Introdução à Teologia Sistemática

 

Embed or link this publication

Description

Seminário Teológico Batista do Rio Grande do Sul

Popular Pages


p. 1

stbrs-pete 5.000 5.000 introdução à teologia sistemática pr chrístopher b harbin introdução à teologia sistemática natureza e propósito existência de deus revelação trindade panorama do estudo neste texto procurar-se-á oferecer ao aluno uma introdução à temática da teologia sistemática nos aspectos de sua natureza e seu propósito como também uma breve análise dos conteúdos de revelação a existência de deus e da doutrina da trindade este estudo é apenas um levantamento inicial pois para cada assunto levantado há muito mais para se dizer e analisar lembra-se ao aluno que o texto essencial para ser estudado é a própria bíblia a teologia sistemática tem como interesse sistematizar o conteúdo teológico da mesma para transmitir suas verdades de forma coerente e organizada mesmo que o esforço da sistemática é de resumir e organizar o ensino bíblico haverá sempre a necessidade de recorrer ao texto bíblico por pelo menos três razões 1 a falácia e limitação humana em resumir e categorizar todo o ensino teológico da bíblia 2 a responsabilidade do indivíduo em averiguar de acordo com a própria bíblia a certidão dos ensinos transmitidos e 3 a riqueza da narrativa biblica em transmitir verdades teológicas através de eventos revelacionais os quais não se classificam de forma natural em listas e definições sistemáticas mas no quotidiano do indivíduo e do povo essas formas comunicativas encerram ensino teológico nas interações humanas e divinas como também no revelar as pressupostos teológicos com os quais os personagens trabalham a riqueza e a amplitude do texto bíblico bem como o seu caráter e seu estilos literários dificultam toda e qualquer tentative de sistematizar o seu ensino para desta dificuldade tem a ver com a necessidade de cada indivíduo aplicar a teologia à sua realidade específica não basta ter as respostas de outras épocas concernentes às dúvidas e inquietações de outros contextos importa saber aplicar o conhecimento teológica para dar resposta apropriada aos assuntos do dia e da vivência do indivíduo ter uma noção correta sobre a trindade de deus não responde de forma devida as inquietações referentes às práticas mediúnicas entre os espíritas no brasil ao mesmo tempo pode-se encontrar uma resposta à necessidade da prática mediúnica ao compreender melhor o amor de deus todopoderoso para com o indivíduo e da necessidade que o ser humano tem de depender e confiar nos planos de deus esse aspecto da teologia ajuda o indivíduo então a formular a sua resposta ao seu contexto específico a conteúdo da teologia não muda mas a sua aplicação e as suas dúvidas devem sempre ser contextualizadas devidamente livros textos indica-se os seguintes livros para um acompanhamento do estudo aqui elaborado apresentar-seá neste trabalho não um resumo do conteúdo elaborado pelos autores referênciados como 01-01-2006 ©copyright 2001 chrístopher byron harbin todos os direitos reservados p 1 de 35

[close]

p. 2

stbrs-pete 5.000 5.000 introdução à teologia sistemática pr chrístopher b harbin também uma crítica a certas posições tomadas cabe ao leitor analisar as propostas e elaborar as suas próprias propostas lembra-se que nenhuma caixa é grande o suficiente para conter a deus toda teologia sistemática bem fechada então terá problemas em apertar suas definições conhecer a deus é impossível aparte de auto-revelação divina e relacionamento íntimo com deus nunca chegará a ser um estudo clínico e científico pois deus é muito maior e além da compreensão do ser humano diálogos com perspectivas e propostas diversas ajudarão o leitor a ter uma compreensão melhor de deus baillie donald m deus estava em cristo ensaio sobre encarnação e expiação tradução de jaci correia maraschin rio de janeiro juerp/aste 1983 original em inglês 1955 páginas 152-168 elwell walter a editor enciclopédia histórico-teológica da igreja cristã volume ii e-m tradução de gordon chown são paulo sociedade religiosa edições vida nova 1990 original em inglês 1984 páginas 576-577 Érickson millard j introdução à teologia sistemática traduzido por lucy yamakami são paulo vida nova 1997 original em inglês 1992 [esta obra é um resumo simplificado da obra mais completa christian theology páginas 15-106 127-139 george timothy teologia dos reformadores traduzido por gérson dudus e valéria fontana são paulo edições vida nova 1994 original em inglês 1988 páginas 42-50 55-62 79-87 104 116-118 126-132 176-182 185-212 217-218 251-263 270-278 311-314 grudem wayne teologia sistemática traduzido por norio yamakami lucy yamakami luiz a t sayão e eduardo perreira e ferreira são paulo edições vida nova 1999 original em inglês 1994 páginas 1-104 165-197 keeley robin organizador fundamentos da teologia cristã traduzido por yolanda krievin são paulo editora vida 2000 original em inglês 1992 páginas 109-116 introdução geral É necessário antes de começar o estudo teológico propriamente conhecer o ponto de partida na tarefa teológica procura-se expressar de forma nítida e detalhada a natureza de deus os seus planos para com a humanidade e a resposta devida do homem em relação a deus como deus é além da criação não é possível conter a deus dentro de uma caixinha bem definida deus é maior que a compreensão humana logo o esforço para definir a deus é de início impossível da origem grega a palavra teologia quer dizer simplesmente palavras sobre deus É mais especificamente a disciplina referente ao estudo de deus começa-se portanto definindo os procedimentos de pesquisa bem como a definição da matéria sendo deus a matéria há de início sérios problemas a serem resolvidos definir literalmente quer dizer colocar limites assim a tarefa da teologia é de oferecer parâmetros definidos para explicar e comunicar verdades referentes ao infinito qualquer descrição que se possa fazer será falha pois a tarefa é de início impossível como já fora dito a tarefa é impossível por questão da infinitude de deus mas também a conseqüência da finitude humana em decorrência da finitude humana há também a questão do ponto de partida do indivíduo todo indivíduo começa o esforço investigativo com algumas bases preliminares estas bases são consideradas com não precisando terem necessidade de apôio comprovatório pois são aceitas como premissas dadas e incontrovertidas as premissas com as quais cada indivíduo trabalha porém diferem de indivíduo a indivíduo especialmente deparando-se com culturas e cosmovisões diversas por causa do mesmo se 01-01-2006 ©copyright 2001 chrístopher byron harbin todos os direitos reservados p 2 de 35

