Ratio Institutiones da OCDS

 

Embed or link this publication

Description

Esta Ratio Institutionis trata de apresentar as linhas programáticas para a formação dos membros da Ordem Secular do Carmelo e oferecer o marco geral de um programa para realizar essa formação.

Popular Pages


p. 1

ratio institutionis da ordem secular dos carmelitas descalços 17 de setembro de 2009 ­ santo alberto de jerusalém aos superiores provinciais delegados provinciais e membros da ordem secular meus queridos irmãos e irmãs carmelitas o definitório geral alegra-se em poder apresentar a ratio institutionis da ordem secular dos carmelitas descalços o texto contido nesta relação foi desenvolvido ao longo do sexênio anterior pela secretaria geral para a ordem secular foi apresentado no capítulo geral de fátima em abril deste ano 2009 cujos membros fizeram algumas sugestões uma vez incorporadas ao texto foi apresentado ao novo definitório que por sua vez enriqueceu com sua contribuição e aprovou a redação em inglês em junho de 2009 durante o verão do mesmo ano foi traduzido para o italiano espanhol e francês e no dia de hoje já estão à disposição de todos uma ratio institutionis não é em si mesma um programa de formação cada jurisdição da ordem é responsável do esquema próprio e a conseqüente aplicação de um programa de formação a ratio é um documento que busca apresentar os princípios fundamentais que guiam o processo formativo isto é a filosofia que sustenta a formação dos membros do instituto a formação se faz em nome da ordem em cada um dos territórios e circunscrições o que permite que como deve ser haja sempre um suplemento local na formação de cada comunidade concreta este documento portanto contribui com os princípios elementares de direção geral que deve acompanhar a formação local o documento está dividido em duas partes principais a primeira que abrange dos números 1 ao 93 que compreende à ratio em si mesma dividida por sua vez em duas seções na primeira encontram-se os números das constituições que tratam do tema da formação na segunda acham-se os princípios que ajudam no discernimento da vocação à ordem secular a segunda parte principal apresenta um modelo desenvolvido de formação não se trata de um plano fechado mas de um esboço que ajudará às circunscrições a desenvolver seu próprio e específico programa como é de sua competência qualquer província ou circunscrição que já tenha desenvolvido seu programa de formação específico e o tenha submetido à apreciação do definitório para sua aprovação pode substituir este modelo pelo programa aprovado apresento pois em nome do definitório esta ratio institutionis com a sincera esperança de que guiará aos membros de nossa ordem secular a um mais profundo apreço de sua vocação à santidade no amor de deus e o serviço à igreja p saverio cannistrà ocd prepósito geral 1

[close]

p. 2

ratio institutiones para a ordem secular 1 esta ratio institutionis trata de apresentar as linhas programáticas para a formação dos membros da ordem secular do carmelo e oferecer o marco geral de um programa para realizar essa formação 2 o artigo 46 das constituições da ordem secular estabelece na primeira frase quem constitui a autoridade imediata da comunidade na ocds na segunda frase especifica que a responsabilidade primordial dessa autoridade é a formação e amadurecimento cristão e carmelitano dos membros da comunidade caberia esperar que a responsabilidade primária da autoridade determinada de uma organização pudesse ordenar-se ao governo dessa organização as constituições ocds no entanto assinalam que sua responsabilidade fundamenta-se em formar a comunidade inteira 3.isto nos indica qual é o objetivo da existência das comunidades da ordem secular nossas comunidades têm como meta específica e fundamental um processo permanente de entender a identidade do carmelita no mundo de hoje e descobrir qual é o serviço específico a ser prestado a deus à igreja à ordem e ao mundo o governo seja como forma de controle ou de organização aparece como secundário e de apoio à primeira intenção de fato se a formação é adequada o governo chega a ser relativo 4 o número 32 das constituições indica que a finalidade da formação é preparar a pessoa para viver a espiritualidade do carmelo esta frase das constituições põe em relevo o propósito formativo indica-nos aqueles elementos que não são prioritários no programa de formação a finalidade do programa de formação não é promover especialistas acadêmicos na espiritualidade carmelitana o fim do programa de formação tampouco se orienta a obter um título universitário em teologia espiritual 5 a finalidade é preparar a pessoa isto é o processo de formação se deve dirigir à pessoa concreta quem bate às portas do carmelo secular são com poucas exceções pessoas carregadas de compromissos familiares profissionais e outros tantos compromissos o programa de formação deve ser bastante flexível como para que possa adaptar-se às circunstâncias de cada pessoa que se incorpore ao processo 6 o propósito da formação é preparar a pessoas concretas inspiradas pelo espírito santo para que possam viver uma vida espiritual segundo os princípios da espiritualidade dos carmelitas descalços quando se entende isto com clareza o conselho poderá então ajudar a essas pessoas individualmente seja como membro novo seja os mais antigos isto também implica na necessidade de um adequado discernimento acerca da vocação ao carmelo 7 uma boa formação depende de uma boa informação ao mesmo tempo deve ficar claro que a formação é algo diferente da mera informação É dever primordial dos responsáveis pela formação acompanhar os formandos para ajudar-lhes como podem viver o que aprendem no processo 2

