Edição 701

 

Embed or link this publication

Description

05/10/2013

Popular Pages


p. 1

05/10/2013 - Edição 701 Página 1 Diretor Responsável: Homero T. Tranquilli - CNPJ: 09573449/0001-13 - Cajuru, Sábado, 05/10/2013 - Ano 14 - N.° 701 Semanal - Distribuição Gratuita / Assinantes Escola Nossa Senhora Aparecida apresenta o projeto “Quintal da Infância” Novena de Santa Terezinha do Menino Jesus “Passarei o meu céu fazendo o bem sobre a terra...” disse Santa Terezinha antes de sua partida, e tem sido assim que seus devotos têm recebido chuvas de bênçãos em suas vidas.” Drogas apreendidas e Prisão de Traficantes

[close]

p. 2

Página 2 Edição 701- 05/10/2013 SINAPSE HOL OCOLUN A HOLOCOLUNA OCOLUN Mulheres são cada vez mais vítimas do crack crack, a criança, ainda em formação, também recebe as substâncias através da placenta. Ta m b é m é p o s s í v e l transmitir as substâncias consumidas através do aleitamento materno. As consequências desse ato para o feto variam entre baixo peso, má formação na estrutura, p r o b l e m a s comportamentais e de aprendizagem. “A intensidade e variedade destes sintomas dependem da quantidade e frequência do uso, associados com deficiências nutricionais, entre outros fatores”, acrescenta Sonia. Outro fato importante revelado na pesquisa é que a quantidade de pedras consumidas por mulheres é maior do que os homens. Elas consomem cerca de 21 pedras por dia, enquanto eles, 13. Porém, os homens usam por mais tempo do que as mulheres: enquanto eles consomem crack por, em média, 83,9 meses, elas usam por, aproximadamente, 72,8 meses. O tratamento para a dependência química depende do nível em que a dependente se encontra. 318. Centros Culturais do Século XII. Concluindo o capítulo “A escolástica nos séculos décimo primeiro (XI) e décimo segundo (XII)”, vimos abordar os “Centros promotores de cultura do século décimo segundo (XII): As escolas de Chartres e de São Vitor, Pedro Lombardo e João de Salisbury. Antes, porém, concluo por breves comentários sobre os universais – um tema que ocupou a cabeça dos mais notáveis filósofos medievais – o problema da relação entre as palavras e as coisas, entre o pensamento e o ser; os universais podem ser 4: ante rem (antes das coisas sensíveis, ou seja, existem por si mesmo, como ideias platônicas, pertencendo ao realismo extremo, defendido por Escoto Eriúgena, Guilherme de Champeaux e, em parte, por Anselmo de Aosta, também, ao conceitualismo, defendido por Abelardo, e ao realismo moderado na tese de Tomás, que dizia: os universais existem ante rem na mente de Deus, in re como forma das coisas e post rem como conceito mental; post rem (na mente como conceitos abstratos, fazendo parte do conceitualismo e do realismo moderado); in re (nas coisas sensíveis, como suas conotações ontológicas, fazendo parte do realismo moderado); e como puros nomes (sem uma relação estrutural com as coisas, fazendo parte do nominalismo, tese propugnada por Roscelino e Ockham, que defende: o universal é puramente um nome que se refere a mais indivíduos. Retomando os Centros promotores de cultura do séculos XII, iniciamos pela Escola de Chartres (os irmãos Bernardo e Teodorico de Chartres, Guilherme de Conches, Gilberto Porretano) desponta como o mais importante centro cultural do séc. XII, conhecido pela leitura e interpretação dos clássicos, e particularmente Platão. A obra que mais se destaca é Timeu, a qual passa a servir de subsídio para a melhor compreensão de Gênesis, a narrativa bíblica da criação do mundo, aliás, a primeira tentativa de relacionar a física com a teologia. Bernardo, um platônico, tornou célebre a famosa imagem “dos anões e dos gigantes”. Os anões são os modernos e os gigantes são os antigos; os gigantes são constitucionalmente mais robustos e desenvolvidos, oferecendo os ombros para os anões que, nessa posição, passam a ter o privilégio de olhar mais longe e ver mais coisas. Essa feliz imagem quer significar que os modernos devem se valer dos antigos para prosseguirem com o desenvolvimento do conhecimento. Na óptica de João Salisbury, Bernardo usava as artes do trívio em função da fé e da moral. Gilberto (falecido em 1154) é considerado a mais brilhante inteligência na esfera metafísica, assim como Abelardo o foi no terreno da lógica. Guilherme de Conches (1080-1154) afirmava que “a ignorância gramatical ou linguística leva à ignorância filosófica”. Teodorico (falecido em 1155) oferece obras significativas como o Heptateucon, que é o programa das sete artes liberais. A escola de São Vitor, dos cônegos agostinianos de Paris, foi fundada por Guilherme de Champeaux e considerada um centro de viva atividade cultural, um prólogo necessário para uma autêntica vida mística. Contudo, ele abria espaço para as “artes mecânicas”, alinhando-as junto com as artes do trívio e do quadrívio; atenção era dada às artes têxteis, à fabricação de armas, à navegação, à agricultura, à caça, ao teatro e às técnicas de conservação dos alimentos. Estes estudos, dizia ele, podem contribuir “para a elevação da atual condição de vida”. Hugo de São Viitor (10961141) defendia a ideia de que “as Escrituras não podem suportar qualquer interpretação”; e que “a letra mata, o espírito vivifica”. Ricardo de São Vitor (morto em 1173) sucede Hugo como prior da Escola de São Vitor e aprofunda a vida mística; e para ele a ascensão mística parte do cogitatio e, através da meditatio, chega à contemplativo. Pedro de Lombardo (tornou-se bispo de Paris em 1159 e morreu em 1160) tornou-se famoso pelos seus livros de Sentenças. Estes nasceram da necessidade de conciliar e divulgar juntamente com os trechos das Escrituras – que expressam as verdades da fé – as interpretações que dessas verdades deram os Padres. João de Salisbury nasceu em Salisbury, na Inglaterra, em 1110, tornou-se bispo de Chartres em 1176 e faleceu em 1160, tendo sido aluno e fervoroso admirador de Abelardo. Apesar de não-cético, ele dizia: “Prefiro duvidar sobre as coisas em particular, junto com os acadêmicos, do que definir temerariamente, mediante danosa simulação, o que ainda permanece desconhecido”. Com isso, João queria comunicar que alguns problemas obrigam a razão a admitir seus próprios limites, como a questão da origem da alma, o problema dos universais, etc. A Holosofia permite ao PHS (Programa Holosófico de Saúde) levar à comunidade temas que, por serem tão complexos, sempre povoaram a mente humana, em especial a dos filósofos medievais. Vimos, portanto, que esse período da história da filosofia esteve preenchido com a arte de conciliar a razão com a fé. Mas até hoje nos ocupamos dessa realidade. Prof. Me. Sebastião Saraiva, Maitreya Médico, holósofo e filósofo Cel. (098) 8282.9888 Site: www.holosofia.com.br Quando se pensa em dependentes químicos, muita gente esquece que as mulheres também podem ficar suscetíveis às drogas. A pesquisa “Perfil dos Usuários de Crack e/ou Similares no Brasil”, divulgada em 19 de setembro pelo Ministério da Justiça em parceria com o Ministério da Saúde, aponta dados importantes sobre a dependência química feminina. Assim como se percebe aumento de dependentes químicos em todo o Brasil, o que é um sério problema de saúde pública, proporcionalmente cresce o número de mulheres envolvidas com drogas. Para a psicóloga e especialista em dependência química, Sonia Paes Breda, da Clínica Viva, há vários motivos que podem explicar o aumento da dependência química entre as mulheres. “A falta de autoestima, falta de acesso a esporte, cultura, lazer e escolas em tempo integral, desagregação fami- liar, falta de empregos, assim como a forma de lidar com os problemas familiares ou frustrações podem contribuir para o uso cada vez mais compulsivo, levando aos inúmeros prejuízos”, argumenta. Para poder adquirir as substâncias psicoativas, muitas mulheres se prostituem. “É frequente o relato de sexo sem proteção e a crença de que não estão em perigo”, conta a psicóloga. De acordo com a pesquisa, as mulheres lideram o ranking quando o assunto é trocar sexo por dinheiro ou mesmo por drogas: 29,9% das usuárias contra apenas 1,3% dos usuários. E o resultado do sexo sem proteção foi também revelado em números pela pesquisa: 29,3% das mulheres usuárias de crack já engravidaram pelo menos duas vezes depois que começaram a usar a droga. Quando uma mulher grávida consome Noite Cantada e Encantada Realizou-se dia 24 de setembro, a comemoração antecipada ao idoso no clube “Boca da Mata”. Parabéns ao Xoxim e jovens que participaram desse encontro tão especial. Os pernas de pau trouxeram recordações aos idosos com suas brincadeiras e equilíbrios graciosos nos movimentos. O trio musical apresentou lindas e conhecidas melodias e os idosos voltaram no tempo cantando também. Quanta Alegria reunindo gerações! A peça teatral foi de recordações engraçadas de fatos acontecidos com amigos da 3 a idade. Foi oferecido delicioso jantar aos sócios e visitantes feito pelas artistas da arte culinária: Nair, Fátima e Francelina com ajuda dos senhores: O s ó r i o , Vi c e n t e e Messias. Agradeço o desempenho e bom gosto de vocês e, ainda, a ajuda valiosa de outras pessoas. Os sócios receberam lembrancinhas com mensagens. Essa noite ficará na memória dos que puderam comparecer ao evento. Diretoria do Clube “Boca da Mata”