[close]

p. 3

stbrs-pete 5.000 5.000 introdução à teologia sistemática pr chrístopher b harbin procurará aqui delinear algumas das premissas ou pressupostos do autor bem como algumas diretrizes hermenêuticas que serão aplicadas no trascurso deste estudo estas últimas são necessárias por causa da dependência no texto bíblico para a tarefa teológica à mão dar-se-á neste estudo todo cuidado para pesquisar as bases exegéticas para cada referência e apôio bíblico que vem sendo sugerido não será possível concluir esta tarefa mas no possível será feito o esforço adequado pressupostos teológicos segue uma lista parcial dos pressupostos interpretativos do autor desta obra É essencial em todo esforço interpretativo bíblico e teológico estabelecer o ponto de partida do intérprete esses pressupostos informarão o processo deste estudo bem como os seus resultados finais mesmo que seja a intenção do autor ajudar o leitor e aluno no processo de formar a sua própria teologia os seus pressupostos informam e guiam todo o processo não é possível colocar aqui todos os pressupostos do autor pelo simples fato do indivíduo não saber delinear todos os pressupostos com os quais trabalha muitos deles são ocultos demais para poder alistar conscientemente espera-se aqui poder colocar o mais claro possível o ponto de partida do autor os pressupostos teológicos deste autor incluem os da lista a seguir o autor pressupõe que o enfoque bíblico é por natureza teológico e deve ser lido dentro deste enfoque o texto bíblico é a fonte de autoridade para fé e prática princípio essencial dos batistas um texto deve ser lido dentro do seu próprio contexto procurando sua mensagem contextual1 somente depois de tratar o que um dado texto diz por si mesmo deve-se comparar sua mensagem com a de outro texto o pano de fundo veterotestamentário deve ser visto como fundamental à compreensão do novo testamento secundário em importância apenas a quaisquer alterações colocadas por jesus um texto difícil não deve receber o peso teológico dado a um texto claro em alguns casos a interpretação exata do texto bíblico não ficará clara mesmo com muito estudo detalhado o uso de comentários dicionários e outros livros é de ajuda no estudo de uma passagem porém deve sempre tomar lugar secundário ao estudo do texto bíblico por si mesmo.2 o tipo literário de uma passagem implica na sua interpretação apropriada quando se encontra um texto que aparentemente não apóia um conceito teológico o texto está sendo mal-interpretado ou o conceito teológico deve ser reformulado até que esteja conforme com a mensagem bíblica3 a teologia é um estudo sempre em andamento pois o homem é finito e não chega a um ponto de compreender plenamente o infinito o texto bíblico apresenta deus muito mais através do que faz do que por meio de descrições abstratas e proposicionais não se deve separar teologia do conceito de revelação pois é somente pela auto-revelação de deus que se pode conhecer a deus 1 2 veja kaiser taet 133 140 187 199 veja silva 171 3 veja harbin l esnbhi 17 01-01-2006 ©copyright 2001 chrístopher byron harbin todos os direitos reservados p 3 de 35

[close]

p. 4

stbrs-pete 5.000 5.000 introdução à teologia sistemática pr chrístopher b harbin não se deve forçar um conceito neotestamentário sobre um texto qualquer que não apresenta o mesmo ensino.4 não se deve forçar um texto bíblico dentro de um molde teológico.5 É importante lembrar que as traduções atuais da bíblia estão em geral baseados em tradições de traduções primitivas de homens bem intencionados mas que estavam apenas começando a estudar a bíblia e portanto deve-se sempre que possível recorrer às línguas originais a fé exige aceitar um compromisso com deus mesmo quando não se conhece plenamente todo aspecto das exigências do compromisso nem de antemão as respostas aos questionamentos teológicos.6 as perguntas essenciais a serem feitas ao texto bíblico são quem é deus quem sou eu e o que deus quer comigo a bíblia como base para a teologia como a bíblia será nosso livro texto mais imediato conforme estudos exegéticos de várias passagens certos comentários iniciais se fazem necessários grande parte das seguintes anotações provêm da apostila do mesmo autor com título teologia das narrativas estas anotações tem sido em pouco modificadas para inclusão no presente documento servem de um guia para o tratamento teológico do texto bíblico em sentido de uma hermenêutica apropriada o processo adequado para a leitura e o estudo do texto bíblico é de certa forma bem complexa mas o essencial é realmente ler o texto bíblico em sua integridade muitas vezes ajudas hermenêuticas e fatos referentes à história línguas e contextos sociais ajudam a apontar o leitor na direção certa para fazer uma boa exegese nada disso valerá a pena portanto se o leitor omitir uma leitura cuidadosa do próprio texto bíblico no final das contas o leitor tem a responsabilidade de averiguar todas as informações passadas à luz do próprio texto bíblico no campo da teologia nada é diferente deve-se ouvir e ler o que dizem os teólogos mas logo é necessário trazer tudo de volta frente à leitura do texto bíblico a bíblia deve ser tanto o ponto de partida do exercício teológico como também o ponto de retorno para verificar as conclusões obtidas devidamente grudem 2 trata de que a teologia sistemática se aproveita do estudo da teologia do antigo testamento da teologia do novo testamento e da teologia bíblica conseqüentemente tentando sistematizar o conteúdo detalhado a partir dessas disciplinas existe aqui portanto uma preocupação para assentar bem firme algumas considerações referentes a estas bases disciplinares na abordagem teológica da sistemática É expressamente necessário lembrar que o esforço da teologia sistemática deve depender do estudo criterioso do texto bíblico aproveitando bem as investigações exegéticas feitas sobre o texto bíblico É nesses termos portanto que se oferece aqui as seguintes colocações introdutórias em sentido de montar ou definir o guia hermenêutico a ser estabelecido e proposto É esta proposta hermenêutica que servirá de base para o esforço teológico decorrente espera-se chegar a ler o texto bíblico de acordo com as suas próprias normas sem forçá-la a se encaixar dentro de um padrão pré-estabelecido esse esforço porém deve ser avaliado em todo ponto 4 5 veja harbin l esnbhi 19 e kaiser taet 133 187 a teologia não deve reformular a escritura porém a exegese da escritura sim deve reformular a teologia neusner xii 6 veja scalise 17-18 01-01-2006 ©copyright 2001 chrístopher byron harbin todos os direitos reservados p 4 de 35