[close]

p. 3

formativo a informação que se lhes dá através da leitura e dos encontros de formação intelectual aulas deve servir-lhes de ajuda no crescimento espiritual da pessoa 8 será de grande ajuda para o desenvolvimento do programa de formação que a pessoa responsável da mesma institua em nome da comunidade uma equipe que possa apresentar a informação necessária poderá ocorrer que algumas pessoas da comunidade sejam capazes de apresentar uns temas e outras outros e assim conjuntamente apresentarão um programa mais eficaz isto também ajuda a não sobrecarregar a quem se responsabiliza especificamente sobre a formação 9 o período de preparação para formar patê do carmelo secular é um processo de seis anos de duração as constituições tratam deste processo no número 36 como gradual além de flexibilidade por parte do participante e da comunidade ambos devem também ser pacientes num processo que se dá passo a passo em geral as pessoas que se aproximam da ordem secular são sinceras no amor a deus e o desejo de uma vida espiritual mais profunda vêm com um amor especial à virgem maria e ao escapulário vêm ao carmelo convencidas já da necessidade de orar e geralmente estas convicções e estes desejos necessitam ser dirigidos por princípios teológicos litúrgicos e espirituais sadios 10 a comunidade o conselho o formador os colaboradores na formação e o assistente espiritual da comunidade devem estar dispostos a ajudar os com o exemplo e com a direção aos novos membros da comunidade e as novas pessoas hão de estar intelectual e pessoalmente abertas aos novos caminhos da vida espiritual que aprenderão no carmelo 11 no programa de formação como vem delineado nas constituições cabe ao conselho admitir os candidatos a cada etapa de formação por esta razão o mesmo conselho deve estar interessado no processo da formação em sua tarefa 12 as mesmas constituições oferecem os elementos básicos e essenciais para a formação o sylabus ou programa apresentado aqui se considera como um oferecimento à ordem secular do mundo inteiro contém um processo para ir avançando através do material de formação de uma maneira organizada no entanto deverá adaptar-se às circunstâncias de cada nação e região apresenta-se aqui os elementos essenciais a serem incluídos em todo programa de formação aspectos essenciais da formação 13 ­ formação humana desenvolve nossa aptidão para o diálogo interpessoal respeito e tolerância mútuos prontidão ante a possibilidade de ser corrigidos e corrigir com serenidade capacidade de perseverar nos compromissos 3

[close]

p. 4

14 formação cristã aumenta nossa disposição para receber a base teológica necessária através do catecismo da igreja católica e os documentos do magistério eclesial nosso apreço por nossa consagração batismal nosso zelo por nossa própria conversão compromisso cristão e santidade de vida nosso fervor em viver as exigências do seguimento de jesus participando em sua missão salvadora e desenvolvendo nossa vocação profética real e sacerdotal 15 formação carmelitana confirma nossa identidade carmelitana através do estudo e leitura espiritual das escrituras e a prática da lectio divina da importância que se há de dar à liturgia da igreja especialmente à eucaristia e a liturgia das horas da espiritualidade do carmelo sua história as obras dos santos da ordem da formação na oração silenciosa e na meditação na formação para o apostolado fundamentado no ensinamento eclesial assumindo nosso estado laical no apostolado da ordem agentes de formaÇÃo na ordem secular do carmelo teresiano o principal educador o espírito santo 16 o espírito santo enviado pelo pai e o filho é o mestre principal da igreja quem se sentir chamado à vida do carmelo sabedor de ser morada do espírito pela graça há de ser consciente dessa presença inefável que o conduzirá a um conhecimento da verdade especialmente a respeito de sua própria vocação o espírito infundido para suscitar um novo nascimento através do batismo anima a quem é chamado para viver o mistério da trindade de uma maneira cada vez mais profunda e também para ser portador de frutos abundantes através da própria doação feita realidade na obras obras a virgem maria 17 a virgem maria está unida intimamente à ação do espírito santo mãe de cristo e nossa mãe ela esta implicada na vida espiritual de cada um mas especialmente na vocação ao carmelo sob sua proteção expressa no carmelo pelo escapulário todos os formandos na ordem estão amparados espiritualmente maria a mãe dos que crêem é para nós um modelo de contemplação 4

