A LAVOURA 696

 

Embed or link this publication

Popular Pages


p. 1

a lavoura n o 696/2013 1

[close]

p. 2

2 no 696/2013 a lavoura

[close]

p. 3

carta da rumo à safra de 190 milhões de toneladas plano agrícola e pecuário da safra 2013 2014 foi lançado em grande estilo pela presidente dilma rousseff o ministro da agricultura antonio andrade e a senadora kátia abreu presidente da cna o plano atende às expectativas do setor mas ainda não foi dessa vez que disporemos de um plano plurianual que possibilitaria aos produtores planejar seus negócios com maior segurança na ocasião a presidente dilma comprometeuse em aportar novos recursos caso os r 136 bilhões previstos sejam insuficientes formidável promessa no evento foi anunciada oficialmente a constituição da agência nacional de assistência técnica vinculada à embrapa essa integração é fundamental ao mesmo tempo em que levará aos produtores a melhor tecnologia também proporcionará aos pesquisadores da embrapa maior e melhor conhecimento dos problemas que são enfrentados na prática do dia a dia nas áreas de produção É bom ressaltar que esse plano safra 2013/14 abrange apenas a denominada agricultura empresarial a agricultura familiar e as áreas do nordeste semiárido têm seus programas específicos dentre os pontos mais positivos do plano destacamos o pronamp que atende aos médios produtores com dotação de r 13,2 bilhões e juros de 4,5 ao ano outro aspecto elogiável é o programa de inovação voltado para o agronegócio inovação tecnológica é fundamental para o desenvolvimento com produtividade e sustentabilidade neste caso a dotação é de r 1 bilhão com juros de 3,5 ao ano em termos de inovação são atividades prioritárias para essa safra a agricultura de precisão o cultivo protegido de hortifrutigranjeiros a automação para aves e suínos atualização tecnológica para bovinocultura de leite incorporação de tecnologias desenvolvidas a serem definidas pelo mapa e embrapa ainda em relação à inovação o ministro antonio andrade anunciou também uma linha de financiamento o de r 2 bilhões para pesquisa e desenvolvimento de máquinas e equipamentos no programa abc ­ agricultura de baixa emissão de carbono houve um aumento de 32 no volume de recursos que serão de r 4,5 bilhões com prazo de 15 anos e juros de 5 ao ano o seguro agrícola mereceu um significativo crescimento no volume de recursos destinado à subvenção dos prêmios de r 400 milhões para r 700 milhões com isso o governo espera ampliar nossa área segurada para 10 milhões de hectares para o cooperativismo r 5,3 bilhões estarão disponíveis pelos programas de desenvolvimento cooperativo para agregação de valor à produção agropecuária e de capitalização de cooperativas agropecuárias os juros para capital de giro das cooperativas foram reduzidos de 9 para 6,5 ao ano o segmento de armazenagem foi o que obteve mais benefícios com dotação de r 25 bilhões juros de 3,5 ao ano para pagamento em 15 anos com três anos de carência um subsídio que pode ser considerado exagerado comparativamente ao que foi concedido aos demais segmentos incentivados pelo plano É superior por exemplo ao que foi proporcionado ao programa abc voltado para práticas sustentáveis na agropecuária que pagará juros de 5 ao ano em resumo o plano agrícola e pecuário 2013/2014 não é uma dádiva governamental significa o reconhecimento da importância do setor para a economia brasileira estamos atingindo uma exportação de us$100 bilhões nos últimos 12 meses essa robusta exportação permite ao país suportar o déficit da balança comercial dos demais setores da economia o extraordinário desempenho do pib do agronegócio também vem demonstrando a inequívoca importância do setor a expectativa do governo é alcançar 190 milhões de toneladas de grãos em 2014 um novo recorde de produção antonio mello alvarenga neto a lavoura no 696/2013 3

[close]

