F&N #138

 

Embed or link this publication

Popular Pages


p. 1



[close]

p. 2

c m y cm my cy cmy k

[close]

p. 3

figuras&negócios nº 138 junho 2013 1

[close]

p. 4

lbino malungo acredita que no decorrer deste ano com a realização da comissão mista angola-coreia do sul se possa detador para se tirar maior partido da cooperação entre os dois países malungo é o embaixador de angola na coreia do sul ja foi ministro e conhece as potencialidades daquele país asiático daí que desenha um cenário onde os anvantagens de uma cooperação que se enraíze no conhecimento de ambas as realidades angola como se sabe sara as cicatrizes de uma guerra de destruição feroz tem riquezas naturais por explorar e a coreia do sul é uma potência mundial que também emergiu após uma guerra avassaladora o seu maior trunfo é o capital humano consequência de uma aposta forte e decidida que fez no homem priorizando a educação se na coreia os angolanos que ainda são um número muito reduzido vendem a imagem de angola através da dança mormente ensinando os coreanos a dançar kizomba quem se prepara para levar a imagem de angola bem longe é a actual miss angola valmara rebelo que vai participar no miss universo bonita e elegante ela acredita nas suas potencialidades mas para isso sabe que não pode descuidar a preparação uma tarefa que faz com esmero e dedicação abordamos nesta edição a questão da infertilidade um assunto sério que a carta do editor preocupa a juventude angolana e que que fomos à procura de vozes abalizadas na matéria para explicar as causas desse problema que pode ser superado desde que tratado com acompanhamento médico no brasil jogou-se a taça de confederações em futebol como aperitivo para o mundial do próximo ano mas as atenções estiveram viradas para as manifestações de rua que se generalizaram em todo o país pondo em causa a estabilidade e o governo de dilma rousseff o povo não quer mais atitudes passivas contra a corrupção que atinge números assustadores e reclama uma maior e melhor distribuição da riqueza nacional um ponto que mereceu a concordância da presidente que diante dos seus ministros referiu ser altura de se solicitar a realização de um referendo nacional que autorize reformas no sistema político brasileiro com acontecimentos de cariz importante a terem lugar este e no próximo ano o brasil não pode adormecer em falinhas mansas tem de agir para que a segurança dos seus e de todos aqueles que se deslocarem ao país esteja assegurado e isso não se compadece com manifestações algumas das quais tiveram carácter violento e que levaram a destruição de instituições públicas originou mortos e feridos quem chora porque não marcará com a sua equipa nacional de futebol presença no mundial do brasil do próximo ano é angola uma punição merecida porque várias vezes avisados os responsáveis do futebol nunca se preocuparam em fazer correctamente os deveres de casa e quando assim acontece os resultados não podem ser animadores assunto de destaque também nesta edição é a criminalidade no país que nos ultimos dias conheceu níveis preocupantes a polícia nacional tranquiliza a população de que a situação está sob controle mas nunca é demais referir que o crime ganha espaço quando se degrada as condições sociais das populações,quando aumenta o fosso entre os que têm muito e os que têm pouco por outro lado é preciso sublinhar que o éxito no combate à criminalidade exige uma colaboração efectiva da polícia nacional e população e a sociedade no seu todo tem de participar para que se respire em todo o território nacional paz e harmonia.uma harmonia que no plano internacional ainda não se encontra sobretudo do ponto de vista económico porque os cordões da crise apertam na europa junho é o mês dedicado às crianças em torno e por causa delas uma série de actividades foram levadas à cabo falta fazer muito para que a maioria das crianto de podere estudar sem sobressaltos ainda é evidente em algumas províncias a utilização da mão de obra infantil uma prática que choca com todos os ditames proclamados internacionalmente em defesa da criança mais do que assinalar o mês com festividades de comes e bebes rialize sempre o lema que quantas vezes recordamos dar a criança tudo o que ela merece boa leitura 2 figuras&negócios nº 138 junho 2013

