Revista A LAVOURA 694 - FEV 2013

 

Embed or link this publication

Popular Pages


p. 1

a lavoura no 694/2013 1

[close]

p. 2

2 no 694/2013 a lavoura

[close]

p. 3

a lavoura capa a lavoura ano 116 nº 694 diretor responsÁvel antonio mello alvarenga editora cristina baran editoria@sna.agr.br especial girassol cuidados começam na semeadura reportagem e redaÇÃo secretaria endereÇo paula guatimosim redacao.alavoura@sna.agr.br sílvia marinho de oliveira alavoura@sna.agr.br av general justo 171 ­ 7º andar cep 20021-130 rio de janeiro ­ rj tel 21 3231-6350 fax 2240-4189 endereÇo eletrÔnico http www.sna.agr.br e-mail alavoura@sna.agr.br redação.alavoura@sna.agr.br 20 indicaÇÃo geogrÁfica produtos de valor assinaturas publicidade 26 assinealavoura@sna.agr.br alavoura@sna.agr.br tel 21 3231-6369 editoraÇÃo e arte coordenação cristina baran paulo américo magalhães tel 21 2580-1235 8126-5837 pm5propaganda@terra.com.br apicultura salve a rainha colaboradores desta ediÇÃo adilson de oliveira junior alessandra casolato andressa kaam breno lobato carina gomes rufino cesar de castro cristiano caporici enio Ângelo todeschini fernanda domiciano hédio ferreira júnior alicia nascimento aguiar jaques hickmann josé a delfino barbosa filho josé antonio d barbosa filho juliana caldas julianne caju léa cunha luiza malagrino maiara martines marcelo hiroshi hirakuri mariana chiquetto mariana perez vilela marília l queiróz marília moreira maurício santini meirelane chagas da silva paulo andré c kawasaki regina ma villas bôas de campos leite renata jaguaribe roberto nunes filho rosana persona thais gonzales vinícius reis yuri lopes silva tecnologia estábulo sem moscas 40 34 trigo hora certa plantio do trigo irrigado no cerrado deve ser iniciado em abril 46 pesquisa algodão melhorado resistente à ramulária avicultura boas práticas de manejo durante a pega de frangos de corte 48 tecnologias integradas aumentam produção na entressafra 50 impressÃo citricultura sna 116 anos entrevista ministra izabella teixeira panorama sobrapa informe ocb/sescoop-rj walprint gráfica e editora www.walprint.com.br 06 14 17 35 39 54 62 63 66 É proibida a reprodução parcial ou total de qualquer forma incluindo os meios eletrônicos sem prévia autorização do editor os artigos assinados são de responsabilidade exclusiva de seus autores não traduzindo necessariamente a opinião da revista a lavoura e/ou da sociedade nacional de agricultura-sna issn 0023-9135 56 caprinos ovinos organicsnet animais de estimaÇÃo bem-estar no pré empresas abate é importante sociedade rural no manejo cristina baran 60 brasileira srb a lavoura no 694/2013 3

[close]

