Revista Comércio & Indústria - Julho/2009

 

Embed or link this publication

Description

Revista Comércio & Indústria - Julho/2009 - Ano 4 - Nº 48

Popular Pages


p. 1

CARTA 991.223.042-4DR/SPI Julho/2009 • Ano 4 - N° 48 SENAC ARARAQUARA SEIS DÉCADAS VOLTADAS PARA O CONHECIMENTO PROFISSIONAL Moderna na aplicação dos métodos de ensino e com programação contemporânea, o Senac Araraquara completa 60 anos de atividades em julho. Sua marca dentro do aprendizado profissional é a garantia de importante ação social junto à comunidade.

[close]

p. 2



[close]

p. 3



[close]

p. 4

do editor ponto de vista Valter Merlos - Presidente Ivan Roberto Peroni UM PROJETO QUE VAI REDUZIR OS CUSTOS OPERACIONAIS DAS PEQUENAS EMPRESAS segmento e porte administrativo. Num nossa associação com o apoio diprimeiro passo, consideramos importanreto da FACESP, deverá implante que os comerciantes conheçam e fatar nos próximos meses o Proçam a avaliação tão logo os técnicos da grama de Inclusão Digital das Micro e FACESP venham promover essa aprePequenas Empresas, que tem o objetisentação aos nossos empreendedores: vo de lhes oferecer a redução de custos para saber se é bom ou não, é preciso prioperacionais e de gestão, além de inmeiro, conhecer. centivo para investimentos na autoCom o aumento no volume de negomação de serviços. ciações através da transferência de funEssa é uma ação que começa a ser dos, bem como a necessidade da emiscolocada em prática pela FACESP nas são de Nota ou Cupom Fiscal, além do associações comerciais do Estado de controle da parte gerenSão Paulo, após a aprecial da empresa, este Prosentação do programa, através de técnicos e espe- O papel da ACIA é orientar e grama de Inclusão Digital das Micro e Pequenas cialistas em gestão, mos- facilitar este processo, trando inicialmente a ne- sugerindo medidas que mais Empresas vai simplificar e baratear os processos e cessidade que o micro, pe- se adequem ao perfil do sua otimização. queno, médio e grande co- empreendedor, com um As grandes empresas merciante têm em promo- variado leque de excelentes são autosuficientes nesta ver essas reduções nos possibilidades. questão. A chance agora seus custos operacionais. é das micro e pequenas Trata-se naturalmente de empresas terem um sistema neste sentiuma proposta interessante e inovadora do, com enormes possibilidades quanto para que os empreendedores tenham à adoção de inovações tecnológicas. uma oportunidade ainda mais ampla de Assim, o projeto pode ser um caminho se fortalecer e conquistar o mercado. para a adesão das empresas ao uso da O Programa de Inclusão Digital das tecnologia, pois elas poderão aplicar Micro e Pequenas Empresas é disponiuma série de soluções viáveis de inforbilizado pela Federação das Associamatização ou melhorar o sistema que já ções Comerciais do Estado de São Pauexiste em seu interior. lo (FACESP), numa parceria com a Tray O papel da ACIA é orientar e facilitar Sistemas, TPC - Soluções em Informátieste processo, sugerindo medidas que ca, Channel Marketing, Telefonica e Fomais se adequem ao perfil do empreenlhamatic. Será possível unir conexão de dedor. O projeto em seu todo oferece um banda larga, sistema de gestão, publicivariado leque de possibilidades, que vão dade e comércio on-line de forma fácil, desde a criação de um portal e um catáeficiente e rentável. É importante que os logo eletrônico, até o acesso ao crédito sistemas sejam simples, leves, acessípara aquisição de hardwares, softwares veis e menos complexos. e serviços de consultoria para informatiCompreendemos também, a primeização. ra vista, que o grande desafio é a dispoÉ inegável o papel da ACIA em assistir nibilidade de ferramentas que possam seus associados, numa época em que a ser utilizadas por leigos na área de inforinformatização nos leva a uma capacitamática, pois o programa em si será um ção cada vez mais ampla e necessária paexcelente instrumento para impulsionar ra maior rentabilidade nos negócios. qualquer empresa, independente do UMA REVISÃO NO PROCESSO DE CONTRATAÇÃO DAS TERCEIRIZADAS ecentemente em um programa de rádio local, seus diR um trabalhador buscando amparo aosterceirireitos, criticava a forma com que empresas zadas são contratadas para execução de serviços nos municípios e da noite para o dia - baixam as portas - deixando o amargo rastro do abandono. Além das empresas da própria cidade - conceituadas e com estrutura infinitamente superior a dos aventureiros que chegam - serem relegadas a segundo plano, há o prejuízo causado ao comércio e aos trabalhadores. Em nosso entender, quem desrespeita os princípios éticos em favor da obtenção de vantagens não éticas, acaba pagando a conta em dobro. E é o que está ocorrendo com o setor público em várias cidades ao adotarem de forma ampla as terceirizações precarizadoras, que beneficiando-se das regras de mercado, acabam aprovando processo de concorrência em que empresas de fachada, sem suporte econômico para aguentar os encargos sociais e trabalhistas, ganham as concorrências, vindo a quebrar pela falta de estrutura, deixando ao Poder Público o ônus decorrente de sua própria ganância. É importante que seja feita uma revisão nos processos de contratação das empresas, pois quem acaba pagando a conta é a própria população. Capa Gilmar Fotografias A SENAC, SESSENTA ANOS DEPOIS Os estabelecimentos comerciais e as empresas da cidade possuem na maioria em seus quadros, profissionais que passaram pelo Senac, motivo de orgulho para o nosso ensino profissionalizante nos últimos 60 anos. EDIÇÃO N° 48 - JULHO/2009 Diretor Editorial: Ivan Roberto Peroni Supervisora Editorial: Sônia Marques Assistente Editorial: Michele Rampani Depto. Comercial: Gian Roberto - José Teodoro de Souza Sebastião Barbosa - Silmara Zanardi - Elaine Anaya Designer: Bete Campos, Mário Francisco e Carolina Bacardi Impressão: Gráfica Bolsoni - (16) 3336 9008 A revista Comércio & Indústria é distribuida gratuitamente em Araraquara e região INFORMAÇÕES ACIA: (16) 3322 3633 COORDENAÇÃO, EDITORAÇÃO, REDAÇÃO E PUBLICIDADE marzo comunicação Fone/Fax: (16) 3336 4433 Rua Tupi, 245 - Centro Araraquara/SP - CEP: 14801-307 marzo@marzo.com.br

