SHAVUOT -portugués-

 

Embed or link this publication

Popular Pages


p. 1

shavuot meguilát ruth e textos contemporâneos para shavuot

[close]

p. 2

receitas shavuót burecas israelenses para a massa 12 folhas de massa filo 450 gr ou masa folhada manteiga derretida ou azeite pegue cada folha da massa e corte em 3 no sentido da largura pincele com manteiga derretida ou azeite dobre ao meio cada uma das três partes pincele novamente com manteiga ou azeite coloque uma colher de chá de recheio na parte inferior e dobre-a formando um triângulo fotos do passo-a-passo no blog para cozido coloque as burecas en uma assadeira e pincele com ovo batido polvilhe com gergelim asse até dourar 20 a 25 minutos sirva quente de queijo rendimento 36 forno pré-aquecido a 200°c preparo do recheio misturar bem 300g de ricota 300g de queijo tipo dambo/gouda/fonti na ralado 3 ovos pimenta a gosto do blog matkonhashavua a receita da semana a parashá da semana uma receita por parashá http matkonhashavua blogspot.com/search label/shavuot

[close]

p. 3

shavuot meguilat rute e textos contemporâneos sobre shavuot conselho rabino alejandro bloch rabina silvina chemen rabino guido cohen rabina silvana kandel rabino ariel kleiner rabino joshua kullock rabino ariel oliszewski produção ariel blufstein daniel cohn ariel dajczman gratidão jonatán bukschtein marcelle hohl moré theo hotz renata portenoy helen raij lica tal desenho e diagramação dg andrea oszlak

[close]

p. 4



[close]

p. 5

tempo da entrega oportunidade de recebimento chag hashavuót ­ zemán matán toratênu nos religar com uma dimensão libre da urgencia e da emergencia e que façamos um pacto como se estivéssemos no sinai e nos deixemos abraçar pelo texto e por suas interpretações daí o nome zemán ­ momento ­ matán ­ entrega ­ toratênu ­ nossa torá o momento nós o escolhemos a entrega virá do alto a torá vinda do alto torna-se nossa toratênu quando a recebemos chag hashavuót a festa da entrega é um momento que nos leva a perguntar se estamos preparados para receber receber a torá é algo que ninguém pode fazer por nós a entrega foi para todos mas o recebimento é de cada um há aqueles que ficarão fora do círculo ao longe para ver como os outros a tomam há aqueles que se abraçarão a ela cegamente mesmo antes de ver o que nela está escrito há aqueles que abrirão novamente suas páginas para voltar a encontrar a si mesmos nelas há aqueles que se questionarão há aqueles que ficarão com raiva e também há aqueles que se emocionarão e os que se aproximarão após muito tempo e distanciamento há aqueles que se sentarão sozinhos e há os que se sentarão com outros em uma mesa para que juntos possam recebê-la a verdade é que a entrega só pode existir quando do outro lado estão os braços dispostos para receber completando a ação de dar a cada ano a torá volta a nos perguntar se a receberemos em nossos corações em nossas ações em nossas palabras que esta festa seja a celebração do recebimento rabina silvina chemen shavuót é uma das três festas de peregrinação junto con pêssach e sucót estas duas últimas têm duração de 7 dias enquanto shavuót tem apenas um ou dois fora da terra de israel no entanto a data exata da celebração de shavuót não figura no texto da torá ao contrário das outras duas festas de peregrinação será que ela não tem a mesma magnitude que as outras qual é a diferença um dos significados profundos de chag hashavuót é que esta festividade está além dos limites do tempo além de suas fronteiras porque em shavuót celebramos zemán matán toratênu a época da entrega da nossa torá um momento que é sempre presente que não fala sobre a história nem fala do passado um tempo que toma como ponto de referencia a sublime experiência do monte sinai mas que transcende a referência histórica para incluir a cada um de nós em seu relato no momento presente geração após geração voltamos a recebê-la receber a torá é fazer uma aliança também com o nosso tempo aquele momento que dedicamos a estar em casa a incluir os outros a criar um espaço para nos alimentar e nos preencher de palavras transcendentes de ensinamentos e valores neste zemán momento o chag nos propõe que tomemos alguns instantes para comunidad bet el buenos aires argentina

