Revista Comércio & Indústria - Setembro/2009

 

Embed or link this publication

Description

Revista Comércio & Indústria - Setembro/2009 - Ano 4 - Nº 50

Popular Pages


p. 1

Setembro/2009 • Ano 4 - N° 50 CARTA 991.223.042-4DR/SPI SOMA TOTAL SEU OBJETIVO É SOMAR Com apenas três anos em atividade, a Soma já é uma das mais renomadas academias da região, pautando pela saúde e bem estar dos seus clientes, através de profissionais capacitados e métodos atualizados que envolvem pais, filhos, avós e amigos.

[close]

p. 2



[close]

p. 3



[close]

p. 4

do editor ponto de vista Valter Merlos - Presidente Ivan Roberto Peroni AH, ESSE TAL DE BOULEVARD ntes mesmo de se expirar o prazo da praticada Boulevard da com Ariênciasimultâneanodos coletivos eDois,expepassagem veículos de passeio, os comerciantes anunciam que a medida adotada pela Secretaria de Trânsito não melhorou em nada a rentabilidade financeira. As vendas seguem num mesmo patamar em relação ao período em que os veículos de passeio não podiam passar durante o expediente comercial. Como o teste inicial não deu resultado, tem-se a impressão de que tudo voltará a ser como antes, ou então, terá que se aplicar a liberação para estacionamento de carros, motos e utilitários, na busca de soluções para atendimento da classe. Trânsito aberto, espaço para passagem de apenas um veículo e pequenas baias de estacionamento, são peças de um projeto que em momento algum teve completa aceitação da comunidade. E hoje, quando alternativas são procuradas, imagina-se que melhor seria ter deixado do jeito que estava, pois esse tal de boulevard já deu muito pano pra manga com sua implantação vindo de cima pra baixo e sem a efetiva participação dos que convivem no centro comercial da cidade. Essa tal modernidade nem sempre funciona do jeito que os políticos querem e sempre há alguém pagando a conta demais: o povo. Capa Gilmar Fotografias O ADIAMENTO DA FACIRA, A GRIPE A E OS SEUS EFEITOS IMEDIATOS Mas não é só: cerca de dois milhões cidade sabe que, por conta da Gride crianças morrem de diarréia a cada pe H1N1, a Associação Comercial em comum acordo com a Pre- ano, apesar da existência de um tratamento “simples” e “quase milagroso”, defeitura Municipal, teve que promover o nunciou a Organização Mundial de Saúadiamento da FACIRA prevista para de (OMS). E a grande imprensa se cala, agosto. Uma pena. Primeiro pela expecpois tornou-se um fato comum criança tativa que se criou em torno de um evenmorrer de diarréia. to tão tradicional; e segundo, pelos prePara a OMS, “o grande desafio juízos ocasionados e que nos leva a reatual” é permitir a todas as crianças que pensar sobre sua realização em outusofrem desta doença, propagada pela bro, avaliando de que maneira poderá água poluída e que representa 20% das ser ela organizada, dois meses depois mortes de crianças em todo o mundo, tedo clima plenamente favorável para sua rem acesso a um tratarevitalização e sucesso. mento barato e que existe Em comunicado logo após há 25 anos: soro fisiológia decisão do adiamento, a “... é pequeno demais co e comprimidos de zinACIA mostrava que a expo- diante do quadro co. sição tinha uma estimativa observado no ano Como membro do Rode público de 100 mil pes- passado, quando a soas e que a alteração da chamada gripe comum foi tary Internacional, sabedata se dera seguindo responsável por 17 mortes mos que atualmente há 854 milhões de famintos orientação da Secretaria por dia em São Paulo”. no mundo, “apesar dos Estadual da Saúde. compromissos assumiDiante do alarde que dos pelos Governos na Conferência vem sendo feito pela propagação da doença, é lógico que tornou-se mais pru- Mundial sobre a Alimentação e nos Objetivos do Milênio da ONU de erradicar a fodente levá-la para outubro, num contexme”. A cada cinco segundos uma crianto de extrema excepcionalidade, a fim ça com menos de 10 anos morre de fode evitar risco para a saúde dos particime ou de doenças relacionadas à despantes. nutrição, enquanto o Fundo para a AliSituações como essa, é que nos lementação e a Agricultura (FAO) afirma vam a refletir sobre a crise comportaque o mundo produz comida para alimental da humanidade nos últimos 20 mentar 12 bilhões de pessoas, o dobro anos, por alguns aspectos. Por exemda população mundial. plo: o número de pessoas atingidas pela Nosso mundo é mais rico que nunca, Gripe A ou Suína - cerca de 557 no Braentão como podemos aceitar que 6 misil, é pequeno demais diante do quadro lhões de crianças com menos de cinco observado no ano passado, quando a gripe comum foi responsável por 17 mor- anos morram a cada ano por desnutrição ou doenças relacionadas?”. tes por dia em São Paulo. Ao todo, 6.234 Por trás da inflamada gripe “aviária” pessoas morreram na cidade devido a males provocados pela gripe normal, co- estavam os laboratórios, tempos atrás, pesquisando medicamentos; a cena se mo pneumonias, bronquites e outras repete com a “suína” que ataca as redoenças pulmonares. O próprio Ministédações de jornais em todo o mundo e rio da Saúde anunciou que 70.142 pesassim temos que conviver com o terrosoas foram mortas pela gripe sazonal rismo das descobertas. no País em 2008. A SOMA TOTAL, A SAÚDE HUMANIZADA As irmãs Gibran: Maria Regina e Maria Cecília hoje administram cada qual em sua área, uma academia que “soma” detalhes importantes para obtenção de saúde com sucesso e alta qualidade. EDIÇÃO N° 50 - SETEMBRO/2009 Diretor Editorial: Ivan Roberto Peroni Supervisora Editorial: Sônia Marques Assistente Editorial: Michele Rampani Depto. Comercial: Gian Roberto - José Teodoro de Souza Silmara Zanardi - Elaine Anaya - Sebastião Barbosa Designer: Bete Campos, Mário Francisco e Carolina Bacardi Impressão: Gráfica Bolsoni - (16) 3336 9008 A Revista Comércio & Indústria é distribuida gratuitamente em Araraquara e região INFORMAÇÕES ACIA: (16) 3322 3633 COORDENAÇÃO, EDITORAÇÃO, REDAÇÃO E PUBLICIDADE marzo comunicação Fone/Fax: (16) 3336 4433 Rua Tupi, 245 - Centro Araraquara/SP - CEP: 14801-307 marzo@marzo.com.br

