Mais algumas informações sobre a antiga Pedra

 

Embed or link this publication

Description

JORNAL DE ARCOVERDE – Edição 271 – JANEIRO/FEVEREIRO de 2013 - 1º.caderno. Pág. 19

Popular Pages


p. 1

jornal de arcoverde ­ edição 271 ­ janeiro/fevereiro de 2013 1º.caderno pág 19

[close]

p. 2

mais algumas informações sobre a antiga pedra pedro salviano filho foto j randolfo britto a partir da fazenda puxinanã manoel leite da silva fundou a pedra uma vista panorâmica da cidade para reflexões também sobre seu passado o resgate de dados que possam ser somados para a formação de um histórico de uma região sempre deve ser considerado já vimos alguns aspectos do município da pedra http bit.ly/x377hk e agora retomamos o assunto para nos aprofundarmos na segunda metade do século 19 e sentir o clima político social vivido então a prepotência de certos políticos pode ser analisada em dois recortes do periódico o liberal 1863 e 1866 e num documento publicado em a provÍncia de 1878 este nos mostra a manifestação dos correligionários de um partido político contra o então major francisco vaz cavalcanti na década seguinte foi o primeiro prefeito da pedra já como coronel chico vaz ­ informação no livro a doce pedra págs.5 e 92 em outro documento do mesmo jornal a provÍncia do ano de 1900 e sempre mantida a escrita da época podemos também ver listadas as personalidades de destaque da pedra agora como proprietários de fazendas neste edital de citação o meu tio avô paterno joaquim salviano de albuquerque requer a demarcação e divisão da sua propriedade como também dos pertencentes a cada um dos demais condôminos muitos nomes mostrados nestes documentos estão captados na árvore genealógica que desenvolvo há alguns anos www.lanta.myheritage.com revelando assim o entrelaçamento de tantas famílias que originaram o povo pedrense.

[close]

p. 3



[close]

p. 4

o liberal sabbado 27 de junho de 1863 anno iii numero 51 pag.1 http bit.ly/x365ef «publicaÇÃo a pedido villa do buique para o exm sr presidente da provincia chefe de policia e o publico verem tendo o cidadão joaquim barbosa de abreu cavalcanti apresentado ao juiz municipal do buique o dr balbino cezar de mello em 31 de março findo uma denuncia por crime de morte contra o capitão francisco vaz cavalcanti 1 º suplente do delegado d aquelle termo em exercicio como mandante de um assassinato de que foram mandatarios agostinho de tal e outros o mencionado juiz em cumprimento de seus deveres acceitou essa denuncia no entretanto chegando esse facto ao conhecimento do referido capitão immediatamente dirigiu se á esta villa do buique para desfeitar aquelle juiz felizmente porém não foi o juiz encontrado por ter sahido para o lugar de aguas bellas a fazer inventario pelo que o indicado capitão vaz se contentou em dizer publicamente que muito sentia não o haver encontrado porque o arrastaria pelas ruas da villa e o botaria em um tronco dirigindo ainda outros improperios em frente á casa da cadeia d´aquella villa onde se achavam tambem entre outras pessoas o tenente coronel manoel camello pessoa cavalcanti o capitão josé de cerqueira lima então delegado d´aquelle termo com a força a seu commando e que tinha de sahir naquella occasião para a cidade do recife com presos o major antonio marques de albuquerque cavalcanti tenente dorindo da cunha lima francisco casado da cunha lima miguel archanjo teixeira ozorio e os escrivães do mesmo juiz manoel josé cezar de vasconcellos e francisco joaquim padilha accrescentando aquelle capitão vaz que ficava na resolução de levar a effeito o que tinha dito quando aquelle juiz chegasse á villa tendo o dr balbino em aguas bellas noticia disso officiou ao juiz de direito da comarca ao chefe de policia e presidente da provincia communicando lhes o procedimento do referido capitão e pedindo garantias visto se achar já então o capitão vaz no exercicio da delegacia e cercado de parentes e amigos assim mostrava o sr balbino querer evitar qualquer conflicto o juiz de direito da comarca respondeu lhe que voltasse para o buique e que seriam dadas as providencias necessarias regressando para a villa o dr balbino continuou como lhe cumpria na instauração do processo a fim de que não julgassem acobardado ante os terrores e ameaças desse capitão no dia 15 de abril quando o juiz inqueria uma testemunha nesse processo recebeu uma carta do capitão antonio de araujo cavalcanti em que dizia lhe que havia projectos de o assassinarem por intermedio de um aggregado de manoel thomaz de albuquerque cunhado do capitão vaz de nome lazaro de tal estando nessa occasião o referido capitão vaz seu advogado major antonio marques e outros apresentou o juiz a referida carta e interrogando a esse respeito o capitão vaz disse lhe este que isso era uma falsidade entretanto no dia seguinte o referido lazaro procurou o dr balbino em sua casa sob pretexto de ter de despachar um requerimento mas não o encontrou por estar o mesmo dr balbino na casa do vigario josé teixeira de mello mas sabendo disso o mesmo dr balbino mandou conduzir lazaro á sua presença por um soldado de policia mas lazaro sendo encontrado resistiu á prisão com um punhal que trazia e que foi quebrado na luta travada entre elle e o soldado de

