Revista Comércio & Indústria - Outubro/2006

 

Embed or link this publication

Description

Revista Comércio & Indústria - Outubro/2006 - Ano 2 - Nº 15

Popular Pages


p. 1



[close]

p. 2



[close]

p. 3

OPINIÃO Valter Merlos Presidente da ACIA DO EDITOR Ivan Roberto Peroni VENDEDORES DE ILUSÕES MAIS UM FINAL DE ANO Devo confessar aos meus filhos e No momento em que o netos que fui ingênuo demais em rePaís é levado lação a essas coisas e sou obrigado a por uma enxurrada de denúncias en- reconhecer que, nessas coisas de se volvendo o Governo, confesso minha “fazer política”, as diferenças entre perplexidade: sempre pensei que, a um lado e outro não são exatamente despeito de todos os problemas rela- aquelas que suspeitávamos. Terei cionados à prática das políticas pú- que me desculpar por ter, durante blicas, fundamentados basicamente muito tempo, acreditado numa espépela incompetência administrativa e cie de “superioridade moral” da esoperacional, pelo menos a ética po- querda nessas lides políticas de disderia diferenciar duas situações. A pri- puta pelo poder, de luta pela conmeira relacionada aos que estavam quista e manutenção dos “postos de no poder e a outra, conseqüentemen- comando” do País. Com base na falta de ética na vida te, a posição dos que estão no comando da Nação na atualidade. Destes, da maioria dos políticos brasileiros, é aguardávamos uma natural diferença que Araraquara saltou aos olhos do Brasil para promover a de comportamentos e Campanha da Cidadania posturas pelos exemplos “Só que esse não foi pela Moralidade do Voto práticos de luta política ao apenas o meu sonho, nas eleições de outubro, mas de milhões de longo da história. brasileiros atados mobilizada pela OAB, Era efetivamente um pela pobreza e que tem um compromisso sonho, porém, nele resisufocados por uma moral e estatutário com a dia a esperança de que o miserabilidade República e suas instituinosso País seria outro e cultural que deixa ções. São movimentos que para os nossos filhos marcas de tortura no desta ordem que fortaleentregaríamos então no sentimento...” cem o exercício da cidafuturo, a terra que um dia fôra prometida sob os efeitos da frase dania e chamam as entidades para de Olavo Bilac: “Criança, não verás agir contra a impunidade e a prática continuada de atos que nos enverpaís nenhum como este”. Só que esse não foi apenas o meu gonham em todo o mundo. Torna-se, portanto, imprescindível sonho, mas de milhões de brasileiros atados pela pobreza e sufocados por que as instituições se unam, seja a uma miserabilidade cultural que deixa forma que for da sua constituição, camarcas de tortura no sentimento, pois da uma esclarecendo seus associaquanto menos saber e poder de dis- dos e estes, à população como um cernimento se dá ao povo, mais fácil é todo, cobrando das autoridades judicontrolá-lo, oferecendo-lhe como re- ciárias, se preciso - novamente de compensa, cestas básicas, bolsa fa- caras pintadas - maior rigor e rapidez mília, bolsa escola e tantos outros be- nas medidas contra a corrupção imnefícios que, por maiores que sejam, plantada nos meios políticos e que se são infinitamente menores que os ca- impeça a utilização da estratégia do sos de corrupção que acontecem aos populismo, pois pode ser um risco olhos de um Governo que garante, para os fundamentos da democracia. lamentavelmente, como tem dito, não Que não nos curvemos diante dos vendedores de ilusão. ver e nem saber de nada. Passou a febre do Carnaval, Campeonato Mundial de Futebol, Eleições e agora, como diz o jornalista José Carlos Magdalena, estamos “embicando” para mais um final de ano, com a expectativa de que o comércio possa ter uma rentabilidade maior que em 2005. A imagem que se cria em 2006 é de uma cidade alegre, festiva, dotada de farta iluminação e cores que nos conduzam a este período diferenciado de esperança por dias melhores. O próprio comércio está atento para isso. A decoração natalina no entanto, depende de alguns fatores e o principal deles está na formatação de parcerias e busca de recursos para que essa transformação ocorra nos principais corredores comerciais da cidade. Se existe realmente a preocupação conjunta de um centro comercial revigorado, acionado pelo espírito natalino, é bom que as definições aconteçam a partir de agora, afinal de contas o consumidor gosta e o comerciante adora. Todos devem ser parceiros da causa. CAPA FOTO: KRIS TAVARES MARGARETE DUÓ A ascensão da IMOB em apenas três anos O crescimento com qualidade de uma imobiliária que passa a despontar como empresa consolidada em seu ramo de atividades. Commércio Indústria & REVISTA EDIÇÃO N°15 - OUTUBRO/2006 Diretor Editorial: Ivan Roberto Peroni Assistentes: Lucas de Almeida Rosane D’Andréa Supervisora Editorial: Sônia Marques Depto. Comercial: Claudio Muniz Carlo Endrigo Gian Roberto Sebastião Barbosa Designer: Bete Campos Mário Francisco Samantha Rosa Marcelo Pícolo Impressão: Gráfica Bolsoni - (16) 3336 9008 A revista Commércio & Indústria é distribuida gratuitamente em Araraquara e região COORDENAÇÃO, EDITORAÇÃO, REDAÇÃO E PUBLICIDADE comunicações Fone/Fax: (16) 3336-4433 Rua Tupi, 245 - Centro Araraquara/SP - CEP: 14801-307 marzo@marzo.com.br