[close]

p. 5

SUGESTÕES BOM AMBIENTE ATRAI CLIENTES Quem assistiu a palestra dada por Carolina Pirola Garcia, na ACIA, passou a sentir a importância que um bom ambiente pode ajudar no atendimento e também no aumento das vendas. Arquiteta e urbanista, Carolina Pirola Garcia do Sebrae, foi direto ao assunto: “O nosso objetivo é mostrar que existem formas de se vender mais, melhorando o ambiente da loja, de maneira a causar reais impactos na percepção do cliente”. Foi desta forma que ela conquistou o público no auditório “Benevenuto Colombo”, na ACIA em agosto. Foi muito bom, comentaram os participantes da palestra. Vocês, disse ela, referindo-se à plateia, devem fazer o ambiente vender por vocês, melhorando a propaganda dentro da loja, utilizando letreiros indicativos, placas decorativas, banners com fotos de produtos e pôsteres com fotos de pessoas na decoração de fundo. Carolina lembrou que toda comunicação com os clientes precisa ser fácil e direta, utilizando propaganda leve e de compreensão rápida. Para isso, devem Carolina Pirola Garcia, do Sebrae utilizar poucas palavras, letras simples e grandes. Uma outra sugestão dada por especialistas no assunto, é da experiência cautelosa com aromas dentro da loja. Um perfume ou um tipo específico de cheiro dá personalidade ao ambiente, provoca lembranças, desejos e sentimentos como fome, saudade e até felicidade. Atualmente, o próprio site do Sebrae mostra como e onde o lojista pode melhorar para causar mais impacto na percepção do cliente. Assim, as áreas externas devem refletir criatividade para vendas, apresentando fachada atualizada, luminoso, vitrines, arquitetura do imóvel, estacionamento, iluminação e até mesmo a combinação de cores. “Convide os clientes utilizando avisos (promoções e ofertas). Exponham as mercadorias de forma criativa, façam os balcões e vitrines encantarem os clientes”, argumentou a palestrante. Para ela é importante que o ambiente da loja encante o cliente e o motive na decisão de compra. Para isso deve existir combinação de música, aromas e decoração de cada seção. Isso pode ser aumentado com climatização e plantas, dando também espaço para o cliente se movimentar sem tropeço ao observar a variedade de produtos.

