Revista Comércio & Indústria - Janeiro/2010

 

Embed or link this publication

Description

Revista Comércio & Indústria - Janeiro/2010 - Ano 4 - Nº 54

Popular Pages


p. 1

CARTA 991.223.042-4DR/SPI Janeiro/2010 • Ano 4 - N° 54 CLUBE ARARAQUARENSE O lugar ideal para você e sua família O Araraquarense é um dos mais conceituados clubes do interior e que vive em permanente estado de renovação. A tradição diretamente vinculada a projetos inovadores, permite ao clube realizar grandes shows, além de promover constantes melhorias, oferecendo conforto, segurança e qualidade de vida aos seus associados, num ambiente acolhedor e de muita amizade.

[close]

p. 2



[close]

p. 3

ESPECIAL NOVO PERFIL DE UMA CIDADE QUE CRESCE Araraquara, um município moderno que carrega entre suas virtudes a qualidade de vida de quase 210 mil habitantes. É neste cenário que o prefeito Marcelo Barbieri e o seu vice-prefeito e secretário de Desenvolvimento Econômico Valter Merlos, têm aplicado dinamismo e experiência para desenvolver, apoiar e motivar ações que possam agregar valores aos diversos segmentos que possibilitem a geração de emprego e renda na cidade. Nas páginas seguintes desta edição, uma retrospectiva das atividades da Secretaria de Desenvolvimento Econômico em 2009 e a projeção que Marcelo Barbieri e Valter Merlos fazem para 2010. Marcelo Barbieri Prefeito Municipal Valter Merlos Secretário Municipal de Desenvolvimento

[close]

