Jornal Sinaerj 33

 

Embed or link this publication

Description

Jornal do Sindicato dos Administradores no Estado do Rio de Janeiro

Popular Pages


p. 1

Sindicato dos Administradores no Estado do Rio de Janeiro Ano 7 - Nº 33 JORNAL do ADMINISTRADOR 9912294140/2012-DR/RJ Impresso Especial CORREIOS Sinaerj Setembro e Outubro de 2013 Renomado Administrador, Eduardo Bandeira de Mello, é o principal nome da gestão do Flamengo Parabéns Administrador! A cada dia 9 de setembro comemora-se o Dia do profissional, cuja carreira é a que mais cresce no Brasil e no mundo: o Administrador. A data que foi instituída pela Resolução CFA nº 65/68, de 9 de dezembro de 1968, foi escolhida devido à promulgação da Lei nº 4.769, que criou e regulamentou a profissão, em 9 de setembro de 1965. A história da Administração surgiu lá pelos anos de 5.000 A.C., na Suméria, em um momento onde os antigos povos buscavam solucionar seus problemas cotidianos, sendo provavelmente os primórdios da arte e do exercício de administrar. Em outro momento no Egito, no ano de 304 A.C, Ptolomeu planejou, desenvolveu e dimensionou um sistema econômico, que, para ser operacionalizado, exige Administração pública sistêmica e organizada. Evoluindo a sociedade, a China cria um sistema organizado de governo para o império: a Constituição Chow, estabelecendo as oito regras de Administração Pública de Confúcio, numa primeira tentativa de definir as regras e princípios da Administração: O Alimento, O Mercado, Os Ritos, O Ministério do Emprego, O Ministério da Educação, A Administração da Justiça, A Recepção dos Hóspedes, O Exército. Há outras raízes históricas, como as instituições otomanas, pela forma de administrar os grandes feudos e os prelados católicos, que eram autoridades eclesiásticas que, na Igreja Católica, têm o encargo de governar ou dirigir uma Prelatura ou Prelazia e, que na Idade Média, destacaram-se como Administradores natos. Já os primeiros Administradores profissionais da história foram os gerentes de companhias de navegação inglesa, em meados do século XVII. Essas empresas foram as primeiras sociedades anônimas, de que se tem notícia na história mundial. No Brasil, a profissão de Administrador passa a ter contornos claros na década de 1940, período em que se acentua a necessidade de mão de obra qualificada, para tratar de gerenciamento, consequentemente nascendo, assim, a profissionalização do ensino da Administração. Naquela época, a formação especializada foi de extrema importância para a planificação de mudanças e criação de centro de investigação, para dar suporte a questões econômicas e administrativas, em uma sociedade que estava trafegando de um estágio agrário para a industrialização. Tal evolução foi sendo viabilizada de forma gradativa, até a regulamentação da profissão em 1965. Com a Lei nº4. 769, o acesso ao mercado profissional se tornou privativo aos portadores de títulos expedidos pelo sistema oficial. Administrar é processo, que envolve muitas questões, entre elas a elaboração de planos, pareceres, relatórios, projetos, arbitragens e laudos, os quais exigem aplicação de conhecimentos inerentes às técnicas de Administração. Os Administradores são profissionais de grande valor e importância no desenvolvimento do país, pois a sociedade econômica, o crescimento pleno das organizações, o progresso da economia e dos mercados, não pode prescindir de seu mister. Por isso, o Sindicato dos Administradores no Estado do Rio de Janeiro (Sinaerj), parabeniza a todos os Administradores. Parabéns, Administradores, pela passagem de mais um 9 de setembro e pelos 48 anos em busca da melhor forma de gerir o mundo! Páginas: 4 e 5 Como o gestor mantém a inspiração para motivar sua equipe? Página: 8 D ir ce Be ltr ã o Sinaerj lança novo canal de interação com os Administradores: ADM TV, a TV do Sindicato na Web administradores.org.br Após pressão, governo reabre negociações com centrais sindicais para tratar sobre nova fórmula do fator previdenciário Secretário de Formação do PT explica quais serão as mudanças no cenário político e eleitoral do país após as últimas manifestações twitter.com/sinaerj Página: 6 Página: 3 administradores-rj.blogspot.com Página: 7 facebook.com/adm.sinaerj administradores.tv.br

[close]