[close]

p. 5

Afif, durante o congresso realizado em Santos FUTURO ENTRANDO NA FORMALIDADE No encontro que teve com Afif Domingos, o presidente da ACIA, Valter Merlos, falou do apoio que o nosso município e a entidade vêm dando aos pequenos empreendedores da cidade. O programa Caravana do Empreendedorismo, Emprego e Renda e Apoio à Formalização, foi um dos principais assuntos abordados pelo Secretário de Estado do Emprego e Relações do Trabalho, Guilherme Afif Domingos, durante palestra no 53° Congresso Estadual de Municípios. A informação é do presidente da ACIA, Valter Merlos, que se avistou com Afif Domingos, durante o encontro realizado em Santos no começo de junho. Na oportunidade, o Secretário de Estado expôs os principais programas da pasta que administra, com destaque para a Caravana do Empreendedorismo, promovida pelo Governo Estadual, em parceria com o Cepam. A caravana, disse Merlos em seu retorno, está sendo realizada em 20 regiões do Estado e tem como objetivo debater com os gestores públicos a implantação do MEI (Microempreendedor Individual), que está entrando em vigor neste mês de julho, e as ações do Banco do Povo Paulista. Afif falou para Merlos que leva para o Congresso Nacional, a certeza de que a caravana será um sucesso porque já foi feita a pauta com todos os prefeitos. Mais de 3 milhões de pessoas em São Paulo trabalham na informalidade. É a população do Uruguai inteira. Imagina um país todo, escondido, trabalhando sem aparecer, sem renda comprovada, sem acesso a crédito e sem direito à cidadania, lembrou Afif. O secretário, que preside o Programa Estadual de Desburocratização, ressalta a importância de iniciar o treinamento dos servidores para a implantação do MEI. “A ideia de criar um mecanismo rápido, fácil e sem burocracia para formalizar cerca de 10 milhões de brasileiros, nasceu no Estado de São Paulo. Não podíamos deixar de ser os primeiros também a implantar essa ferramenta, que nos 645 municípios paulistas poderá trazer à luz da formalidade, mais de 3,2 milhões de trabalhadores”, ressalta Guilherme Afif. A meta do Governo de São Paulo é formalizar 10% dos informais de todo o Estado até dezembro de 2010. Segundo Merlos, que em Araraquara instalou na Prefeitura Municipal a Sala do Empreendedor, a formalidade tem que ser mais barata que a informalidade. Valter Merlos no congresso em Santos, falou da importância da nossa Sala do Empreendedor

