Revista Comércio & Indústria - Janeiro/2008

 

Embed or link this publication

Description

Revista Comércio & Indústria - Janeiro/2008 - Ano 3 - Nº 30

Popular Pages


p. 1

Commércio REVISTA Indústria Janeiro/2008 • Ano 3 - N° 30 Associação Comercial e Industrial de Araraquara RECICLA BRASIL Garantindo o futuro com maior qualidade de vida O empresário Laerte Ribeiro reciclou em Araraquara o conceito que temos do lixo e transformou a Recicla Brasil, numa empresa modelo que seguindo programa de gestão próprio, contribui para a conscientização da comunidade sobre uma melhor qualidade de vida no mundo que vivemos hoje e que haveremos de deixar para nossos filhos.

[close]

p. 2



[close]

p. 3

DO EDITOR PONTO DE VISTA Valter Merlos Presidente da ACIA Ivan Roberto Peroni Impostos que matam S recente encontro que tivemos com universitários da Paulista Júnior, da Unesp, nos deu, ainda que de forma rápida, a oportunidade de comentar o peso da carga tributária no Brasil, considerada um dos grandes vilões para o sucesso de pequenos empresários. E o foco da reunião com eles era realmente a prática empreendedora dos negócios no comércio e na indústria. Dizíamos que o problema todo não é o custo dos impostos em si, mas sim o “Custo Brasil”, que castiga de maneira impiedosa os pequenos empresários. Um erro comum é pensar que o empresário paga impostos. Na realidade, quem paga impostos é o cliente. O imposto está embutido no preço do produto ou serviço. O empresário é responsável por recolher o imposto, isto é, arrecadar do cliente e repassar para o Governo. Mas como o cliente não vê destacado o valor do imposto, pensa que não paga imposto e quem paga imposto é o empresário. Por essa razão é que Afif Domingos, ex-presidente da Facesp, tem reivindicado o apoio do consumidor brasileiro para que conheça a forma perversa que o Governo adotou no controle da economia em nosso País. Em uma das nossas viagens aos Estados Unidos, por exemplo, vimos que os preços anunciados dos produtos e serviços não estão inclusos no imposto de vendas (equivalente ao ICMS). Lá, a população sabe exatamente que é o povo quem paga os impostos e também o quanto está pagando. Em nosso País, sabemos que o principal problema neste processo de recolher o imposto do cliente para o Governo é o curto prazo entre o fato gerador e o vencimento do recolhimento. Resumindo: o empresário tem que recolher os impostos muito perto do dia em que a nota fiscal foi emitida. Isto não seria nenhum problema se todos os clientes pagassem à vista e se não houvesse inadimplência. Vamos supor que você emitiu uma nota fiscal para um grande cliente e faturou este pagamento para 60 dias. O problema é que você só vai receber o dinheiro do cliente daqui a 60 dias, mas já no mês que vem você será obrigado a recolher o ISS (empresas de serviços), o ICMS (empresas de vendas), o PIS, o COFINS e eventualmente o Imposto de Renda (IRPJ) e a Contribuição O futuro só Deus sabe O Social (CSLL), se o mês seguinte for abril, julho, outubro ou dezembro. Neste caso o empresário vai ter que bancar do próprio bolso o pagamento dos impostos que ele ainda não recebeu do cliente. Se o cliente der o calote, piorou. Pagou imposto por algo que não recebeu. Este é um dos aspectos do “Custo Brasil”. Este problema só estimula ainda mais a economia a ficar estagnada, pois o empresário conta com um sócio que não faz diretamente nada por ele: o Governo. Dessa forma, os pequenos, que não têm capital de giro, ou acabam entrando na ciranda financeira pegando dinheiro emprestado com o banco ou então quebrando. Neste exemplo que demos, normalmente o empresário que não tem capital de giro irá fazer um desconto de duplicata, isto é, pedir dinheiro emprestado ao banco usando a nota fiscal não paga como garantia. O problema é que as taxas de juros no Brasil são estratosféricas (taxa básica do Governo acima de 20% ao ano, enquanto que nos EUA esta taxa é de 1% e, na Europa, 3%), e o empresário acaba tendo que repassar este custo ao preço do produto ou serviço, elevando o custo. Isto faz com que muitas vezes o preço do produto ou serviço não seja competitivo, isto é, empresários Norte-Americanos e Europeus se precisam de dinheiro, pegam ele a um custo muito baixo, tão baixo que o impacto no preço final do produto ou serviço é insignificante, ao contrário do que ocorre no Brasil. Ainda recentemente, um analista econômico, disse algo que não é novidade para ninguém: o empresário brasileiro sem dinheiro sofre. De fato, os que têm dinheiro se sobressaem no mercado: com capital de giro, eles não precisam pegar dinheiro emprestado e com isto, os preços de seus produtos e serviços são obrigatoriamente mais baixos dos empresários que dependem do dinheiro emprestado. O que acaba ocorrendo é que o pequeno empresário fica sem ter como competir com os grandes, quebrando mais cedo ou mais tarde. Como empreendedor que somos, esperamos que neste ano que está começando, a visão do Governo sobre essa situação seja alterada, pois do contrário, nossa missão é continuar vivendo de esperanças. ão Paulo a partir de agora tem uma Lei de Educação Ambiental já publicada no Diário Oficial. A notícia é ótima para todos e mostra que os paulistas estão trilhando no caminho certo da gestão participativa, buscando uma relação sustentável com o meio ambiente. A Lei Estadual n° 12.780/2007 estabelece as diretrizes que devem nortear todas as ações voltadas para a formação, participação e integração da população nas ações que visam a preservação, recuperação ou manutenção ambiental, incluindo os projetos desenvolvidos no âmbito do Governo. A política de educação ambiental reforça também o conceito de transversalidade na educação formal, orientando sua abordagem interdisciplinar e a exploração do tema nos diferentes graus do Ensino. Os municípios em 2008 já deverão estar adequados a essa nova realidade, cumprindo deveres e obrigações como agentes fiscalizadores mais próximos dos problemas que afetam o meio ambiente no interior. Pelo amor de Deus, que não venham com mais taxas. CAPA FOTO: KRIS TAVARES RECICLA BRASIL Sua importância no mundo atual A empresa de Laerte Ribeiro, modelo regional, vai aumentar em 2008 sua área de atendimento e apoiar iniciativas que ajudam a preservar o meio ambiente Commércio Indústria & REVISTA EDIÇÃO N° 30 - JANEIRO/2008 Diretor Editorial: Ivan Roberto Peroni Supervisora Editorial: Sônia Marques Redação: Rosane D’Andréa Depto. Comercial: Idalina Silva Gian Roberto Sebastião Barbosa Designer: Bete Campos Mário Francisco Marcelo Pícolo Diego Ribeiro Impressão: Gráfica Bolsoni - (16) 3336 9008 A revista Commércio & Indústria é distribuida gratuitamente em Araraquara e região INFORMAÇÕES ACIA: (16) 3322 3633 COORDENAÇÃO, EDITORAÇÃO, REDAÇÃO E PUBLICIDADE Fone/Fax: (16) 3336-4433 Rua Tupi, 245 - Centro Araraquara/SP - CEP: 14801-307 marzo@marzo.com.br

