Revista Comércio & Indústria - Julho/2007

 

Embed or link this publication

Description

Revista Comércio & Indústria - Julho/2007 - Ano 3 - Nº 24

Popular Pages


p. 1

Commércio REVISTA Associação Comercial e Industrial de Araraquara Indústria Julho/2007 • Ano 3 - N° 24 Receita do sucesso com tempero dos pampas CHURRASCARIA ESTRELA DO SUL A histórica trajetória de Silvino Vallandro que ao lado da esposa Nelci e dos filhos Cassiano e Maiara, comemora o sucesso da empresa tipicamente familiar.

[close]

p. 2



[close]

p. 3

DO EDITOR PONTO DE VISTA Valter Merlos Presidente da ACIA Ivan Roberto Peroni O futuro vai depender muito, do trabalho que for feito agora devem ser repensadas a cada instante, nossa associação está completando principalmente nos centros de vendas 74 anos neste mês de julho e o que mais atraentes (corredores comerciais, nos orgulha é sua inclusão entre as shoppings). O varejo que se avizinha reentidades que regularmente discutem os quer uma nova definição para o consuproblemas vivenciados na comunidade, midor, encarado a partir de agora como fato que a tem fortalecido e a tornado uma cliente. Clientes escolhem, compram prodas mais respeitadas instituições da redutos e interagem com as pessoas. Congião. Aplicamos nela ao longo destes três sumidores consomem e interagem com anos de administração, um programa de os produtos. gestão próprio, voltado inicialmente para A partir de agora os fabricantes se o cumprimento de suas finalidades como preocupam com os produtos e o varejista entidade classista, no entanto, vimos que se preocupa com a qualidade do relacioisso não seria o bastante, pois a cidade namento com o cliente. Afinal de contas o estava esperando muito mais de nós e varejista deve acrescentar muito mais muito mais também, poderíamos fazer serviço ao seu negócio, esse fato é o dipelos nossos irmãos. Daí, essa aproxiferencial na hora da venda. mação mais acentuada com as políticas São situações assim que contribuem públicas e também sociais, pois lições no relacionamento da ACIA com a cotiradas dos grupos de trabalho que munidade. Primeiro com a classe que ela participamos sempre nos conduziram a representa, depois com a busca de alternativas com comunidade, no caso, os o objetivo de contribuirmos estudantes de uma univerna melhoria da qualidade Ao comemorar mais um de vida dos nossos seme- aniversário de fundação, a ACIA sidade. Eles (os estudanmostra sua cara, querendo tes), não apenas captam lhantes. informações, mas avaliam Neste contexto está contribuir em todos os setores, o comportamento comerinserida a FACIRA, com a levando uma mensagem de cial, estudam o sentimento missão de beneficiar as progresso com ética e do consumidor e até colainstituições que fazem responsabilidade. boram com sugestões. Paparte do FISA e que nos ra nós, isso tem um valor leva a uma integração cosignificativo, já que existe o empenho de munitária e quase familiar em sua todos com muita responsabilidade, para organização. Também a Festa dos Anos que a cidade cresça economicamente, 60, em que foram premiadas cinco enmas pontuada por estudos técnicos detidades filantrópicas (matéria nesta edisenvolvidos através de jovens interesção), e a Festa Junina do Lar São Fransados na qualidade de vida do cidadão. cisco de Assis, são exemplos mais reAo comemorar mais um aniversário centes deste envolvimento da ACIA com de fundação, a ACIA mostra portanto sua as questões sociais da nossa cidade. cara, querendo contribuir em todos os Ainda recentemente, fomos procurasetores, levando uma mensagem de prodos por alunos da UNIP, encaminhados gresso com ética e responsabilidade, pelo coordenador do curso de Propagansem ferir as tradições e os costumes da da e Marketing, professor Carlos Aiello, sua gente. Respeitamos ideologias, copara um depoimento sobre o avanço do res partidárias e contestamos ações que marketing de varejo em Araraquara. Foi surgem por imposições ou atitudes que gratificante essa troca de informações enveredam pelas raias do radicalismo. com jovens universitários sobre o nosso Lutar pelos direitos da nossa classe e comércio varejista, mesmo porque, o buscar melhoria no padrão de vida das mundo não caminha mais na mesma pessoas, é o que qualquer empresário de velocidade dos anos 60 ou 80. Agora as bom senso deseja e quer efetivamente transformações são mais rápidas e por para sua gente. isso as estratégias de cada negócio Sob olhares dos nossos caracóis Araraquara, lamentavelmente tem sido vítima de uma divulgação negativa dos melhoramentos - entre aspas - que lhe são dados como se por encanto de obras políticas e de um valor inestimável. Penitenciária, Centro de Ressocialização, Febem, são alguns exemplos dos chamados “presentes de grego”, que nos são empurrados goela a baixo pelo Governo, sem resistência da classe política. Durante anos vivemos o pesadelo de algumas ofertas inexplicáveis, como por exemplo, o fechamento da escola do Jardim Yamada, transformada em unidade da Febem. Curioso, é que quando um empreendedor abre uma empresa, precisa da autorização dos vizinhos. Com o Governo, não há meio termo, que acaba com uma escola e coloca a Febem, sem consulta popular. Para nossa cidade, isso; para São Carlos, ensino superior público. Para completar, aqui chegam apenas os cursos superiores pagos e bem pagos. A CAPA FOTO: KRIS TAVARES RECEITA DE SUCESSO COM TEMPERO DOS PAMPAS SilvinoVallandro mostra nesta edição, sua brilhante trajetória empresarial, ponteada pelo sucesso da Churrascaria Estrela do Sul, que completa 32 anos de atividades em Araraquara. EDIÇÃO N° 24 - JULHO/2007 Commércio Indústria & REVISTA Diretor Editorial: Ivan Roberto Peroni Assistente: Rosane D’Andréa Supervisora Editorial: Sônia Marques Depto. Comercial: Carlo Endrigo Gian Roberto Idalina Silva Sebastião Barbosa Designer: Bete Campos Mário Francisco Samantha Rosa Marcelo Pícolo Impressão: Gráfica Bolsoni - (16) 3336 9008 A revista Commércio & Indústria é distribuida gratuitamente em Araraquara e região COORDENAÇÃO, EDITORAÇÃO, REDAÇÃO E PUBLICIDADE Fone/Fax: (16) 3336-4433 Rua Tupi, 245 - Centro Araraquara/SP - CEP: 14801-307 marzo@marzo.com.br