[close]

p. 5

comprometida e profética ela acolheu a boa nova com um claro discernimento e empreendeu prontamente suas demandas ela guardava a palavra meditando-a em seu coração e a proclamou livremente e com valor no magnificat seu exemplo contemplativo ­ apostólico será sublinhado no curso da formação para ajudar aos formandos a entender e praticar o que realmente significa seguir a jesus cristo como maria que foi o modelo perfeito de um discípulo do senhor a igreja 18 a igreja é inseparável de cristo ele a estabeleceu como amostra e instrumento de seu desígnio salvífico É o povo de deus que caminha através dos tempos ao encontro de seu senhor na igreja a presença evangelizadora e a atividade de jesus se prolonga na terra com a pregação da palavra e com os sacramentos que são agentes da graça para combater os agentes de pecado na sociedade no seguimento de cristo o carmelita secular conta com a ajuda da igreja pelas promessas o carmelita secular manifesta mais ainda o poder da vida sacramental especialmente o batismo a eucaristia e o sacramento da reconciliação cada candidato deve pois submergir-se na realidade que é a igreja que o convida a buscar a santidade como resposta quem se sente chamado experimentará uma necessidade crescente de dar-se também à igreja de alguma forma o carmelo 19 a ordem dos carmelitas descalços constitui uma família específica jurídica e carismática as comunidades da ordem secular do carmelo dependem juridicamente dos frades carmelitas descalços ordem religiosa e assim têm um caráter distinto de outras associações os superiores religiosos têm uma responsabilidade em relação a essas comunidades segundo suas respectivas constituições as constituições pelas quais são regidas as comunidades seculares lhes outorgam uma autonomia legítima e específica 20 o senhor criou a família religiosa do carmelo teresiano dotou-a de um carisma especial e continua dirigindo-a por seu espírito a ordem secular recebe novas vocações com alegria mas também com a sensação de responsabilidade de modo que nelas o carisma possa também ser entendido cotidianamente de maneira mais profunda dar frutos e expandir-se os novos candidatos são uma graça enriquecedora e um trampolim para a renovação espiritual verdadeira 21 o carmelo teresiano além do exemplo de seus fundadores tem seu próprio programa de formação tem um estilo próprio baseado em pessoas que foram tão maduras em sua fé que chegaram a ser santos e autoridades dentro de toda a igreja os doutores teresa de jesus joão da cruz e teresa do menino jesus e da sagrada face teresinha de lisieux a tradição que começaram como resultado de uma experiência vivida constitui o patrimônio formativo que impregna o carmelo a tarefa da ordem consiste hoje em ser continuadores dessa linha ininterrupta de educadores que preparam no e para nosso tempo pessoas atuais para a igreja como a beata elisabete da trindade edith stein e rafael kalinowski o candidato 5

[close]

