Figuras&Negócios #134

 

Embed or link this publication

Popular Pages


p. 1



[close]

p. 2



[close]

p. 3

figuras&negócios nº 134 fevereiro 2013 3

[close]

p. 4

igreja católica vai reunir os seus cardeais para elegerem um novo papa após bento xvi ter surpeeendido o mundo no inicio de fevereiro com a apresentação da sua renúncia alegando falta de saúde para continuar como o líder máximo mundial dos cristãos depois da surpresa das conjecturas em torno da decisão papal o mundo rendeu-se a evidência dos factos e só resta aguardar com expectativa quem será o novo papa nos primeiros dias de março os cardeiais se encontrarão em roma para a eleição do papa um assunto que merecerá o devido destaque em nossa próxima edição mas nessa não ficamos de fora e apresentamos alguns textos para situar a carta do editor o ambiente interno que se vive na igreja católica e que muitos observadores dizem que pode residir aí as razões fortes que levaram à tomada dessa medida de bento xvi que apanhou quase todo mundo de surpresa se é verdade que ele já não goza de boa saúde também em função da sua idade avançada observadores apontam outras causas vividas no seio da igreja católica mormente em torno de assuntos cuja discussão sempre se apresenta como tabú noutra vertente aquí no nosso país o governo não teve meias medidas em suspender as actividades da igreja universal do reino de deus e de algumas outras igrejas que à coberto da fé praticavam acções que feriam as leis angolanas a igreja universal do reino de deus que criou a cama para se deitar organizou em dezembro último uma vigília fazendo eco de publicidade enganosa para concentrar milhares de fiéis num dos estádios de futebol em luanda com uma concentração de pessoas para além da capacidade normal do recinto o que originou uma tragédia onde perderam a vida homens mulheres e crianças esse é aliás o nosso tema de capa desta edição onde abordamos ainda outros assuntos da actualidade nacional e internacional no campo internacional o destaque vai para a assinatura do acordo de paz para a república democrática do congo onde angola marcou presença e se comprometeu em dar todo o empenho necessário para que o calar das armas e da destruição conheça o seu fim naquele país fronteiriço · melhor empresa do ano do sector financeiro 2012 a sua confiança faz-nos brilhar o banco de todos os momentos o banco angolano de investimentos foi distinguido com o prestigiado prémio de melhor empresa do ano do sector financeiro na edição 2012 dos prémios sirius uma iniciativa da deloitte que visa promover a excelência e o talento dos principais agentes económicos angolanos esta é uma conquista que devemos a quem sempre nos tem inspirado os nossos clientes são eles que nos motivam diariamente a superar objectivos e a melhorar o nosso desempenho e é por isso que partilhamos esta honra com eles 4 figuras&negócios 244134 fevereiro 244 222 335 749 tel nº 222 693 800 693 899 · fax 2013 www.bancobai.ao rua major kanhangulo 34 po box 6022 luanda

[close]

p. 5

figuras&negócios nº 134 fevereiro 2013 5

[close]

p. 6

7 editorial paz no congo sem vacilaÇÕes 8 pÁgina aberta sou uma lutadora de convicÇÕes tragÉdia no brasil deve servir como exemplo 14 leitores 17 ponto de ordem hora de mudar 34 figuras de cÁ 40 economia negÓcios 47 em directo 18 48 sociedade com a bÊnÇÃo de sÃo pedro balanÇo econÓmico 2012 visÃo econÓmica do profeta quem compra 56 reportagem 68 mundo crescer de qualquer jeito nem sempre É bom 86 figuras lÁ 94 tecnologia dossier tecnologia À sua medida ecos da renÚncia do papa 98 vida social uma nova unidade hoteleira capa bruno senna 6 figuras&negócios nº 134 fevereiro 2013