[close]

p. 3

05/10/2013 - Edição 701 Página 3 Liga Riopardense: Cajuru rumo ao bicampeonato Na rodada realizada no dia 28, em Arceburgo, Cajuru enfrentou a equipe do Tênis Clube de Vargem grande do Sul, no sub-15 e sub-13, obtendo os seguintes resultados: Sub-15 Cajuru 11X3 Tênis Sub-13 Cajuru 4X5 Tênis No dia 29 foi a vez de Cajuru sediar os jogos, que foram realizados no Ginásio de Esportes “Arenão” e o sub-15 disparou na classificação e é grande favorito para ser campeão. Os resultados foram: Sub-15 Cajuru 6X4 DEC S.J. Rio Pardo Sub-13 Cajuru 5X2 DEC S.J Rio Pardo Sub-17 Cajuru 5X5 DEC S.J. Rio Pardo A próxima rodada será amanhã (06), em Mococa, onde os times do sub- 13,15 e 17 de Cajuru enfrentarão as equipes de Vargem Grande do Sul. Escola Nossa Senhora Aparecida apresenta o projeto “Quintal da Infância” Buscando apresentar e resgatar as brincadeiras de antigamente, a equipe da EMEI “Nossa Senhora Aparecida”, sob a coordenação de Elizabeth Burger preparou uma exposição e atividades lúdicascomascriançasepais.O“Quintal da Infância” contou com vários brinquedos (que muitos pais e avós se lembram bem), como telefone sem fio, biboquê, boneca de pano, pé de lata, entre tantos outros. Também, com o espaço “Contação de histórias”, que além dos contos narrados pela professora Vera Prado Carvalho, também deu oportunidade para as crianças irem embaixo da sombrinha decorada, na atividade “chuva de poesias” para declamar ou contar uma historinha. Depois, os alunos apresentaram as poesias, dinâmicas e músicas, preparadas especialmente para a apresentação aos pais, que ficaram emocionados. Uma sessão leitura feita pelos alunos do 1o ano mostrou os progressos na alfabetização. Além dos pais, a exposição e as atividades foram acompanhadas pelo prefeito Dr. Luís Estevão, pelo vereador Nei, pela secretária da Educação Vera Cecília Borges e pela diretora da unidade Maria Gilda. Aproveitando a oportunidade, o prefeito explicou aos pais que as salas da educação infantil que funcionam na unidade Nossa Senhora Aparecida, por força da legislação federal, passarão a para a escola Sálua Nasser a partir do próximo ano. “Nós temos que cumprir a lei, porém estamos dispostos a facilitar essa transferência cedendo micro-ônibus para os alunos que precisarem”. Reforçando a fala do prefeito, o vereador Nei disse que as crianças irão para um ótimo espaço, uma ótima escola. A secretária da Educação e a diretora disseram que as unidades Zezito/Sálua estão preparadas para receber os alunos e que todos estão de braços abertos para essas turminhas.