[close]

p. 4

INCENTIVO IMAGINAR O FUTURO Parceiros organizam fórum com o objetivo de orientar micros e pequenas empresas e torná-las competitivas. promove cursos de capacitação, facilita o suas vindas a nossa cidade e destacou o acesso a serviços financeiros, estimula a papel da ACIA em promover feirões cocooperação entre as empresas, organiza mo forma de tornar as pequenas emprefeiras e rodadas de negócios e incentiva o sas parceiras na busca do crescimento susdesenvolvimento de atividades que contentável. tribuem para a geração de Esse é o nosso papel, disemprego e renda”. se Zurita, referindo-se a atua“Fizemos a nossa O fórum foi organizado ção do Sebrae que busca criar parte; mobilizamos em parceria com a Associapor vários mecanismos, um a diretoria e ção Comercial e Industrial de ambiente radicalmente favoconvencemos o Araraquara, Sindicato do Corável à sustentabilidade e amprefeito sobre a mércio, Associação de Depliação dos pequenos negónecessidade de se senvolvimento de Araraquacios. E justificou: “Esse amconstruir as baias, ra, Secretaria Municipal de no entanto o projeto biente passa por menor carga Desenvolvimento e SESC, tributária, menos burocracia, ficou apenas que dentro de suas propostas, acesso ao crédito, tecnologia no papel... se mobilizaram no sentido de e ao conhecimento”. prestar uma série de orientaOutros dois conhecidos ções aos empreendedores de Araraquara e palestrantes participaram do evento no região. SESC: Leonardo Deppe, que discorreu sobre o Projeto de Extensão Industrial e Exportadora e a consultora de Comércio PALESTRANTES Exterior, Claudete Garcia, que falou das alternativas de mercado, como feirões, Benedito Roberto Zurita, Consultor do rodadas de negócios, missões empresaSebrae-SP, ao falar sobre associativismo e riais e mercados virtuais. empreendedorismo, fez referências sobre “O papel do Sebrae é estratégico para o crescimento do país”. Elias Chediek Neto Vereador “As MPEs hoje geram um grande número de empregos no Brasil”. Antônio Deliza Sindicato do Comércio “A importância está em participar e aumentar o grau de conhecimento”. Valter Merlos Presidente da ACIA Zurita, consultor do Sebrae-SP “Quem não participou certamente perdeu um grande evento”. A frase da consultora do Sebrae-SP, Jacira Iadocicco, combinava com os elogios feitos pelos participantes do Fórum de Apoio às Micros e Pequenas Empresas, realizado em setembro no auditório do SESC em Araraquara. Na verdade, esse tem sido o foco do Sebrae, lembrou a consultora na abertura dos trabalhos: “A entidade trabalha desde 1972 pelo desenvolvimento sustentável das empresas de pequeno porte. Para isso, “O Sebrae é um agente facilitador aos micros e pequenos empresários”. Jacira Iadocicco Consultora Sebrae-SP “Para quem deseja crescer, o importante é a orientação segura”. Nilton José Cainelli Sec. Des. Econômico

