Revista Comércio & Indústria - Julho/2008

 

Embed or link this publication

Description

Revista Comércio & Indústria - Julho/2008 - Ano 3 - Nº 36

Popular Pages


p. 1

Comércio REVISTA Indústria Associação Comercial e Industrial de Araraquara Julho/2008 • Ano 3 - N° 36 NIGRO ALUMÍNIO QUALIDADE EM TODAS AS PARTES DO MUNDO Uma história rica em detalhes, escrita por Arcângelo Nigro (quadro) e seus filhos Francisco, Hugo, Beatriz e Pedro (in memoriam), a partir de 1943.

[close]

p. 2



[close]

p. 3

DO EDITOR PONTO DE VISTA Valter Merlos Presidente da ACIA Ivan Roberto Peroni O ANIVERSÁRIO DA ACIA O CEDEFACE TORNOU-SE UM ORGULHO PARA NOSSA GENTE balham de forma voluntária na prática do inegável o amor e o carinho que os bem. nossos amigos Roberto Dela CoComo araraquarense, temos que releta e Elcio Marcantonio sempre conhecer os méritos de Roberto Dela Cotiveram pelo Centro de Pesquisa e leta, seu espírito de luta, sua perseveranTratamento das Deformidades Buco-Faça e a vontade de vencer. Os obstáculos ciais, o nosso Cedeface. Nós que sempre colocados em sua vida, desde a infância, tivemos um apreço muito grande pelos foram saltados com dignidade e respeito dois grandes profissionais, sentimos que ao próximo e os caminhos percorridos essa luta que passa dos dez anos, transpassaram a ser para todos nós, verdaformou-se em verdadeiro ideal e onde a deira lição de fé e esperança, levandovida das pessoas mais necessitadas pasnos ao entendimento que Deus escolhe sou a ser meta prioritáas pessoas certas para ria. Dela Coleta e Elcio, a s m i s s õ e s não apenas mudam a viconsideradas mais O que é extremamente da das pessoas, mas codifíceis. importante e isso falamos locam a pesquisa cienOs casos já atendicomo presidente de uma tífica em lugar expresdos por ele e seus coleinstituição que envolve a sivo em todo o mundo. A gas no Cedeface, onde classe empresarial, é que inauguração do belo a ternura pelo seu setodos possam estar prédio ainda recentemelhante se mistura ao conscientizados sobre a mente, marca uma nova amor pela ciência, têm etapa na história do Cetarefa do Cedeface e a a benção divina e guiadeface e garante a congrande luta realizada por dos por esse dom matinuidade deste emravilhoso, temos a mais seus diretores. preendimento que nos absoluta certeza que proporciona tanto orgucontinuarão nesta jorlho. nada e além do Atualmente, a instituição conta com engrandecimento pro-fissional, terão o mais de 100 especialistas de diferentes permanente reconheci-mento da nossa áreas como ortodontia, cirurgia e traumaterra. O que é extrema-mente importante tologia, buco-maxilo-facial, fisioterapia, e isso falamos como presidente de uma fonoaudiologia, otorrinolaringologia, ciinstituição que envol-ve a classe rurgia plástica, psicologia e nutrição. empresarial, é que todos possam estar Anualmente são realizadas cerca de 200 conscientizados sobre a tarefa do cirurgias e mais de mil atendimentos, núCedeface e a grande luta rea-lizada por meros que serão suplantados agora que seus diretores. os serviços estão concentrados em novo Impotente, o Governo sempre tem espaço. demonstrado enorme fragilidade na imEm nossas viagens a serviço do Roplantação dos planos relacionados à saútary Club no País ou no exterior, são muide pública, gerando insegurança e a autas as pessoas que falam do extraordisência de perspectivas que venham a nário projeto do Dela Coleta e do Elcio nos consolar em relação ao futuro e à Marcantonio. Isso vale dizer que o Cedequalidade de vida das pessoas. Compete face tornou-se um centro de referências então à sociedade, criar estratégias e no tratamento dos problemas bucais e da contribuir de alguma forma com iniciatiface, atendendo 100% do SUS e minimivas como a do Cedeface. Se cada um fizando o sofrimento das pessoas. O amor zer sua parte e não acreditar naquilo que que dignifica esse maravilhoso gesto se o Governo promete, temos certeza que expande e passa a envolver dezenas de estaremos construindo um mundo bem profissionais multidisciplinares que tramelhor para os que virão depois de nós. A É Associação Comercial e Industrial de Araraquara completou 74 anos, tornando-se verdadeira marca ao longo do tempo. De acordo com os registros históricos, numa noite fria, mais exatamente em 30 de junho, um grupo formado de 52 empresários se reuniu na sede da lendária sociedade União Syria, localizada na época na rua São Bento, n° 37, para fundar uma Associação Comercial. Em assembléia geral, uma comissão provisória definiu que no dia 7 de julho do mesmo ano, seria eleita a primeira diretoria. O saudoso Benevenuto Colombo foi aclamado o primeiro presidente com a sagrada missão de dirigi-la por um ano. Na época era prefeito o doutor Heitor de Souza Pinheiro, de tradicional família araraquarense. A fundação de uma entidade que congregasse os comerciantes, industriais, prestadores de serviços e outros segmentos foi o coroamento de uma série de reuniões iniciadas em janeiro daquele mesmo ano. As lutas empreendidas para a sua constituição, a vontade férrea de cada membro para dar um pouco do seu trabalho em favor da associação, tornaram-se quase uma preocupação constante. Setenta e quatro anos depois, presidida por Valter Merlos, a ACIA também adquiriu status de entidade representativa na cidade, capaz de se envolver nas questões que venham a beneficiar a comunidade em seu todo. É um orgulho para a nossa terra. CAPA FOTO: FOTO FUJI A MARCA QUE ESTÁ EM TODO O MUNDO A Nigro Alumínio é a marca com a mais alta qualidade que resiste ao tempo. Foi criada por Arcângelo Nigro e mantida por seus filhos, Francisco, Hugo, Beatriz e Pedro. Commércio Indústria & REVISTA EDIÇÃO N° 36 - JULHO/2008 Diretor Editorial: Ivan Roberto Peroni Supervisora Editorial: Sônia Marques Depto. Comercial: Gian Roberto, José Teodoro de Souza Sebastião Barbosa - Silmara Zanardi Designer: Bete Campos Mário Francisco Diego Ribeiro Éder Fernando dos Santos Impressão: Gráfica Bolsoni - (16) 3336 9008 A revista Commércio & Indústria é distribuida gratuitamente em Araraquara e região INFORMAÇÕES ACIA: (16) 3322 3633 COORDENAÇÃO, EDITORAÇÃO, REDAÇÃO E PUBLICIDADE comunicação Fone/Fax: (16) 3336-4433 Rua Tupi, 245 - Centro Araraquara/SP - CEP: 14801-307 marzo@marzo.com.br