[close]

p. 4

Página 4 Edição 701- 05/10/2013 Nota de Esclarecimentos bre meu desempenho profissional no governo. Tomei a decisão de me afastar do cargo de Secretário Executivo do Conselho Gestor de Parceria Pública Privada para permitir que o caso seja esclarecido e possa, assim, ao final, ficar provado definitivamente que não tenho nenhuma culpa em relação ao que foi lançado de dúvida sobre minha atuação. Nessa terça-feira (01/10/2013) tive a primeira oportunidade de apresentar na Corregedoria Geral do Estado, documentos que comprovam a transparência dos meus atos à época e que demonstram que nunca houve favorecimento. Os documentos apresentados esclarecem que: 1- Em 1/9/ 2005, conforme publicação no Diário Oficial, a Secretaria de Estado dos Transportes Metropolitanos (STM) lançou edital de concorrência pública para contratação de “Serviços técnicos especializados de consultoria e assessoria para viabilização do programa prioridade n a re d e d e t r a n s porte 2010 dos Programas Integrados de Transportes Urbanos - PITU nas Regiões Metropolitanas de São Paulo - R M S P, B a i x a d a Santista - RMBS e Campinas - RMC, consistindo no desenvolvimento de estratégias, estudos e análises para seguimento e sustentação dos projetos e no suporte à pesq u i s a , p ro c e s s a m e n t o e tratativas necessárias para obtenção de licenças ambientais e de aporte de recursos financeiros”; 2- Em 14/9/ 2005, conforme publicação no Diário Oficial, após processo licitatório do qual não participei como membro da comissão, foi contratado pelo período inicial de 24 meses a partir de setembro de 2005, o consórcio HERJACKP.TRAN (contrato Nº 013/2005) formado pelas empresas HERJACK ENGENHARIA E SERVIÇOS LTDA e P.TRAN ENGENHARIA LTDA. 3- No dia 06/ 10/2005 através de correspondência enviada à Secretaria de Estado dos Transportes Metropolitanos, o Consórcio indicou os consultores selecionados (total de 15 nomes) para desenvolver os serviços contratados com a Administração. Jorge Fagali Neto foi apresentado pelo Consórcio como “consultor nacional” para desenvolver os serviços, especialmente as planilhas com cenários de investimentos para os projetos de expansão e modernização do Metro e CPTM e com sugestões de fontes de financiamento; 4- Por força do contrato assinado foi necessário que eu tivesse me reunido e trocado e-mails com Jorge Fagali Neto (convém citar que na época ele não estava sendo investigado), bem como com os outros consultores indicados pelo Consórcio, uma vez que o desenvolvimento do objeto licitado demandou intensa troca de dados entre a Secretaria e os representantes do Consórcio. Estudo que redundou na publicação final do Plano Integrado de Transportes Urbanos PITU 2012 em novembro/2006; 5- Era também, imprescindível que os consultores do Consórcio tivessem acesso aos planos de expansão e modernização do transporte metropolitano, para montagem de cenários de investimento do Estado nessa área específica, a fim de bem desenvolver o trabalho contratado. Lembrando ainda que dados dessa natureza não são sigilosos, como também, não dão vantagens competitivas em nenhuma concorrência pública. Finalmente, repudio veementemente as insistentes tentativas de relacionar os fatos acima e o cargo de Secretário Executivo do Conselho de Parceria Público Privada, com a recente investigação sobre eventual “cartel” na contratação de obras Em atenção às recentes matérias publicadas pela coluna “Poder” da Folha de São Paulo a partir de 23/9/2013 e, que certamente repercutiram muito na nossa querida Cajuru, esclareço a todos que definitivamente não tenho nenhuma culpa em relação ao que foi lançado de dúvida sobre minha atuação profissional. Há 37 anos sou engenheiro do Metrô e sempre atuei na área técnica e jamais me envolvi em qualquer operação que favorecesse este ou aquele fornecedor público A reportagem do jornal insinuou de forma maldosa e irresponsável que eu seria “parceiro” do senhor José Fagali Neto, e teria, em meados de 2006, franqueado a esse senhor acesso a “discussões e p l a n i l h a s s o b re o Programa Integrado de Transportes Urbanos do Governo”. Em resposta à Folha enviada no dia 25/09/2013 declarei que, a despeito de minha disposição em sempre esclarecer as dúvidas que surgiram em torno de minha atuação no governo, como técnico, estava absurdamente indignado com o tratamento que estava recebendo por parte do jornal. Pois, do dia para a noite passei a ser tratado como suspeito e, pior que isso, o jornalista passou a querer, por ilações, envolver minha própria família, a vasculhar meu lado pessoal. E isso, definitivamente não aceitava. De antemão, portanto, repudiei todas as denúncias que a mim foram imputadas, e ainda mais as tentativas de vincular minha família a suposições infundadas so- do Metrô de São Paulo, uma vez que os assuntos não parecem ter qualquer conexão.Um abraço a todos os amigos e muito obrigado pela confiança e apoio demonstrado em telefonemas e mensagens recebidas. São Paulo, 2 de outubro de 2013 Pedro Pereira Benvenuto