p. 2

Setembro e Outubro de 2013 Jornal do Administrador Presidente: Adm. Dirce Beltrão Vice-Presidente: Adm.Edson Machado Diretor Financeiro: Adm. Reginaldo Souza de Oliveira Diretor Administrativo: Adm. Júlio Souza Reis Diretor de Relações Trabalhistas e Intersindicais: Adm. Jair de Carvalho Peixoto Jr. Diretor de Políticas Setoriais de Administração: Adm. Héldon Barbosa Diretor de Comunicação: Adm. Reinaldo Antônio da Silva Diretor de Relações Corporativas de Emprego e Renda: Adm. Dejalmar Francisco de Pinho Diretores Adjuntos: Adm. Aloísio Carneiro Adm. Antônio Marcos de Oliveira Adm. Carlos E. Del Negro Sansone Adm. Carlos José Martins Manhães Adm. Dácio Antonio M. de Souza Adm. Luís Antônio D. Correia Adm. Luiz Cláudio Brítes Lobato Adm. Orlando D´Almeida Marques Conselheiros Fiscais Efetivos Adm. Cléres Maciel Azeredo Adm. Márcia da Silva Tavares Adm. Reimont L. O. Santa Bárbara Conselheiros Fiscais Suplentes Adm. Lucas Guimarães Adm. Paulo Cezar Duque de Pinho Adm. Pedro Pessoa SEDE DO SINAERJ Av. 13 de Maio, 13/8° andar, Centro, Rio de Janeiro, RJ CEP: 20003-900. Tels.: (21) 2262-3090 e 2532-2387 Subsede Sul Fluminense: Rua Quarenta, 8/1.302, Vila Santa Cecília, Volta Redonda, RJ, CEP: 27260-200. Subsede Norte Fluminense: Rua Oliveira Botelho, 244/302, Centro, Campos, RJ, CEP: 28010-320 Subsede Região Serrana: Rua Lúcio Meira,330/304, Centro, Teresópolis, RJ, CEP: 25953-007 Site: www.administradores.org.br E-mail: sinaerj@administradores.org.br Blog: www.administradores-rj.blogspot.com Twitter: www.twitter.com/sinaerj Facebook: www.facebook.com/sinaerj JORNAL DO ADMINISTRADOR Conselho Editorial: Diretoria do Sindicato Assessoria de Comunicação Convictiva Comunicação Rua Alcindo Guanabara, 24, sala 1109, Centro, RJ. Tel.: (21) 3549-3633 Tiragem: 10 mil exemplares O nefasto PL 4330 O Projeto de Lei 4330, de autoria do Deputado Federal Sandro Mabel (PMDB-GO), trouxe em seu bojo uma verdadeira metralhadora que libera tiros a esmo em direção aos direitos dos trabalhadores. Essa arma que assassina direitos, tem como bala de maior calibre aquela que oficializa a terceirização do trabalho de forma ampla e irrestrita, tendo um exterminador poder de fogo. Essa iniciativa que visa à terceirização é o “começo do fim”, visto que prevê o fim do modelo atual de emprego e, possivelmente, transformará os 45 milhões de trabalhadores formais em prestadores de serviços eventuais, com condições de trabalho precárias e salários indignos, já que o seu principal objetivo é a redução de custo com mão de obra qualificada. Esse tipo de terceirização poderá afetar milhões de trabalhadores que ficarão sem a proteção primordial dos acordos e convenções coletivas, regulamentos internos, regimes jurídicos, como verbas rescisórias e todos os outros direitos que são garantidos pela CLT. Desde que surgiu na Câmara Federal o PL 4330 teve total repúdio por parte do Sindicato dos Administradores no Estado do Rio de Janeiro, que continua não medindo esforços para tornar público, bem como em divulgar aos Deputados seu posicionamento totalmente contrário à aprovação do Projeto. A Direção do Sinaerj entende que subtrair direitos dos trabalhadores, através de uma arma tão repugnante como essa, não é papel admissível de quem se diz representante do povo. Por assim ser, o Sinaerj caminha na mesma direção das Centrais Sindicais, como exemplo a CUT, que estão unidas no combate a aprovação do nefasto Projeto de Lei. Ao ir às ruas do Rio de Janeiro para amplificar o combate ao esquartejante Projeto que, de forma descarada, tem como um dos principais objetivos ampliar a terceirização em todos os níveis, oferecendo riscos não só nas empresas privadas, mas também na esfera pública, haja vista terminar com a distinção entre “área fim e área meio”, aniquilando o poder de fiscalização e sucumbindo até mesmo com os concursos públicos, o Sinaerj deixa claro que não está medindo esforços nessa luta em defesa dos trabalhadores. A terceirização sem limites e sem controle é totalmente nefasta às condições dignas de trabalho. Ela é claramente um mecanismo de favorecimento aos empresários, pois deixa expostas as atividades “fim” e fulmina as conquistas trabalhistas oriundas da Consolidação das Leis do Trabalho (CLT), a começar pela extinção da assinatura da carteira de trabalho, já que qualquer empresa poderá contratar trabalhadores na condição de pessoas jurídicas. Não existem dúvidas de que a proposta de Sandro Mabel afetará também toda a organização sindical, pois com sua aprovação, os trabalhadores ficarão sem mecanismos eficientes de defesa dos direitos e o movimento sindical, que sempre lutou pelos direitos dos trabalhadores, estará atado para agir, possibilitando assim uma total precarização do trabalho no Brasil. Sem contar que os jovens profissionais não terão condições seguras para seguir carreira em uma empresa privada, ou desenvolver seus talentos e crescimento profissional em algum órgão público. O Sinaerj vai continuar ativo na luta contra a terceirização que precariza o trabalho, mesmo sabendo ser ela um risco iminente, principalmente se considerando que após sucessivos adiamentos por pressão do movimento sindical, o PL 4330 em algum momento poderá ser votado na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) da Câmara dos Deputados. Nessa luta a nossa arma tem muito mais poder de fogo, pois o seu calibre é a coerência, é a legalidade, é a justiça, e a força do trabalhador. 2 Siga o Sindicato no Twitter: www.twitter.com/sinaerj

[close]