[close]

p. 4

Arcângelo com a Eterna, primeira panela de pressão feita na fábrica no final dos anos 70 REPORTAGEM DE CAPA A nona Beatriz com seus filhos Roque, Pascoal, Antônio, Arcângelo e Vicente, pouco tempo antes da fábrica ser fundada pela família em nossa cidade, iniciando uma história que orgulha a nossa terra NIGRO, A MODERNIDADE COM A TRADIÇÃO DE 66 ANOS QUALIDADE EM TODAS AS PARTES DO MUNDO Uma mistura de ousadia, coragem, experiência e qualidade, cerca a existência da Nigro, uma das maiores indústrias de artefatos de alumínio no País e que tem desde 1943, a primazia de liderar uma importante fatia do mercado internacional em seu segmento. Arcângelo já trazia na sua bagagem profissional, desde Itápolis, o ofício de ferreiro e suas outras tantas habilidades para a fabricação de utensílios domésticos. Dotado de espírito criativo, foi um idealizador e construtor de vários projetos de muito sucesso. Os vizinhos acolheram a família Nigro dando as boas vindas e as amizades se fortaleceram com as famílias Rossi, Magnani, Stemberg (Antônio, primeiro funcionário da empresa), Luiz Manelli, Professor Machadinho, Dr. Mazzi, Tarallo e outras pessoas que aqui moravam. Toda família contribuía para o progresso. Os filhos contavam as latinhas e as peças cortadas enquanto Arcângelo ficava até altas horas da noite na garagem martelando as canecas e soldando as alças. As chapinhas das vassouras eram entregues para a fábrica do Mário e João Dosualdo em Américo Brasiliense. Assim, surgiam novas parcerias. Mais tarde vieram os regadores e os baldes. A primeira panela artesanal, fundida no quintal com alumínio derretido, marcou a memória. Cada produto feito era uma conquista, uma comemoração. A fábrica foi crescendo e se tornando conhecida na cidade e região. Foram tempos de muita luta e trabalho. A primeira grande conquista foi a abertura da loja na cidade, localizada na Rua São Bento, em frente ao antigo Seminário dos Padres Redentoristas, hoje local do Extra. Em frente à loja, os regadores eram pendurados e nos fundos ficava a pequena fábrica. Novos produtos tais como: chuveiros, forninhos, tachos de cobre e panelas já eram produzidos. O crescimento da empresa levou Arcângelo a construir a sede da Nigro em 1958, na Avenida Arcângelo Nigro, 166. A história da Nigro começa em tempos difíceis, na segunda guerra mundial, onde Arcângelo Nigro, casado com Maria Cavicchioli Nigro e os filhos Francisco, Hugo, Beatriz e Pedro resolveram sair da cidade de Itápolis onde residiam, e escolheram Londrina, no Paraná. Lá já morava seu irmão Antônio com a família. Porém, em uma breve passagem por Araraquara, quis o destino que aqui se estabelecesse e começasse um novo negócio, o de reutilização de latas (óleo, massa de tomate e outras embalagens). Pai e filhos foram pioneiros nesse trabalho de reciclagem, hoje uma preocupação mundial. É que o desenvolvimento das empresas também deve estar baseado em responsabilidade ambiental. Na década de 40 a Nigro já cumpria em Araraquara sua responsabilidade social: as pessoas, principalmente crianças, recolhiam e vendiam para a empresa instalada onde hoje é o Extra, as latas que seriam transformadas em canecas e outros utensílios domésticos