[close]

p. 7

64 África assinado acordo de paz 90 desporto que pura desilusÃo 104 recado social fechou-se um ciclo de frustraÇÕes e de desgaste publicação mensal de economia negócios e sociedade ano 13 n º 134 fevereiro ­ 2013 n º de registo 13/b/97 director geral victor aleixo redacção carlos miranda sebastião félix venceslau mateus e suzana mendes fotografia nsimba george e adão tenda colaboradores juliana evangelista crisa santos rita simões joão barbosa portugal wallace nunes brasil design e paginação humberto zage e sebastião miguel publicidade paulo medina chefe secretariado e assinaturas katila garcia revisão baptista neto distribuição e assinaturas portugal logista portugal distribuição de publicações s a Área industrial do passil lote 1 a palhavã 2894-002 alcochete londres diogo júnior e16-1ld tel 00447944096312 tlm 07752619551 email todiogojr@hotmail.com brasil wallace nunes móvel 55 11 9522-1373 e-mail nunewallace@gmail.com produção gráfica cor acabada lda tiragem 10.000 exemplares direcção e redacção edifício mutamba-luanda 2º andar porta s tel 222 397 185 222 335 866 fax 222 393 020 caixa postal 6375 e-mails figurasnegocios@hotmail.com artimagem@snet.co.ao site www figurasenegocios.com figuras&negócios nº 134 fevereiro 2013 7

[close]

p. 8

8 figuras&negócios nº 134 fevereiro 2013

[close]

p. 9

a paz sem vacilaÇÕes a sensibilidade das partes a maior parte dos países signatários da plataforma de paz integra a explosiva região dos grandes lagos e de forma geral todos eles estão a apagar as cicatrizes de guerras fratricidas que viveram por isso mesmo sabem o peso que situações do gênero provocam estando engajados esses países na construção de sociedades democráticas de acordo com as suas especificidades histórico culturais têm responsabilidades acrescidas para se posicionarem como conselheiros dos irmãos congoleses para se debruçarem denodadamente e com patriotismo para que a paz seja definitivamente encontrada naquele país não interessa fazer juízo de valor sobre a democracia que se constrói no congo democrático se ao mesmo tempo se incita ao ódio e à violência na pacificação completa do país se poderá depois medir o valor e o peso da democracia que os congoleses construírem É preciso não ignorar que todos os envolvidos na plataforma assinada em addis abeba também se engajam na consolidação da democracia não existindo por isso mesmo modelos acabados mas fazem esse exercício regra geral num clima de pacificação de espíritos o que permite com mais facilidade o respeito às diferenças de opinião nas suas sociedades a África precisa de unidade para se empenhar na estruturação da economia dos países de forma que o cenário de fome miséria e pobreza nao continue a ser o único cartão de visita que se apresenta ao mundo o congo democrático é um exemplo negativo desse triste cenário que urge mudar quer pela sua extensão geográfica como pela riqueza existente no seu subsolo o congo democrático tem de conhecer a paz definitiva para poder dar a cartada importante na mudança de comportamento e na forma de ver e analisar a África no seu todo angola prometeu tudo fazer para que o comboio da paz no congo não descarrile para além da fraternidade africana um elo mais forte obriga os angolanos a tomarem essa postura que é o facto de existir entre os dois países uma fronteira comum alimentar a guerra num lado é fazer tudo para que o outro também sinta os ricochetes e os angolanos têm uma experiência dura e amarga com a guerra fratricida que não querem ver repetida editorial plataforma para a paz na república democrática do congo assinada na última quinzena de fevereiro em addis abeba etiopia longe de constituir um produto acabado para a eliminação da violência naquele país africano deve significar um instrumento eficaz para as forças políticas internas conseguirem eleger a linguagem do diálogo como a única para se dirimir possíveis contradições reunindo o acordo os esforços das nações unidas na pessoa do seu secretário geral e de dignatários de onze países que fazem fronteira com o congo integrados na zona dos grandes lagos essa plataforma representa bem a importância que hoje o continente africano deposita na paz dos países para se poder virar as atenções para um desenvolvimento integrado que possa permitir aos povos aspirar a um nível de vida mais consentâneo com as riquezas existentes no seu subsolo sendo curial pensar que com o seu engajamento para a materialização da plataforma de paz os países subscritores do acordo selaram livremente o seu compromisso de ajudarem a república democrática do congo a encontrar o caminho certo da pacificação dos espíritos não pode ser exagero apelar às forças políticas internas para fazerem o trabalho de casa mas mais importante também é que os países que livremente abraçaram a plataforma de paz não permitam que as suas fronteiras sejam eleitas para acções de desestabilizaçao do poder instalado na república democrática do congo o clima de suspeição que reina em relacao a um ou outro país acusado de instigar a rebelião armada deve terminar em função da postura que cada um assumirá a partir de agora os mecanismos para o controlo da paz que contarão com o envolvimento das nações unidas e da sadc devem constituir-se em barómetros reguladores das acções a serem desenvolvidas actuando-se com precisão oportuna sempre que se notar o desvio da rota estabelecida a gestão parcimoniosa da plataforma de paz é importante se se tiver em conta outras experiências para aquele país então fracassadas precisamente porque não se teve em atenção a abrangência envolvente do conflito e figuras&negócios nº 134 fevereiro 2013 9