p. 3

Jornal do Administrador Setembro e Outubro de 2013 TV do Sinaerj é sucesso na web Reclamar da areia ou aproveitar a praia? Novo canal de interação com a classe Administradora traz conteúdo exclusivo e informativo para a categoria Transformando adversidades em oportunidades de crescimento Em meio à conjuntura atual e as constantes transições do mundo moderno, o ser humano passou a ter que encarar diariamente repetidas transformações, incertezas e desafios tanto na vida pessoal como na profissional, mas saber lidar com as adversidades é trabalho individual, que só evolui positivamente, sabendo como lidar com as dificuldades e as transformando em um novo aprendizado. O psicólogo Maxwell Maltz tem uma frase que exemplifica essa questão: “A vida é cheia de desafios que se aproveitados de forma criativa, transformam-se em oportunidades”. Todo mundo já conheceu alguém que ao enfrentar uma dificuldade na vida pessoal ou um novo desafio na vida profissional, levou a situação para o lado mais obscuro, e ao invés assimilar e tirar proveito da nova realidade, só vivia reclamando da vida e dos problemas a serem enfrentados, muitas vezes até sofrendo por antecipação. Vale lembrar que o momento atual de cada pessoa é o resultado das escolhas feitas no passado, independentemente se a decisão é considerada certa ou errada, ela foi um marco na vida, uma escolha. É preciso salientar que o sucesso de cada profissional depende muito da maneira de como ele enxerga e encara os novos desafios, se lamentar todo o tempo, não possibilitará que esse profissional consiga enxergar as estratégias que terá de traçar e o caminho que ele precisa percorrer para alcançar o sucesso. Observar o futuro e aprender com os erros do passado é o primeiro passo para iniciar uma nova jornada. A melhor política em meio a essa era de constantes ameaças e desafios é ao invés de reclamar, fazer acontecer. O profissional precisa enxergar as ameaças e desafios como oportunidades para crescimento pessoal e principalmente profissional, banindo da sua vida a insegurança e o medo de seguir a diante. É notório que diante de uma novidade ou mudança o ser humano sente certo receio e medo do desconhecido - o que é normal, pois é ele não nos deixa atuar de forma inconsequente -, porém este sentimento não pode paralisar as ações e decisões que precisam ser tomadas. Levando em consideração tudo o que foi dito, o que é melhor: reclamar da areia quente ou aproveitar a praia? Isso é decisão que só cada indivíduo pode tomar! Às vezes a areia quente é uma desafio para encontrar o melhor que está por vir: a água fresca e límpida do mar, o encontro com os amigos, o sol, a tarde tranquila, enfim... Ao invés de enxergar a areia como um problema é preciso vê-la com uma oportunidade de se poder ter um dia animado. Outro ponto que é preciso destacar é que a chave de todo bom trabalho ou de tudo bem realizado é deixar despertar o desejo e a vontade de aprendizado que existe em cada profissional, seja o foco principal. A autoconfiança, o otimismo, o conhecimento pessoal e de talentos, habilidades, capacidades e defeitos são a porta principal para conseguir encarar os desafios como momentos de crescimento. Assim como um vendedor de guarda chuva, que vê na tempestade a oportunidade para vender mais, é preciso estar atento às chances profissionais que diversidades podem apresentar. Por fim, é preciso que os indivíduos que almejam a evolução na vida pessoal e crescimento nesse mercado de trabalho cada vez mais competitivo, adotem uma nova postura diante das adversidades e aprendam a encarar um problema como uma possível solução e aprendizado para chegar ao sucesso. Porém, essa decisão depende única e exclusivamente de cada um. Sindicato dos Administradores no Estado do Rio de Janeiro (Sinaerj) possui uma nova ferramenta de comunicação com os Administradores: a ADM TV – A TV dos Administradores. Esse novo canal de interação traz, através da internet, matérias, programas e notícias exclusivas para toda classe administradora. A ADM TV iniciou suas atividades em 29 de maio de 2013, no mesmo dia da estreia do programa Administrando na Web, com uma entrevista exclusiva da Presidenta do Sinaerj, Dirce Beltrão, que falou da iniciativa do Sindicato. “A TV do Sinaerj é um avanço na comunicação com os Administradores, pois com ela nos aproximamos cada vez mais da categoria, que é conectada e moderna”, afirmou a Presidenta. O projeto da ADM TV nasceu de uma proposta do Vice-Presidente do Sinaerj, Edson Machado, que acredita no grande poder de comunicação e interação da internet. Segundo Reinaldo Antônio da Silva, Diretor de Comunicação do Sinarj, o projeto foi aprovado porque a Diretoria do Sindicato é consciente da grande transformação que vem passando os meios de comunicação. “O conceito de Web TV possibilita um contato mais direto e rápido do Sindicato com os Administradores e estudantes ”, disse. Reinaldo também acredita que a ADM TV cumpre o papel de trazer para a sociedade a discussão do movimento sindical, que é ignorado pela grande mídia. “Os tradicionais meios de comunicação atuais não tratam com atenção a luta dos sindicatos e as reivindicações dos trabalhadores. Nesse sentido, a nossa Web TV se torna uma mídia alternativa de informação e discussão de temas relacionados aos trabalhadores e, especificamente, no que tange à defesa dos direitos dos Administradores”, explica. A comunicação na área sindical, historicamente se restringia aos jornais e boletins, que são distribuídos nas portas das empresas e que cumprem um importante papel até hoje. Todos os sindicatos tem essa comunicação impressa, mas ainda são poucas as opções de Web TV. “A CUT, Central à qual somos filiados, já tem uma TV. E nós agora O www.administradores.tv.br avançamos nesse caminho alternativo da informação audiovisual, sem abandonar o nosso tradicional Jornal do Administrador e outros demais veículos,”, relata o Diretor de Comunicação. Vale destacar que um dos principais diferenciais da Web TV é que seu conteúdo pode ser assistido e acessado a qualquer momento e em qualquer lugar. Entre suas características estão: interatividade, flexibilidade e interoperabilidade. Além disso, pesquisas indicam que cerca de 90% dos brasileiros consideram a Internet como a forma de comunicação mais importante da atualidade. Isso mostra a força que a internet vem ganhando, ao longo do tempo, junto à evolução das tecnologias. A Web TV do Sinaerj se junta às outras mídias do Sindicato como o Jornal do Administrador, Informativo Eletrônico, Revista, Site, Blog e Redes Sociais para levar mais informações aos administradores, além da divulgação do trabalho do Sinaerj na luta pelos direitos da classe e empenho nos Acordos Coletivos de Trabalho. O programa Administrando na Web é o carro chefe da programação da ADM TV, pois conta com entrevistas especiais sempre com conteúdos relevantes e de interesse dos Administradores e também da sociedade em geral. Seu formato é um programa de entrevistas, que como um bate papo bem natural, tira dúvidas dos espectadores informando sobre os mais diversos assuntos ligados à Administração. Entre as premissas do Administrando na Web, as entrevistas são objetivas e mais curtas do que as convencionais, seguindo as tendências da comunicação rápida e eficaz da internet. Mesmo recente o programa já é sucesso entre os Administradores e conta com centenas de visualizações a cada edição. Com produção da Convictiva Comunicação e realização do Sinaerj, tanto o programa Administrando na Web, assim como os demais produtos da ADM TV tendem a crescer e ganhar cada vez mais visibilidade e credibilidade no mundo da Administração. Para assistir a programação basta acessar o canal: www.adminstradores.tv.br Administrando na Web Visite o nosso Blog: www.administradores-rj.blogspot.com 3

