Revista Construir Mais Março de 2013

 

Embed or link this publication

Popular Pages


p. 1

-0,008 cub janeiro revista mensal do sindicato da indÚstria da construÇÃo no estado de goiÁs sinduscon-go ano iii nº 32 marÇo/2013 entrevista com o presidente da câmara municipal de goiânia clécio alves pág 6

[close]

p. 2



[close]

p. 3

e ditorial polo de goiânia da comunidade da construção é exemplo de sucesso a comunidade da construção é um movimento brasileiro que busca integrar a cadeia produtiva e aumentar o desempenho dos sistemas construtivos à base de cimento coordenado nacionalmente pela associação brasileira de cimento portland abcp de são paulo em goiânia suas atividades foram encampadas pelo sinduscon-go e hoje reúne 24 construtoras contando com nove empresas produtoras e fornecedoras de materiais componentes e insumos para construção em 2013 a comunidade da construção entra em seu 11º ano de atividades em goiânia tendo à frente a coordenação do renomado professor da universidade federal de goiás dr oswaldo cascudo ao longo desses anos a comunidade da construção tem contribuído com o desenvolvimento de melhores práticas e de indicadores nos temas de revestimento e alvenaria estrutural com bloco de concreto de acordo com cascudo a comunidade da construção nunca teve a pretensão de reinventar a roda todavia buscou a todo instante funcionar como um veículo propagador das boas práticas das ações de inovação tecnológica do fomento ao desenvolvimento sustentável e da incorporação do conceito e da abordagem do desempenho aplicado às edificações e para falar sobre as vantagens de participar da comunidade da construção nada melhor do que ouvir os depoimentos dos empresários participantes as declarações de vários deles constam na matéria de capa desta edição da construir mais vale a pena conferir e se você ficou interessado em aderir ao seleto grupo de construtoras participantes da comunidade da construção fique atento o período de adesões ao 7º ciclo do programa inicia neste mês de março para mais informações acesse o site www.comunidadedaconstrucao.com.br ou entre em contato no sinduscon-go telefone 62 3095-5178 com os responsáveis pelo gerenciamento das atividades da comunidade da construção de goiânia mas esta edição da construir mais está repleta de muitas outras informações relevantes para a gestão da sua empresa um exemplo é o artigo assinando um cheque em branco de autoria do diretor de assuntos jurídicos do sinduscon-go ricardo josé roriz pontes ele chama a atenção dos empresários da indústria da construção para que participem efetivamente das discussões promovidas nas assembleias gerais que brevemente serão realizadas no sindicato com a finalidade de analisar as reivindicações de nossos funcionários por ocasião das negociações das convenções coletivas de trabalho com a mudança de entendimento do tribunal superior do trabalho tst quanto à vigência das convenções coletivas de trabalho é preciso que cada vez mais o empresário fortaleça o sindicato para que este defenda os interesses do setor ressalta nosso diretor leia e participe das atividades do sinduscon-go a casa da construção em goiás boa leitura justo oliveira d abreu cordeiro presidente do sinduscon-go diretoria executiva do sinduscon-go 2010/2013 presidente justo oliveira d abreu cordeiro 1º vice-presidente carlos alberto de paula moura júnior 2º vice-presidente eduardo bilemjian filho diretor administrativo manoel garcia filho diretor adjunto administrativo daniel jean laperche diretor financeiro e patrimonial josé rodrigues peixoto neto diretor adjunto financeiro e patrimonial rodrigo campos ferreira diretor da comissão de economia e estatística ibsen rosa diretor adjunto da comissão de economia e estatística dinésio pereira rocha diretor da comissão da indústria imobiliária roberto elias de lima fernandes diretor adjunto da comissão da indústria imobiliária mário andrade valois diretora da subcomissão de habitação maria amélia alves e silva diretor da subcomissão de legislação municipal ilézio inácio ferreira diretor de materiais e tecnologia sarkis nabi curi diretor adjunto de materiais e tecnologia renato de sousa correia diretor da comissão de concessão privatização e obras públicas valdivino dias de oliveira diretor adjunto da comissão de concessão privatização e obras públicas josé carlos gilberti diretor de qualidade e produtividade humberto vasconcellos frança diretor adjunto de qualidade e produtividade marcelo alves ferreira diretor de construção pesada carmerindo rodrigues rabelo diretor adjunto de construção pesada jadir matsui diretor da construção metálica cezar valmor mortari diretor adjunto da construção metálica joaquim amazay gomes júnior diretor de assuntos jurídicos ricardo josé roriz pontes diretora adjunta de assuntos jurídicos patrícia garrote carvalho diretor da subcomissão de política e relações trabalhistas e sindicais jorge tadeu abrão diretor de saúde e meio ambiente moacyr soares moreira diretor adjunto de saúde e meio ambiente josé augusto florenzano diretor de setor elétrico e telefonia carlos vicente mendez rodriguez diretor adjunto de setor elétrico e telefonia osney valadão marques júnior diretor social e de comunicação darci moreira de lima diretora adjunta social e de comunicação eliane carvalho lima conselho consultivo josé alves fernandes filho paulo afonso ferreira mário andrade valois joviano teixeira jardim sarkis nabi curi josé rodrigues peixoto neto roberto elias de lima fernandes alan alvarenga menezes marcos alberto luiz de campos e Álvaro castro morais suplentes Élbio braz moreira marco antônio de castro miranda e joão arthur rassi conselho fiscal amós vieira wilson luiz da costa e andré luiz baptista lins rocha suplentes doriel natalício da fonseca célio eustáquio de moura e naldo alves mundim representantes junto À fieg roberto elias de lima fernandes e justo oliveira d abreu cordeiro suplentes marcos alberto luiz de campos e guilherme pinheiro de lima representante junto À cbic justo oliveira d abreu cordeiro suplentes carlos alberto de paula moura júnior e mário andrade valois marÇo 2013 · construir mais · sinduscon-go 3