[close]

p. 5

Afif, Merlos e Porsani VISITA UM CONVITE PARA FEIRA EM RIBEIRÃO Começa a mobilização para criação do Empreendedor Pessoa Física, dando-lhe condições de operar na formalidade. A vinda do presidente da Federação das Associações Comerciais do Estado de São Paulo, Guilherme Afif Domingos a nossa cidade em setembro, serviu para anunciar a realização da 3ª Feira dos Empreendedores Econômicos e Sociais programada para novembro em Ribeirão Preto. De acordo com Afif, cerca de 400 municípios estarão participando do evento, interessados principalmente na troca de informações sobre produtos e serviços. Recebido pelo presidente da ACIA, Valter Merlos, Afif Domingos teve a oportunidade de reencontrar o vereador José Carlos Porsani, companheiro de agremiação política e por quem sempre nutriu grande admiração. Sobre a feira, disse Merlos, é importante que os micros e pequenos empresários tomem parte porque o seu propósito é o de estimular o espírito empreendedor, transformando e fortalecendo os negócios individuais ou de micro porte que atuam na informalidade, em empreendimentos formalizados. A feira tem realmente como objetivo engrandecer o movimento para criação do Empreendedor Pessoa Física, dandolhe condições de operar na formalidade com o mímino de burocracia e encargos. Para isso, explicou Afif, é preciso iniciar-se, através de um movimento, amplo programa de desburocratização que simplifique a vida de quem quer constituir uma empresa ou daquele que procura fazê-la sobreviver e crescer. Marlene Aparecida ACIA FAZ PARTE DO CONSELHO A ACIA, atendendo solicitação da Prefeitura Municipal, decidiu indicar as diretoras Marlene Porsani e Aparecida Camargo Fernandes como representantes da entidade no Conselho Municipal dos Direitos da Mulher. O órgão, de acordo com seus estatutos, tem a missão de formular diretrizes e promover atividades que objetivem a defesa dos direitos da mulher, a eliminação das discriminações, e a sua plena integração na vida sócio-econômica, política e cultural. Além disso poderá desenvolver programas que visem a participação da mulher em todos os campos de atividades. O NOME FORTE EM RETÍFICA DE MOTORES SERVIÇOS E EQUIPAMENTOS DE ALTA TECNOLOGIA PROFISSIONAIS ATENTOS COM A QUALIDADE Acertar é Humano. Persistir no acerto é qualidade. RETÍFICA DE MOTORES CERTIFICADA A D INSTITUT O ALIDADE QU A OTIVA OM UT Av. D. Pedro II, n° 40 - Centro - Araraquara - SP - Tel.: (16) 3301 3898 - detroit@retificadetroit.com.br I.Q.A. CONFORME NBR 13032 MARZO