[close]

p. 4

2007 Sérgio Carrascosa, recebeu de Antônio Junquetti (ACIA), a parte que fez jus ao Hospital Cairbar Schutel R$ 2.697,00 Irmã Miguelita Cássia de Oliveira (Lar São Francisco de Assis), recebe de Valter Merlos (ACIA), a quantia de R$ 2.720,00 AÇÃO SOCIAL CAMINHOS DA SOLIDARIEDADE A Festa dos Anos 60 organizada pela ACIA, em junho, permitiu o rateio de pouco mais de 14 mil reais entre cinco entidades filantrópicas do município. Em junho, a cantora Valdirene mostrou que o sucesso musical dos Anos 60, continua marcante nas lembranças dos cinqüentões. Hoje, ela também sabe que a cidade, ao reviver os belos momentos da Jovem Guarda, está criando uma tradição: resgatar o passado e possibilitar que entidades sociais sejam beneficiadas através de uma ação da Associação Comercial e Industrial de Araraquara. Na primeira quinzena de junho, a Comissão Organizadora da IIª Festa dos Anos 60, tendo à frente Joel Roberto Aranha (diretor da ACIA), dividiu entre cinco entidades que decidiram apoiar o evento, a quantia de R$ 14.087,00. Foi um sucesso, destaJoel Aranha cou o organizador. Jair Martinelli (ACIA) entrega a doação de R$ 2.397,00 a Sônia Mista (Vila Vicentina) Márcia Fioranelli (APAE), recebeu de Rodolfo Messali (ACIA), R$ 3.716,00 CURSO E COLÉGIO Ricardo Capparelli (Renascer), recebendo de Fernando Francisco - R$ 2.557,00