[close]

p. 4

s umÁrio 5 artigo programa nacional de saúde e segurança no trabalho na indústria da construção ferramenta importante na prevenção de acidentes é o tema do artigo do presidente do seconci-brasil josé augusto florenzano 6 entrevista o presidente da câmara municipal de goiânia clécio alves fala sobre as principais metas de trabalho da sua gestão tendo à frente as discussões em torno do plano diretor e da mobilidade urbana 10 espaço jurídico da indevida cobrança de iptu prescrito pelos municípios e assinando um cheque em branco são os temas abordados nesta seção 18 matéria de capa comunidade da construção completando 11 anos de atuação em 2013,construtoras participantes do polo de goiânia colhem bons resultados 12 inovar é preciso isolamento acústico reduz ruídos nas instalações hidrossanitárias 24 registro de eventos acompanhe os últimos eventos realizados pelo sinduscon-go 16 construção sustentável decoração de menor impacto ambiental já é realidade confira a resposta na matéria desta editoria 34 indicadores econômicos confira o valor do custo unitário básico cub referente ao mês de janeiro/2013 sindicato da indústria da construção no estado de goiás sinduscon-go sinduscon-go filiado à cbic e fieg rua joão de abreu n° 427 setor oeste goiânia-goiás cep 74120110 telefone 62 3095-5155 fax 62 3095-5177 portal www.sinduscongoias com.br presidente justo oliveira d abreu cordeiro diretor social e de comunicação darci moreira de lima gerente executiva sebastiana santos edição joelma pinheiro reportagem aymés beatriz b gonçalves beatriz sinduscongoias.com.br joelma pinheiro joelma@sinduscongoias.com.br e valdevane rosa valdevane@sinduscongoias.com.br fotografia assessoria de comunicação social do sinduscon-go sílvio simões e alex malheiros projeto gráfico e diagramação duart studio publicidade sinduscon-go telefone 62 3095-5155 impressão gráfica art3 tiragem 6.000 exemplares publicação dirigida e distribuição gratuita as opiniões contidas em artigos assinados são de responsabilidade de seus autores consciente das questões ambientais e sociais o sinduscon-go trabalha em parceria com a gráfica art3 que utiliza papéis com certificação fsc forest stewardship council na impressão dos seus materiais revista construir mais revista mensal do espaÇo empresarial informe-se 62 3095-5155 4 sinduscon-go · construir mais · marÇo 2013

[close]

p. 5

a rt i g o programa nacional de saúde e segurança no trabalho na indústria da construção ferramenta importante na prevenÇão de acidentes a principal razão do nascimento do primeiro seconci foi a qualidade de vida dos trabalhadores e de seus dependentes desde então os seconci s trazem o cuidado com a área da saúde e segurança há quase 50 anos desde a fundação do seconci-sp em 1964 na verdade a criação de um seconci nasce principalmente da consciência sobre a responsabilidade social de cada empresário que se preocupa com seu trabalhador para demonstrar a eficiência dos seconci s em relação à saúde e segurança do trabalhador apenas no ano de 2011 foram quase 200 mil trabalhadores cobertos pelo pcmso aproximadamente 3.000 empresas atingidas pelo pcmat e ppra além de inúmeras palestras cartilhas e outras ações com foco na saúde e segurança do trabalhador da construção civil são números impressionantes mas não estamos satisfeitos nos últimos anos com o crescimento exponencial da indústria da construção civil e consequentemente do número de colaboradores expandiu-se também a preocupação com a saúde e segurança do trabalhador apesar de toda nossa boa intenção e seriedade ainda somos pequenos em relação à nossa indústria e vimos que sozinhos seria muito mais difícil alcançarmos todo o enorme contingente atual de trabalhadores do nosso setor diante dessa realidade surgiu a oportunidade de uma parceria com o sesi que como todos sabemos conta com uma estrutura muitas vezes maior e mais abrangente que a dos seconci s em 2012 com a constituição oficial do seconci-brasil e de seu excelente relacionamento com a cbic nos agarramos a essa chance de juntos fazermos algo maior pelo trabalhador em dezembro de 2012 o seconci-brasil o departamento nacional do sesi a cbic sicepot e sinduscon s se uniram para formalizar o acordo de governança do plano nacional de saúde e segurança do trabalhador da indústria da construção assinado em brasília pelo seconci-brasil sesi e cbic o programa nacional de saúde e segurança no trabalho na indústria da construção foi criado pelo sesi e inicialmente foi concebido na bahia hoje o pnsst tem a participação do nosso setor em todo o território nacional que soma esforços para equacionar as iniciativas imprescindíveis para enfrentamento dos desafios da indústria da construção que extrapolam a capacidade de atendimento individual de cada instituição esse programa além de ser uma importante ferramenta para prevenção de acidentes colaborará para o aumento da produtividade da qualidade de vida do trabalhador e da competitividade da indústria da construção apesar de o acordo haver sido firmado recentemente em alguns casos como em goiás o seconci-go e o sesi-go que já mantém uma forte parceria tomaram uma postura vanguardista e já iniciaram os trabalhos conjuntos na área dos programas de segurança do trabalho com a união de todas as entidades envolvidas no pnsst esperamos que a partir de 2013 consigamos diminuir ainda mais o número de acidentes em nossos canteiros além de melhorarmos a imagem do nosso setor que cada vez mais se mostra seriamente comprometido não só com a vida mas com a qualidade da vida de seu trabalhador o seconci-brasil acredita que a indústria da construção civil constrói cidadãos josé augusto florenzano é presidente do seconci-brasil marÇo 2013 · construir mais · sinduscon-go nos últimos anos com o crescimento exponencial da indústria da construÇão civil e consequentemente do número de colaboradores expandiu-se também a preocupaÇão com a saúde e seguranÇa do trabalhador 5