[close]

p. 5

policia a quem o mesmo lazaro resistiu energicamente procurando por fim tomar a bayoneta que o soldado trazia apparecendo então outros soldados conseguiram effectuar a prisão de lazaro a quem foi dada a nota de culpa para ser devidamente processado succedendo porem que no dia 18 de maio proximo tivesse o mesmo juiz municipal de seguir para garanhuns á requisição do juiz de direito afim de presidir alguns julgamentos passou nessa ocasião o preso a disposição do subdelegado daquelle districto o tenente leonardo bezerra pessoa cavalcanti receiando faze lo á disposição do supplente do juizo municipal no entretanto assumindo o 1 º supplente tenente coronel manoel camello pessoa cavalcanti o exercicio do juizo municipal entendeu que devia mandar soltar o referido lazaro apezar de estar este a disposição do subdelegado e de ter sido preso em flagrante com um punhal havendo alem disto commettido o crime de resistência apressemos nos a levar estes factos ao dominio publico para que as autoridades superiores providenciem como julgarem conveniente e o publico fique sabendo de alguns factos que por aqui se vão dando por parte da facção marques o inimigo da prepotencia buique 8 de junho de 1863.»

[close]

p. 6



[close]

p. 7

o liberal serie 1 n 6 sabbado 12 de setembro de 1868 pag 3 http bit.ly/vdn2h2 « buique 15 de setembro de 1868 a circular do sr de baependy de 28 de agosto ultimo ao dr chefe de polica e por este transmittida em 31 do mesmo mez a todos os delegados e subdelegados de policia da provincia foi perfeitamente executada pelas autoridades policiaes deste infeliz termo o delegado manoel camello de palito na bocca e os subdelegados alexandrino marques pinta céga e antonio benicio desenvolveram a mais perfida e hedionda caballa ou você vota comnosco ou então o perseguiremos com processos com o recrutamento de seus filhos e parentes e com remessas de officios vote na chapa do governo o coronel thomaz d´aquino nada mais é tudo perdeo e nenhum proveito tirará indo contra o governo eis a linguagem empregada pela policia e seus numerosos agentes e todavia não poderam abalar a influencia legitima do coronel thomas d´aquino e por isto os homens do governo oh vergonha antevendo a mais completa derrota no pleito eleitoral abandonaram a matriz e fiseram duplicata na estreita sachristia da capella de s sebastião sita quasi nos arrebaldes desta villa para essa duplicata muito concorrêo o juiz municipal antonio fernandes trigo de loureiro ordenou se que os cornetas dos e pag.4 http bit.ly/yl13yr dous destacamentos existentes nesta villa tocassem a revista da manhã antes das sette horas atrazaram se relogios e com promessas que nunca realizarão avassalaram a luiz de frança monteiro ha bem pouco tempo almocreve e presentemente 4º juiz de paz do destricto do carneiro e ao eleitor luiz manoel de siqueira que com o escrivão de paz acresio bezerra cavalcanti ultimamente e ad hoc nomeado crearam uma assemblea parochial além dos dous destacamentos do corpo provisorio em numero de cincoenta a sessenta praças o delegado manoel camello obteve do negociante desta villa joaquim epiphanio de mello mais de cem clavinotes e clavinas de sua loja para armar a seu povo e assim poude formar uma legião de quatrocentos homens e tudo para intimidar a opposição o coronel tomaz avista deste apparato bellico e para evitar a desordem prometida em altas vozes pela policia e principalmente para servir a um seu parente vindo do sul da provincia cêdeo o lugar de primeiro juiz de paz do districto da matriz no que não concordaram os marques depois o mesmo coronel thomaz propoz a seguinte accommodação existem hoje nesta villa mais de mil e tresentos votantes reunámos toda essa gente e vamos a sua frente aquelle que for accompanhado do maior numero terá a victoria e eu como juiz de paz mais votado me encarrego da creação da mesa e de lavrar as actas ainda que seja o vencido não agradou aos marques essa muito razoavel proposição seu orgulho sem par o despreso com que costumam a receber o povo faz com que este os odeie e por isto certos da derrota despresaram toda e qualquer convenção proposta quem está de cima disiam elles é quem