[close]

p. 5

figuras&negócios nº 138 junho 2013 3

[close]

p. 6

7 editorial um tributo a mandela leitores 14 passou-se um certificado de incompetÊncia aos jornalistas angolanos ponto de ordem 17 olhar para a juventude 18 paÍs luanda exige sonhos mais tranquilo 24 figura do mÊs a histÓria de um herÓi comunitÁrio 28 figuras de lÁ 34 cultura artes plÁsticas angolanas brilham na bienal de veneza 39 mundo real nÓs e o mundo 40 sociedade como posso ter filhos 56 polÍtica cartas por baralhar na sucessÃo de eduardo dos santos 62 economia negÓcios competitividade econÓmica internacional 67 em directo encontro histÓrico 76 mundo grÉcia treme e portugal conclui avaliaÇÃo 10 pÁgina aberta temos que redefinir o quadro para a cooperaÇÃo com a coreia do sul reportagem 46 as barreiras para a uniÃo 84 moda e beleza acredito nas minhas potencialidades para o miss mundo 88 tecnologia À medida dos seus desejos 94 vida social capa bernando gumerrez 4 figuras&negócios nº 138 junho 2013

[close]

p. 7

África 70 os negÓcios da fome desporto 100 figuras de lÁ 82 publicação mensal de economia negócios e sociedade ano 13 n º 138 junho ­ 2013 n º de registo 13/b/97 director geral victor aleixo redacção carlos miranda sebastião félix venceslau mateus suzana mendes júlia mbumba e norberto costa nsimba george e adão tenda colaboradores juliana evangelista crisa santos rita simões joão barbosa e shift digital portugal wallace nunes brasil design e paginação humberto zage e sebastião miguel publicidade paulo medina chefe nádia coelho teresa brito portugal secretariado e assinaturas katila garcia revisão baptista neto distribuição e assinaturas portugal logista portugal distribuição de publicações s a Área industrial do passil lote 1 a palhavã 2894-002 alcochete londres diogo júnior e16-1ld tel 00447944096312 tlm 07752619551 email todiogojr@hotmail.com brasil wallace nunes móvel 55 11 9522-1373 e-mail nunewallace@gmail.com cor acabada lda tiragem 10.000 exemplares direcção e redacção edifício mutamba-luanda 2º andar porta s tel 222 397 185 222 335 866 fax 222 393 020 caixa postal 6375 e-mails artimagem@snet.co.ao site angola cai mas ferrÍn continua 104 recado social bajuladores sem preÇo e respeitabilidade figuras&negócios nº 138 junho 2013 5

[close]

p. 8

6 figuras&negócios nº 138 junho 2013

[close]