p. 4

diretoria executiva diretoria tÉcnica comissÃo fiscal antonio mello alvarenga neto almirante ibsen de gusmÃo cÂmara osanÁ sÓcrates de araÚjo almeida joel naegele tito bruno bandeira ryff francisco josÉ vilela santos hÉlio meirelles cardoso josÉ carlos azevedo de menezes luiz marcus suplicy hafers ronaldo de albuquerque sÉrgio gomes malta presidente 1o vice-presidente 2o vice-presidente 3o vice-presidente 4o vice-presidente diretor diretor diretor diretor diretor diretor alberto werneck de figueiredo antonio freitas claudio caiado john richard lewis thompson fernando pimentel jaime rotstein josÉ milton dallari katia aguiar marcio sette fortes de almeida maria helena furtado mauro rezende lopes paulo protÁsio roberto ferreira s pinto rony rodrigues oliveira ruy barreto filho claudine bichara de oliveira maria cecÍlia ladeira de almeida plÁcido marchon leÃo roberto paraÍso rocha rui otavio andrade academia nacional de agricultura fundador cadeira e p at rono o c tav iomelloa lva renga titular patrono 01 02 03 04 05 06 07 08 09 10 11 12 13 14 15 16 17 18 19 20 21 22 23 24 25 26 27 28 29 30 31 32 33 34 35 36 37 38 39 40 41 e nnes de s ouza m oura b rasil c ampos da p az b arÃo de c apanema a ntonino f ialho w enceslÁo b ello s ylvio r angel p acheco l eÃo l auro m uller m iguel c almon l yra c astro a ugusto r amos s imÕes l opes e duardo c otrim p edro o sÓrio t rajano de m edeiros p aulino f ernandes f ernando c osta s Érgio de c arvalho g ustavo d utra j osÉ a ugusto t rindade i gnÁcio t osta j osÉ s aturnino b rito j osÉ b onifÁcio l uiz de q ueiroz c arlos m oreira a lberto s ampaio e paminondas de s ouza a lberto t orres c arlos p ereira de s Á f ortes t heodoro p eckolt r icardo de c arvalho b arbosa r odrigues g onzaga de c ampos a mÉrico b raga n avarro de a ndrade m ello l eitÃo a ristides c aire v ital b rasil g etÚlio v argas e dgard t eixeira l eite r oberto f erreira da s ilva p into j aime r otstein e duardo e ugÊnio g ouvÊa v ieira f rancelino p ereira l uiz m arcus s uplicy h afers r onaldo de a lbuquerque t ito b runo b andeira r yff f lÁvio m iragaia p erri j oel n aegele m arcus v inÍcius p ratini de m oraes r oberto p aulo c Ézar de a ndrade r ubens r icupero p ierre l andolt a ntonio e rmÍrio de m oraes i srael k labin s ylvia w achsner a ntonio d elfim n etto r oberto p araÍso r ocha j oÃo c arlos f averet p orto a ntonio c abrera m ano f ilho j Ório d auster a ntonio c arreira a ntonio m ello a lvarenga n eto i bsen de g usmÃo c Âmara john richard lewis thompson j osÉ c arlos a zevedo de m enezes a fonso a rinos de m ello f ranco r oberto r odrigues j oÃo c arlos de s ouza m eirelles f Ábio de s alles m eirelles l eopoldo g arcia b randÃo a lysson p aolinelli o sanÁ s Ócrates de a raÚjo a lmeida d enise f rossard e dmundo b arbosa da s ilva e rling s l orentzen sociedade nacional de agricultura · fundada em 16 de janeiro de 1897 · reconhecida de utilidade pública pela lei nº 3.459 de 16/10/1918 av general justo 171 7º andar · tel 21 3231-6350 · fax 21 2240-4189 · caixa postal 1245 · cep 20021-130 · rio de janeiro brasil e-mail sna@sna.agr.br · http www.sna.agr.br escola wenceslÁo bello fagram · av brasil 9727 penha cep 21030-000 rio de janeiro rj · tel 21 3977-9979 4 no 696/2013 a lavoura

[close]

p. 5

a lavoura diretor responsÁvel antonio mello alvarenga a lavoura especial ano 116 nº 696 editora cristina baran editoria@sna.agr.br reportagem e redaÇÃo secretaria endereÇo paula guatimosim redacao.alavoura@sna.agr.br sílvia marinho de oliveira alavoura@sna.agr.br av general justo 171 ­ 7º andar cep 20021-130 rio de janeiro ­ rj tel 21 3231-6350 fax 2240-4189 28 14 equideocultura respeito ao bem-estar indicaÇÃo geogrÁfica endereÇo eletrÔnico http www.sna.agr.br e-mail alavoura@sna.agr.br redação.alavoura@sna.agr.br orgÂnico seis vezes mais tomate assinaturas publicidade 18 assinealavoura@sna.agr.br alavoura@sna.agr.br tel 21 3231-6369 vale dos vinhedos editoraÇÃo e arte coordenação cristina baran paulo américo magalhães tel 21 2580-1235 8126-5837 pm5propaganda@terra.com.br 24 44 morango orgÂnico ao alcance das mãos viticultura videiras abrigadas colaboradores desta ediÇÃo caio albuquerque carla gomes cesário ramalho da silva cristiane betemps cristina tordin deise froelich fabrício fagundes pereira fernanda diniz fernanda domiciano gabriel chiappini lucinara masiero ibsen de gusmão câmara josé antonio delfino barbosa filho júlio fiori juscelino antonio de azevedo kadijah suleiman marcos diaz marcos gino fernandes marina de rezende antigo melissa donadello de oliveira patrícia maria drumond patrícia paula bellon raimundo estevam raphael santos renan t de oliveira robson barros rosana persona sebastião francisco figueiredo sílvia zoche borges sylvia wachsner apicultura serviço valoroso novas cultivares de soja sinônimo de qualidade e estabilidade 32 floricultura rosas ganham produção integrada 31 56 52 manejo bovino atenção ao controle da mastite bovina 38 cana-de-aÇÚcar sistema muda conceito de plantio 36 carne brasileiro aprova carne de cordeiro impressÃo ediouro gráfica e editora ltda www.ediouro.com.br manejo bovino doença dos cascos prejuízo na certa 75 É proibida a reprodução parcial ou total de qualquer forma incluindo os meios eletrônicos sem prévia autorização do editor os artigos assinados são de responsabilidade exclusiva de seus autores não traduzindo necessariamente a opinião da revista a lavoura e/ou da sociedade nacional de agricultura-sna 48 68 agricultura familiar insetos nem sempre vilões issn 0023-9135 oleaginosas de alto valor agregado capa seapa-mg secretaria de estado de agricultura pecuária e abastecimento de minas gerais 72 76 orgÂnicos Água que gera energia e renda www.agricultura.mg.gov.br controle biolÓgico armadilhas com feromônios controle limpo e barato sna 116 anos panorama polÍtica agrÍcola sociedade rural brasileira srb sobrapa ci orgÂnicos organicsnet informe ocb/sescoop-rj animais de estimaÇÃo empresas opiniÃo a lavoura 06 09 17 23 40 47 62 64 66 79 82 no 696/2013 5

