuários de 200 países/regiões. A pesquisa sobre tópicos específicos tem a maior demanda. Páginas Verdes 8 Walter Fust - Presidente Globethics.net e Global Crop Diversity Trust.

[close]

p. 9

Fale sobre o trabalho da Crop Diversity Trust e os bancos de sementes que mantém em vários países para proteção da biodiversidade mundial e segurança alimentar futura . O Global Crop DiversityTrust foi estabelecido há alguns anos para resgatar e proteger a diversidade da colheita global, evitar a perda da biodiversidade e também para atuar como um instrumento do International Treatyon Plant Genetic Resources (Tratado Internacional sobre os Recursos Fitogenéticos para a Alimentação e a Agricultura) da FAO (Food and Agriculture Organization of United Nations). A atividade mais urgente e complexa do CropTrust's nos últimos 5 anos tem sido regenerar as safras em risco e duplicar seu acesso aos bancos genéticos internacionais. Em parceria com 86 instituições em 78 países em desenvolvimento e transição tivemos bons resultados, principalmente com o trabalho de emergência na regeneração. Praticamente 80.000 amostras ameaçadas de 246 coleções foram plantadas e colhidas para produzir material fresco (Vide www.croptrust.org). O deposito de sementes Svalbard Global Seed em Spitzbergen (Costa da Noruega) serve como última rede de proteção para nosso sistema de produção de alimentos, e também como marca dos esforços do mundo para preservar a diversidade das colheitas. 750.000 espécies estão depositas lá. Muitas mais virão. O capital, em muitas empresas, não tem mais uma face humana. Uma boa governança corporativa e a responsabilidade social não são em muitas empresas uma prioridade visível ainda. Há espaço para empreendedorismo social em países emergentes como o Brasil? Claro que sim. Eles existem e eu espero que apareçam muitos outros e que encontrarão boas soluções para atuar como empreendedores nos setores sociais relevantes. Com as novas mídias (redes sociais), os esforços de marketing e comunicação estão se tornando interativos e muitos consumidores tomam conhecimento imediato sobre tudo o que acontece nas empresas , como se comportam e qual o seu desempenho social Os CEOs(ChiefExecutive Officer) estão sensíveis as questões da ética aplicada nas organizações? Dá para ser ético e ao mesmo tempo também competitivo no modelo econômico atual? Acredito firmemente que uma empresa e seus administradores podem ser competitivos e éticos simultaneamente. Os consumidores e clientes reconhecerão suas boas práticas de negócios. Eu penso que devemos desafiar os acionistas e seus conselhos de administração para que cobrem da administração, a adoção de práticas norteadas por valores. Isto pode até tornar-se um ativo em seu marketing de produtos porque a vantagem deste tipo de política ainda não foi detectada por um número suficiente de empresas. O Mercado está preparado para identificar e valorizar as empresas que adotam boas práticas, transparência e ética em seus negócios? Porque? Penso que os mercados tem se tornado cada vez mais desempenho social. As empresas estarão receptivo a boas práticas. Com as novas mídias (redes substancialmente mais expostas à observadores nas sociais), os esforços de marketing e comunicação estão mídias sociais, imprensa escrita, e televisão. A mídia de se tornando interativos e muitos consumidores tomam massa convencional freqüentemente amplia o que sai conhecimento imediato sobre tudo o que acontece nas nestas novas mídias. empresas , como se comportam e qual o seu Páginas Verdes 9 Walter Fust - Presidente Globethics.net e Global Crop Diversity Trust.

[close]