[close]

p. 6

idéias para um tikun cada comunidade judaica é um mundo embora existam muitas dinâmicas que se repetem por todo o continente também é verdade que existem situações específicas que tornam cada congregação única consequentemente é um pouco utópico compartilhar aqui idéias gerais para tikunim particulares de qualquer forma espero que com as propostas expressas neste espaço todos possam encontrar sugestões sobre como consolidar uma noite significativa no âmbito de sua própria kehilá o midrash nos diz que durante a noite antes da entrega da torá no monte sinai o povo de israel adormeceu em vez de estarem ansiosos e comovidos com o que aconteceria em poucas horas todos foram descansar por este motivo de geração em geração destinamos a noite de shavuot aniversário daquele episódio para estudarmos com devoção alguns de nossos textos e tradições nos na noite de shavuot o aniversário desse episódio a devoção a estudar com alguns dos nossos textos e tradições É assim que conseguimos reparar tikun significa reparação o sonho de nossos antepassados neste sentido a primeira proposta para desenvolver durante esta noite tem a ver com pensar sobre aquilo que nos mobiliza nossa tradição não entende como é que nossos antepassados foram dormir na véspera da revelação divina porque se sentiam comovidos pelo estudo da torá gerações mais tarde shavuot é uma boa oportunidade para discutir as arestas da nossa própria tradição que nos emocionam e nos conectamtanto com a comunidade como com nossos textos e com deus pensar sobre essas questões pode nos ajudar a identificar alguns aspectos da vida da comunidade que queremos fortalecer restaurar e manter ao longo do tempo em outras palavras shavuot pode se tornar um tempo propício para avaliarmos se as nossas instituições nos adormecem ou nos mobilizam shavuot é zman matan toratenu o tempo da entrega da nossa torá como nossos sábios ensinam a torá é entregue ao longo da história sendo nossa responsabilidade aceitá-la abraçá-la e recebê-la deus só pode nos entregar a torá depende de nós decidir se queremos recebê-la torá neste contexto pode ser entendida como as histórias e tradições de nosso povo como um todo e portanto uma questão para discutirmos durante a noite de tikun pode girar sobre as formas nas quais encarnamos os valores e narrativas da nossa tradição há aqueles que promovem o estudo com a distânciado analista enquanto outros procuram encontrar os caminhos para que a voz dos profetas para citar um exemplo se encarne na maneira como vivemos nossas vidas diárias encaramos nossas relações comerciais ou nos relacionamos com as injustiças do mundo e do sofrimento dos outros nesta noite de shavuot enquanto simbolicamente voltamos a nos reunir ao pé do sinai somos convidados a ler textos de nossos profetas amós por exemplo seria uma boa escolha e discutir a influência que eles poderiam ter em nosso envolvimento ativo no que acontece em nossos tempos ler a introdução que abraham joshua heschel escreveu em seu livro sobre os profetas pode completar esta proposta a torá não é apenas texto e valores mas também a lei consequentemente o tikun de shavuot é uma boa oportunidade para repensar nossa relação com a halachá a lei judaica o movimento conservador sempre manteve a centralidade da halachá na construção da identidade individual esta halachá o produto de um consenso humano e subjetivo entende-se a partir de uma perspectiva progressista e dinâmica razão pela qual a lei reflete em seu seio os tempos modernos neste diálogo a halachá se torna uma estrutura viva que fornece

[close]