[close]

p. 6

DIA DO COMERCIANTE EMPRESÁRIOS DA NOSSA HISTÓRIA No dia 16 de julho, data dedicada aos que atuam no comércio, a ACIA e o SINCOMÉRCIO deverão promover badalado jantar no Bazuah Eventos para homenagear quatro grandes empresários da cidade. Famílias como Zanin, Pesce, Micelli e Assumpção, cada qual no seu tempo, decidiram escrever uma história, chamando para ser protagonista sua própria família. No ano passado, elas foram homenageadas pela ACIA e pelo SINCOMÉRCIO, entidades representativas do comércio, que todos os anos escolhem os Empresários da Nossa História. Em 2009, essa história vai se repetir, porém, serão outros protagonistas que ao longo do tempo dedicaram grande parte de suas vidas no desenvolvimento comercial da cidade. Dizemos sempre que Araraquara é uma cidade privilegiada pelos filhos que tem e que com amor à terra e ao trabalho, venceram os desafios e deixaram uma marca que jamais será apagada. Ser comerciante, diz Ivo Dall’Acqua, presidente do SINCOMÉRCIO, é ser sinônimo de criatividade, coragem e competência. Os nossos homenageados em 2009, afirma Valter Merlos, presidente da ACIA, construíram um patrimônio sólido, deixando para a vida empresarial da cidade, o maior legado de um homem: nome honrado, o respeito de seus semelhantes e incontáveis amigos. EMPRESÁRIOS DA NOSSA HISTÓRIA EM 2008 O vice-presidente da ACIA, José Carlos Pascoal Cardozo, entrega o troféu ao empresário Narciso Antônio Zanin O vereador Elias Chediek na homenagem ao empresário Caetano Antônio Pesce João Carlos Missorino (SinHoRes), entrega o troféu a Mara Regina Assumpção A empresária Vera Micelli, comemora com seus pais Hugo e Vitória a homenagem

[close]

p. 7

CURSO COMO DEFINIR O PREÇO DE VENDA NO COMÉRCIO Destinado aos que atuam em área de finanças, o curso organizado pela ACIA e SEBRAE visa oferecer ferramentas de atualização e técnicas de aperfeiçoamento dos profissionais. Com uma carga de 20 horas, distribuídas em cinco dias de julho, o facilitador do SEBRAE-SP, Célio Natal Francisco, deverá ministrar no período de 13 a 17, das 19h às 23h, o Curso “Como definir o Preço de Venda no Comércio”. O evento organizado pelo SEBRAE e ACIA é voltado aos profissionais da área de finanças: “Estamos proporcionando excelente oportunidade aos nossos associados e demais interessados em participar de um curso ministrado por um renomado facilitador, justamente no momento em que muito se fala de crise e reestruturação das empresas”, diz Valter Merlos, presidente da ACIA. CONTEÚDO PROGRAMÁTICO As aulas abordarão cinco temas: classificação dos componentes do preço de venda; apuração das despesas fixas; apuração dos custos e despesas variáveis; determinação do preço de venda com base no lucro desejado e definição do preço de venda no comércio. Um dos itens importantes será ensinar o participante a calcular o preço de venda no comércio, através dos métodos de custeamento por absorção e direito, bem como apurar o ponto de equilíbrio da empresa comercial. Informações na ACIA ou pelo fone 3322-3633. Célio Natal Francisco, facilitador do curso

[close]