[close]

p. 6

A publicitária Edi Frediani, na ACIA COMPORTAMENTO SOMOS HUMANOS, SOMOS CLIENTES! Os tempos mudaram e vender não é mais preencher um pedido e fazer uma entrega; é mais que isto, é se relacionar com outro ser humano. Foi desta forma que a publicitária Edi Frediani conduziu sua palestra para um seleto público na ACIA. Recebemos orientações importantes para melhorarmos nossa produtividade. A espontaneidade da frase é de quase uma centena de empreendedores que participaram em agosto da palestra “Melhore a relação com seus clientes”. O trabalho da ACIA, feito em parceria com o SINCOMÉRCIO, Sebrae e Senac, tem despertado a atenção dos comerciantes que hoje sa- bem o significado de um relacionamento com outro ser humano, no caso, o consumidor. “Como somos seres únicos, ninguém é igual a ninguém, porém, temos as mesmas características, temos que estudar, temos que muitas vezes ter técnicas e principalmente ter empatia (se colocar no lugar do outro)”, comentou a publicitária com pós graduação em gestão de Marcas e Marketing. Edi tem atuado como Consultora em Gestão no projeto Empreender (Sebrae e Senac). Segundo a palestrante, existem vários itens e maneiras numa relação cliente e consumidor. “Todas estão atreladas entre atitudes e ferramentas da própria empresa, seja ela toda informatizada ou manual; e se não as tiver na sua empresa, faça a sua ferramenta”, comentou. Primeiro é necessário conhecer e identificar melhor o cliente, observando e perguntando. “Se você conhecer o seu cliente, suas necessidades e preferências, irá conseguir surpreendê-lo. Isto é tudo e consequentemente você conseguirá ter um diferencial para oferecer-lhe. No final, Edi lembrou que hoje temos duas necessidades para o sucesso no mundo das vendas: inicialmente, de se prover soluções, em vez de produtos e em seguida, de se construir uma grande confiança com o cliente. As palestras têm despertado muito interesse entre os empreendedores

[close]

p. 7

Marcelo e Reis, dirigentes da ADA PROJETO 2010 JOSÉ REIS, O NOVO PRESIDENTE DA ADA Formatar projetos através de pesquisas que servirão de partida para o município nos próximos 10 anos é o principal foco da ADA, uma agência de desenvolvimento, fundada em 1997. “Como peregrino que já se aventurou por duas vezes de corpo e alma no simbólico Caminho de Santiago, deixo aos novos diretores uma mensagem de esperança e confiança, na certeza de que muito por vós será feito”. A declaração é de Marcelo Carvalho Rodrigues, que em Posse da nova diretoria no SINCOMÉRCIO dois mandatos, presidiu a Associação de Desenvolvimento de Araraquara e foi feita durante a posse da nova diretoria, tendo a frente a partir de agora, o economista José dos Santos Reis. Marcelo Rodrigues lembrou aos companheiros que é uma nova etapa, de muita motivação e que vai envolver e trazer outras pessoas para a ADA. “Queremos possibilitar a interação das pessoas para somar em benefício da cidade”, disse, garantindo sua contribuição nessa fase atual da agência. O professor José dos Santos Reis, durante a posse realizada no SINCOMÉRCIO, comentou estar disposto a potencializar a vocação da ADA de refletir sobre o município. “Contamos com um conjunto de pessoas com grande conhecimento em suas áreas e é um pessoal de muita vontade. Reconhecemos a intenção da comunidade em querer discutir projetos e tarefas em conjunto”. A ADA começou em 1997, com objetivo de motivar a sociedade a participar de discussões públicas, sem vínculos partidários. Até hoje a entidade conseguiu se fortalecer pelos seus propósitos. Reis entende que sendo professor da Unesp, poderá dar à agência sustentação aos seus objetivos, pois há vários grupos de estudo dentro das universidades e de outras entidades, com essa mesma preocupação: fazer a cidade crescer de maneira ordenada. Ele chegou a comentar que o cenário é enriquecido pela postura da nova diretoria da FCL - Unesp, que propõe como objetivo central, maior aproximação da instituição com a sociedade, para garantir inúmeros benefícios à população a partir de suas pesquisas e trabalhos. A ADA pretende nos próximos 30 dias, apresentar o que poderá ser feito para uma cidade consolidada até 2020. Será, de acordo com seus diretores, um arrojado projeto, que despertará o interesse de todos, motivando nossos filhos e netos a terem orgulho da cidade onde moram.