[close]

p. 10

pÁgina aberta já se sabe que té macedo é a dona e senhora da canção lírica angolana mas o que muitos tardam a reconhecer é o seu talento e a participação activa na formação de novos valores sem esquecer a vontade enorme de ser convidada com maior regularidade nos raros espectáculos do género em angola É com ela com quem decidimos conversar numa ponte estabelecida pelas novas tecnologias de informação distanciada a milhares de quilómetros ela abre o jogo sobre o momento da nossa cultura do rumo que continua a trilhar a música angolana e não desiste de continuar a abrir o seu próprio caminho.com uma certa nostalgia té macedo reflecte nas entrelinhas alguma desilusão porém continua a trabalhar intensamente nos seus projectos que precisam de ser melhor apoiados pelas instituições do país que a viu nascer e crescer como teimosa irreverente e senhora do seu destino a homenagem tão intensamente ansiada aconteceu com a conquista do prémio nacional da cultura no seu ramo foi um momento de júbilo mas também de reflexão sobre o verdadeiro estado da música lírica em angola por carlos miranda texto fotos cedidas pela entrevistada f iguras negócios f&n nasceu em luanda e proveniente de uma família bastante conhecida no meio musical angolano foi exactamente essa a primeira influência que teve para ser aquilo que é hoje té macedo t.m indubitavelmente a todos os níveis pelo gene e pelo investimento f&n já agora como se sente quando é considerada como a rainha da música lírica angolana t.m não sinto nada porque não ligo a clichés nem titularizações quero apenas ser reconhecida como uma boa profissional,enfim uma lutadora cheia de fé e convicções fico mais feliz quando as pessoas reconhecem o meu trabalho e a minha luta a minha postura pessoal e profissional f&n alguma vez sentiu o seu trono ameaçado t.m que trono e que ameaça não há nada nessa vida que me faça abalar por conta de um dom que me foi dado por deus ele mo deu e só ele o poderá tirar quando isso acontecer devo aceitar pois terá sido por demérito ou por critérios que só a ele pertencem já travei tantas batalhas até a voz já a perdi em tempos sinto que na lírica em portugal fui martirizada tal como aconteceu com o mantorras criaram-me várias lesões vocais mas aqui estou que ninguém se engane quanto a perder o que quer que seja há um tempo para tudo ninguém se mantém vivo para sempre muito menos na ribalta há que encarar tudo com naturalidade mas do que conquistar títulos é preciso fazer sempre um bom trabalho conquistar uma inabalável paz interior e ser-se feliz f&n de que forma é que pensa que o seu público reage diante de algumas ausências sou uma lutador té macedo cantora lírica angolana desabafa em tom maior 10 figuras&negócios nº 134 fevereiro 2013