p. 8

GENTE DA NOSSA TERRA TEXTO: MICHELE RAMPANI MARIO MARQUES DA SILVA O ARTISTA DA NOSSA TELEVISÃO Ao assumir a Prefeitura em 1969, Rubens Cruz chamou Mario Marques da Silva para presidir a Sociedade Araraquarense de Televisão e trazer o sinal de TV em cores e com torres próprias, num desafio que ele venceu. Foi presidente do Sindicato do Comércio e implantou o SPC. Valeu da sua força para ajudar na vinda da Escola Senac. Este homem é que a cidade perdeu em junho, deixando sua linda imagem de trabalho gravada em nossas memórias. O trabalho sempre foi o tema da vida de Mario Marques da Silva. Nascido em Araraquara, desde muito cedo assumiu responsabilidades. Seu caminho foi marcado por desafios, esforço e especialmente conquistas, que em muito contribuíram para o progresso e crescimento da cidade. Mario nos deixou no dia 6 de junho, mas sua história será lembrada para sempre por familiares, amigos e a comunidade. Quem relembra e relata a vida de Mario para a Revista Comércio & Indústria, sempre vista por ele, é seu filho mais velho, o empresário Jorge Marques da Silva (MultiAlarme). Bisneto de imigrantes italianos e portugueses, Mario Marques da Silva nasceu em 23 de dezembro de 1930. Filho do ca- Nildson Leite Amaral transmitindo pela Rádio Cultura, a inauguração da loja nos anos 60, com o Padre Storniollo e Mario Mario Marques, entusiasta pela cidade e pelo trabalho, deixa um rastro de saudades trônicos e elétricos. E foi nesse período que Mario Marques fez história em Araraquara. Após três décadas de sociedade com o irmão Bento a frente da Rádio Elétrica Geral, eles resolveram se separar e Bento continuou com a Rádio Elétrica Geral, que hoje está sob o comando de uma de suas filhas. Já Mario, na década de 80, abriu um novo negócio, montou a Gurilândia, loja que vendia artigos e presentes para crianças. Lá permaneceu por aproximadamente 15 anos. A TV NA VIDA DE MARIO O trabalho na Rádio Elétrica Geral lhe rendeu grandes amizades; como Mario entendia de eletricidade, era procurado pelas famílias e as empresas de Araraquara. “Ele sempre teve a confiança das pessoas”, comenta Jorge. Quando Rubens Cruz se tornou prefeito (1969), a cidade começou a crescer e nesse período surgiu o interesse em trazer o sinal de televisão para o município. O prefeito então, pediu a Mario que administrasse a SAT - Sociedade Araraquarense de Televisão, que tinha como objetivo trazer o melhor sinal de televisão para a cidade. Mario aceitou com prazer a tarefa. Jorge conta que todos os domingos, várias pessoas envolvidas com a SAT, entre eles Bento Marques da Silva e Clodoal- Os irmãos Bento, Mario e João, a coluna principal de uma família tradicional sal Manoel Marques da Silva e Assumpta Maria Biagione Marques da Silva, Mario teve uma infância humilde ao lado de mais seis irmãos: Teresinha, Belmira, Bento, Maria, João e Osvaldo. Eles cresceram em um sítio na saída de Araraquara, até que um dia, o destino fez Manoel trazer a esposa e os filhos para a cidade. Tempos depois, seo Manoel faleceu por tifo e o pequeno Mario, com oito anos de idade, começou a trabalhar, assim como todos os seus irmãos, pois foi essa a saída encontrada por Dona Assumpta para poder, sem o marido, manter sua família. O primeiro emprego de Mario foi inusitado, indo trabalhar como babá de uma de suas primas. Após essa experiência, Mario passou a trazer produtos de sítios e vender na cidade. Em seguida, foi ser balconista de um restaurante chamado Mosca onde aprendeu muito sobre o comércio e os negócios. Vendo o amadurecimento profissional de Mario, o irmão mais velho João, o chamou para trabalhar em sua loja e na oportunidade, também chamou o outro irmão, Bento. Os três irmãos trabalharam juntos por muitos anos na loja de João, a Elétrica Santa Teresinha. Anos depois, Mario e Bento decidiram abrir o próprio negócio e com o apoio de João, inauguraram a Rádio Elétrica Geral, em 1951. Por tinta anos, os dois irmãos Marques da Silva trabalharam em sociedade, vendendo rádios, tvs, aparelhos ele- Os irmãos Bento e Mario, as esposas Beatriz e Redenta e a mãe Assumpta

[close]