[close]

p. 4

Setembro e Outubro de 2013 Jornal do Administrador Entrevista exclu Administrador q Flamengo e que Chefe de Estado O Sindicato dos Administradores no Estado do Rio de Janeiro, realizou na Gávea, uma entrevista exclusiva com um dos mais novos nomes do futebol carioca, o Presidente do Clube de Regatas do Flamengo, Eduardo Bandeira de Mello. 4 Há sete meses à frente de um dos maiores clubes do país, Eduardo Bandeira de Mello é além de um Presidente comprometido com o clube, um torcedor completamente apaixonado pelo Flamengo. Formado em Administração pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), mestre na área também pela Universidade Federal, o ex-chefe de Meio Ambiente do BNDES e sócio proprietário do Flamengo desde 1978, contou nesta entrevista que sua formação profissional sempre ajudou na sua carreira e que está sendo fundamental para a gestão do clube. “Ser Administrador sempre auxiliou o desenvolvimento da minha carreira e agora tem ajudado bastante nesse novo projeto de trabalho que é o Flamengo”, disse o Presidente, complementando que sua experiência no BNDES o ajuda a lidar com as atuais dificuldades enfrentadas pelo clube. “Flamengo é uma instituição que tem dificuldades que todo mundo conhece. Quando eu trabalhava no BNDES, pude lidar com empresas que tinham dificuldades semelhantes, isso facilita o trabalho de um gestor. É só uma questão de trocar de lado”, explica. datário é que objetivos prometidos durante sua campanha à presidência do Flamengo estão sendo executados da melhor forma possível, a fim de driblar a difícil situação financeira do clube, que atualmente tem uma dívida que gira em torno de R$ 750 milhões, mas principalmente pretende resgatar a dignidade do clube perante os seus torcedores. Eduardo Ba ndeira de Mello, ges tor do c l ube Profissão Administrador “Encontramos o Flamengo em pleno caos administrativo e com certeza o clube não sobreviveria se não estivéssemos trabalhando com foco na gestão, estratégias, métodos e práticas empresariais. É importante destacar também que hoje nós sabemos exatamente quanto devemos e, quando se tem um time com 40 milhões de torcedores, fica um pouco mais fácil lidar com essas problemáticas, já que o torcedor é o consumidor mais fiel que existe. Uma pessoa pode mudar tudo na sua vida, mas ela nunca vai mudar seu time de futebol. E nós contamos com o apoio da nossa torcida para que haja as mudanças no clube”, conta Bandeira. O Presidente disse ainda que ter auxílio de executivos de peso em sua gestão está sendo de grande valia. “Ter nomes como Eduardo Batista, o Carlos Langoni, Flávio Godinho, Rodrigo Tostes, Claudio Pracownik, Alexandre Póvoa, Ações no clube Importantes parceiros Situação financeira Outro ponto destacado pelo man- Visite o nosso Site: www.administradores.org.br

[close]

p. 5

Jornal do Administrador Setembro e Outubro de 2013 usiva com o que preside o e considera Zico o da Nação Rubro Negra Estamos passando por uma situação que nós temos que prezar pela credibilidade do resgate do clube e pela dignidade da sua torcida. E o apoio da torcida é o que nos faz continuar nessa briga”, comenta. Para finalizar, Eduardo, que se mostrou confiante, disse que apesar da situação delicada em que o clube se encontra a sua Administração trabalhará incansavelmente para que o Flamengo volte a ter os dias de glória. “Nosso objetivo é que o Flamengo ganhe títulos em todos os esportes e para isso nós estamos trabalhando a gestão da melhor maneira possível”, esclarece. Aos Administradores, o Presidente disse que apesar de trabalhar no Flamengo, ele espera que a sua atuação no clube possa influenciar positivamente na gestão do futebol brasileiro. “Estamos tentando dar um exemplo de superação com essa administração do Flamengo, resgatando a ética e os padrões morais e esperamos que isso possa ser replicado no futebol brasileiro de uma maneira geral”, finaliza. e qu e tem u ma das maiores torc idas do país Foco nas conquistas Flávio Willeman e outras importantes personalidades, é ter a certeza de contar com um dream team da Administração Esportiva. Isso só tem ajudado e auxiliado o nosso projeto. É difícil imaginar uma empresa que tenha um time de gestores desse calibre”, disse orgulhoso. Sobre a relação com Zico, Bandeira elucida que o considera como um Chefe de Estado da nação Rubro Negra e que mesmo informalmente o “Galinho” continua presente em sua Administração. “O que foi feito com o Zico no Flamengo, na gestão anterior, é totalmente reprovado pela minha administração. O Zico sempre foi um exemplo dentro e fora dos campos, com uma credibilidade que o Flamengo estava perdendo, e é esse exemplo que queremos Relação com Zico Na oportunidade, o Presidente do Flamengo contou ainda como lida com a emoção e as pressões diárias de um gestor com uma torcida tão grande. “Futebol é emoção, o Flamengo é emoção e eu só estou como Presidente do Flamengo porque eu sou torcedor, assim ninguém pode cobrar de mim uma postura de lorde durante uma partida do meu time contra qualquer outro, porque primeiramente eu sou torcedor. Sobre a questão das pressões diárias é preciso saber lidar com essa variável, porque quando o time ganha, todos se alegram, mas quando ele começa a perder é natural que as pessoas se revoltem. Pressões diárias fazer ressurgir em nossos torcedores. Ele é nosso ídolo e de toda a nação rubro negra”, esclarece. Futebol Brasileiro Acesse nosso canal de vídeos: www.administradores.tv.br 5