[close]

p. 5

stbrs-pete 5.000 5.000 introdução à teologia sistemática pr chrístopher b harbin pois havendo falhas em qualquer etapa da investigação o resultado final refletirá essas eventuais falhas metodológicas nas suas conclusões Ênfase teológica do texto bíblico ao olhar para a questão do uso da bíblia na teologia deve-se lembrar que o antigo testamento é indispensável para a teologia especialmente considerando a sua função de assentar o fundamento teológico dos autores do novo testamento o antigo testamento era a bíblia para jesus e os seus discípulos comumente citavam o antigo testamento para fornecer base para seus posicionamentos teológicos como destaque lembramos que livro de apocalipse tem mais referências e alusões ao antigo testamento do que contém versículos sem um estudo cuidadoso do antigo testamento muitas partes do novo testamento se tornam simplesmente incompreensíveis7 jesus reivindica ter vindo expressamente não para abolir a lei mas para cumpri-la8 a crítica maior de jesus lançado aos fariseus e saduceus não tinha a ver com a torá apelação dos judeus para o pentateuco comumente traduzido como lei mas tinha a ver com as suas tradições referentes à mesma estas tradições dos anciãos vinham anulando a torá conforme a perspectiva de jesus em resposta jesus dá uma nova ênfase e força à torá9 logo a instrução da lei é revigorada no ministério de jesus e ganha uma abrangência maior É proveitoso lembrar porém que a lei por si é forçosamente declarada como não sendo salvífica melhor tradução do termo hebraico torá hr t seria realmente instrução não lei pois a torá é a instrução de deus para que o homem conheça como deveria de viver10 desde gênesis o antigo testamento vem reivindicando que a salvação é pela fé mediante a graça já desde os dias de abrãao11 pela torá é dada a manifestação de como viver na condição de povo de yhwh pode-se afirmar que a religião do antigo testamento como um todo firma-se na fé na graça divina 12 será que esta história bíblica registrada pode ser a fonte de significado e unificação teológicos?13 a unidade [veterotestamentária é de uma fé contínua de que yhwh hwhy é o deus de israel que sua personalidade é tão real e viva como a do homem que o relacionamento entre a personalidade corporativa de israel e a pessoa divina é moral e que nenhuma outra divindade tem qualquer valor 14 kaiser afirma que é preciso fazer a exegese do texto individual à luz de uma teologia total do cânon porém para fazer isso é preciso primeiramente identificar um padrão normativo 15 identificar uma teologia total do cânon é um trabalho no mínimo difícil em extremo tem sido alegado até que uma teologia nem é apresentada no cânon do antigo testamento apenas idéias a exemplo joão 3.13-15 depende de compreender a passagem em números 21 à qual jesus faz referência o livro inteiro de hebreus não faz nenhum sentido se não houver uma compreensão da lei sacrifical do antigo testamento 8 mateus 5.17 9 mateus 15.1-9 e 5.27-28 10 houtman em woude 166 e lasor 3 11 gênesis 15.6 e romanos 4.3 12 robinson 31 13 kaiser tdat 27 14 robinson 36 15 kaiser tdat 8 01-01-2006 ©copyright 2001 chrístopher byron harbin todos os direitos reservados p 5 de 35 7

[close]

p. 6

stbrs-pete 5.000 5.000 introdução à teologia sistemática pr chrístopher b harbin religiosas isoladas porém não sistematizadas16 assim uma teologia abrangente especificada seria o produto de uma sistematização externa ao texto por outro ângulo de estudo sistemático do antigo testamento poderia-se apontar para o propósito básico das narrativas sendo este em tese a identificação e vontade de yhwh aquele que chamou o mundo para existir formou a humanidade17 e dentro dessa humanidade um povo particular18 por intermédio do qual procura revelar-se à humanidade por completo19 assim também pergunta-se referente à própria necessidade de uma sistematização temática para teologizar o texto do antigo testamento ao invés de empregar a estratégia da própria bíblia que organiza sua apresentação de acordo com os grandes atos reveladores de deus registrados para apreciação e reflexão teológica nas narrativas20 desta forma começa-se a perceber elementos de apreciação teológica em comum entre narrativas ainda que não um elo sistematizador ao padrão do ideal de kaiser É de lembrar que qualquer esforço teológico sistematizador sempre encontrará limites para sua formulação pois o homem não pode conter o infinito por razão dos seus próprios limites a teologia depende da revelação divina outorgada à humanidade para sua redenção quer seja teologia vetero ou neotestamentária a religião do antigo testamento é a seu modo uma religião de redenção tanto quanto a do novo testamento 21 a religião de israel descansava numa decisão voluntária que estabelecia uma relação ética entre o povo e seu deus por todo o tempo 22 tal incluia a vivência ética e moral do povo entre si livros como provérbios e eclesiastes têm como objetivo principal aplicar a moralidade e a justiça apresentada ao cotidiano prático possibilitando o fiel a viver segundo a instrução do criador foi esta intensidade moral então que mais do que qualquer outra coisa ergueu a religião de israel acima de todos os seus contemporâneos e lhe deu o poder para assimilar contribuições estrangeiras sem a perda de sua força e continuidade natural 23 em contraste aos povos ao seu redor apenas no culto hebreu existia o conceito de que todo o ritual do sacrifício permanece na circunferência da religião para o hebreu os rituais cúlticos expressos supremamente no ritual sacrifical contém em si apenas o significado de um símbolo 24 nem todos de israel compartilhavam deste conceito porém a idéia era tida pelos conhecedores de deus entre o povo coisa que noutras partes e noutros povos não existia por razão de seu desconhecimento d ele nas narrativas bíblicas identifica-se a yhwh o deus de israel como sendo o agente num evento histórico intimamente afetando o futuro de israel revelado e identificado não por uma elaboração proposicional sistemática mas através do seu agir entre o povo25 É esta identificação dos feitos de yhwh nos eventos relatados que forma algo da essência da inspiração do texto não o feito do texto relatar os acontecimentos descritos as narrativas interpretam a história da intervenção de yhwh na vida do seu povo É esta interpretação dos acontecimentos que tanto 16 17 davidson a 11 gênesis 1.26 2.7 5.1 18 gênesis 12.1-2 22.16-18 50.24 Êxodo 6.6-8 19 Êxodo 19.3-6 josué 2.9-11 20 harbin l tat1 12 21 robinson 32 22 budde citado em robinson 39 23 robinson 43 45-46 24 sellin citado em robinson 49 25 robinson 51 01-01-2006 ©copyright 2001 chrístopher byron harbin todos os direitos reservados p 6 de 35