p. 7

respostas transcendentes a partir de sua ligação orgânica com as nossas vidas qual é a nossa relação com essa lei no contexto das nossas comunidades como incorporarmos a halachá em nossas vidas de modo tal que ela se torne um caminho onde construir a nossa identidade judaica como se manifesta o nosso compromisso com a visão que tem o judaísmo conservativosobre a halachá e sua aplicação em questões concretas e cotidianas após a revelação divina no sinai o povo disse em uníssono faremos e ouviremos a torá é um chamado à ação portanto shavuot também pode ser um bom momento para se pensar sobre aquelas ações concretas leis e rituais que enriquecem a nossa existência tanto no contexto do nossas kehilot como no de nossas famílias uma pergunta que pode fundamentar a discussão sobre a lei e o judaísmo tem a ver com o significado dessas leis ou como se diz em hebraico taamei hamitzvot por que deveríamos continuar a cumprir a halachá qual é o significado das mitzvot em nosso tempo historicamente a teologia bíblica argumenta que se cumprirmos os mandamentos de deus receberemos recompensas enquanto que se optarmos por permanecer à margem da lei estaremos expostos a severas punições na verdade milhares de anos depois vários rabinos contemporâneos continuam a apoiar este tipo de teologia por outro lado alguns argumentam que a conformidade com os preceitos judaicos serve justamente para construirmos um senso de comunidade de prática e forjarmos uma identidade de grupo que é necessário para a continuidade significativa daqueles que se reúnem lá de acordo com esses pensadores entre eles o rabino mordechai kaplan z l construimos a civilização judaica a partir de muitos vetores e mitzvot é um deles despojarmo-nos da lei é nos desligarmos de um caminho central do judaísmo finalmente um terceiro grupo enfatiza a etimologia da palavra mitzvá enquanto mitzvá em hebraico refere-se ao cumprimento de mandamentos e preceitos em aramaico a raiz da palavra mitzvá pode ser traduzida como união um exemplo é a palavra aramaica tzavta neste sentido o cumprimento de mitzvot não está ligado à procura de recompensas neste mundo ou no outro ou à construção de uma identidade de grupo mas porque elas nos unem a nós mesmos à comunidade e especialmente a deus poder estudar estas três posições e discutir o assunto pode ajudar-nos a renovar o nosso compromisso com a halachá na verdade pessoalmente acredito que um dos grandes desafios que temos pela frente no nosso mundo judaico liberal é desenvolver umahagadá um sistema de taamei hamitzvot que dê sentido ao cumprimento da lei de modo progressivo autêntico e relevante para os nossos tempos agora todo tikun que se preze não pode ter torá se não tiver também comida e espiritualidade que a música agregaaos momentos de estudo e reflexão o judaísmo nos chama para compartilhar a mesa onde há sempre livros e pratos para degustarmos e abençoarmos partimos e compartilhamos o pão e sabedoria que é construída por todos por isso é importante participarmos e juntarmos nossas vozes para o diálogo se enriqueceça e para que nossas comunidades possam prosperar em um mundo que necessita cada vez de kehilot que saibam promover um equilíbrio justo entre a torá eo jornal diário entre a tradição ea mudança entre o respeito pelo passado e a celebração de nosso presente que permitam a continuidade significativa do nosso povo e tradição chag sameach rabbi joshua kullock comunidade judaica de guadalajara @kullock

[close]

p. 8

dios torá y estudio percibir la presencia de dios en el mundo en las cosas el segundo es el de percibir su presencia en la biblia el tercero es el de percibir su presencia en los actos sagrados preguntas para reflexionar ¿pueden contar algún caso en el que hayan sentido la presencia de dios en las diferentes dimensiones que heschel propone ¿acaso hay otras dimensiones además de las que heschel menciona selección de fuentes para shavuot ya decían nuestros sabios que la torá tiene setenta caras o sea innumerables formas de interpretación y entendimiento pero independientemente de los distintos métodos todos los sabios de todas las épocas vieron en la torá una forma de llegar a dios aquí traemos algunos ejemplos del encuentro entre el hombre el texto y lo divino con algunas preguntas para usar como disparadores del diálogo 3 rambam more nebujim guía de los perplejos 3ª parte cap 51 y yo abro mis palabras con esta parábola que invente para ti y dice hay un rey en su palacio y alrededor a lo largo del reino se encuentran sus súbditos de ellos hay quienes están con su espalda hacia el palacio y con la cara mirando hacia fuera y están quienes quieren dirigirse a la casa del rey y fijan su mirada hacia el palacio y buscan encontrarse con el rey pero hasta el día de hoy estos últimos no han llegado ni hasta la muralla externa del palacio hay otros que están en el patio del palacio y que dan vueltas alrededor en búsqueda de la puerta y hay quien entró y está en el vestíbulo de entre ellos hay algunos que llegaron a entrar al palacio pero no vieron al rey ni pudieron hablar con él ya dentro de la casa algunos hasta pudieron penetrar a la habitación del rey escuchar sus palabras y hasta hablarle preguntas para reflexionar ¿cuántos tipos de personas describe el rambam en su parábola ¿qué representan el rey y el palacio ¿qué tipo de contacto se produce entre el rey y el súbdito 1 kaufman kolher franz rosenzweig on revelation la revelación es un acto inefable y único que llena el alma -del hombre del sentimiento de amor a dios de confianza y de comprensión del plan divino de redención humana universal el hombre a través de la experiencia de la revelación se hace partícipe de la esencia divina y del misterio de la creación preguntas para reflexionar ¿de qué maneras podemos sentir la experiencia de la revelación ¿es este un sentimiento universal ¿de qué forma esta experiencia nos hace partícipes de la esencia divina ¿es esta una experiencia única o repetible 2 a j heschel dios en busca del hombre ediciones seminario rabinico pp 40-41 existen tres puntos de partida para la contemplación de dios tres sendas que conducen a él el primer camino es el de 4 zohar tomo 2 shmot parshat mishpatim pag 99ª cuan confundidos están los mortales en su entendimiento que no ven el camino verdadero de la torá la torá los llama