[close]

p. 6

116 anos indicação geográfica em pauta na sna em maio o presidente da sna antonio alvarenga recebeu em sua sede no rio de janeiro para uma reunião o presidente do inpi jorge Ávila a vice-presidente da firjan angela costa a presidente da câmara de comércio françabrasil claudine bichara oliveira e antonio salazar brandão coordenador dos projetos de agroindústria e agronegócio da firjan a importância da indicação geográfica indicação de procedência e denominação de origem como certificação capaz de agregar valor ao produto regional beneficiando produtores ganhou destaque na reunião assim como o debate em torno de soluções para os problemas das embalagens de produtos angela costa vice-presidente da firjan antonio alvarenga presidente da sna e jorge agropecuários em especial hortigranjeiros Ávila presidente do inpi discussões em torno de patentes certificações fruticultura os participantes levantaram a necessidade do florestas entre outros assuntos desenvolvimento de embalagens que reduzam perdas facilitem o transporte e a logística e agreguem valor aos produtos e aumentem a rentabilidade dos produtores projetos de fruticultura e silvicultura no estado do rio de janeiro também estiveram em pauta cristina baran sna nos 40 anos da embrapa mento do brasil nos últimos 40 anos e destacou o progresso e o papel da agricultura na evolução do país neste período lembrando o notável crescimento da safra brasileira lopes também falou sobre a importância das parcerias e a necessidade da embrapa e parceiros se prepararem para as mudanças de paradigmas nas próximas décadas estiveram presentes entre outros o ministro da agricultura antônio andrade a ministra chefe da casa civil gleisi hoffmann reem clima de comemoração ministro da agricultura antonio andrade ministra da casa civil gleisi hoffmann presidente da embrapa maurício lopes e antonio alvarenga presidente da sna presentando a presidente dilma rousseff o ministro da ciência tecnologia e inovação marco antônio raupp a comemoração dos 40 anos da embrapa completados em o ministro da integração nacional fernando bezerra o 24 de abril reuniu em brasília ex-presidentes da instiministro do desenvolvimento agrário pepe vargas o pretuição ministros lideranças do agronegócio e parlamensidente da comissão de agricultura e reforma agrária setares nador benedito lira e o presidente da sna antonio em seu discurso o presidente da empresa de pesquisa alvarenga maurício lopes traçou um breve histórico de desenvolvi6 a lavoura no 696/2013 carlos silva dos santos /ascom ­ mapa

[close]

p. 7

116 anos srb comemora 94 anos tradicional entidade representante do agro a sociedade rural brasileira srb completou 94 anos no dia 20 de maio o presidente da sna também prestigiou o evento comemorativo que reuniu em são paulo lideranças do agronegócio brasileiro e personalidades políticas entre elas o ex-presidente fernando henrique cardoso o vicegovernador do estado de são paulo e ministro da secretaria da micro e pequena empresa guilherme afif domingos a senadora kátia abreu presidente da confederação nacional da agricultura ­ cna além de vários parlamentares e autoridades durante a cerimônia o presidente da srb cesário ramalho da silva afirmou que a entidade ao longo de mais de nove décadas atuou à frente de questões econômicas políticas e sociais como representante e defensora do produtor rural e também da sociedade contribuímos e continuamos contribuindo para que o j.reis j.reis ex-presidente fernando henrique cardoso senadora kátia abreu entre outros convidados aplaudem o discurso do presidente da srb cesário ramalho da silva à dir que destacou o papel da instituição como representante e defensora do produtor rural e da sociedade agronegócio brasileiro alcance continuadamente o mais alto nível de representação tecnológica econômica e social em termos mundiais em favor do desenvolvimento socioeconômico do brasil plano agrícola ainda durante a solenidade a senadora kátia abreu defendeu a necessidade de um plano agrícola e pecuário plano de safra com prazo interprestigiando o evento antonio alvarenga presidente da sna guilherme afif domingos ministro da secretaria da micro e pequena empresa e américo utumi assessor da presidência da secoop-sp mediário de 18 meses capaz de evoluir para um plano de quatro a cinco anos de vigência que permita um planejamento adequado da atividade com melhor gerenciamento da compra dos insumos e da comercialização dos produtos a presidente da cna também comemorou a aprovação da medida provisória 595 que permite investimentos privados na construção de novos portos agora podemos ter a tranquilidade de aumentar nossa produção porque nossas exportações estarão garantidas de forma eficiente daremos fim aos prejuízos que têm sido impostos ao agronegócio brasileiro declarou a senadora associação brasileira do agronegócio abag comemorou aniversário de 20 anos em abril o presidente da sna antonio alvarenga e a editora de a lavoura cristina baran estiveram presentes às comemorações em são paulo eles companharam a apresentação de uma pesquisa realizada pela entidade com o apoio da escola superior de propaganda e marketing espm o levantamento que ouviu 600 pessoas em 12 capitais revela que para 81 da população urbana o agronegócio é muito importante a pesquisa indica ainda que o agronegócio brasileiro é considerado o mais desenvolvido do mundo para o presidente da abag luiz carlos corrêa carvalho o levantamento tem por objetivo aprimorar o nível de conhecimento e de valorização da atividade agropecuária por quem vive nos grandes centros abag faz 20 anos com pesquisa inédita a ascom/abag presentes à ocasião eduardo soares de camargo diretor da abag o ex-jogador cafu mônika bergamaschi secretária de agricultura de são paulo e o presidente da abag luiz carlos corrêa carvalho que frisou a importância de recente estudo elaborado pela entidade para a valorização da atividade agropecuária a lavoura no 696/2013 7