p. 6

22 É o candidato o que tem a responsabilidade primordial de dar o sim a sua vocação e de aceitar as conseqüências de sua resposta isto não significa que ele deva ser o árbitro de seu próprio destino ou um autodidata no mais profundo de sua consciência candidato sabe que necessita da ajuda divina e humana dele depende estar aberto a um crescimento contínuo na sabedoria do evangelho que é o que lhe pede a gritos o mundo 23 o candidato é chamado a um profundo diálogo com deus na oração mas isto não teria sentido sem uma relação de confiança com os membros de sua comunidade especialmente os educadores com um progresso adequado ao longo das diferentes etapas o candidato deve conseguir uma idéia mais clara da importância e necessidade de nosso carisma para tanto assim deve aprender daqueles seculares adiantados na experiência que já estão praticando e estão propondo para ele e também dos documentos importantes de nossa família as constituições e os escritos de nossos santos a comunidade 24 a comunidade secular do carmelo é uma associação de fiéis inspirada pelo ideal da igreja primitiva onde tinham um só coração e uma só alma at 4,32 seus membros são animados pela espiritualidade do carmelo teresiano 25 a comunidade secular expressa o mistério da igreja-comunhão de fato provém da comunhão entre o pai o filho e o espírito santo de quem se alimenta toma parte na missão da igreja de convidar a todos a esta comunhão lg 1,19 26 a vida fraterna se inspira inicialmente na igreja primitiva dos irmãos da bem aventurada virgem maria do monte carmelo dada por santo alberto patriarca de jerusalém e confirmada por inocêncio iv fiéis aos ensinamentos de nossa santa madre teresa os membros são conscientes de que seu compromisso não sei pode realizar somente de uma maneira individual a vida fraterna é um lugar privilegiado onde se aprofundam se formam e amadurecem 27 É cristo em seu mistério pascal o modelo e construtor da vida fraterna esta vida fraterna constitui uma maneira evangélica de conversão que requer o valor da renúncia de si mesmo para acolher e aceitar ao outro dentro da comunidade tal modo de purificação se converte em modo de vida para viver como jesus viveu 28 devido a esta identidade da ordem secular carmelitana é a comunidade o lugar apropriado para a formação do candidato que busca a admissão a comunidade há de oferecer um bom exemplo de nossa vida mesmo quando o ideal não seja alcançado somente como exceção e em circunstâncias extraordinárias pode o candidato incorporar-se à ordem como membro isolado a comunidade da ordem secular em sua totalidade e cada um de seus membros tem uma responsabilidade formativa numa relação corporativa entre o responsável direto pela formação e o conselho 6

[close]

p. 7

29 o conselho da comunidade cuidará especialmente em eleger os leigos idôneos para a equipe de formação pessoas de oração e cultura abertos e desejosos de partilhar sua experiência carmelitana com os candidatos de tal forma que os formadores estejam em sintonia em seus objetivos e métodos quanto melhor qualificados e inclusive o sejam tanto mais acertada será a educação dos candidatos um papel formativo importante na comunidade exercem os anciãos os membros enfermos ou de qualquer forma inaptos que em seu contato regular com os candidatos são um exemplo excelente por sua experiência o presidente da comunidade 30 o primeiro entre os irmãos o presidente juntamente com o conselho dirige a comunidade em espírito de fé num clima de diálogo se lhe escuta com idêntico espírito ao exercer o serviço da autoridade o presidente não pode recorrer a ele exclusivamente mas há de exercê-lo mais motivando que controlando sua principal preocupação há de ser estabelecer a comunhão na caridade 31 É tarefa do presidente preocupar-se em que a equipe do conselho prepare um programa conveniente impulsione à sua prática e coordene a reunião do conselho para repassar o programa e para considerar mudanças em tudo isso deve proceder com prudente respeito à legítimas atribuições e independência do responsável da formação e seus colaboradores o encarregado da formação 32 o carmelita secular que está diretamente encarregado da formação recebe o título de responsável há de ser pessoa de fé madura e bem versado na vida carmelitana o mesmo deveria ser todo secular que tenha sob sua responsabilidade os candidatos durante as etapas de formação 33 tudo o que se menciona aqui aplica-se a cada membro da equipe formativa ocupa-se dos pontos essenciais válidos para cada etapa da formação a seu devido tempo se mencionarão as características que são apropriadas a cada etapa 34 a tarefa principal dos responsáveis é acompanhar com solicitude aos candidatos juntamente com o candidato o responsável é o principal colaborador no processo de formação e cooperador privilegiado com a graça divina por esta razão o responsável se considerará um discípulo humilde e um servo do único mestre jesus cristo ao mesmo tempo o responsável será consciente de que está cumprindo um papel importante de mediação por uma parte entre o candidato e a igreja e a ordem por outra o conselho da comunidade pode designar uma ou mais pessoas para ajudar-lhe no trabalho direto da formação devem formar com o responsável uma pequena equipe onde trabalhem juntas e em harmonia 35 deve haver especial respeito ao juízo do responsável e de seus ajudantes devido ao seu trabalho na tarefa formativa o conselho conserva sua responsabilidade e competência naquelas matérias indicadas nas constituições a saber a respeito à aptidão dos candidatos e ao 7