[close]

p. 8

Do neto ao avô, a Soma tem sempre um método e um tratamento especializado para cada fase A Soma na Av. Virgílio Abranches Quintão, 69 (Av. 54 - esquina com Henrique Lupo) REPORTAGEM DE CAPA SOMA TOTAL A SAÚDE HUMANIZADA Inovadora e dinâmica, a Academia Soma Total implanta uma visão que vai muito além de um simples conjunto de atividades físicas e segue em direção à formação de hábitos plenamente saudáveis. A Soma - Saúde e Desenvolvimento, nasceu em 2006, com atendimentos em psicologia e Pilates. Em janeiro de 2007, iniciaram-se as hidroatividades com enfoque em natação-aprendizado e hidroginástica. Sua diretora, Maria Regina Gibran diz que atualmente a academia conta também com o Clube de Corrida, uma atividade ao ar livre e com o inovador método hydraulic fitness circuit, o mais moderno sistema de condicionamento físico, com programas especializados para todas as faixas etárias. Hoje, assegura a diretora, a Soma que denomina-se Total, está em permanente desenvolvimento, agregando e atualizando novos valores e métodos que totalizem a promoção do hábito da saúde. DIFERENCIAL Diferente da cultura tão personal vigente na atualidade, a Soma trabalha através de grupos personalizados e com vaSOMA: do grego, significa corpo e do latim, significa adicionar – verbo somar. Portanto, nossa missão é somar pessoas, métodos e profissionais que trabalhem para promover a saúde do corpo e da mente. Maria Regina Gibran Diretora Como o público alvo é a família, a academia reforça de forma ampla alguns hábitos saudáveis TRÊS PILARES DA EMPRESA Para atender com competência um público que varia de 6 meses a 90 anos de idade, a Soma se apoia em três pilares básicos de qualidade para a condução das atividades: ambiente, atendimento e serviços prestados. SERVIÇOS - METODOLOGIAS Do aprendizado infantil aos costumeiros desafios da terceira idade, a Soma está em permanente disposição para atender as necessidades de cada um, contanto hoje com as três maiores frentes metodológicas de atividades físicas: natação, hidroginástica, fitness e Pilates, trabalhando cada um com muito critério. gas reduzidas. As turmas de qualquer modalidade oferecida pela academia, são formadas por pessoas de idades e vivências afins, de forma que o atendimento, o ambiente e a metodologia estejam especialmente preparados para cada grupo. Toque de alegria: Este toque está sempre presente na Soma com o intuito de associar o prazer à prática dos exercícios que muitas vezes, são sentidos muito mais como uma árdua tarefa do que como um benefício à vida. A alegria de estar na Soma O companheirismo é um dos detalhes A segurança dada pela academia

[close]