p. 10

Em sua opinião, vamos ver significativas transformações sociais que fortalecem os valores éticos nos modelos de governança corporativa dos próximos anos? Quanto tempo levará esta transformação? Precisamos de uma melhor governança tanto nas instituições públicas quanto no setor privado. Este último inclui as ONGs, a academia e até as mídias. Uma melhor governança se tornará uma questão de competitividade. Alguns anos atrás, a Comissão Sul Africana King publicou um relatório notável sobre governança corporativa. É o melhor que eu já ví até agora. Sua leitura deveria ser obrigatória para qualquer empreendedor. Penso que a maximização de lucros e a ganância de administradores não são uma solução viável para o futuro. Com as novas mídias (redes sociais), os esforços de marketing e comunicação estão se tornando interativos e muitos consumidores tomam conhecimento imediato sobre tudo o que acontece nas empresas , como se comportam e qual o seu desempenho social. O que o motiva a atuar em tantas iniciativas globais? Como tem sido seu aprendizado e experiência ao longo destes anos? A curiosidade é o que nos mantém jovens. É fascinante aprender, escutar, observar e trocar conhecimento, recurso que cresce quanto mais se usa, e, agir para a mudança e transformação social, principalmente onde as pessoas sabem para onde querem ir. Os vários campos foram escolhidos por minha afinidade com assuntos e refletem de alguma forma, minha prévia vida profissional. É maravilhoso inovar e mobilizar. Dar é mais compensador do que tomar. Meu pai me disse que minha vida é meu empreendimento. Não existe recompensa vitalícia sem aprendizado vitalício. É maravilhoso inovar e mobilizar. Dar é mais compensador do que tomar.Meu pai me disse que minha vida é meu empreendimento. Não existe recompensa vitalícia sem aprendizado vitalício. Como define sustentabilidade, um conceito ainda em construção para a grande maioria das pessoas? A sustentabilidade tornou-se infelizmente uma palavra largamente mal usada. Entretanto, significa que a solução deve perdurar no tempo, e trazer bons resultados. Quer dizer também em outras palavras, que não devemos usar recursos além de sua capacidade de renovação. Aqui dizemos que você deve viver com os juros do capital e não usando o capital que deveríamos ser capazes de transferir à nossos filhos. Não deveríamos viver além de nossa capacidade. Qual a mensagem que deixa para os futuros CEOs ou Gestores que estão começando suas carreiras? Ser um CEO ou um Administrador são excelentes escolhas. Digo a estes futuros executivos que aceitem desafios e antecipem o futuro. Que sejam líderes da mudança. Que Invistam e conquistem competências interculturais e sociais, e, tornem-se bons comunicadores. Administrem por objetivos, mas não esqueçam que o staff é tão importante quanto o capital. Sejam inovadores e acreditem no que fazem. Um bom líder é um bom ouvinte. Prestem atenção em tudo e mantenham o bom equilíbrio entre trabalho e vida. A sustentabilidade tornou‐se infelizmente uma palavra largamente mal usada. Entretanto, significa que a solução deve perdurar no tempo, e trazer bons resultados. Quer dizer que não devemos usar recursos além de sua capacidade de renovação. Páginas Verdes 10 Walter Fust - Presidente Globethics.net e Global Crop Diversity Trust.

[close]

p. 11

Sustentabilidade 2014 Posicione se junto a massa crítica da Sustentabilidade 12º Benchmarking Brasil Ranking dos Detentores das Melhores Práticas de Sustentabilidade Respeitado selo de sustentabilidade que em 11 edições certificou 162 instituições e 279 práticas. Comissão técnica composta por especialistas de vários países que avaliam as práticas sem ter acesso ao nome da Organização. Inscrições de Janeiro a Março de 2014. Mais Informações: www.benchmarkingbrasil.com.br III Cultura de Sustentabilidade A Conexão da Arte com a Sustentabilidade Cultura de Sustentabilidade faz a conexão da arte com os principais fundamentos da sustentabilidade em um espaço de entretenimento, aprendizado, história e interação. A arte como linguagem mobilizadora para aproximar o grande público dos principais desafios socioambientais do nosso tempo. Informações: www.culturadesustentabilidade.com 4ª Feira das 14h30 às 15h O Programa que fala fácil sobre os mais complexos temas da sustentabilidade SUSTENTABILIDADE NA WEB TV

[close]