[close]

p. 4

ENCONTRO HOJE, O QUE É SER EMPREENDEDOR Louvável a iniciativa da Paulista Júnior em realizar um encontro destinado aos empreendedores da cidade, visando abrir as portas para o fortalecimento das micro e pequenas empresas. Além de fazer uma explanação sobre a Associação Comercial e Industrial de Araraquara, o presidente Valter Merlos debateu com alunos da Paulista Júnior Projetos & Consultoria, os caminhos que vêm sendo percorridos pelo empreendedorismo em nossa cidade. O encontro de Merlos com os universitários ocorreu durante o I Encontro de Empreendedores, no Sesc, atuando como parceiros o Sebrae, SINCOMÉRCIO e Banco do Povo, além da própria Unesp. A Paulista Júnior, organizadora do evento, é uma empresa formada por estudantes dos cinco cursos da Faculdade de Ciências e Letras da Unesp-Araraquara, abrangendo Ciências Econômicas, Administração Pública, Ciências Sociais e Pedagogia, constituindo-se em uma equipe multidisciplinar que atua há 15 anos em quatro áreas: Projetos Sociais, Consultoria, Eventos e Pesquisas. O presidente, Bruno Martucci Filho, fala que a Paulista Júnior tem como missão aprimorar o espírito empreendedor de seus membros através do aperfeiçoamento contínuo, sempre em busca da qualidade empresarial. Desta forma, diz ele, garantimos a prestação de serviços que conduzam à satisfação do cliente e à responsabilidade social. Prepare-se para folia ou para o descanso AL NAV CAR 2008 Maceió saída 02/02 A partir de marzo 8 dias e 7 noites 10x R$ 112,80 Merlos debatendo com universitários as questões do empreendedorismo na cidade Porto Seguro saída 02/02 A partir de 8 dias e 7 noites A PALESTRA Na reunião com os membros da Paulista Júnior, o presidente Valter Merlos destacou o trabalho dos universitários, fez um relato sobre a ACIA desde sua fundação e comentou o papel da instituição dentro do empreendedorismo local. Merlos ressaltou a importância da união das micro e pequenas empresas e mencionou as conquistas de proprietários de farmácias, moveleiros e mais recentemente dos médicos veterinários que decidiram se unir, promovendo a troca de informações para incrementar suas atividades. O Projeto Empreender, que em Araraquara é administrado pelo diretor da ACIA, Joel Roberto Aranha, tem o objetivo de reunir empresários do mesmo segmento, buscando alternativas para o fortalecimento da classe. Também presente ao encontro, Joel disse que o projeto realizado em parceria com a Facesp e o Sebrae, foi implantado na cidade em 2004 com apoio da Confederação das Associações Comerciais e Empresariais do Brasil, apresentando características inovadoras e capazes de provocar profundas transformações econômicas e sociais no País. 10x R$ 135,80 Florianópolis saída 02/02 A partir de 8 dias e 7 noites 10x R$ 136,80 Buenos Aires saídas 01 e 02/02 A partir de 5 noites 10x US$ 84,70 Tarifas e disponibilidade sujeitas a alterações sem prévio aviso. Preço por pessoa em apartamento duplo. Consulte outras opções no site www.businessclasstour.com.br Business.Class VIAGENS E TURISMO Rua Itália, 1740 (esquina c/ Espanha) (16) 3332 9898 3303-3000 SUA LISTA TELEFÔNICA GRÁTIS COMERCIAIS: PRECISA LIGAR NA ACADEMIA, SUPERMERCADO, LOJAS, AGÊNCIAS, CONCESSIONÁRIAS, LOCADORAS, RESTAURANTES, ETC. SERVIÇOS: TÁ PRECISANDO DE ENCANADOR, ADVOGADO, DENTISTA, MÉDICO, CHAVEIRO, VETERINÁRIO, COSTUREIRA, ELETRICISTA, ETC. ÚTEIS: PRECISA LIGAR EM ESCOLAS, CENTROS DE SAÚDE, DELEGACIAS, SECRETARIAS MUNICIPAIS, MINISTÉRIOS, ETC.