p. 9

um tributo À mandela n editorial o momento em que fechavamos esta edição nelson mandela o líder histórico da África do sul 94 anos ainda se recuperava no hospital de uma maleita que o deixou durante alguns dias em estado grave carismático e com uma folha de serviço relevante quer pela libertação do seu país das garras do apartheid como da libertação de África e consequentemente de um mundo mais justo nelson razão porque a sua saúde preocupa todo mundo por isso não foi surpresa a notícia de todos se mobilizarem e sensibilizados acompanharem a evolução do seu estado de saúde e quantas rezas os crentes presente entre nós para não esquecermos a sua obra a sua dedicação o seu empenho para com causas justas natureza humana e temos de pensar que mandela um dia vai deixar o mundo dos vivos com um percurso de luta pela liberdade do seu povo mandela viu amputada grande parte da sua juventude por uma prisão decretada pelo regime mais hediondo de então o apartheid.foram mais de 30 anos enclausurados que debilitaram a sua saúde um factor que pesou quando em liberdade para não dar durante anos o empenho necessário para se apagar as cicatrizes da segregação racial que a África do sul viveu mas mandela governou como presidente do seu país o tempo suestadista clarividente admirado pela sua visão na análise global dos problemas que próprio um dos líderes mais respeitados e admirados do mundo mandela deixou de do não só pelo que fez em torno do dia a dia da governação no seu país mas pela compreensão abrangente dos fenómenos mundiais que afectam a humanidade e elegeu sempre o diálogo como a via ideal para vencer barreiras por isso criou amigos muitíssimos em todos os pontos do mundo uns conhecidos publicamente mas a maioria invisível que continuam a adorá-lo a reverenciá-lo sobretudo quando se constata que hoje carecemos de líderes com esta visão abrangente que mandela vai deixar como marca registada um dia quando partir do mundo dos vivos olha-se para todos os cantos sente-se rapidamente o aperto da guerra que renasce na síria o país é devastado por um confronto entre os homens em várias partes de África também fruto de ambição desmedida dos homens da falta do diálogo que as regras da democracia que se implantou impõe o continente não respira paz e por isso mesmo atrasa em delinear as linhas do desenvolvimento na europa a ganância dos ricos e o egoismo na leitura dos factos políticos económicos e sociais abafa as soluções para uma crise que cria revoltas e manifestações populares violenguerra é nessas alturas que mais se nota a crise de liderança que permite recordar que se o tempo pudesse voltar atrás mandela seria o homem o político ideal para cultivar a nova ordem mundial onde se respeitariam as diferenças de opinião e as atenções estariam todas viradas para a luta contra a pobreza contra a discriminação feminina pela atenção permanente aos jovens para melhor se prepararem para as responsabilidades futuras tudo em prol da paz dessa e o melhor e maior tributo que se lhe pode prestar todos os cidadãos do mundo é de nunca esquecermos o seu exemplo de luta de combate como cidadão como político como líder africano que atravessou fronteiras e se internacionalizou nelson mandela merece a nossa homenagem figuras&negócios nº 138 junho 2013 7

[close]

p. 10

8 figuras&negócios nº 138 junho 2013

[close]

p. 11

figuras&negócios nº 138 junho 2013 9

[close]

p. 12

pÁgina aberta embaixador de angola na república da coreia do sul albino malungo defende que o nosso país tem de saber to de uma cooperação multifacetada com aquele país asiático ele destaca as potencialidades da coreia cujo passado de luta se assemelha a angola e hoje como potência mundial pode jogar um papel destacável na recuperação das nossas infra-estruturas para tanto defende vontade política da parte dos angolanos e adianta que o novo quadro pode ser criado este ano por ocasião da comissão mista entre os dois países albino malungo fala do diferendo entre as duas coreias está próxima mas descarta a hipótese de qualquer guerra na região a diplomacia vai jogar sempre um papel determinante acredita o homem que há um ano se tornou no primeiro embaixador plenipotenciário de angola na coreia do sul com um percurso político que já o levou a ocupar o cargo de vice-ministro e posteriormente ministro da reinserção social embaixador de angola no japão governador provincial do huambo e agora embaixador na coreia do sul albino malungo é diplomata de carreira por isso mesmo sente-se hoje como um peixe dentro da água entrevista conduzida por victor aleixo fotos f&n relação multifacética entre angola e a coreia do sul albino malungo am quer dizer o quadro político geral sim há uma vontade política muito forte de um lado e do outro ainda ontem falei com o ministro das relações exteriores da coreia do sul e ele garantiu-me que angola está na agenda do seu país quanto à cooperação nós também quando o presidente da república decide mandar abrir a embaixada de angola na coreia do sul entendemos que é fruto de uma decisão acertada duas coisas no domínio diplomático tratégia com a china como sabe o século xix pertenceu aos ingleses o xx aos americanos com essa questão dos direitos humanos democrática etc mas o século xxi é da china por isso acho que se não há essa decisão estratégica do governo angolano quanto a china talvez tivessemos que críticam a amizade de angola com a china queriam hoje fazer outras criticas para mim f iguras&negócios f&nsenhor embaixador esta eliminação dos vistos nos passaportes diplomáticos e de serviços nas viagens entre os dois países é um sinal de embaixador albino malungo temos que redefinir para a cooperaÇÃo c 10 figuras&negócios nº 138 junho 2013