[close]

p. 5

05/10/2013 - Edição 701 Página 5 ACONTECE CIDADE CIDADE Alongamento e Bingo foram os DECISÃO Segunda Seção decide em repetitivo pela atrativos da reunião do Grupo de legalidade da pactuação da TAC e TEC até 2008 Idosos da Piscina Dando sequência aos encontros semanais com idosos, a equipe da Estratégia Saúde da Família do bairro Piscina promoveu na última quarta-feira, duas atividades para o grupo. A primeira foi uma série de alongamentos orientados pela professora e diretora de Esportes Renata Jacob, que ensinou exercícios simples, que podem ser feitos diariamente, sem riscos. A outra foi o bingo, onde cada um ganhou uma prenda (confeccionada pela equipe ou levadas e trocadas entre eles). Cabe explicar que a atividade foi recreativa, sem apostas. A médica do PSF, Dra Ersone, participou do grupo e destacou a importância das atividades: “buscamos trazer informações variadas, como as nutricionais, controle do colesterol, diabetes, combate aos vícios e incentivar a prática de exercícios físicos e a boa alimentação, tudo isso em ambiente agradável, de forma divertida”, acrescentou. Para encerrar, lanche saudável à base de frutas e suco e a entrega de flores confeccionadas pela equipe, em homenagem ao “Dia do Idoso.” Os encontros são realizados às quartas-feiras, no clube Recanto daAmizade e entre as atividades realizadas contou com palestra da Dra Ersone, informações nutricionais, baile, exercícios físicos, entre outras. A Segunda Seção do Superior Tribunal de Justiça (STJ) fixou na última quarta-feira (28) as teses que devem orientar as instâncias ordinárias da Justiça brasileira no que se refere à cobrança da tarifa de abertura de crédito (TAC), tarifa de emissão de carnê ou boleto (TEC) e tarifa de cadastro, e também ao financiamento do Imposto sobre Operações Financeiras e de Crédito (IOF). A unanimidade dos ministros seguiu o voto da relatora, ministra Isabel Gallotti, no sentido de que atualmente a pactuação de TAC e TEC não tem mais respaldo legal; porém a cobrança é permitida se baseada em contratos celebrados até 30deabrilde2008. Deacordocom os ministros, a cobrança de tarifas é legal desde que elas sejam pactuadas em contrato e estejam em consonância com a regulamentação das autoridades monetárias. Os ministros Nancy Andrighi e Paulo de Tarso Sanseverino, embora acompanhando o voto da relatora, ressalvaram seu ponto de vista. A Seção julgou dois recursos repetitivos, interpostos pelo BancoV olkswagen S/AeAymoré Crédito, Financiamento e Investimento S/A. A decisão deve orientar a solução de milhares de recursos que tratam do mesmo tema e ficaram sobrestados nos tribunais de segunda instância, à espera da posiçãodoSTJ. Em23demaiodeste ano, a ministra Isabel Gallotti, relatora dos recursos no STJ, determinou a suspensão de todos os processos relativos a TAC e TEC que tramitavam na Justiça Federal e estadual, nos juizados especiais civis e nas turmas recursais.Amedida afetou cerca de 285 mil ações em todo o país, em que se discutem valores estimados em R$ 533 milhões. Teses fixadas Com o julgamento dos recursos repetitivos, o trâmite dos processos deve prosseguir nas instâncias ordinárias, segundo os parâmetros oferecidos pelo STJ. A Segunda Seção definiu que os efeitos do julgamento no rito dos repetitivos alcançariam apenas as questões relacionadas às tarifas TAC eTEC, com quaisquer outras denominações adotadas pelo mercado, tarifa de cadastro e a questão do financiamento do IOF. Matérias relativas aos valores cobrados para ressarcir serviços de terceiros e tarifas por outros tipos de serviços não foram analisadas no âmbito de repetitivo. A Seção aprovou à unanimidade as três teses que devem servirdeparâmetroparaanálisedos processos paralisados, conforme o voto da ministra Gallotti. A primeira tese é que “nos contratos bancários celebrados até 30 de abril de2008(fimdavigênciadaResolução CMN 2.303/96), era válida a pactuação dessas tarifas, inclusive as que tiverem outras denominações para o mesmo fato gerador, ressalvadooexamedaabusividade em cada caso concreto”. A segunda tese estabelece que, “com a vigência da Resolução 3.518/07, em 30 de abril de 2008, a cobrança por serviços bancários prioritários para pessoas físicas ficou limitada às hipótesestaxativamenteprevistasem norma padronizada expedida pela autoridade monetária”. “Desde então”, acrescentou a ministra relatora, “não tem mais respaldo legal a contratação daTEC eTAC, ou outra denominação para o mesmo fato gerador. Permanece válida a tarifa de cadastro expressamente tipificada em ato normativo padronizador da autoridade monetária, a qual somente pode ser cobrada no início do relacionamento entre o consumidor e a instituição financeira”. A terceira tese fixada pela Seção diz que “as partes podem convencionar o pagamento do Imposto sobre Operações Financeiras e de Crédito (IOF) por meio de financiamento acessório ao mútuo principal, sujeitando-o aos mesmos encargos contratuais”. Os processos Nos processos julgados pela Seção, o Tribunal de Justiça doRioGrandedoSul(TJRS)havia declarado abusiva a exigência das tarifas administrativas para concessão de crédito e a cobrança parcelada do IOF. As instituições recorreram ao STJ com o argumento de que as tarifas atendem às Resoluções2.303e3.518medianteautorização concedida pela Lei 4.595/64, estando permitida a cobrança até 30 de abril de 2008. As instituições financeiras sustentaram que o fracionamento do IOF é opção exercidapelomutuário,porémorecolhimento é integral, no início da operação, pelas próprias instituições, o que não constitui abuso. A operação é um tipo de mútuo oferecido ao cliente para quitação do tributo no ato do contrato. Por isso o valor é superior ao valor devido ao fisco, já que ele mesmo constitui uma espécie de operação de crédito. Atuaram nos processos como amicus curiae oBancoCentral e a Federação Brasileira de Bancos (Febraban). O Instituto Brasileiro de Defesa do Consumidor (Idec) apresentou memoriais. Abusocomprovado Durante o julgamento, o Banco Central defendeu a legalidade das tarifas e do parcelamento do IOF. O órgão esclareceu que, na vigência da Resolução 2.303, a cobrança pela prestação de quaisquer tipos de serviços era lícita, desde que efetivamente contratados e prestados, com exceção dos serviços definidos como básicos. A conclusão da Segunda Seção é que não havia, até então, obstáculo legal às tarifas de abertura de crédito e emissão de carnê. Essas deixaram de existir com a edição da Resolução 3.518, que permitiu apenas a cobrança das tarifas especificadas em ato normativo do Banco Central. “Reafirmo o entendimento no sentido da legalidade das tarifas bancárias, desde que pactuadas de forma clara no contrato e obedecida a regulamentação expedida pelo Conselho Monetário Nacional e pelo Banco Central, ressalvado abuso devidamente comprovado, caso a caso, em comparação com os preços cobrados no mercado”, concluiu Gallotti. Colaboração: Wagner Félix Diretor do Procon Prefeitura Municipal de Cajuru