p. 9

não daria certo, pois para ele ninguém compraria um aparelho de TV que custava a mesma coisa que um Fusca e meu pai concordou com ele; disse que seria muito difícil mesmo essa TV emplacar. E hoje, não se fabrica mais TV preto e branco”, lembra sorrindo. SINDICATO E SENAC Inauguração da Rádio Elétrica Geral: Mario, Redenta, Beatriz, Bento, a mãe Assumpta e os filhos pequenos Jantar comemorativo ao Dia do Comerciante e Mario (presidente do Sincomércio) ao lado do então prefeito Clodoaldo Medina do Medina realizavam as experiências mais inusitadas em busca do melhor local para instalação da antena de televisão. Viajavam para cidades da região, entravam no meio do mato, soltavam balões, sempre tentando a melhor localização. Ainda em busca de melhores sinais, pediu ajuda ao técnico russo Anatole Rokatencko, que tinha vasto conhecimento sobre o assunto. Outra passagem interessante relatada por Jorge, relembra o início Jorge, lembrando da TV em coa vida do pai res. Em 1970, Mario e Bento compraram um aparelho de TV, da marca Philco e marcaram a inauguração da televisão com transmissão colorida na Rádio Elétrica Geral. Jorge conta que eles arrumaram a TV na vitrine da loja, na Rua Nove de Julho, ao ligarem estava passando um filme das Olimpíadas anteriores na Bandeirantes. Segundo Jorge a imagem estava boa, mas o que ele mais recorda são os comentários feitos pelo tio e pelo pai. “Meu tio ligou a TV e falou que Mario Marques da Silva, comerciante nato, foi o segundo presidente do Sindicato do Comércio Varejista e teve dois mandatos de três anos cada, entre 1969 e 1975. Durante sua gestão, os comerciantes obtiveram muitos benefícios como a aquisição da primeira sede própria do sindicato, na Av. Brasil 582 e também a vinda do Serviço de Proteção ao Crédito (SPC) para a cidade. Nos anos em que foi presidente do sindicato, Mario estreitou os laços de amizade com o então presidente da Federação do Comércio do Estado de São Paulo, José Papa Junior e conquistou para a Araraquara a unidade do SENAC; em sua gestão teve início a construção da atual sede da escola. FAMÍLIA Mario Marques da Silva é lembrado pelos filhos como um homem trabalhador. “Ele sempre foi muito comedido, mas foi um exemplo como trabalhador, sem direito a férias de 30 dias”. Casado por muitos anos com Redenta Pupin, Mario teve com ela sete filhos: Jorge Luiz, Mario Júnior, Maria Eugenia, Isabel Cristina, Silvia Helena, Paulo Roberto e Milton César. Mario e Redenta são avós de nove netos. Jorge conta uma história que ele e seus irmãos viveram com seu pai. “Um sábado, Mario, que jamais teve férias de trinta dias, reunindo a família num dos momentos de intensa alegria há 44 anos, meu pai pegou os sete filhos e colocou na Kombi da família; estava um tempo feio, mas ele falou para gente que iria nos levar para conhecer um clube novo e do qual era sócio fundador. Eu tinha uns 13 anos e lembro bem; rodamos, rodamos. Parecia uma eternidade, até que chegamos ao lugar. Desci e abri uma porteira, e vi um lago, um cobertinho de telha e muito mato. Paramos ali, descemos e meu pai falou: olha, eu comprei o título desse clube. Olhei pra ele e disse que ali não tinha nada, no meio do mato e muito longe da cidade, ninguém iria naquele clube. Ele explicou o que planejavam fazer naquele lugar e hoje é realidade: aquele foi o início do Clube Náutico. Mario também era apaixonado pela Ferroviária, viajando com os amigos e os filhos para assistir aos seus jogos nas cidades da região. Nos últimos meses, Jorge levou o pai para ver a reforma da nova Arena da Fonte; ele conta que o pai ficou maravilhado e feliz em ver as obras no novo estádio. Os domingos eram os dias em que pai e filhos se encontravam e passavam alguns momentos juntos. Mario também teve outro relacionamento; por alguns anos viveu com Edineusa Francisco com quem teve mais um filho, Mario Augusto. Mario coloca o pin do Lions Santa Cruz em Osvani Xavier e Paulo Elias Antônio observa Mario Marques da Silva viveu por cerca de cinco anos até seu falecimento no mês passado com Mal de Alzheimer. Para a família, parentes e amigos ficou a imagem do homem batalhador que ajudou no crescimento da nossa cidade.

[close]

p. 10

DEPOIMENTOS O EXEMPLO QUE FICOU O falecimento de Mario Marques da Silva, levou três conceituados nomes do comércio local a mostrarem através de depoimentos, o quanto ele foi importante na vida da nossa cidade. “Dezoito horas e cinco minutos: a Rádio Cultura apresenta Bola Número Cinco, gentil oferecimento de Móveis Negrini e Rádio Elétrica Geral...” É desta forma que o jornalista Ivan Roberto Peroni descreve o início de uma amizade e respeito a Mario Marques da Silva, sócio-proprietário da Rádio Elétrica Geral. “Estava começando no rádio em 1966, com meus 17 anos e sabia o quanto o Mario era apaixonado pelo esporte e pela Ferroviária. Isso ficou gravado em minha memória”, afirma o jornalista. Às suas lembranças juntam-se depoimentos de pessoas que aprenderam a conhecê-lo. IVO DALL’ACQUA JÚNIOR PRESIDENTE DO SINCOMÉRCIO Exercendo através do voto na ACIA, o seu desejo de defender permanentemente os interesses da classe BENTO MARQUES DA SILVA RÁDIO ELÉTRICA GERAL “Mais ou menos em 1950, nós fundamos a firma Irmãos Marques - Rádio Elétrica Geral; eu cuidava da parte técnica e o Mario cuidava também da parte técnica e elétrica. Graças a Deus, tenho gratas recordações desse tempo nas nossas vidas. Em 1978, resolvemos por bem separar a sociedade, mas a nossa luta foi maravilhosa com inúmeras vitórias. O nosso capital eram quatro mãos, as dele e as minhas, e sempre trabalhando com muita vontade, conquistamos o sucesso”. APPARÍCIO DAHAB KIBELANCHE “Mais do que ter sido presidente do Sincomércio no período 1969 a 1975, Mario Marques sempre teve uma visão articulada da categoria e mostrou ter visão de futuro quando acreditou que a implantação de serviços de proteção ao crédito poderia se tornar uma ferramenta essencial para o desenvolvimento do varejo em nossa cidade. Nasceu comerciante, aliás vocação de toda sua família, que escreveu vários e notáveis capítulos da história de nosso comércio. Em toda sua vida, sempre colocou o trabalho como profissão de fé, dando-lhe mais atenção do que a qualquer outra coisa. E, perseverante, sempre perseguiu seus objetivos com a tenacidade e a determinação daqueles que fazem ser profícua e marcante, sua passagem por este mundo”. “O Mario sempre foi um grande amigo, desde a época do Sindicato. Fomos vizinhos no comércio (Nove de Julho), vivíamos praticamente juntos, sempre trocando ideias sobre o comércio. Quando eu inaugurei a Kibelanche em 1961, ele fez questão de ser um dos primeiros a entrar na lanchonete. Lembro que todo dia 24 de dezembro, ele ia até a lanchonete e dizia que “mais um ano havia se passado e estamos juntos mais uma vez”. Ele gostava de prestigiar os amigos e era um bom comerciante, dono de uma personalidade amiga e responsável. Eu perdí um grande amigo e Deus ganhou um bom filho”.