[close]

p. 9

todos los días con amor y ellos no se disponen a tornar hacia ella y a pesar de que dije que la torá asoma un poquito de si de su guarida se descubre un poquito y en seguida se vuelve a ocultar así es la torá y en el momento en que sale de su escondite y se muestra aunque sea por unos instantes lo hace solo con aquellos que la conocen y la quieren ¿a qué se parece esto a una amada que es muy bella en presencia y que está encerrada en su palacio ella tiene un amante único al cual nadie conoce sino que es secreto este amante por el amor con que la ama pasa todos los días por la puerta de su casa y eleva sus ojos hacia su aposento y ella sabe que es su amante el que da vueltas por el castillo a diario ¿qué hace ella abre una pequeña ventana de su habitación secreta y descubre su rostro a su amado para inmediatamente volverse a cubrir todos aquellos que están cerca de la doncella no la ven y no la entienden solo su amante cuyas entrañas corazón y alma están dirigidos a ella y él sabe que es por el amor que ella siente que se muestra para él por un segundo para despertar en él el amor así es la palabra de la torá dvar hatorá ella no se descubre sino solo ante sus amantes sabe la torá que el sabio de corazón da vueltas todos los días frente a su palacio ¿qué hace ella descubre su rostro para él desde la ventana y lo insinúa y en seguida ella vuelve a su lugar y se oculta todos los que están ahí con ella no la conocen y no la entienden sino solamente él cuyo corazón entrañas y alma salen hacia ella y por eso que la torá se descubre y se oculta actuando con amor hacia su amante para despertar en él el amor ven y observa así es el camino de la torá al principio cuando ella empieza a descubrirse al hombre ella le insinúa con indicios ­remez si entendió bien y si no ella lo manda a buscar y lo llama zonzo y dice la torá para ese que hizo llamar díganle a ese zonzo que venga para acá y conversaré con él como está escrito que el zonzo venga y el falto de corazón proverbios 9 4 cuando llega ella empieza a hablar con él a través de un velo con el que ella se cubre para exponerle las cosas según su entendimiento hasta que pueda llegar un poquito más profundo y eso es el drash ¿exégesis después de eso ella sigue conversando con él ahora a través de una cinta angosta palabras de adivinanzas y eso es la hagadÁ ¿el relato una vez que él se acostumbró a ella ella se descubre ante él cara a cara y habla con él acerca de sus secretos ocultos sod y de sus caminos ocultos que estaban escondidos dentro suyo desde el principio de los tiempos y entonces él es un hombre completo el esposo de la torá el dueño de casa dado que ella le mostró todos sus secretos y no le ocultó más nada le dice entonces la tora ¿viste lo que te insinué al principio bueno tantos y tantos secretos había en ese indicio así y así era realmente enseguida él ve que no había nada para agregar o quitar de las palabras de ella y se da cuenta de eso que es el pshat hakatuv ¿el texto literal al cual no se puede agregar ni quitar ni siquiera una sola letra y es por eso que los hombres deben cuidarse de seguir siempre a la torá y ser su amante como está dicho preguntas para reflexionar ¿qué tipos de estudiosos de la torá describe el zohar ¿cuál es el papel de la torá en el proceso ¿qué diferencias encuentran entre esta parábola y la del rambam ¿qué significa que el pshat hakatuv sea para el zohar el nivel más elevado de estudio e intimidad con la torá ¿acaso nos hemos pensado alguna vez como amantes de la torá selección traducción y guía de preguntas directora del instituto abarbanel de formación docente y estudios judaicos del seminario rabinico latinoamericano m t meyer rabina silvana kandel

