Revista Comércio & Indústria - Novembro/2006

 

Embed or link this publication

Description

Revista Comércio & Indústria - Novembro/2006 - Ano 2 - Nº 16

Popular Pages


p. 1

Commércio R E V I S TA Indústria Novembro/2006 ANO 2 - N° 16 Associação Comercial e Industrial de Araraquara ADEUS ÀS LISTAS TELEFÔNICAS Investir pesado em alta tecnologia e software específico na área de comunicação e informação deu ao empresário José Oreste Bozelli (Neto), o ineditismo de um serviço que leva as tradicionais listas telefônicas para uma fase terminal. O DISKFONE dá a informação em 10 segundos e não se paga por ela: quem ganha com o serviço é a empresa que se associa ao DISKFONE.

[close]

p. 2



[close]

p. 3

DO EDITOR PONTO DE VISTA Valter Merlos Presidente da ACIA Ivan Roberto Peroni UTILIZANDO A MISÉRIA COMO SÍMBOLO DE UMA CAMPANHA O nosso envolAlém da exposição miserável a que exvimento com os compõe seu próprio povo, Lula que diz ter saído panheiros de Rotary da pobreza e saber sentir na carne o peso Club, onde já exercemos o cargo de Godolorido da fome, envereda pelos camivernador de Distrito, nos deu uma grande nhos da arrogância ao se intutular como o experiência de vida e a possibilidade de responsável pela redução da pobreza neste trocar informações sobre as questões soPaís e de melhorar as condições de vida das ciais em nosso País. Sabemos que o objecomunidades mais pobres, tornando-as no tivo da entidade que participamos é de entanto mais fracas e dependentes do pão e estimular e fomentar o ideal de servir, como circo que são oferecidos como um “grande base de todo empreendimento digno. favor”. Ao buscar definições ou explicações Ora, cobra-se com a esquerda o que foi para o que se chama de “ideal de servir” dado com a direita, um costume nada vemos que este ideal é fomentado através adequado para um chefe de uma nação; e do desenvolvimento do companheirismo cotambém faz cortesia com o chapéu alheio, mo elemento capaz de oferecer oportupois na verdade, ameniza a dor dos carennidades de servir; do reconhecimento do tes com os recursos provenientes dos immérito de toda a ocupação útil e da difusão postos que nós pagamos. Aliás, se esses das normas de ética profisvalores fossem utilizados de sional; da melhoria da comuforma mais transparente, os “Ora, cobra-se com nidade pela conduta exemproblemas sociais em nosso a esquerda o que foi plar de cada um na sua vida Brasil seriam bem menores, dado com a direita, pública e privada; e da apropois as instituições de carium costume nada ximação dos profissionais de dade não estariam vivendo adequado para um todo o mundo, visando a consituações de penúria por chefe de uma nação solidação das boas relações, cumprir o papel que é do próque também faz da cooperação e da paz entre prio governo que cada vez cortesia com o chapéu mais transfere essa responas nações. alheio...” Basicamente, o objetivo é sabilidade social para as quase tudo que o ser humano ONGs e à classe empresarial. bem intencionado deve colocar em prática Vangloria-se a classe política por ajudar para levar uma vida regada pelo trabalho, os menos favorecidos; rejubiliza-se de pelo amor à família e pelo respeito ao próforma irresponsável utilizando a miséria do ximo. Conseqüentemente será um cidadão próprio irmão como símbolo de campanha. devotado à ordem e ao progresso da sua Deus ficaria certamente mais satisfeipátria. to, se esses governantes colocassem um Os clubes de Rotary ou até mesmo pouco mais de amor na ponta das canetas outros que tenham o perfil de benemerênquando fossem definir seus planos de gocia, ao longo de sua história têm se curvado verno como algo sagrado e dessem aos que diante da miserabilidade de uma grande precisam, mais emprego e remuneração parcela da população brasileira, procuranjusta. Num país onde todos trabalhassem e do se solidarizar com a situação das coganhassem dignamente, não seria preciso munidades e tentando viabilizar condições se distribuir tantas esmolas. que amenizem o sofrimento das famílias ou Torna-se, portanto, imprescindível que pessoas. Um papel que certamente não as instituições se unam, seja a forma que for seria seu ou nosso, mas dos governantes. da sua constituição, cada uma esclareFazemos e nos calamos. cendo seus associados e estes, à popuLamentável contudo, o comportamento lação como um todo, cobrando das autode uma grande parte dos políticos brasiridades judiciárias, se preciso - novamente leiros e até mesmo do nosso Presidente da de caras pintadas - maior rigor e rapidez nas República, Luiz Inácio Lula da Silva, trimedidas contra a corrupção implantada pudiando insistentemente sobre a miséria nos meios políticos e que impeçam a utilide muitos de nossos irmãos e fazendo dezação da estratégia do populismo, pois poles uma bandeira social para vencer as de ser um risco para os fundamentos da eleições neste ano de 2006, nos deixando democracia. Que não nos curvemos diante indignados. dos vendedores de ilusões. QUEM VAI QUERER Praticamente fechado neste ano o quadro eleitoral da cidade, as atenções se voltam para o início de 2007, com os partidos se mobilizando para a escolha do próximo prefeito municipal. A eleição de Dimas Ramalho (deputado federal) e Roberto Massafera (deputado estadual) acomoda parte de uma situação política, já com a indicação de alguns prefeituráveis: Edna Martins que esquentou seu nome disputando a Assembléia Legislativa Estadual e Ronaldo Napeloso que deixa a presidência da Câmara, podem ser as novidades. Coca Ferraz e Marcelo Barbieri, que ficaram fora das disputas em outubro, devem tentar novamente o Executivo e, Carlos Alberto Manço poderá ser o apoiado do ex-prefeito Waldemar de Santi, que continua com uma grande fatia do eleitorado local. Ainda que nomes representativos da nossa política sejam anunciados, ninguém pode desprezar o surgimento de novas lideranças, que é o que tem faltado na discussão dos problemas da cidade. A corrida pela sucessão municipal no entanto, começa com o desenho deste quadro. CAPA FOTO: KRIS TAVARES NETO BOZELLI Listas telefônicas caminham para o fim Diretor da Process implanta em nossa cidade o DISKFONE um facilitador para quem procura um número telefônico em menos de 10 segundos. Commércio Indústria & REVISTA EDIÇÃO N°16 - NOVEMBRO/2006 Diretor Editorial: Ivan Roberto Peroni Assistente: Rosane D’Andréa Supervisora Editorial: Sônia Marques Depto. Comercial: Claudio Muniz Carlo Endrigo Fernanda Pícolo Gian Roberto Idalina Silva Sebastião Barbosa Designer: Bete Campos Mário Francisco Samantha Rosa Marcelo Pícolo Impressão: Gráfica Bolsoni - (16) 3336 9008 A revista Commércio & Indústria é distribuida gratuitamente em Araraquara e região COORDENAÇÃO, EDITORAÇÃO, REDAÇÃO E PUBLICIDADE Fone/Fax: (16) 3336-4433 Rua Tupi, 245 - Centro Araraquara/SP - CEP: 14801-307 marzo@marzo.com.br Há 10 anos formando os melhores profissionais na área de informática e inglês. Rua São Bento, 1108 - Centro - Araraquara - SP (16) 3336 4350 / 3335 8356