[close]

p. 6

Página 6 Edição 701- 05/10/2013

[close]

p. 7

05/10/2013 - Edição 701 Página 7

[close]

p. 8

Página 8 Edição 701- 05/10/2013

[close]

p. 9

05/10/2013 - Edição 701 Página 9 ACONTECE CIDADE CIDADE Prefeitura continua trabalhos de manutenção nas estradas rurais A justiça é quem está embriagada porque, morando há mais de quatro anos em São Paulo, nunca fui parado numa blitz. Isso porque dei sorte? Não! Foi porque quase nunca vi blitze de Lei Seca por aí a não ser nas que acompanhei para reportagens da Record. Não quero dizer que a culpa é só das autoridades responsáveis por isso. Mas essa ineficiência, esse relaxamento que acontece logo após o lançamento de uma nova campanha contra acidentes de trânsito, faz com que os motoristas irresponsáveis continuem bebendo, dirigindo e matando pelo país afora. Só queria saber até quando mais eu vou ter de fazer reportagens sobre a drama de famílias que perdem seus filhos, irmãos e parentes para imbecis irresponsáveis que acreditam que três latinhas de cerveja não fazem efeito na sua maneira de dirigir? Quer saber o que eu acho que tinha de acontecer nas blitze? O camarada que bebeu sair dali algemado, jogado dentro de um camburão e levado direto pra passar, pelo menos, umas duas noites na cadeia. Porque não? Se eu for pego com uma arma nas mãos, sem porte e registro, andando de madrugada pelas ruas fica mais ou menos claro que eu tenho a intenção de matar alguém, mesmo que seja pra me defender. Porque um cara que dirige bêbado tem de ter tratamento diferente? Enquanto as atitudes das pessoas não mudarem, não adianta tornar as leis mais rigorosas. Mas, infelizmente, num país em que nossos governantes e políticos dão esse exemplo nefasto e repugnante de bandidagem sem que as leis os atinjam, quem é que vai ligar para punições? A coisa é mais séria do que se imagina. Pra finalizar, vejam esse vídeo abaixo. É de uma campanha nos Estados Unidos contra álcool e direção e teve a veiculação proibida no Brasil porque nossas autoridades a consideraram “forte demais”. É isso que a gente tinha de ver na TV para que as pessoas realmente tenham consciência do problema. A Prefeitura Municipal de Cajuru, através da Secretaria de Obras, está prosseguindo com os trabalhos de manutenção e recuperação das estradas rurais. Para isso vem reformando as pontes e mata-burros, me- lhorando os acessos dos ruralistas. O trabalho é realizado sistematicamente, em várias estradas de acesso, e pretende deixar as vias rurais em ótimo estado de conservação. Segundo o secretário Gilliano Dias, a Prefeitura está empenhada em “cuidar” das estradas rurais porque sabe das dificuldades enfrentadas por quem mora no campo. “Queremos oferecer estradas boas e facilitar a vida dos ruralistas”, conclui. Semana que passou, mais uma vez dentre as dezenas de vezes em que isso aconteceu, me senti profundamente comovido com o drama de famílias que conheci em razão de uma reportagem que tive de fazer. O caso não é diferente de milhares de outros que vemos estampados nas manchetes de jornais e talvez nem tão trágico como o de um menino que mata a família toda e se mata depois ou o do pai que joga a filha pela janela do apartamento. Mas choca, pelo menos a mim, pela reação das famílias envolvidas e pelo fato provocador em si. A história começa numa sexta a noite quando um grupo de jovens, a maioria adolescente, se reúne para fumar narguilé na rua onde moram na periferia de Mogi das Cruzes. Eram mais ou menos doze rapazes e meninas entre 13 e 22 anos. Nada demais, nada de ilegal, garotos e garotas de família sem nenhuma ligação com o crime. De repente dois carros em altíssima velocidade, tirando racha, perdem o controle e voam sobre o grupo matando seis adolescentes. Outros três, também atingidos pelos veículos, conseguiram escapar da morte por milagre. Um dos carros consegue fazer uma manobra e foge. O outro, que arrastou parte do grupo por cerca de vinte metros, parou depois de capotar. Dele desceram cinco pessoas que também fugiram mas foram presas depois de algumas horas. É mais uma tragédia que esfacela famílias, mas que se tornar ainda mais lamentável pelos motivos que provocaram essas mortes: além do abuso da velocidade, da transgressão de leis de trânsito, o motorista, um homem de 41 anos, estava embriagado. Isso é prova, junto com centenas de outros casos, de que a impunidade para motoristas que dirigem sob o efeito de bebida alcoólica continua fazendo vítimas a cada dia. Recentemente a Lei Seca se tornou mais rigorosa, adotando a “tolerância zero” para álcool ao volante. A multa subiu para quase 2 mil reais e a proibição de dirigir por um ano complementa as sanções. Mas pelo que vemos nada disso tem adiantado. A fiscalização é ineficiente e a justiça ainda mais lerda e inócua para colocar esses assassinos de uma vez por todas atrás das grades. Cansei de acompanhar blitze pela madrugada afora e ver um monte de gente embriagada indo embora com seus pais, irmãos, mães ou amigos dirigindo, depois do bafômetro comprovar que o teor alcoólico no sangue estava muito, mas muito acima do zero. Claro, foram autuados, receberam a multa e alguns, apenas alguns tiveram a carteira apreendida. Com certeza continuam a dirigir por aí sem habilitação e talvez até bêbados de novo. E sabem porque? Porque a probabilidade de se cair numa blitz da lei seca em São Paulo é de uma chance em mil. A não ser que você esteja na região dos Jardins, Vila Madalena, Moema, Perdizes, Pinheiros e Santana e algumas regiões (muito poucas) da periferia, locais mais visados por causa da quantidade de bares e restaurantes, pode beber tranquilo e cair na estrada que não vai haver problema nenhum. Falo isso de carteirinha