[close]

p. 5

SOLIDARIEDADE AÇÕES SOCIAIS RENDERAM MAIS DE 100 MIL REAIS EM 2007 A Associação Comercial e Industrial de Araraquara cumpriu com brilhantismo sua finalidade social em 2007, participando de várias promoções que buscavam recursos para manutenção das entidades filantrópicas. Um saldo positivo, que será maior ainda em 2008. Foto: João Carlos Prédio da ACIA totalmente reformado para oferecer maior conforto aos associados A Associação Comercial e Industrial de Araraquara encerra o ano de 2007 contabilizando um saldo extremamente positivo: as promoções organizadas por ela ou com seu apoio direto arrecadaram pouco mais de R$ 100 mil para várias entidades sociais. O presidente Valter Merlos assegura que este sempre foi um dos objetivos da entidade e da classe empresarial que se dispõe em colaborar, visando o bem estar e a manutenção das instituições filantrópicas. A ACIA, diz Merlos, tem o dever estatutário de defender seus associados, porém, torna-se louvável o apoio da classe em torno dos projetos sociais, para que a entidade exerça uma função social para minimizar os problemas dos menos favorecidos. Entre as entidades que receberam apoio da ACIA, estão o Lar São Francisco de Assis, APAE, Vila Vicentina, Hospital Cairbar Schutel, Orfanato Renascer, Instituto dos Cegos Santa Luzia e Casa do Senhor. Para atingir essa marca financeira a ACIA organizou Festa Junina, Macarronada, Festa dos Anos 60, Futebol com a Seleção Brasileira de Veteranos, além de outros eventos. Comissão que recebeu os atletas: Luiz Moreira Cesar, Joel Aranha, Edna Martins, Dorothy Cardoso, José Mário Redondo e Antônio Luiz Roçafa Com toques refinados e tratando a bola do jeito que precisa, alguns craques do passado lavaram a alma dos torcedores de Araraquara, na Fonte Luminosa, em jogo beneficente que teve o apoio de Graciano R. Affonso, Prefeitura, ACIA, Unidoor, Gráfica Benê, EPTV, Rádios Cultura e Morada do Sol, Jovem Pan e Bandeirantes. A renda de R$ 27.084,00 foi rateada em favor do Lar São Francisco de Assis (R$ 11.087,00), APAE (R$ 10.027,00) e CEDEFACE (R$ 5.437,00). A Seleção Brasil Futebol Arte ganhou da Seleção de Empresários de Araraquara por 8 a 1. • Ambiente climatizado; • 23 variedades de carnes; • Buffet com mais de 30 tipos de saladas; • Bebidas de todas as marcas; • Equipe treinada para sua satisfação; • Reservas para casamentos e eventos; • Estacionamento próprio. (16) 3335.2286 / 3336.2875 Farmácia MEDICAMENTOS, PERFUMARIA, MANIPULAÇÃO DE FÓRMULAS, FARMACÊUTICOS EM PERÍODO INTEGRAL, APLICAÇÕES E ENTREGAS EM DOMICÍLIO Loja 2 R. Antenor Borba, 808 Jd. Universal Fone/Fax: (16) 3331.4488 Loja 1 Av. Bandeirantes, 1707 (entre Ruas 13 e 13 ½) Fone/Fax: (16) 3336.1050 A primeira Farmácia Climatizada de Araraquara e com ISO Empresarial 2004 APLICAÇÕES E ENTREGAS EM DOMICÍLIO

[close]

p. 6

COOPERATIVA CONCLUÍDA A FUSÃO DA COMCRED COM IESACRED 5 MILHÕES DE REAIS FORMAM O ATIVO No início de dezembro, a incorporação promovida já colocou a disposição dos micro, pequenos, médios e grandes empresários, a Sicoob Iesacred, uma instituição financeira com recursos que vão alavancar o comércio da cidade, atendendo por extensão, os funcionários das empresas associadas da cooperativa. Gaban, presidente das cooperativas que se uniram com o objetivo do crescimento Apesar de ainda ser pouco conhecido pela sociedade em geral, o crédito cooperativo vem, aos poucos, conquistando um número maior de empresários no Estado de São Paulo. Em nossa cidade, a fusão da Comcred com a Iesacred, também confirma este cenário e coloca as duas cooperativas de crédito em posição privilegiada a partir de 2008. Com a incorporação, a Comcred ganha porque aumenta a disponibilidade financeira para os empresários; a Iesacred ganha porque tem um universo maior de clientes para oferecer seu capital. “Hoje, o setor empresarial está entendendo que a cooperativa vem para ajudá-lo a alavancar seu negócio”, comenta Antônio Tomazetti Gaban, eleito diretor-presidente da instituição. Ele explica que houve inicialmente a migração dos associados da Comcred para a Iesacred e no começo de dezembro ocorreu a incorporação, passando a cooperativa a ter outra denominação ou marca: SICOOB IESACRED. Para Gaban, resta apenas a assinatura do contrato para agregar à Iesacred a marca SICOOB, maior sistema cooperativo do Brasil. Com cerca de 2.200 cooperados e um capital de 5 milhões de reais, a cooperativa ganha forças para disponibilizar uma so- bra financeira considerável e aumentar sua receita visando baixar os custos operacionais e proporcionando ganho ainda maior aos cooperados. Os resultados obtidos até agora, comenta Gaban, indicam que vamos fornecer um serviço bancário para o comércio e para funcionários das empresas associadas bem mais barato que qualquer banco. E completa: “Quanto maior nosso crescimento, menor será o nosso custo operacional para os associados”. REPERCUSSÃO Walter Francisco Orloski, que durante muitos anos exerce a função de auditor das duas cooperativas, comemora o sucesso da fusão pois sabe que a repercussão foi positiva, principalmente junto ao Sicoob, que controla as cooperativas de crédito. Estamos na frente, diz Orloski. O que a Comcred e a Iesacred já fizeram será um fato corriqueiro nos próximos anos, pois o objetivo das cooperativas sempre será trabalhar com taxa de juros e tarifas bem menores que os bancos. Unidas, as cooperativas serão fortes e competitivas dentro do mercado financeiro. Orloski conta ainda que a mesma tendência dos bancos maiores assumirem os