[close]

p. 5



[close]

p. 6

COOPERATIVISMO NA TRILHA DAS FUSÕES Diretores da Comcred e Iesacred estiveram no Sicoob Central Cecresp em São Paulo, receberam orientações técnicas e a informação de que as duas cooperativas começam a trabalhar em conjunto a partir de agosto. Realidade comum aos grandes conglomerados financeiros, as fusões, aquisições e incorporações começaram a ganhar espaço no meio cooperativista há pouco tempo. Até 2002, o Banco Central limitava estes processos, mas, pensando em contribuir para a sustentabilidade das cooperativas de crédito, o Conselho Monetário Nacional (CMN) publicou a resolução 3.106/03. Mais recentemente, a resolução 3.442/07 abriu ainda mais as possibilidades de cooperativas de crédito de diferentes áreas de atuação se unirem e se fortalecerem, sem perder a competitividade diante de um mercado que disputa palmo a palmo os clientes com ofertas tentadoras. Hoje é possível a uma cooperativa optar pela fusão - quando duas cooperativas saudáveis se unem e formam uma terceira ou pela incorporação - quando uma apresenta dificuldades financeiras, comerciais ou estratégicas. Mas, apesar de aparentemente negativo, o processo traz inúmeros benefícios como redução de custos e ganho em escala. “As cooperativas ao invés de alugarem dois escritórios, passam a ter apenas um imóvel e crescem também com a melhor qualidade no atendimento aos cooperados, porque oferecem mais serviços”, explica o auditor do Sicoob Central Cecresp, Miguel Afonso Gentile. Marcos Silva (Geden), Cristiane Oliveira, Rodrigues (Getec), Mário Okama (Comcred), Antônio Gaban e Walter Orloski (Iesacred), após reunião em São Paulo sobre o processo de fusão das cooperativas O SUCESSO Um exemplo de incorporação se deu nas duas cooperativas do Grupo Cosan. No início de 2006, as diretorias da Barracred Cosan e da Nova Celisa perceberam que a união repercutiria em significativa redução de custos. Tomada a decisão, os cooperados da Nova Celisa, pouco a pouco, migraram para a Barracred. O processo foi concluído no final do ano passado. “A incorporação da Nova Celisa foi tranqüila e o principal benefício foi a redução de custos com rateio orçamentário, o trabalho burocrático, a parte fiscal e tributária”, explica o gerente da Barracred Cosan, Luiz Roberto Nahun. Outro caso é da Iesacred, cooperativa de crédito dos funcionários do Grupo Iesa, que em 2007, iniciou o processo de fusão com a Comcred - Cooperativa de Créditos Mútuos dos Comerciários e Vestuários de Araraquara e Região. Para o presidente da Iesacred, Antônio Tomazetti Gaban, um dos benefícios da incorporação é que a cooperativa vai poder atender também os funcionários da indústria e do comércio da região de Araraquara. “A grande sacada da incorporação é o fortalecimento das duas entidades. Os cooperados vão ganhar uma cooperativa mais forte e com muito mais produtos e serviços”, diz o gerente da Iesacred, Walter Francisco Orloski. OPINIÃO Apesar dos benefícios, poucas são as cooperativas de crédito que acreditam na incorporação como estratégia para vencer a concorrência das grandes instituições financeiras, que ganham em escala. O Banco Central sugere às cooperativas se preocuparem com esta realidade de mercado. “O tempo está cada vez mais curto e o que ditará a sobrevivência das cooperativas será o spread, em queda constante. Dessa forma, é essencial que aconteça a verticalização das cooperativas, que garantirá a redução dos custos”, diz o o consultor do BC, Abelardo Duarte de Melo Sobrinho. O auditor do Sicoob Central Cecresp, Márcio Santos, concorda com Abelardo. “Os bancos e as financeiras falam diretamente com o público de massa e as cooperativas não sobreviverão se focarem na competição entre elas”. Segundo Manoel Messias da Silva, presidente do Sicoob, a estratégia das fusões e das incorporações é uma tendência que deverá ser seguida pelas cooperativas no futuro. No momento, uma alternativa para as cooperativas contornarem a competição acirrada é apostar na oferta de mais serviços. “Os bancos vêm fazendo isso há décadas. Hoje, quase 50% da receita dos bancos vêm das tarifas de serviços. É preciso encontrar caminhos alternativos e pensar e agir com visão de longo prazo. Os serviços podem ser uma âncora para contrabalancear a diminuição da receita ocasionada pela queda do spread”, analisa Messias. “As cooperativas precisam acelerar a tendência e pensar nas incorporações como uma estratégia para vencer a concorrência das instituições financeiras. Sem a união, dificilmente as pequenas irão sobreviver no mercado”, conclui Messias.