[close]

p. 4

tínuo que se baseia principalmente na busca de informações e troca de experiências como forma de ampliar a compreensão dos problemas da sociedade como um todo. COMO PARTICIPAR Regina Berard (psicóloga), Paulo Eduardo de Arruda (gerente do Sebrae local), Valter Merlos (ACIA) e Tereza Smirne (Empreendedoras) INCENTIVO UM PRÊMIO PARA ELAS Um dos mais importantes prêmios envolvendo as Mulheres Empreendedoras em nosso País, começa a ser disputado a partir deste mês, promovido pelo Sebrae. Dando continuidade as suas ações para unir e promover o fortalecimento da mulher empreendedora em nossa cidade, a ACIA realizou em parceria com o Sebrae-SP e o SINCOMÉRCIO, importante enPALESTRA contro no dia 26 de outubro em sua sede, para divulgar Além da apresentação a realização do Prêmio Sedas normas para as intebrae de Mulheres Emressadas em participar do preendedoras. Prêmio Sebrae de MulheO nosso objetivo, desres Empreendedoras, a tacou Tereza Smirne, supeACIA, SINCOMÉRCIO e rintendente do Conselho de Sebrae organizaram palesMulheres Empreendedoras Tema do concurso tra com a psicóloga Regina da ACIA, é incentivar a deste ano Berard, que focalizou o temulher empreendedora a ter uma participação mais efetiva nas ati- ma “Lideranças Femininas no Mercado vidades empresariais, política e sócio-cul- Empresarial”, por sinal, muito elogiada tural por intermédio de um trabalho con- por cerca de 130 participantes do evento . O Prêmio Sebrae Mulher Empreendedora tem como objetivo, dar maior visibilidade às histórias de sucesso das inúmeras mulheres empreendedoras que estão espalhadas pelo Brasil. O prêmio é uma das ações previstas no convênio de cooperação firmado entre o Sebrae (Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas), Secretaria Especial de Políticas para as Mulheres e Federação das Associações de Mulheres de Negócios e Profissionais do Brasil (BPW Brasil). Durante o encontro foi destacado que ao dar visibilidade às histórias de mulheres empreendedoras por meio do prêmio, as três instituições querem reforçar o papel de destaque da mulher no empreendedorismo brasileiro. O Prêmio é dirigido às mulheres empreendedoras, com mais de 18 anos e tem duas categorias: proprietárias de micro ou pequenas empresas; e para membros de grupos de produção formais (cooperativas e associações), constituídos por pequenas empreendedoras e apoiados pelo Sebrae. Inscrições e outras informações poderão ser obtidas diretamente no Sebrae em nossa cidade.