p. 4

diretoria executiva diretoria tÉcnica comissÃo fiscal antonio m ello alvarenga neto almirante ibsen de gusmÃo cÂmara osanÁ sÓcrates de a raÚjo almeida joel naegele tito b runo bandeira ryff francisco josÉ vilela santos hÉlio meirelles cardoso josÉ carlos azevedo de menezes luiz marcus suplicy hafers ronaldo de albuquerque sÉrgio gomes malta presidente 1o vice-p residente 2o vice-p residente 3o vice-p residente 4o vice-p residente diretor diretor diretor diretor diretor diretor alberto werneck de figueiredo antonio freitas claudio caiado john richard lewis thompson fernando pimentel jaime rotstein josÉ milton dallari katia aguiar marcio sette fortes de almeida maria helena furtado mauro rezende lopes paulo protÁsio roberto ferreira s pinto rony rodrigues oliveira ruy barreto filho claudine bichara de oliveira maria cecÍlia ladeira de almeida plÁcido marchon leÃo roberto p araÍso rocha rui otavio a ndrade academia nacional de agricultura fundador cadeira e p at rono o c tav iomelloa lva renga titular patrono 01 02 03 04 05 06 07 08 09 10 11 12 13 14 15 16 17 18 19 20 21 22 23 24 25 26 27 28 29 30 31 32 33 34 35 36 37 38 39 40 41 e nnes de s ouza m oura b rasil c ampos da p az b arÃo de c apanema a ntonino f ialho w enceslÁo b ello s ylvio r angel p acheco l eÃo l auro m uller m iguel c almon l yra c astro a ugusto r amos s imÕes l opes e duardo c otrim p edro o sÓrio t rajano de m edeiros p aulino f ernandes f ernando c osta s Érgio de c arvalho g ustavo d utra j osÉ a ugusto t rindade i gnÁcio t osta j osÉ s aturnino b rito j osÉ b onifÁcio l uiz de q ueiroz c arlos m oreira a lberto s ampaio e paminondas de s ouza a lberto t orres c arlos p ereira de s Á f ortes t heodoro p eckolt r icardo de c arvalho b arbosa r odrigues g onzaga de c ampos a mÉrico b raga n avarro de a ndrade m ello l eitÃo a ristides c aire v ital b rasil g etÚlio v argas e dgard t eixeira l eite r oberto f erreira da s ilva p into j aime r otstein e duardo e ugÊnio g ouvÊa v ieira f rancelino p ereira l uiz m arcus s uplicy h afers r onaldo de a lbuquerque t ito b runo b andeira r yff f lÁvio m iragaia p erri j oel n aegele m arcus v inÍcius p ratini de m oraes r oberto p aulo c Ézar de a ndrade r ubens r icupero p ierre l andolt a ntonio e rmÍrio de m oraes i srael k labin s ylvia w achsner a ntonio d elfim n etto r oberto p araÍso r ocha j oÃo c arlos f averet p orto a ntonio c abrera m ano f ilho j Ório d auster a ntonio c arreira a ntonio m ello a lvarenga n eto i bsen de g usmÃo c Âmara john richard lewis thompson j osÉ c arlos a zevedo de m enezes a fonso a rinos de m ello f ranco r oberto r odrigues j oÃo c arlos de s ouza m eirelles f Ábio de s alles m eirelles l eopoldo g arcia b randÃo a lysson p aolinelli o sanÁ s Ócrates de a raÚjo a lmeida d enise f rossard e dmundo b arbosa da s ilva e rling s l orentzen sociedade nacional de agricultura · fundada em 16 de janeiro de 1897 · reconhecida de utilidade pública pela lei nº 3.459 de 16/10/1918 av general justo 171 7º andar · tel 21 3231-6350 · fax 21 2240-4189 · caixa postal 1245 · cep 20021-130 · rio de janeiro brasil e-mail sna@sna.agr.br · http www.sna.agr.br escola wenceslÁo bello fagram · av brasil 9727 penha cep 21030-000 rio de janeiro rj · tel 21 3977-9979 4 no 694/2013 a lavoura

[close]