[close]

p. 8

vence eleições ainda que estas se façam na cosinha sem votantes sem as formalidades da lei o triumpho da opposição foi completo e a assembléa parochial foi assim constituida coronel thomaz d´aquino cavalcanti presidente luiz d´albuquerque d´araujo cavalcanti secretario bento americo d´albuquerque cavalcanti antonio gomes da silva e pedro targino da costa sampaio mesarios nada de alteração do processo eleitoral houve na matriz e a eleição corrêo regularmente concorrendo todos da opposição a exercer o mais sagrado direito do cidadão o voto livre =entretanto na duplicata da sachrestia da capella de s sebastião na duplicata do governo e presidida pelo almocreve luiz de frança era tudo o avesso da eleição legitima de involta com os soldados do corpo provisorio cidadãos armados dos pés até a cabeça carrancudos mais pareciam uma horda de salteadores do que brasileiros que iam exercer o voto livre na freguesia de aguas bellas não houve eleição no dia determinado na lei o juiz de paz mais votado victorino josé da rocha souza adiou a antecipadamente em consequencia do estado anormal em que se acha aquela infeliz freguesia além do grupo armado e capitaneado por josé afro filho o delegado manoel camello mandou retirar o resto das praças do destacamento d´aquella freguesia as quaes aqui chegaram para engrossar a força eleitoral do governo as ameaças desse grupo temivel e as intimações que tem feito para a retirada das autoridades policiaes foram causas occasionaes do adiamento das eleições municipaes d´aquella freguesia na freguesia da pedra foram cumpridas a vontade do governo e os desejos de sua pandilha o capitão francisco vaz cavalcanti o mesmo que em principios do corrente anno protegendo e asylando criminosos e designados resistiu com dusentos homens armados ás ordens legaes da autoridade policial o mesmo que por força e autoridade propria arrogou a si o comando do batalhão n 30 deste municipio o capitão vaz seu genro antonio benicio subdelegado e o primeiro supplente nuno campello cercaram as dez horas da noite do dia 6 a matriz com quasi 150 homens armados de bacamarte entrando neste numero uns quarenta indios da aldeia de cimbres condusidos pelo mesmo vaz sem saber se com que autorização no dia seguinte quando o primeiro juiz de paz se dirigia com seus immediatos em votos para organisar a mesa perochial foi repellido pela pandilha armada e querendo o juiz de paz evitar confictos dirigio se para a casa das audiencias e ahi creou a mesa parochial e procedêo aos demais actos da eleição a qual correo regularmente o juiz de paz legitimo outro recurso não teve se não ceder ante tão respeitavel força inerme e todo o seu povo como resistir ao poder da policia e da gente do governo poder augmentado com cento e cincoenta clavinotes?