[close]

p. 5

Comerciantes, dirigentes classistas e o efeito das novas medidas EM FOCO Newton Oller de Mello, diretor tributário A NOTA FISCAL ELETRÔNICA O Projeto Nacional da Nota Fiscal Eletrônica começa a dar indícios do seu papel para revolucionar a relação fisco-contribuinte e o modelo de negócios hoje adotado entre as empresas. É verdade que há tempos algumas empresas já utilizam sistemas eletrônicos de emissão de notas fiscais. No entanto, a validade jurídica desses documentos só foi reconhecida em setembro de 2005, com os padrões determinados pelo Comitê Gestor do Projeto Nacional da NF-e. Até então, as notas eram emitidas apenas para facilitar transações eletrônicas, sem nenhum valor perante o Fisco. O comentário em questão foi feito por Newton Oller de Mello, Diretor Adjunto de Administração Tributária, durante palestra realizada na Associação Comercial, promovida pela Secretaria de Estado dos Negócios da Fazenda do Estado de São Paulo, com o apoio da ACIA e também da AESCAR e do SINCOAR. O objetivo do encontro, disse Edimir Afonso Trosdorf, Delegado Regional Tributário, foi mostrar a importância do sistema. Embora o uso da Nota Fiscal Eletrônica não seja obrigatório a todos os contribuintes, de maneira geral seus efeitos se farão sentir, em razão de que grandes empresas fornecedoras (cigarros, bebidas, combustíveis, etc) que se utilizarão desta sistemática, vão gerar informações e documentos que serão registrados por ocasião da implantação definitiva das medidas. A tendência, conforme algumas grandes empresas forem adotando o sistema eletrônico, é que surja um movimento do mercado para incorporar a NF-e ao seu B2B, dispensando todo o trâmite hoje realizado em papel. Daí a importância de chegar a uma padronização do sistema de emissão, disse Mello. Trosdorf, delegado regional Tributário, disse que o projeto que vem sendo implantado vai gerar informações e também documentos que permitirão transparência nas movimentações realizadas O NOME FORTE EM RETÍFICA DE MOTORES SERVIÇOS E EQUIPAMENTOS DE ALTA TECNOLOGIA PROFISSIONAIS ATENTOS COM A QUALIDADE Acertar é Humano. Persistir no acerto é qualidade. Av. D. Pedro II, n° 40 - Centro - Araraquara - SP - Tel.: (16) 3301 3898 - detroit@retificadetroit.com.br MARZO

[close]

p. 6

Edinho, Marangon e Martins EVENTO Emocionado, o presidente Orlando Bonifácio Martins, do SINCOAR, acabou concretizando uma velha aspiração de dotar a cidade com um Escritório Regional da Junta Comercial. JUCESP FOI INAUGURADA Antônio Marangon, Durante a inauguração presidente da JUCESP, disdo Escritório Regional da se que Araraquara passa a Junta Comercial do Estado exercer um importante pade São Paulo, na Rua Maria pel na descentralização das Janazzi Biagioni, esquina atividades da instituição, com Avenida Quinze de possibilitando melhor atenNovembro, o presidente dimento aos empresários da Orlando Bonifácio Martins cidade e região. Segundo (Sindicato dos Contabilisele, o órgão está agregando tas de Araraquara) teve eficiência aos serviços, pois enaltecido por todos os a JUCESP deixou de ser um presentes, um trabalho que posto para se transformar levou muito anos. em um Escritório Regional. Primeiro foi o prefeito Emocionado, Martins municipal Edinho Silva a O grande parceiro, Valter Associação agradeceu aos que colabodestacar a importância da Merlos, da e Industrial Comercial raram na implantação do JUCESP para o município e região e em seguida os representantes de empreendimento e ressaltou que o sonho associações que formaram parceria para a se transformou em realidade, para o bem da classe empresarial. instalação do órgão na cidade. Deputado Dimas Ramalho, um dos articuladores Sérgio Sgobbi, secretário de Desenvolvimento O parceiro Roberto Aiello Fonari, da AESCAR Agora bem mais perto de você. 2 lojas em Araraquara 1 loja em Matão (16) 3382 8100 Rua João Pessoa, 1231 Galeria Falconi - Sala 05 ® (16) 3337 6868 Alameda Paulista, 1506 Vila Xavier (16) 3335 9300 Rua Gonçalves Dias, 997 Centro

[close]