p. 4

do editor ponto de vista Valter Merlos - Presidente Ivan Roberto Peroni O CONCEITO DE EMPREENDER partir do instante que a palavra “empreendeA dor”nos meiosaeconômicos, foicom mais propassou ser utilizada frequência dada aos prietários das micro e pequenas empresas, uma condição de coragem e ousadia. O termo empreendedorismo, embora antigo, só ganhou força nos últimos anos graças as iniciativas de instituições como o SEBRAE, ACIA, visando estimular as pequenas empresas a saírem da informalidade. Assim os empreendedores ganharam coragem, passaram a reformular seus conceitos sobre a necessidade de crescimento e hoje desfrutam de uma posição de respeito e admiração por suas iniciativas. O reflexo está diretamente ligado à procura de investimentos no Banco do Povo Paulista, que em Araraquara, acaba de ter um fechamento fantástico na liberação de financiamentos a esses empreendedores, chegando esse valor a R$ 501 mil a pessoas físicas e jurídicas, um recorde desde a inauguração da unidade há sete anos. De R$ 341 mil liberados em 2008, observa-se que o salto foi grande se comparado a 2009. E a tendência é crescer ainda mais, pois os pequenos empreendedores agora sabem que podem crescer de forma organizada e sustentável em seus negócios. Capa Gilmar Fotografias CRESCIMENTO É O QUE MAIS VAMOS PRECISAR EM 2010 E pulação brasileira de que todo cidadão, stamos abrindo as portas ao ano até mesmo aquele que atua na econode 2010, agradecidos a Deus pela mia informal, paga impostos e é, portanenergia que nos proporcionou pato, um contribuinte que precisa ser inforra vencermos mais uma etapa de desamado de maneira transparente sobre o fios. E olha que não foram poucos, se quanto paga de impostos, pois é um diatentarmos para o período de dificuldareito seu, previsto na Constituição. São des imposto pela crise econômica e a os impostos pagos pelo cidadão que preservação de uma carga tributária mantêm os gastos do Estado e que cusque nos arrasta a uma situação cada vez pior. Vê-se por exemplo, que no apa- teiam os serviços públicos. O dinheiro arrecadado deveria gerar serviços públigar das luzes de 2009, o “impostômetro” cos de qualidade em áreas como saúde, criado pela Associação Comercial de educação, transportes, segurança, mas São Paulo, instrumento que serve para nem sempre isso ocorreu medir a quantidade de ime vemos essas áreas em postos recebida pelo Go“As micro e as pequenas situação crítica. verno Federal, superou a Mas pelo menos exismarca de R$ 1 trilhão, va- empresas apresentaram te a boa notícia de um lor que está fora da realida- variação positiva em seu faturamento a partir de grande alento neste comede de qualquer brasileiro. ço de 2010: as micro e peAté pouco tempo, a outubro, sendo o quenas empresas apremaioria da população acre- excelente resultado sentaram variação positiditava que estava livre dos puxado pelo comércio”. va em seu faturamento a impostos, ou que pagava, partir de outubro, sendo o no máximo, o Imposto de excelente resultado puxado pelo comérRenda, o IPVA ou a CPMF; pouco a poucio. Isso é o que nos conforta e que tem co esta realidade começou a mudar. O levado a ACIA a fortalecer suas parceconsumidor brasileiro não sabe que é rias com o município, Senai, Sesi, Seele que paga os impostos e não as embrae, Senac, Sest-Senat, e Sicoob Iesapresas e nem quanto paga de imposto cred, visando naturalmente, orientar e no seu dia a dia. Por isso não se revolta disponibilizar o apoio necessário para contra os constantes aumentos da tribuque as empresas saiam da informalidatação das empresas e nem se preocupa de, cresçam e possam participar da com a forma como o dinheiro dos imposconstrução de uma cidade com mais tos é utilizado. qualidade de vida. Todos os indicadores, Embora sem ter esse acesso direto principalmente os locais, revelam que a aos valores apontados pelo Impostômenossa economia vem sendo sustentada tro inaugurado em 20 de abril de 2005 pelo crescimento do mercado interno e em São Paulo e pouco tempo depois em pela manutenção do poder aquisitivo da nossa cidade pela ACIA em parceria população. com a FACESP, a população teria que E escorados no apoio das instituiter uma participação mais efetiva na disções, esses empreendedores crescem e cussão do problema. buscam alternativas para consolidação Nós empresários, sabemos que o dos seus sonhos, preocupando-se cada Impostômetro tem servido de parâmetro vez mais com orientações, cursos, palesdentre as ferramentas criadas em contras, enveredando por projetos que vão junto com outras instituições apresenlhes garantir um futuro de prosperidade. tando ações que visam esclarecer a po- LAZER E ALEGRIA Um dos clubes de maior conceito na região investe na divulgação das suas atividades para conscientizar seus associados sobre a importância do lazer na melhoria da qualidade de vida das pessoas. EDIÇÃO N° 54 - JANEIRO/2010 Diretor Editorial: Ivan Roberto Peroni Supervisora Editorial: Sônia Marques Assistente Editorial: Michele Rampani Depto. Comercial: Gian Roberto - Sebastião Barbosa Designer: Bete Campos, Mário Francisco e Carolina Bacardi Impressão: Gráfica Bolsoni - (16) 3336 9008 A Revista Comércio & Indústria é distribuida gratuitamente em Araraquara e região INFORMAÇÕES ACIA: (16) 3322 3633 COORDENAÇÃO, EDITORAÇÃO, REDAÇÃO E PUBLICIDADE Fone/Fax: (16) 3336 4433 Rua Tupi, 245 - Centro Araraquara/SP - CEP: 14801-307 marzo@marzo.com.br

[close]

p. 5



[close]

p. 6

CONQUISTAS 2009: UM BOM ANO PARA O NOSSO DESENVOLVIMENTO Os últimos 12 meses foram ótimos ao desenvolvimento econômico de Araraquara. Foi um período marcado, especialmente, pela chegada de importantes empresas de vários segmentos. O início do mandato do prefeito Marcelo Barbieri e do seu vice Valter Merlos que também foi escolhido para ser o secretário de Desenvolvimento Econômico, foi marcado por estudos, propostas e implantação de projetos com o objetivo de se processar a aceleração da mais importante pasta do Governo. Assim, em abril, quando o município recebeu o gerente da Capital Realty, Guilherme Rocha, já se sabia que a cidade fora escolhida para abrigar o complexo Mega Intermodal com 210 mil m², em função de estar estrategicamente localizada e concentrar empresas frigoríficas e indústrias de açúcar e álcool. Outra grande aproximação realizada pela Prefeitura Municipal foi com o Grupo Algar, especializado em TI (Tecnologia da Informação) e outros produtos e serviços por meio de fibra óptica. A Algar anunciou na ocasião que pretendia investir cerca de R$ 35 milhões em Araraquara. A empresa, que chegou ao município em janeiro de 2009, já instalou mais de 30 quilômetros de fibra óptica pela cidade. Também garantiu a instalação no município, a Usina Fortaleza (cimento), que recebeu da Prefeitura uma área de 20 mil m². A previsão é que comece a operar até o final de 2010, investindo inicialmente R$ 10 milhões e que sejam contratados cerca de 100 funcionários. A multinacional Big Dutchman, líder mundial na fabricação de produtos e equipamentos voltados para a criação de aves e suínos também anunciou sua chegada com investimentos de R$ 15 milhões, e deve gerar 300 empregos, entre diretos e indiretos. A unidade de Araraquara será construída em terreno de 100 mil m², próximo à Fábrica Lupo, na Washington Luiz, sendo 16 mil m² doados pela Prefeitura. A obra será concluída em dois anos. O Grupo Ricoy foi outro que aportou na cidade. Inaugurou sua loja no mês de outubro, gerando 150 empregos. No ano que passou, Araraquara recebeu duas grandes empresas de Call Center. A CPFL Atende e a Líder Telecom. Com início das operações para fevereiro, a Líder começa as atividades com a contratação de 500 funcionários, mas segundo a empresa, a meta é fechar 2010 com 1.500 contratações. Valter Merlos e Marcelo Barbieri reunidos com diretores da Algar Telecom