[close]

p. 10

Página 10 Edição 701- 05/10/2013

[close]

p. 11

05/10/2013 - Edição 701 Página 11 ACONTECE CIDADE CIDADE Recuperação do Piso e Muro da Casa Abrigo No Rádio Bom dia a todos. O programa Fala Eugenio, transmitido todos os Sábados pela Rádio Cajuru FM, tem sempre a intenção de informar, entreter e ser um elo democrático de ligação entre ouvintes e autoridades. No último final de semana, informamos a todos funcionários públicos municipais, que haveria uma reunião dos associados para assuntos de interesse da classe. Acontece que depois desse aviso, como sempre fazemos no Jornal ou no Rádio, começamos a brincar com o amigo Tadeu Ré, que é o presidente do sindicato dos funcionários de Cajuru. Algum maldoso ou mal informado, disse ao Tadeu Ré, que nós falamos mal do sindicato ou da sua pessoa. Tadeu obviamente não gostou e mandou um ofício para a APAE ( dona da Cajuru FM) mostrando o seu descontentamento com o nosso programa. Fomos até a casa do Tadeu (Alexandre Jacob e eu) e já esclarecemos tudo. Sempre brincamos com muitos amigos em nosso programa, mas sempre com brincadeiras sadias, honestas e saudáveis. Só pedimos para essas pessoas que são informantes, que querem ver “o circo pegar fogo”, que passem informações corretas, para que não haja desentendimentos entre as pessoas. Amigo Tadeu, brincadeiras à parte, sempre elogiamos seu trabalho profissional, ou no futebol, clube, e sindicato, e a nossa amizade está acima de tudo. Grande abraço. Para oferecer segurança e conforto aos menores da Casa Abrigo, a Prefeitura Municipal de Cajuru iniciou nesta semana a recuperação do muro e piso do local. A reforma foi necessária, visto a fragilidade e a necessidade de melhorias. A Casa Abrigo é um local destinado às crianças e adolescentes e, segundo o que está expresso no E.C.A., é a moradia por tempo indeterminado de cri- anças sujeitas a algum tipo de risco pessoal e/ou social, seja abandono, abuso, negligência, maus tratos, vida nas ruas, trabalho explorador, uso e tráfico de drogas, prostituição, etc. Escola Onélia Menta desenvolve projeto Ambiental Os alunos do 5 o ano B, da professora Liliana Pontes, desenvolveram um projeto ambiental que está alegrando toda a escola. Os alunos construíram uma casa com caixas de leite vazias, com toda a arquitetura necessária: porta, janela, telhado... A casa está no pátio da escola e é ponto de brincadeira da garotada, que também construiu brinquedos com embalagens recicláveis. A intenção da diretora Maria Luiza é transformar o local em uma biblioteca infantil, espaço esse que contará com tapete, almofadas e muitos livros para a garotada. Com Fé Pessoal, o dia 12 de Outubro está chegando (sábado que vem) e nesse dia comemoramos o dia de Nossa Senhora Aparecida, a padroeira do Brasil. Muitas vezes essa Santa milagrosa atendeu os meus pedidos e minhas preces. Esse ano, não estarei em Cajuru no dia 12 de Outubro, mas uma imagem da Santa milagrosa estará na nossa igreja Matriz para ser abençoada pelo nosso Padre Adi, e essa mesma imagem será doada para o precioso leilão em prol da nossa Santa Casa, que será realizado no mês de Novembro próximo e com certeza essa Santa irá abençoar, proteger e fazer com que esse leilão seja mais uma vez um sucesso. Prestigiar... No dia 12 de Outubro, comemoramos também o dia das crianças, e nesse dia o nosso comércio local se prepara, investe muito e espera ter um bom retorno financeiro, pelo menos para pagar as duplicatas. Os comerciantes devem fazer a sua parte, tendo bons produtos, bom atendimento e preços competitivos. Os consumidores por sua vez, podem e devem, ver nossos produtos, nossos preços e claro, dar preferência para o nosso comércio. Obrigado e boas compras. Transparência Meu amigo, primo e compadre, Pedro Benvenuto foi citado no jornal Folha de São Paulo, de cometer irregularidades no Metrô, segundo depoimentos de uma secretária de um empresário. Com muita clareza, transparência e honestidade, Pedro conta os fatos, nos principais jornais da nossa cidade, mostra a sua versão, mostrando que não está e nunca esteve envolvido em escândalos. É um cidadão cajuruense que ajuda e muito a nossa cidade, devido ao seus bons contatos. Só para lembrar, Pedro é filho dos saudosos seu Narinho e dona Celisa, e quem os conheceu, como eu, sabe que ele teve uma ótima formação e é extremamente honesto. Um grande abraço compadre, e estamos juntos. Bom Final de Semana a Todos e Fiquem com Deus

