Educação em Revista

 

Embed or link this publication

Description

3ª edição da Revista da Regional 7 do Sepe "Meritocracia é aprovação automática"

Popular Pages


p. 1

publicação da regional 7 do sindicato estadual dos profissionais de educação meritocracia é aprovação automática grande projeto de costin e paes aprovação automática nas escolas contra a reestruturação entrevista professor e músico sérgio castanheira autor do vídeo conceito global quem merece punição cabral risolia ou a diretora sindicato ganha ação contra a aprovação automática prova concreta de que a aprovação automática continua educação em revista ano 2 número 3 edição fevereiro/2013

[close]

p. 2

02 É fundamental nos contrapormos à hipocrisia que prega ser possível estarmos todos juntos pela educação quando os interesses hegemônicos dos empresários reduzem a educação a produzir o trabalhador que está sendo esperado na porta das empresas freitas 1992 a educação de qualidade tem que ser mais que isso luís carlos freitas o síti .com o oss ress e n ordp it vis l7.w a ion reg jornalista responsável edição textos projeto gráeducação em revista fico diagramação publicação da regional 7 edna felix do sindicato estadual dos charges carlos latuff profissionais de educação r.a mandula serviços gráficos e editora limitada estrada do galeão 2715 tiragem de 1000 exemplares distribuição gratuita esta é uma publicação de responsabilidade da direção da regional 7 do sepe sala 205 portuguesa ilha do governador tel 24620334 armindo lajas dulcinea lima luiz contarini luÍs leao marcelo sant´anna

[close]

p. 3

03 Índice paes não dá paz à educação mas pás meritocracia é aprovação automática festa de confraternização 2012 4 5 6/7 8 9 quem merece punição cabral risolia ou a diretora grande projeto de costin e paes aprovação automática prova concreta de que a aprovação automática continua 10/11 educador com a palavra 12/13 nas escolas públicas americanas se os resultados em testes padronizados não sobem a cada ano a escola e seus professores enfrentam consequências terríveis a escola pode ser privatizada ou assumida pelo estado ou ameaçada de fechamento diane ravitch É pra rir aprovação automática no estado retaliação burocrática nas escolas contra a reestruturação sindicato ganha ação contra aprovação automática sepe faz história 14 15 16/17 18 19

[close]

p. 4

04 editorial paes não dá paz à educação mas pás aprovação automática sob a égide dos ciclos oferecer ensino sem qualidade reduzindo investimentos entregar nas mãos da iniciativa privada o dinheiro público ao mesmo tempo responsabilizar os próprios profissionais pelo fracasso escolar passou a ser a grande meta de todo governo o movimento contra a aprovação automática no rio de janeiro só aconteceu uma década após a sua implantação a camuflagem promovida por cesar maia para esconder a pressão que fazia para que os alunos fossem aprovados a qualquer custo não permitia que a denúncia chegasse a público assim como acontecia no governo cesar maia antes do grande movimento contra a aprovação automática a prefeitura de paes utiliza-se de inúmeras artimanhas para esconder de todos que não acabou com a aprovação automática costin ao lado de paes consegue piorar o quadro educacional carioca intensificando a exclusão das classes populares e tornando cada vez mais distante o direito à educação pública de qualidade queremos paz na educação com a qualidade necessária mas não a paz do cemitério assim como no nazismo muito teremos de lutar para que não tenhamos que cavar a própria cova com as pás que paes insiste em nos entregar na alemanha nazista os oficiais da ss entregavam pás aos prisioneiros judeus para que cavassem as próprias covas o prefeito eduardo paes tenta impor a mesma tática nazista quer convencer a todos de que somos nós os responsáveis pela qualidade no ensino ou a falta dela ao final da década de 90 o então prefeito césar maia inicia uma nova etapa na educação carioca várias resoluções e decretos são lançados com mudanças profundas na política pedagógica de nossa rede estas medidas vieram acompanhadas de uma série de outras como a redução da grade curricular a retirada de direitos como o da aposentadoria e a redução do quantitativo de profissionais em nossas escolas longe do que era divulgado na época aquela não era apenas uma política municipal mas estava em andamento uma nova era de adequação da educação aos interesses do capital mundial o pne que inaugurava então a concepção mercadológica na educação era aplicado pelo governo federal naquele momento vários outros estados e municípios já aplicavam a eduardo paes e claudia costin querem faixas como esta em todas as nossas escolas assim como as placas agora obrigatórias na porta de cada escola com suas notas no ideb mas já vimos esse filme os judeus eram obrigados pelo regime nazista a usar uma estrela amarela de davi no peito e nas costas assim como triângulos rosas para os homossexuais o ideb não é parâmetro de qualidade.