[close]

p. 7

Funcionários da Sala do Empreendedor: Fortes, Adilson, Joel Aranha, Cleo, Isabel, João e o secretário de Desenvolvimento Econômico, Valter Merlos EMPREENDEDOR BEM VINDO A NOSSA SALA O microempreendedor foi valorizado em 2009 pelas grandes conquistas da Secretaria de Desenvolvimento Econômico. A primeira boa notícia veio em fevereiro, com a inauguração da Sala do Empreendedor. Segundo Valter Merlos, a Sala do Empreendedor foi criada com a intenção de desburocratizar o acesso das empresas aos serviços públicos, já que o espaço concentra profissionais de várias secretarias. Além disso, os empresários podem solicitar a emissão da Inscrição Municipal e do Alvará de Funcionamento e outros serviços. “Temos que incentivar a vinda de novas empresas para a cidade e isso deve ser estimulado com ações que promovam o núcleo empresarial”, reforçou na época o secretário de Desenvolvimento Econômico. Segundo um balanço apresentado pela Sala do Empreendedor, no ano de 2009 foram liberados 1.800 novos alvarás e realizados cerca de 4 mil atendimentos. Outro grande passo para esse grupo de empresários foi o lançamento das Medidas de Apoio à Formalização do Microempreendedor Individual (MEI), em São Paulo. Merlos e o assessor da Secretaria de Desenvolvimento Econômico, Joel Aranha, estiveram na capital paulista na data do evento. No MEI podem se inscrever os pequenos empreendedores com faturamento de até R$ 36 mil por ano, que tenha até um empregado, não possuam mais de um estabelecimento ou participem de outra empresa como titular, sócio ou administrador. Para saber mais e se inscrever no programa, os interessados podem procurar a Secretaria de Desenvolvimento Econômico, ACIA, Junta Comercial ou contadores filiados ao Secom. Os microempreendedores também tiveram o auxílio precioso do Banco do Povo, através de Mutirões do Microcrédito e atendimento na agência; muitos pequenos empresários conseguiram alavancar seus negócios. Segundo dados do Banco do Povo, o ano de 2009 fechou com mais de R$ 501 mil financiados a pessoas físicas e jurídicas, um recorde desde a inauguração da unidade, há sete anos. Prefeito Marcelo Barbieri com agentes de crédito do Banco do Povo

[close]