[close]

p. 7

stbrs-pete 5.000 5.000 introdução à teologia sistemática pr chrístopher b harbin importa para o leitor do texto pois formam a impressão teológica canônica referente à identidade e às intenções de yhwh pressupõe-se a existência de deus no mundo dos antigos hebreus e seus povos vizinhos a questão é a identidade desse deus yhwh em particular26 assim o israelita chega à interpretação da história e eventualmente da natureza com uma fé axiomática27 em yhwh quando ele descobriu como comumente fazia que a sua idéia do caráter e da atitude de yhwh não explicava adequadamente o que acontecia ele tinha que revisar os conteúdos da própria idéia assim dando um passo para a frente no desenvolvimento religioso 28 não que essa revisão tenha sido feita a sós essa tal evolução ou reformulação teológica não é nem foi uma processo aleatório sem direcionamento em nada é um processo desvinculado à ação divina É o fruto da revelação de yhwh referente à sua própria identidade e ação no mundo os portavozes de yhwh anunciaram então a mensagem recebida aos poucos por revelação do criador assim anunciavam através de suas narrativas o que vinham aprendendo do caráter de yhwh mesmo sendo sua compreensão do revelador limitada a criatura simplesmente não pode compreender29 plenamente o criador sendo limitada por questão de sua própria finitude e incapacidade mesmo que o homem é limitado permanece que é o caráter de yhwh que brilha através das narrativas em contraste ao caráter dos deuses dos povos vizinhos30 aos poucos yhwh vinha se revelando mais e mais claramente através dos seus profetas mostrando-se ser ético pedindo muito além de meros sacrifícios uma retidão moral levando o povo a aceitar que os elohim yhla que o profeta chega a afirmar serem nada mais do que madeira31 não chegavam aos pés de yhwh imposições teológicas um problema a ser evitado no tratamento de textos bíblicos e no próprio desenvolvimento da teologia sistemática é o da imposição de posições teológicas ou doutrinárias sobre textos que por si não refletem o dado posicionamento É comum por exemplo procurar fundamentação em textos do antigo testamento para ensinar conceitos teológicos do novo testamento como a trindade de deus32 e o personagem de satanás deve ser o primeiro objetivo [interpretativo descobrir quais eram as perspectivas dos profetas e outros escritores do antigo testamento e tomar cuidado para não impor conceitos neotestamentários sobre tais perspectivas 33 kaiser dá um bom tratamento deste problema de imposição teológica citando falácias comuns que abusam de textos bíblicos34 o aspecto essencial da tarefa é de simplesmente deixar que o texto explique os princípios intencionados pelo seu autor e/ou redator em lugar do leitor procurar uma mensagem sobre cristo em todo texto veterotestamentário deveria procurar entender qual a intenção do narrador da passagem de outra forma o leitor estará fazendo davidson a 30-31 por fé axiomática entende-se uma fé que aceita sua fundamentação ser tão sólida que não necessita de explicação ou provas 28 robinson 54 29 colocar limites e definições que encerrem a identidade do estudado 30 lasor 23 31 isaías 37.19 32 calvino trata textos como gênesis 1 e isaías 6.3 como prova fraca e espúria para sustentar a doutrina da trindade sendo essa de caráter merecedor de melhor embasamento george 199 33 davidson a 11 34 kaiser taet 132 e 188-193 01-01-2006 ©copyright 2001 chrístopher byron harbin todos os direitos reservados p 7 de 35 27 26

[close]

p. 8

stbrs-pete 5.000 5.000 introdução à teologia sistemática pr chrístopher b harbin isegese impondo alguma perspectiva sobre o texto e aproveitando o texto meramente como pretexto de extrapolar o seu próprio pensamento a tarefa do intérprete bíblico é de encontrar a mensagem do autor do texto à mão para depois encontrar os princípios desta mensagem que se aplicam à sua própria vida ler e estudar o texto desta forma exige mais tempo e dedicação porém os resultados são também mais valiosos para o teólogo é indispensável que se leia o texto à sua própria luz procurando discernir entre o que o text declara e aquilo que o leitor quer que o texto diga esta tarefa é contínua pois todos trazemos pressupostos teológicos ao texto bíblico como exemplo não se deve procurar textos que ensinam uma perspectiva trina de deus quando se trata de textos do antigo testamento já antes de jesus conhecia-se a deus no sentido de pai tal aspecto divino na bíblia não vem a designar a deus em relação a deus filho como se entende popularmente hoje a designação de deus como pai era feita em termos de seu relacionamento com a humanidade ou povo escolhido foi jesus porém que esclareceu conceitos a respeito do espírito santo ou mais precisamente traduzido como espírito do santo ou sopro do santo para que se chegasse à compreensão do espírito em termos de ser a terceira pessoa da trindade jesus veio após a composição do antigo testamento o fato de ser jesus quem ensinou de forma concreta sobre o espírito santo limita o leitor a passagens do novo testamento que ensinam a respeito desta doutrina cristã em termos de ensino específico sobre a trindade pode-se encontrar passagens no antigo testamento que apóiam ou fornecem base para a doutrina mas não que a ensinem a revelação superior ensino específico referente ao espírito santo e ao filho veio em cristo jesus35 as bases para entender o conceito da trindade aparecem no antigo testamento porém a essência deste ensino veio somente em cristo imposições filosóficas É importante destacar a necessidade de deixar de lado considerações filosóficas que divergem da perspectiva hebraica por isso refere-se à forma de usar palavras na expressão de conceitos tais como verdade eternidade imortalidade vida matéria ciência perfeição etc a herança filosófica ocidental moderna tem muito mais vínculo com conceitos gregos do que com as cosmovisões hebraicas refletidas na bíblia a bíblia retrata a deus em termos relacionais assim o conceito bíblico é de que deveria se pensar em deus de forma relacional em vez de forma proposicional36 37 também os termos teológicos da bíblia giram mais em torno de tensões dinâmicas38 do que em posições estáticas as quais são mais comuns na atualidade uma cultura usa palavras para expressar conceitos porém os conceitos sendo expressos por palavras parecidas podem ser muito diferentes de uma cultura para outra a definição dos termos deve levar em consideração o conceito que o termo é usado para expressar logo o hebreu usava o termo coração para expressar o centro decisivo de sua vida o que se expressaria no 35 36 joão 14-16 levenson xxi 37 por proposicional entende-se que deus é estudado como um objeto em laboratório enquanto a forma relacional insiste na convivência da experiência vivida baseado no relacionamento e dependência assim yhwh não pode ser definido mas se revela àquele que o entrega sua vida em fé e dependência 38 tensiona-se os conceitos da justiça de deus com sua misericórdia sua bondade com sua severidade 01-01-2006 ©copyright 2001 chrístopher byron harbin todos os direitos reservados p 8 de 35