p. 12

BENCHMARKING BRASIL Inspira EMPRESAS E PESSOAS NA BUSCA DAS MELHORES PRÁTICAS DE SUSTENTABILIDADE BENCH DAY 2013 EM GRANDE ESTILO O Programa Benchmarking Brasil ultrapassou uma década de difusão e incentivo a adoção das boas práticas nas organizações brasileiras. Neste período construiu e detém o maior banco de práticas de sustentabilidade de livre acesso do País. São 279 práticas certificadas pela metodologia Benchmarking Brasil que foi desenvolvida especialmente para isto. Em 2003, o Programa Benchmarking Brasil realizou uma pesquisa com aproximadamente 300 organizações e a partir dos indicadores apontados, desenvolveu uma metodologia sob medida para as organizações que tinham políticas e ações que seguiam os princípios e diretrizes da sustentabilidade. A metodologia tem características diferenciadas com alguns pontos fundamentais para sua credibilidade e transparência. A comissão técnica é multidisciplinar e sempre com mínimo de 1/3 de seus integrantes residindo fora do país para assegurar visão global no processo. Os quesitos avaliados contemplam o relato do “modus operandi” da prática de forma a permitir sua avaliação gerencial e uma vez aprovada, incentivar a sua replicabilidade por outras organizações. Benchmarking é uma ferramenta de gestão que prevê o aperfeiçoamento contínuo por meio da seleção e comparação das melhores práticas que tornam-se referências e exemplos a seguir, pela excelência de sua qualidade gerencial. Foram 02 dias em que a massa critica da sustentabilidade apresentou suas melhores práticas, e o Brasil conheceu os legítimos da sustentabilidade. Nos dias 31/07 e 01/08 foi realizado a 11a Edição do Programa Benchmarking Brasil no Auditório e Foyer do TRF (Tribunal Federal Regional) da 3a Região - Av. Paulista, 1842 - 25o andar, em São Paulo/SP. Foi preparado uma programação especial para receber os melhores da gestão socioambiental brasileira. Nestes 02 dias, foram apresentados 30 práticas certificadas de 28 instituições brasileiras, 11 projetos de inovação verde de alunos de escolas técnicas, e 07 objetos de arte confeccionados por artistas e artesãos que trabalham com técnicas sustentáveis. Também foram homenageados 02 personalidades pelo ativismo socioambiental. Benchmarking Brasil é um evento fechado para instituições participantes e convidados especiais. BenchDay 2013 recebeu mais de 300 pessoas vindas de varias regiões do país, que tiveram contato direto com conteúdos, práticas, projetos e arte pró-sustentabilidade. Público atento nas apresentações Benchmarking 2013 BENCHMARKING Os legítimos da sustentabilidade em 2013 12

[close]

p. 13

Bench Day - Casa cheia e programação especial No Foyer foram expostas 07 obras de arte: selecionadas pelo Benchmarking das Artes, e 05 obras lançadas em 2012 pelo Programa Benchmarking Brasil em comemoração aos seus 10 anos de existência (Releitura das obras de Tarsila do Amaral fazendo um paralelo entre os movimentos modernista e ambientalista). Auditório lotado para conhecer os Legítimos da Sustentabilidade No “11º Dia Benchmarking, Compartilhar para Crescer” realizado em 01 de agosto de 2013 foi apresentado o Ranking dos Detentores das Melhores Práticas de Sustentabilidade do País em 04 categorias: Pessoas, Artes, Escolas Técnicas e Instituições Brasileiras. Na categoria Benchmarking das Artes foram selecionados 07 artistas sustentáveis. Na Categoria Benchmarking Junior, 11 projetos inovadores pertencentes a 03 escolas técnicas (Senai SP, Centro Paula Souza e IFSP (Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de São Paulo), e na Categoria Benchmarking Empresas, foram selecionadas 30 práticas de sustentabilidade de 28 organizações. Foram homenageados 02 personalidades na Categoria Benchmarking Pessoas, com ênfase para o pioneirismo socioambiental. Os homenageados foram Dr. Paulo Nogueira Neto, primeiro secretário geral do meio ambiente (com prerrogativas de ministro de meio ambiente) do país, e Drª Consuelo Yoshida, Desembargadora Federal, professora e coordenadora acadêmica. Atividades lúdicas entre os blocos da programação Publico se confraterniza durante os intervalos do programa O Canal I+ fez a cobertura do evento e veiculou no Foyer seus melhores momentos com entrevistas, quadros e matérias exclusivas que realizou durante o ano. A solenidade Benchmarking foi aberta com a apresentação do Grupo Vocal "Trato no Tom" sob a regência do Maestro Valter Satomi e seguiu com apresentação de dança (Free Step) do Projeto Abrace seu Bairro. O cardápio servido foi elaborado a partir de produtos naturais e orgânicos para que os convidados pudessem desfrutar de ótimo convívio e alimentação. Cultura, Arte, Qualidade de Vida e Sustentabilidade Foram dias memoráveis de interatividade, conhecimento e entretenimento. Durante o Seminário Benchmarking com as apresentações das práticas certificadas, houve intervenções lúdicas para descontrair o público. BENCHMARKING Os legítimos da sustentabilidade em 2013 13