[close]

p. 11

O presidente Paulo Rodrigues vem imprimindo um novo ritmo de trabalho na CTA, procurando humanizar o transporte coletivo e criando ferramentas que possam contribuir de forma decisiva no fortalecimento da empresa. Para ele, é importante que os usuários tenham acesso às informações e colaborem com sugestões para possibilitar mais conforto a todos. INFORMATIZAÇÃO O NOVO SITE DA CTA FACILITA NAVEGAÇÃO Os usuários do transporte coletivo de Araraquara agora já podem se manter bem informados. Desde o mês passado, está na internet o novo site da CTA, www.ctaonline.com.br, com um formato mais simples e bem mais dinâmico. A ideia do novo site é tornar o acesso às informações mais rápido, como o itinerário e horário das linhas dos ônibus coletivos, dados estatísticos, história da empresa com fotos de época, horários e destinos dos ônibus intermunicipais que saem do terminal rodoviário, licitações, concursos públicos, bilhetagem eletrônica, entre outros, comenta o presidente da CTA, Paulo Rodrigues. Segundo ele, uma das metas da atual administração é melhorar a comunicação com os usuários sobre as linhas de ônibus. “O formato do site é de um portal, com todos o links já disponibilizados na primeira página. Assim, o conteúdo está mais fácil de ser acessado”, afirma. Uma das novidades são os mapas de todas as linhas que foram desenhados no programa Google Maps. Desta forma, o internauta poderá interagir fazendo o itinerário dos ônibus com outros pontos de interesse da cidade. O canal de comunicação com o usuário também foi mantido e também pode ser acessado na página principal. “As sugestões e informações dos passageiros dos coletivos são encaminhadas para a ouvidoria da empresa”, explica o presidente. A ESCALA DO RADAR MÓVEL Uma das novidades do site da CTA é informar diariamente a escala do radar móvel. De acordo com o secretário de Trânsito e Transporte, Joel Marco Carrera, a divulgação está baseada na lei. “O princípio constitucional diz que todo ato administrativo deve ser divulgado”. MUSEU VIRTUAL A memória dos tróleibus também pode ser acessada pelos internautas no site da empresa. O “museu virtual” contém fotos dos modelos de tróleibus que circularam pela cidade por cerca de 40 anos, além do registro da oficina, de funcionários, diretores e presidentes, da antiga sede da empresa, entre outros. Os internautas podem conferir curiosidades de época, como o uniforme que era usado por cobradores e motoristas e a evolução dos modelos de veículos, como também os ônibus que foram montados na própria oficina da CTA. Além do site, a CTA colocou uma central de informações no Terminal Central de Integração, onde são fornecidas informações não só dos itinerários e horários das linhas da CTA e da Viação Paraty, como também de locais de interesse público e eventos. A empresa também estuda outras formas para melhorar o acesso à informação no TCI, como distribuição de panfletos ou mesmo a colocação de um terminal para a impressão de dados como horários e linhas. Navegando, internautas e usuários da CTA encontram uma infinidade de informações que permitem ampliar seus conhecimentos sobre o avanço da empresa e do transporte coletivo

