Revista Digital Aclac 15ª Edição

 

Embed or link this publication

Description

Revista Digital Aclac 15ª Edição

Popular Pages


p. 1

edição xv bimestral ano ii março abril de 2013 revista digital da academia cabista de letras artes e ciências especialmente da grécia para a aclac no rio de janeiro giorgos halvatzis 1

[close]

p. 2

acadÊm adquira você pelerine d 65 reais 35 reais d total r 2 contatos pelo e-mail:

[close]

p. 3

micoa ê também a da aclac do sedex um livro r 120,00 poesiarte@hotmail.com 3

[close]

p. 4

visÃo acadÊmica por rodrigo octávio pereira de andrade rodrigo poeta poeta professor pesquisador e presidente da aclac thiago de mello o poeta milagreiro lendo o livro do poeta thiago de mello intitulado campo de milagres vi a luz da simplicidade em seus versos a luz da inteligência é a lucidez um misto de prosa poética cantada aos sons dos passarinhos da amazônia ao olhar de versos transparentes como sua alma o uirapuru só canta quando precisa cantar um livro que perpetua a palavra simplicidade uma palavra rara nos dias de hoje mas viva em corações puros e que vivem em esplendor com a natureza divina o desenho colorido dá nome ao pássaro mágico nome e alma uma banda-de-asa dançando ensina o ser vivo carece da de outra metade campo de milagres mostra o milagre maior o dom de se fazer poesia fazer poesia por prazer em sintonia com os encantamentos da floresta e das belas coisas da vida que a flor só passa a ser rosa e só atende e só vem cheirosa quando a poesia a chama pelo nome a serenidade do olhar do poeta faz com que o rio siga em mão dupla onde as mazelas são levadas pela simplicidade de viver plenamente e vice-versa numa profunda reflexão sobre a vida entre o canto do uirapuru na floresta a falta de luz do homem pela própria floresta afinal o poeta trabalha não para si e sim para o seu leitor que espera por palavras que possam trazer um grande milagre no seu campo que é a vida 4

[close]

p. 5

sabe o que estas pessoas têm em comum todas conheceram e fizeram parte do portal r.a.j conheça e faça parte você também the platters notícias filmes publicidade entrevistas beleza moda carros psicologia poesia contos esportes cultura vídeos e muito mais portal r.a.j acesse www.portalraj.com.br 5

[close]

p. 6

atenÇÃo acadÊmicos artigo do regimento interno que deve ser cumprido pelos correspondentes e honorários art 6º os correspondentes e honorários deverão respeitar os seguintes parágrafos deste artigo i divulgar a entidade em sua cidade e em todo território nacional e possivelmente no exterior ii usar a logo marca da entidade mas somente para cunho cultural iii a divulgação pode ser em meio de comunicação como jornal impresso eventos a serem realizados tv internet e outro meio que possa levar o nome da entidade iv nunca usar o nome da entidade em vão v sempre que possível enviar ao endereço da academia livros cds fotos obras de arte cartazes que divulgam a sua arte com a logo da entidade podendo ser aceito via e-mail caso não possa enviar a postagem vi aos que receberem o diploma via e-mail deverão imprimir e tirar uma foto para ser enviada a entidade vii como nossa entidade não cobra ônus ao membro correspondente ao membro honorário ambos acadêmicos dependentes de título deverão fazer um relatório todo ano para mostrar sua atuação em favor da entidade viii o membro correspondente e honorário será divulgado no blog da entidade e por outros meios de comunicação ix poderá participar de antologias de encontros culturais fazer palestras e terá toda à logística caso venha à sede da entidade em arraial do cabo para ser divulgado tanto o seu nome como o seu trabalho x ao fazer o juramento passará ser um imortal correspondente ou honorário da academia tendo sua cadeira perpétua só perderá sua honraria caso não se comunicar-se durante um ano com a entidade usar o nome da entidade se não for para fins culturais morte ou por falta de decoro xi só serão aceitas inscrições para o quadro de membro correspondentes artistas que não residam na região dos lagos xii os escolhidos para serem membros honorários poderão ser de qualquer cidade brasileira e estrangeira serão escolhidos pelos seus trabalhos desenvolvidos nas letras artes e ciências rodrigo octavio pereira de andrade presidente da academia cabista de letras artes e ciências de arraial do cabo-rj visite o blog da entidade sua foto e dados agora constam lá segue o link aclacademiacabista.blogspot.com 6