[close]

p. 13

pÁgina aberta esta decisão foi estratégica lidar com à china é lidar com o futuro e imediatamente a china eu coloco a coreia do sul que é um país com uma experiência histórica muito parecida a nossa foi colonizada com violência humilhação e hoje está no quadro das grandes economias do mundo e tem muito mas tudo para dar a angola existe actualmente cerca de 56 empresas coreanas de pequena monta em angola para mim isso é bom porque angola não precisa das grandes empresas angola precisa de muitas pequenas empresas capazes de criar mais valias no mercado angolano f&n mas já existe uma estratégia para a cooperação entre os dois países ou o que há é fruto de ideias soltas do embaixador albino malungo am há um memorando de entendimento entre angola e a coreia e há uma agenda haverá uma comissão mista ainda este ano para refazer a agenda nós precisamos urgente da presidente park a África angola será incluída prioridades qual o sector que privilegiaria am nós temos cooperado com a coreia do sul já no domínio do sector petrolífero e para mim a área da petroquímica seria importantissíma tudo o que é relativo a infra-estruturas-estradas pontes etc também no domínio da formação de quadros educação ciência e tecnologia são oportunidades a não se descurar so presa coreana que lidera a cooperação no domínio das pescas que é a interburgo,há um projecto para a polícia do reforço da organização institucional há a formação de um centro de tecnologia avançada que está praticamente em execução a coreia do sul quer entrar no política de exploração mineira e quer nido o quadro da entrada da coreia do sul na produção do algodão no kuanza sul tudo que é recuperação da indústria têxtil há uma parceria entre angola coreia e japão f&n nesse aspecto da entrada do japão não há o risco de se vir a ter um problema de ciumes entre a coreia e o japão am absolutamente não aliás eu tenho sorte de enquanto embaixador de angola no japão e cumprindo orientações superiores ter mobilizado as empresas japonesas que e essas empresas vieram buscar a parceria coreana eu trouxe ao japão e a coreia o ministro da indústria do cipadamente esta triangulação por isso não há qualquer concorrência,é apenas uma parceria triangular e é uma parte dessa cooperação entre a coreia e o japão f&n e no domínio da educação a cooperação hoje cinge-se apenas ao sector estatal ou ela é mais abrangente atendendo as potencialidades da coreia do sul am angola tem dado passos nio da educação mormente de universidades e a coreia do sul está disponível para dar apoio institucional na formação de quadros formação de formadores já existe uns passos nós precisamos urgentesa estratégia para com a coreia que não temos eu penso que o ministério das relações exteriores está bem claro o ministro chicoty esteve cá e acredito que na próxima comissão mista nós teremos o quadro muito para com a coreia que não temos eu penso que o ministério das relações exteriores está bem claro o ministro chicoty esteve cá e acredito que na próxima comissão mista nós teremos coreia para nós é prioritário no domínio da educação no domínio energético no domínio das infra-estruturas penso que a experiência com a china também pode ser utilizada aquí com a coreia do sul que está disponível o mais importante é que angola tenha vontade política e a coreia do sul está disponível eles vêem angola no quadro dos quatro ou cinco países africanos que acham estratégico o seu interesse na cooperação e estou mesmo a crer que na próxima visita bretudo quando se olha para o lugar que este país conseguiu no sector da educação e ensino este país tem mais de 400 universidades eles formam mais doutorados que qualquer outro país no mundo tendo em atenção o número de habitantes portanto a coreia do sul seria importante no domínio da reconstrução e é nesse domínio que devemos incidir mais a nossa acção para a cooperação f&n o que existe de concreto em termos de cooperação am.do projectos e temos cooperação no domínio das pescas há uma em r o quadro com a coreia do sul figuras&negócios nº 138 junho 2013 11