[close]

p. 8

consentimento para a admissão ao período formativo às primeiras promessas à promessa definitiva e aos votos 36 uma possível metodologia para levar em conta 1 um encontro de formação começa e termina com uma oração 2 a oração da manhã e da tarde com um tempo dedicado à oração silenciosa 3 debates e conferências 4 pontos para a reflexão 5 pontos para estudo e debate 6 projeção de filmes e outros recursos áudio-visual 7 retiro interiorização e experiências de deserto 37 recursos básicos para um programa da formação 1 a bíblia sagrada 2 introduções gerais sobre a liturgia das horas e a eucaristia 3.catecismo da igreja católica 4.constituição dogmática sobra a igreja ­ lumen gentium 5 constituição dogmática sobra a divina revelação ­ dei verbum 6 constituição dogmática sobra a liturgia ­ sacrosanctum concilium 7 decreto sobre o apostolado dos leigos ­ apostolicam actuositatem 8 joão paulo ii ­ exortação apostólica sobre a vocação e missão do leigo na igreja e no mundo ­ christifidelis laici 9 paulo vi ­ marialis culto 10 joão paulo ii ­ carta encíclica sobre a bem aventurada virgem maria ­ redemptoris mater 11 instruções gerais sobre a liturgia das horas 12 regra de santo alberto 13 as constituições ocds 14 estatutos provinciais 15 as obras de santa teresa de jesus 8

[close]

p. 9

16 as obras de são joão da cruz 17 as obras de santa teresinha do menino jesus 18 as obras de santa teresa benedicta da cruz ­ edite stein 19 as obras da beata elisabete da trindade além das referências acima enumeradas será necessário que cada circunscrição ou região amplie os possíveis recursos com tudo o que disponibilizar sua região ou idiomas locais apÊndices i ­ o aspecto da formaÇÃo nas constituiÇÕes ocds ­ extratos 38 os carmelitas seculares juntamente com os frades e monjas são filhos e filhas da ordem de nossa senhora do monte carmelo e de santa teresa de jesus portanto compartem com os religiosos o mesmo carisma vivendo-o cada um segundo seu próprio estado de vida trata-se de uma família com os bens espirituais a mesma vocação à santidade cf ef 1 4 1pd 1,15 e a mesma missão apostólica os seculares contribuem com a ordem com a riqueza de sua secularidade1 39 os membros da ordem secular dos carmelitas descalços são fiéis da igreja chamados a viver em obséquio de jesus cristo através da amizade com quem sabemos que nos ama servindo à igreja sob a proteção de nossa senhora do monte carmelo segundo a tradição bíblica do profeta elias inspirados pelos ensinamentos de santa teresa de jesus e são joão da cruz buscam aprofundar o seu compromisso cristão recebido no batismo2 40 a virgem maria faz-se presente de modo especial sobretudo como modelo de fidelidade na escuta do senhor e na atitude de serviço a deus e aos outros maria é aquela que conservava e meditava em seu coração a vida e as ações de seu filho dando exemplo de contemplação ela foi quem aconselhou nas bodas de caná que fizessem o que ele lhes dissesse maria é exemplo de serviço apostólico e foi ela de novo que esperou a vinda do espírito santo com os apóstolos testemunhando a oração de intercessão ela é mãe da ordem o carmelita secular goza de sua especial proteção e cultiva uma sincera devoção mariana3 41 o profeta elias representa a tradição do carmelo e seu inspirador para viver na presença de deus buscando-o na solidão e no silêncio com especial zelo pela glória de deus o secular vive a dimensão profética da vida cristã e de espiritualidade carmelitana promovendo a lei de deus de 1 2 cfr constituições ocds nº 1 ib nº 3 3 ib nº 4 9