p. 8

Marcelo Barbieri assinou contrato em setembro com a Funcef; Valter Merlos, Edinho Silva, Guilherme Lacerda e Eduarda Lopes (Morada do Sol S/A) acompanharam o ato INVESTIMENTO O QUE MUDA COM A FUNCEF A força de um investimento em nossa cidade vai gerar emprego, renda e o grande fortalecimento da economia no município. É a Funcef chegando a todo vapor. A confirmação dos investimentos a serem realizados pela Funcef - Fundação dos Economiários Federais na área adquirida por ela, localizada no Centro de Eventos de Araraquara e Região (CEAR) foi formalizada em setembro pelo prefeito Marcelo Barbieri, com a participação do presidente da fundação, Guilherme Lacerda, em ato ocorrido na Prefeitura. A primeira etapa do projeto da Funcef, que possui um patrimônio de R$ 37 bilhões, em Araraquara consiste na construção de um shopping de 18 mil m², um hotel com 204 apartamentos e duas torres comerciais. Essa fase terá um investimento inicial, apenas para obras, de aproximadamente R$ 40 milhões e uma previsão de término em dois anos e meio. Já a segunda fase da obra compreende a expansão do shopping, que deve chegar a 50 mil m² e a construção de mais duas torres, que podem ser comerciais ou residenciais dependendo da demanda. No total, o projeto terá um investimento superior a R$ 140 milhões somente em obras. Segundo o presidente da Funcef, Guilherme Lacerda, até o final de 2010, a cidade de Araraquara já contará com um novo hotel, ainda sem bandeira definida. Metade do valor de R$ 10 milhões pagos pela Funcef, foi utilizado para o pagamento da contrapartida do Estádio da Fonte Luminosa, já quitada pela Prefeitura em 2009 e para a reforma dos pavilhões do Cear. Para o secretário de Desenvolvimento Econômico, Valter Merlos, o trabalho ressalta a força econômica e política da cidade, pois estão todos unidos para o progresso do município.

[close]

p. 9



[close]

p. 10

FUTURO R$ 750 MILHÕES A Subestação de Energia que se projeta, é vista por políticos e empresários como uma grande oportunidade para a expansão da nossa economia a partir de 2011. Os empresários de Araraquara conheceram no ano que passou, os detalhes do projeto de transmissão de energia do Rio Madeira, a ser gerado pelas usinas Hidrelétricas de Santo Antônio e Jirau, em Porto Velho (RO) e que terá uma Subestação em Araraquara. A apresentação ficou a cargo do diretor técnico da CYMI, Marcelo Vargas Rêdes e da diretora administrativa Renata Baraúna, ambos da concessionária do grupo vencedor da licitação. Marcelo Rêdes afirmou que o linhão, que terá 2.375 km livres sem interrupções, é o segundo maior do mundo. “A energia virá por meio de corrente contínua, em dois cabos. Aqui na Subestação de Araraquara será operada a inversão e a energia será distribuída, primeiramente, para o Sul e parte de Minas Gerais, em corrente alternada de 500 KV. Na segunda etapa, o estado do Rio de Janeiro também será contemplado”, explicou. O investimento em Araraquara é de R$ 750 milhões. Estimase um repasse anual de R$ 30 milhões para o município, com a Subestação finalizada em 2013. Rêdes ainda comentou que a área de 1 quilômetro quadrado, onde será instalada a subestação em Araraquara, foi escolhida pela Agência Nacional de Energia Elétrica (ANEEL). Para o prefeito Marcelo Barbieri, a instalação da Subestação em Araraquara irá contribuir e muito, para o desenvolvimento econômico da cidade. “É um investimento muito grande, que vai gerar emprego, renda e que fortalecerá a cidade junto a futuros investidores, possibilitando a vinda de mais indústrias para a nossa cidade”, avaliou. O vice-prefeito e secretário de Desenvolvimento Econômico, Valter Merlos, falou sobre a importância dos empresários em acompanhar as necessidades de abastecimento da obra, em relação aos materiais de uso continuado, bem como os insumos, para que consigam se afirmar como potenciais fornecedores, além de prestadores de serviços. “Para nós, a vinda desta Subestação é uma grande oportunidade”, finalizou. ENERGIA DE Em julho, empresários participaram da apresentação do projeto no auditório da Associação Comercial e Industrial de Araraquara

[close]