[close]

p. 8

116 anos cristina baran antonio alvarenga presidente da entidade bernardo ariston superintendente do ministério da agricultura e a deputada aspásia camargo visitaram o estande da sna que expôs os últimos lançamentos do mercado de orgânicos de empresas associadas à rede organicsnet o presidente da sna antonio alvarenga e a coordenadora do centro de inteligência em orgânicos da sna sylvia wachsner foram prestigiados com a presença no estande da deputada aspásia camargo e do superintendente do ministério da agricultura pecuária e abastecimento bernardo ariston também visitaram o estande da sna o secretário de agricultura do rio de janeiro,christino Áureo o analista da unidade de agronegócios do sebrae nacional ludovico wellmann da riva e o diretor-executivo da korin agropecuária reginaldo morikawa redes sociais e orgânicos no segundo dia do evento sylvia wachsner apresentou a palestra twittando sobre o mercado de orgânicos na qual chamou a atenção para a necessidade de maior engajamento do consumidor de orgânicos para garantir a ampliação da oferta de produtos as redes sociais sobretudo o twitter possibilitam um discurso rápido e direto e ultrapassam barreiras são a melhor arma do consumidor na hora de reivindicar um produto mais saudável e com preço mais acessível vamos derrubar esse tabu de que orgânico é produto de rico porque não é É um direito que tem de ser garantido a todos o consumidor deve fiscalizar esse direito e nas redes toda reivindicação tem eco argumenta a segunda edição do green rio organizado pelo planeta orgânico com o patrocínio do sebrae e parceiros reuniu em um mesmo espaço especialistas e profissionais das áreas de orgânicos e de produção e consumo sustentável que participaram de palestras debates exposições e rodadas de negócios green rio sna mostra novidades em orgânicos a sociedade nacional de agricultura esteve mais uma vez presente ao green rio 2013 evento de sustentabilidade realizado entre os dias 8 e 9 de maio no jardim botânico rio de janeiro no estande da sna foram expostos os lançamentos em orgânicos das empresas participantes da rede organicsnet/sna entre elas a ecobras com seus produtos de soja orgânica e a cassiopeia com seus artigos de limpeza certificados pelo ibd biowash como alternativa natural aos defensivos químicos agrícolas foram apresentados os repelentes para plantas e animais à base de noni e neem plantas originárias da Índia da preserva mundi pa sna na expoarroz 2013 com um público estimado em mais de 15 mil visitantes a expoarroz 2013 reuniu representantes da cadeia orizícola de 16 a 19 de abril no centro de eventos de pelotas rs a sna participou com um estande e foi representada na ocasião por josé roberto peixoto e flávio maranhão parceiros no grupo agronegócio expo a programação do evento incluiu fórum internacional feira e rodada de negócios a próxima edição acontecerá em abril de 2015 sna e abramvet firmam convênio a academia brasileira de medicina veterinária-abramvet realizou em março no salão nobre da sociedade nacional da agricultura a solenidade comemorativa pelos 30 anos da instituição na ocasião o novo presidente da abramvet milton thiago de mello e o presidente da sna antonio alvarenga firmaram um convênio com o objetivo de atualizar fiscais federais estaduais e municipais e capacitar responsáveis a nova diretoria da abramvet eleita em 18 de janeiro de 2013 tomou posse em caráter oficial durante cerimônia no auditório da sna técnicos para atuação em abatedouros entrepostos frigoríficos e varejistas o primeiro programa dessa parceria será direcionado à solução dos problemas de sanidade da carne tema que ganhou grande repercussão nacional recentemente a partir de reportagens da revista veja e do programa fantástico da tv globo esta iniciativa mostra a importância que damos para a medicina veterinária no brasil o brasil já é uma potência na safra de grãos mas precisamos ganhar mais produtividade de carne por hectare declarou alvarenga durante o evento a nova diretoria da abramvet eleita em 18 de janeiro de 2013 tomou posse em caráter oficial 8 a lavoura no 696/2013 raul moreira