[close]

p. 6



[close]

p. 7



[close]

p. 8

INAUGURAÇÃO A REGIONAL DA JUCESP O Escritório Regional da JUCESP será inaugurado até outubro para atender os municípios da 12ª Região Administrativa. A medida faz parte do processo de descentralização da Junta Comercial do Estado de São Paulo. Araraquara terá um importante papel na forma de descentralizar as atividades da JUCESP, conseqüentemente, possibilitará um melhor atendimento aos empresários de toda a região que necessitam dos seus serviços. “Estamos trazendo pessoas competentes para agregar na eficiência dos nossos serviços, pois não seremos apenas um posto de atendimento. Nosso principal objetivo é solucionar de maneira rápida qualquer solicitação por parte de empresas particulares, cooperativas e sociedades anônimas, com Registro de Empresas Mercantis, expedição de certidões, cópias reprográficas de documentos, fichas cadastrais, entre outros”, disse ele O presidente da ACIA, Valter Merlos, prestigiou a presença do contabilista e de outros representantes no local. De acordo com Merlos, o Escritório Regional de Araraquara da JUCESP não poderia vir em melhor hora, considerando o fato como sendo uma grande conquista para nossa cidade e região. Café Torrado em Grãos Orlando Bonifácio Martins com Marangon (JUCESP) e Valter Merlos (ACIA) Orlando Bonifácio Martins, gerente regional da Junta Comercial do Estado de São Paulo, reuniu em setembro, o presidente da ACIA, Valter Merlos, dirigentes do Sindicato dos Contabilistas e da Associação das Empresas de Serviços Contábeis de Araraquara, para receberem o presidente da JUCESP, o contabilista Antônio Marangon. Na oportunidade, Martins apresentou aos convidados a futura sede do Escritório Regional da JUCESP em Araraquara e que deverá atender a partir deste mês de outubro, todas as cidades que compõem a 12ª Região Administrativa do Estado de São Paulo. Marangon elogiou a futura instalação do Escritório Regional, creditando também ao amigo e administrador do próprio escritório, Orlando Bonifácio Martins, o sucesso do empreendimento. Segundo ele, Isaias, Geraldo Tampellini, Paulo Pecin, Antônio Biazotto e atrás, Paulo Pachiega Venda, locação e assistência técnica de máquinas de café expresso. Visite nosso showroom Av. Sete de Setembro, 993 Tel: 3322-7252 www.blendcoffee.com.br José Roberto Castro, Deméo, Carlos (Nigro), Eduardo e Lourdes Pachiega Agora bem mais perto de você. 2 lojas em Araraquara 1 loja em Matão (16) 3382 8100 Rua João Pessoa, 1231 Galeria Falconi - Sala 05 ® (16) 3337 6868 Alameda Paulista, 1506 Vila Xavier (16) 3335 9300 Rua Gonçalves Dias, 997 Centro

[close]

p. 9

José Cardozo e a esposa Ladi com a neta Vanessa e o seu marido Michael em 2005 SAUDADES ERA UM BOM TIPO, O MEU VELHO José Cardozo, sepultado em 12 de setembro, deixa enorme espaço no centro comercial da cidade, sempre marcado pela alegria que contribuiu na formação da clientela da Ca-Suco no final dos anos 70. Depois de ser aprendiz nas antigas oficinas da Estrada de Ferro Araraquara, ocupar a função de Telegrafista e se aposentar com 37 anos de serviço como Inspetor Operacional na empresa, contribuiu de forma decisiva no sucesso de uma das mais afamadas lanchonetes e cafés do interior, o mentor e estrategista de uma vida repleta de sorrisos. Também foi a estratégia de montar uma lanchonete no centro da cidade no final dos anos 70 para custear os estudos dos filhos José Carlos e Elias, que ingressavam na época nas faculdades de Engenharia Civil e Educação Física, respectivamente. José Cardozo era mestre na arte de fazer sucos, investia sempre nos sabores, inovando na mistura de frutas frescas. O reconhecimento veio logo, e conseqüentemente, o local tornou-se muito conhecido por atrair pessoas de todas as idades, ganhando também a fama de “plenarinho”, onde os debates políticos sempre estiveram em torno do balcão até os dias atuais. José Cardozo, o “seo Zé”, completaria no dia 15 de setembro 81 anos de idade; nascido em Tabatinga (SP), depois de aposentado fez da Ca-Suco sua rotina diária, dividindo os momentos mais intensos de felicidade com a esposa Air (Ladi), os filhos José Roberto, Antônio José, José Carlos e Elias. Dava bons palpites para quem fosse jogar no bicho, contava piadas e levou na bagagem situações inusitadas que acompanhou na lanchonete, cada uma delas, ponteada pelo respeito e admiração que os amigos sempre tiveram por ele e sua querida família. Casa da Cozinha Presentes, acessórios e utilidades domésticas Tudo para cozinhas: residências, hotéis, bares e restaurantes Rua 9 de Julho, 375/376 - Centro - Fones: 3332-0489 e 3322-2767