p. 5

carta da dia do agricultor foi comemorado em 28 de julho praticamente despercebido vimos apenas algumas referências sem maiores destaques e a realizapaís está mergulhado em expressão nada que ção de eventos locais de menor ambiente de incertezas o agronegócio sofre mas segue corresponda à sua importância para o país firme as estimativas a faltarecentes indicam que populaÉ evidente mais de sintonia entre nossa a safra de 2013 seráeexcepcional produziremos o descobrição urbana o setor agropecuário desde um recorde de 83 milhões de toneladas de soja que fará mento do brasil quando pero vaz caminha afirmou que aqui a terra era boa e nela tudo poderia ser produzido brasil o maior produtor e fornecedor mundial do que se do produto iniciou a construção de uma imagem distorcida de nosso agronegócio o desempenho de nosso agronegócio garantiao longo da história os produtores rurais foram chará mais uma vez os tropeços dos demais setomados de senhores dode nossa barões do café gigolôs res e os desacertos engenho titubeante política de vacas caloteiros grileiros latifundiários improdueconômica tivos e mais recentemente de desmatadores oo agricultordeidentificado como caipira inculto e superávit é nossa balança comercial estará assegurado com exportações de soja carne café desinformado para muitos habitantes dos grandes cenaçúcar celulose madeira rural maltrata seus funcitros urbanos o empresário e tantos outros produtos que saem de nossas terras utilizar-se de traonários e às vezes é acusado de balho escravo o brasil cumpre sua vocação natural e consolida quando a inflação destaque das previsões botam uma posição de fica acima como um dos maia culpa em algum produto de origem agropecuária asores fornecedores de alimentos do mundo com sim foi a inflação do chuchu do global de segupapel fundamental na equaçãoministro simonsen no auge do desastrado plano cruzado o presidente rança alimentar sarney mandou a polícia federal confiscar bois no paspoucos países como o brasil conseguem concito que estariam escondidos por pecuaristas para esliar uma com o preço da carne alimentos com inpecular exuberante produção dicadores elevados de sustentabilidade e preserafinal quando será que todos brasileiros entendevação importância do produtor rural no desenvolvimenambiental rão a tonosso desafio é manter o crescimento da proeconômico e social do país dução agropecuária sem aumentar os impactos quando haverá real reconhecimento àqueles que ambientais neste caso a pesquisa a tecnologia superando as mais diversas dificuldades levaram o deesenvolvimento para o interior de nosso brasil de dia inovação são fundamentais mensões continentais nossa produção e produtinos últimos anos a campanha publicitária sou agro pretendia senvidade cresceram extraordinariamente graças ao sibilizar os brasileiros para a importância do agro conhecimento e ao trabalho incansável de nosmas infelizmente não sos pesquisadores surtiu o efeito desejado a campanha foi tímida em termos de frequência na mídia e hoje dispomos de tecnologia avançada e adonão emocionou a população urbana sou agro acatamos práticas de usoum instrumento de comunicabou tornando-se mais racional dos recursos naturais entrenão podemos nos acomodar É preciso ção mas os próprios integrantes do setor investir mais em pesquisas e adoçãode um setor que de tecnologias como reverter a imagem negativa de alta precisão a cooperação entre o setor púna verdade é moderno eficiente e competitivo blico e o privado é fundamental para o desenvolmodificar conceitos culturalmente arraigados é tavimento de soluções tecnológicas inovadoras refa árdua complicada que exige tempo e determinossos nação produtores rurais são verdadeiros he o agronegócioao agricultor homenagem avança firme apesar das incertezas o o É preciso persistir mostrar demonstrar e repetir incansavelmente que o agronegócio responde por 29 do pib 37 dos empregos e 44 de nossas exportações demais precisamda economia precisam acompanhar todos setores saber que praticamos uma agricultura as flutuações dos mercados de de nosso território e sustentável preservando mais de 2/3 commodities e do câmbio gerenciam uma complexa logística de proque o encargo dessa preservação é suportado exclusivamentedução armazenagem transporte e em qualquer oupelos produtores fato que não acontece comercialização sujeitam-se às intempéries climáticas pragas tro lugar do planeta e nossa agropecuária fornece alimentos são obrigados doenças das plantas e dos animais produz energia a cumprir diversos dispositivos legais que se alterenovável algodão celulose e madeira para abastecer o ram e interno e gerar grandes excedentes exportáveis mercadomultiplicam nas esferas fundiária ambiental nos últimos 12 mesesmuitas vezes incoerentes e e econômica as exportações do agronegócio atingiram us 97 bilhões comgerando insegurança.de dólaconflitantes entre si superavit de 80 bilhões res foi esse superavit do agronegócio que suportou o défiuma insegurança aliás que prejudica a vida cit de us 52 bilhões dos demais setores da economia e de todos sobretudosaldo final deque 27 bilhões em daqueles us necessitam permitiu a geração de um tomar decisões empresariais há muitos investinossa balança comercial dores interessados em aportar recursos em nosso É difícil imaginar o que seria de nossa economia se não agronegócio no entanto a insegurança paralisa fosse esse vigoroso desempenho do agronegócio o empreendedor É importante que todos os brasileiros saibam que a vida o agronegócio é bem apesar incertezas econôdo produtor rural nãovaifácil além das de tudo poderia ser muito melhor micas inerentes ao complexo ambiente de negócios no qual estão inseridos onde enfrentam ·· volatilidade dos preços a ······· de um mercado globalizado o produtor rural precisa estar essa edição da revista traz uma de crédito juros atento às flutuações do câmbio à oferta reportagem soetc nosso 13º congresso de agribusiness que conbre tou com palestrantes ilustres e qualificados denalém disso tudo ainda estão sujeitos a riscos climátitre os melhores do e dos animais cos doenças das plantaspaís abordamos assuntos da maior importância como agricultura sustentável e e mais os problemas da infraestrutura de armazenagem segurança alimentar temas que irão pautar as potransporte e exportação reduzem consideravelmente seus líticas governamentais e as estratégias empresariganhos em resumo a rentabilidade é reduzida e o risco é grande próximas décadas ais das a partir dessa edição o leitor encontrará em a enfrentando todas essas adversidades com determinalavoura uma série de reportagens sobre indicação os produtores brasileiros transformaram nosso agronegóciogeográficas instrumento que poderá agreções em um retumbante sucesso global gar valor aos produtos do agronegócio melhoranseria razoável portanto que dedicássemos maior condo a rentabilidade dos produtores a sna apoia hesideração e respeito aos produtores rurais verdadeirostais róis de nossa economia eles merecem o reconhecimento iniciativas de todos nós brasileiros.revista traz excelentes artigos como sempre a · e reportagens sobre diversos assuntos de interesse de nossos leitores aproveitem róis enfrentam riscos e incertezas superiores aos antonio mello alvarenga neto a lavoura no 694/2013 5