p. 9

O AMBIENTE O espírito inovador e empreendedor também é marcado pelas instalações da Soma que contam com um moderno estúdio de Pilates, um amplo salão para fitness e piscinas que, construídas em forma de L, garantem uma melhor disEspaços diferenciados numa das mais conceituadas academias tribuição do público da nossa região por faixas etárias. Mais inovadora ainda, é a presença de Além da Natação e da Hidroginástica convencional, a Soma apresenta dois dife- teto retrátil na área das piscinas, onde os clientes podem fazer as atividades aquáticas a céu aberto, que além de gostoso, garante a qualidade da ventilação. Para melhorar ainda mais o atendimento e o conforto aos seus clientes, a Soma, diz Maria Cecília Gibran, administradora da empresa, investe na aplicação do OZÔNIO para o tratamento das piscinas e iniciou o segundo semestre com a construção de um vestiário exclusivamente infantil. Ainda para este semestre, a Soma estará instalando o circuito interno de câmeras para que os pais possam observar os filhos durante as aulas de natação. Os investimentos na qualidade do ambiente são permanentes e essenciais para a Soma, não só em termos de uma estética agradável e alegre, mas de um ambiente bastante funcional; e já garante mais novidades para o primeiro semestre de 2010. Piscinas com tratamento à base de OZÔNIO e teto retrátil, um salto de qualidade O ATENDIMENTO Para viabilizar a qualidade de atenção a um público tão amplo, toda a equipe é constantemente treinada para manter um atendimento especialmente acolhedor. Os treinamentos incluem conhecimentos sobre as necessidades de cada faixa etária, de forma que, não só a metodologia, mas a atenção seja adequada para cada idade e programas de motivação para um atendimento ágil, eficaz e feliz. Somateca, um espaço infantil AS ATIVIDADES ESPECIAIS DA SOMA A EQUIPE SOMA Dirigida pelas irmãs Maria Regina Gibran (educadora física) e Maria Cecília Gibran (administradora de empresa), a equipe Soma conta atualmente com 17 funcionários, dentre eles 12 profissionais capacitados nas áreas de educação física, fisioterapia e psicologia, que também tem papel importante na direção da empresa. A equipe é composta por profissionais da “velha guarda” que contribuem especialmente com a experiência de mais de 20 anos de carreira e que se somam aos profissionais mais jovens, inovadores e em constante formação técnica e especializada. ATENDIMENTO Av. Virgílio Abranches Quintão, 69 (Av. 54 - esquina com Henrique Lupo) Fone: (16) 3336 4999 www.somatotal.com.br Entendendo que relacionamentos interpessoais são importantes à saúde, a Soma promove serviços que viabilizam o encontro das pessoas em momentos de puro prazer, tais como o SPLASH, autêntico serviço de buffet infantil, montado somente aos sábados e chás da tarde, para que crianças e adultos possam comemorar seus aniversários. Na academia também está a Somateca, um espaço lúdico para brincadeiras e leituras com temas associados à saúde.

[close]

p. 10

Valter Merlos na recente vinda de Paulo Skaf CONQUISTA UMA SEDE PARA O CIESP/FIESP Industriais da cidade ainda estão eufóricos com a decisão de Paulo Skaf em construir uma sede ao lado do Sesc para abrigar uma das nossas mais respeitadas instituições de classe. A Associação Comercial e Industrial de Araraquara comemora com a diretoria do Ciesp/Fiesp em nossa cidade, a doação de uma área por parte do município para construção da sede da entidade em terreno de 5 mil m² localizado ao lado do Sesc. A vinda do presidente do Centro e da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo, Paulo Skaf, foi decisiva para que as negociações tivessem um desfecho de sucesso. De acordo com Eneida Miranda de Toledo, diretora do Ciesp/Fiesp Araraquara, o projeto da nova sede está em elaboração e a inauguração do prédio deve se dar em 2010. “O terreno doado pelo município é tudo que podíamos almejar. Esse é o começo da realização de um sonho para reunirmos as indústrias da região e ampliarmos os serviços aos associados”, disse. Valter Merlos, presidente da ACIA e secretário municipal de Desenvolvimento Econômico enaltece o trabalho realizado por Eneida e toda sua diretoria. Um trabalho que entra para a história empresarial da cidade, disse Merlos a Paulo Skaf. O presidente do Ciesp/Fiesp lembrou que esteve na cidade, em fevereiro, quando anunciou investimentos locais de R$ 35 milhões, destinados a ampliação da escola do Sesi e do Senai e implantação do ensino em tempo integral no Sesi. De acordo com Skaf, é gratificante os investimentos no interior de São Paulo. Segundo consta, na abertura deste processo de ampliação e mudanças no CIESP local, está sendo anunciada a contratação do professor Carlos Aiello, que neste mês de setembro passa a gerenciar a unidade em Araraquara. Eneida Miranda de Toledo cumprimentada pela grande conquista em sua gestão

[close]