[close]

p. 12

Em 1949 o Senac começa sua história na Rua Nove de Julho REPORTAGEM DE CAPA Em 1960 está na Avenida Feijó esquina com Carvalho Filho SENAC ARARAQUARA SEIS DÉCADAS VOLTADAS PARA O CONHECIMENTO PROFISSIONAL A unidade Senac Araraquara completa 60 anos e em alto estilo comemora o bom desempenho econômico da região. Nessas últimas seis décadas, a instituição tornou-se responsável pela formação e qualificação de milhares de pessoas que, ao longo do tempo, passaram a ocupar postos no mundo do trabalho, contribuindo para o desempenho das empresas, mas também a profissionalização e a modernização do mercado local de comércio, serviços e turismo. F Moderno auditório ernanda Maria Fornazieri Musto, é a gerente da unidade e comenta que a maioria dos estabelecimentos comerciais e das empresas de Araraquara possui em seus quadros funcionais, profissionais que passaram pelo Senac, seja ensinando ou aprendendo. Isso se deve ao fato de a organização estar sempre em consonância com o pulso da localidade em que está inserida. Sintonia que motivou o lançamento recente de títulos nas áreas de hotelaria, podologia, massoterapia, especializações técnicas direcionadas a alunos com nível técnico ou superior, além de consolidar o setor de moda, no qual é referência. Fernanda Maria Fornazieri Musto, gerente Sempre alinhada com as demandas do da unidade em Araraquara mercado, a unidade se consolida com uma programação que, desde 2007, favorece es- para a promoção de seus negócios. “O relapecialmente o desenvolvimento do setor cionamento forte com importantes parceivarejista local e já capacitou em um desses ros, permite desempenhar ações em beneprojetos, 350 dirigentes de micro e peque- fício de um segmento que obtém índices nas empresas. positivos na economia”, diz a gerente da A iniciativa dirigida para esses empre- unidade. sários compreendeu a articulação de um leque respeitável de organizações, como o Sindicato do Comércio Varejista de Araraquara, o Sebrae, a Associação Comercial e Industrial de Araraquara, a Prefeitura e entidades do terceiro setor. O objetivo é o de disseminar conhecimentos e operar transformações positivas, visando a evolução das organizações de porte menor. Os empresários recebem apoio mercadológico e operacional Laboratório de Estética Moda

[close]

p. 13

ATENDIMENTO CORPORATIVO SENAC DESENVOLVE PROGRAMAS SOB MEDIDA E FIDELIZA CLIENTES Hoje, o Senac na Rua João Gurgel, 1935 OS NÚMEROS E O ALCANCE Em 2008, o Senac local contabilizou um total de 8.500 alunos, sendo 315 egressos da modalidade técnica, 1.295 da livre e 6.900 dos eventos. Esses dados também são a prova da evolução da unidade. Em 1949, ano da inauguração, houve 260 alunos que se matricularam para os cursos Praticante de Comércio, Preparatório e Aspirantes ao Comércio. No decorrer dos anos, o portfólio teve uma ampliação significativa e atualmente lista mais de 50 cursos nas áreas de informática, beleza, saúde, administração, comunicação, segurança, moda, hotelaria. Além disso, a comunidade regional e os alunos contam com movimentado calendário de seminários, palestras, exposições e campanhas socioeducativas, que colocam pessoas e organizações em contato com conhecimentos sempre atualizados. A unidade tem ainda forte atuação social e já estendeu iniciativas de qualificação para jovens de Ibitinga e Matão, por meio do Programa Educação para o Trabalho - Novas Conexões. Já o Programa Aprendizagem, em julho, inicia a sétima turma e há a expectativa de expansão para as cidades vizinhas. “O Senac participa ativamente da construção da sociedade de Araraquara. O melhor exemplo dessa atuação são jovens egressos sendo inseridos no mercado de trabalho. Eles conseguem seu desenvolvimento pessoal, que se reflete nas suas famílias, na consolidação dos laços comunitários e consequentemente, no fortalecimento das empresas, beneficiadas por contarem com funcionários mais bem preparados”, conclui Fernanda. O Atendimento Corporativo é o canal exclusivo que o Senac mantém para a construção das melhores soluções de aprimoramento para os órgãos públicos, a iniciativa privada e as instituições do terceiro setor. Com uma rede de Unidades distribuídas pelo Estado de São Paulo, atuando em suas diversas áreas de conhecimento, a instituição desenvolve profissionais e organizações, de acordo com suas necessidades, para o melhor desempenho no mercado. Hoje é uma das mais importantes instituições educacionais de caráter privado do país, segundo atesta o Prêmio Top of Mind Fornecedores de Recursos Humanos, onde há cinco anos consecutivos, a instituição recebe o prêmio na categoria Empresas de Treinamento e Desenvolvimento. O Senac Araraquara atua em 13 cidades e conta com uma equipe preparada de consultores especialistas em suas áreas de atuação. “Isso possibilita desenvolver um trabalho com versatilidade e adaptabilidade com ótimos benefícios, agregando assim um valor maior para o cliente” - diz o executivo de contas Carlos Aiello - responsável pelo Atendimento Corporativo na unidade. Os serviços do Atendimento Corporativo não necessitam de procedimentos licitatórios para sua contratação por empresas e órgãos públicos. Com isso, os projetos ganham agilidade e redução nos custos com os procedimentos de contratação e diversidade em serviços e áreas de atuação dentro de uma única instituição. A licitação é dispensável na “contratação de instituição nacional, sem fins lucrativos, incumbida regimental ou estatutariamente da pesquisa, do ensino ou do desen- Carlos Aiello, Executivo de Contas do Senac Araraquara e responsável pelo Atendimento Corporativo volvimento institucional, científico ou tecnológico, desde que a pretensa contratada detenha inquestionável reputação éticoprofissional” (Conforme o inciso XIII, do art.24 da Lei n° 8.666, de 21/06/1997) TREINAMENTO E CONSULTORIA O Senac realiza treinamentos in company e consultoria em qualquer de suas áreas de atuação, além de projetos tailor made, específicos para a necessidade da organização, desde a concepção até a implementação, além de módulos como: • Diagnóstico empresarial • Planejamento estratégico • Desenvolvimento de metodologias de gestão • Implementação de processos PROGRAMA DE ANIVERSÁRIO Em comemoração ao seu sexagésimo aniversário, o Senac Araraquara prepara vários eventos gratuitos que serão oferecidos durante todo o mês de julho. SÃO DESTAQUES EXPOSIÇÕES: “CAFEZINHO BRASILEIRO” do artista plástico Lauro Monteiro “INTEROLHAR”, da artista plástica Maribel Santos PALESTRAS: com o Dr. Alfredo Salim Helito – autor do livro Democratização da linguagem médica com Marcos Carvalho “O Segredo: A lei de atração em vendas” – autor do livro Gestão Eficaz da Equipe de Vendas Laboratório de Informática Para a programação completa, acesse www.sp.senac.br/araraquara

