Trombeta N28 SETEMBRO

 

Embed or link this publication

Description

Trombeta

Popular Pages


p. 1

Informativo da ASSOCIAÇÃO SANCAETANENSE EMÍLIA ALFREDO MANGANOTTI ASEAM – Ano 5 - Nº 28 - Setembro/2013 EMPRESÁRIO ACUSA SECRETARIA CHEFIADA POR AURICCHIO DE COBRAR PROPINA O Empresário Jorge Martins Muzy se negou a pagar propina e mandou e-mail a Auricchio cobrando explicações; Foto: Reprodução / Carta Capital Reportagem da revista Carta Capital (edição 757) denuncia suposto esquema do PTB na Secretaria de Esporte, Lazer e Juventude do Estado, chefiada por José Auricchio Jr, ex-prefeito de São Caetano. O empresário Jorge Martins Muzy acusa Auricchio e Campos Machado – presidente estadual do partido – de cobrar “pedágio” para liberar projetos. Pág. 03 DÍVIDA DEIXADA POR AURICCHIO “TRAVA” A CIDADE E PREJUDICA PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS PÚBLICOS. Pag. 02 DECADÊNCIA DA ESTRUTURA ESPORTIVA DE SÃO CAETANO REFLETE “MAQUIAGEM” DO GOVERNO PASSADO. Pag. 04

[close]

p. 2

COMPROVADO: AURICCHIO DEIXA DÍVIDA “MONSTRUOSA” EM SÃO CAETANO Editorial A cidade de São Caetano do Sul padece em face do rombo financeiro gerado pelo senhor José Auricchio Junior (PTB). Equipamentos públicos estão sucateados, atletas que representam o município ficaram meses sem receber salários, crianças morreram de meningite, o Tribunal de Contas julgou irregulares e ilegais mais de R$ 700 milhões em contratos firmados. Marcas do ex-prefeito! Não contente em prejudicar o funcionamento da máquina administrativa, Auricchio resolveu jogar na lama a boa fama de São Caetano do Sul, que desponta há anos como a cidade de melhor IDH (Índice de Desenvolvimento Humano) do País. São Caetano do Sul que também ficou conhecida mundialmente no esporte, quando o Azulão chegou às finais da Taça Libertadores da América. Apenas para relembrar, nesta época Auricchio não era prefeito. Alçado ao posto de secretário Estadual de Esportes, Auricchio foi alvo de recente denúncia de propina, publicada pela conceituada revista Carta Capital e repercutida nesta edição de “A Trombeta”. Não há como apagar a história, mas há como não insistir no erro. Enquanto eu for vivo, Auricchio jamais voltará a sentar na cadeira de prefeito de São Caetano do Sul! Quanto a esse suposto esquema de propina no Estado, refleti a respeito. Se confirmada a denúncia, reforço minha indignação: ABSURDO, ABSURDO, ABSURDO! Necessário lembrar que a cidade de São Caetano do Sul é povoada por cidadãos de bem, honestos e trabalhadores, o que a tornou referência nacional, inclusive nos esportes. Com muito trabalho e dedicação, São Caetano do Sul deve retomar seus bons índices. Vamos arregaçar as mangas e erguer a cabeça para superar com garra e destemor todo mal que nos foi causado. A palavra é união. Para frente São Caetano, tu tens que crescer! Irresponsabilidade administrativa do ex-prefeito prejudica atual gestão José Auricchio Júnior, ex-prefeito de São Caetano do Sul, segue sujando o nome da cidade que governou por oito anos. Em auditoria realizada pela comissão especial mista (Executivo e Legislativo), com participação de técnicos do Tribunal de Contas do Estado (TCE), ficou comprovado o rombo de mais de R$ 266 milhões em dívidas deixado pelo governo do exprefeito - que alegava ser apenas “singelos” R$ 120 milhões. A séria investigação promovida pela comissão mista e os técnicos do TCE revelaram que as dívidas deixadas por Auricchio totalizam mais de R$ 233 milhões, além de R$ 33 milhões em valores devidos ao Instituto Nacional de Seguridade Social (INSS). Essa soma se refere aos meses de maio a dezembro de 2012, quando a administração Auricchio começou a “implodir” os cofres públicos e parou de recolher os tributos, inclusive o 13º salário dos servidores municipais. Neste período, ficou evidente a intenção descabida do exprefeito de investir desesperadamente para eleger a qualquer custo sua correligionária Regina Maura Zetone para prefeita. Técnicos do TCE explicam em seu relatório que a Prefeitura abriu créditos adicionais ao Orçamento no valor de quase R$ 480 milhões - ou 43,94% a mais do que as despesas previstas. Abacaxi – Diante de toda irresponsabilidade administrativa de Auricchio, sobrou para o prefeito de São Caetano, Paulo Pinheiro (PMDB), descascar o espinhoso abacaxi que lhe caiu nas mãos. De acordo com o relatório final da comissão mista, a negligência de Auricchio gerou um déficit elevado “a ponto de prejudicar sobremaneira a atuação da atual gestão”. Simplesmente, na ânsia de colocar a sucessora na cadeira que ocupava, Auricchio esqueceu do povo e privilegiou interesses políticos e pessoais. Advogado e Vereador em São Caetano do Sul Eder Xavier SCSul Eder Xavier Ver-nos-emos sempre em vitórias 2