[close]

p. 9

stbrs-pete 5.000 5.000 introdução à teologia sistemática pr chrístopher b harbin brasil com o uso do termo mente em compensação no brasil se usaria o termo coração para expressar o centro emotivo da vida enquanto o hebreu normalmente expressaria o mesmo com o termo entranhas ou intestinos relacionado a essa diferenciação terminológica encontram-se conceitos que podem prevalecer numa cultura e nem existir noutra nos estados unidos tem-se aprendido que o termo espanhol mañana quer dizer amanhã porém o seu sentido real seria expresso melhormente em muitos casos por não hoje a dificuldade é que no inglês não existe um termo equivalente principalmente porque o tempo é avaliado e valorizado de forma divergente da forma hispânica destacam-se como exemplos de divergências filosóficas entre os hebreus e o tratamento geral do ocidente os pontos que seguem esta lista não tem pretenção de ser exaustiva porém serve como guia para a avaliação de distinções filosóficas o conceito hebraico de nada está mais ligado a expressões de desordem injustiça morte e enfermidade do que a um vácuo39 o conceito aristoteliano de perfeição estática e imutável contrasta com perspectivas bíblicas de um deus que sofre com a iniqüidade humana e responde a necessidades e contextos em mudança40 utiliza-se hoje muito o conceito grego da composição do homem em compartimentos de corpo alma e espírito enquanto o conceito hebraico trata do homem como uma unidade41 pensa-se na atualidade ocidental que oconceito da criação destaca o processo da origem da matéria e estrutura física do universo na perspectiva dos povos do oriente antigo o conceito destacava a ordenação de um cenário que pudesse sustentar a vida relacionado com essa diferença encontra-se o conflito entre a noção comum de o universo ser uma certa espécie de máquinaria autônoma e o conceito bíblico de o universo depender da contínua solicitude divina42 pesquisa científica sobre a origem do mundo retrata o conceito de uma estruturação mecânica do universo enquanto era visto pelos antigos como uma vitória após uma grande batalha contra os agentes do caos43 enquanto se pensa hoje em termos proposicionais como de deus ser eterno num sentido estático o pensamento hebraico o classificaria em termos de continuidade44 o texto bíblico revela comumente um conceito de criação dentro dos confins de uma situação de vida em contraste com o tratamento teórico e filosófico da norma atual45 muitos reivindicam a soberania absoluta do criador sobre a criação recalcitrante enquanto na bíblia tal seria uma declaração de fé uma perspectiva de confiança futurística em deus mesmo que a polêmica permaneça semiaberta46 a declaração bíblica de uma confiança no caráter e poder de deus é uma declaração de fé eu sei que o meu redentor vive 47 mencionada a preocupação com o problema de impor perspectivas científicas e filosóficas sobre o texto bíblico é importante ressaltar que o enfoque da interpretação do texto deve ser o de chegar a compreender a intenção do autor bíblico não se pode chegar a um texto com a mente vazia porém deveria se vigiar para não impor perspectivas alheias sobre o texto à mão esta é umatarefa árdua no mínimo porém muito valiosa 39 40 wenham g 15-16 e levenson xxi xxix levenson xxv 41 gênesis 2.7 42 levenson 12 43 ibid 69 44 harbin l re Êxodo 3 45 levenson 91 46 brueggemann 20-21 47 jó 19.25 01-01-2006 ©copyright 2001 chrístopher byron harbin todos os direitos reservados p 9 de 35

[close]