p. 11

Vila Xavier-Carmo, a primeira linha dos ônibus elétricos em 1959 ANIVERSÁRIO Modernidade na companhia chega com o trabalho de Paulo Rodrigues VENCENDO DESAFIOS, A CTA COMPLETA 50 ANOS A Companhia Tróleibus Araraquara completa 50 anos e segue como exemplo de iniciativa e gerenciamento de transporte coletivo no País, graças a visão e ao notável desempenho de seu presidente Paulo Rodrigues. Acostumada a superar desafios nesse meio século de existência, a nova diretoria da CTA se volta agora para o bem-estar dos passageiros. Novos investimentos estão previstos para a renovação da frota de ônibus e na construção de uma garagem mais moderna e que atenda as necessidades da empresa. O atual presidente Paulo Alfredo Rodrigues da Silva afirma que, ao longo da história, a CTA venceu dificuldades, como a resistência à implantação dos ônibus elétricos na cidade, a crise do sistema no final dos anos 80, também a falta de uma política para o setor e a constante redução do número de usuários nos últimos anos. “Nesses 50 anos, a empresa se consolidou e passou a ser conhecida e respeitada em todo o território nacional. A CTA é historicamente um orgulho para Araraquara e isso se deve a todos que não mediram esforços para a prestação de um serviço de qualidade. Nossa meta é continuar colaborando com o progresso da cidade e cada vez mais trabalhar para a qualidade e otimização do transporte coletivo”, afirma o presidente. HISTÓRICO O aniversário se refere a data em que a empresa foi instituída oficialmente: 31 de agosto de 1959. A reunião foi realizada na sede da Associação Comercial e Industrial de Araraquara, com os 37 primeiros acionistas, mais os representantes da Prefeitura. Na época, Araraquara possuia pouco mais de 62 mil habitantes. O transporte urbano individual era realizado por charretes, veículos particulares e a pé, enquanto o transporte coletivo disponibilizava apenas alguns ônibus a diesel, porém em péssimas condições atendendo Vila Xavier, Quitandinha, São Geraldo, Jardim Primavera e Fonte. O prefeito Rômulo Lupo passou a defender uma saída inovadora para a modernização do setor: um sistema de transporte público com ônibus elétricos que ele vira em Vicenza e Piacenza, na Itália. A CTA deu o pontapé oficial de suas operações no dia 27 de dezembro de 1959. Vila Xavier-Carmo e Estação-Fonte foram as duas primeiras linhas. A viagem de inauguração do tróleibus foi uma grande festa na cidade e a população carinhosamente apelidou o ônibus nº 1 de “Bonitão”. O sistema de tróleibus colocou Araraquara entre as cidades mais inovadoras do Brasil na área de transportes urbanos. Durante os anos 60, a companhia araraquarense ampliou sua frota com a aquisição de novos veículos. A década de 70 foi o período mais expressivo nos investimentos e na ampliação da CTA. Cidades como Porto Alegre (RS), Campos (RJ), Salvador (BA) e Fortaleza (CE) decidiram desativar suas frotas de tróleibus e a companhia araraquarense pôde adquirir equipamentos e veículos a custos menores. Em 1985, começaram a surgir dificuldades na manutenção e na ampliação da rede. Tornava-se difícil atender a população de novos bairros, como o Selmi-Dei, onde as ruas não eram asfaltadas e a instalação do tróleibus teria elevado custo em função também da energia elétrica. O caminho seria a inclusão de ônibus a diesel no transporte coletivo. Em 1992, a frota de tróleibus da CTA atingiu seu número máximo: 46 veículos. A empresa passou a investir na compra de ônibus movidos a diesel e a criar novas linhas, além de racionalizar o sistema. Os tróleibus funcionaram até 1999, com 27 carros operando em três linhas. Em 2000, houve uma tentativa de utilizar uma das linhas como atração turística, mas ela foi desativada em novembro do mesmo ano. Desde a primeira viagem até os dias de hoje, a CTA tem a preocupação constante de oferecer à população de Araraquara qualidade e eficiência no transporte público. E trabalha para implantar um novo ciclo de excelência que promova o bem-estar de todos os moradores da cidade. No final dos anos 50 a garagem e oficina da CTA, hoje propensa a deixar o local

[close]