[close]

p. 7

Cada vez mais os empresários apostam no sucesso do cooperativismo na cidade e colocam a Sicoob Iesacred em posição privilegiada dentro do sistema financeiro Mário Thuyosi Hokama, conta que a fusão foi a maior conquista da Comcred em 2007 menores, ocorrerá em relação às cooperativas que se juntarão para o crescimento. Essa é a prática utilizada para que os maiores adquiram musculatura, quer dizer, sejam mais fortes. O poder cooperativista cresce no momento em que os bancos lucram cada vez mais, alimentados com taxas ocultas no parcelamento de empréstimos, serviços oferecidos ou mesmo pelo simples fato do cliente manter uma conta na instituição. Nos bancos, diz o dirigente, “não tem almoço grátis”. Tudo é pago. As cooperativas, segundo ele, devem prosperar, pois os juros caindo, o spreed (diferença entre a taxa de juros cobrada e a taxa de juros que remunera o capital dos associados), também cai, tornando mais difícil a cobertura dos custos operacionais. Com isso, as cooperativas têm que ganhar em escala, aumentando os serviços oferecidos, como se fossem bancos, porém, sem a cobrança de taxas abusivas. A fusão entre Iesacred e Comcred, lembra Orloski vai continuar sem fins lucrativos, capaz de oferecer todos os produtos bancários, com custo mais baixo. Por ser uma cooperativa, as sobras serão rateadas entre todos os cooperados. “Nas cooperativas, o recurso que sobra não fica concentrado nas mãos de poucos. Ao contrário, é diluído, é distribuído”, conclui Orloski. NOVA DIRETORIA Para Mário Hokama, diretor administrativo da Sicoob Iesacred, um dos fundadores da Comcred, a fusão foi um dos mais importantes passos da entidade para ampliar sua prestação de serviços ao comércio e à indústria na cidade e região. Este avanço significa, diz ele, maturidade e uma força maior que vai beneficiar a classe empresarial. O nosso objetivo, continua Hokama, sempre foi de reforçar o conceito cooperativista, sem perder de vista a cooperativa como uma alternativa eficaz para todos os serviços financeiros, inclusive para que os empresários obtenham créditos e investimentos. Até o ano de 2012, a Sicoob Iesacred será dirigida por um Conselho de Administração assim formado: Diretor Presidente Antônio Tomazetti Gaban Diretor Operacional João Barbosa Diretor Administrativo Mário Thuyosi Hokama Diretores Ademar Ramos Silvia Aparecida Sônego Jair Malpica Sidinei Oltramare ATENDIMENTO SICOOB IESACRED Rua Gonçalves Dias, 974 Fone: (16) 3331 2170 Araraquara “Enquanto os grandes empresários brigam de igual para igual com os bancos pois têm força para isso, vemos os pequenos comerciantes, que geram grande parte dos lucros dos banqueiros, esmagados pelo poder do sistema bancário. A Sicoob Iesacred vem para fortalecer o pequeno empreendedor, com o objetivo de ajudar a aumentar a competitividade do seu negócio”.

[close]

p. 8

José Carlos Pascoal Cardoso com os companheiros de diretoria SINHORES REELEIÇÃO DA SUA DIRETORIA Os serviços de hotelaria e alimentação, em fase de crescimento no mercado, tornam o SinHoRes, um dos mais fortes sindicatos na cidade e região. O empresário José Carlos Pascoal Cardoso ao ser reeleito presidente do Sindicato de Hotéis, Restaurantes, Bares e Similares de Araraquara e Região, o SinHoRes, no final de novembro, disse que a entidade tem cumprido seu objetivo de contribuir na garantia da empregabilidade de uma grande parte dos brasileiros. A nossa região, comentou o dirigente, não é diferente, pois são implantados novos empreendimentos regularmente, como hotéis, pizzarias, motéis, restaurantes e tantos outros que vêm enriquecer a nossa base territorial. O SinHoRes, completou Cardoso, é o ponto de referência para novos empreendedores, pois oferece orientação técnica e apresenta os índices do mercado de estabilidade para que bons negócios sejam gerados com muita segurança na cidade e região. Composto por 25 membros, o quadro diretivo do SinHoRes em Araraquara deverá administrar a classe nos próximos três anos. Nesta diretoria constam como presidentes honorários, Vicente Michetti (Hotel Uirapuru) e Apparecido Dahab (Kibelanche), além de um diretor honorário, Joaquim Palomino, que teve sua vida voltada durante muitos anos para o Hotel Municipal. DIRETORIA ADMINISTRATIVA Presidente: José Carlos P. Cardoso 1º Vice-Presidente: Luiz Antônio Flório 2º Vice-Presidente: Saba José Harb 1º Secretário: João Carlos Missorino 2º Secretário: Eduardo Salim Haddad 3º Secretário: Fernando Pacchiarotti 1º Tesoureiro: Alcides Junquetti 2º Tesoureiro: Marco Antônio de Freitas 3º Tesoureiro: Joaquim Morgado Lagoa Suplentes Luiz Amadeu Sadalla Luiz Yoshinobo Meyagusku William Jorge Molina Gil Diretoria Social Vânia Maria Pavan Manoel Araújo Sobrinho Conselho Fiscal Edson Carlos Bezerra da Silva Vanda Ap. Nunes Fernandes Paulo Tamer Suplentes Adailton Pace Solange Aparecida Ambrozio Tanache Joemir A. Pinotti de Oliveira Uma empresa especializada e pioneira em Ergonomia e Biomecânica Ocupacional PROFISSIONAIS PARA DESENVOLVER - Laudos Técnicos Ergonômicos (NR 17-Ergonomia)* e Biomecânica do Movimento Ocupacional Qualitativo e Quantitativo dos Postos de Trabalho; - Ginástica Laboral: elaboração de prescrições de exercícios específicos para o trabalho; - Assessoria Técnica para processos cíveis ou trabalhistas no casos de LER/DORT; - Treinamentos Técnicos Ergonômicos - NR 17 (individual ou coletivo) - Programa de Gestão de Ergonomia; Tel. (16) 3322 8695 • Cel. (16) 8112 5288 • ambioergo@terra.com.br *Norma Regulamentadora 17 - Ergonomia