[close]

p. 11

pÁgina aberta ra de convicÇÕes figuras&negócios nº 134 fevereiro 2013 11

[close]

p. 12

pÁgina aberta súbitas dos principais palcos nacionais t.m os que admiram de verdade o meu trabalho claro que se devem ressentir muitos até só dão conta da minha passagem quando o show já foi dado tudo isso por falta de grande mediatização e publicidade eu não tenho uma máquina nunca a tive sempre trabalhei sozinha faço-o com muito desgaste e estou mais preocupada em fazer um bom palco do que uma grande publicidade f&n pelas redes sociais lá se vai tendo conhecimento de alguns espectáculos que marcaram sobremaneira a sua carreira pode designar os de maior referência e com que artistas de renome internacional participou t.m todos os espectáculos marcaram e marcam a minha carreira de uma maneira ou de outra o que mais me tocou fundo não foi um espectáculo foi ter cantado no casamento da minha amiga de infância e colega de arte piano e ballet na academia de música de luanda a engenheira isabel dos santos ninguém pode fazer ideia quantas vezes actuamos juntas como alunas da academia de música de luanda em vários eventos de relevância cultural de repente ao fim de 16 anos de ausência eu volto profissional e mostro à minha amiga e velha colega o que havia aprendido marco foi o lançamento do kibukidilu ainda não cantei em palcos de referência mundial nem com grandes nomes pelo menos no meu conceito de grandes palcos e grandes nomes f&n alguma vez já pensou em investir no seu país para que a música lírica seja mais ouvida que tal falar com os responsáveis do ministério da cultura com quem aliás tem estabelecido boas relações t.m já pensei mais nisso como realização de curto prazo e até mesmo médio a vida e os factos existenciais ensinaram-me a inventar o re a cantora é uma tocadora exímia de marimba 12 figuras&negócios nº 134 fevereiro 2013

[close]

p. 13

pÁgina aberta figuras&negócios nº 134 fevereiro 2013 13

[close]

p. 14

pÁgina aberta alismo para acabar com sonhos impossíveis estamos a sair de uma tremenda guerra estamos num país com grandes necessidades básicas e com questões prioritárias isso passou a ocupar a minha lista de prioridades que se resolvam primeiro as necessidades mais elementares do nosso povo depois posso pedir às pessoas que me escutem cantar ou tocar e mais além levá-los a aderir a novas realidades culturais agora usar as expressões culturais de raiz e que dignificam a nossa herança cultural para atrair investidores e dinamizar o turismo isso sim devíamos criar uma tradição de agenda de espectáculos nas escolas de marimbas de malanje com conferências e workshops para atrair musicólogos e melómanos as danças do cunene,o carnaval de rua,festivais com boas amostras daquilo que angola tem de melhor para dar porque não criar também um africolor e um kora em angola já começamos bem com o jazz mas há mais já pensaram numa Ópera sobre nzinga mbandi em línguas nacionais com fusão de instrumentos f&n já teve o privilégio de ganhar o prémio nacional da cultura.o que é que aquele momento lhe disse t.m glória a deus fui compensada por tanta luta obrigada ao júri do pnc muito obrigada ao meu país e aos que acreditam em mim muito obrigada ao presidente da república josé eduardo dos santos por me ter honrado com a entrega do troféu de sua própria mão por ter quebrado as regras protocolares e se dirigido à mim nesses termos sem desprimor pelos outros concorrentes tenho muita alegria em entregar-lhe o troféu que é bem atribuído no seu caso pelo muito mérito não há dinheiro nenhum que pague isso ter ganho ao lado do meu saudoso pai jorge macedo meu mestre e protector f&n há alguma forma de se estabelecer uma relação entre a música lírica e alguns dos géneros musicais mais tradicionais de angola t.m sem sombra de dúvidas porém isso só é possível com conhecimento científico conhecimento da própria raiz musical de angola e uma boa dose de bom gosto e criatividade f&n sente o semba o kilapanga e mesmo o kuduro nas veias t.m epá risos não fosse assim não seria eu a té macedo f&n quando recebeu o prémio nacional da cultura o que é que lhe passou pela cabeça t.m continuar a trabalhar para ser digna e merecedora do voto de confiança atribuído f&n quais são as suas linhas de força para os próximos tempos quer a nível nacional como internacional para que de uma vez por todas estabe té macedo a voz da música lírica angolana 14 figuras&negócios nº 134 fevereiro 2013