[close]

p. 10

capítulo 4 1 e boaz subiu à porta e assentou-se ali e eis que o remidor de que boaz tinha falado ia passando e disse-lhe o fulano vem cá assenta-te aqui e desviou-se para ali e assentou-se 2 então tomou dez homens dos anciãos da cidade e disse assentai-vos aqui e assentaram-se 3 então disse ao remidor aquela parte da terra que foi de elimeleque nosso irmão noemi que tornou da terra dos moabitas está vendendo 4 e eu resolvi informar-te disso e dizer-te compra-a diante dos habitantes e diante dos anciãos do meu povo se a hás de redimir redime-a e se não houver de redimir declara-mo para que o saiba pois outro não há senão tu que a redima e eu depois de ti então disse ele eu a redimirei 5 disse porém boaz no dia em que comprares a terra da mão de noemi também a comprarás da mão de rute a moabita mulher do falecido para suscitar o nome do falecido sobre a sua herança 6 então disse o remidor para mim não a poderei redimir para que não prejudique a minha herança toma para ti o meu direito de remissão porque eu não a poderei redimir 7 havia pois já de muito tempo este costume em israel quanto a remissão e permuta para confirmar todo o negócio o homem descalçava o sapato e o dava ao seu próximo e isto era por testemunho em israel 8 disse pois o remidor a boaz toma-a para ti e descalçou o sapato 9 então boaz disse aos anciãos e a todo o povo sois hoje testemunhas de que tomei tudo quanto foi de elimeleque e de quiliom e de malom da mão de noemi 10 e de que também tomo por mulher a rute a moabita que foi mulher de malom para suscitar o nome do falecido sobre a sua herança para que o nome do falecido não seja desarraigado dentre seus irmãos e da porta do seu lugar disto sois hoje testemunhas 11 e todo o povo que estava na porta e os anciãos disseram somos testemunhas o senhor faça a esta mulher que entra na tua casa como a raquel e como a lia que ambas edificaram a casa de israel e porta-te valorosamente em efrata e faze-te nome afamado em belém 12 e seja a tua casa como a casa de perez que tamar deu à luz a judá pela descendência que o senhor te der desta moça 13 assim tomou boaz a rute e ela lhe foi por mulher e ele a possuiu e o senhor lhe fez conceber e deu à luz um filho 14 então as mulheres disseram a noemi bendito seja o senhor que não deixou hoje de te dar remidor e seja o seu nome afamado em israel 15 ele te será por restaurador da alma e nutrirá a tua velhice pois tua nora que te ama o deu à luz e ela te é melhor do que sete filhos 16 e noemi tomou o filho e o pôs no seu colo e foi sua ama 17 e as vizinhas lhe deram um nome dizendo a noemi nasceu um filho e deramlhe o nome de obede este é o pai de jessé pai de davi 18 estas são pois as gerações de perez perez gerou a esrom 19 e esrom gerou a rão e rão gerou a aminadabe 20 e aminadabe gerou a naassom e naassom gerou a salmom 21 e salmom gerou a boaz e boaz gerou a obede 22 e obede gerou a jessé e jessé gerou a davi.

[close]

p. 11



[close]

p. 12

com os vivos nem para com os mortos disse-lhe mais noemi este homem é nosso parente chegado e um dentre os nossos remidores 21 e disse rute a moabita também ainda me disse com os moços que tenho te ajuntarás até que acabem toda a sega que tenho 22 e disse noemi a sua nora melhor é filha minha que saias com as suas moças para que noutro campo não te encontrem 23 assim ajuntou-se com as moças de boaz para colher até que a sega das cevadas e dos trigos se acabou e ficou com a sua sogra capítulo 3 1 e disse-lhe noemi sua sogra minha filha não hei de buscar descanso para que fiques bem 2 ora pois não é boaz com cujas moças estiveste de nossa parentela eis que esta noite padejará a cevada na eira 3 lava-te pois e unge-te e veste os teus vestidos e desce à eira porém não te dês a conhecer ao homem até que tenha acabado de comer e beber 4 e há de ser que quando ele se deitar notarás o lugar em que se deitar então entrarás e descobrir-lhe-ás os pés e te deitarás e ele te fará saber o que deves fazer 5 e ela lhe disse tudo quanto me disseres farei 6 então foi para a eira e fez conforme a tudo quanto sua sogra lhe tinha ordenado 7 havendo pois boaz comido e bebido e estando já o seu coração alegre veio deitar-se ao pé de um monte de grãos então veio ela de mansinho e lhe descobriu os pés e se deitou 8 e sucedeu que pela meia noite o homem estremeceu e se voltou e eis que uma mulher jazia a seus pés 9 e disse ele quem és tu e ela disse sou rute tua serva estende pois tua capa sobre a tua serva porque tu és o remidor 10 e disse ele bendita sejas tu do senhor minha filha melhor fizeste esta tua última benevolência do que a primeira pois após nenhum dos jovens foste quer pobre quer rico 11 agora pois minha filha não temas tudo quanto disseste te farei pois toda a cidade do meu povo sabe que és mulher virtuosa 12 porém agora é verdade que eu sou remidor mas ainda outro remidor há mais chegado do que eu 13 fica-te aqui esta noite e será que pela manhã se ele te redimir bem está que te redima porém se não quiser te redimir vive o senhor que eu te redimirei deita-te aqui até amanhã 14 ficou-se pois deitada a seus pés até pela manhã e levantou-se antes que pudesse um conhecer o outro porquanto disse não se saiba que alguma mulher veio à eira 15 disse mais dá-me a capa que tens sobre ti e segura-a e ela a segurou e ele mediu seis medidas de cevada e lhas pôs em cima então foi para a cidade 16 e foi à sua sogra que lhe disse como foi minha filha e ela lhe contou tudo quanto aquele homem lhe fizera 17 disse mais estas seis medidas de cevada me deu porque me disse não vás vazia à tua sogra 18 então disse ela espera minha filha até que saibas como irá o caso porque aquele homem não descansará até que conclua hoje este negócio.