p. 11

NOVOS PROFISSIONAIS Um leque de opções se abre ainda, pois a Prefeitura oferece diversos cursos da área de Tecnologia da Informação (TI). O Student to Business é projeto em parceria da Prefeitura com a Microsoft e promove cursos gratuitos nas áreas de Desenvolvimento de Sistemas, Infraestrutura, Banco de Dados e Expression. A carga é de 80 horas e os cursos, voltados para estudantes maiores de 16 anos, são realizados nos laboratórios de informática das empresas e faculdades de TI da cidade que são parceiras da Prefeitura e apoiam esse projeto. Para Valter Merlos, o curso representa uma grande oportunidade para os jovens abraçarem uma profissão. “O ramo de TI é o que mais emprega no mundo. E a Prefeitura de Araraquara oferece, dessa forma, uma chance real de emprego aos jovens por meio da qualificação”, ressalta o secretário. Além disso, a Prefeitura disponibiliza a esses alunos o It Academy, curso on-line com plataforma e certificação Microsoft e o Planseq Software, por meio do Ministério do Trabalho e Emprego e Faculdades Logatti. Como se vê é a abertura de portas para o sucesso dos jovens. Formatura dos alunos do Senai QUALIFICAÇÃO Merlos parabeniza aluno do curso de TI DE OLHO NO AMANHÃ Cursos profissionalizantes com formação de mão-de-obra qualificada para o desenvolvimento da cidade. Em outubro os alunos da sexta turma do projeto Canteiro de Obras receberam os certificados de conclusão de cursos técnicos. Foram mais de 143 pessoas em Araraquara. Voltado a trabalhadores da construção civil e realizado por meio da parceria entre Prefeitura e Senai, o projeto ministrou, desde o primeiro semestre, cursos gratuitos de pedreiro assentador, pintor de obras, eletricista instalador predial e instalador hidráulico predial, com carga de 100 horas cada, entre aulas práticas e teóricas. Somente em 2009, 901 pessoas, de vários bairros da cidade, como Jardim América, Selmi Dei, Vale do Sol, Cecap e Jardim Ieda, receberam certificados de qualificação profissional, o que demonstrou grande interesse para a capacitação. Também foram oferecidos este ano, em parceria com o Senai, os cursos de confecção-operador de máquina reta, para 24 pessoas; confecção bordado (15 pessoas), confecção de bijuterias (16 pessoas), panificação (14 pessoas) e confeitaria (mais 14 pessoas).

[close]

p. 12

Encontro entre autoridades e empresários de TI aconteceu em maio. Foi o primeiro passo para a formação do ITA, um avanço muito grande na cidade VISÃO INSTITUTO DE TECNOLOGIA NOSSO PRÓXIMO PASSO A intenção de formar o Instituto de Tecnologia de Araraquara (ITA) no município foi anunciada em 2009 pelo prefeito Marcelo Barbieri e pelo vice-prefeito e secretário do Desenvolvimento Econômico, Valter Merlos. Em um encontro realizado na Sala de Reuniões do Gabinete, com a participação de Nilton José Cainelli, coordenador municipal de Indústria e Tecnologia, e Luiz Geraldo Zaccarelli Cunha, responsável pela área de planejamento e assuntos internacionais da Prefeitura, além de representantes da maioria das empresas de Tecnologia da Informação (TI) da cidade, foram abordadas e discutidas a situação do Pólo de TI e as novas diretrizes estruturais para que se consolide a cidade como referência na área. Como estratégias futuras para a meta da cidade ser referência em TI, a Secretaria de Desenvolvimento Econômico citou a vinda do Cefet para a cidade, a inclusão digital da população, o fomento e criação de uma instituição gestora compartilhada, a continuidade das ações atuais e um plano de comunicação com a comunidade. Os benefícios oferecidos pela Prefeitura, afim de trazer novas empresas de TI para a cidade, também foram apontados, envolvendo a doação de terrenos, as obras de infraestrutura e o auxílio no procedimento administrativo. “Acho que temos condição de avançar com profissionalismo e agilidade para aprofundar o projeto do ITA, o que significa um avanço muito grande para a cidade”, disse o prefeito Marcelo Barbieri. Ele acredita que a formação do Instituto proporcionará uma coordenação permanente de todos os projetos que envolvem a área de TI na cidade. O prefeito deixou claro que quer tratar do assunto de “maneira sólida”. “Temos empresas produtivas, que desejam ter resultados concretos em retorno e o poder público tem interesse no que isso nos traz: qualidade de vida, geração de renda, emprego e impostos”.

[close]