p. 7

O palestrante João Luiz Gabassi com Roberto Cyrino Duarte de Souza, diretor da Tend Ler, durante a palestra no SINCOMÉRCIO, falou que conhecer a empresa e estudá-la, planejando o que se pode oferecer para obter um crescimento pessoal e da própria firma é um começo altamente positivo Natal criança feliz Para brincar, aprender e sorrir PALESTRA OS GESTORES DE COMPRAS O encontro realizado na cidade serviu para que as empresas e as escolas tenham acesso facilitado aos lançamentos que a indústria de material escolar vem promovendo. Foi logo após a apresentação da Loja Virtual que a Tend Ler está anunciando para dentro em breve, que o professor João Luiz Gabassi proferiu importante palestra sobre o Profissional de Compras e seu Marketing Pessoal. O evento aconteceu no auditório do Sindicato do Comércio Varejista, organizado pela Tend Ler Papelaria e com o apoio da Sistem, empresa de capital 100% nacional especializada em suprimentos e impressão jato de tinta. Para Roberto Cyrino Duarte de Souza, da Tend Ler em nossa cidade, aproximar os fornecedores e os lançamentos da indústria de material escolar das instituições de ensino e do público consumidor, foi o principal objetivo do encontro de gestores de compras. Para ele, é muito importante as escolas terem conhecimento do porque são lançados novos produtos adaptados às novas regras e conceitos de uso. Também é importante que os vendedores da empresa estejam atentos aos lançamentos e motivados ao crescimento profissional. O PALESTRANTE João Luiz Gabassi, jornalista formado pela Faculdade Cásper Líbero (SP), pósgraduado em Marketing pela Unisa Business Schol (SP) e em Gestão Estratégica pela Universidade Cândido Mendes (RJ), ressaltou durante a palestra que o comprador tem que ter a visão além do alcance. Além disso, disse ele, deve apresentar pulso e braço forte e é preciso correr primeiro para chegar na frente. Acompanhamos uma grande palestra e tivemos a oportunidade de mostrar a loja virtual da Tend Ler que em breve será uma excelente ferramenta na gestão de compras das empresas, destacou Roberto. Aqui você vai encontrar grande variedade de brinquedos E preços pra Papai Noel nenhum deixar de fazer uma criança feliz. Rua Gonçalves Dias, 1493 Tels.: (16) 3336 3079 / 3336 3061 Público que acompanhou a palestra Limpeza a Seco, Higienização e Impermeabilização • Tapetes, Carpetes • Estofados, Colchões • Veículos, Persianas, Cortinas A LAVANDERIA DO SOFÁ (16) 3339 2648 / 9111 4883 Av. Sta. Catarina, 1181 Jd. Brasil • Araraquara • SP Prestação de serviços comercial, industrial e residencial Orçamento sem compromisso

[close]

p. 8

A loja na Via Expressa, 4262 COMÉRCIO O proprietário Roni Alves ALPES, CRESCE COM QUALIDADE Com uma experiência de 10 anos no mercado, Roni Alves expande os serviços de venda e manutenção da Alpes Refrigeração para atender os consumidores no bravo verão que chega. Muito sol e calor anunciam a chegada do próximo verão. E com as altas temperaturas, nada melhor que um ambiente bem refrigerado e agradável, seja no trabalho, em casa ou nas áreas de lazer. Para amenizar os efeitos da estação mais quente do ano, o empresário Roni Alves, proprietário da Alpes Refrigeração e Ar Condicionado, oferece uma linha de serviços e produtos conforme a necessidade de cada um. São climatizadores evaporativos que resfriam, umidificam e renovam o ar, e também, purificadores de água e aparelhos de ar condicionado . Com uma experiência de mais de 10 anos, a empresa dá toda assistência técnica para equipamentos de refrigeração e ar condicionado para indústrias, escolas, academias de ginástica, restaurantes entre outras. Em Araraquara, a Alpes Refrigeração e Ar Condicionado presta serviços para empresas como Iesa, Sachs, Kaiser, Rocatti, EDS, Panificadoras Trigo & Cia e Pão da Terra, Jô Calçados. A empresa começou em Araraquara e estendeu os serviços para toda a rede de lojas, Analu Modas, Boutique Renata Nigro, Casa Deliza, Colégio Objetivo e várias outras, mostrando a eficiência do seu trabalho. Na linha de equipamentos, a novidade é o ECO Brisa portátil, um climatizador que realmente resfria o ar, com grande economia no consumo de energia. “É menor que o consumo de uma lâmpada de 100 watts e o aparelho esfria o ar até 10° C. A manutenção também é econômica com um custo 95% menor em relação à manutenção do ar condicionado”, explica Roni Alves. O climatizador portátil tem controle remoto para todas as funções, atua em áreas de até 10 m² e pode ser encontrado em várias cores. Para grandes espaços, a empresa conta com equipamentos de refrigeração para locais com até 500m². A Alpes está lançando o serviço de locação para festas e eventos. Ela fica na Via Expressa, 4262 próxima ao balão das Roseiras. Mais informações pelos telefones (16) 3324-1976 e 3324-3896. Parte do show room e atendimento

[close]