[close]

p. 5

05 meritocracia é aprovação automática uma das piores consequências da aplicação da meritocracia na educação é a da oferta de uma educação sem qualidade e a sua privatização a meritocracia alicerça-se na responsabilização tática dos próprios profissionais das escolas a partir da análise de testes entre alunos e do rendimento da escola premiase ou pune-se os profissionais afirmam assim que qualquer resultado na educação depende única e exclusivamente dos esforços empreendidos pelas escolas e seus profissionais a responsabilidade dos governos restringe-se a medição de números promover aferições ineficazes e incentivar o ranqueamento necessário para sua isenção nos resultados desastrosos os testes vão além da medição do desempenho eles padronizam o ensino retiram a autonomia da professor como parte de sua desmoralização e do controle escolar e por último e não menos importante são parte essencial da indústria educacional um montante de milhões de reais alimenta a comercialização das provas apostilas e uma gama de materiais sem qualificação ou eficiência para nossos alunos investimento há mas não na educação real das escolas pú a política meritocrática é tão acintosa que sequer leva em consideração as diferenças sociais de nossos alunos ou escolas blicas o governo investe rios de dinheiro na educação empresarial a aprovação automática entra para dar uma visão distorcida da realidade como os alunos aprendem cada vez menos a maquiagem é fundamental para seguir com a meritocracia como se fosse o manjar dos deuses nos cálculos do ideb contam não só os resultados dos testes mas principalmente o quantitativo de alunos aprovados para receber bônus é preciso aprovar a política meritocrática é tão acintosa que sequer leva em consideração as diferenças sociais de nossos alunos ou es colas a igualdade de condições não conta um aluno de uma escola do subúrbio jamais terá a mesma oportunidade de um aluno morador do condomínio da barra da tijuca as diferenças vão além os alunos de escolas do asfalto tendem a terem condições sociais melhores que os de escolas de comunidade muitas vezes dentro de uma mesma escola há realidades diferentes esta é a melhor forma de esconder que as diferenças sociais influenciam diretamente nos resultados da educação sem falar que uma grande parte de nossos alunos arrastam por sua vida escolar os mais variados problemas psíquicos neurológicos fono etc para a meritocracia nada disso importa fundamental mesmo é medir testar desmoralizar privatizar a educação pública sem nenhuma preocupação com para que ou para quem serve essa educação a corrupção passa a ser parte da nova concepção educacional como em qualquer outro sistema de relação comercial a corrupção é parte da meritocracia além da habitual corrupção com as verbas públicas os governos tentam corromper alunos a partir de prêmios e escolas e profissionais os bônus e salários diferenciados são parte do arrocho salarial.

[close]

p. 6

06

[close]

p. 7

07 festa de confraternização de 2012 da regional 7 viver e não ter a vergonha de ser feliz

[close]