[close]

p. 9

panorama orgânicos faturam r 1,5 bi em 2012 gabriel chiappini com a regulamentação o mercado de orgânicos vem crescendo e ganhando espaço exclusivo nos supermercados com um faturamento em torno de r 1,5 bilhão em 2012 dos quais 1/3 representado pelas exportações segundo estimativas do instituto de promoção do desenvolvimento ipd o setor de produtos orgânicos no brasil vem crescendo de forma significativa atendendo à demanda dos consumidores por produtos saudáveis e seguros produtos inovadores o mercado nacional vem crescendo na medida em que o processo de regulamentação realizado em 2011 se consolida há um substancial aumento de investimentos no setor novas empresas e lançamentos de produtos inovadores com alto valor agregado distanciando da imagem de um segmento exclusivamente de frutas legumes e verduras com a perspectiva dos grandes eventos esportivos nos próximos anos incluindo a copa do mundo que será orgânica o mercado deve aquecer ainda mais já que atividades esportivas são temas diretamente ligados às questões de saúde e bemestar segundo ming liu coordenador executivo de projetos do ipd orgânicos a expectativa é que até 2014 a produção orgânica no brasil possa atingir faturamento de r 2 bilhões essa é uma tendência que já havíamos identificado na medida em que o processo regulatório se consolida nos mercados dos estados unidos Ásia e europa houve esse processo e com a globalização chegou ao brasil explica ming liu dutos orgânicos e agroecologia contribui para o desenvolvimento do setor ao reunir produtores processadores compradores e público consumidor num único evento É a maior feira de negócios aberta também ao consumidor final no brasil e neste ano está reunindo 120 empresas expositoras numa área de 7 mil m² do pavilhão da bienal do ibirapuera em são paulo de 27 a 30 de junho novidade a grande novidade deste ano é a parceria com a nürnbergmesse promotora alemã da biofach maior evento de orgânicos do mundo com edições na alemanha Índia china japão e estados unidos com a união a biobrazil fair biofach américa latina passa a integrar o calendário internacional de feiras dedicadas aos orgânicos e amplia as oportunidades de negócios de seus expositores com compradores do mundo todo a lavoura no 696/2013 9 biobrazil fair biofach américa latina há nove anos a biobrazil fair biofach feira internacional de pro-

[close]

p. 10

panorama sorvete saudável pois o consumidor moderno deseja alimentos que satisfaçam e ao mesmo tempo sejam saudáveis afirma marina deficiência de cálcio segundo a pesquisadora a ingestão de cálcio pela população também está muito abaixo dos valores considerados ideais de 1000 mg/dia para adulto em consequência muitas crianças estão sujeitas ao raquitismo à baixa estatura à osteopenia e osteoporose isso ocorre porque muitos produtos lácteos como leite e queijo não são interessantes ou atraentes suficientemente contribuindo para o baixo consumo assim surgiu a ideia do sorvete saudável o estudo realizado no programa de pós-graduação em ciência e tecnologia de alimentos da esalq desenvolveu um preparado em pó enriquecido com fibras de linhaça inulina e fos fonte de prebióticos com reduzido teor de açúcar gordura e sódio os sorvetes foram elaborados com o preparado lácteo e saborizados com polpa de mangaba fruta típica do cerrado brasileiro di faemg o valor nutricional e a alta digestibilidade fazem do sorvete um alimento ideal para todas as idades orientada pela professora dra jocelem mastrodi salgado do departamento de agroindústria alimentos e nutrição lan a pesquisa avaliou as características microestruturais e microbiológicas do preparado em pó e a partir deles desenvolveu os sorvetes de massa verificando sua composição centesimal suas propriedades físicas e químicas suas características reológicas e seu nível de aceitação sensorial segundo as pesquisadoras todas essas características apresentaram valores desejáveis além do mais foi possível através da adição de fibras alimentares proporcionar uma alegação horizontal de saúde vu lg aÇ Ão não é novidade que uma dieta balanceada é essencial para o bom funcionamento do organismo entretanto o estado nutricional principalmente das populações que vivem em países desenvolvidos é afetado por hábitos inadequados como o consumo excessivo de gorduras elevada ingestão de açúcares e diminuição considerável do consumo de fibras vitaminas e sais minerais que podem favorecer a incidência de doenças crônico-degenerativas com objetivo de melhorar o aspecto nutricional de alimentos que são atraentes principalmente para as crianças a pesquisadora marina leopoldina lamounier da escola superior de agricultura luiz de queiroz usp/esalq desenvolveu um sorvete saudável com alto teor de fibra alimentar cálcio e vitaminas e redução de sódio açúcar e gorduras o interesse principal é fazer com que o sorvete tenha múltiplas funções opção saudável o sorvete pode ser uma opção saudável de alimento principalmente para as pessoas que por falta de hábito gosto ou intolerância à lactose têm a ingestão de laticínios aquém das quantidades recomendadas o valor nutricional e as características de alta digestibilidade fazem deste produto um alimento ideal para todas as idades associando nutrição e prazer explicam as pesquisadoras maria leopoldina afirma que sorvetes de frutas do cerrado com baixo valor energético ganham espaço cada vez maior na mesa dos consumidores estas frutas oferecem grande variedade de sabores e aromas possuem quantidades significativas de vitaminas propriedades funcionais e medicinais entre elas a mangaba hancornia speciosa que apresenta boa digestibilidade alto valor nutritivo e consideráveis teores de proteína e vitamina c conclui potencial de comercialização a elaboração dos preparados em pó e dos sorvetes se constitui como forte potencial à comercialização já que são ricos do ponto de vista nutricional e contemplam a demanda de todos os grupos biológicos desde crianças até idosos por serem atrativos e saudáveis afirma maria leopoldina banana certificada para a europa selo a certificação da banana produzida na região do jaíba norte de minas gerais responsável por 50 da produção mineira viabilizará a exportação do produto para a europa um acordo de comercialização com três empresas europeias foi firmado e as exportações devem ter início no segundo semestre o processo de certificação de propriedades produtoras de banana da região do jaíba foi executado pelo instituto antonio ernesto de salvo inaes entidade de planejamento e desenvolvimento para o agronegócio da faemg em parceria com o sebrae ao todo 14 propriedades receberão o selo global gap exigido pela rede varejista da europa para produtos importados de outros países para o superintendente do inaes pierre vilela o projeto abre oportunidades para minas especialmente em se tratando da exportação de um produto que não é produzido em outros países do mundo uma comitiva formada pelos produtores rurais certificados e representantes do inaes/faemg e do sebrae foi até a europa onde visitou compradores e participou da feira fruit logística uma das maiores do setor realizada na alemanha em fevereiro de 2013 a comitiva mineira trouxe também da fruit logística a ideia de promover uma mudança importante no modelo de caixas para a embalagem e envio da fruta espera-se com o novo formato transportar 120 caixas a mais em cada contêiner ou seis caixas em cada coluna pallet gerando economia para o exportador ainda em fase de desenvolvimento a nova estratégia de embalagem será testada no segundo semestre antes da exportação em larga escala.os testes finais de conservação da fruta e logística para exportação serão realizados no segundo semestre com o envio de 1.080 caixas de banana prata embalagem na região do jaíba mg 14 propriedades serão certificadas para exportação de banana para a europa 10 a lavoura no 696/2013