[close]

p. 9

A entidade ocupa uma área de 10.000m², na avenida Cientista Frederico de Marco, 750, Vila Xavier, doada ao município em 1975, pelo então prefeito Rubens Cruz. O projeto do arquiteto Paulo Barbieri prevê a construção de quase 6 mil m²; faltando 1.500m² para serem concluídos FEIRA DA BONDADE printsolution eficiência em impressão Especializada em impressões de qualidade, possui uma equipe técnica apta a resolver todo e qualquer problema em seu microcomputador, monitor e impressora, além de apresentar cartuchos laser e deskjet de notável superioridade em desempenho e rendimento, remanufaturados com técnicas modernas e submetidos aos mais rigorosos teste de controle de qualidade. Completando ainda o leque de variedades nossos amigos, clientes e parceiros contam com um carinho especial na aquisição de novos equipamentos, seja através de simples assessoria ou através da venda direta. APAE ARARAQUARA análise e consultoria UMA HISTÓRIA BEM ESPECIAL Exercer a defesa de direitos da pessoa com deficiência, oferecer apoio às suas famílias, promover serviços de prevenção, habilitação e reabilitação, colaborando na transformação social do Brasil, é um dos objetivos da APAE, caminhando para completar 45 anos de existência em nossa cidade. Encerrada mais uma Feira da Bondade, organizada pela APAE, a comunidade entra novamente em um processo de reflexão sobre a importância da instituição em nossa cidade. Fundada no dia 28 de agosto de 1963, a APAE assumiu o compromisso de promover o bem estar, a proteção e o ajustamento em geral de indivíduos especiais, onde quer que se encontrem, estimular os estudos e pesquisas relativos ao problema das pessoas com necessidades especiais. E é assim que ela funciona há 44 anos. A história da APAE em Araraquara começa em junho de 1963 quando a professora Jáy de Arruda Piza, orientadora pedagógica do Serviço de Higiene Mental da Secretaria de Educação de São Paulo promoveu uma reunião no salão nobre da Faculdade de Filosofia, no centro da cidade. Entre os presentes, o professor Dante Moreira Leite, responsável da cadeira de Psicologia da Faculdade de Filosofia Ciências e Letras de Araraquara, que sugeriu a formação de uma comissão para coordenar a fundação da Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais de Araraquara. Fizeram parte da comissão: Dr. Salvador Gonzaga Morbach, Dr. Rui Soares, professor Almiro Pires Valente, professor Dante Moreira Leite, Lauro Costa, Jofre David (Rádio Cultura), Aparecida M. Silveira, Maria Correia Cerqueira, Abigail M. Callera, Maria do Carmo R. Silva, Ana Maria Ópice de Matos, Irmã Serafina e Guilfo Pescuma. No dia 26 de julho de 1963, aconteceu nova reunião, também na Filosofia e além da comissão já formada, outras pessoas aliaram-se ao movimento, lideradas por Lauro Costa, que tornou-se o primeiro presidente da entidade. NOS TEMPOS MODERNOS A APAE, pela seriedade dos seus dirigentes e propósitos, tornou-se uma das instituições mais respeitadas em toda a região. Atualmente presidida pelo ex-delegado de polícia Florival Cardoso Bruno, a entidade presta atendimento para 340 crianças. Empresa atuante na aréa de desenvolvimento de softwares, análise e consultoria, notável no cenário da informática. Especializada em programações java e java script, possui grandes empresas em sua carteira de clientes, como a IBM do brasil, Banco Itaú, Brasil Telecon, CPqD e Vulcabras (Reebok). Em parceria com a printsolution fixou nesta cidade a sede de seu escritório operacional e cedeu com exclusividade a administração do departamento comercial. Com uma vasta experiência de mercado possui desde simples sistemas de controle empresárial até completos sistemas de complexidade única, gerenciados de qualquer parte do mundo por usuário autorizado, através da internet. print graf A MELHOR IMAGEM PARA SUA EMPRESA Segmento que tem viabilizado a criação e a finalização de impressos em geral, conta com uma gráfica rápida, destinada a suprir em tempo hábil pequenas quantidades de impressão e, associada a um grande parque gráfico da capital paulista, confecciona impressos tradicionais, com baixo custo e qualidade superior. Diferenciando-se dos concorrentes, sofistica a produção gráfica com acabamento acetinado fosco, verniz uv localizado e laminação bopp, trabalhados em papéis de gramatura superior aos usuais. Os serviços são voltados exclusivamente às empresas, o que nos permite oferecer maior eficiência com baixo custo. UNINDO FORÇAS POR VOCÊ. Joel Aranha, representando a ACIA na Feira da Bondade com o amigo Rudi Bauer (16) 3334 3102 A APAE sempre encontrou na comunidade pessoas dispostas em ajudar RUA ITÁLIA, 1437 - CENTRO print.solution@uol.com.br