[close]

p. 14



[close]

p. 15

DESENVOLVIMENTO Fotos: Tetê Viviane SORVETERIA MR. ICE RECEBE ÁREA PARA EXPANDIR INDÚSTRIA NA CIDADE José Antonio Nogueira Filho, da Mr. Ice Há 15 anos no mercado, José Antonio Nogueira Filho dá mostras do crescimento da Mr. Ice e merecidamente recebe do município, uma área que vai possibilitar a expansão das atividades. Uma conquista para seu diretor que assim posiciona a empresa como modelo em seu mercado de atuação. O prefeito Marcelo Barbieri assinou em junho o termo de permissão de uso de área para a empresa J. A. Nogueira (Sorveteria Mr. Ice). O ato aconteceu na Sala de Reuniões do Gabinete, com a presença do presidente da Câmara, Ronaldo Napeloso, dos vereadores João Farias e Paulo Maranata, além dos secretários: Valter Merlos (Desenvolvimento Econômico), Álvaro Guedes (Fazenda) e Márcio Santos (Administração). A área da empresa J. A. Nogueira Filho está localizada no Jardim das Gaivotas, com 652 m². A empresa atua há 15 anos no ramo de manipulação, fabricação e revenda de sorvetes, possui 15 funcionários e conta com cinco sorveterias no Centro e uma na Vila Xavier, além de estar em cinco cidades, constituindo-se numa das maiores redes da região. De acordo com José Antônio Nogueira Filho, sócio administrador da empresa, o local irá abrigar o estoque e a área de produção da empresa, que tem planos de expansão. “Quero investir mais no mercado e fazer minha própria matéria-prima para a produção dos sorvetes”, diz ele. O vereador João Farias elogiou a agilidade do prefeito Marcelo e do viceprefeito Valter Merlos para a permissão do uso de área pelas empresas. “O Marcelo e o Valter são práticos para o desenvolvimento de nossa cidade. Isso mostra que Araraquara tem um governo comprometido com a geração de renda e com o desenvolvimento econômico”. Merlos ressaltando o trabalho que Nogueira vem realizando na cidade Para Valter Merlos, a instalação e expansão da empresa na cidade agrega valor para o município, com a geração de empregos e renda. “Precisamos de empresas que gerem empregos e façam a cidade crescer”. O prefeito Barbieri, lembrou que todo o governo está empenhado na desburocratização que pode afetar a vinda ou expansão das empresas para a cidade. Segundo Marcelo, mais de 500 alvarás já foram concedidos em sua administração. Valter Merlos e Marcelo Barbieri recebem o agradecimento de José Antônio A Mr. Ice atende também no Terminal de Integração de Passageiros A Mr. Ice localizada na Alameda Paulista, 1566

[close]

Comments

no comments yet