[close]

p. 14

pÁgina aberta esteve cá um reitor da universidade nós queremos cá outros para se ser mais abrangente e é preciso sublinhar que a coreia do sul dá a angolanos bolsas-hoje temos aquí cerca de 40 muitos desistem alegando que a questão da língua é difícil mas queremos encorajar a vinda de mais estudantes nós todos os meses temos ofertas de bolsas de estudo aproveito aliás essa oportunidade para fazer este apelo a angolanos que querem continuar cursos superiores e que sintam que na coreia podem encontrar essa oportunidade que nos contactem para nós podermos encaminhar f&n não receia receber uma avalanche de candidatos sabendo-se que é grande em angola a sede do saber no seio da juventude am nós queremos mais gente para mestrados e doutorados.aqui o mestrado e o doutoramento é gratuito e nós submeteremos a lista de possíveis candidatos às autoridades e eles que seleccionem os melhores nós temos a obrigação de fazer a ponte entre as duas partes f&n o senhor sente que da parte de angola há o reconhecimento profundo das potencialidades da coreia e que já se tira partido disso am não ainda estamos muito aquém os angolanos não conhecem a coreia é preciso divulgar mais assim como nós aquí temos que divulgar mais angola e essa é a nossa agenda a distância é grande mas há uma procura de informação sobre o país cada dia aumenta o número de pedido de vistos de coreanos para visitarem angola mas penso que estamos muito aquém do desejável para uma cooperação frutifera f&n a coreia já faz uma leitura mais abrangente em relação a africa num passado recente ela condicionava muito a sua cooperação com países que não tivessem relações com a coreia do norte am hoje já não faz isso a coreia do sul dá prioridade absoluta a paises como angola moçambique madagascar ghana e nunca nos meteram a questão da coreia do norte aliás e por falar em coreia do norte deixa-me dizê-lo que ela é uma parte da cultura coreana ou seja existem dois países mas apenas uma nação dois países que existem em função de um armistício para a suspensão da guerra.eu enquanto diplomata,penso que está cada vez mais próximo o encontro da mesma nação e quando isso acontecer a coreia vai ser ainda mais um grande e forte país olhe,um dado esatistico aquí existem 100 mil mulheres para 120 mil homens na faixa etária dos 20 anos e na coreia do norte é o contrário existem 120 mil mulheres para 100 mil homens.por isso esta é uma nação que vai se encontrar mas é claro que existem vários interesses que ção da nação coreana mas é preciso aprofundar essa questão ver o que os vizinhos pensam e acredito que a diplomacia vai continuar a trabalhar e o reencontro é inevitável f&n mas hoje há a percepção no mundo que aqui se vive um clima de guerra será mesmo assim am esse clima de guerra é alimentado muito pela imprensa distante da coreia aquí não se sente absolutamente esse clima de guerra porque existe a consciência de que nunca haverá guerra entre as duas coreias posso assegurar porque o sentimento de nação é muito forte e nós queremos mais gente para mestrados e doutorados aqui o mestrado e o doutoramento são gratuitos e nós submeteremos a lista de possíveis candidatos às autoridades e eles que se isso não será um peso mais para a coreia do sul do que para a coreia do norte am mas a nação tem que se encontrar e seria uma das maiores potências do mundo porque se aqui deste lado existem os grandes quadros a ciência e a tecnologia do outro lado também existem mais valias recursos naturais que aquí não há por outro lado ao longo desses anos a diplomacia não tem permitido guerra e só existe guerra quando a diplomacia falha e atenção aquí no conpaíses de uma diplomacia coerente e por isso é mesmo seguro que nunca vai haver guerra agora desconte-se sempre a propaganda de um e do ou 12 figuras&negócios nº 138 junho 2013