p. 10

stbrs-pete 5.000 5.000 introdução à teologia sistemática pr chrístopher b harbin tipo de linguagem outra forma comum de se impor noções estranhas sobre um texto deve-se à falha em desrespeitar o tipo de linguagem empregado pelo autor de uma narrativa interpreta-se uma parábola partindo do pressuposto de que não se trata da descrição de um evento histórico específico ninguém procura investigar a identidade e os eventos histórico-específicos do pai e os filhos da parábola de jesus sobre o filho perdido em lucas 15.11-32 não se procura as particularidades históricas pois entende-se claramente que não se trata da crônica de um evento específico mas a descrição de um evento genérico fictício que retrata uma verdade de forma parecida não se procura identificar o dono de uma ovelha e o rico da passagem de 2ª samuel 12.1-6 davi até entendeu que a descrição do profeta era uma descrição histórica precisa tal interpretação dada por davi foi um erro de interpretação da parábola do profeta o profeta aparentemente até queria que davi interpretasse mal a parábola porém estava junto para oferecer a explicação ao rei no momento do erro interpretativo no caso a parábola tinha o propósito de revelar a qualidade do erro do próprio rei se davi houvesse interpretado corretamente a parábola teria dito ao profeta já no versículo seis o que farei agora que cometi tamanho erro e ainda mais está morto o dono da ovelha ou teria mesmo ignorado o discurso por sentir-se acima da reprovação do profeta houve porém uma falha de interpretação por não reconhecer o tipo de liguagem empregada pelo profeta neste caso a falha interpretativa foi intencionada pelo próprio profeta para efeito de convicção que causaria no entanto esse problema pode suceder também ao intérprete do texto bíblico na atualidade se o intérprete não perceber o tipo de linguagem empregada pelo autor do texto pode chegar a distorcer a intenção e a mensagem do texto normalmente uma leitura cuidadosa já indica para o leitor o tipo de linguagem que está sendo empregada mas nem sempre isso é tão óbvio por causa das próprias expectativas do intérprete em Êxodo capítulo doze espera-se pelo contexto uma continuação da linguagem descritiva que vem sendo empregada desde o capítulo primeiro espera-se ver no capítulo uma crônica dos acontecimentos da noite da primeira celebração da páscoa se o leitor ler com cuidado porém perceberá que o tipo de linguagem sofre uma modificação da crônica histórica no versículo 10 fala-se de não deixar a carne do cordeiro ficar até a manhã mas deveria-se esperar uma crônica dos eventos da noite na qual o povo saiu do egito à meia-noite o versículo 15 trata de o povo não poder comer pão com fermento sob a pena de ser cortado de israel israel ainda não existia e o povo ainda estava no egito entende-se também que a ordem para comer pão não levedado por sete dias remontava à experiência da fuga corrida quando não havia tempo para que a massa do pão crescesse antes de assá-lo fica claro portanto que um texto foi inserido dentro da descrição histórica do evento que espera-se encontrar neste capítulo Êxodo 12.1-20 muda o tipo de linguagem empregaao mesmo que não ofereça um alerta ao leitor referente à mudança inserida aqui encontra-se a descrição da fórmula da celebração do povo de israel referente à sua participação no memorial do evento referido atuando como comentário oferecido em conjunto com a descrição histórica encontrase então um texto litúrgico no meio de uma descrição histórica48 no versículo 21 o texto retoma a narrativa crônica do evento o texto sofrendo outra modificação no tipo de linguagem a intenção do autor não era criar confusão mas de ligar a prática ritual da celebração ao fato 48 durham 158 01-01-2006 ©copyright 2001 chrístopher byron harbin todos os direitos reservados p 10 de 35

[close]

p. 11

stbrs-pete 5.000 5.000 introdução à teologia sistemática pr chrístopher b harbin histórico para o qual aponta respeitando o tipo de linguagem empregada vê-se a intenção do autor e a interpretação devida é clarificada É comum encontrar linguagem figurada ou simbólica que apresenta uma verdade comunica mesmo que a forma de expressão fuja de padrões normativos não há confusão desde que se compreende que a linguagem empregada não pretende comunicar de forma literal um anúncio no jornal leva a foto de uma jovem que tem um cabo paralelo fixado na testa o anúncio trás junto com a foto as palavras ulbranet ligue-se já 49 outro anúncio no jornal mostra um gafanhoto arrancando uma mordida de uma peça metálica automotriz com a frase cuidado com a peça bichada 50 outra página mostra um carro esportivo saindo de dentro de uma tela de computador com o título caia na rede 51 nenhuma destas frases comunica por meio de uma interpretação literal das palavras mas em associação com usos figurativos dos termos conhecendo o contexto a mensagem pode tornar-se clara desde que se respeite a classificação literária anúncio publicitário e o sentido figurativo das palavras empregadas uma boa leitura bíblica deve respeitar as mesmas questões descritas acima para que se possa apreciar o sentido intencionado pelo narrador do texto há que discernir entre linguagem poética ironia crônica e parábola para cada qual deve-se aplicar sua interpretação apropriada o problema maior no contexto bíblico é de delinear o tipo de linguagem e estilo literário sendo aplicado os compositores bíblicos utilizavam de muitas formas literárias na sua linguagem escrita algumas destas formas encontradas na bíblia são até únicas o que reforça o cuidado necessário para que se respeite o estilo e tipo de linguagem a cada ponto não se pode fazer este estudo cuidadoso com uma leitura corrida pois o texto exige certa cautela e esforço para uma boa compreensão estilo literário uma área de estudo bíblico que vem sendo até então pouco visto é a análise dos estilos literários empregados na literatura bíblica certas definições são claras e vem sendo respeitadas É fácil definir entre poesias narrativas discursos sermões visões e literatura apocalíptica por outro lado muitos textos bíblicos utilizam de várias formas literárias sem necessariamente avisar o leitor de uma mudança de estilo a dificuldade de definir e respeitar o estilo literário é ainda mais severa quando se depara com o texto em tradução por norma bem arraigada encontra-se o texto bíblico em português dividido por versículos nem ao menos respeitando limites de parágrafos ou versos poéticos tal dificulta para que o leitor lembre que o texto é mais do que uma coletânea de frases em lugar de ler passagens completas o leitor é estimulado a ler apenas frases incompletas divorciadas do seu contexto imediato e desligado de qualquer função literária maior tratando o texto a partir das línguas originais hebraico aramaico e grego deve-se lembrar que a forma escrita do texto bíblico originalmente nem ao menos fazia distinção entre as palavras 49 50 zero hora v 12 zero hora sr 3 51 zero hora sr 1 01-01-2006 ©copyright 2001 chrístopher byron harbin todos os direitos reservados p 11 de 35

[close]