[close]

p. 10

amor e de verdade no mundo e especialmente fazendo-se voz daqueles que não podem por si mesmos expressar esse amor e essa verdade4 42 a origem do carmelo descalço acha-se na pessoa de santa teresa de jesus ela viveu na profunda fé na misericórdia de deus que a fortaleceu para perseverar na oração humildade amor fraterno e amor à igreja e a conduziu à graça do matrimônio espiritual sua abnegação evangélica sua disposição ao serviço e sua constância na prática das virtudes são um guia diário para viver a vida espiritual seus ensinamentos sobre a oração e a vida espiritual são essenciais para a formação e a vida da ordem secular5 43 são joão da cruz foi o companheiro de santa teresa na formação do carmelo descalço ele exorta o secular a ser vigilante na prática da fé esperança e amor através da noite escura o guia à união com deus nesta união com deus o secular encontra a verdadeira liberdade dos filhos de deus6 44 levando em conta as origens do carmelo e o carisma teresiano pode-se sintetizar assim os elementos primordiais da vocação dos leigos carmelitas teresianos viver em obséquio de jesus cristo apoiando-se na imitação e no patrocínio da santíssima virgem cuja forma de vida constitui para o carmelo um modelo de configuração com cristo buscar a misteriosa união com deus pelo caminho da contemplação e da atividade apostólica indissoluvelmente irmanadas a serviço da igreja dar uma importância particular à oração que alimentada com a escuta da palavra de deus e a liturgia possa conduzir ao trato de amizade com deus não somente quando reza mas também quando se vive comprometer-se nesta vida de oração exige nutrir-se de fé esperança e sobretudo da caridade para viver na presença e no mistério do deus vivo penetrar de zelo apostólico a oração e a vida num clima de comunidade humana e cristã vivera abnegação evangélica a partir da perspectiva teologal dar importância no compromisso evangelizador à pastoral da espiritualidade enquanto colaboração peculiar da ordem secular fiel à sua identidade carmelitano-teresiana7 45 o seguimento de jesus cristo como membros da ordem secular se expressa através da promessa de tender à perfeição evangélica n espírito dos conselhos evangélicos de castidade pobreza e obediência e das bem-aventuranças através dessa promessa se reforça seu compromisso batismal no mundo a serviço do projeto de deus ela é uma graça de santidade pessoal que necessariamente leva a um empenho de serviço à igreja em fidelidade ao carisma 4 5 ib nº 5 ib nº 7 6 ib nº 8 7 ib nº 9 10

[close]

p. 11

carmelitano-teresiano se assume ante os membros da comunidade como representantes de toda a igreja e na presença do delegado do superior da ordem geral8 46 pela promessa feita à comunidade na presença do superior da ordem ou de seu delegado a pessoa se converte em membro da ordem secular por este compromisso se empenha em adquirir a formação necessária para conhecer as razões o conteúdo e propósito do estilo evangélico de vida que se assume a promessa realça o compromisso batismal e enriquece nos chamados à vocação matrimonial a vida de esposos e de pais esta promessa se renova anualmente no tempo pascal9 47 a vocação do carmelo teresiano é um compromisso a viver em obséquio de jesus cristo meditando dia e noite a lei do senhor e velando em oração fiel a este princípio da regra santa teresa pôs a oração como alicerce e exercício primordial de sua família religiosa por isso o secular é chamado a procurar que a oração penetre toda sua existência para caminhar na presença do deus vivo cf 1 re 18,14 mediante o exercício constante da fé esperança e o amor de modo que toda sua vida seja uma vida de oração uma busca da união com deus a meta será conseguir a integração da experiência de deus com a experiência da vida ser contemplativos tanto na oração como no cumprimento da própria missão10 48 o fiéis leigos precisamente por ser filhos da igreja têm a vocação e a missão de anunciar o evangelho estão capacitados e comprometidos para esta tarefa pelos sacramentos da iniciação cristã e pelos dons do espírito santo a espiritualidade do carmelo desperta no secular o desejo de um compromisso apostólico maior ao tomar consciência de tudo o que implica na sua vocação à ordem consciente da necessidade que tem o mundo do testemunho da presença de deus responde ao convite que a igreja dirige a todas as associações de fieis seguidores de cristo comprometendo-os com a sociedade humana através de uma participação ativa nas metas apostólicas de sua missão no marco do próprio carisma como fruto desta participação na evangelização o secular compartilha um gosto renovado pela oração à contemplação a vida litúrgica e sacramental11 49 a vocação da ordem secular é verdadeiramente eclesial a oração e o apostolado quando são verdadeiros são igualmente inseparáveis a observação de santa teresa de que o propósito da oração é que nasçam sempre obras recorda à ordem secular que as graças recebidas hão de ter um efeito em quem as recebe individualmente ou em comunidade e sobretudo como membros da igreja a atividade apostólica é fruto da oração de onde for possível e em colaboração com os superiores religiosos e com a devida autorização dos encarregados as comunidades participem no apostolado da ordem12 8 9 ib nº 11 ib nº 12 10 ib nº 17 11 ib nº 25 12 ib nº 26 11