[close]

p. 13



[close]

p. 14

capítulo 2 1 e tinha noemi um parente de seu marido homem valente e poderoso da família de elimeleque e era o seu nome boaz 2 e rute a moabita disse a noemi deixa-me ir ao campo e apanharei espigas atrás daquele em cujos olhos eu achar graça e ela disse vai minha filha 3 foi pois e chegou e apanhava espigas no campo após os segadores e caiu-lhe em sorte uma parte do campo de boaz que era da família de elimeleque 4 e eis que boaz veio de belém e disse aos segadores o senhor seja convosco e disseramlhe eles o senhor te abençoe 5 depois disse boaz a seu moço que estava posto sobre os segadores de quem é esta moça 6 e respondeu o moço que estava posto sobre os segadores e disse esta é a moça moabita que voltou com noemi dos campos de moabe 7 disse-me ela deixa-me colher espigas e ajuntá-las entre as gavelas após os segadores assim ela veio e desde pela manhã está aqui até agora a não ser um pouco que esteve sentada em casa 8 então disse boaz a rute ouves filha minha não vás colher em outro campo nem tampouco passes daqui porém aqui ficarás com as minhas moças 9 os teus olhos estarão atentos no campo que segarem e irás após elas não dei ordem aos moços que não te molestem tendo tu sede vai aos vasos e bebe do que os moços tirarem 10 então ela caiu sobre o seu rosto e se inclinou à terra e disselhe por que achei graça em teus olhos para que faças caso de mim sendo eu uma estrangeira 11 e respondeu boaz e disse-lhe bem se me contou quanto fizeste à tua sogra depois da morte de teu marido e deixaste a teu pai e a tua mãe e a terra onde nasceste e vieste para um povo que antes não conheceste 12 o senhor retribua o teu feito e te seja concedido pleno galardão da parte do senhor deus de israel sob cujas asas te vieste abrigar 13 e disse ela ache eu graça em teus olhos senhor meu pois me consolaste e falaste ao coração da tua serva não sendo eu ainda como uma das tuas criadas 14 e sendo já hora de comer disse-lhe boaz achega-te aqui e come do pão e molha o teu bocado no vinagre e ela se assentou ao lado dos segadores e ele lhe deu do trigo tostado e comeu e se fartou e ainda lhe sobejou 15 e levantando-se ela a colher boaz deu ordem aos seus moços dizendo até entre as gavelas deixai-a colher e não a censureis 16 e deixai cair alguns punhados e deixai-os ficar para que os colha e não a repreendais 17 e esteve ela apanhando naquele campo até à tarde e debulhou o que apanhou e foi quase um efa de cevada 18 e tomou-a e veio à cidade e viu sua sogra o que tinha apanhado também tirou e deu-lhe o que sobejara depois de fartarse 19 então disse-lhe sua sogra onde colheste hoje e onde trabalhaste bendito seja aquele que te reconheceu e relatou à sua sogra com quem tinha trabalhado e disse o nome do homem com quem hoje trabalhei é boaz 20 então noemi disse à sua nora bendito seja ele do senhor que ainda não tem deixado a sua beneficência nem para

[close]

p. 15



[close]

Comments

no comments yet