[close]

p. 9

logo que o juiz de paz mais votado capitão henrique da silva lobato e os cidadãos repellidos se retiraram da matriz esta se abrio e avassalado luiz cavalcanti de albuquerque mello que desde o dia 5 do corrente se achava nas lages em casa do capitão vaz fez este duplicata sem qualificação pois tendo requerido ao secretario da camara este não poude dar a authenticação por se achar a qualificação em poder do juiz de paz mais votado que a requisitou no dia 2 para proceder a eleição sendo certo que tudo estava prompto para se forgicar essa duplicata visto como nem compareceram votantes nem se procedeo a chamada e os cidadãos que formaram a mesa não tinham as qualidades exigidas na lei para funccionarem e nesse mesmo dia concluiram se os trabalhos retirando se os intrusos á noite para não mais voltarem É necessario notar que luiz cavalcanti é juiz de paz de santa maria 2º districto da freguesia de aguas bellas distante da matriz da pedra desenove legoas e nesta freguesia existe além do districto da matriz o districto do tacá com todos os seus juises e distante da matriz cinco legoas existe também o districto do carneiro que dista da pedra quatro leguas e o districto desta villa em distancia de sette leguas e nenhum dos juises de paz destes districtos foram chamados para o acto illegal do dia 7 do corrente feito pelo capitão vaz e pela policia o regimem constitucional desappareceo do imperio da santa cruz e muito principalmente deste infeliz termo do buique a qual de presente é governado pela dictadura pelo bacamarte e pela olygarchia conservadora a mesa parochial da eleição ligitima requisitando do delegado camello dez praças para a guarda da urna em resposta a esta justa requisição recebeo o officio seguinte delegacia de policia do termo de buique 7 de setembro de 1868 illms srs tendo presente officio que nesta data me dirigiram v ss em o qual declarando se membros da mesa parochial desta freguesia me requisitam des praças do destacamento desta villa para guarda da urna em resposta cabe me declarar lhes que achando se funccionando na capella de s sebastião desta villa a mesa parochial que por não comparecer a hora marcada na lei o juiz de paz competente se organisou regularmente sob a presidencia de outro juiz a qual já me requereo e eu prestei lhe a força necessaria para a guarda da urna não posso annuir ao que sollicitam v ss porque seria reconhecer a existencia de duas mesas funccionando simultaneamente o que não se pode admittir deixo por isso de satisfazer ao que me pedem em seu citado officio deus guarde a v ss illms srs tenente coronel thomaz d´aquino cavalcanti luiz d´albuquerque d´araujo cavalcanti antonio gomes da silva pedro targino da cunha sampaio o delegado manoel camello pessoa cavalcanti a vista desta resposta a mesa enviou est´outro officio do qual não teve resposta mesa parochial da freguezia do buique no corpo da igreja matriz em 7 de setembro de 1868 illm sr accusando o recebimento do officio de v s datado de hoje denegando nos dez praças do destacamento desta villa para guarda da urna surprehendeo nos a materia do mesmo officio no qual v.s arrogando se de presidente da provincia ou antes de ministro e secretario de estado dos negocios do imperio reconhece e julga legal a reunião que com o

[close]