[close]

p. 6

Setembro e Outubro de 2013 Jornal do Administrador Fator Previdenciário: Sinaerj: a governo reabre negociações voz da classe Administradora com centrais sindicais A Sindicalização é um direito do trabalhador, pois os sindicatos são representantes legítimos dos trabalhadores na luta por melhores condições de trabalho, salários maiores, ampliação do mercado de trabalho, entre outros. O Sindicato dos Administradores no Estado do Rio de Janeiro (Sinaerj) luta para melhor representar politicamente e para conquistar cada vez mais benefícios para os Administradores. Para isso, o Sinaerj participa de Assembleias, Campanhas Salariais, Acordos Coletivos de Trabalho (ACT), entre outras atividades na defesa dos pleitos dos Administradores, em todo o estado fluminense. Graças à luta e participação do Sinaerj, foi fixado, em fevereiro deste ano, o novo piso salarial da categoria, com um reajuste de dez por cento. Vale lembrar que até pouco tempo os Administradores não tinham nenhuma regulamentação sobre seu piso salarial, mas em decorrência de muita luta e contato com parlamentares fluminenses, o Sinaerj conquistou mais uma vitória para a classe. Mesmo sendo seu valor longe do ideal, a conquista do piso salarial dos Administradores no Rio de Janeiro foi um grande avanço e serve de base para a busca constante por uma remuneração mínima mais justa. É através do Sinaerj que os Administradores conseguem maior valorização do seu trabalho e fazem valer os Acordos Coletivos de Trabalho, que estabelecem regras próprias na relação trabalhista com as empresas. O Sindicato é o principal intermediador entre empregadores e a categoria profissional, negociando com as empresas também a participação nos lucros e resultados para os empregados. O Sindicato dos Administradores no Estado do Rio de Janeiro oferece assessoria jurídica nas áreas de direito Trabalhista, direito do Consumidor e de Família; convênios com diversos estabelecimentos comerciais que oferecem descontos especiais; seminários e palestras no auditório do Sindicato; Espaço do Administrador – sala equipada com computador, fax e Internet, e uma pequena biblioteca, além do serviço de comunicação com atualizações constantes no site, blog e redes sociais, Web TV, além de jornal bimestral e informativos, enviados aos associados. Apesar de todas as conquistas, o Sinaerj não para de lutar pela categoria, sempre buscando o melhor, mas para que o Sindicato tenha força é necessária a participação dos Administradores. Um Sindicato só é forte e amplia gradativamente as conquistas, quando representa muitos trabalhadores, por isso é importante que a entidade tenha um amplo quadro social, pois desta forma os Administradores garantirão sua representatividade junto aos empregadores. Tanto trabalhadores, como estudantes de Administração podem se filiar ao Sinaerj e os passos para a sindicalização são fáceis. É só acessar o site do Sindicato (www.administradores.org.br), clicar na aba “Sindicalize-se” e, após preencher a ficha com as informações solicitadas, enviar os documentos necessários. No site, existem duas fichas: uma destinada aos profissionais de Administração e outra para os estudantes. Em seguida, um Diretor do Sinaerj entrará em contato. Lembramos ainda que, não tem nenhum custo para os estudantes se sindicalizarem, e os profissionais recém-formados, durante o primeiro ano de sindicalização, estarão isentos da anuidade social. Venha para o Sinaerj você também! Após pressão das centrais sindicais em reunião com ministros ocorrida no Palácio do Planalto, no dia 21 de agosto, em Brasília, o governo anunciou a reabertura das negociações sobre o fim do fator previdenciário e a substituição do modelo por uma nova fórmula para o cálculo das aposentadorias. A retomada do diálogo foi acertada entre as centrais e os Ministros Manoel Dias, do Trabalho, Garibaldi Alves Filho, da Previdência, e Gilberto Carvalho, SecretárioGeral da Presidência da República, quando ficou estabelecido ainda que o governo deverá, dentro de 60 dias, apresentar uma proposta formal sobre o assunto. Entre os sindicalistas, a notícia foi muito comemorada, já que o fim do fator previdenciário é uma reivindicação antiga dos trabalhadores, resistindo o governo em reabrir as negociações sobre o tema, inclusive, tendo sido pauta de diversas manifestações realizadas pelo movimento sindical. O Presidente da Central Única dos Trabalhadores (CUT), Vagner Freitas, disse que a categoria festeja principalmente a reabertura das negociações, já que o movimento não estava conseguindo fazer com que o assunto entrasse na pauta. “A notícia é a abertura da negociação. Qual vai ser o desfecho da negociação, não sabemos. Estávamos com um problema gravíssimo, porque o fim do fator (previdenciário) é uma das nossas principais reivindicações e não estávamos conseguindo que isso viesse para a pauta de negociação”, disse. A