p. 9

ROBERTO MASSAFERA COMEÇA UMA NOVA HISTÓRIA POLÍTICA O NOSSO DEPUTADO Quem estava acostumado a saudá-lo com “Bom dia, prefeito”, já pode perguntar a partir de agora “Como vai deputado?”. O coração fraternal levou o ex-prefeito a uma conquista histórica para a nossa cidade que retoma seu lugar no Palácio Nove de Julho na capital. aliado ao poder visionário, onde também está inserido o conhecimento empresarial e administrativo, deram a ele o perfil do político diferenciado. Massafera diz que sentiu na própria pele os problemas ocasionados por estradas vicinais sem condições de uso e conviveu com o drama de uma agriculleito deputado estadual com 72.205 tura arrasada que aponta problemas para votos, o ex-prefeito Roberto Mas- o próximo ano, com a falta de abastesafera tem praticamente definidos os cimento de milho, arroz, feijão porque o pontos prioritários da sua ação na As- produtor passa por situação financeira sembléia Legislativa, a partir de 15 de extremamente delicada. Com a agriculmarço de 2007. O mais forte dos com- tura quebrada, diz ele, conseqüentepromissos está na área da Saúde, onde mente, os fabricantes de máquinas e imanunciou sua luta para recuperar os plementos agrícolas seguem o mesmo hospitais beneméritos, caminho. “Veja o caso entre eles, as santas cada Baldan, fechando “Sinto-me envaidecido com sas. “A saúde está mutisuas portas e desemprea votação recebida. Agradeço lada na UTI; os hospitais gando 4 mil trabalhadoos companheiros que encontram-se quebra- deixaram o interesse pessoal res; a Marchesan, que e até mesmo o partidário dos”, disse Massafera também tinha 4 mil para me apoiar”. pouco antes das eleições, operários e hoje está referindo-se à Santa Carestrita a 280. Encontrei sa de Araraquara e tampelo caminho o nosso bém a de Ibitinga, Itápolis, Fernandó- povo desanimado e sem auto-estima”. polis, Jales e de outros municípios que Sensível aos problemas que afetam teve a oportunidade de conhecer durante as comunidades, Massafera sente que a a peregrinação como candidato. eleição do governador José Serra, coA experiência adquirida durante o lega nos tempos de faculdade e de parexercício de dois mandatos de prefeito ticipação nos movimentos da União Esem Araraquara, na verdade, deu a Ro- tadual dos Estudantes e UNE, pôde ofeberto Massafera a condição de avaliar de recer alternativas que mudarão esse performa prática a situação dos municípios fil desolador: “São 20 anos de política, no Estado de São Paulo. Esse reflexo 40 como estudante. Fomos companheiros na UEE e na UNE, a amizade vem de longa data. Ele governador e eu deputado, ambos temos compromisso sério e vamos cumprí-lo com certeza”. O jornalista Geraldo Polezze, diretor do Jornal de Araraquara, ao comentar a vitória de Massafera, analisou de forma interessante o grau de companheirismo do ex-prefeito com José Serra. Para dimensionar o valor do voto de Massafera na Assembléia Legislativa, diante do governador José Serra, basta fazer a projeção de um voto de vereador quando existe projeto de interesse do prefeito. Assim, continua Polezze, existe o deputado-companheiro que vale um voto, o qual, em muitas oportunidades num plenário, representa a vitória de um projeto de lei. Será sempre um voto supervalorizado, visualizando o interesse da região central, cujos pilares administrativos são de Araraquara-São Carlos. Sinto-me envaidecido com a votação recebida. Agradeço aos companheiros que deixaram o interesse pessoal e até partidário para me apoiar. Caso do Carlos Manço, Napeloso, De Santi, Pedro Tedde, Dimas, Coca, João Braghini, Gaeta... Cada um deles com a somatória de uma infinidade de amigos, colaboraram para essa votação expressiva aqui e nas cidades da região. Muito obrigado mesmo. Quero retribuir com trabalho e muita responsabilidade em todas as ações”. E Home Center Gabinetes para banheiro, acessórios, forro de PVC, divisórias. TUDO PARA SUA CONSTRUÇÃO. novo re ende ço Av. Padre Francisco Salles Colturato (av.36), 1082 • Fone: 3335 5592

[close]