[close]

p. 6

e ntrevis ta clÉcio alves câmara municipal de goiânia elege a discussão sobre o plano diretor e a mobilidade urbana clécio alves nasceu em goiânia e trabalhou como vendedor e representante comercial também foi empresário do setor da construção civil em 1996 iniciou a vida pública no psd concorrendo a vereador pela primeira vez mas não foi eleito em 2000 já no pps clécio se elegeu para o primeiro mandato em 2004 desta vez no pt foi reeleito para o segundo mandato em 2005 filiou-se ao pmdb exercendo a liderança do prefeito na câmara formado em direito pela universidade salgado de oliveira casado clécio tem três filhos e um neto eleito por unanimidade atualmente o vereador clécio alves ocupa a presidência da câmara municipal de goiânia confira a seguir a entrevista que ele concedeu à revista construir mais quais são os projetos legislativos e programas pensados para goiânia nesta gestão legislativa com certeza um dos mais importantes será o que vai tratar sobre o plano diretor e também sobre a questão da mobilidade transporte brt como os temas principais desta gestão comente quais devem ser priorizados em 2013 tendo em vista o caráter mais urgente o que trata da mobilidade esse será o maior desafio da nova gestão do prefeito paulo garcia como a câmara pretende trabalhar a questão do código florestal brasileiro no município de goiânia para adequação prática da lei na capital sabendo da importância do código florestal na vida presente e das futuras gerações a câmara com certeza deverá participar diretamente das discussões e contribuir ao máximo com o tema plano diretor comente sobre as alterações aprovadas em 2012 e as pendentes de aprovação no novo ano legislativo na verdade não foi aprovado nenhum dos pontos que foram enviados em 2012 como líder do governo solicitei 6 sinduscon-go · construir mais · marÇo 2013

[close]

p. 7

que outros projetos podem ser apresentados pensando em estimular as atividades produtivas do setor da construção na grande goiânia imagino que a câmara e o prefeito paulo garcia têm consciência da necessidade de incentivar e valorizar o setor produtivo da construção em goiânia principalmente com a parceria do governo federal com programas e financiamentos de moradia brt bus rapid transit com o corredor a ser especialmente criado para o trânsito rápido de ônibus articulados cortando a avenida goiás entrará na pauta de discussão dos vereadores o desenho de um novo plano viário adequado ao traçado urbano da região central da cidade e em todo o trajeto do percurso sabemos da importância do setor da construção em goiânia do ponto de vista de geração de empregos impostos e desenvolvimento da nossa capital é necessário construirmos uma parceria cada vez mais forte poder público e iniciativa privada com medidas e recursos para que continue crescendo e acabando o déficit habitacional cada vez mais e qual a orientação a ser passada aos cidadãos/usuários do transporte coletivo quanto Às mudanças que possivelmente virão com a implantação do sistema brt com certeza esse será um dos grandes projetos a ser implemantado pelo prefeito paulo garcia em goiânia a população vai receber um avanço no transporte moderno rápido melhorado a mobilidade de um transporte mais eficiente que trará satisfação e valorização a todos os que usam e dependem do transporte urbano em goiânia e da região metropolitana clÉcio alves presidente da câmara municipal de goiânia a devolução do projeto ao executivo para reparos técnicos para que pudessem voltar a ser discutidos em 2013 com a nova legislatura isti a redução do índice já foi aprovada ou voltará À pauta da casa em 2013 em 2012 foi aprovado o projeto com limite de prazo para o contribuinte pagar e foi quitado pelo prefeito devido ao ano eleitoral a câmara derrubou o veto e foi questionar na justiça com citação de todos os vereadores que votaram serão absolvidos agora em 2013 ao mesmo tempo o prefeito paulo garcia enviou um novo projeto agora em 2013 que foi aprovado na auto convocação e em caráter definitivo baixando de 3,5 para 2 com certeza um avanço e uma vitória da população marÇo 2013 · construir mais · sinduscon-go 7