Ministra-Chefe da Secretaria de Relações Institucionais, Ideli Salvatti, informou que as discussões começarão com a fórmula 85/95, quando a soma da idade com o tempo de contribuição chegasse a 85 no caso das mulheres, e no caso dos homens, quando essa soma atingisse 95. “A disposição da mesa de negociação é de encontrar uma fórmula que permita implementar gradualmente e de forma sustentável”, explica. Porém, o governo advertiu que não concorda em dar fim ao fator previdenciário e a nova proposta para a aposentadoria terá que considerar o aumento da expectativa de vida da população brasileira, a fim de evitar impactos no sistema previdenciário. “Não há, da parte do governo, nenhuma intenção no fim puro e simples do fator previdenciário. Isso causaria um impacto que não teria sustentabilidade”, disse a Ministra. Na ocasião, o governo chegou a sugerir uma elevação gradativa da contribuição ou elevação no tempo de contribuição, mas o assunto será tratado apenas na próxima reunião. Além disso, os representantes do governo afirmaram ainda que será realizada uma revisão nas pensões pagas pelas contas públicas, porque segundo dados apresentados na reunião que ocorreu em 2012, o governo gastou R$ 70 bilhões, só com pensões. E esse valor é considerado muito elevado. Criado em 1999, durante o governo Fernando Henrique Cardoso, o fator previdenciário pretendia desestimular aposentadorias precoces e cobrir rombo na Previdência Social, porém ele foi responsável pela redução no valor de mais de 60% das aposentadorias pelo Regime Geral da Previdência Social. A importante atuação da CUT no movimento em prol dos trabalhadores A CUT – Central Única dos Trabalhadores - é uma organização sindical de massas, que tem caráter classista, autônomo e democrático, cujo compromisso principal é a defesa dos interesses e direitos imediatos dos trabalhadores brasileiros. Tendo como base os princípios de igualdade e solidariedade, o objetivo da entidade é representar o povo sindicalmente, levantando a bandeira da valorização do trabalhador, obter melhores condições de emprego aos brasileiros, por uma sociedade justa e democrática. Fundada em agosto de 1983, durante o 1º Congresso Nacional da Classe Trabalhadora (CONCLAT), em São Paulo, a CUT – que é considerada a maior central sindical do Brasil, da América Latina e a 5ª maior do mundo – surgiu após um período da ditadura em um cenário de profundas e grandes transformações políticas, econômicas, eleitorais e culturais no país, exatamente na retomada do processo de mobilização da classe trabalhadora. Desde sua criação até os dias atuais, a CUT tem sido de fundamental atuação nas mudanças ocorridas ao longo da história do Brasil, no cenário político, econômico e social, bem como nos avanços obtidos na proposta de um sistema mais democrático das relações de trabalho. Os marcos da sua atuação são: o fortalecimento de uma democracia que seja mais justa, uma melhor ampliação de distribuição de renda, a valorização do trabalho, além da luta diária pela universalização dos direitos e afirmação de setores da sociedade como as mulheres, a juventude, as pessoas com deficiência física, a saúde, o combate à discriminação racial e aos idosos, entre outros. Aliás, a CUT não é uma organização que luta somente em prol da classe trabalhadora, ela é uma representação organizada dos trabalhadores frente à política nacional. Defende que as entidades da classe trabalhadora devem ser sustentadas pela vontade e consciência política de cada trabalhador, resguardando que, cada pessoa tem o direito de decidir livremente sobre suas formas de organização, filiação e sustentação financeira, independentemente do Estado, governos, partidos, credos, agrupamentos políticos e instituições religiosas. E apesar de ainda existir, neste momento, uma relativa desvalorização do trabalhador, a CUT continua mantendo a sua postura de entidade, que busca as melhores condições de vida e trabalho para a população brasileira, apoiando e levando a bandeira nas ruas, há 30 anos, por trabalho digno e decente. É possível notar a importância da atuação da entidade na defesa dos direitos dos trabalhadores, bem como o seu papel de extrema relevância no desenvolvimento da sociedade e da organização política do Brasil. Seus dirigentes atuais defendem que a mobilização dos trabalhadores deve ser constante, através de suas legítimas representações, para que o país evolua e a sociedade caminhe para o progresso. E a onda reivindicatória de mudança social, atualmente nas ruas, é um estímulo para a entidade continuar sua batalha em prol dos jovens, homens e mulheres batalhadores deste país. O Sinaerj tem a honra de ser filiado a CUT e trilhar o caminho de suas lutas, principalmente as que rumam diretamente ao encontro dos anseios dos trabalhadores e valorização da democracia. 6 Curta no Facebook: www.facebook.com/adm.sinaerj