p. 8

08 quem merece punição cabral e risolia ou a diretora acusada de subornar alunos sirlene da cruz figueira foi exonerada da direção do ciep luiz carlos veroneze em friburgo o dinheiro era para estimular os jovens a fazer provas do saerj sistema de avaliação do estado a participação de estudantes é um dos critérios usados pelo governo para pagar bônus aos funcionários de escolas que atingem metas com este texto inicial o jornal o dia publicou no dia 21 de dezembro vídeos que registram conversas da diretora com alunos colocados na internet no dia 17 de dezembro em matéria de primeira página deste jornal a secretaria de educação diz que sirlene confirmou a história num dos vídeos um jovem pergunta terminou você vai dar o dinheiro e noventinha diretora em outra cena ela diz que a divisão deve ser feita na casa dos estudantes a professora responde a sindicância e poderá ser demitida governo incita corrupção longe de ser algoz nesta história divulgada pela imprensa a professora sirlene é vítima dos planos de cabral e risolia seus erros são consequências da política meritocrática utilizada pelo governo a corrupção é parte da visão mercadológica que cabral tenta implementar na educação pública o que dizer então da premiação de alunos com notebooks bicicletas e até dinheiro entregues por paes cabral ou dilma também é corrupção premiar com bônus ou qualquer diferenciação salarial para que o professor ou a escola aprove em massa além disso a execração pública de profissionais faz parte da lógica meritocrática afinal para justificar que uns são melhores que outros é necessário a tática da desmoralização de alguns educação como mercadoria não é educação é a corrupção do conhecimento aplicar uma política na educação sem a garantia científica de seus resultados já seria irresponsabilidade agora aplicar essa política ciente do seu fracasso em outras sistemas educacionais é crime de lesa patrimônio sérgio cabral e seu secretário de educação aplicam a política meritocrática mesmo sabendo o caos criado por ela nos estados unidos da américa do norte tudo previsto a partir da experiência de mais de 20 anos naquele país o secretário não pode nem dizer que não sabia ou que não conhece certa audiência pública na alerj o sepe entregou ao secretário o livro de diane ravitch vida e morte do grande sistema escolar americano risolia recebeu o exemplar do livro ponderando que já havia lido então de quem é a culpa da corrupção que já acontece em várias escolas seja a partir de dinheiro distribuído pelo governo premiação de alunos seja a partir do bônus para professores que os leva a aumentar os índices de aprovação ao final do ano?

[close]

p. 9

09 grande projeto de costin e paes aprovação automática sem reprovação e com alunos com baixo desempenho em turmas de projetos a sme esconde os problemas da rede para quem ainda acha que a aprovação automática acabou é porque certamente não teve a oportunidade de conhecer ou analisar as medidas que o governo tem tomado veja tabelas páginas 10 e 11 o que de fato tratase de um verdadeiro enigma a prefeitura e a sme vêm produzido uma grande farsa em termos de educação nenhuma criança reprovada mesmo com conceito insuficiente um emaranhado de documentos resoluções portarias circulares grades de enturmação regulamentam a aprovação automática de forma compartimentada trata-se de uma estratégia para esconder que ela ainda vigora como parte dessa estratégia tentam banir os alunos de baixo rendimento das turmas normais objetivo impedir que esses alunos façam as provas que medem o ideb e atrapalhem os índices e metas do município os ditos projetos especiais que de especial não têm nada a não ser pelas polpudas verbas entregues aos conglomerados empresariais da educação formam o grande tapete que esconde toda a sujeira com uma simples fórmula aprovar a qualquer custo aluno ruim ou defasado com desvio série idade escondido em turmas de projetos meritocracia a prefeitura promove a destruição da educação pública e retira das escolas a função de formar indivíduos para a vida além de excluir milhares de crianças e jovens do direito a qualquer tipo de aprendizado com qualidade assim como cesar maia paes tenciona escolas a aprovarem alunos a qualquer preço a história se repete nossas escolas estão de novo pressionadas a aprovarem seus alunos sem qualquer critério além de punir escolas que reprovam a partir do não pagamento de bônus a pressão sobre nossos profissionais aumenta a cada ano orientações orais como recomendações dos cuidados para não colocar em risco o 14º se houver reprovação estabelecimento de percentuais máximos de reprovação conceito global que não levam em conta o domínio dos conteúdos básicos e fundamentais e desrespeitam as especificidades das disciplinas conversas individuais assédio moral com direções e professores tudo para esconder que este governo não mudou em nada a situação de nossas escolas e o que mudou mudou para pior.