[close]

p. 10

A igreja ganhou cores em dezembro CAMPANHA A árvore de natal na Praça Santa Cruz atraiu muita gente da cidade e região CLARO QUE É NATAL Comércio faz campanha que o consumidor elogia e aplaude, resultado que temos após implantação de arrojado projeto para valorizar a campanha de vendas no período do natal. Os comerciantes de Araraquara este ano, uniram-se na participação em favor de um Natal marcante para a cidade e conseguiram alcançar essa meta, conforme se pôde notar pelas reações de aprovação e aplauso do público à campanha “Claro que é Natal”. Durante todo o ano, 185 comerciantes contribuíram espontaneamente para um fundo de custeio da campanha e contaram com a participação efetiva da Prefeitura Municipal, que assumiu os gastos com energia, e do SESC Araraquara, que se responsabilizou com os encargos da infraestrutura para a apresentação do grupo “Sou da Paz”. Essa aprovação deu-se em relação aos vários eventos imaginados e realizados, a começar pela iluminação decorativa, que este ano incluiu outros corredores comerciais, como avenida Sete de Setembro e a Alameda Paulista. Depois, aplaudiram iniciativas como os trios que fizeram apresentações musicais e de poesia nas lojas colaboradoras, os mais de 20 Papais Noéis que circularam pelos corredores comerciais distribuindo ao público, especialmente para as crianças, 3 toneladas de balas. E o trenzinho que circulou levando as crianças em passeios. Muito elogiada foi também a árvore de Alameda Paulista também iluminada Natal com 10 metros de altura e seis de diâmetro na base, armada na Praça Santa Cruz, onde a fachada da igreja foi toda iluminada. E coroando todo esse esforço, um espetáculo que dificilmente Araraquara vai esquecer: a apresentação do grupo “Sou da Paz”, com seu coral de 57 crianças que encantaram o público que lotou a Praça de Santa Cruz em suas duas apresentações. Além dos comentários altamente elo- EQUIPAMENTOS PARA HOTEL, RESTAURANTE, PADARIA, AÇOUGUE, COZINHA INDUSTRIAL E SIMILARES VEND AS E ASS IST ÊNCI A TÉ CNI CA AUTORI ZAD A Av. Maria Antonia Camargo de Oliveira, 3489 (Via Expressa) Vila Ferroviária - Araraquara/SP - Tel/Fax: (16) 3331-4755

[close]

p. 11

Sinos duplos na decoração da Rua Nove de Julho giosos após cada apresentação, pessoas deram-se ao trabalho de enviar a jornais locais, cartas de cumprimentos pela iniciativa do SINCOMÉRCIO em trazer para nossa cidade o grupo “Sou da Paz”. “A união dos comerciantes de Araraquara possibilitou esse Natal inesquecível e tenho a certeza de que reforçou o espírito participativo, dentro do conceito de que “a união faz a força”, e em 2008 a campanha de Natal certamente será ainda bem melhor”, garante Ivo Dall’Acqua, presidente do SINCOMÉRCIO Araraquara. Em reconhecimento, o SINCOMÉRCIO promoveu um jantar de confraternização para homenagear os 185 comerciantes responsáveis pelo financiamento da campanha. Em termos financeiros, os investimentos foram da ordem de R$ 326,6 mil reais, sendo R$ 228,6 mil de responsabilidade do SINCOMÉRCIO Araraquara e estimados R$ 98 mil da Prefeitura, em energia até a iluminação ser desligada, em janeiro; acrescente-se o valor que teria de ser pago pela infra-estrutura do show do coral (palco, som e iluminação), oferecida pelo SESC. A colaboração dos comerciantes somou R$ 22,5 mil, que foi de grande importância para execução do projeto em 2007, e que se repetirá neste ano. PRESTANDO CONTAS Ivo Dall’Acqua diz que sente-se recompensado pelos elogios que os organizadores têm recebido da comunidade e contabiliza o que foi feito: 6 quilômetros de iluminação decorativa com motivos natalinos, num total de 347 peças. Para ele o clima de Natal foi sentido em todos os momentos com os cometas, sinos duplos, sinos simples e bolas coloridas que deram um toque diferente à campanha. 1 o CARNABAL Carnaval e Baile Vamos relembrar nosso Carnaval do passado DIA 25 de janeiro (sexta-feira - 20h30) Boate do Clube 22 de Agosto (ambiente climatizado) Animação: MUSICAL ANOS DOURADOS Reserva de Lugares (Toninho de Caconde) Dias: 15 e 22/01/08 (terça-feira) das 15h às 16h e das 20h30 às 21h30 - Melusa Clube GRUPO DA MELHOR IDADE