[close]

p. 7

A Recicla Brasil faz coleta de papel, papelão, latas de alumínio e aço, plásticos em geral, etc... Após vários processos, os materiais retornam como matéria-prima, ao ciclo de produção do qual foram descartados, poupando a natureza da extração inesgotável de matéria-prima. A Recicla Brasil coloca à disposição de empresas, indústrias, usinas, escolas e comércio em geral, o trabalho Terceirizado de Administração dos Rejeitos Recicláveis com prensas, caçambas e funcionários qualificados.

[close]

p. 8



[close]

p. 9



[close]

p. 10



[close]

p. 11



[close]

p. 12

Mariane Silvestre (Garota FACIRA), Giovana Gabriela Maia (Garota Comércio e Indústria), Débora Oliveira Silva (Garota Turismo) e Priscila Silva Bino (Garota Agropecuária), foram vencedoras entre as 24 participantes do concurso de beleza mais tradicional da cidade e região BELEZA MARIANE, A GAROTA FACIRA 2007 Em junho, a ACIA deu praticamente a largada para a realização da feira deste ano, escolhendo as garotas que já trabalham como relações públicas do evento. Um show de beleza, é assim que o presidente da ACIA, Valter Merlos, definiu o Concurso Garota FACIRA deste ano. O evento que aconteceu no Clube 22 de Agosto foi um dos primeiros passos para o sucesso da feira, a ser realizada no período de 3 a 12 de agosto nos pavilhões do Centro de Exposições de Araraquara. O concurso deste ano, coordenado por Fátima Bergamin e Renata Créspi, teve o apoio da Textil Abril que vestiu as candidatas. “Estou satisfeito com o resultado desta parceria, afinal estamos também integrados ao movimento, que além de comercial, tem o seu lado filantrópico”, disse Eder Magrini, gerente da Textil. Para os parceiros da ACIA, nesta promoção anual - Município, Sebrae-SP, SinHoRes e FISA, a FACIRA já tem o seu sucesso garantido. O conceito da feira foi alterado, comenta Antônio Roberto Gelin. Ela passou a ser uma vitrine para o expositor. Segundo ele, a FACIRA é importante para a divulgação da marca, mas também para os negócios que poderão ser realizados no CEAR, bem como depois da Feira. O presidente da FACIRA, Antônio Roberto Gelin, com Samanta Romancini (2006) e a ganhadora deste ano, Mariane Silvestre Valter Merlos, presidente da ACIA, com a Garota Comércio e Indústria (2006), Cátia Monção, e Giovana Maia, eleita em 2007 Presidente do SinHoRes, José Carlos Cardozo com Ana Cláudia, Garota Turismo (2006) e Débora Silva, Garota Turismo (2007) Mário Porto (Sindicato Rural), Grace Fonseca, Agropecuária (2006) e Priscila Bino, Garota Agropecuária (2007)