[close]

p. 12

50 o carmelita secular é chamado a viver e a testemunhar o carisma do carmelo teresiano na igreja particular porção do povo de deus na qual se faz presente e atua na igreja de cristo cada um procure ser testemunha viva da presença de deus e se responsabilize da necessidade de ajudar à igreja dentro da pastoral de conjunto na missão evangelizadora sob a direção do bispo por esse motivo cada um tem seu campo de apostolado colaborando com outros na comunidade seja como grupo seja individualmente13 51 em seu compromisso apostólico levará a riqueza de sua espiritualidade com os matizes que confere a todos os campos da evangelização missões paróquias casas de oração institutos de espiritualidade grupos de oração pastoral da espiritualidade com sua contribuição peculiar como leigos carmelitas poderão oferecer ao carmelo teresiano impulsos renovados para encontrar válidas indicações para novos dinamismos apostólicos com uma fidelidade criativa sua missão na igreja as diferentes atividades apostólicas da ordem secular serão mais bem apreciadas e avaliadas nos estatutos particulares das diversas áreas geográficas14 52 o objetivo central do processo de formação da ordem secular é a preparação da pessoa para viver o carisma e a espiritualidade do carmelo em seu seguimento de cristo a serviço da missão15 53 com verdadeiro interesse pelos ensinamentos da igreja e pela espiritualidade de nossos santos carmelitas os leigos carmelitas tratem de ser homens e mulheres maduros na vida na prática da fé esperança e do amor e na devoção à virgem maria comprometem-se a aprofundar em sua vida cristã eclesial e carmelitana a formação cristã é a sólida base da formação carmelitana e espiritual por meio do catecismo da igreja católica e dos documentos do magistério eclesiástico os leigos carmelitas recebem os fundamentos teológicos necessários16 54 a formação teresiano-sanjuanista tanto inicial como permanente ajuda a desenvolver no secular uma maturidade humana cristã e espiritual a serviço da igreja na formação humana desenvolvem a capacidade do diálogo interpessoal o respeito mútuo a tolerância a possibilidade de ser corrigidos e de corrigir com serenidade e a capacidade de perseverar nos compromissos assumidos17 55 a identidade carmelitana se vê confirmada mediante a formação na escritura na lectio divina na valorização da liturgia da igreja especialmente na eucaristia e da liturgia das horas e na espiritualidade do carmelo sua história as obras dos santos da ordem e a formação na oração e meditação a formação para o apostolado tem seu fundamento na teologia da igreja porquanto se refere à responsabilidade dos leigos e à compreensão papel dos seculares no apostolado da ordem ajuda a tomar consciência quanto ao lugar que ocupa a ordem secular na igreja e no 13 14 ib nº 27 ib nº 28 15 ib nº 32 16 ib nº 33 17 ib nº 34 12

[close]

p. 13

carmelo e oferece uma forma prática para compartilhar as graças recebidas pela vocação dentro dele18 56 a introdução gradual na vida da ordem secular se estrutura da seguinte maneira um período suficiente de contato com a comunidade com a duração não menos que seis meses o propósito desta etapa é que o candidato possa familiarizar-se mais com a comunidade o estilo de vida e o serviço à igreja próprio da ordem secular do carmelo teresiano dar também à comunidade a oportunidade de fazer um discernimento adequado os estatutos provinciais especificam este período depois do período inicial de contato o conselho da comunidade pode admitir o candidato para um período mais sério de formação que durará habitualmente dois anos e que estará orientado à primeira promessa no princípio desse período de formação far-se-á a imposição do escapulário no candidato É um sinal externo de sua pertencia à ordem e de que maria é ao mesmo tempo mãe e modelo em seu caminho no final dessa etapa com a aprovação do conselho da comunidade convida-o a fazer a primeira promessa e a viver o espírito dos conselhos evangélicos e as bem-aventuranças por um período de três anos nos três últimos anos de formação inicial se levará a cabo um estudo mais profundo da oração das sagradas escrituras dos documentos da igreja dos santos da ordem e a capacitação para uma participação no apostolado da ordem no final de três anos o conselho poderá admitir o candidato a fazer a promessa definitiva de viver o espírito dos conselhos evangélicos e das bemaventuranças por toda a vida19 a ordem secular de nossa senhora do carmo e santa teresa de jesus é uma associação de fiéis e uma parte integrante da ordem dos carmelitas descalços É essencialmente laical em seu caráter ainda que possa contar com membros do clero diocesano20 58 o conselho formado pelo presidente três conselheiros e o responsável pela formação constitui a autoridade imediata da comunidade a responsabilidade primordial do conselho é a formação e amadurecimento cristão e carmelitano dos membros da comunidade21 discernimento da vocação ao carmelo secular 59 discernir é buscar a vontade de deus para a pessoa ser conduzida por deus nesta busca os seguintes princípios agem como pautas deus não se oculta mas antes se nos revela 18 19 ib nº 35 ib nº 36 20 ib nº 37 21 ib nº 46 13