p. 10

TRIBUTAÇÃO A VEROCIDADE Lidar com a fiscalização exige das empresas muito preparo técnico e muita disposição para exercer a cidadania em sua plenitude Vítima predileta de fiscalizações cada vez mais rigorosas e freqüentes, o comércio que se acautele. O fisco não só é, como parece e faz questão de autoproclamar-se um predador dos mais implacáveis. Depois de adotar o Leão como símbolo da arrecadação do IR, a Receita Federal recorre à mitologia grega e convoca um novo e sinistro ente, capaz de perpetuar sua voracidade tributária. Trata-se do Harpia, programa de computação para espionar transações financeiras em todo Brasil e, com isso, perturbar a vida de milhares de pessoas. O mal não está no aparato eletrônico, mas sim na colocação de uma conquista tecnológica a serviço da intimidação dos contribuintes, como não deixa margem a dúvidas, o nome dado à novidade, prestes a ser usada. Harpias, personagens do imaginário mítico da Grécia antiga, são assim descritos por Virgílio, na Eneida: cabeça e bustos femininos, corpo de ave de rapina e garras afiadíssimas. Ora sedutor, ora horripilante e inclinado à paixões obsessivas e mórbidas, o monstro inflige aos seres humanos – ao encontrá-los e seqüestrá-los – todas as espécies de maldades. PEQUENOS NA MIRA As provas materiais das caçadas movidas contra o comércio pela Receita justificam o sinal de alerta. De 1994 a 2005, o setor foi o alvo preferido do Leão e seus fiscais. Por 12 anos consecutivos, empresas comerciais receberam autos de infração literalmente às toneladas, num montante colossal, equivalente a mais de um terço (34,95%) do total de multas fiscais aplicadas no País. Esses dados se originam de um criterioso estudo do Instituto Brasileiro de Planejamento Tributário (IBPT), elaborado para apurar a quantas anda a vulnerabilidade das empresas em geral quanto às garras do Leão e, a partir deste semestre, às patranhas do Harpia. As conclusões são preocupantes, e o fato de a maior quantidade de atuações também se dever ao maior número de estabelecimentos comerciais, de modo nenhum desqualifica a indesejada primazia do comércio. Segundo o IBPT, as empresas de médio e grande por-tes do setor, lideram o ranking de presas da fiscalização. Essa reali-dade contudo – prevê o órgão – deve mudar, mas para pior. “Como a maior parte das fiscalizações do Instituto Nacional do Segu-ro Social (INSS) ocorre no comércio, incluindo os estabe-lecimentos menores, a Super Receita (a união dos fiscos), vi-giará mais de perto os pequenos comerciantes, também.” SUSPEITAS E DEVASSAS O Instituto vasculhou o desempenho da fiscalização no período de 1994 a 2005. Cruzou os dados do Sistema de Informações sobre Operações Interestad u a i s c o m Mercadorias e Serviços (Sintegra) com os da Declaração de Débitos e Créditos Tributários Federais (DCTF), analisou o resultado de 4.221 visitas, 2.615 das quais realizadas pela Receita Federal de janeiro de 1999 a dezembro de 2005, e concluiu: de 2001 a 2005 foram emitidos 47.854 autos de infração contra pessoas jurídicas e concedido o total de R$ 203, 82 bilhões, a título de crédito tribu-tário, na média de R$ 4,25 milhões por procedimento fiscal. Até aí as coisas seriam aceitáveis. Acontece que a evolução anual dos autos de infrações entre os anos de 1994 e 2005 revela a gula crescente e o aprimoramento contínuo da “eficiência” dos órgãos fiscalizadores. Em 2003, quan-do 17.870 empresas sofreram atuações, a Receita arrecadou R$ 47,26 bilhões em multas. Em 2005, as vítimas somaram ape-nas 9.952, mas o fisco recolheu R$ 45,72 bilhões. Ou seja, uma fortuna pouco inferior à dinheirama arrecadada dois anos antes. A Receita não age mais aleatoria- Planejamento Tributário e acrescenta: seus métodos de taxar e fiscalizar obedecem a um planejamento minucioso, no qual os fins justificam os meios. Ninguém questiona o combate sem tréguas a fraudes e à sonegação de impostos, exceto quando, para tanto, todos primeiro estão sob suspeição, ou são considerados culpados, até provarem o contrário. Uma em cada três, na verdade 36,55% das autuações de 1999 a 2005, originou-se de devassas na movimentação bancária dos contribuintes e foi

[close]

p. 11

Texto: Delmar Lima Freire Fonte: FECOMÉRCIO DO FISCO lavrada com base em suspeitas de omissão de receitas. A mesma infração, constatada pelo cruzamento de informações, motivou 27,56% dos autos, enquanto o percentual de 27,35% coube à glosa de despesas e custos. CURSO, TESTE E CODECON Cumprir obrigações tributárias e lidar com a fiscalização exigem hoje, sobretudo das micro e pequenas empresas, muito preparo técnico e disposição para exercer a cidadania em sua plenitude. Quando a integridade patrimonial e financeira da empresa estão em jogo, medidas defensivas se tornam indispensáveis. Nesse particular, comerciantes e prestadores de serviços encontram amparo em suas entidades de defesa de classe. A Federação do Comércio do Estado de São Paulo (Fecomércio), por exemnhadas à decisão das autoridades competentes pelo Conselho Estadual de Defesa do Contribuinte (Codecon), órgão presidido pelo empresário Márcio Olívio Fernandes da Costa, 4º vice-presidente da Fecomércio. PLANEJAMENTO TRIBUTÁRIO Simples, lucro presumido ou lucro real? O Sindicato das Empresas de Serviços Contábeis e das Empresas de Assessoramento, Informações e Pesquisas no Estado de São Paulo (Sescon-SP) responde e adverte, ao mesmo tempo: sem passar pelo crivo do planejamento tributário, a opção por um sistema simplificado de tributação se torna uma temeridade. Em palestra para mais de 250 empresários, presentes a um evento organizado pela Associação das Médias e Pequenas Empresas (Adempe) o vice-presidente e coordenador geral do Programa de Qualidade do Sescon-SP, José Maria Chapina Alcazar, relacionou a advertência dos contabilistas ao arsenal de recursos de informática à disposição dos órgãos fazendários. O Governo dispõe dos dados fiscais de todos os contribuintes e a informatização de seus cadastros lhe dá condições de analisar o IVA de cada segmento, cruzar informações e rastrear o faturamento dos setores da economia. Quan-do uma empresa declara receita inferior à média do segmento e não tem como justificar o fato tecnicamente, torna-se alvo das armas a serviço da inves-tigação tributária. ANÁLISE DE RISCOS Se declarações a menor causam aborrecimentos e prejuízos, o mesmo pode ocorrer com a escolha aleatória do regime tributário, quando, para surpresa do empresário, o conforto e as facilidades da simplificação não compensam recolhimentos desnecessários de imposto. Para evitar esses riscos, Chapina recomenda a análise de riscos com o fisco e o planejamento tributário rigoroso, cuja eficácia depende, entre outros, dos seguintes fatores: informação pormenorizada dos custos operacionais; e atualização contábil – somente o exato conhecimento do lucro líquido permite a comparação entre os sistemas tributários. plo, tem um curso rápido, de um dia, mi-nistrado por especialistas em Direito Tri-butário, para ensinar a proprietários e exe-cutivos de empresas associadas aos 148 sindicatos filiados à entidade, como po-dem – e devem – fazer valer seus direitos de cidadania e suas prerrogativas de con-tribuinte, no momento da abordagem de fiscalizações tributárias abusivas e mal intencionadas. O Instituto Brasileiro de Planejamento Tributário (IBPT), por sua vez, não pertence à estrutura sindical do País, mas oferece aos interessados um teste elaborado para averiguar o grau de vulnerabilidade da empresa à fiscalização de tributos federais. Esse índice empre-sarial de risco pode ser apurado pela Inter-net (site www.dcomercio.com.br). Quanto aos casos de demandas contra o fisco, sugestões, queixas ou reivindica- NOVOS ASSOCIADOS EM OUTUBRO RAZÃO SOCIAL Saneletric Comércio Materiais Elétricos Ltda Motta & Caires Ltda - Me Sueli de Campos Nozela Araraquara-Me Ancari Transportes Ltda - Me NOME FANTASIA Saneletric Supermercado Estrela Su Lingerie Ancari Transportes SEJAM BEM VINDOS