[close]

p. 10



[close]

p. 11



[close]

p. 12

12 educador com a palavra o vídeo e música conceito global postado no youtube em redes sociais e por nossa página já gerou muita discussão em conselhos de classes de algumas escolas o bem humorado trabalho foi desenvolvido pelo professor de música da em pixinguinha sérgio castanheira e faz uma crítica inteligente ao sistema de aprovação automática e o chamado conceito global impostos pela sme professor no município há pouco mais de um ano fala em entrevista sobre os problemas da rede educação em revista você é um professor novo com apenas um ano na rede municipal o que mais te assustou na prática das escolas de hoje sérgio castanheira confesso que logo que entrei pensei em sair fiquei muito assustado com a dificuldade dos alunos em ler interpretar e escrever sem falar nas péssimas condições estruturais da escola esse ano funcionários antigos assumiram a direção da minha escola e têm feito um trabalho muito bonito conseguiram dar um bom jeito na aparência da escola mas certas estruturas não têm autonomia para mexer apesar de ser professor de música resolvi aplicar uns testes com questões dissertativas para conhecer melhor a realidade dos alunos e pude ver que existem alguns casos bastante complicados porém o que mais me impressiona é o chamado conceito global essa forma de avaliação tem nos forçado a aprovar alunos que não poderiam estar passando de ano para o seu próprio bem essa pressão para aprovação dos alunos faz com que muitos se acomodem hoje em dia para um aluno ser reprovado ele precisa faltar absurdamente por nota muito dificilmente será educação em revista como surgiu a ideia de fazer uma música que descrevesse a situação da rede sérgio castanheira essa ideia sugiu de um sentimento de incorformismo com a situação que estamos vivendo enquanto educadores muitas vezes tenho a impressão de que estamos em um mundo de faz de conta onde atingimos números de aprovação que não condizem com a realidade dos nossos alunos trata-se da vontade de debater com as pessoas qual a real situação da nossa educação das nossas condições de trabalho e de avaliação educação em revista a ideia de fazer músicas ou paródias para falar da política nos lembra do período da ditadura militar onde compositores escreviam e utilizavam subterfúgios para falar da dura realidade que vivíamos você acha que de certa forma estamos voltando a esse tempo sérgio castanheira sér gio castanheira acho que hoje o problema é menos evidente e é isso que dificulta o protesto na época da ditadura as ideias estavam muito claras quem concordava tudo bem que não concordava se escondia era preso fazia passeata mas de um modo geral existiam dois lados mais bem definidos hoje em dia quando um professor defende que é preciso reprovar mais para que tenhamos uma real avaliação de como está nossa educação isso acaba confundindo algumas pessoas digo isto por que na última reunião de responsáveis eu escutei de uma mãe não sei como é que meu filho é aprovado ele mal sabe ler escreve mal pra caramba os professores acham que estão ajudando mas estão é atrapalhando na minha época aluno passava se estudasse foi quando disse que concordava com ela e expliquei um pouco do que era o conceito global ali me senti um pouco mais feliz com minha profissão podendo dialogar com uma mãe sobre o sistema de avaliação do município do rio.

[close]

p. 13

13 educação em revista você acha que dentro de um sistema onde o professor precisa preparar os alunos para fazerem provas há possibilidade de desenvolver algum trabalho sério com vista na qualidade da formação de nossos alunos sérgio castanheira como sou professor de música trabalho muito pouco com provas quase não as aplico mas escuto bastante reclamações de colegas de diversas escolas sobre essa forma de avaliar acredito que a educação ficou um tanto viciada em númemos resultados índices,o que acaba atrapalhando o ensino e padronizando os alunos quem nunca escutou ao propor uma atividade tio tá valendo quantos pontos educação em revista a meritocracia tem levado muitos de nossos profissionais a aprovarem alunos mesmo sem condições para isso a que você atribui esse fato sérgio castanheira ao vício dos índices sou novo na rede mas em muitas reuniões que vou o tal do gráfico está lá presente nos mostrando números e não alunos acredito que este tipo de pensamento nos faz visualizar os alunos como retângulos azuis ou verdes que devem estar sempre subindo quando o ideal é que pudéssemos analisar cada caso cada realidade cada particularidade mas como com a quantidade de alunos por sala e de turmas que precisamos pegar para graficamente falando elevar o índice do nosso ordenado educação em revista na música você diz que o professor trabalha muito como você vê a imposição do professor ter que atuar até como aplicador de provas feitas pela prefeitura e ainda ter que corrigi-las sem nenhuma remuneração extra sérgio castanheira como sou professor de música nunca corrigi provas mas não concordo com a não remuneração contudo posso dar o exemplo do uso da internet que acredito ser um problema parecido nos foi passado que deveríamos de uma hora para outra lançar notas fazer planejamentos presença tudo pela internet essa burocratização que nos faz perder tempo de planejar melhor nossas aulas faz com que passemos horas tentando entender as mil e uma obrigações para com o programa 3.0 isso porque não tivemos um curso detalhado sobre o uso do programa quanto muito professores em especial os mais antigos tiveram que começar do zero seus aprendizados na informática pois eu pergunto em que momento muitos professores tentavam botar suas obrigações virtuais em dia durante esse ano na hora do almoço eles são remunerados por isso claro que não não estou dizendo que não sou a favor do uso da internet mas sou radicalmente contra a excessiva burocratização do serviço educação em revista fale um pouco de como você vê o conceito global enquanto um professor que precisa aplicá-lo sérgio castanheira na medida em que usamos esse conceito perdemos a automia de avaliação isso faz com que muitas vezes o conselho de classe seja feito com calculadoras isto é soma essa+essa divide por aquela 5 pronto aprovado fica difícil se aprofundar na questão de cada aluno com esse sistema veja o vídeo do professor sérgio castanheira em nossa página na internet no endereço regional7.wordpress.com 2012/12/17/musico-eprofessor-faz-video-sobreconceito-global/