[close]

p. 7

Jornal do Administrador Setembro e Outubro de 2013 Crise política e manifestações: o que muda no cenário político e eleitoral do país? Em entrevista exclusiva, Bernardo Cotrim, Secretário de Formação do PT-RJ fala sobre o atual momento político vivido pelo Brasil ual será o real motivo das recentes manifestações ocorridas no Brasil, em particular no Rio de Janeiro, que levaram mais de um milhão de pessoas às ruas, nos últimos dois meses? O Sindicato dos Administradores no Estado do Rio de Janeiro (Sinaerj) entrevistou o Secretário de Formação do PT-RJ, Bernardo Cotrim, que contou como os movimentos populares são de grande importância para que haja transformações na conjuntura política e eleitoral do Brasil. Segundo Cotrim, existe um conjunto de fatores, dentre eles as transformações nos processos de valorização do mercado formal, que fizeram as pessoas exigirem melhores condições de vida. “Essa nova visão e poder financeiro da população fazem com que elas busquem por novas demandas e passem a exigir não mais apenas por empregos, mas sim por ‘melhores’ empregos e, por um serviço público de qualidade”, explica. Nesta entrevista exclusiva, o Secretário de Formação do PT-RJ faz ainda uma análise dos movimentos em relação à democratização da mídia, governo Sérgio Cabral, resposta da Presidenta Dilma Rousseff às manifestações e reforma política. negar os sucessivos erros que esse governo tem mANIFESTAçõES POPulARES que as pessoas começam a voltar brigar pelos cometido. Bernardo Cotrim: Um conjunto de fatoseus direitos nas ruas, como há muito tempo não res que desencadeiam esse processo. O Brasil CONGRESSO NACIONAl acontecia. nos últimos dez anos passou por transformações Bernardo Cotrim: Eu acho que o govermuito profundas e um número expressivo de pesREJEIçãO AOS PARTIDOS no foi rápido. A Dilma fez um pronunciamento no soas saiu da miséria e foi incluído no mercaBernardo Cotrim: Porque vem ocorrendo meio da ebulição dos protestos apontando uma do formal de trabalho. A partir daí, cria-se um uma rejeição a forma tradicional de fazer política. agenda de mudanças. Só que o que existe é patamar superior de demanda social da populaÉ um conjunto de problemas que são do sistema uma manobra explícita de uma grande maioria do ção que passa a ter um aumento na renda, no político eleitoral brasileiro e que começaram a congresso, para brecar a agenda que ela propôs. seu poder de compra passando a querer acesrealmente incomodar a população. sar mais a cidade e os equipamentos culturais. muDANçAS NO CENáRIO POlíTICO Parte da pauta das manifestações é o resultado CENTRAIS SINDICAIS Bernardo Cotrim: A maior mudança que de certo sucesso do governo federal na última Bernardo Cotrim: Eu acho que a rejeiocorre é a retomada do espaço público como esdécada. E essa nova visão e poder financeiro da ção é menor que o alarde que foi feito, tem uma paço do debate político. É possível afirmar que há população fazem com que as elas busquem por rejeição quanto ao engessamento das pautas e 20 anos nós não víamos tanta gente na rua, ou novas demandas e passem a falta de capacidade das seja, tem uma nova geração experimentando fora exigir não mais por em- Parte da pauta das manifestações centrais em compreender mas novas de se relacionar e viver em sociedapregos, mas por melhores é o resultado de certo sucesso do o que é o Brasil hoje. Em de, identificando os seus direitos, se organizando empregos e, por um serviço minha opinião, o movimene lutando por eles. É um processo interessante governo federal público de qualidade. E isso to sindical ainda tem uma de aprendizado e luta política de debate público. é ótimo porque dá uma possibilidade concreta de enorme dificuldade de dialogar com a nova conAs manifestações popularizaram o debate político dar uma chacoalhada no cenário e avanços ainda figuração do mundo do trabalho no Brasil. Mas e de alguma maneira a política voltou a fazer maiores no sentido de democratizar as cidades e acredito que a rejeição seja menor. parte das conversas informais entre as pessoas, o acesso a melhores serviços públicos. além de darem uma chacoalhada nas organizaGOVERNADOR SéRGIO CABRAl ções tradicionais. O que é muito bom para o ImPORTâNCIA DOS mOVImENTOS Bernardo Cotrim: Quando você junta o desenvolvimento político e eleitoral do país. Bernardo Cotrim: Tem a importância no Estado e a Cidade, no caso a capital, que vão sentido de retomada de um processo de disputa receber dois mega eventos em sequência, ou PROCESSO DEmOCRáTICO política no espaço mais democrático do mundo, seja, é a cidade que vai receber mais investiBernardo Cotrim: É importante comque é a rua. Isso num cenário aonde você tem um mento e, isso não tem a menor perspectiva de preender esse processo de mobilização como esgotamento de um modelo de desenvolvimento, melhorias concretas das condições de vida do a abertura de um período de possibilidade de principalmente nas grandes capitais, como é o povo, combinado com a falta de capacidade do mudanças positivas na sociedade brasileira. Pocaso do Rio de Janeiro, que tem uma agenda de governo de abrir diálogo ou dar uma resposta aos rém, isso precisa ocorrer sem se deixar cair na mega eventos internacionais, mas que não tem manifestantes, juntando com pasmaceira de criminalizar gerado nenhum legado democrático de evolução um conjunto de anedotas Vai do guardanapo na cabeça a política, de criminalizar para a população. E uma agenda acompanhacolecionadas pelo Governasindicatos e partidos, mas até o cachorrinho que viaja da de um processo de investimento privado alto, dor Sergio Cabral, que vai entendendo isso como posde helicóptero mas com um corte muito claro de quem são os do guardanapo na cabeça sibilidade de radicalização beneficiados. Uma agenda de lucro da iniciativa até o cachorrinho que viaja de helicóptero, você de processos democráticos, com o objetivo de privada, sem nenhuma reversão para a maioria tem um caldo de cultura errada e a população impulsionar uma nova agenda de transformações da população. Acho que isso é importante, portem um farto material para bater. Não dá para para o Brasil. Q “ ” “ ” Visite o nosso Site: www.administradores.org.br 7