[close]

p. 5

Com a construção da sede própria, Arcângelo procurou oferecer condições de lazer aos seus funcionários criando o “Paraíso após o trabalho” A Nigro está instalada em uma das áreas mais nobres de Araraquara com 20 mil m² Um dos produtos da Nigro: a linha chef Allan, a frigideira Sauteèn VIDA VOLTADA AO TRABALHO E AMOR AO PRÓXIMO Sempre com a preocupação de proporcionar momentos de lazer à família e seus funcionários, Arcângelo Nigro tinha na nova fábrica um pomar repleto de laranjeiras, pés de mexerica, melancias, abóboras, mandioca e arroz, onde após a colheita dividia entre todos. O nome desse refúgio não poderia ser melhor: “Paradiso dopo lavoro”: “Paraíso após o trabalho”. Também havia na fábrica um campo de bocha, embaixo das jabuticabeiras, mesas para as rodadas de baralho e balanços para as crianças. Arcângelo em 1968 construiu o Cursilho de Cristandade, movimento que levava a mensagem do Evangelho para as pessoas, e mais tarde, assumiu o Lar Juvenil Araraquarense “Domingos Sávio”, casa que abrigava crianças abandonadas, órfãs, de rua. Na época eram quase duzentas crianças; muitas delas começaram a trabalhar e construir sua história na Nigro, algumas continuam até hoje. Pelo conjunto de obras tão relevantes realizadas na família, na comunidade, na empresa, no Lar Juvenil e na Casa do Cursilho, Arcângelo Nigro recebeu a “Comenda e Insígnias de Comendador” da “Ordem Para homenagear a colônia japonesa no ano do centenário da sua imigração no Brasil, a Nigro fortalece a parceria com a Nipo estando presente em seus eventos O casal Maria Cavicchioli e Arcângelo Nigro com os filhos Francisco, Hugo, Pedro e Beatriz de São Silvestre Papa” concedida por “S.S. o Santo Papa João Paulo II”, em 1979. A celebração eucarística oficiada pelo Bispo Dom Constantino Amstaldem, de São Carlos, foi na Igreja Nossa Senhora das Graças em Araraquara em 19/12/79. Em 29/06/1986, dia de São Pedro, “seu Arcângelo”, como era chamado, faleceu e tradicionalmente a família realiza neste dia uma missa em ação de graças dentro da fábrica. Seu filho Francisco Nigro assumiu a fábrica e hoje a indústria possui mais de 20 mil metros quadrados, fabrica mais de 300 itens, sendo 600 mil peças mês, desenvolvidos com alta tecnologia atendendo as normas de segurança nacionais e internacionais. Entre seus produtos estão panelas, caçarolas, frigideiras, formas e a sofisticada e segura Panela de Pressão Eterna, exportada para vários países da América, Europa e Oriente. A fim de continuar as ações sociais realizadas por Arcângelo, seu filho Francisco contribui com a comunidade araraquarense participando de vários eventos, destacando-se a parceria da Nigro Alumínio com a Associação Cultural Nipo Brasileira de Araraquara, na realização dos Sukiyakis, Tanabata, bingos entre outros. Este ano a Nigro comemora 66 anos de existência de muito trabalho, levando a marca de Araraquara para todo o País e para o Mundo. UMA GRANDE DATA MERECE SER COMEMORADA COM PRATO TÍPICO FEITO NA PANELA WOK DA NIGRO YAKISOBA DE CARNE Rendimento: 4 porções INGREDIENTES - 2 unidade(s) de cenoura em tiras - 1 unidade de pimentão verde em tiras - 300 gr de contrafilé em tiras - 1 unidade de repolho picado finamente - quanto baste de shoyu - quanto baste de sal - quanto baste de óleo de soja para fritar MODO DE PREPARO Corte todos os ingredientes e reserve. Cozinhe o macarrão e retire-o “al dente”. Durante o cozimento do macarrão, vá preparando os outros ingredientes. Frite a carne na panela WOK da Nigro até ficar ao ponto. Adicione a cenoura, o repolho e por último o pimentão verde. Coloque molho shoyu até que os ingredientes fiquem “tingidos” com a cor do molho (não é muito). Mexa bem e acrescente o macarrão. Continue mexendo, acrescentando mais um pouco do molho, também para tingir o macarrão. Mexa e deixe no fogo só para aquecer o cozido. Quanto mais “al dente” estiverem os ingredientes, melhor é o sabor do yakisoba.