[close]

p. 12

Laerte Ribeiro, diretor da Recicla Brasil REPORTAGEM DE CAPA O prédio na Vila Xavier tornou-se pequeno para a compra dos produtos que chegam EMPRESA ADQUIRE ÁREA PARA TRIPLICAR RECICLAGEM GARANTINDO O FUTURO COM MAIOR QUALIDADE DE VIDA Para compreendermos a reciclagem, é importante “reciclarmos” o conceito que temos de lixo, deixando de enxergá-lo como uma coisa suja e inútil em sua totalidade. O primeiro passo é perceber que o lixo é fonte de riqueza e que para ser reciclado deve ser separado. A técnica aplicada pela Recicla Brasil inovou o conceito da atividade e a colocou em destaque no mercado regional. ceria com uma indústria do segmento de alumínio, em 15 de novembro de 2002, porque não existia nenhuma empresa de reciclagem nessa região central do Estado de São Paulo. A empresa, cinco anos depois, oferece com sucesso ao comércio e às indústrias da cidade, em termos de trabalho, uma parceria sobre os resíduos que são recicláveis. “Também é nosso objetivo fazer com que as pessoas de fato se conscientizem e passem a aderir a esse programa que é reciclar, e dar destino dos seus materiais para o local correto”, explica Ribeiro. A Recicla Brasil compra todos os resíduos que as indústrias geram como: papel, plástico, metais ferrosos e não ferrosos e coloca à disposição das empresas, funcionários qualificados para a retirada, caçambas, prensas e caminhões que atuam nessa logística junto às empresas. Antigamente, conhecidos como “ferro velho”, os depósitos geravam muito vidro, sucata de ferro, papelão. Alguns desses depósitos criaram história comercial, é o caso do parceiro Daniel Merlos, há 50 anos no mercado e pioneiro na cidade. “De cinco anos para cá começou a “onda” das reciclas,” conta. A Recicla Brasil recebe e coleta uma grande variedade de produtos. Cada produto é separado e vendido para um comprador específico. “No segmento de plástico, para darmos alguns exemplos, temos o polietileno de baixa densidade, conhecido como plástico fino, de embalagem. É feita uma triagem e separa-se branco dos coloridos”, esclarece. Depois o PEAD que é o polietileno de alta densidade, conhecido como embalagens dos produtos de higiene e limpeza e o pós-consumo na área alimentícia: desinfetante, xampu, potes de margarina. O polietileno tereftalato, são as garrafas PET: a triagem é feita para separar as O empresário Laerte Ribeiro, responsável pela Recicla Brasil, sempre trabalhou na área metalúrgica e veio de São Paulo para Araraquara há cinco anos. A Recicla Brasil nasceu de uma par- Os materiais que chegam, são separados seguindo forma bastante criteriosa

[close]

p. 13

A reciclagem é um processo industrial que converte o lixo descartado (matéria-prima secundária) em produto semelhante ao inicial ou outro. Reciclar é economizar energia, poupar recursos naturais e trazer de volta ao ciclo produtivo o que é jogado fora. A palavra reciclagem surgiu no vocabulário internacional no final da década de 80, quando foi constatado que as fontes de petróleo e outras matérias-primas não renováveis estavam e estão se esgotando. Reciclar significa = Re (repetir) + Cycle (ciclo). Uma área de 20 mil m² está sendo preparada na rodovia Araraquara-Américo, dentro do processo de expansão da empresa, para atender a demanda regional brancas das verdes. Já o PP- Polipropileno é conhecido como garrafinhas de água, potes de margarina, de Nescau; PS são os materiais que quebram seco como plástico de computador e o APS que pode ser exemplificado pelos copos de liquidificador. Todos passam por triagem, depois pelo enfardamento e cada produto vai para um comprador específico. Por falar em plástico surge a pergunta do momento sobre as famosas sacolas plásticas de supermercado. É possível reciclar? De acordo com Ribeiro, a sacolinha é um PE de alta densidade e tem uma resistência mecânica. “Algumas empresas, dependendo da matéria-prima, produto ou subproduto, incorporam no final um pouco de sacolinha plástica. Não que ela não seja reciclável, mas a aceitação é pequena porque o valor é muito baixo”. Na área de papel, a Recicla Brasil classifica o papelão, papelão misto, jornal e revista, aparas de papel branco 1, 2 e 3, encartes, que são chamados de gráfica clara ou escura, papel Kraft (aqueles de ração). “Temos também o que chamamos de maculatura que são as bandejas de pizza, os micro-ondulados que são caixas de papel, de sabão em pó, caixa de gelatina”, diz ele. Os materiais nobres são latinhas, metal, inox, chumbo, bateria, cobre 1 que é o limpo, 2 que é o cobre queimado e o 3 que é o cobre encapado, os materiais ferrosos como enlatados, restos de geladeiras, fogões, armários, bicicletas, carcaça de carro. Laerte Ribeiro é pioneiro em termos de orientar melhor os catadores. “Fui o primeiro em iniciar o processo com balanças digitais que é imprescindível num depósito e também em falar que cada tipo de Os materiais são prensados e transformados em fardos material tem um preço diferenciado. Antes tudo era comprado pelo mesmo valor. Um exemplo é a latinha: tem o preço estipulado de R$ 3,00/kg, mas chegou a custar R$ 3,80/kg.”, explica o empresário. Materiais já em fardos para serem encaminhados ao comprador em mercado específico A equipe conta com 36 funcionários fixos e indiretos entre 4.200 a 4.500 pessoas/mês, considerando que passam 120 pessoas em média, por dia. A empresa também possui veículos próprios. A Recicla Brasil processa por mês 400 toneladas de produtos. “Com as futuras instalações, a serem inauguradas em 2008, a projeção é triplicar esse número, porque temos grandes parceiros em Matão, São Carlos, Jaú, Boa Esperança, Dois Córregos, Brotas, Taquaritinga, Ibitinga, Dobrada, Américo e Rincão”, argumenta. Casado com Vanessa Kalen Carrera e pai de Enzo, 10 anos e Valentina, 8 anos, a filosofia de Laerte Ribeiro é a dos três erres: reduzir, reutilizar e repensar, para que tenhamos um futuro com maior qualidade de vida.