[close]

p. 13

Carlos Roberto Salvucci (Gerente Comercial) e Maury Fernandes (Executivo de Vendas) da EPTV, com o presidente da Benemed e Beneficência, Fábio Santiago, um dos convidados especiais no encontro dos profissionais de mídia no Banana Brasil CONFRATERNIZAÇÃO Pedro Lia Tedde (Construtora e Imobiliária Tedde) e Carlo Endrigo Peroni (Marzo Comunicações), premiados no Arraial promovido pela EPTV No arraial do Santo Mídia A EPTV Central reuniu no Banana Brasil em São Carlos, as agências de publicidade que atuam em sua área para comemorar o Dia do Santo Mídia. As comemorações de mais um aniversário de fundação da EPTV (primeiro de julho de 1989), praticamente se anteciparam com o encontro anual que uma das mais importantes emissoras de televisão organiza, com o objetivo de promover o congraçamento das agências de publicidade. Para isso, foi criado o Dia do Santo Mídia, com característica junina e a presença de empresários convidados. Para nós, disse Carlos Salvucci, geMaury Fernandes (EPTV) e o empresário Amilton Brizolari, proprietário do Atacadão Larissa Cortez, Fernando Sotrati, Marcelo Pereira, Vanessa e Luiz Sanchez, da Tarp rente comercial da EPTV Central, é dia de registrar a importância deste profissional que sabe como ninguém transformar diferenciais de mercado em oportunidades de negócio. Nos planos do Mídia, nossa liderança de audiência se torna lembrança de marca, completou. Hoje a EPTV Central cobre 41 municípios, atingindo 500 mil domicílios com TV, o que representa uma população de quase 2 milhões de habitantes. Além de gerar a programação da Globo, a emissora possui jornalismo regional atuante e eventos comunitários de grande porte. No Dia do Santo Mídia, os publicitários Carlo Endrigo Peroni (Marzo) e Fernando Sotrati (Tarp Comunicação), foram premiados com DVD e TV, respectivamente. Há 11 anos no mercado, a Alarm System desenvolve projetos e instalações de alarmes, circuito fechado de TV, automação de portas e portões, controle de acesso, sistemas perimetrais e monitoramento de alarmes e vídeo. Sempre em busca de inovações, a Alarm System oferece produtos com a mais alta tecnologia ao menor custo possível. A equipe altamente qualificada, composta por técnicos e profissionais que vivem em constante aperfeiçoamento, desempenha um trabalho eficiente e aprovado por seus clientes. Esse trabalho é a garantia de segurança e tranqüilidade para os usuários.

[close]

p. 14

HOMENAGEM FESTA PARA OS COMERCIANTES O Dia do Comerciante (16 de julho), será comemorado num jantar dois dias depois, com a entrega do prêmio Personalidade Empresarial a quem mais se destacou entre dirigentes e empresários nos últimos doze meses. Pelo terceiro ano consecutivo, a ACIA e o SINCOMÉRCIO se unem para promover o Jantar do Dia do Comerciante, no dia 18 de julho, às 20h, no Clube 22 de Agosto e juntos homenagearem, na oportunidade, a classe empresarial da cidade. De comum acordo, as entidades escolhem a Personalidade Empresarial, avaliando através de diversos quesitos, o comportamento profissional, o índice de crescimento da empresa que dirige, seguindo parâmetros da missão e visão e a sua relação com a comunidade. As indicações, diz Ivo Dall’Acqua Júnior, presidente do SINCOMÉRCIO, são apresentadas pelas diretorias das duas instituições, razão pela qual, comércio, indústria, prestadores de serviços e profissionais liberais, têm reconhecido o valor das homenagens prestadas anualmente. Luiz Felipe Cabral Mauro Personalidade Empresarial 2005 José Jaime Reis Carlton Personalidade Empresarial 2006 Além do Prêmio Personalidade Empresarial, comenta o presidente da ACIA, Valter Merlos, homenageamos os empresários que ajudaram a escrever a história da nossa terra, como já ocorreu em 2006 e 2007. Supermercado Bombardi (2005) Bazar Sensação (2005) Mercearia Sígoli (2005) Vilacopos (2005) Mercearia do Miro (2005) Comercial de Ferragens Santa Paula (2006) Mackor Baterias e Peças (2006) Loja da Lilah (2005) Gráfica Sol (2006) A Esportiva (2006)

[close]

p. 15



[close]

Comments

no comments yet