[close]

p. 8



[close]

p. 9

n ot Í ciasdos pa rcei ro s universitários visitam canteiro de obras sustentável contribuir para a formação de novos profissionais no mercado da construção civil é um dos objetivos do projeto canteiro aberto da toctao engenharia um programa de socialização do conhecimento desenvolvido para universitários dos cursos da área de atuação da empresa no dia 02 de fevereiro 35 estudantes de engenharia ambiental da universidade federal de goiás foram recebidos em um de seus canteiros de obras a visita dos alunos que cursam o segundo período do curso foi uma atividade da disciplina mecanismo de desenvolvimento sustentável a expectativa da professora tutora da turma drª simone pfeiffer é que os alunos tivessem os primeiros contatos com a aplicação das técnicas sustentáveis afinal a toctao engenharia conquistou recentemente a certificação do sistema de gestão ambiental ­ abnt nbr iso 14001:2004 por sua atuação em sintonia com os princípios da sustentabilidade e tem muito a mostrar para os futuros profissionais da área o principal objetivo da visita é que os alunos percebam a implantação da teoria estudada em sala de aula e ver que algumas empresas têm essa preocupação com o meio ambiente e praticam essas ações como a toctao ressalta durante a visita os alunos conheceram as medidas da toctao engenharia para diminuir o impacto ambiental em suas obras que inclui desde as mais simples como a reciclagem de materiais até o uso de energia solar durante a obra a empresa também trabalha com o aproveitamento da iluminação natural através de garrafas pet preenchidas com água realiza a edificação do canteiro com materiais recicláveis faz o reaproveitamento das águas do lavatório de mãos na limpeza dos mictórios possui uma central de concreto ecológica com sistema de tratamento de efluentes entre outras além destes aspectos físicos a empresa controla critérios ambientais de seus fornecedores de materiais bem como dos receptores de resíduos liberdade da casa segurança do apartamento quem sonha em morar no parque mais charmoso de goiânia em um dos setores com valorização imobiliária garantida o jardim goiás ainda tem chance de adquirir uma unidade no park house flamboyant a segunda torre está em construção e tem previsão de entrega ainda no primeiro semestre 2013.desfrutar da liberdade e conforto de uma casa na segurança e praticidade de um apartamento este passa a ser o inovador privilégio dos proprietários do park house flamboyant um empreendimento sofisticado construído com este conceito exclusivo da opus inteligência construtiva e da flamboyant urbanismo que acaba de entregar a sua primeira torre aos moradores a combinação casa-apartamento tão desejada por muitos é propiciada no park house pela criação de um pátio outside ou seja uma área externa de 55 m² no apartamento que proporciona ao morador a mesma atmosfera de liberdade e lazer de uma casa o park house oferece projetos de apartamento tipo de 228,57 m² e 242,04 m² e cobertura duplex de 479,63 m² com piscina sendo todas as plantas com quatro suítes o bem estar dos residentes também faz parte da concepção do projeto que apresenta opções inovadoras para saúde e beleza o ateliê e o espaço mulher além de duas áreas de spa e um estúdio fitness o complexo de lazer do park house é definitivamente mais um diferencial da obra com uma área total de 4.700 m² o park house apresenta ainda uma variedade de ambientes recreativos como sala de cinema quadra de esportes salão de jogos brinquedoteca espaço gourmet e dois terraços tudo entregue completamente mobiliado todo o potencial do apartamento pode ser conferido em seu decorado que surpreende não apenas pelos detalhes no projeto e acabamento mas encanta quem o visita pela belíssima vista digna de cartão postal proporcionada pelo pátio outside do empreendimento consciente entrega primeira praça conceito em sustentabilidade de goiânia lançada em parceria com a prefeitura de goiânia a consciente construtora e incorporadora inaugurou no dia 31 de janeiro a primeira praça conceito em sustentabilidade da capital estiveram presentes na solenidade o prefeito de goiânia paulo garcia e o presidente da consciente ilézio inácio ferreira idealizador do projeto calçada consciente que já faturou diversos prêmios a praça conceito consciente é um projeto inovador que segue a tendência mundial de reutilização de materiais preservação da natureza e uso responsável dos recursos naturais aliando sustentabilidade à beleza conforto e inovação localizada na rua 27 com a t-50 no setor marista em goiânia o local conta com diversas novidades da construção sustentável como o piso drenante que absorve 90 da água da chuva no lugar da tradicional grama que permite a infiltração da água no solo foram utilizados diversos materiais reciclados madeira de reflorestamento ou de reuso além de jardim sensorial em especial para ser apreciado por deficientes visuais segundo o presidente da consciente atender todos os princípios de sustentabilidade é o grande diferencial e seria muito bom que essa iniciativa se expandisse e que outros empresários fizessem o mesmo pois a cidade ganha e a população como um todo também marÇo 2013 · construir mais · sinduscon-go 9