[close]

p. 10

15 de setembro Dia do Cliente O cliente é a figura mais importante para a vida da sua empresa. 15 de setembro é o dia de paparicar; é o dia de agradecer; é o dia de surpreender; é o dia de parabenizar o cliente por tudo que ele representa para sua empresa. Lembre-se dos seus! Valter Merlos Presidente Associação Comercial e Industrial de Araraquara Cartão virtual criado pela Marzo para a Associação Comercial no primeiro Dia Municipal do Cliente PORSANI CRIA O DIA DO CLIENTE Por iniciativa do vereador José Carlos Porsani, a partir de agora será comemorado o Dia Municipal do Cliente, em reconhecimento ao papel do cliente no desenvolvimento da cidade. Em sua última reunião, a diretoria da ACIA enalteceu a iniciativa do vereador José Carlos Porsani pela criação do Dia Municipal do Cliente, que será comemorado no dia 15 de setembro de cada ano. A homenagem ao cliente está baseada na Lei Municipal n°6420/2006, diz o vereador Porsani, acreditando que a data estará marcando a relação consumidor empresa, com muita alegria, estabelecendo um ambiente diferenciado e promissor para que o consumidor conheça melhor as empresas da sua cidade. Embora seja o cliente a figura mais importante para a vida das empresas, para os trabalhadores e para as entidades da Sociedade Civil, esta figura não é lembrada em uma data especial, diz Porsani. Durante a reunião da ACIA, o presidente Valter Merlos argumentou que, no calendário comercial existem datas tradicionais e de grande importância, que se revertem em substancial volume de negócios, geram milhões de postos de trabalho e dinamizam a Economia. As mais lembradas são o Natal, a Páscoa, o Dia das Mães, o Dia dos Pais, o Dia da Criança e o Dia dos Namorados. O Dia Internacional da Mulher, por exemplo, vem ganhando força em termos de promoções, anúncios e resultados em produção e vendas. Outras datas como o Dia da Vovó e o Dia do Amigo também começam a decolar, lembrou o dirigente. O Dia Internacional dos Direitos do Consumidor é comemorado no dia 15 de março, no entanto é uma data que ainda não é explorada comercialmente. Quando se fala em “Direitos do Consumidor”, a primeira idéia que vem à mente das pessoas é reclamação, é problema, em virtude da carência em excelência no atendimento ao cliente, infelizmente. É importante destacar que o conceito de cliente é muito mais abrangente do que o de consumidor. “Clientes são pessoas com sentimentos, pensamentos e reações próprias que esperam que o tratemos individualmente, buscando compreender seus desejos e necessidades, para podermos satisfazê-los plenamente”. A Primavera chegou trazendo novidades VENHA CONHECER A NOVA COLEÇÃO TEXTIL ABRIL O shopping com preço de fábrica Rua 9 de Julho, 955 (entrada também pela São Bento)