[close]

p. 14

o meu ode D ern cad NOTAS ALVES CORRÊA Frase de Coca Ferraz: “De Santi e eu temos discutido a figura de um city manager (gerente), que por sinal, já existe hoje em nossa cidade”(?) dade para conquistar o eleitorado e transformou-se numa das grandes expressões políticas da região. Ao discutir com o governador José Serra a problemática da citricultura paulista e sugerir políticas fiscais compensatórias para o setor, mostrou conhecimento sobre a situação e preocupação com o avanço do greening, doença que provoca a queda dos frutos. Ele tem reivindicado maior fomento à pesquisa no combate às pragas no Estado, que é responsável por 80% da produção brasileira de suco de laranja e detém 48% do mercado mundial gerando 400 mil empregos diretos. São 22 mil propriedades que ocupam 820 mil hectares. Elas são responsáveis por um faturamento de US$ 3,3 bilhões, 80% provenientes de exportações. É inegável o prestígio de Roberto Massafera como empresário e principalmente agora como político na esfera estadual. Ao exercer o cargo de prefeito em Araraquara mostrou competência e seriedade, teve humil- GRANDE HOMENAGEM O cantor Gonzalo Cortez homenageou em baile realizado no 22 de Agosto, os grupos da terceira idade de Araraquara e Região, para agradecer o apoio que sempre teve ao longo de sua brilhante carreira profissional (50 anos). Parabéns! BOM DEMAIS No período de janeiro a setembro, a Embraer entregou mais de 100 jatos e praticamente alcançou a meta na temporada. Fecha 2007 com faturamento de 5 bilhões de doláres. ENTREGANDO PRÊMIO COMBATE AO CRIME Oreste Zenatti, o Lelé do Açougue, entregando a bike sorteada entre os clientes do Açougue Modelo, em novembro. Segundo ele, novas promoções ocorrerão em 2008. Ronaldo Marzagão, secretário estadual da Segurança Pública, disse em Araraquara, que a polícia está agindo com mais inteligência e mapeando o crime organizado. EM NOME DO SENHOR Marcelo Cristiano da Silva Siqueira, aluno concluinte do curso de Direito do Centro Universitário de Araraquara (Uniara) recebeu em dezembro, as Ordens Sacras, a Investidura de Ministro e Ordenação no grau de subdiaconato na instituição. Marcelo explica que essa foi uma preparação para a ordenação no grau Presiterato que aconteceu dias depois, seguido de uma missa tridentina por seu aniversário. Ele agradece aos que presenciaram as celebrações em especial ao reitor da Uniara, Luiz Felipe Cabral Mauro por ter cedido o local para as celebrações e suas visitas pastorais.

[close]

p. 15

SERVIÇOS CRESCEM NO MUNICÍPIO SERVIÇOS NO RANKING DOS 100 ESTAMOS FORA O valor total da economia de Araraquara está em 108° lugar no País, de acordo com o IBGE. Os números apresentados correspondem ao período de 2002 e 2005, quando a riqueza gerada na cidade passou de R$ 2,098 bilhões para R$ 2,758 bilhões. Rio Claro, Matão e São Carlos estão entre os cem primeiros municípios brasileiros. A quarta divulgação, pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), do Produto Interno Bruto dos municípios (PIB, soma de todas as riquezas produzidas pelas cidades) confirmou a concentração regional da renda do País. Apenas cinco capitais - pela ordem, São Paulo, Rio de Janeiro, Brasília, Curitiba e Belo Horizonte - responderam por um quarto do PIB nacional em 2005. No outro extremo, os cinco municípios com os menores resultados, quatro deles no Piauí, representavam 0,001% de toda a renda gerada no País. O leque, de acordo com os números apresentados, apenas dilata a desigualdade: metade do PIB brasileiro está concentrada em 51 municípios, ou seja, em menos de 10% do total, de 5.564 cidades. Já na ponta mais pobre, é necessário juntar 1.338 municípios para chegar a 1% do PIB nacional. Na divulgação, o IBGE estreou nova metodologia, que leva em conta mu- Em razão das necessidades de tornar um negócio mais eficaz, competitivo e rentável, as empresas necessitam de gestões diferenciadas nas seguintes áreas: • Setor Administrativo • Financeiro • Estoque • RH • Melhoria de Processos • Produção • Pré-Venda/Venda/Pós-Venda • Assistência Técnica • SAC • Qualidade Total • Certificação para ISO • Segurança José Luis Cutrale, com as laranjas produzidas pela Cutrale, deixa Itápolis em posição privilegiada na economia agropecuária brasileira danças na atividade de serviços, provocadas sobretudo por avanços tecnológicos. SERVIÇOS CRESCEM Os números apresentados pelo IBGE mostram que o setor de serviços praticados em nosso município foi o que obteve melhor índice, figurando entre os primeiros 90 municípios no País. Essa projeção de crescimento começou a ser feita a partir dos anos 90, quando os economistas mostraram que a cidade vinha apresentando essa tendência. Araraquara não aparece no ranking das 100 primeiras cidades brasileiras no setor industrial, nem mesmo na agropecuária. Distante de Araraquara, a 60 quilômetros, o munícipio de Itápolis está em 66° lugar no ranking da economia agropecuária. Nesta região, a Cutrale concentra uma grande parte dos seus pomares de laranja. Av. Vaniel Caldas de Mesquita, 181 Vila Xavier - Araraquara - SP Fone: (16) 3337 4466

[close]

Comments

no comments yet