[close]

p. 15

pÁgina aberta tro lado mas a coreia é dos países f&n a china está interessada am a china é uma voz importante e tem negócios com a coreia do sul avaliados em 600 bilhões de dólares e muito menos com a coreia do norte mas acho que a china ganha pode ser que antigamente houvesse o receio de uma zona tampão f&n não há o receio dos chida coreia um adversário feroz am não a coreia nunca conseguirá ultrapassar a china e será um parceiro para complemento da coreia será mais vantajosa para a china há mais vantagens do que desvantagens f&n fiquei com a sensação em conversas ocasionais que a juventude não está muito interessaassim am a juventude não está muito interessada porque pensa perder vantagens vai diminuir o nível de vida mas isto são custos da reconciliação mas no futuro a juventude vai ter mais empregos zar o mundo para angola e por isso acho-me satisfeito f&n então está a querer dizer que negaria um cargo de governador am não como a minha última função foi de governador só estou apenas a comparar eu sou militante do mpla e cumpro o que o partido diz enquanto estiver no activo estou no cumprimento de um dever que é carreira f&n o huambo foi uma experiência marcante para si uma decepção ou um capítulo para engordar o seu curriculum amno huambo sempre estive ligado a província porque eu nasci no huambo como ministro o huambo foi a provincia que mais trabalho me deu ser governador por um ano porque o então governador foi chamado para ocupar o posto de primeiro ministro foi uma experiência interessante se me perguntasse se eu quizesse continuar talvez dissesse que sim porque tinha um projecto grande para aquela província f&n foi um sonho interrompido am mas o partido é o mesmo para mim o mais importante não é quem está mas o partido como instituição nenhum de nós vale mais que o partido e o importante é que cada um se sinta assim f&n sentiu-se magoado por ter saído sem tempo para implementar o grande projecto que falou am o importante é que o huamum espaço importante de desenvolvimento integrado de angola e não é o huambo de pintar paredes e ganhar fama mas um huambo que desenvolve a economia onde haja desenvolvimento empresários fortes este é o meu sonho é o sonho da direcção do país e é assim que tem de ser f&n não criou animosidades entre os seus colegas de partido am não cumprimento todo mundo falo com todos porque tudo é dever claro que no dia em que os governadores vierem a ser eleitos muitas situações podem ser evitadas mas isso é no futuro,porque acho que a perspectiva pode vir a ser esta portanto não tenho rancores com ninguém porque quando se cumpre um dever se cumpre com o casaco do porque o casaco não era meu f&n quais foram os momentos mais marcantes na sua vida política am o huambo é um porque to aquí não se sente absolutamente esse clima de guerra porque existe a consciência de que nunca haverá guerra entre as duas coreias posso assegurar porque o sentimento de nação é muito É preciso divulgar mais a coreia assim como nós aquí temos que divulgar mais angola e essa é a nossa agenda a distância é grande mas há uma procura grande de mei algumas decisões que a província vai ser diferente sempre mas o momento mais marcante na minha vida política foi enquanto ministro da reinserção social que modestamente dei a minha contribuição para que aquele país tivesse paz a cidadania fosse preservada que angola tivesse voz no mundo internacional visitei enquanto ministro mais de cem países à procura de ajudas sensibilizando a comunidade internacional e na minha vida política e governativa f&n ainda cuida de cães am continuo porque gosto de cuidar de cães eles são o melhor amigo do homem.tenho aqui dois f&n quais são outros hobbys que tem am de momento estou a jogar tido uma vida bastante ocupada aliás eu acho que este é o pais do mundo onde os embaixadores são mais ocupados.também tenho arranjado tempo para tentar a aprender a língua daqui e já consigo dizer algumas coisas porque terá um mercado maior f&n sente-se satisfeito como embaixador am eu estou a cumprir o meu dever primeiro sou embaixador de carreira e o presidente da república nada mais fez do que colocar-me na minha área penso que neste momento é muito mais importante ser embaixador aquí do que governador provincial eu aquí tenho que mobili figuras&negócios nº 138 junho 2013 13

[close]

Comments

no comments yet