[close]

p. 11

Durante evento na Casa do Empresário, Ivo Dall’Acqua Júnior destacou o apoio permanente do presidente da FECOMÉRCIO, Abram Szajman, ao SINCOMÉRCIO e da própria cidade EDIFÍCIO EDUARDO MICHETTI A CASA DO EMPRESÁRIO O SINCOMÉRCIO, como entidade de classe, está vivendo uma nova etapa em seus 43 anos de atividades, modernizando seu espaço físico e implantando vários programas de gestão que visam atender mais de 700 associados em sua base. O Sindicato do Comércio Varejista de Araraquara (SINCOMÉRCIO), entregou aos seus associados o Edifício “Eduardo Michetti”, considerado a partir de agora a “Casa do Empresário” do Comércio para atender a comunidade em seu todo. Simplesmente magnífico, diziam os convidados durante a solenidade de inauguração em 19 de setembro. Para a diretoria, um dos marcos mais significativos nos 43 anos de atividades do sindicato. Para o presidente Ivo Dall’Acqua Júnior, o momento não foi apenas de emoção pela homenagem que se prestava ao vicepresidente Eduardo Michetti, falecido em janeiro deste ano: “Consideramos o cumprimento de uma missão, onde cada diretor teve importante participação, contribuindo com a consolidação do sindicato. Somos uma entidade forte, respeitada, temos uma visão sobre o futuro da nossa instituição e prevemos sua expansão pela grandiosidade das pessoas que um dia virão nos substituir”. Durante o evento, Ivo Dall’Acqua fez questão de destacar o permanente apoio do presidente da Federação do Comércio (FECOMÉRCIO), Abram Szajman, que sempre se manteve próximo à cidade, destinando-lhe benefícios e recursos que contribuem na melhoria da qualidade de vida da comunidade. “Iniciativas assim nos entusiasmam a fortalecer a classe cada vez mais”, disse o dirigente. Além da solenidade de inauguração do Edifício Eduardo Michetti que abriga a Casa do Empresário, o SINCOMÉRCIO promoveu a Reunião das Coordenadorias Norte, Sul e Leste dos Sindicatos de Comércio Varejista com grande sucesso.

[close]

p. 12

SINCOMÉRCIO COMPROMISSO COM ARARAQUARA Em 1965, o comerciante Clodoaldo Medina, então presidente da ACIA e proprietário da Eletro Tamoio, recebeu o registro sindical assinado pelo Ministro do Trabalho, Arnaldo Sussekinf, dando origem ao Sindicato do Comércio Varejista. época em que também a cidade experimentava o sabor do progresso. SUA HISTÓRIA O prédio da ACIA abrigou provisoriamente o Sindicato do Comércio Varejista até 1974, quando ocorreu a transferência para a avenida Brasil, 582. O imóvel era alugado. A sede atual, na rua Voluntários da Pátria, 1435, é própria e foi inaugurada em 09/02/1984. O nome também mudou. Antes era SCVA, sigla abolida em 2002, quando todos os sindicatos da categoria passaram a ser SINCOMÉRCIO por decisão da Assembléia Nacional da categoria realizada pela Confederação Nacional do Comércio e da FECOMÉRCIO. SEU COMPROMISSO Ao longo da sua história, o SINCOMÉRCIO Araraquara atingiu maturidade destacando-se em fazer bem o que tem que fazer: incentivar o crescimento empresarial, defendendo a livre iniciativa; representar as empresas de comércio e de serviços; promover o aperfeiçoamento técnico, a atualização tecnológica e a valorização profissional; e negociar com a categoria profissional, buscando a harmonia das relações trabalho / empreendimento. Hoje o SINCOMÉRCIO tem mais de mil associados e uma das maiores provas do seu compromisso com Araraquara, foi a instalação em 2000, de uma unidade do Serviço Social do Comércio - SESC na cidade, graças aos esforços dos empresários do setor, notadamente do seu presidente Ivo Dall’Acqua Júnior, um dos líderes classistas de maior expressão junto à FECOMÉRCIO. Alfredo Miguel Saba 1965 - 1969 PRIMEIRO PRESIDENTE O presidente Ivo Dall’Acqua, responsável pelo projeto de modernização da sede do SINCOMÉRCIO em nossa cidade, ladeado por Laércio Grili Grande (diretor desde 1984) e Olien Biancardi (terceiro presidente da entidade) Mário Marques da Silva 1969 - 1975 SEGUNDO PRESIDENTE Foi em 1963 que os empresários de Araraquara se mobilizaram na fundação da Associação Profissional do Comércio Varejista, semeando a esperança de que a classe, alguns anos depois, seria uma entidade forte a representá-los, mais que isso, estariam estes empresários comprometidos com uma ação de companheirismo, de lealdade ao cumprimento de éticas profissionais e mobilizados na implantação de projetos que dessem a nossa cidade, um comércio forte com base em suas próprias raízes. Dois anos depois, 1965, a associação era reconhecida como Sindicato do Comércio Varejista e ao longo dessa história de 43 anos de lutas e conquistas, por ele passaram cinco presidentes, e cada um, foi de extrema importância numa Laércio Grili Grande Olien Biancardi 1975 - 1984 TERCEIRO PRESIDENTE Ivo Dall’Acqua 1984 - 1993 QUARTO PRESIDENTE 1999 até a presente data SEXTO PRESIDENTE Olien Biancardi Eduardo Michetti 1993 - 1999 QUINTO PRESIDENTE