[close]

p. 7

edições bimestrais toda veiculação passa periodicamente por um processo de renovação nada em qualquer veículo de comunicação no brasil e no mundo é permanente isto ocorre no intuito de que o mesmo não perca a qualidade e esteja sempre acompanhando as necessidades e interesses de seu público leitor assim a revista cujo escopo desde a primeira veiculação foi a difusão da cultura no país além é claro da divulgação da academia cabista e do trabalho de seus membros cumpre seu papel sendo esta a sua 15ª edição bimestral ocorreu que edição após edição a revista digital se ampliou de tal forma que chegou a mais de 100 páginas e hoje conta com o apoio do site da academia que garante tão grande divulgação e acessos quanto a participação no site também é cada vez maior e sendo assim foi preciso repensar os propósitos desta revista para renová-la e deixá-la mais gostosa de se ler tal processo ainda não acabou mas objetivando sempre a qualidade da leitura e a facilidade de se abrir o link no pc tablet ou iphone as edições futuras da revista serão mais compactas e bimestrais assim o mesmo conteúdo ficará melhor e mais fácil para você apreciar haverão ainda mais contos e mais poesias mais arte e claro um trabalho mais leve para se ler onde e como quiser aos amigos leitores e confrades contamos desde já com suas sugestões uma boa leitura Índice art a caneta arte grécia séc vii e v a c poesias e contos diversos pÁg 8 pÁg 10 pÁg 12 galeria aclac atriz e artesã nica bonfim pÁg 40 acadêmico rodrigo noval lança poesia nua pÁg 46 entrevista giorgios halvatzis homenagem à nélio aguiar pÁg 50 pÁg 52 pÁg 54 caricaturando academia cabista de letras artes e ciênciasaclac fundada em 12 de dezembro de 2005 no município de arraial do cabo/rj patrono cecílio barros pessoa símbolo o farol cores azul e amarelo end rua campos salles nº 11 centro cep 28930-000 arraial do cabo rj e-mail aclac.academiadearraialdocabo@gmail.com site http aclacademiacabista blogspot.com endereço postal para presidente acadêmico rodrigo o pereira de andrade rua jorge lóssio nº 1.478 bairro vila nova cidade cabo frio/rj cep 28907-015 diretoria para o biênio 2012/2013 presidente rodrigo octavio pereira de andrade vice-presidente wenceslau da cunha secretária executiva camila reis secretário mateus azevedo gago diretor de biblioteca e patrimônio josé henrique tesoureiro delvan rocha diretor de comunicação fernando aires diretora do centro de estudos e pesquisa luciana netto conselho fiscal toninho vidal normando cardoso de andrade e adari lacerda colaboradores roldão aires fernando aires antonio francisco cândido josé luiz zel humor alex feitosa editado por fernando aires mtb 45.161-sp portal r.a.j www.portalraj.com.br 7

[close]

p. 8

a caneta por antônio francisco cândido membro correspondente da aclac em congonhal mg 8 desde os primórdios da humanidade o homem já pressentiu a necessidade da comunicação para que a vida fosse menos complexa e mais interativa iniciou-se a comunicação ou seja a escrita por símbolos gravuras sinais até os mais eficientes meios que dispomos hoje e no futuro com certeza novas técnicas sobrevirão ainda hoje com todo o avanço tecnológico um dos instrumentos mais acessíveis senão o mais usado na escrita ainda é a caneta seja ela simples sofisticada de plástico prata ou ouro o que se pensa ou se escreve não altera portanto esta seja uma equivalência interessante e ambígua ao mesmo tempo pois diferencia-se os modelos as cores os formatos por conseguinte o que se escreve não altera o contexto e a essência a caneta é um instrumento simples de fácil locomoção cabível em qualquer lugar todavia pode-se com ela construir um paraíso ou descer aos mais terríveis e inimagináveis caminhos aparentemente inofensiva com ela assina-se construções de escolas hospitais moradias templos religiosos assim como declara-se uma guerra confirma-se uma sentença de morte consolida-se inúmeras injustiças e condena-se inocentes libertando culpados sua aparência pode ser simples ou