[close]

p. 14

Ranking Benchmarking Brasil Detentores das Melhores Práticas de Detentores das Melhores Práticas de Sustentabilidade Sustentabilidade Case/Prática RK 1º 2º 3º 4º 5º 6º 7º 8º 9º 10º 11o 12º 13º 14º 15º 16º 17º 18º 19º 20º 21º 22º 23º 24º 25º 26º 27o 28º 29o 30º Empresa/Instituição Consórcio Alumínio Maranhão........ Itaipu Binacional.......................... LLX Açu Operações Portuárias....... Braskem..................................... Gerdau....................................... Avon.......................................... ArcelorMittal Tubarão................... Duke Energy International............ LLX Açu Operações Portuárias....... Schneider Electric Brasil............... DEB Pequenas Centrais Hidrelétricas............................... Duke Energy International............ Danone..................................... Ambev Cia Bebidas das Américas... Kinross....................................... Damha Urbanizadora e Construtora Casa da Moeda do Brasil – CMB..... Consórcio Santo Antonio Civil........ Celulose Irani.............................. Ekofootprint Impressões............... Fleury........................................ SABESP...................................... BRF........................................... Intel Semicondutores do Brasil...... Instituto Embratel........................ Ecotech Consultoria e Assessoria... Diageo Brasil............................... Cooperativa Aurora Alimentos....... ANA – Agência Nacional de Águas.. Instituto do Câncer de São Paulo... UF MA PR RJ BA RS SP ES SP RJ SP SP SP SP SP MG SP RJ RR SC MG SP SP SP SP RJ SP SP SC DF SP Redução Pegada Hidríca por meio de parceria entre empresas Sustentabilidade de Comunidades Indígenas Plano de Investimento Social da Agricultura Familiar Projeto Água Viva Reciclo de Águas Industriais e Pluviais no complexo de Camaçari Programa Gerdau Germinar – A Educação Ambiental como instrumento para a sustentabilidade local Projeto Out of the Box – Otimização da cadeia de Suplly Chain Programa Novos Caminhos – Soluções Sustentáveis para a Melhoria da Mobilidade Urbana e Rural Projeto Nascentes Protegidas – Aguas para o Futuro Implantação e Manejo da RPPN Fazenda Caruara Projeto Ville Smart Conservação Genética e Reposição de Estoques de Peixes Nativos em Reservatórios Corredor Ecológico Fazenda Rosanela, Um Caso de Sucesso no Manejp Participativo de Paisagens Construindo Um Case de Sensibilização Ambiental por meio de uma Campanha de Marketing Jovens de Responsa Tambores de Óleo Vazios Viram Lixeiras Ecológicas Ações Sustentáveis Transformando Vidas Reaproveitamento de Água em Processo Gráfico Rampa de Lavagem e Lubrificação Ecológica em Ciclo Fechado Gestão de Recursos Hídricos Impressão Sustentável de Documento Utilizando Tecnologia Ecológica A Experiência de Implantação de uma Unidade Sustentável em uma Empresa de Saúde Cliente de Olho no Futuro Gestão de Aguas Voluntariado Corporativo e suas Implicações para a Empresa, seus Funcionários e a Comunidade Comunidade e Espaço de Pesquisa Conectados Compra Verde Programa Learnig for Life – Transformando Vidas por meio da Educação Gestão Ambiental Compromisso de Todos Servidor Consciente Preserva o Meio Ambiente Projeto Reciclarte – Redução do Número de Impressões e a Arte de Reutilizar o Papel BENCHMARKING Os legítimos da sustentabilidade em 2013 14

[close]

p. 15

Ranking Benchmarking jr Inovações & Sustentabilidade Projetos vencedores de jovens talentos das inovações tecnológicas verdes Alunos das escolas técnicas do estado de São Paulo: Centro Paula Souza, IFSP (Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de São Paulo) e SENAI SP. RK 1º 2º 3º 4º 5º 6º 7º 8º 9º 10º 11º Título do Projeto Projeto Etanol a Base de Resíduos Orgânicos CimentECO: O Cimento Ecológico Telhas de Fibras Vegetais e RCD Placas de Embalagem Reciclável Metano em Instalações Prediais Sustentabilidade em Edificações Reestruturação Cicloviária Veículo Coletor Sustentável Módulo Hidropônico Produção Industrial de Xilitol Batimetria e Hidrometria Alunos da Escola Técnica Centro Paula Souza Centro Paula Souza Centro Paula Souza IFSP - Campus Catanduva IFSP - Campus Caraguatatuba IFSP - Campus Caraguatatuba IFSP - Campus Catanduva Centro Paula Souza SENAI - São Paulo IFSP - Campus Matão IFSP - Campus Caraguatatuba BENCHMARKING Os legítimos da sustentabilidade em 2013 15

[close]

Comments

no comments yet