[close]

p. 11

panorama tangerina produtiva c om uma produtividade que pode atingir 30 toneladas por hectare acaba de ser lançada pela embrapa clima temperado resultado de um trabalho conjunto com a ufrgs a tangerina híbrida ursbrs hada a cultivar é um tangoreiro tardio tolerante ao cancro cítrico pinta-preta e à mancha marrom de alternária no rio grande do sul a maturação dos frutos é tardia e a colheita ocorre entre outubro e dezembro podendo ser antecipada ou retardada dependo das temperaturas méa hada produz frutos grandes com 160g casca lisa e fácil de descascar dias da região segundo o pesquisador roberto pedroso de oliveira os sistentes a doenças os custos com cuidados fitossanitáfrutos verdes podem ser utilizados para a extração de rios são menores do que com outras espécies cítricas óleos essenciais e os maduros para consumo in natura e explica oliveira produção de suco os frutos tem em torno de 160g características da tangerina ursbrs hada confirma o pesquisador por causa do seu tamanho e tamé vigorosa com copa de porte médio e formato aberto posbém época de maturação tem grande potencial no mersui coloração verde-clara os frutos são grandes com 160g cado possui uma acidez elevada que desperta o interesse de casca lisa e fácil de descascar sabor agradável com do mercado internacional de fruta fresca e produção de teor de açúcares de 12 brix menores custos de tratamensucos to fitossanitário pois é resistente a doenças manejo as borbulhas da ursbrs hada podem ser obtidas no quanto ao manejo a ursbrs hada requer raleio de fruescritório de negócios do capão do leão da embrapa protos e poda para produção anual de frutos de alta qualidutos e mercado pelos telefones 53 3275-9199 3275dade as plantas são exigentes quanto à adubação de9291 cristiane betemps embrapa clima temperado vido à grande exportação de nutrientes e como são reembrapa clima temperado pedaço de verde amanda costa embrapa hortaliÇas alinhada à tendência de consumo de alimentos saudáveis livres de resíduos químicos a embrapa hortaliças desenvolveu um novo modelo de horta para pequenos espaços o produto foi desenvolvido em parceria com uma empresa que trabalha com jardineiras em ecoparedes e atende bem as necessidades dos interessados em manter uma pequena horta em casa de acordo com a analista da área de transferência de tecnologia da embrapa hortaliças brasília-df e engenheira agrônoma caroline pinheiro reyes o método tem a finalidade de difundir a prática do cultivo de hortaliças tanto como hobby como para consumir produtos produzidos em casa com procedência conhecida sem agrotóxicos garrafas pet anteriormente a embrapa havia laçado outro sistema que ensina a cultivar em garrafas pet ou em recipientes semelhantes segundo carolina reyes a novidade está mais voltada ao público urbano de maior poder aquisitivo pois pode ser adquirido e instalado pela empresa responsável junto com o sistema de irrigação a maioria das hortaliças pode ser cultivada em pequenos espaços basta que os vasos ou jardineiras fiquem em uma área onde peguem um pouco de sol todos os dias explica pa ramaisinteressados aembrapadisponibilizadaapublica ç ã o hortaem pe quenosespa ç o s quetrazinfor mações detalhadas de todas as etapas do cultivo de horta caseiras desde o preparo do solo até o manejo diário das hortaliças www.cnph.embrapa.br a lavoura no 696/2013 11 produtos sempre frescos e a mão são obtidos em hortas que ocupam pouco espaço