[close]

p. 10

e s pa Ç ojur Í dico da indevida prescrito pelos municípios os municípios assim como a união e os estados têm o péssimo hábito de tentar receber de seus ilustres contribuintes tributos cuja exigibilidade encontra-se fulminada pelo instituto da prescrição ou da decadência isso sem falar nas vezes em que cobra estes mesmos tributos de forma abusiva ou até mesmo ilegal apenas a título de sucinta explicação a prescrição trata-se de uma medida punitiva para o titular de uma pretensão que se mantém inerte por determinado período de tempo de modo que a prescrição extingue o direito de ação deste sujeito que não a exerce dentro do prazo estabelecido em lei e a decadência no caso em questão seria a extinção do próprio direito do estado de constituir o seu crédito tributário o qual poderia ser objeto de respectiva ação executiva em caso de inadimplência por parte do sujeito passivo desta obrigação recentemente um desses sujeitos passivos procedeu à busca de sua situação fiscal relativa a um antigo lote de sua propriedade em determinado município onde descobriu que haviam sido ajuizadas várias ações de cobrança de iptu relativas aos anos de 1992 até 2012 preocupado com a situação foi à secretaria de finanças daquele município onde o servidor de prontidão sem dar qualquer explicação ou orientação apenas imprimiu todos os boletos até com opção de parcelamento para o mesmo efetuar o pagamento de todos os créditos desde 1992 mas para a sorte dele antes de simplesmente pagar os boletos resolveu fazer uma consulta jurídica onde descobriu que grande parte dos valores que estavam sendo cobrados na esfera judicial não eram mais devidos tendo em vista a incidência da prescrição intercorrente acontece que aquele município sempre deixava para ajuizar cobranca de iptu as ações quando faltava um mês para prescrever o seu direito de cobrar a dívida que é de cinco anos a contar da data da sua constituição definitiva como está escrito no art 174 do código tributário nacional o que se tratando de imposto sujeito a lançamento direto como é o caso do iptu com vencimento previsto em lei realiza-se em 1º de janeiro de cada ano fluindo a partir de então o prazo prescricional para a propositura da execução fiscal no entanto o caso deste cliente ainda teve um elemento a mais o município não conseguiu efetivar a sua citação logo que entrou com as ações de execução fiscal e dormitou em berço esplêndido durante mais outros tantos anos de modo que alguns créditos já estavam sendo demandados há mais de dez anos sem qualquer citação do sujeito passivo e nem providências neste sentido por parte daquele município É bastante óbvio que aquele município teve grande parte de suas pretensões atingidas pela prescrição intercorrente de acordo com entendimento do superior tribunal de justiça para que ocorra a prescrição intercorrente ou seja mesmo depois de proposta a ação de execução fiscal é necessário que o processo esteja sem providências do exequente e por mais de cinco anos isto porque após a propositura da ação executiva fiscal com o despacho do juiz que ordena a citação ocorre a interrupção do prazo prescricional de cinco anos o qual recomeça a ser recontado dentro do processo conf inciso i do art 174 do ctn importante lembrar que mesmo no caso de se estar executando a pessoa jurídica e a mesma não mais existir não tiver sido citada ou não possuir bens o stj entende que o redirecionamento para os sócios não pode ser feito após ultrapassado um período superior a cinco anos contados da citação da pessoa jurídica embora a data de citação da pessoa jurídica não seja o único critério adotado para se analisar o transcurso do prazo quinquenal para o redirecionamento da ação executiva fiscal pois cada caso deve ser analisado com suas especificidades desta forma é muito importante que os contribuintes estejam bastante atentos a respeito das cobranças que lhe são feitas por todas as esferas do estado especialmente a cobrança indevida de iptu prescrito que é procedida pela maioria dos municípios os quais não informam seus contribuintes da maneira adequada e mantêm suas cobranças até na esfera judicial como aquele sujeito que se finge de bobo para poder passar os outros para trás por isso quando for demandado pelo estado procure orientação profissional e não deixe de exercer seus direitos giuliano f miotto é advogado sênior na miotto diniz vicente consultoria corporativa em goiânia go a prescriÇão trata-se de uma medida punitiva para o titular de uma pretensão que se mantém inerte por determinado período de tempo de modo que a prescriÇão extingue o direito de aÇão deste sujeito que não a exerce dentro do prazo estabelecido em lei 10 sinduscon-go · construir mais · marÇo 2013

[close]