p. 10

nome de mesa parochial e presidida pelo 4º juiz de paz do carneiro apparecêo hoje segundo nos disem e v.s o confirma em seu citado officio na capella de s sebastião portanto julgado nos a vista da lei regulamentar das eleições e mais legislação em vigor legitimos e competentes para funccionar mos como membros que somos da mesa parochial desta freguezia cuja creação á hora marcada na lei foi procedida de conformidade com a mesma de novo requisitamos de v.s suas ordens afim de ser a urna que se acha no corpo da igreja matriz desta villa guardada por dez praças do corpo provisório as quaes se acham a ordem e disposição de v.s e desse modo satisfazendo v.s nessa justa requesição não dará lugar a que a mesa parochial desta freguezia apregôe a v.s como partidario exallado e postergador da lei regularmentar das eleições deus guarde a v.s thomaz de aquino cavalcante juiz de paz presidente luis d´albuquerque d´araujo cavalcante secretario bento americo leite cavalcante mesario pedro targino da cunha sampaio mesario illm sr tenente coronel manoel camello pessoa cavalcante digno delegado de policia do termo veja se portanto se estamos em erro quando affirmamos o regimen que nos rege dos empregados policiaes do termo apenas escapou de ser demettido um official de justiça do juiz de paz de nome roberto e o inspector de quarteirão bernardino joaquim d´almeida no dia 7 do corrente as 3 horas da tarde um soldado do destacamento de aguas bellas em um gracejo segundo uns segundo outros de proposito estando aquartelado disparou um tiro em um seu companheiro cuja bala atravessando superficialmente a baixo do ventre atravessou o ante braço esquerdo não se procedeu o corpo de delicto nem a autoridade policial syndicou o facto no dia 6 do corrente o tenente miguel joaquim do rego barros por pouco não foi victima do punhal assassino de josé de siqueira moura este o commeteu por que queria receber dinheiro adiantado de um aluguel de cavallo felizmente no momento de querer feri lo foi embargado mais nem foi preso nem correcção alguma soffreu que policia tertulino gurgel pereira o que soffreu o tiro de emboscada no dia 29 do passado no lugar denominado cafundó fallecêu hoje 13 em consequencia dos ferimentos a policia não exerceu nenhuma de suas attribuições relativamente a este tão grave attentado praticado pode se dizer nesta villa e a não ter o coronel thomaz de aquino procedido á corpo de delicto como juiz de paz e por ver a indifferença da policia nem mesmo esta diligencia teria sido feita corre por certo que o autor de tal attentado foi um escravo de daniel gurgel pereira tio materno do assassino o delegado manoel camello até hoje ainda não seguio para aguas bellas e limitou se a mandar em comissão o alferes marcolino raposo o qual nada fez e fazendo muito para o delegado por que trouxe o resto do destacamento d´aquella freguezia para esta villa para augmentar o numero de bayonetas para o pleito eleitoral essa infeliz freguezia ainda continua sob o imperio do bacamarte josé afro d´albuquerque maranhão filho a frente de um grupo numerossissmo de assassinos promette vingar completamente o barbaro assassinato de seu irmão o capitão lourenço bizerra d´albuquerque maranhão e dizem que

[close]

p. 11

vinte e um individuos tem de ser sacrificados aos manes d´aquelle infeliz capitão dizem que josé afro filho tem protecção dicidida do governo o que é certo é que em quanto não apareceu o assassinato de nosso pacto fundamental josé afro nem pensava em commetter desatinos nem tratava de sacrificar tantas victimas e esperava somente o desaggravo da justiça o subdelegado nomeado para aguas bellas constantino rodrigues luis d´albuquerque é cunhado de josé afro filho como é previdente o governo até hoje não se sabe do resultado do processo que se instaurou pelo assassinato d´aquelle infeliz capitão e prestimoso cidadão além de tirado em segredo de justiça custou bem serios receios aos drs juiz de direito municipal e promotor esses receios tornarão se tanto mais patentes quanto esses funccionarios sahiram para as suas residencias a des horas e com um tempo tão chuvoso que horrorisava os verdadeiros assassinos são conhecidos e no entanto sendo o capitão lourenço pessoa importante a sua morte ficará impune porque os assassinos são poderosos foi capturado no dia 14 do corrente pelo coronel thomaz d´aquino na qualidade de juiz de paz raphael escravo de daniel gurgel pereira raphael assassino de tertuliano gurgel pereira confessa sem rebuço o seu hediondo crime e diz que não tem cumplices É um cabra de 16 para 17 annos e admira tanto cynismo em tão tenra idade É mais um serviço importante feito pelo coronel thomaz d´aquino e tanto mais importante quando a policia até hoje nenhum procedimento relativo a morte de tertuliano há feito raphael está desde o dia da prisão á disposição do delegado e a não ter sido pelo coronel thomaz feito o corpo de delicto esse crime gravissimo ficaria no esquecimento porquanto a policia nem se movêu para proceder o exame do cadaver estando presente na villa foi adiada para o dia 12 de outubro proximo a sessão do jury deste termo sendo o adiamento por ter de residir o juiz de direito em aguas bellas a fim de manter a ordem publica com o dr promotor dizem que o delegado camello tambem irá e o juiz municipal deste termo mas se assim suceder é certo que a policia e juiz municipal irão fazer a eleição municipal adiada pelo juiz de paz victorino o qual sendo do mesmo partido da oligarchya antecipadamente adiou a eleição para não perderem o pleito eleitoral alli em aguas bellas onde o triumpho será da opposição está exercendo dizem que por ordem superior as funcções de commandante superior deste municipio o chefe de estado maior do municipio de garanhuns manoel camello pessoa cavalcanti o qual exerce também o cargo de delegado de policia o governo que tudo pode e tudo quer presentemente enguliu na secretaria a patente do coronel thomaz d´aquino e nega se por tanto de dar lhe o juramento e posse isto nada é comparativamente a ter exercido em um commando superior o chefe de estado maior de um commando superior differente sem que tenha havido aggregação quando dissemos que a patente do coronel thomaz foi engolida na secretaria é por que vimos no jornal do recife do 1º de agosto ultimo um edital do secretario convidando ao coronel thomaz e outros para virem pagar os emolumentos na recebedoria e sollicitarem as suas patentes!