[close]

p. 12

panorama concórdia publicou um trabalho intitulado aproveitamento da água da chuva na produção de suínos e aves o documento dá dicas importantes de trabalhos realizados a campo e mostra sugestões que podem orientar produtores ou técnicos no dimensionamento e construção de cisternas oferecendo aos animais água de qualidade embrapa suÍnos e aves modelos os modelos variam principalmente conforme a demanda de água na propriedade as cisternas exigem os mesmos cuidados das caixas d água quanto ao material e limpeza É importante também que as primeiras águas coletadas da chuva sejam descartadas já que elas arrastam as impurezas existentes nos telhados e nos encanamentos além de combater a escassez de os modelos de cisternas variam conforme a demanda de água na propriedade água em períodos de estiagem ou de maior demanda principalmente em regiões de produção intensiva de suínos captar e armazenar em cisternas a água de chuva pode ser e aves há outras vantagens no aproveitamento da água da chuuma ótima alternativa para diminuir os problemas causados por va estiagens severas na criação de animais consumo e gasto com água o armazenamento de água da chuva em cisternas é utilizacom essa medida reduz-se o consumo e o gasto com água do no brasil há muito tempo mas em virtude das mudanças potável na propriedade evita-se o uso de água potável na laclimáticas das estiagens mais severas em períodos não convenvagem de pisos na suinocultura e na avicultura utiliza-se escionais esta prática vem aumentando consideravelmente truturas já existentes como os telhados e as coberturas além suinocultura e avicultura de ser um recurso gratuito em santa catarina onde predomina a suinocultura e a aviprodutores interessados em baixar gratuitamente o docultura para facilitar o trabalho dos produtores interessados em cumento preparado pela embrapa suínos e aves sobre o asinstalar cisternas em suas propriedades a embrapa suínos e aves sunto podem acessar o site www.cnpsa.embrapa.br Água da chuva armazenada um alívio na estiagem alternativas para comercialização de orgânicos onexão ecológica é o nome do livro lançado instituto agronômico do paraná iapar de autoria do engenheiroagrônomo moacir roberto darolt o livro resume o conhecimento científico resultante de anos de pesquisas feitas na instituição de acordo com o autor a publicação aponta caminhos para a reconstrução do relacionamento entre agricultores e consumidores como os canais curtos na comercialização de alimentos produzidos em base ecológica considerada a maneira mais sustentável para a oferta e o consumo de produtos saudáveis do local da estação e mediante preço justo o livro aponta distorções na comercialização de alimentos orgânicos e propõe alternativas para fortalecer as relações entre produção e consumo baseadas no encurtamento dos canais de venda visando maior proximidade entre o produtor e o consumidor em seu trabalho de doutorado sobre agricultura orgânica na região metropolitana de curitiba darolt percebeu que o maior 12 a lavoura no 696/2013 iapar c problema para os produtores era a comercialização ao mesmo tempo em que por sua vez os consumidores reclamavam da pequena quantidade ofertada da pouca diversidade dos produtos orgânicos além da falta de locais para a compra reféns segundo o pesquisador os pequenos agricultores acabam reféns das grandes cadeias de supermercados tendo dificuldades de negociar os produtos orgânicos a preços justos para os consumidores os preços de compra são abusivos ele cita que para cada r 1,00 que o consumidor paga por um produto orgânico na boca do caixa do supermercado r 0,33 ficam com o atravessador r 0,38 com o supermercado e r 0,29 com o produtor além disso o produto `ecológico ainda é embalado com isopor e plástico processo que descaracteriza o que pensamos como algo sustentável afirma darolt segundo o pesquisador estes entraves impedem o crescimento da produção e o consumo de orgânicos a partir disso estudei alternativas de venda direta e outros canais curtos que aproximassem o produtor do consumidor no conceito de um alimento ecológico e comercializado a preço justo explica www.iapar.br

[close]

p. 13



[close]