p. 11

assinando um cheque em branco É assim que parece ser o comportamento da maioria dos empresários frente à relação com os seus empregados por ocasião da elaboração da convenção coletiva do trabalho por que estamos assinando um cheque em branco senão vejamos muito se têm investido em programas de compra de materiais controle dos desperdícios programas de qualidade departamentos de compra e cotações de preços rigorosas mas quando se trata do item que representa 50 do custo de nossas obras a falta de interesse é evidente e a omissão é geral não podemos compreender e nem aceitar que em um universo de aproximadamente 10 mil empresas do setor da construção filiadas ao sinduscon-go pouco mais de 30 estiveram presentes nas assembleias do ano de 2012 se por um lado o sinduscon-go que representa o setor aceita e assume esta responsabilidade por outro perdemos nós as empresas a oportunidade de não apenas discutirmos as reivindicações feitas mas também fazermos nossas reivindicações pois com a mudança de entendimento do tribunal superior do trabalho tst quanto à vigência das convenções coletivas de trabalho é preciso que cada vez mais o empresário fortaleça o sindicato para que este defenda os interesses do setor até meados de setembro de 2012 o entendimento do tst era de que as condições de trabalho alcançadas em decorrência de convenção coletiva vigoravam tão somente durante o período de vigência do instrumento não integrando de forma definitiva os contratos individuais de trabalho a novidade é que segundo o tst as cláusulas normativas das convenções coletivas integram os contratos individuais de trabalho e somente poderão ser modificadas ou suprimidas mediante negociação coletiva de trabalho isto quer dizer que eventuais cláusulas previstas em convenção ou acordo coletivo de trabalho terão data de vigência indeterminada e integrarão o contrato de trabalho do empregado até que se realize nova negociação está aí a importância de o empresário estar presente pessoalmente evitando enviar procuradores nas assembleias desse ano por definição convenção coletiva é o negócio jurídico através do qual sindicatos estipulam condições de trabalho a convenção coletiva está a princípio abaixo da constituição e das leis em qualquer de suas modalidades lei ordinária lei complementar lei delegada decreto-lei etc mas acima dos acordos coletivos regulamentos e contratos individuais do trabalho porém a convenção coletiva pode prevalecer sobre norma de maior estamos assinando um cheque em branco quando não participamos da assembleia geral onde são analisadas as reivindicaÇões de nossos funcionários e deixamos de fazer nossas próprias reivindicaÇões hierarquia quando nela contiver disposição mais favorável ao trabalhador as regras estabelecidas nas convenções aplicam-se não apenas aos novos contratos que vierem a ser celebrados mas também aos que estejam em curso e em alguns casos aos contratos já findos um aspecto importante é a sua executoriedade ou seja o não cumprimento das regras estabelecidas na convenção coletiva da margem à execução através da atuação de cada trabalhador interessado entendido então o que é a convenção coletiva podemos responder a pergunta formulada no início do texto concluindo que estamos assinando um cheque em branco quando não participamos da assembleia geral onde são analisadas as reivindicações de nossos funcionários e deixamos de fazer nossas próprias reivindicações nossa proposta a exemplo do que ocorreu nos últimos anos é realizar assembleias separadas por setor de atividade e discutir mais profundamente as questões específicas de cada um e então eleger um delegado para acompanhar esta diretoria nas negociações o importante é sempre lembrar que o sinduscon-go não é a categoria a sua função é a de representar a categoria ricardo josé roriz pontes é diretor de assuntos jurídicos do sinduscon-go sócio proprietário da sobbe sistemas estruturais ltda e da ebeg engenharia ltda marÇo 2013 · construir mais · sinduscon-go 11

[close]

p. 12

i n ova r É preciso isolamento acústico em 2005 a construtora e incorporadora tecnisa de são paulo registrava menos de 0,2 de chamados de assistência técnica relacionados a questões acústicas em 2006 este número subiu para quase 1 e em 2007 passou de 1,6 isso fez ascender a luz vermelha na empresa que iniciou suas primeiras pesquisas sobre as causas e planos de ação relata o engenheiro de desenvolvimento tecnológico luiz henrique manetti à época pertencente aos quadros da tecnisa em um trabalho mais detalhado de pesquisa sobre reclamações de barulho o departamento de desenvolvimento tecnológico da empresa gerido pelo engenheiro maurício bernardes descobriu os dois principais vilões o isolamento de piso entre unidades toc toc do tamanco da vizinha de cima e ruídos causados pelo sistema de esgoto o acionamento da descarga na suíte do vizinho superior gerava ruídos de 54db no interior do banheiro da suíte de baixo e 44db no próprio dormitório de baixo a falta de parâmetros e normas para medição de ruídos hidrossanitários obrigou a tecnisa a investir tempo e dinheiro no estudo do assunto a meta era a de se atingir 35db no interior do dormitório valor este retirado da norma nbr 10.152 sobre ruídos externos ressalte-se que tal norma segundo avaliação do engenheiro manetti também secretário da revisão da norma brasileira de desempenho nbr 15.575 e professor de pós-graduação em desempenho de edificações nada tratava de ruídos internos ou hidrossanitários mas apresentava um reduz ruídos nas instalações hidrossanitárias norte no que diz respeito a conforto acústico em dormitórios pesquisando o mercado a equipe de desenvolvimento tecnológico da construtora levantou 10 soluções distintas e com os custos mais variados possíveis algumas mais complexas como o encapsulamento com gesso outras mais caras como a troca por descargas silenciosas outras mais simples ­ como a troca por tubos acústicos ­ e outras mais baratas como a utilização de lã de rocha o fato é que nenhum dos 10 fabricantes conhecia o real desempenho de seus produtos e no final quem assumiria o risco seria a própria construtora e esta tinha as estatísticas apontando nove chances de errar e uma de acertar dúvidas surgiram nessa etapa vale a pena gastar mais dinheiro e tempo pesquisando materiais dos nossos fornecedores e isso faz parte do escopo de uma construtora a verdade é que infelizmente mesmo não fazendo parte das responsabilidades das construtoras estas se vêem contra a parede pois ou assumem os riscos dos fabricantes ou financiam o desenvolvimento deles observa manetti terminados todos os testes comparativos de desempenho veja o quadro para registrar o percentual de aumento dos custos em relação ao benefício atenuação dos ruídos das instalações hidrossanitárias algo inesperado foi descoberto uma das soluções mais baratas a lã de rocha mostrou o melhor desempenho dentre todas as demais fonte tecnisa custo x benefício acústica em instalações hidráulicas atenuação db solução 10 solução 9 solução 8 solução 7 solução 6 solução 5 solução 4 solução 3 solução 2 solução 1 0,00 2,00 4,00 6,00 8,00 10,00 solução 10 solução 9 solução 8 solução 7 solução 6 solução 5 solução 4 solução 3 solução 2 solução 1 0 10,0 20,0 30,0 40,0 50,0 custo 60,0 70,0 trata-se aqui de um aumento de apenas 0,2 do custo total da obra mas com benefícios reais sentidos pelos clientes este fornecedor foi desenvolvido detalhes de projeto foram criados e o novo procedimento de se isolar a tubulação de todas as obras foi implantado de acordo com o engenheiro 12 sinduscon-go · construir mais · marÇo 2013 os reflexos já vieram em 2008 com redução das reclamações ao mesmo patamar de 2006 a tecnisa também investiu no ponto de venda que passou a possuir um totem onde o cliente clica na solução com ou sem isolamento e ouve a diferença afinal de contas ninguém é obrigado a saber o que é 1db