[close]

p. 12

Página 12 Edição 701- 05/10/2013

[close]

p. 13

05/10/2013 - Edição 701 Página 13 Novena de Santa Terezinha do Menino Jesus “Passarei o meu céu fazendo o bem sobre a terra...” disse Santa Terezinha antes de sua partida, e tem sido assim que seus devotos têm recebido chuvas de bênçãos em suas vidas.” Por: Maria Carmela Arena Garcia Durante 9 dias a comunidade se reuniu com imenso fervor, com muita oração, cantos e alegria para meditar a Palavra de Deus e o efeito que ela provocou em Santa Terezinha e desta forma, seguindo seu precioso exemplo, deixarmos também que a Palavra transforme nossa vida e nos transforme em verdadeiros missionários de Jesus. Em cada dia um pouco mais aprendíamos e fomos descobrindo o quanto é importante “ser como crianças” para estarmos no centro do Reino. Como na canção aprendemos:- “O que agrada a Deus em minha pequena alma, é que eu ame minha pequenez e minha pobreza”. Sim San- ta Terezinha precisamos esvaziarmos de nós mesmos, nos fazer pequenos e pobres para sermos preenchidos de Deus. Precisamos aprender confiar na Vossa Misericórdia, Senhor, com muita esperança, para que ela possa atuar em nossa vida. Com toda certeza nós que tivemos a felicidade de participar da novena e da festa de Santa Terezinha, já não seremos os mesmos. Descobrimos que “guardar a Palavra de Jesus é a única condição de nossa felicidade” e mais que isto, ela precisa ser derramada, distribuída entre os que nos são próximos, não apenas por catequese, mas por vivência, que é a melhor ma- neira de se ensinar e de aprender. E ao ouvir o canto da comunhão, não pudemos deixar de perceber a inspiração do autor. É uma meditação profunda sobre a entrega amorosa de Jesus por nós e o nosso reconhecimento e desejo de retribuir tanto amor. “Quero o corpo e sangue de Jesus, vencedor por mim na cruz, alegria de viver, vida da vida é você, Deus de Deus a me querer” . Santa Terezinha sentia assim, nós podemos também nos sentir assim. Chuvas de rosas sobre a Terra, pelas mãozinhas santas da Doutora da pequena Via, a trazer bálsamo para nossos corações. CARDINALI SOLUÇÕES AMBIENTAIS LTDA torna público que recebeu da CETESB a Licença Pré via N° 4002154 e requereu a Licença de Instalação para USINA DE COMPOSTAGEM à ROD. ABRÃO ASSED (SITIO BOM JESUS DA ESPERANÇA), 8,S.B. JESUS ESP, ZONA RURAL SANTA CRUZ DA ESPERANÇA.

[close]

p. 14

Página 14 Edição 701- 05/10/2013

[close]