p. 12

stbrs-pete 5.000 5.000 introdução à teologia sistemática pr chrístopher b harbin todootextoeraescritodeformacorridaemletrasmaiÚsculassempontu aÇÃoouacentuaçÃogrÄficaenemmemsocomespaÇoentreaspalavrasdo texto o povo que escrevia e lia textos nesta forma sabia apreciar as diferenças estilísticas sem necessidade de se apoiar nas diferenciações escritas que se utiliza hoje como norma para o leitor atual no entanto a forma escrita original mesmo que transmitido por outras formas de escrita dificulta ainda mais para que o leitor defina com precisão o estilo literário que está sendo empregado em alguma dada passagem isso porque há brechas entre a recepção de textos e as inferências estilísticas antigamente passadas de forma oral a razão que o estilo literário deve ser respeitada tem vínculo com o tipo de linguagem esperamos uma linguagem mais figurada e meno literal quando se trata de verso poético visão profética ou apocalíptica espera-se algo mais literal em passagens legislativas ou crônicas históricas em certos casos no entanto o texto bíblico insere um estilo dentro de outro utilizando-se de uma mudança verbal para ajudar o leitor fazer a distinção de estilo o modo de diferenciar estas modificações de estilo nem sempre tem sido bem transmitido no processo de tradução do texto como exemplo pode-se ver a passagem acima mencionada de Êxodo 12 em meio à crônica histórica encontra-se um comentário a respeito da forma adequada de celebrar o pêssach também no livro de jó encontra-se um prefácio e uma conclusão em prosa sendo a maior parte do livro poética outras passagens bíblicas são até únicas em termos de estilo literário52 o qual complica o esforço exegético para definir o sentido e a forma de emprego das palavras em uso o estilo literário de um texto define certas características e espectativas essenciais para a sua compreensão e interpretação correta o estilo ajuda o leitor a ver o que está fora da norma no texto lido na maioria dos casos da leitura normal este processo é feito sem qualquer esforço pois já se conhece o tipo literário antes de começaralerum texto se um texto começar com a frase era uma vez já se sabe que o que se segue não é uma crônica histórica mas um conto da imaginativo assim as marcações do estilo ajudam o leitor a saber como interpretar o texto que segue neste caso não de forma literal mas por analogias ou similitudes de formas de agir que se possam assemelhar às necessidades e a vivência do quotidiano do indivíduo procura-se em tal texto ver que aspectos se assemelham à vivência individual para então extrair alguma lição pessoal mas nunca para asseverar e identificar comprecisão todos os fatos históricos e detalhes científicos contidos na narrativa de modo igual quando jesus diz o reino é semelhante a já não se espera ouvir a seguir o registro de um fato histórico nem uma profecia futurística o que se espera ouvir uma parábola ou uma similitude da qual extrair uma comparação entre o relato de jesus e algum aspecto do vida no reino de deus quando um texto começa com esta é agenealogia de muitos leitores simplesmente pulam para outra porção de texto sem ler a passagem referida fazem assimpor causa de seu reconhecimento dos marcadores estilísticos para listas de genealogias e estas listas não são de seu interesse literário geralmente estas pessoas preferem ler um texto que começa com uma frase como paulo servo de jesus cristo aos santos em pois com esta frase sabem que trata de uma epístola de paulo frases como essas servem como marcadores estilísticos que ajudam o leitor a apreciar de modo digno a forma literária do texto a seguir nem sempre os marcadores estilísticos são tão óbvios 52 a exemplo gênesis 2e 3 são bem distintos do resto do relato bíblico e não tem antecedentes na literatura dos povos vizinhos de israel 01-01-2006 ©copyright 2001 chrístopher byron harbin todos os direitos reservados p 12 de 35

[close]

p. 13

stbrs-pete 5.000 5.000 introdução à teologia sistemática pr chrístopher b harbin mas são importantes para uma boa compreensão e interpretação do texto em decorrência do seu estilo versos poéticos tem mais licença para fugir de padrões de interpretação literal do que a prosa geralmente recebe há no entantodiferentes tipose estilosdeprosa um texto em prosa pode conter ironias cuja presença afeta em muito a interpretação de uma passagem ou frase outro texto em prosa pode ser uma crônica histórica e outro um sermão dentro de uma passagememprosa pode-se encontrar uma porção de verso poético que interrompe o estilo em uso53 olhando cuidadosamento para o estilo literário sendo empregado tem-se um melhor posicionamento para a interpretação digna de uma passagem limitações do leitor em certos casos o leitor encontrará no texto da narrativa bíblica uma palavra uma frase ou um conceito que não é esclarecido pelo contexto e não se encaixa dentro do referencial do leitor É necessário lembrar que a leitura do texto e sua interpretação devida não é um processo de pesquisa científica que sempre dará respostas de pronta entrega o leitor terá que viver com certas dúvidas referentes a certas passagens reconhecendo as suas próprias limitações de interpretação não existe caixa tamanha para conter deus nem um molde de fabricação humana no qual cada texto bíblico se encaixe perfeitamente como exemplo a compreensão da incarnação de yhwh em jesus cristo excede a compreensão humana o gráfico a seguir pode ser de ajuda em compreender o mistério mas não fará justiça ao mistério da incarnação divina.54 ao encontrar um texto difícil a responsabilidade de fazer uma leitura criteriosa do texto aumenta aumenta também a necessidade do leitor apoiar-se em deus em meio à falta de compreensão deus não muda porém a interpretação humana do texto pode mudar através do em Êxodo 15.1-22 o texto em prosa é interrompido duas vezes com porções de versos poéticos deus em cristo jesus entra na linha de espaço e tempo tornando-se igual ao homem porém deus ao mesmo tempo transcende as limitações de espaço e tempo É algo semelhante porém além do exemplo de uma linha unidimensional que passa por meio de um plano bi-dimensional o ponto de interseção pertence ambos à linha e ao plano porém a linha é finita demais para em qualquer momento conter tudo que é o plano o infinito não cabe no finito como duas dimensões não podem ser contidas numa só 01-01-2006 ©copyright 2001 chrístopher byron harbin todos os direitos reservados p 13 de 35 54 53

[close]