[close]

p. 12

no dia 12 do corrente foi barbaramente espancada uma pobre mulher antonia petra preta arrombando os malfasejos a porta do miseravel casebu em que residia esta infeliz dous dias depois o juiz municipal procedeu a corpo de delicto e vai instaurar d´aqui a uns dous mezes o competente summario vem destacar nesta villa 30 praças da guarda nacional É um luxo de policia pois que existindo um forte destacamento do corpo provisorio desnecessario se torna o deslocamento da guarda nacional é uma economia do governo para locupletar a um sobrinho do capitão francisco vaz commandante do mesmo destacamento bravo bravissimo a policia sahio do seu eterno repouso de sua hedionda siuecura no dia 15 do corrente chegou preso e foi recolhido a cadeia joaquim monteiro preso pela policia da pedra á ordem do dr juiz municipal foi tão legal a prisão que logo que monteiro requerêu certidão do motivo da prisão o juiz municipal mandou o por em liberdade dizendo que lhe havião affirmado que a appelação de monteiro não seguirá para a relação em março se não nos falha a memoria do corrente anno fallecêu em varzinha na freguezia de aguas bellas o portugues josé alves esse portugues conduzia 800 do capitão raymundo candido dos passos de corrente para comprar um moleque e mais 1:172$000 para pagar gados que comprara ao capitão joaquim antonio de cerqueira torres da comarca da matta grande provincia de alagôas o juiz dos defuntos deste termo procedêo a arrecadação d´essas quantias e do espolio de josé alves julgou por sentença as dividas dos capitães passos e torres para entrarem no rateio sendo a justificação do ultimo em 12 de junho do presente anno no entanto até a presente data nem se nomeou um curador para administrar os bens o dinheiro arrecadado está em puder do juiz de defuntos e ausentes e as partes que esperem pelas kalendas gregas para receberem os credores habilitados já disem bem boas e pesadas pilherias contra o juiz municipal deste termo o qual foi que arrecadou o espolio do finado josé alves e alguem diz que o dinheiro encontrado servio para acudir aos vechames de certos amigos valha a verdade a machina eleitoral do governo já funccionou neste termo porem desta vez os seos productos sahirão avariados uma duplicação clandestina sem motivo plausivel que a authorisasse esperamos que funcione a machina de faser processo esta trabalha tão perfeitamente que no tempo dos quatorze annos um cidadão dormia tranquillo para no dia seguinte dispertar com o pesado fardo de uma pronuncia com a subida dos vermelhos neste termo subiram tambem os pasquineiros no dia 8 do corrente appareceo uma alluvião de pasquins como de gafanhotos apparecêrão no egypto o dr loureiro como juiz e como cidadão foi plenamente descomposto o mesmo succedeo com o advogado olavo campo deos se amercei dos buiquenses recife typ do liberal 1868