[close]

p. 6

UNIÃO ACIA E ACISC INTEGRADAS NO PROJETO O PODER EMPRESARIAL DA REGIÃO Merlos (Araraquara) e Casemiro (São Carlos) reúnem-se em nossa cidade e iniciam a implantação de um programa de trabalho que busca o fortalecimento empresarial da região. Diretores da ACISC (Associação Comercial e Industrial de São Carlos), visitaram sua co-irmã ACIA em Araraquara, sendo recebidos pelo presidente Valter Merlos e outros membros da entidade. A visita, segundo eles, marca o início de uma série de encontros nas cidades que formam a subsede da FACESP instalada em São Carlos e tem como objetivos, a união e o fortalecimento da classe empresarial em toda a região. José Eduardo Casemiro, presidente da ACISC, considerou que a Associação Comercial e Industrial de Araraquara, além de ser uma das mais conceituadas instituições de classe no interior, tem um grande poder de representatividade junto ao empresariado regional e um envolvimento muito forte na esfera política. Segundo ele, São Carlos e Araraquara com as demais co-irmãs, devem traçar um projeto que acelere o processo de desenvolvimento das atividades comerciais e industriais nesta região central do Estado de São Paulo. O que estamos solicitando ao Merlos, disse Casemiro, é que a ACIA esteja integrada neste movimento. De imediato, Valter Merlos enalteceu a iniciativa da ACISC, considerando que a união é profundamente salutar. Ainda durante o encontro, os diretores da ACISC se prontificaram em divulgar e colaborar com a FACIRA/2008, procurando sensibilizar os empresários de São Carlos a participar do evento em agosto. Recentemente, a ACIA participou do Salão Regional de Turismo, organizado pela ACISC, em São Carlos. Diretores da ACISC recebidos pelos presidentes Merlos (ACIA) e Carlos Eduardo Keizo Kawakame (FACIRA/2008)

[close]

p. 7

A bela sede da fazenda em Pirassununga onde também é realizado anualmente o Enduro FAZAER (Equino Endurance), que faz parte do Campeonato Paulista do Interior de Velocidade Limitada CONVITE A PRESENÇA DA FAB NA FACIRA Convidada a participar do 60° aniversário da Fazenda da Aeronáutica instalada em Pirassununga, a ACIA aproveitou a oportunidade para novamente, convidar a FAB a mostrar seus serviços na FACIRA. Para comemorar os 60 anos da Fazenda da Aeronáutica de Pirassununga, a corporação promoveu, no dia 5 de junho, a 3ª edição do Concurso Artístico Cultural Óleo Sobre Tela e a solenidade militar alusiva à data. Durante a formatura militar, houve a entrega de uma homenagem ao “Civil e Militar Padrão 2008”: Débora Gonçalves Oliveira e Cabo Ari Osvaldo Aparecido Mendes. Houve ainda, a entrega da honraria “Membro Honorário da Força Aérea Brasileira (FAB)” a Renato de Souza Meirelles, Randolpho Marques Lobato, Ângelo Valdir Casagrande e Paulo Fernando Machado. Em sua terceira edição, neste ano, com 83 obras de arte inscritas, o Concurso Artístico Cultural Óleo sobre Tela abordou o tema “100 Anos da Imigração Japonesa no Brasil”. Criada para fazer uso agropecuário da área onde está instalada a Academia da Força Aérea, única escola de formação de oficiais da aeronáutica do País, a fazenda, com mais de 8.800 hectares, situa-se às margens do rio Mogi Guaçu, que facilita a marcação de um percurso bastante interessante, sem obstáculos naturais. A FAZAER tem como finalidades, a ocupação produtiva das terras em atividades agropecuárias e o fornecimento de gêneros alimentícios como pão, leite, iogurte, queijos, arroz, feijão, café, açúcar e carnes bovina, suína e de frangos, de acordo com a sua capacidade produtiva, para oito organizações militares do Comando da Aeronáutica no Estado de São Paulo. ACIA PRESENTE A Associação Comercial e Industrial de Araraquara foi convidada pelo Comandante da FAB, Brigadeiro do Ar, Marco Antônio Carballo Perez, a tomar parte do evento, sendo representada por Roberto Pegler e Luiz Carlos Romio da Silva, da Secretaria Executiva da FACIRA/2008. Na oportunidade foi entregue o convite para que a FAB participe uma vez mais da feira. Comércio e locação de artigos médicos e ortopédicos, órteses e próteses Revendedor Roberto Pegler e Luiz Carlos Silva, em nome da ACIA, recebem a homenagem prestada pela Força Aérea Brasileira

[close]

p. 8

Empresários reunidos na ACIA dão o primeiro passo para o fortalecimento da categoria em nossa cidade EMPREENDER EMPRESAS BUSCAM O APOIO DA ACIA Empresários que atuam no ramo de refrigeração e ar condicionado se reuniram para discutir as dificuldades que têm encontrado e em conjunto iniciam movimento que visa o fortalecimento da classe, pleiteando primeiro a qualificação profissional. A experiência obtida na mobilização de alguns segmentos profissionais e a implantação do Projeto Empreender, levou a Associação Comercial e Industrial de Araraquara a reunir empreendedores do setor de refrigeração e ar condicionado, para criar programas e estratégias que beneficiem a classe. O Empreender é um projeto de característica nacional, apresentando conjunto de ações com o objetivo de desenvolver e fortalecer as micro e pequenas empresas, através do associativismo. Durante o encontro em junho e que contou com a participação do vereador Elias Chediek Neto, o diretor Joel Roberto Aranha (ACIA), lembrou que a maior finalidade do projeto é contribuir para o desenvolvimento sócio-econômico, principalmente na geração de emprego, ocupação e renda. Para ele, quando o trabalho é feito em grupo, fica mais fácil detectar, discutir problemas e buscar soluções em comum. A reunião de empreendedores de um mesmo ramo de atividade é identificada como “núcleos setoriais”. No caso dos empresários do setor de refrigeração e ar condicionado, buscam-se alternativas para os problemas que praticamente se assemelham e que carecem de soluções em comum. O vereador Chediek lembrou no encontro realizado no auditório da ACIA, que foi procurado pelo empresário Dejair Francisco da Silva, da Frioar, que pediu apoio para uma parceria com o Senai na implantação de cursos de mão-de-obra especializada em refrigeração. Segundo Silva, há escassez na mão-de-obra nesses setores, daí a necessidade de parceria para oferecer cursos de qualificação. As sete empresas participantes da primeira reunião já receberam a informação de que o Senai vai dispor o local e os professores para a qualificação dos profissionais. O acordo prevê a participação das empresas com a cessão dos equipamentos. Se ocorrer a implantação do Empreender, as empresas terão assessoria técnica, consultoria, palestras, formação profissional e todo tipo de orientação para prosperar e competir de forma organizada no mercado regional. José de Jesus Fabri, diretor do Senai, com o diretor Joel Roberto Aranha, da ACIA, durante a reunião com os empresários