p. 12

Momentos de reflexão em sua casa PASSADO Os traços do homem destemido na política O SENHOR DE TODOS OS TEMPOS Aos 96 anos, Ivo Martinez Perez esbanja uma memória excelente; as recordações de momentos que marcaram sua vida estão frescas como se as tivesse acabado de vivê-las. Mesmo com certa dificuldade para se locomover, Ivo mantém a voz forte e traz à tona um pouco de sua história e também relata o desenvolvimento da cidade onde nasceu, cresceu, constituiu família e vive há quase um século. Filho do casal de espanhóis Gil Martinez Perez e Celinia Martinez Alonso, Ivo nasceu em 19 de abril de 1913, na estrada Boiadeira (hoje a Avenida Sete de Setembro). Seu pai era empreiteiro, então desde muito pequeno, Ivo aprendeu a negociar e a enxergar a expansão da cidade em seu todo. Quando criança, estudou no Grupo da Rua 1 (Carlos Baptista Magalhães) e deste tempo recorda que os alunos sempre acompanhavam a professora até sua casa após as aulas, um sinal de admiração e respeito por ela. Ivo se transferiu ainda jovem para o Externato Barão do Rio Branco, dirigido pelo professor Jorge Correa e lá teve uma educação bem rígida, e foi lá também que aprendeu muito bem matemática. Em seguida, Ivo trocou outra vez de escola e conclui seu ensino médio no Colégio Mackenzie, no regime de externato. No final dos anos 20, Ivo ingressa na Escola de Farmácia (precursora da Faculdade de Ciências Farmacêuticas da Unesp). Em 1930, o então presidente do Brasil, Getúlio Vargas, fecha todas as escolas de ensino superior do interior do Estado e os alunos são obrigados a se transferir para a capital paulista. Para Ivo, essa mudança foi muito positiva. Já na capital, Ivo continuou o curso de Farmácia na universidade pública, mas a insegurança lhe apertava o coração: ele não sabia se um “caipira do interior” seria bem recebido pelos jovens da capital ou se conseguiria acompanhá-los na faculdade. Mas logo nas primeiras aulas, veio a resposta: Ivo se deu muito bem, porque durante o tempo de estudo em Araraquara, começou a estagiar na Farmácia do Dr. Antônio Alonso Martinez e do Dr. Joaquim de Arruda Camargo e assim, aprendeu muita coisa na prática. “Nos seis meses que estudei em Araraquara, trabalhei na Farmácia e aprendi muito”. Desse tempo, Ivo se recorda entre risos e esperteza, a aplicação da primeira injeção. “Uma vez, chegou um sapateiro lá na farmácia e pediu para aplicar uma injeção, mas não queria que eu fizesse a aplicação, aí eu disse a ele que era até um favor, porque eu já estava cansado de aplicar injeção e na verdade eu nunca tinha aplicado. Ele olhou bem pra Casamento com mim e disse: então tá Irene em 1943 bom, pode aplicar. A minha sorte é que ele tinha uma veia bem grossa, não tive dificuldade. Foi a minha primeira injeção, depois desse dia, só queria aplicar comigo”, recorda Ivo com um sorriso largo nos lábios. Ainda em São Paulo, Ivo se tornou monitor da faculdade e também lutou pela preservação da faculdade pública. VOLTA A ARARAQUARA Formado farmacêutico, Ivo retorna à cidade natal e começa a trabalhar com Dr. Alonso e Dr. Joaquim. O ano era 1932, Lauro Catazi, José Buainain e Ivo Martinez, amigos inseparáveis na cidade Ivo com Antônio Alonso Martinez e Joaquim de Arruda Camargo em 1932 Na política com: Francisco Miranda, Pedro Marão, José dos Santos e Mário Ananias

[close]

p. 13

O casal Irene Torquato (in memorian) e Ivo Martinez com a neta Isadora, filha de Isabela e Ivan Martinez Perez ano da Revolução Constitucionalista. Nesse período ele integrava o Tiro de Guerra e fez a segurança da cidade durante os tempos de batalha no Estado. Também passou Irene Torquato e Ivo Martinez Perez com os a dar aulas na Faculdade de Farmácia, on- filhos Ivan e Maria Helena de era diretor o Dr. Fernando Carrazedo, que também dirigia o SESA. FAMÍLIA No mesmo ano, acaba comprando a Farmácia Santo Antônio, localizada na A família é o grande alicerce de Ivo. CaAvenida XV de Novembro, esquina com a sou-se em 25 de setembro de 1943 com IreRua Itália. Lá, exerceu ne Torquato, esposa sua profissão, conquisamada e querida, falecitou fregueses e fez seu da há cerca de um ano. nome em Araraquara. Com Irene, Ivo lutou e “A farmácia era o ponto construiu toda a sua vide encontro; eu ficava da de sonhos e conquissabendo de todos os tas. O casal teve dois fibons negócios da cidalhos: Ivan (casado com de”. Ivo, com uma visão Isabela Lupo Nascide futuro muito apuramento) e Maria Helena da, comprava lotea(casada com Paulo Rosimentos e os vendia; asto); três netos, uma neta sim, ajudou a surgir muie três bisnetas. Sua aletos bairros, entre eles, gria é sentir-se rodeado os conhecidos Jardim pela família principalMartinez e o Jardim Mamente nos fins de semarivan. na, conta seu filho Ivan. Além de farmacêuIvo, com quase um tico e loteador, Ivo tam- Na Farmácia Santo Antônio, Ivo era século de vida, é um cibém se envolveu com a conhecido como “o bigodudo” dadão que viu o propolítica local. Filiado à gresso da cidade e que UDN (União Democrática Nacional), foi contribuiu para a história da sua gente. Hovereador entre os anos de 1951 a 1955, du- je, recorda com os amigos, os momentos rante a gestão do prefeito Antonio Tavares de alegria e os “desencontros políticos”. Pereira Lima. Teve uma passagem importante e lutou por melhorias em nossa cidade. Participou da fundação da Associação Comercial e Industrial de Araraquara (ACIA) e também se envolveu com associações esportivas, sendo fundador do ABC Bola ao Cesto, fundador do Paulista e da ADA (Associação Desportiva de Araraquara) e também foi conselheiro da Ferroviária e do São Paulo aqui da cidade. As pessoas o entendiam como um futurista, pois sabia aliar nos seus atos os conhecimentos adquiridos em São Paulo, durante o período em que lá permaneceu pa- Sua vida também tem se resumido em alegres conversas com os amigos ra cursar a Faculdade de Farmácia.