[close]

p. 13



[close]

p. 14

a provincia 26 de julho de 1878 ­ paginas 3 e 4 http bit.ly/15be1wg «illms srs redactores da provincia os abaixo assignados adherentes da idéa liberal e residentes na freguezia da pedra vindo no conhecimento que o sr major francisco vaz cavalcante sendo conservador de principios e chefe do partido desse nome nesta localidade procura a todo transe engerir se na fileira liberal em preterição ao direito adquirido pelos mesmos abaixo assignados com vista de os conservar sempre sob seu jugo e exercer a mais encarniçada perseguição como em tempos idos veem pelo presente declarar ao publico e especialmente aos illustres membros do digno directorio do partido liberal da provincia que o referido major vaz sempre foi é e será conservador exaltado e conseguintemente inimigo implacavel da familia liberal no geral não se fallando na desta freguezia que na sua mor parte teem sido victima do cutello do sr vaz e haja vista o estado do penuria a que se acha reduzida a casa da cachoeira do sempre lembrado liberal manoel vicente monteiro cavalcante seu tio e padrinho a atróz perseguição desenvolvida contra a do riacho do páo do capitão henrique da silva lobato seu parente não se fallando em outras que para poupar espaço deixa se de mencionar vêem pois os illustres cavalheiros do directorio que o sr major vaz desejando ser admitido no partido liberal de quem sempre foi algoz o faz por disfarce e somente para fins sinistros não por amor a idéa como quer impingir se o sr vaz renegou de seu partido para ser liberal porque razão não o fez quando mesmo partido estava de cima hoje que o partido conservador nada tem a dar é que o sr vaz cobardemente quer delle arredar se É muita fraqueza de sua parte sua senhoria sempre foi muito considerado por seu partido que com justissima razão o alcunhará de ingrato os abaixo assignados fazem dos nobres cavalheiros membros do diretorio liberal o melhor conceito e jamais poderão conceber a mais leve suspeita de serem preteridos pelo sr vaz que dessa vez deixará de mamar em todas as têtas assim o esperamos resigne se pois o sr vaz os liberaes da pedra cordialmente repellem a lembrança de s.s e fazem votos aos deuses para que fique ella no esquecimento antes só que mal acompanhado diz o adagio appellando os abaixo assignados para os sentimentos patrioticos dos nobres cavalheiros membros do directorio liberal que lhe farão a devida justiça vão terminar estas linhas declarando alto e bom som que não podem nem devem fazer juneção com o sr vaz que muito os tem ferido de perto e que jamais se separarão do seu velho correligionario e digno chefe o tenente coronel thomaz do aquino cavalcante cumprindo a risca suas instrucções politicas que sem duvida serão as do directorio do partido dignem se illms srs redactores da provincia inserir estas linhas no seu conceituado jornal pelo que desde já nos confessaremos gratos povoação da pedra 28 de junho de 1878 josé marques da silva lobato manoel clementino de mello lobato henrique da silva lobato luiz da silva lobato antonio de mello lobato leonardo de mello lobato manoel salviano leite de mello josé cavalcante de albuquerque wanderley antonio aprigio de abreu lobato.

[close]

p. 15

sebastião thenorio cavalcante bastos antonio de siqueira cavalcante manoel bonifacio de siqueira joaquim barbosa de abreu dario de siqueira barbosa lourenço bezerra monteiro cavalcante luiz marques de souza pio chrispiniano de siqueira barboza francisco josé de siqueira lourenço josé de siqueira manuel de siqueira cavalcante joaquim alves dos santos manoel alves dos santos josé pereira de souza honorio marques de mello manoel marques de mello antonio victalino de mello leonardo lopes de carvalho josé gomes de mello junior jeronymo de souza ferraz manoel leite de sá albuquerque luiz marques de souza josé gomes de mello josé gomes de cerqueira manoel pereira de souza junior josé marques de siqueira manoel francisco de sá »

[close]

Comments

no comments yet