[close]

p. 9

Roberto Aiello Fonari (Presidente SINCOAR), Geraldo Luis Tampellini (Delegado CRC-SP), Sérgio Prado de Mello (Presidente CRC-SP), Orlando Bonifácio Martins (Gerente JUCESP Araraquara), Antoninho Marmo Trevisan (Trevisan Auditoria e Consultoria) e Paulo Luis Pecin (Presidente AESCAR), durante a convenção dos contabilistas em Araraquara EM FOCO CONTABILISTAS EM CONVENÇÃO Pela primeira vez, a nossa cidade sediou um evento voltado para uma das mais nobres classes, com o objetivo de discutir as novas leis e suas ações técnicas, principalmente a segurança da informação e a internet. Ao receber uma convenção regional de contabilistas, empresários e estudantes da contabilidade, Araraquara demonstrou que tem avançado rapidamente na defesa e propagação de uma importante categoria profissional. “Nós, contabilistas, fomos privilegiados com o evento, pois assim, podemos demonstrar não apenas a nossa força, mas acima de tudo, o companheirismo e o ideal de que estamos nos empenhando no fortalecimento de uma causa, que é de preAna Maria Costa falou no evento sobre o Projeto Mulher Contabilista parar nossos profissionais para os desafios da atualidade”, disse Roberto Aiello Fonari, na convenção realizada CRC-SP, FECONTESP e SESCON/SP. Para Orlando Bonifácio Martins, vicepresidente do SINCOAR e gerente regional da JUCESP em Araraquara, eventos deste porte sempre mostraram preocupação com a educação continuada e o aprimoramento dos profissionais. É uma forma de transmitir conhecimentos, estimular a qualificação profissional e promover intercâmbio de informações entre estudantes e profissionais da área. No anfiteatro do SESC, a convenção foi dividida em duas etapas: a primeira (29/05), considerada um Encontro de Estudantes, em que foram palestrantes Márcia Ruiz Alcazar e Niveson da Costa Garcia, coordenadores do CRC Jovem e conselheiros do CRC-SP. Os estudantes também tiveram um encontro político com o prefeito Edinho Silva. Rua 5, esquina com Bandeirantes Araraquara-SP (16) 3335.7934 Júlio Fernando Paschoal Basso (Escritório Zanela), Walter Francisco Orloski (Iesacred) e Sérgio Rubens Rossato (Coopcred - Usina Santa Cruz)

[close]

p. 10

Almada esclareceu ainda que as regras descritas nos manuais do Sicoob não foram criadas pela entidade, mas sim pelas normas vigentes e que eles têm o objetivo de orientar as cooperativas sobre como atender às exigências normativas e legais. O presidente da Central, Manoel Messias da Silva e Almada, falaram ainda do projeto de Lei 177/04, que visa substituir o artigo 92 da Constituição Federal. O PL dispõe sobre a constituição, o funcionamento e a supervisão das cooperativas de crédito e aguarda aprovação da Câmara. Seguirá depois para o Senado e posteriormente, para a sanção do presidente. O projeto é resultado do trabalho dos sistemas cooperativos, juntamente com a OCB, do Ministério da Fazenda e do Banco Central. O PAPEL DA IESACRED Lairto, Walter, João Barbosa e Gaban no recente encontro de Campos do Jordão ASSOCIATIVISMO O SUCESSO DA IESACRED No Fórum de Pensamentos Estratégicos em Campos do Jordão, a Iesacred foi apontada como modelo pela sua organização e o seu rápido crescimento. Palestra de Manoel Messias da Silva, presidente do Sicoob Central Cecresp e vice-presidente do Sicoob Brasil Com a maior participação de público já registrada durante um Fórum de Pensamentos Estratégicos - 117 pessoas de 39 cooperativas, a quinta edição do evento foi uma verdadeira aula sobre a atualidade do cooperativismo de crédito. O encontro aconteceu em Campos do Jordão, de 6 a 8 de junho e tratou da crescente exigência regulamentar para o setor, o Manual de Operações de Crédito e o projeto de Lei 177/04, comentou Antônio Tomazeti Gaban, presidente da Iesacred, acompanhado no congresso pelos seus assessores Walter Francisco Orloski (gerente administrativo), João Barbosa (diretor operacional) e Lairto Alves Tosta (gerente comercial), todos da Iesacred, hoje presente em todos os eventos que falam de associativismo. O superintendente da Confederação Sicoob Brasil, Marco Aurélio Almada, detalhou o impacto da complexidade regulamentar, tais como o aumento de custos e a redução da velocidade nas operações das cooperativas. Por outro lado, destacou que as novas normatizações do Banco Central buscam dar a todo sistema financeiro nacional, maior segurança e adaptá-lo às práticas das instituições ao mercado internacional. Explicou também que a Confederação reconhece a dificuldade das cooperativas em se adequarem às novas exigências impostas muitas vezes com base na realidade dos bancos. Porém, quando o sistema cooperativo defende sua situação frente ao BC, o órgão mostra-se ainda receoso em virtude dos históricos de quebras de cooperativas, principalmente nos anos 60. Walter Orloski, como gerente administrativo da cooperativa que em Araraquara ganhou status de agência autorizada do Sicoob, disse que a participação da Iesacred em eventos deste porte tem permitido que sejam feitas avaliações sobre a atuação da cooperativa no mercado, além de permitir a troca de informações com suas co-irmãs. Segundo ele, há um respeito muito grande pelos projetos que a cooperativa vem realizando, tornando-a respeitada não apenas pelo seu ativo que beira 6 milhões de reais, mas principalmente pela sua organização, sendo considerada por outras instituições, como verdadeiro modelo. Entre os dirigentes de cooperativas, a importância da troca de informações Ao participar de eventos deste porte, a nossa cooperativa se fortalece