[close]

p. 14

Componentes da Paulista Jr. no II Encontro de Empreendedores organizado na ACIA FUTURO A CIDADE QUE BUSCAMOS Um dos objetivos destes jovens é promover através de estudos e pesquisas, diversos programas que contribuam no fortalecimento do empresário e do cidadão, tendo como foco as dimensões econômica e social. Em outras palavras: desejam o desenvolvimento, sem que a cidade perca sua qualidade de vida criada nos últimos anos. Formada pelos alunos dos cursos da Faculdade de Ciências e Letras da Unesp de Araraquara, a Paulista Júnior Projetos & Consultoria vem mostrando cada vez mais sua preocupação com o empresário e o cidadão araraquarense, nas dimensões econômica e social. Araraquara, segundo eles, favorece muito o aprendizado e o desenvolvimento dos alunos. “Aqui podemos auxiliar as micro e pequenas empresas no desenvolvimento de suas atividades, através de nossas consultorias e pesquisas, já que conta- Plena convivência com a cidade

[close]

p. 15

Os membros da Paulista Jr. procuram sempre auxiliar o pequeno e também o micro empresário através de completo detalhamento da cidade. É através deste trabalho de avaliação do segmento, da área de abrangência e das prioridades a serem criadas, que a agência elabora seus projetos, de forma objetiva aplicando técnicas e estratégias que melhoram o desempenho das pequenas empresas. mos com o apoio dos professores; desta forma garantimos a realização de projetos com qualidade”, revela a presidente Mariana Pratt. Criada em 1992, muitos alunos que passaram pela Paulista Jr., hoje estão em cargos importantes, em empresas renomadas ou em cargos no setor público. Além de desenvolver projetos e consultorias, a empresa possui também um núcleo de Responsabilidade Social preocupado com questões socioambientais e que proporciona aos membros da Paulista Jr. o senso de responsabilidade através de campanhas realizadas em prol da comunidade acadêmica e também da sociedade. Um dos exemplos da Responsabilidade Social é o Projeto SEJAE, em parceria com o Banco do Povo Paulista, que presta consultorias gratuitamente para micro e pequenas empresas da cidade. Já dentro do Campus da Unesp, a Paulista Jr. participa da Campanha Consciência Limpa que promove a coleta seletiva de lixo no campus. Através de movimentos informativos de conscientização, várias lixeiras para cada tipo de resíduo são espalhadas em pontos estratégicos do campus e o dinheiro resultante da venda das re- ciclagens é revertido na aquisição de livros para a biblioteca da Faculdade de Ciências e Letras, contribuindo para a capacitação profissional dos estudantes da faculdade em geral. Tendo Araraquara como o berço de suas atividades, a Paulista Jr. consegue atingir um de seus objetivos que é integrar a Paulista Jr., Unesp e a sociedade araraquarense, trabalhando pelo futuro da nossa terra. A Paulista Júnior também se envolve em campanhas sócioambientais que são realizadas no Campus da Unesp INFORMAÇÕES: (16) 3301-6208 www.paulistajr.com.br

[close]

Comments

no comments yet