[close]

p. 12



[close]

p. 13

ig e raç io ão e Ar Condic LEGISLAÇÃO TUDO PARA SEU CONFORTO TÉRMICO eco Maria do Carmo, presidente do sindicato, na luta para ampliar o relacionamento da classe Distribuidora Nacional Criado em 1999, o SIPCAR avança para consolidar os ideais dos panificadores e dos confeiteiros da cidade, com palestras e cursos que contribuem de forma decisiva no fortalecimento da categoria. O I Seminário Técnico de Panificação organizado na segunda quinzena de outubro, pelo Sindicato da Indústria de Panificação e Confeitaria de Araraquara e Região, no Sesi, serviu para que os palestrantes debatessem a Segurança e a Saúde no Trabalho e antecipassem os efeitos causados pela implantação da Giseli Cardoso Augusto Dourado Roberto Couto Luiz Antônio Brizzi portaria Inmetro 146 que define as novas regras de comercialização do pão francês no País. A presidente do sindicato, Maria do Carmo Caldeira Ruffino, elogiada pelo trabalho da sua diretoria, destacou o avanço da categoria nos últimos anos e ressaltou a preocupação que o panificador deve ter com os riscos ocasionados em cada etapa do processo produtivo. Ela também citou a importância das orientações passadas pelos palestrantes Augusto Gouvêa Dourado (Gerente) e Giseli Cardoso (psicóloga), ambos do Sesi, sobre a redução desses riscos para que se tenha melhoria no ambiente de trabalho. Devemos criar normas para a prevenção de acidentes e doenças ocupacionais, argumentou a dirigente. Parceiro neste seminário, o diretor do Sesi, Eduardo Frasson, enalteceu o papel do sindicato e mencionou o interesse da entidade em participar de ações altamente produtivas para o fortalecimento da categoria. Durante o seminário, o chefe da Divisão Técnica do IPEM (Instituto de Pesos e Medidas), discutiu com os panificadores a nova forma de venda do pão francês. Em seguida, o consultor do PROPAN (Programa de Apoio à Panificação), Roberto Couto, falou das novas tendências na panificação e confeitaria. pequenas, médias e grandes instalações VISITE NOSSO SHOW ROOM VISITE NOSSO SHOW ROOM (16) 3324 1976 / 3324 3896 Via Expressa, 4262 (próximo ao balão das Roseiras) Araraquara - SP e-mail: alpes.ac@itelefonica.com.br SEU BRAÇO DIREITO NO CAMPO Agro-Industrial (colheitadeira de cana) Automotivo EXCLU SI Balanceamento Eletrônico VO Rod. Manoel de Abreu - Araraquara - Fone: (16) 3324-7888 - www.lumacardans.com.br PRODUTOS E SERVIÇOS V O PÃO NOSSO DE CADA DIA venda • locação • instalação assistência técnica ® ad o Alpes fr Re n

[close]