[close]

p. 11

Como presidente do SETCAR, Buck participou do Dia Nacional do Transportador homenageando em setembro do ano passado, o empresário Domingos Antônio Caetano, proprietário da Transportadora Transmaca, de Matão HOMENAGEM BOA VIAGEM, AMIGO! Araraquara perdeu no dia 18 de junho um dos seus mais conceituados empresários. Odayr Baptistella Elias, o Buck, proprietário da Buck Transportes Rodoviários, que faleceu em decorrência de ferimentos provocados por um acidente de trânsito, ocorrido na cidade. Se alguém o chamasse de Odayr, até mesmo ele vacilava em responder. Porém, identificado como Buck, logo abria um sorriso, pois “Buck” transformou-se em nome, em marca, pelo trabalho e seriedade profissional. Seu falecimento no dia 18 de junho, deixou entre os amigos mais próximos um enorme vazio. Proprietário da Buck Transportes Rodoviários Ltda. e presidente do Sindicato das Empresas de Transporte de Carga (Setcar), Buck foi um dos pioneiros no transporte da cidade e o criador da entidade que representa a categoria, sendo constantemente enaltecido pelo trabalho que sempre realizou em benefício da classe. Filho de Lydia Baptistella e Antenor Elias, iniciou atividades na empresa da família, em Araras. Ele veio para uma filial da empresa em 1956, administrando o antigo Rodoviário Cacique, depois transformado em Buck Transportes Rodoviários. Em 1985, ele foi juntamente com Ivo Magnani, Irineu Conde e João Sônego, um dos idealizadores da Associação Profissional das Empresas de Transporte de Carga de Araraquara e Região, a Apetecar. Cinco anos depois, através de ato da então ministra dos Transportes Dorothéa Werneck, a associação transformou-se em sindicato (Setcar), que também teve o empresário como presidente em suas duas primeiras diretorias. Permanecendo como diretor nos demais mandatos, Buck voltou à presidência do Setcar em 18 de janeiro de 2007. Paralelamente, exercia outras funções em nossa cidade, pelo seu dinamismo, uma delas, conselheiro do Clube Náutico, onde sempre desfrutou do carinho, respeito e amizade de todos. Buck também exercia os cargos de 2° Tesoureiro da Federação das Empresas de Transporte de Cargas de São Paulo (Fetcesp) e havia deixado recentemente o Conselho da Associação Nacional do Transporte de Carga (NTC). Foi ainda conselheiro do CIESP - Centro das Indústrias do Estado de São Paulo. REPERCUSSÃO Empresários do setor disseram que Buck exerceu importante liderança no transporte rodoviário de cargas, sobretudo com sua determinada atuação na construção do atual sistema sindical, nas entidades do Estado de São Paulo, na década de 80. Foi um dos pioneiros na representação do TRC na região. Companheiro, participativo e defensor do transporte rodoviário de cargas, Buck se imortaliza na memória e na história do TRC que ele ajudou a construir. AUTO-ENVELOPADORA Equipamento para auto-envelopar formulários planos. Ideal para holerites, boletos e cobranças. Capacidade de 50 formulários p/ minuto (dobrado, serrilhado e colado). Tel.: (16) 3333.2925 Av. Pio Corrêa Pinheiro, 660 Vila Melhado vendas.maqsoffner@techs.com.br