[close]

p. 13

EM FOCO HOMENAGEM A EDUARDO MICHETTI ETERNA LEMBRANÇA Em 2006 a modernização atinge o SINCOMÉRCIO em todos os setores, graças ao trabalho empreendedor da sua diretoria que decidiu investir na ampliação e reforma do prédio e dar à sua sede, o nome de Edifício Eduardo Michetti, abrigando a “Casa do Empresário do Comércio”. Fernanda, filha de Eduardo, agradeceu em nome da família e disse que não sabia o quanto seu pai era querido e como continua sendo lembrado por todos. Somos gratos por esse enorme carinho para com o meu pai, completou. Logo depois da homenagem, foram descerradas duas placas no interior do Edifício Eduardo Michetti. Uma, apresentando os diretores da entidade no período de 1984/2006 e a outra, da atual diretoria. A solenidade foi encerrada com almoço na Rua Cinco Pizzaria, marcando o evento do SINCOMÉRCIO. Família Michetti descerra a placa Foi muito difícil para o presidente Ivo Dall’Acqua Júnior, conter a emoção ao falar em nome do SINCOMÉRCIO e justificar a homenagem ao Eng°. Eduardo Michetti que até janeiro deste ano, ocupava o cargo de vice-presidente da entidade. Seu falecimento ocasionou uma perda irreparável à sociedade e também ao sindicato, disse Dall’Acqua Júnior. Na mesma oportunidade em que o SINCOMÉRCIO promovia o Encontro de Coordenadorias Norte, Sul e Leste dos sindicatos do comércio varejista, para discussão das medidas que vêm sendo implantadas pela FECOMÉRCIO, deu-se a homenagem a Eduardo Michetti. Para o dirigente do SINCOMÉRCIO foi uma oportunidade de se apresentar aos visitantes de aproximadamente 35 cidades, a “Casa do Empresário do Comércio de Araraquara” e a forma com que a entidade vem expandindo suas atividades na região. Em meio à emoção, Dall’Acqua fez um relato do trabalho de Eduardo no SINCOMÉRCIO, lembrou de forma carinhosa a importância da esposa Francisca na vida do homenageado e destacou a importância da família Michetti na comunidade. Amigos de Eduardo na homenagem Fernanda Michetti Dall’Acqua Olien Biancardi, Heloísa, Fernanda, Francisca, Dudú com Ignêz e Bento Michetti Afif Domingos e José Carlos Porsani cumprimentando a Família Michetti José de Mattos Filho (Comerciários), Harlei Carmona Soares e Joacir Braghine Diretores da entidade Ivo Dall’Acqua e diretores dos sindicatos convidados para o encontro Funcionários na inauguração

[close]

p. 14



[close]

p. 15



[close]

Comments

no comments yet