p. 14

EMPRESA IMPLANTA SERVIÇO INÉDITO NA CIDADE, FORNECENDO O TELEFONE QUE VOCÊ PROCURA S REPORTAGEM DE CAPA O ADEUS ÀS LISTAS TELE Para saber o número de telefones comerciais, úteis ou de prestadores de serviços em Araraquara, você não precisa mais recorrer às tradicionais listas telefônicas. Basta chamar o DISKFONE 3303-3000 e em menos de 10 segundos terá a informação correta e gratuita, graças ao sistema operacional criado pelo empresário José Oreste Bozelli (Neto), que revoluciona o mercado da informação com trabalho pioneiro e tecnologia de ponta. administrador de empresas José Oreste Bozelli (Neto), que atua há mais de 20 anos no ramo de informática, quando criou o DISKFONE em 2002, vislumbrou a possibilidade de transformar o simples serviço de fornecer um número telefônico constante em listas tradicionais em negócio altamente rentável. Só que para isso, teria que investir em alta tecnologia, equipamentos de ponta, conhecer a complexidade dos softwares e adquirir credibilidade com o sucesso de suas ferramentas. E assim tornou esse serviço em uma verdadeira utilidade pública. Se as listas apresentam deficiência com dados incompletos, impressão sem qualidade, números que mal podem ser lidos, o serviço criado em Araraquara pelo DISKFONE é extremamente simples. A informação sobre telefones comerciais, de prestadores de serviços ou até mesmo um telefone útil, vem em menos de 10 segundos para quem a procura. “No momento exato que os usuários estão procurando determinados produtos ou serviços, o DISKFONE disponibiliza gratuitamente os contatos através do telefone ou pela Internet, podendo ser acessado por nome do profissional, empresa ou ramo de atividade, tornando-se assim um serviço de utilidade pública”, diz o empresário que abriu sua primeira loja de atendimento em Matão, e na seqüência em Araraquara, onde está extamente há um ano. A EMPRESA O serviço praticamente revolucionou o mercado em Matão, pela praticidade de se obter informações sobre telefones úteis, comerciais e serviços com rapidez e comodidade. O prestígio conquistado entre os usuários matonenses, reforçou a decisão de inserir o serviço em outras cidades como Araraquara, lembra Neto Bozelli. E para ele, o principal objetivo é procurar atender às necessidades diárias de seus usuários de forma rápida, prática e o principal, sem custos. O perfil do usuário deste serviço está associado ao poder de compra. “Os consumidores de Araraquara ainda não possuem o hábito de utilizar o serviço, no entanto, este é o desafio e essa mudança refletirá em um aumento significativo da informação do consumidor em relação ao serviço”, diz o empresário. O QUEM GANHA SÃO AS EMPRESAS ASSOCIADAS Se a empresa for associada ao DISKFONE, levará vantagem na hora da informação solicitada pelo consumidor. Por exemplo: O consumidor procura o telefone de uma determinada empresa. Ela não sendo associada ao DISKFONE, logo a atendente segue o script informando: “A empresa solicitada não é nossa associada no momento. No entanto, temos os telefones de outras empresas que poderão ser consultadas para o serviço que você deseja”. Vale ressaltar que o DISKFONE tem alta penetração em meio aos consumidores, valorizando o segmento com formulações e benefícios diferenciados para seus associados que terão sua marca enriquecida. O DISKFONE se orgulha em contribuir com o acesso

[close]

p. 15

EM NENHUM CUSTO PELA CONSULTA FÔNICAS QUEM PAGA POR ISSO Se o usuário leva a vantagem de obter informações de telefones comerciais, de serviços ou úteis de forma rápida, é verdade que a empresa procurada é a mais beneficiada: estará vendendo sua imagem e o seu produto, dentro de um serviço personalizado e prático. Afinal, quem procura a informação são pessoas com poder de compra. De acordo com Michael, responsável pelo departamento de marketing e mídia do DISKFONE, os consumidores em Araraquara ainda estão habituados em procurar as informações em listas telefônicas impressas, ou então, aguardar minutos para serem atendidos no serviço 102 da Telefônica. Ligando para o DISKFONE é mais rápido e seguro. Uma das vantagens das empresas se associarem ao sistema está nas formas de comunicação utilizadas pelo DISKFONE, que busca atingir com estratégias de vendas, o maior número de pessoas, cercando de maneira atenciosa os consumidores com diferentes meios criativos e variados, tornando assim o serviço, popular e com grande fluxo de ligações. Para ter esse serviço prático e moderno, as empresas associadas pagam um pequeno valor anual e possuem inúmeros privilégios, entre eles, a divulgação da marca e o direcionamento do serviço, encaminhando o consumidor para sua empresa. As atendentes do DISKFONE são preparadas por profissionais para execução dos serviços Gráfico estatístico de consultas por mês, do ano de 2006 60.000 50.000 Consultas 42.715 46.466 40.000 30.000 20.000 10.000 0 Jan Fev Mar Abr Mai Meses Jun Jul Ago Set 17.210 26.148 22.157 25.724 25.908 27.985 30.147 O DISKFONE atingiu em media mais de 1.500 consultas por dia (conforme gráfico acima) O responsável pela área de marketing e mídia do DISKFONE, Michael Miguel Pereira, na foto (no centro) com os consultores de negócios Lucas Henrique de Souza (a esquerda) e Rodrigo Alonso Lopes (a direita), em uma das reuniões da empresa durante o período de implantação do sistema em Araraquara. Segundo Michael, de acordo com as estatísticas processadas, a partir do instante que a empresa se associa ao DISKFONE, pelo menos 60% das pessoas que buscam a informação passam a ter uma atitude favoravél e acesso imediato junto à empresa que o executa. Katiane Moreira dos Santos, atendente do DISKFONE ATENDIMENTO DISKFONE 3303 3000 Informações sobre telefones comerciais, serviços e úteis Das 7h às 22h - inclusive domingos e feriados de jovens ao mercado de trabalho.

[close]

Comments

no comments yet