[close]

p. 13

s eguranÇa do trabalho a terceirizaÇão e a segurança no trabalho engenheiro marcos peres uma prática amplamente utilizada no brasil nos úlvale lembrar que a terceirização somente é permitida timos tempos e que pode trazer diversos benefícios para as atividades não essenciais e serviços que não separa as empresas é a terceirização de mão de obra e de jam relacionados com o objetivo principal da empresa serviços este processo de gestão em que se repassam constante no contrato social qualquer tipo de terceirizaatividades não essenciais da empresa a fornecedores esção que seja diferente desta é vista pela legislação como pecializados detentores de tecnologia própria métodos ilegal e a empresa contratante pode sofrer consequêne procedimentos permite a emcias severas desde o pagamento presa contratante focar mais no de multas ações públicas até seu negócio e em sua área de intervenções judiciais em obras vale lembrar que a atuação trazendo vantagens assim para que as empresas terceirizaÇão somente mercadológicas como a reducontratantes de serviços terceié permitida para as ção do desperdício aumento rizados possam evitar riscos atividades não essenciais da especialização do serviço evoluir em qualidade e produtiganho de flexibilidade aprimovidade reduzir custos e ganhar e serviÇos que não sejam ramento do sistema de custeio competitividade deve se ater relacionados com o redução da ociosidade de maesforços para atender a legislaobjetivo principal da quinário e maior agilidade nas ção no que reza as possibilidaempresa constante decisões estas são apenas algudes de terceirização ter padrões no contrato social mas das diversas vantagens da para escolha de fornecedores terceirização contudo caso a idôneos divulgar e fazer cumempresa contratante não tome prir a legislação trabalhista e de algumas precauções o trabalho terceirizado pode acabar segurança do trabalho e desenvolver critérios administrazendo muito mais problemas que benefícios trativos para fiscalizar e acompanhar o cumprimento das a contratação de empresas terceiras deve ser visobrigações trabalhistas por parte da terceirizada ta como forma para especializar o serviço e não como marcos humberto gomes peres redução de custos quando se parte da premissa pela é engenheiro de segurança do trabalho engenheiro contratação de fornecedores com objetivo exclusivo de eletricista e gerente de segurança saúde e meio ambiente redução de custos o que normalmente se vê é que há marcosperes@gmail.com a precarização nas condições de trabalho e associado a esta precarização identifica-se um efeito em cadeia no descumprimento das normativas legais ainda é possível ser visto em canteiros de obra empresas terceirizadas descumprindo integralmente normas regulamentadoras e trabalhistas problemas como a falta de registro de trabalhadores má qualidade e falta do fornecimento de equipamentos de proteção infraestrutura de canteiros e alojamentos demonstram o quanto pode ser prejudicial para as empresas a contratação de fornecedores inidôneos e desprovidos de oficialidade pois a legislação prevê a responsabilidade subsidiária que determina se empresa terceirizada não cumprir os direitos trabalhistas de seus empregados as demandas trabalhistas e de fiscalização podem se voltar contra a contratante tomadora do serviço marÇo 2013 · construir mais · sinduscon-go 13

[close]