[close]

p. 12

QUANDO AS FÉRIAS DE JULHO CHEGAR deixar seu carro em perfeitas condições e assim seguir viagem sem nenhum risco. Com uma experiência de nove anos no mercado, a 4 Rodas Pneus foi criada pelos sócios Aparecida Camargo Fernandes e os filhos Gislaine e Alexandre. Desde sua inauguração até os dias atuais, a empresa oferece a seus A 4 Rodas Pneus promove campanha para clientes, serviços como tornar ainda mais seguras as viagens alinhamento de direção, balanceamento de rodas, 4 RODAS PNEUS freios, suspen-são, escapamentos, venda de pneus de to-das as marcas e rodas de vários modelos e aros. A revisão completa no carro antes de viajar inclui balanceamento onde é verificado o estado das rodas e dos pneus, alinhamento o carro Vai viajar nas férias? Então, precisa estar de direção e para isso ordem. com a suspensão em lembre-se que manter o “Fazemos um check up na suspensão para poder alinhar”, conta. Também são veriveículo em boas condições ficados os freios, se os amortecedores espara rodar na cidade é tão bons, se o estepe está em bom estado, se o extintor de incêndio está funcionando essencial e na estrada, os e dentro do prazo de validade. cuidados deverão ser, por Para executar esses serviços, a 4 Rodas Pneus está há nove anos num dos mersegurança, redobrados. cados mais competitivos, conta com 15 funcionários treinados para deixar seu O ideal no período de férias sempre é carro nas condições ideais para que você fazer uma revisão completa no veículo, tenha uma viagem de férias tranqüila e sugerem os excelentes profissionais da 4 com segurança. Rodas Pneus, empresa especializada para O atendimento realizado pelo auto-center é considerado um dos melhores da região GRUPO DA MELHOR IDADE Programação de Julho Dia 11 (sexta-feira) - 20h30 à 1h Baile Noite Julina LOCAL Clube 22 de Agosto TRAJE Passeio normal ANIMAÇÃO Musical Starlight Band (de São Paulo) RESERVA Melusa Clube Dia 8/julho (terça-feira), das 15h às 16h e das 20h30 às 21h30 Dia 24 (quinta-feira) - 20h30 à 1h Baile dos Aniversariantes meses de abril - maio - junho LOCAL Melusa Clube ANIMAÇÃO Hélio Branca e Francis (de Catanduva) TRAJE Passeio normal RESERVA Melusa Clube Dias 8, 15 e 22/julho (terça-feira), das 15h às 16h e das 20h30 às 21h30 INFORMAÇÕES SOBRE EVENTOS ATENDIMENTO E SERVIÇOS 4 RODAS PNEUS Alameda Paulista, 1263 - Vila Xavier Fone: (16) 3337 2477 E-mail: quatrorodaspneus@uol.com.br Aparecida e os filhos Alexandre e Gislaine que hoje administram a 4 Rodas Pneus (16) 3336 1953 Farmácia MEDICAMENTOS, PERFUMARIA, MANIPULAÇÃO DE FÓRMULAS, FARMACÊUTICOS EM PERÍODO INTEGRAL, APLICAÇÕES E ENTREGAS EM DOMICÍLIO Loja 2 R. Antenor Borba, 808 Jd. Universal Fone/Fax: (16) 3331.4488 Loja 1 Av. Bandeirantes, 1707 (entre Ruas 13 e 13 ½) Fone/Fax: (16) 3336.1050 A primeira Farmácia Climatizada de Araraquara e com ISO Empresarial 2004 APLICAÇÕES E ENTREGAS EM DOMICÍLIO

[close]

p. 13

Comprar e vender Dólar, Euro, Libra, Dólar Canadense, Ien, Peso Argentino, etc, agora deixou de ser um problema em Araraquara, com a presença da RENOVA, instalada no Shopping Jaraguá SERVIÇOS A CIDADE GANHA CASA DE CÂMBIO A Renova, uma das mais destacadas corretoras de câmbio no País, com sede na capital, em processo de expansão no interior, inaugurou em Araraquara mais uma de suas filiais. Fundada em 1993, a Renova Corretora de Câmbio Ltda. atua no segmento de operações de câmbio e dispõe de operadores atentos ao mercado que, em tempo real, oferecem aos seus clientes as melhores taxas de câmbio. Diante do seu crescimento no mercado financeiro, a Renova inaugurou no Shop- ping Jaraguá, em Araraquara, a sua agência, sendo uma instituição financeira devidamente autorizada pelo Banco Central e que segue com plena segurança as rígidas normas do mercado financeiro. Além de praticar excelentes taxas de câmbio, a Renova opera no mercado oficial de câmbio turismo, o que proporciona aos seus clientes, legalidade em todas as operações fechadas. A rigor, as moedas dólar e euro estão disponíveis para pronta entrega, outras moedas dependem de estoque ou reserva com 48 horas de antecedência. A Renova também compra moedas negociáveis, cheques em moeda estrangeira e dispõe do cartão pré-pago VTM - Visa Travel Money (a maneira nova e fácil de levar dinheiro para o exterior) e é agente credenciado Western Union (empresa que transfere dinheiro entre países distintos). Araraquara com seu desenvolvimento e também da região, necessitava de um serviço com segurança, conforto e soluções inteligentes, como esse proposto pela Renova. Saboreie o gostinho de um bom cafezinho venda, locação e assistência técnica de máquina de café expresso Syncrony Digital Av. Sete de Setembro, 993 • Fone: 3322 7252 comercial@blendcoffee.com.br www.blendcoffee.com.br Reservas da Renova para troca ou venda imediata de moedas estrangeiras CARTÃO DE VIAGEM PRÉ-PAGO ATENDIMENTO Shopping Jaraguá - loja 60 Fones: 3311 6744 3331 2099 Sala confortável da Renova, onde você poderá efetuar de maneira plenamente segura, suas trocas de moedas Adquira na Renova o cartão de viagem prépago, a maneira mais segura e moderna de levar dinheiro em suas viagens internacionais. Creditado em dólar americano ou euros, o cartão é utilizado para saques e débitos na moeda corrente do País que você estiver visitando, em qualquer caixa eletrônico Visa Plus como se você estivesse em seu próprio País.