[close]

p. 3

É o que denuncia empresário à revista Carta Capital, que publicou reportagem sobre suposto esquema montado pelo PTB na pasta estadual de Esportes SECRETARIA CHEFIADA POR AURICCHIO COBRA PROPINA PARA APROVAR PROJETOS? Auricchio e Oliveira estariam em esquema Toma-lá-dá-cá na Secretaria de Esportes; Foto: Reprodução / Carta Capital A Secretaria de Esporte, Lazer e Juventude do Estado de São Paulo, chefiada pelo ex-prefeito de São Caetano do Sul, José Auricchio Jr. (PTB), está sendo acusada de cobrar “pedágio” para liberar o projeto denominado “Fórmula Zero” (uma competição de kart), apresentado por Jorge Martins Muzy, empresário e presidente do Instituto Liderar. Outras cinco entidades apresentaram denúncias semelhantes contra a Secretaria desde julho passado na Corregedoria Geral da administração paulista. De acordo com matéria publicada na edição 757 da revista Carta Capital, que curiosamente desapareceu das bancas da cidade, Auricchio seria uma das peças do esquema de achaque montado pelo PTB, sob o comando do deputado estadual e líder do partido na Assembleia Legislativa, Campos Machado. O mesmo Auricchio que comprometeu os cofres municipais e deixou uma dívida de quase R$ 300 milhões para seu sucessor, Paulo Pinheiro (PMDB), inviabilizando o primeiro ano do novo governo. Além disso, é investigado por cerca de R$ 700 milhões em contratos julgados ilegais e irregulares durante oito anos à frente da Prefeitura de São Caetano. A reportagem informa que Muzy apresentou seu projeto à Secretaria em 15 de setembro de 2012 e não recebeu no prazo de um mês – como esperado – um retorno de Nélson Gil Oliveira, presidente da Comissão de Análise e Aprovação de Projetos. O empresário ficou indignado ao saber que projetos semelhantes (apresentados após o seu) foram analisados e aprovados pela comissão. Por isso, decidiu procurar Eduardo Anastasí, secretário adjunto, e Clóvis Volpi, exprefeito de Ribeirão Pires e funcionário da pasta. Sem sucesso. Foi então que Auricchio propôs que ele participasse de uma cerimônia de entrega de certificados de projetos semelhantes e concluídos, o que na verdade era uma homenagem a Campos Machado. Durante o evento, Muzy soube que, caso pagasse algo em torno de R$ 35 mil e comprasse ingresso para um jantar do PTB, teria seu projeto aprovado pelo secretário. Na mesma hora, o empresário – que recebeu ameaças e registrou boletim de ocorrência na Polícia Civil - procurou o governador GeraldoAlckmin, que chamou o ex-prefeito de São Caetano para dar explicações, mas ele se fez de desentendido e transferiu a responsabilidade para seus auxiliares. Fundada em 16 de setembro de 2004 ASEAM: Rua Amazonas, 363 - Conj. 43 - Centro São Caetano do Sul - São Paulo - 09520-070 CNPJ: 07.786.915/0001-13 E-mail: faleconosco@aseam.org.br Jornalista Responsável: Alessandra Tapi - MTB 36.550 Tiragem: 5 mil exemplares DISTRIBUIÇÃO GRATUITA ASSOCIAÇÃO SANCAETANENSE EMÍLIA ALFREDO MANGANOTTI – ASEAM 3

[close]

p. 4

CLUBES EVIDENCIAM DECADÊNCIA DO ESPORTE EM SÃO CAETANO “A Trombeta” denuncia o abandono dos clubes da cidade, o que compromete a prática esportiva não só de atletas, mas de frequentadores dos espaços públicos. Uma prova da política “por fora bela viola, por dentro pão bolorento” do ex-prefeito José Auricchio Jr. (PTB), que segue envergonhando o nome da cidade, agora à frente da Secretaria Estadual de Esporte, Lazer e Juventude. Pista de atletismo do São José tomada por mato e sujeira revela falta de manutenção Desgaste no piso e falta de equipamentos (cesta de basquete, rede do gol etc.) evidenciam necessidade de pintura e reparos na quadra do Alvi Celeste Sujeira, entulho e parte do telhado tomam conta da quadra do Gonzaga Água esverdeada: também no Águias, limo toma conta da piscina No Águias de Nova Gerty sujeira e rachaduras no piso ao redor da piscina Descaso no Sete de Setembro, onde redes de proteção estão danificadas, além de outras provas de abandono

[close]

Comments

no comments yet