[close]

p. 8

Setembro e Outubro de 2013 Jornal do Administrador De onde vem a motivação do líder? É uma constatação: o líder tem que ser uma pessoa motivada para inspirar sua equipe e as pessoas com que trabalha. Deve despertar atitudes de criatividade e engajamento, mesmo diante do grande número de atribuições diárias. Mas, de onde vem toda a motivação de um líder, para que possa sempre manter seus hábitos de cognição e, ainda, conseguir estimular as pessoas ao seu redor a darem o melhor de si para o alcance das metas propostas? Sabe-se que existem as motivações intrínsecas e as extrínsecas, estas oriundas das pessoas e do ambiente. Desta forma, um bom líder deve saber lidar com ambas, a fim de manter ativa sua inspiração diária. O líder precisa ser um bom ouvinte, para captar, da sua equipe, aquilo que se faz necessário aperfeiçoar ou, em última instância, modificar inteiramente suas práticas. Deve o líder avaliar várias formas de motivação, tentando persuadir o maior número de pessoas, com seus argumentos e atitudes, o que lhe trará fator motivacional para a sua carreira. Além disto, deve ele envolver seus empregados, bem como os demais setores afetados da organização, mas, sempre, dando a todos liberdade para as críticas e argumentação. Já intrinsecamente, a personalidade do profissional e as suas características pessoais, norteiam suas condutas. Ser um líder é muito mais do que estar líder, seja de uma empresa, de uma equipe ou de um projeto, o que lhe exige fortalecer a mente e investir na sua capacitação pessoal. Assim como todos os profissionais, que almejam uma carreira de sucesso, os líderes devem se aperfeiçoar, cada vez mais, e sair da zona de conforto, pois são os novos desafios que lhes propiciarão o impulso necessário para o alcance de suas metas. Sem dúvida, aprimorar os conhecimentos dar-lhe-á o estímulo para compartilhar informações em seu ambiente corporativo. Desta forma, os líderes poderão aumentar sua motivação, autoconfiança e segurança, se aperfeiçoando, cada vez mais, ao longo do tempo. Ao se propor a realizar um trabalho, por mais simples que possa parecer, todo empregado precisa se reconhecer como parte dele e avaliar sua importância. Os líderes sabem bem disso! Sabem que fazem parte de um amplo contexto e que por ele são responsáveis. Desta forma, o verdadeiro líder deve unir forças para, sempre estimulado pelas motivações extrínsecas e intrínsecas, reconhecer que é parte de um todo mutuamente construído... Dirce Beltrão Presidenta do Sinaerj Negociação: a busca por melhores condições de trabalho No mundo dos negócios uma das peças de fundamental importância para gerar oportunidades e garantir os direitos e deveres dos empregados de uma organização é a negociação. Porém, realizar uma excelente e benéfica negociação requer cada vez mais capacitação entre as partes envolvidas, a fim de identificar os reais interesses de cada negociador e torná-la eficaz, principalmente para atender às demandas dos trabalhadores. No Brasil, as negociações coletivas têm por objetivo estabelecer as melhores condições de trabalho aos trabalhadores das empresas públicas ou privadas, sendo estes representados por entidades sindicais de cada categoria. As negociações tem previsão legal, disposto pelo artigo 611 da Consolidação das Leis do Trabalho (CLT). No atual mundo globalizado, mais do que nunca, há necessidade de uma constante negociação por melhores condições de trabalho, não apenas para assegurar e garantir condições mínimas aos trabalhadores, mas também como uma forma de adaptação do mercado de trabalho moderno à realidade econômica vigente do país. Como os processos legislativos não conseguem alcançar a dinâmica da economia, nem exteriorizar de forma objetiva e efetiva os interesses e direitos dos trabalhadores, são necessárias as ferramentas advindas das negociações. Do ponto de vista acadêmico, a negociação é um processo dinâmico de comunicação entre duas ou mais partes, com o objetivo de levar, de atender e solucionar os interesses de forma coletiva. Quanto maior é o aprofundamento e análise das metas da empresa e do interlocutor, melhor será a possibilidade da negociação ser vitoriosa, mas isso só ocorrerá com êxito, se os responsáveis estiverem capacitados para tal atuação. Em diversas situações é necessário que haja concessões e barganhas, para estabelecer acordos, persuadir, criar oportunidades e mediar interesses divergentes é preciso negociar. A convenção da OIT (Organização Internacional do Trabalho) prevê que a negociação coletiva é a reunião de todas as negociações, na qual o empregador de um grupo de empregados de cada categoria tenta fixar, regular e disciplinar as condições de trabalho e emprego, através de um acordo, que seja mutuamente vantajoso para as partes. A negociação é parte fundamental do direito coletivo. O Sindicato dos Administradores no Estado do Rio de Janeiro (Sinaerj), em conjunto com os Sindicatos dos trabalhadores nas empresas de Energia do Rio de Janeiro e região (SINTERGIA), dos Economistas do Estado do Rio de Janeiro (SINDECON-RJ), dos Engenheiros de vários estados (SENGE) e com as Federações dos Urbanitários, dos Administradores e Interestadual dos Engenheiros, nos últimos dias, participou de uma intensa Negociação Coletiva com as Centrais Elétricas Brasileiras S/A, prepostas no Sistema Eletrobras, quando foi intensamente discutida, nas diversas mesas de negociação, a garantia dos direitos dos trabalhadores eletricitários, tendo, finalmente, sido celebrado Acordo Coletivo de Trabalho (ACT) para o biênio 2013/2014, que já foi, inclusive, homologado. Houve forte e intensa pressão das entidades representativas da categoria, inclusive com dias de paralisação, sendo finalmente conseguido, dentre outros ganhos, compensação dos dias de greve durante a futura jornada laboral, manutenção do pagamento do adicional de periculosidade sobre a remuneração, ganho real de 2,5%, além dos índices de inflação, abono salarial em forma de tíquete alimentação e manutenção dos direitos já garantidos no último Acordo Coletivo de Trabalho. O Sinaerj representa os Administradores de diversas empresas no Estado do Rio de Janeiro, dentre elas, destacam-se ELETROBRAS, ELETRONUCLEAR, EMATER, CEDAE, INB, CPRM, EPE e FURNAS. 8 Acesse nosso canal de vídeos: www.administradores.tv.br

[close]

Comments

no comments yet