[close]

p. 14

LEMBRANÇAS R UTH CARDOSO TEXTO ESPECIAL: IVO DALL’ACQUA JÚNIOR ARARAQUARA FICOU MAIS TRISTE; E O BRASIL FICOU MAIS POBRE. Uma foto de Ruth em Araraquara, com dedicatória ao tio Carlos, aos dois anos de idade Em 2002, Ivo Dall’Acqua Júnior esteve em Brasília, convidando Ruth Cardoso para o encontro que ela sempre quis ter com sua gente em Araraquara C onheci Ruth Cardoso ainda menino. Seus pais e meus avós maternos eram vizinhos. Residiam, respectivamente, na Rua São Bento numa casa ao lado do Foto Cantarelli, onde hoje existe uma agência do Banco Itaú e na Avenida Espanha, onde posteriormente Wilton Lupo construiu uma linda casa que foi residência da família até o falecimento de Dona Lilian. O tamarindeiro que cresceu ao lado do muro da entrada da garagem foi plantado pela Lazinha, cujo apelido, para as crianças, era Ié e foi responsável por muitas delícias proporcionadas por suas frutas. Mariquita e minha avó Iria eram grandes amigas e vovó era um talento para a costura e na preparação de doces. Muito do que Ruth vestiu na primeira infância foi confeccionado por ela, até seu vestido da primeira eucaristia, cujo “santinho” comemorativo preservo entre minhas lembranças. A vida nos fez trilhar caminhos diversos e da mesma forma que nos afastou, nos juntou por ocasião da primeira campanha presidencial de seu marido, Fernando Henrique. O reencontro ganhou um toque de emoção pela evocação das lembranças e das afinidades e Ruth contou-me que inclusive havia conservado um vestidinho que sonhava vestir sua neta, algum dia. Era de seda, com o peito trabalhado em ninho de abelhas bordado. Ao ser lavado para vestir a pequena Julia o tecido não resistiu ao tempo e cedeu.... Essas pequenas lembranças foram responsáveis pela consolidação de nossas afinidades. Sempre admirei Ruth, sempre a tive como referência, mas a partir daí agre- Um dos pedaços importantes da sua infância: a casa onde morou na São Bento Ruth e as amigas Susana Câmara Matos, Beatriz Câmara Matos, Ana Léa Nogueira Leal e Maria Lúcia Galvão Veniss

[close]

p. 15

Fotos: Arquivo pessoal/Revista Vogue Na chácara do tio Pio, d’O Turista Acidental, a docura das jabuticabas tão bem preservadas por Waldemar Safiotti gávamos a nossa relação pessoal a afinidade de um patrimônio afetivo comum. Nos encontrávamos em lugares do Brasil e num retorno de viagem ao exterior ela me contou que me vira caminhando quando passava de carro por uma rua de Londres. Brincamos com o assunto, pois para nós se tratava de coisa de araraquarense, que vive se encontrando pelo mundo..... Quando na célebre edição da Vogue o Ignácio editou a afirmação “ no fundo eu tinha vontade de um reencontro com Araraquara. Em São Paulo ou Brasília, eu sempre brinco dizendo: em Araraquara não é assim, não aprendi assim. É um referencial importante de estilo e personalidade”, enchi-me de coragem e propus a realização desse “encontro”... Foi prazeroso organizar e Ruth ficou muito feliz com isso. Percebeu nesse dia que o tempo havia sido anulado e que todos os valores estavam preservados... Amizade, carinho, estima, respeito.... tudo isso esteve presente. E a cada reencontro nosso, o comentário sobre esse dia especial. Ruth partiu. Colocou termo a uma missão extremamente bem cumprida. Araraquara ficou mais triste; e o Brasil ficou mais pobre. Em uma de suas passagens por Araraquara, ela encontrou-se com antigos amigos da adolescência, entre eles, Renato Correia Rocha e Biluca Machado Com Inayá Bittencourt e Silva, amiga dos bancos escolares no Ginásio Estadual Revendo amigos: um deles, Ignácio de Loyola Tescari, seu primo Ruth e o seu envolvimento em campanhas de Fernando Henrique Cardoso Ela sempre dizia: “O País pode dar certo, tem tudo para isso, no entanto, precisamos torná-lo mais igualitário.” Descontração do casal no Planalto Uma foto com os netos

[close]

Comments

no comments yet