[close]

p. 15

pÁgina aberta leça o seu trono no país estamos também a nos referir a um possível regresso t.m consolidar o que aprendi nesse período de formação no exterior e reforçar a vontade de servir o meu país musicalmente falando lutar para a expansão do meu projecto e sua afirmação ao nível da world music levar o segundo cd melhor conseguido ainda que o outro esteja cheio de novidades preciso de apoios para o gravar pois está em estúdio parado colocar todo o meu potencial em marcha para aprender do meu país e com a sua heróica gente reaprender tudo o que desaprendi sobre angola e essa sua nova fase enquanto nação enfim estabelecer um trono é conquistar o coração das pessoas pelo serviço pelo humanismo e solidariedade estudei música e também estudei direito sou contabilista de formação profissional formadora e empresária cultural também de formação profissional venha a nação e escolha estou licenciada para servir e aprender a trabalhar e preparada para lutar com todos e por todos f&n se estivesse com o presidente da república o que é que lhe diria no que diz respeito à cultura nacional como factor determinante para a realização de alguns anseios do povo angolano t.m ah eu ao pé do presidente seria um grande show primeiro me faria convidada para um mufete no palácio diria humildemente para que tocasse e cantasse alguns dos seus temas musicais e compusesse comigo uma mensagem de amor dele para todo o povo angolano pedia também para o meu presidente seguir a bússola dos novos acordes democráticos sem perder o norte daquilo que o socialismo nos legou de melhor e nomeadamente o tempo do partido único o grande fomento da cultura do ensino temos dois grandes exemplos em matéria de ciência cultura e desportos os nossos velhos países amigos cuba e ex-urss É essa ferramenta que tem valido a sua gente porque um povo culto e instruído está armado e emuralhado logo pode defender-se melhor formação de quadros acesso ao ensino e à cultura para todos escolaridade mínima obrigatória a par do ensino artístico nas escolas públicas maior fomento cultural mais espaços para a cultura e de cultura há muitas faculdades e há algumas escolas de arte mas é preciso promover o acesso a todas as pessoas o ensino e a cultura deve o estado assumir subsidiando as pessoas carenciadas e sem meios de resto que as maravilhas preconizadas sobre o projecto de governo no âmbito da cultura e seus agentes no discurso de fim-de-ano fossem implementadas e efectivadas uma formaÇÃo e musical rara studou piano e canto paralelamente tendo obtido como classificação de exame a nota 18 valores foi reforço dos coros do teatro nacional de s carlos único teatro de ópera em portugal conseguiu o segundo lugar para provimento de vaga para efectivo e no coro gulbenkian o 6º lugar cantora e pianista té macedo nasceu em luanda em 5 de junho de 1970 iniciou os seus estudos musicais na academia de música de luanda auferindo em 1988 de uma bolsa da cooperação portuguesa ingressou no conservatório de música de lisboa onde estudou piano e canto paralelamente tendo terminado este último na classe da célebre professora filomena amaro aqui obteve a classificação final de 18 valores té macedo conquistou o segundo lugar no concurso internacional para preenchimento de vaga no teatro nacional de s .carlos,tendo entretanto trabalhado como reforço dos coros de opera e da gulbenkian o seu belíssimo timbre e excelentes qualidades vocais têm-lhe valido cartas elogiosas de mestres e jornalistas sendo já considerada pela impressa como a voz lírica de angola ou angola na voz de um anjo sob o signo de prima dona ou primeira dama é tambem a primeira marimbeira profissional vinda de meio urbano facto inédito já que por questões de cultura e tradição a marimba é um instrumento reservado aos homens tem vindo a aperfeiçoar-se na arte do hungu berimbau e kissanji essa versatilidade instrumental e vocal levaram-na à autoria de um grande sucesso kibukidilu considerado o primeiro projecto angolano lírico de fusão ou seja té macedo pegou em temas do cancioneiro angolano e deu-lhes uma roupagem erudita organologicamente casado com a orquestra sinfónica com instrumentos tradicionais e vocalmente imprimindo-lhe uma forte componente lírica figuras&negócios nº 134 fevereiro 2013 15

[close]

Comments

no comments yet