p. 15

05/10/2013 - Edição 701 Página 15 TIRAS POLICIAIS Drogas apreendidas e Prisão de Traficantes Policias Civil e Militar não dão trégua a Criminosos Flagrante Delito I Polícia Civil captura procurada e ainda localizada drogas No dia 27/09, às 15:30 no Bairro Dom Bosco, a Polícia Civil contando com o apoio de PMs veio a cumprir um Mandado de Prisão Preventiva, expedido pela Comarca de Cajuru em desfavor de D.A.S.(20), que estaria ameaçando um policial civil e seus familiares, havendo ainda várias denúncias formais do Disque-Denúncia 181 e informais de que estivesse comercializando entorpecentes no endereço. Durante as buscas em seu domicílio os policiais vieram a encontrar próximo a seu quarto porções de “crack”, além de objetos e apetrechos geralmente utilizados para manuseio de “maconha”, bem como seu telefone celular que foi encaminhado para perícia, vindo além de sua prisão preventiva devidamente cumprida, ser também autuada em flagrante delito por acusação a Tráfico de Drogas. A indiciada em seu interrogatório não quis se manifestar e posteriormente foi encaminhada a Cadeia Pública Local. Flagrante Delito III PM flagra crime, em pista de Skate que seria ponto de tráfico Em data de 28/09(sábado) às 13:00, no Bairro Cohab, em um pista de skate ali situada, policiais militares após receberem denúncia anônima de que o local estaria sendo utilizando indevidamente para a comercialização de drogas por parte de A.L.N.P.(24), Vulgo: “Luisinho Piorra”, para lá se dirigiram e verificaram que o usuário L.A.J.(42), encontrava-se junto com este e ao notarem a aproximação policial A.L.N.P., teria dispensado algo no chão e ambos saíram disfarçadamente. Neste ínterim ao serem abordados os PMs verificaram que aquilo que A.L.N.P., havia jogado fora eram nove pinos de “cocaína” e na sua posse havia uma quantia expressiva em dinheiro. A testemunha L.A.J., ao ser indagada informalmente o que fazia ali, admitiu ser dependente de “cocaína” e que iria adquirir a droga de A.L.N.P., não chegando a concretizar a aquisição devida a chegada da Polícia Militar. Posteriormente por conta do estado de flagrância os policiais dirigiram-se até a residência do acusado, encontrando mais dinheiro, mais seis pinos de “cocaína” e porções variadas de “maconha”, no interior do imóvel, dando-lhe voz de prisão por acusação a Tráfico de Entorpecentes. Ouvido formalmente o acusado negou os fatos e alegou ser mero usuário de drogas, sendo depois conduzido ao cárcere do Presídio de Santa Rosa de Viterbo. Flagrante Delito IV Polícia Civil prende traficante na área central No último dia 03/10, por volta das 10:00, na área central de Cajuru, a Polícia Civil, após investigações ao longo de um mês e na posse de um Mandado de Busca e Apreensão, expedido pela Justiça prendeu em flagrante delito J.C.S.J.(19), Vulgos: “Juninho e/ou Pagode e/ou Pagodinho”. Segundo a Polícia Civil, a Delegacia de Polícia havia recebida denúncias formais por intermédio do Disque-Denúncia 181(Centro de Inteligência Policial – Seccional de Polícia Ribeirão Preto) de que o suspeito estaria há algum tempo ora sozinho outrora com o auxílio de comparsas realizando o tráfico de drogas no município. Depois de levantamentos feitos pelo Setor de Investigações, os policiais civis apuraram haver suspeitas fundadas em relação aos fatos e por conta disso o Juízo da Comarca, depois de atender solicitação do Delegado autorizou as buscas judiciais em seu domicílio. No decorrer das diligências apurou-se que uns poucos dias antes o suspeito teria se mudado do Bairro Cohab, onde seria seu maior foco de atuação e atualmente residia no centro da cidade. Chegando ao seu atual endereço o Delegado de Polícia e demais policiais civis envolvidos na ação depararam-se com o portão fechado e com o pretexto de ir buscar as chaves o suspeito demorou um certo tempo ao atender a determinação da Autoridade Policial, suspeitando-se que pudesse ter tentado se desfazer das provas materiais. Neste contexto verificou-se que a descarga do vaso sanitário ainda escorria e acreditando que devido ao volume maior ter ido para o esgoto, algumas cápsulas de “cocaína” ainda boiavam na privada, confirmando-se as suspeitas, tendo os policiais vasculhado o imóvel e encontrado mais cápsulas de “cocaína”, dinheiro e celular do não mais suspeito e sim conforme o exposto indiciado, recebendo no ato voz de prisão em flagrante delito. Apresentado no Plantão Policial e assistido por um advogado o acusado, além das provas materiais apreendidas em sua residência e depoimentos formais que o desfavoreciam, inclusive de sua convivente, em seu interrogatório confessou formalmente ser traficante de drogas, vindo após todos os procedimentos de praxe ser levado a Cadeia Pública de Santa Rosa de Viterbo, permanecendo à disposição da Justiça. Flagrante Delito II PM prende acusados de Tráfico Em data também do dia 27/09, às 17:30, no Bairro Jardim Nova Cajuru(“Bocão”), a Polícia Militar veio a prender um dos pretensos líderes do tráfico de entorpecente no Bairro e em todo o município, havendo em desfavor deste vários Inquéritos Policiais em andamento e denúncias formais de dependentes de drogas, levantadas pela Polícia Civil que o apontariam como traficante, o qual ainda ostentava seu poder com carro e moto de alto valor aquisitivo, mesmo sem comprovar renda tampouco ocupação lícita, sendo este L.F.M.(19), Vulgo: “POT.”, sendo encontrados em sua residência e automóvel porções de “maconha” e mais de cento e cinqüenta pedras de “crack”, utensílios para embalar drogas, celular, dinheiro e objetos de origem suspeita, sendo que no decorrer da ação criminosa “POT.”, seria auxiliado por J.A.J.(19), que era seu distribuidor. Segundo a PM na ocasião dos fatos ao receberem denúncia anônima de que no local estaria ocorrendo a traficância de drogas, deslocaram-se até os arredores, onde permaneceram a espreita escondidos em uma mata ali existente, verificando que J.A.J., defronte a casa de “POT.” , forneceu algo a um usuário, sendo que esse último conseguiu fugir e J.A.J., ao ser abordado foram localizados ao seu lado, várias pedras de “crack” e dinheiro na sua posse, com que adentraram devido ao estado flagrancial na residência de “POT.” , encontrando os demais entorpecentes e objetos, recebendo ambos voz de prisão por acusação a Tráfico de Entorpecentes. Os acusados em seus Depoimentos negaram as acusações e propriedade dos entorpecentes, sendo os dois logo depois encaminhados para a Cadeia Pública de Santa Rosa de Viterbo. Oh da Extorsão, não tenha inveja de mim, faça como eu, trabalhe. “ Rodrigues & Osorio Ltda, torna público que recebeu da Cetesb a Licença Prévia e de Instalação n° 4000898 para comercio varejista de combustíveis e Lubrificantes a Rua Largo São Bento, 925 Centro. Cajuru/SP ”

[close]

Comments

no comments yet