p. 14

orgÂnicos seis vezes mais tomate tecnologia de cultivo orgânico pode aumentar em até seis vezes a produtividade do tomate rockall nas 0,5 kg de tomate por pé a apta da secretaria de agricultura e abastecimento do estado de são paulo então iniciou estudos e divulgação de um biofertilizante criado no fim do século xix no japão conhecido e utilizado somente pela colônia japonesa no brasil chamado bokashi atualmente esse bionutriente é preparado com resíduos oriundos do beneficiamento e processamento industrial de matérias-primas primárias como trigo soja mamona frutos do mar osso pena de aves e cana-de-açúcar por exemplo os produtores rurais de são roque-sp e região têm produzido até três quilos de tomate por pé ou seja seis vezes mais além disso os pesquisadores da agência conseguiram reduzir em mais de 40 os custos de produção do bokashi substituindo alguns ingredientes da agroindústria por outros naturais mais baratos a pesquisa é inédita no brasil e a tecnologia para o preparo foi difundida pela apta em outros países como paraguai bolívia caribe guatemala honduras e república dominicana pioneiros quando os pioneiros na produção orgânica utilizavam no cultivo de tomate apenas compostos simples preparados com esterco animal de cavalo ou de bovino conseguiam produzir pouco somente 0,5 kg de tomate por pé na agricultura tradicional é possível produzir em média oito quilos atualmente recomenda-se utilizar o bokashi em conjunto com o composto orgânico comum à base de esterco animal curtido com material celulósico e capim usado como condicionador do solo o que melhora as condições físicas e biológicas na região de são roque mais precisamente na cidade de ibiúna há um grande produtor que consegue produzir até tomate com biofertilizante bokashi há agricultores produzindo mais de três quilos por pé q uando os pesquisadores da agência paulista de tecnologia dos agronegócios apta começaram a trabalhar com agricultura orgânica em 1993 identificaram por meio de uma enquete que a oferta de hortaliças de folha raízes e tubérculos atendiam à demanda dos consumidores de orgânicos porém o mesmo não acontecia com o tomate o mercado queria tomates orgânicos mas os agricultores não conseguiam produzi-los em grande quantidade com a tecnologia disponível os agricultores colhiam ape 14 a lavoura no 696/2013

[close]

p. 15

três quilos por pé ou seja seis vezes mais quando o agricultor é pequeno e familiar pode chegar a dobrar a produção porém o atendimento aos consumidores não é suficiente pois o preço do tomate orgânico não tem baixado o suficiente para atender à verdadeira demanda afirma issao ishimura pesquisador da apta redução de custos a apta conseguiu ainda reduzir os custos de produção do bokashi aplicado nas lavouras originalmente a tonelada do biofortificante japonês custava em média r 810,00 com a substituição de alguns componentes a pesquisa paulista conseguiu desenvolver um bokashi 44 mais barato ao custo de r 460,00 a tonelada o farelo de soja por ser utilizado como matéria-prima para fabricação de ração animal é inviável para o preparo do adubo então o substituímos por farelo de mamona abundante na região de são roque e em todo mercado agropecuário do brasil outra mudança foi em relação à farinha de peixe industrializada que custa em media r 2,20 o quilo por sobras da limpeza de peixes frescos das peixarias que são distribuídas a custo zero o farelo de arroz fonte de amido foi trocado por resíduos da indústria de fécula e fritas de batata que também não custa nada afirma ishimura de acordo com o pesquisador da apta a composição e a dosagem aplicada variam conforme o estado do solo degradado ou não os níveis de nutrientes existentes e a espécie que será cultivada o tomateiro tem origem nos andes chilenos peruanos e bolivianos regiões de alta altitude e baixa umidade quando cultivado nesses locais não se observam ataques de pragas e doenças fúngicas viróticas ou bacterianas porém de acordo com ishimura o tomate quando plantado em regiões de clima úmido e subtropical de são paulo sofre com o ataque de pragas e doenças por arquivo iac o bokashi evita o ataque de doenças fúngicas ao tomateiro essa razão o fruto já chegou a estar no topo da lista de alimentos com maior nível de contaminação da agência nacional de vigilância sanitária anvisa no brasil o tomateiro fica suscetível e há ataques de todos os agentes patogênicos a planta não tem resistência às principais doenças existentes razão para o uso maciço de agrotóxicos afirma o pesquisador da apta biofertilizante o biofertilizante pode ser utilizado no plantio de hortaliças como cebola batata alcachofra e louro se não fosse a utilização para esse fim os resíduos que compõem o produto seriam jogados no lixo ou em aterros sanitários o bokashi aplicado em solo nutricionalmente desequilibrado e degradado pelo uso excessivo de insumos químicos permite sua recuperação por meio da melhoria das propriedades químicas físicas e principalmente biológicas em equilíbrio com a natureza de acordo com enfoque agroecológico outro impacto positivo está ligado ao fato de que seu preparo depende somente de material originado de recursos naturais renováveis sendo portanto uma tecnologia ecologicamente correta explica o pesquisador ainda de acordo com ishimura os resíduos sólidos produzidos na região são reaproveitados na produção de alimentos dos próprios municípios gerando riqueza além da geração de riqueza pode-se dizer que este reaproveitamento dos resíduos na região é muito importante na sustentabilidade do agricultor além de aumentar a garantia da sua segurança alimentar o que traz um enorme benefício para a comunidade não tanto ligado à geração de riqueza mas à geração de saúde e bem-estar social afirma fernanda domiciano apta aplicadores de defensivos segundo issao existem agrotóxicos registrados para o tomate no brasil porém para os aplicadores de defensivos agrícolas do país não são exigidos o mesmo nível escolar e técnico de países da europa dos estados unidos canadá e japão falta no brasil normatizar a profissão de aplicadores de agrotóxicos na produção de alimentos afirma o bokashi produzido a partir de ingredientes do beneficiamento de matérias-primas fermentados por micro-organismos benéficos evita o ataque de doenças fúngicas ao tomateiro e outras espécies suscetíveis a doenças isso acontece porque a quitina presente nas penas de aves e nos frutos do mar como casca de siri caranguejo e camarão induz à diminuição de micro-organismos patógenos explica ishimura a lavoura no 696/2013 15

[close]

Comments

no comments yet