p. 14

c omunidade da construÇÃo por que se preocupar quando isso passa a ser um problema o calor de hidratação é um fenômeno natural decorrente das reações químicas do cimento com a água durante o seu período de cura que são reações exotérmicas ou seja liberam calor o clínquer do cimento portland é constituído de silicatos de cálcio principalmente e de aluminatos de cálcio a saber 45 a 60 de silicato tricálcico c3s 15 prof dr oswaldo a 30 de silicato dicálcico c2s cascudo 6 a 12 de aluminato tricálcico c3a e 6 a 8 de ferro-aluminato tetracálcico c4af desses 4 constituintes principais do clínquer chamados de constituintes de bogue o c3a é o que mais libera calor durante sua hidratação algo em torno de 207 cal/g vindo na sequência o c3s com cerca de 120 cal/g se esse calor produzido é um efeito natural e espontâneo da química do cimento quando então ele passa a ser um problema patológico já que não se pode eliminá-lo do processo de cura do cimento bem o fenômeno de fato preocupa quando os gradientes de temperatura da massa de concreto em um elemento estrutural passam a ser significativamente elevados em geral o concreto é um mau condutor térmico quando comparado aos metais e ao aço por exemplo veja quadro ao final a condutividade térmica que é o parâmetro que mede a habilidade facilidade do material para conduzir calor definido como a razão do fluxo de calor para um dado gradiente de temperatura é cerca de 1.300 mais altapara o aço em comparação ao concreto dessa forma para materiais com baixa condutividade térmica sua difusividade térmica também é precária ou seja há dificuldade do material em trocar calor com o ambiente pode-se produzir então em determinadas circunstâncias uma condição semi-adiabática na qual as trocas de calor são muito pequenas entre o concreto e o meio externo colocadas essas informações fica claro entender que em uma certa massa de concreto havendo uma situação de produção endógena de calor calor gerado no interior do concreto e não proveniente de fontes externas este calor terá dificuldade em ser dissipado inicialmente dadas as características já comentadas de baixas condutividade e difusividade térmicas do concreto ora calor continuamente sendo gerado na massa de concreto sem que seja dissipado na mes14 sinduscon-go · construir mais · marÇo 2013 calor de hidrataÇão no concreto ma velocidade implicará em aumentos de temperatura do material que poderá alcançar picos térmicos consideráveis cerca de 50 do calor de hidratação é gerado até 3 dias de cura do concreto tendo-se até 7 dias de 65 a 80 de todo o calor produzido portanto de 3 a 10 dias se produz calor a uma velocidade muito alta ao passo que a dissipação é baixa havendo assim aumentos de temperatura com efeitos de expansão da massa de concreto após esse período inicial algo como de 7 a 14 dias o concreto vai perdendo o calor gerado de maneira que ele sofre contrações retrações em função da redução das temperaturas até o equilíbrio com as temperaturas ambientes o que é determinante como dito anteriormente são os gradientes térmicos produzidos quanto mais pronunciadas forem as diferenças entre as máximas e as mínimas temperaturas atingidas pelo concreto maior é o potencial de riscos de trincas e fissuras por calor de hidratação e maiores os danos produzidos no concreto salienta-se que o quadro de fissuração se estabelecerá quando da queda de temperatura do concreto e não quando da elevação ocorre que na expansão confinada ou restringida as tensões produzidas no material serão basicamente de compressão enquanto na contração restringida as tensões serão de tração É sabido que a resistência à tração do concreto é cerca de 10 de sua resistência à compressão o que determina a maior vulnerabilidade quanto à fissuração do concreto quando ele se mantiver em estado de tração portanto quando essas tensões de origem térmica superam a resistência à tração do concreto surgem as fissuras do ponto de vista prático só faz sentido falar patologicamente do calor de hidratação quando se têm elementos estruturais que envolvem grandes volumes de concreto são os chamados concretos-massa até alguns anos atrás a preocupação com esse problema se restringia às grandes obras de engenharia tais como barragens obras de arte pontes e viadutos ou algumas obras especiais atualmente com a verticalização cada vez mais proeminente dos edifícios multipavimentos que alcançam em nossa região 40 50 pavimentos e até mais há uma exigência de concepção mais robusta de elementos estruturais para os pavimentos inferiores térreo subsolos e principalmente para fundações notadamente considerando-se os fck envolvidos que muito raramente superam 50 mpa particular atenção existe com os blocos de fundação que hoje facilmente atingem volumes de concreto da ordem de 120 a 150 m³ de concreto além da questão associada ao

[close]

p. 15

fissuraÇÃo por calor de hidrataÇÃo em bloco estrutural de concreto armado concreto em si em especial relativa ao consumo e tipo de cimento que determina o potencial gerador de calor do concreto a geometria do bloco é muito desfavorável neste contexto o que torna esse tipo de elemento muito susceptível à fissuração sendo o bloco um elemento massivo a dissipação do calor produzido é muito deficiente ela se dá basicamente nas regiões periféricas do elemento mantendo o núcleo praticamente sem trocas de calor propiciando dessa forma os altos gradientes de temperatura as tensões térmicas deletérias e enfim a fissuração indesejável os blocos em particular têm grande responsabilidade estrutural pois recebem grande percentual de carga do edifício sua fissuração pode implicar em perda de resistência mecânica e consequentemente em comprometimento da segurança e estabilidade estrutural o que obriga à realização de tratamentos no elemento estrutural como injeções de caldas de cimento ou de resina epóxi quando se manifestam as fissuras a solução para esse problema é essencialmente preventiva um estudo com eventual ajuste do traço e de seus constituintes principalmente do cimento associado a iniciativas para a redução da temperatura inicial do concreto como o resfriamento com gelo por exemplo e à execução da concretagem em etapas são algumas das ações importantes e efetivas para se minimizar ou se erradicar o problema a reflexão preventiva ainda na etapa de projeto indicará os casos potencialmente perigosos de calor de hidratação que por sua vez demandarão abordagem sistêmica conhecimento especializado e experiência para que esse fenômeno natural não se transforme em eventos patológicos no concreto dados de condutividade térmica de diversos materiais material cobre alumínio aço concreto tijolo cerâmico condutividade térmica ­ k j/cm.s.ºc 40 x 10-1 22 x 10-1 5 x 10-1 0,10 a 0,60 x 10-1 0,06 x 10-1 marÇo 2013 · construir mais · sinduscon-go 15

[close]

Comments

no comments yet