p. 14

stbrs-pete 5.000 5.000 introdução à teologia sistemática pr chrístopher b harbin estudo e da iluminação divina por outro lado a bíblia indica55 que nem tudo está ao alcance da sabedoria humana deus não se preocupa em responder todas as dúvidas e perguntas do homem pois nem todas são de interesse real a curiosidade humana em si não é má pois é por meio dela que se aprende não é lícito porém exigir respostas referentes às curiosidades antes de aceitar o que o texto ensina claramente o homem é responsável pelo que conhece e a convocação divina exige compromisso com deus desde o chamado à obediência sem importar a compreensão ou falta de compreensão dos detalhes.56 É bom lembrar também que a revelação bíblica tem origem na limitação humana para compreender o criador e sua vontade se o homem tivesse pleno conhecimento a revelação bíblica não teria sido necesário por causa da incapacidade do ser humano para compreender o infinito é que yhwh se revelou logo o homem deve lembrar-se de suas limitações ao aproximar-se para interpretar a revelação divina em termos de revelação o leitor é limitado primeiramente ao texto bíblico a bíblia é a regra de fé e prática isso não quer dizer que todos concordarão na interpretação devida de uma dada passagem quando um texto apresenta dificuldades interpretativas o leitor responsável estuda com mais cuidado e usa cautela referente às suas conclusões interpretativas o texto claro sempre deve ter mais peso de que o texto enigmático de difícil interpretaçao porém nem sempre se terá uma conclusão definitiva sobre um texto difícil o próprio apóstolo paulo disse que agora conhecemos em parte 57 o enfoque então deve sempre cair sobre a mensagem clara do texto não sobre assim chamadas mensagens escondidas segundo disse um aluno do programa de educação teológica por extensão se o texto não diz não inventa 58 permanece então a necessidade de procurar com diligência a mensagem originalmente intencionada dos autores bíblicos para que possa então ser aplicado também ao contexto atual na teologia este conceito reflete a necessidade de uma pesquisa intensa referente ao ensino bíblico que fornece sustentação para todo aspecto da sistematização e do ensino proposto não se deve sustentar uma posição teológica de creatio ex nihilo com base em gênesis capítulo 1,pois a passagem não sustenta o ensino da mesma forma ensino sobre a imortalidade vem com o novo testamento não desde o antigo tais distinções devem ser feitas para que o teologizador e sistematizador tenha base bíblica mais coerente na sua proposta e no seu ensino teológico natureza e propósito da teologia sistemática algo já se tem dito referente à natureza e o propósito da teologia sistemática aqui se limitará a alguns comentários abreviados como grudem aborda em sua introdução o propósito da sistemática é de tratar todos os temas necessários por ordem de forma organizada expressamente para tratar toda temática necessária59 já se mencionou as dificuldades para fazer tal abordagem temática com base em textos bíblicos que não seguem o mesmo tipo de sistema organizacional 55 56 veja no livro de jó as perguntas que deus faz para ele 38.2-41.34 há também indícios de que o homem é responsabilizado por coisas que não compreende pois é sua responsabilidade compreendê-las em lucas 24.25-26 jesus demonstra que os discípulos deveriam ter compreendido e aceito a palavra dos profetas deuteronômio 11.16-22 indica que o povo de israel deveria memorizar toda a lei de yhwh para poder cumpri-la na sua íntegra e assim herdar a terra prometida não havia espaço para alegar falta de conhecimento 57 1ª coríntios 13.12 58 alunos pete 59 grudem 2 01-01-2006 ©copyright 2001 chrístopher byron harbin todos os direitos reservados p 14 de 35

[close]

p. 15

stbrs-pete 5.000 5.000 introdução à teologia sistemática pr chrístopher b harbin mesmo assim propõe-se a procurar oferecer uma sistematização do ensino bíblico global para ajudar o interessado a ter conhecimento mais pleno do ensino teológico da bíblia além da dificuldade em sistematizar o ensino bíblico o desafío deste estudo será de abordar os assuntos normalmente elabordados de perspectivas norteamericanas e européias de tal forma que respondam também às preocupações do povo brasileiro cada cultura e contexto tem as suas próprias preocupações teológicas e uma apresentação e estudo da teologia deve de responder a estas preocupações não é suficiente saber como indivíduos no passado interpretaram e aplicaram certos ensinos bíblicos pois o contexto vivido a cada época e espaço cultural e geográfico tras as seus próprios interesses e questionamentos que precisam de resposta o propósito do estudo da teologia é de fornecer um alicerce para a fé e prática no cotidiano de certo a teologia se faz diariamente pois o termo realmente quer dizer palavras sobre deus seja estudo sobre deus há muitas palavras ditas sobre deus no dia-a-dia e na maioria dos casos estas conversas faltam fundamento bíblico firme o estudo teológico tem como função assentar com mais precisão as declarações e posicionamentos teológicos que se faz no dia-a-dia como também para corrigir os erros que se faz no fundamentar práticas opiniões e decisões tanto no secular como no religioso quando se estuda a teologia faz-se ao mesmo tempo um estudo doutrinário pois a doutrina é parceira e complemento do estudo teológico a teologia pretende olhar os parâmetros dentre os quais existe decisões de posicionamentos a serem tomados na teologia espera-se fornecer a base para um diálogo entre posições divergentes abrindo e definindo limites aceitáveis para posicionamentos doutrinários específicos doutrina quer dizer ensino e refere-se àquilo que se aproveita do estudo teológico para ensinar como declaração de posicionamento sobre a verdade a ser repassada a outrem deve-se lembrar nesta etapa do ensino a respeitar os parâmetros estabelecidos no estudo teológico ao repassar as conclusões teológicos ou doutrinários lembra-se ao leitor que em certos casos não é possível tomar uma posição com segurança absoluta gostaria-se de poder alistar com precisão milimétrica toda definição detalhada para posicionamento seguro em cada área do estudo a ser feito não é possível chegar a este ponto pois o ser humano é limitado demais em poder definir aquilo que é além de si chega-se também a um ponto a partir do qual é simplesmente necessário depender de deus e confiar pois a fé é o relacionamento compromissório em cristo perante o qual se depende na provisão de deus o olho humano não enxerga além de um certo ponto em parte isso serve de lembrete da necessidade de uma entrega de confiança em deus lembra-se no trascurso do estudo teológico que ao investigar o texto bíblico para acertar com maior nitidez a compreensão de deus o fator de importância suprema é em quem crer e menos o aspecto de em que crer dito isso é importante o aspecto de saber a verdade referente a deus bem como os demais temas teológicos o enfoque no entanto deve ser em relação a conhecer a deus e confiar mesmo quando não se pode acertar com precisão todo detalhe de especificar as verdades que devem ser aceitas o essencial a ser declarado na teologia está clara partindo de um estudo bíblico coerente há detalhes porém que estão fora do alcance de uma definição humana há aspectos doutrinários sobre os quais não há consenso mesmo entre estudiosos membros de uma mesma denominação nestes casos a definição de verdades deve ser aceita como propostas para consideração e não como definições absolutas no campo evangélico atual há divergências pleiteadas que partem de definições concernentes à inspiração bíblica dependendo do posicionamento feito sobre definições da inspiração bíblica é 01-01-2006 ©copyright 2001 chrístopher byron harbin todos os direitos reservados p 15 de 35

[close]

Comments

no comments yet