p. 13

Amleto Landucci Jr, diretor Comercial de Varejo e Hélio Viana Pereira, vice presidente de Distribuição da CPFL foram recebidos por Marcelo Barbieri e Valter Merlos, secretário de Desenvolvimento SERVIÇOS CPFL INVESTE R$ 10 MILHÕES A segunda unidade da CPFL Atende começa a funcionar esse mês em Araraquara. O investimento de quase R$ 10 milhões é para o seu call center já instalado no prédio da companhia no Melhado, podendo receber cerca de 23 mil chamadas diárias. A implantação da unidade CPFL Atende reforça a frente de atuação em contact center do Grupo CPFL Energia. A iniciativa pioneira no setor elétrico brasileiro demonstra a vocação da companhia para prospectar, diversificar e desenvolver modelos inovadores de negócios. Ourinhos recebeu a primeira central em julho de 2009. O anúncio da instalação do call center aconteceu no mês passado. O prefeito Marcelo Barbieri e o vice Valter Merlos receberam na prefeitura o vice-presidente de Distribuição da CPFL Energia, Hélio Viana Pereira e o diretor comercial de Varejo da CPFL, Amleto Landucci Jr. Na ocasião, Landucci ressaltou que Araraquara tem estrutura de telecomunicação adequada para atender a demanda das instalações, mão-de-obra qualificada para preencher os postos de trabalho, além de localização geográfica estratégica no Estado. A cidade disputou com mais cinco cidades: Ribeirão Preto, Jundiaí, São José do Rio Preto, Bauru e Sorocaba, essa nova unidade da CPF Atende. Para 2010, a empresa conta com 266 posições de atendimento, salas de treinamento, controle de tráfego de chamadas e monitoração da qualidade do atendimento, espaço de descanso, área de convivência e biblioteca. De acordo com o planejamento, para a primeira fase da expansão, a empresa prevê o recrutamento de mais 500 pessoas no primeiro trimestre desse ano e para 2011, a meta é crescer para somar 1.200 funcionários na unidade local. Em relação a contratação dos profissionais, a CPFL buscou um perfil diferenciado com foco na inclusão no mercado de trabalho. “Demos preferência no preenchimento das vagas aos candidatos negros e pardos; aqueles com mais de 40 anos; que possuem deficiência física; desempregados há mais de dois anos e os que procuram o primeiro emprego”, explicou Viana. A CPFL Atende, em Araraquara, realiza atendimento via 0800, chat e e-mail para empresas do grupo CPFL e também ao mercado externo. “O Call Center da CPFL sempre foi modelo para as empresas do setor de energia elétrica e, agora, elas poderão contar com os nossos serviços para atender também a seus clientes”, comenta Landucci Jr. Os diretores da CPFL, Hélio Viana Pereira e Amleto Landucci Jr, na cerimônia

[close]

p. 14



[close]

p. 15

Inauguração da nova unidade da Nestlé aconteceu em novembro e contou com a presença de Geraldo Alckmin, do deputado Roberto Massafera e do presidente da empresa, Ivan Zurita INAUGURAÇÃO NESTLÉ CRESCE EM ARARAQUARA A Nestlé continua investindo na cidade, proporcionando geração de renda, empregos e impulsionando a produção leiteira regional. Depois das especulações sobre o fechamento da fábrica da Nestlé em Araraquara, e de muitas reuniões entre o prefeito Marcelo Barbieri e o presidente da em- presa Ivan Fábio Zurita, foi anunciada em agosto a construção de uma nova unidade de fabricação. Três meses depois, dia 25 de novembro, a unidade foi inaugurada em Araraquara. De acordo com o presidente da companhia, o investimento foi de R$ 120 milhões na unidade, que produz leites Ninho e Molico. Futuramente, a empresa deve iniciar na cidade também, a fabricação do leite Sollys. Zurita acredita que o investimento em Araraquara, impulsionará a produção leiteira regional, por meio da captação de leite de qualidade. A nova unidade possibilitará crescer no segmento de leites líquidos em que ingressou em 2009 com muito sucesso por meio de marcas fortes e reconhecidas pela qualidade. A capacidade de produção da nova planta será de 100 milhões de leite/ano, com a expectativa de gerar mais de 1,6 mil empregos diretos e indiretos na região. A área da nova fábrica é de 40 mil m² e conta com equipamento de última geração para o envasamento do produto. O faturamento previsto é de R$ 250 milhões/ano e gerando cerca de R$ 20 milhões de ICMS. Entusiasmado com a demanda gerada para a bacia leiteira do município e que vai beneficiar mais de 500 famílias de assentados, o prefeito Marcelo Barbieri destacou que o trabalho do manejo do leite requer pequena área de terra e um esforço diário, ao contrário da cana e da laranja que já estão mecanizados. “Os empregos gerados e o fortalecimento do pequeno produtor é nossa maior vitória, além do orgulho de ter um leite de qualidade com o nome de Araraquara na caixa sendo distribuídos em boa parte do País”. O secretário Valter Merlos, do Desenvolvimento, também na condição de presidente da ACIA, lembrou que a nova fábrica se deve ao trabalho de Barbieri e as condições propostas pela região.

[close]

Comments

no comments yet