[close]

p. 14

14 É pra rir visite o sitio da regional 7 e atualize-se com as últimas notícias sobre educação regional7.wordpress.com

[close]

p. 15

15 aprovação automática no estado retaliação burocrática a intensificação da pressão para que os professores aprovem seu alunos mesmo sem que tenham alcançado os objetivos do ano aconteceu nos últimos dias letivos de 2012 o governo do estado e o secretário risolia não conseguem sequer se organizar quando pretendem punir o servidor público nos últimos dias antes das férias representantes da seeduc partiram para dentro das escolas visando à punição de professores que ousaram reprovar a tarefa imposta pelos representantes era de obrigar que os profissionais preenchessem uma enxurrada de papéis justificando cada caso de aluno reprovado punição para quem reprova os professores do colégio estadual mendes de moraes foram convocados pela direção na reunião do dia 15 de dezembro último e também por via e-mail para um coc oficial que se realizaria na data de 20 de dezembro às 16 horas a direção via e-mail informa que a ausência somente seria justificada por atestado público na reunião havia dezenas de professores a direção inteira e mais duas representantes da seeduc gide que acompanham a escola na sua avaliação uma das representantes tomou a palavra e disse que a escola fazia parte de um grupo de 19 escolas que estavam sendo acompanhadas afirmou que os professores precisavam escrever relatórios sobre os alunos em dependência além de colocar também no papel o planejamento da recuperação paralela realizado ao longo do ano vários professores questionaram essa obrigatoriedade além de afirmarem que o tempo hábil para isso era curto afinal era o último dia do expediente da rede estadual mas a representante da seeduc mostrouse irredutível quanto à realização do trabalho imediatamente o sentimento geral dos professores era que a escola por trabalhar direito isto é por ser fidedigna à avaliação que realiza bimestralmente por não mascarar os resultados teria sido punida com este castigo do preenchimento dos relatórios suficiente teriam direito a uma última avaliação os profissionais de educação das duas maiores escolas da ilha do governador colégio estadual prefeito mendes de moraes e colégio estadual prof maria de lourdes de oliveira lavor se posicionaram contra tal avaliação já que isto fere a ldbque estabelece 75 de frequência obrigatória tal portaria abre uma brecha para a aprovação automática na rede estadual assim como já acontece na rede municipal os docentes colégios estaduais joão marques dos reis na penha e júlia kubitscheck no centro e por que não registrar todas as escolas da rede tiveram também de preencher tais relatórios será punição ou uma brecha para aprovação automática por que apenas no último coc a cobrança desses relatórios para ser aprovado não precisa nem frequentar na verdade é a aprovação automática na rede estadual chegando de forma ostensiva visto que uma portaria do dia 23 de novembro estabelece que os alunos que tiveram nota mas não obtiveram frequência

[close]

Comments

no comments yet