[close]

p. 9

sofisticada porém seu poder torna-se arrasador quando nas mãos de uma pessoa inescrupulosa e também quando usada sob pressão ou mesmo a emoção imagine um escritor um poeta um político ou mesmo uma pessoa que tenha o dom da escrita e desprovida do bom senso o que pode acarretar na vida de uma ou de milhões de pessoas usando ainda que por frações de minutos a simples e aparentemente inofensiva caneta acredito não ser necessário termos uma formação acadêmica para entendermos e compreendermos o que se pode causar na vida de muitos com a caneta nas mãos e o poder terreno sobre a influência de uma circunstância adversa onde cada um fala por si e a situação exija uma ação rápida e a responsabilidade seja intransferível a caneta em mãos humanas já proporcionou e proporciona incontidas alegrias e incalculáveis tristezas assim como salva vidas e ceifa-as ao mesmo tempo a caneta não vê não fala e não se move sozinha porém ao ser utilizada são inimagináveis as alegrias as emoções e o bem estar que dela provém assim como são incontáveis os choros as lágrimas e as injustiças que muitas vezes nunca serão reparados a sentença está nas mãos do seu usuário 9

[close]

p. 10

grécia séculos vii por roldão aires membro honorário da aclac em são paulo 10 10

[close]

p. 11

i e v a.c f o/sp oi no grande deserto onde o sol escaldante a tudo queima e onde o solo só dá o alimento através dos rios que os mais antigos estilos de arte surgiram e dominados foram por déspotas orientais permanecendo inalterados por milhares de anos esses lugares não estavam confinados a um só senhor eram esconderijos de reis e piratas que cruzavam os mares acumulando riquezas o principal centro dessas áreas foi a ilha de creta onde os rios eram ricos e poderosos e enviavam à embaixada do egito presentes cuja arte causou profunda impressão na corte faraônica não sabemos o povo que então morava em creta e cuja arte tornara-se um motivo de cópia para todo o continente grego sobretudo micenas em 1.000 a.c outras tribos vindas da europa entraram na montanhosa península da grécia indo até a asia menor e entre elas estavam tribos gregas da qual conhecemos a história no primeiro século de domínio da arte sobre a grécia as obras eram de uma arte rude e primitiva a cerâmica que faziam era decorada com padrões geométricos simples os desenhos passavam a representar as lendas e histórias contadas através das navegações as coisas simples de então contribuíram para o estilo de construção dos gregos e que por estranho que pareça ainda perdura em nossas cidades e aldeias 11

[close]

p. 12

saber de amor membro honorário da aclac em são paulo/sp por roldão aires saber entender de amor só quem o amor viveu dos pretensos amores aos reais sobre eles falar,difícil é e dos enganos tidos esses são os mais fatais amar e ver que não se é 12

[close]

p. 13

correspondido faz um corte no coração sentido a vivência disso cuida aos poucos medicando vai aonde sangrou com o tempo se mexer dói sangrar não sangra cicatrizou 13

[close]

p. 14

maÇonaria membro correspondente da aclac em congonhal/mg por antônio francisco cândido sociedade benemérita e filantrópica por todo o mundo espalhada homens livres e de bons costumes e as diversidades religiosas respeitadas da acácia amarela a liberdade o ouro que a todos inflama homens sensatos honestos e caridosos mantém viva tão bela e formosa chama 14

[close]

p. 15

sua história é marcada por calúnias e difamações partindo de muitos que não a compreenderam desconhecem irmãos que o sangue derramaram e países que sua independência por ela estabeleceram o esquadro e o compasso dos homens e pedreiros livres e o olho que tudo vê para muitos um símbolo decorativo mas ele nunca se esquece de você foi combatida ultrajada e difamada em sua busca pela igualdade a liberdade e a fraternidade passou-se o pesadelo pairando um novo alvorecer trilhando caminhos rumo à posteridade 15

[close]

Comments

no comments yet