[close]

p. 14

ele respeita a livre vontade com que nos dotou a vida humana implica responsabilidade isto é a liberdade de responder 60 há três agentes neste processo deus o candidato e os implicados na formação 61 o conselho da comunidade também tem seu papel neste processo portanto a responsabilidade do discernimento é tanto do candidato como do responsável da formação e do conselho da comunidade o discernimento não se limita somente a um momento particular e não sucede de uma só vez os momentos especiais são os passos de uma etapa de formação à seguinte 62 para que o discernimento seja válido é importante que os formadores realmente conheçam o candidato quando o senhor chama às pessoas confiamos que ele lhes dê capacidade suficiente para responder à vocação 63 o chamado divino é sempre uma graça misteriosa que não se pode reduzir a uma lista de qualidades mas há certas qualidades que indicam aptidão para a vocação ao carmelo secular entre elas 64 no aspecto humano uma personalidade estável senso comum maturidade emocional capacidade de confiar e abertura disposição para cooperar realismo tolerância e flexibilidade certo amadurecimento fidelidade a princípios 65 no âmbito da vida cristã boa vontade em cooperar com deus em espírito de fé verdadeira estima pela oração amor de predileção pela sagrada escritura compromisso com a igreja e participação na própria comunidade paroquial amor compassivo e ativo 66 referente ao carisma teresiano gosto pela oração 14

[close]

p. 15

desejo de estabelecer uma relação pessoal e amistosa com deus espírito contemplativo e ativo amor pela igreja desejo de familiarizar-se com a espiritualidade do carmelo 67 algumas contra-indicações sintomas de uma carência de equilíbrio psicológico presença de situações familiares que impossibilitem ou incompatibilize viver as constituições incapacidade de integrar-se pessoal e existencialmente na vida da comunidade emoções exageradas de cólera de ansiedade medo depressão ou sentimento de culpa idéias pré-concebidas do carmelo que impeçam a aprendizagem e o crescimento pessoal noções fundamentalistas ou apocalípticas da igreja pertença a organizações com uma espiritualidade díspar ou a grupos fundamentados em revelações privadas 68 seria pouco realista esperar que um candidato possua todas estas qualidades antes de incorporar-se à ordem secular nem ainda em qualquer etapa de sua formação no entanto deve haver uma aptidão básica para adquirir estas qualidades e um amadurecimento gradual nelas esta progressiva maturidade fruto da vivência do carisma teresiano é a amostra mais genuína de uma vocação 69 um carmelita secular é um membro ativo da igreja católica que sob a proteção de nossa senhora do monte carmelo e inspirado por santa teresa de jesus e são joão da cruz se compromete com a ordem para buscar o rosto de deus na oração e no serviço para o bem da igreja e das necessidades do mundo 69 um carmelita secular é um membro ativo da igreja católica que sob a proteção de nossa senhora do monte carmelo e inspirado por santa teresa de jesus e são joão da cruz se compromete com a ordem para buscar o rosto de deus na oração e no serviço para o bem da igreja e das necessidades do mundo um membro ativo da igreja católica 70 um católico praticante pode ser admitido na ordem secular do carmelo descalço nas seguintes condições pratique a fé católica e respeite a autoridade do papa e o magistério da igreja 71 a palavra praticar especifica algo sobre a pessoa que aspira formar parte da ordem secular como prova básica do praticar a fé católica está a capacidade para participar plenamente na eucaristia com uma consciência clara a eucaristia é o cume da vida espiritual e a 15

[close]

Comments

no comments yet