[close]

p. 6

13º congresso de agribusiness da sustentabilidade no agronegócio evento reuniu representantes das cadeias produtivas do agronegócio brasileiro autoridades governamentais especialistas e líderes do setor o presidente da sociedade nacional de agricultura antonio alvarenga abriu os trabalhos do congresso ressaltando a importância da sustentabilidade e segurança alimentar são temos que irão pautar as políticas governamentais e as estratégias empresariais nas próximas décadas afirmou alvarenga citou o novo código florestal e as novas regras de proteção ambiental destacando o cadastro ambiental rural e o programa de regularização ambiental como desafios que merecem atenção de todos os envolvidos no agronegócio o brasil possui mais de cinco milhões de propriedades agrícolas cadastrar mapear e regularizar todos esses imóveis exigirá um esforço extraordinário afirmou outro desafio mencionado pelo presidente da sna foi a necessidade de aumentar a produção sem impactar o meio ambiente para ele a chave do sucesso está no desenvolvimento de tecnologias inovadoras baseadas no conhecimento científico aplicado a ministra do meio ambiente izabella teixeira defendeu a adoção de ações articuladas entre governo e entidades privadas izabella teixeira ministra do meio ambiente ao lado do embaixador flávio perri para a implementação de medidas que inte defendeu a adoção de medidas para integrar a preservação ambiental e o desenvolvimento grem a preservação ambiental e o desenvol econômico vimento econômico na ocasião a ministra criticou a falsa dicotomia entre combater a miséria e a fome levando em consideração o cresmeio ambiente e produção agrícola esclarecendo que são cimento da população mundial que saltará de sete bilhões duas áreas intimamente relacionadas e complementares de habitantes para nove bilhões segundo estimativas da a aprovação do novo código florestal permitirá a adoção fao a produção de alimentos precisará crescer 70 nos próe o acompanhamento de indicadores de sustentabilidade em ximos 20 anos afirmou o embaixador esclareceu que o meio todo o território nacional através da implentação do cadasambiente não deverá pagar a conta dessa expansão os 60 tro ambiental rural com mapeamento através de imagens milhões de hectares ocupados pela agricultura no brasil pode satélite este será o ponto fundamental segundo a minisdem crescer sem prejuízo das florestas para 90 milhões de tra para tratar a questão do meio ambiente a partir de bahectares com o aproveitamento de áreas degradadas ocuses concretas de informação temos de modernizar a gespadas pela pecuária extensiva atividade que pode dobrar tão ambiental quem trabalha nesse setor sabe que as ativia lotação de animais no pasto ressaltou dades da agropecuária dependem fortemente dos recursos márcio lopes de freitas presidente da ocb abordou o naturais e o potencial de ganho é maior protegendo o meio papel das cooperativas brasileiras modernas frente aos noambiente destacou vos mercados vivemos hoje uma agricultura de nova gerao embaixador flavio perri coordenou a mesa de abertução capaz de pensar e atuar no mundo globalizado de fara do congresso destacando o desafio do setor agrícola para zer associações e parcerias para atuar nesses mercados 6 a lavoura no 694/2013 fotomoreira 116 anos

[close]

p. 7

disse cafeicultor ele deu o exemplo do café fino produzido em mogiana sp que já conquistou o mercado francês e da cooperativa de guaxupé mg que vende para a nestlé e conta com um ponto de venda na praça da paz celestial china freitas assinalou que além da gestão organização e gerenciamento de custos os produtores também precisam ter mais acesso à tecnologia fotomoreira sna debate desafios o presidente do sebrae nacional luiz barretto afirmou que são grandes os desafios e as oportunidades para o agronegócio ressaltando que o campo na abertura do congresso antonio alvarenga presidente da sna e maurício antonio lopes tem cerca 30 milhões de habitantes presidente da embrapa acompanharam o discurso de luiz barretto presidente do sebrae nacional gera 33 dos empregos representa 22,8 que defendeu a necessidade de investimentos em gestão capacitação e inovação tecnológica do produto interno bruto pib e 36,9 enfrentá-lo será necessária inteligência estratégica e comdas exportações dos 5,2 milhões de estabelecimentos rurais petitiva só assim fortaleceremos nossa capacidade de 98 são micro e pequenas propriedades que respondem por `prever o futuro e modelar o desenvolvimento temos que mais de 60 do valor bruto da produção anual nosso objetiestabelecer um sistema de inteligência para o agro ponvo é agregar conhecimento específico de gestão empresarial tuou o presidente da embrapa assinalou que a sustentabitrabalhar junto aos produtores rurais investindo em gestão lidade deve ser pensada no âmbito econômico e que a aplicapacitação e inovação tecnológica para aumentar a producação desse conceito exige mais conhecimento e tecnologia tividade e a competitividade até 2015 serão aplicados r 150 lopes disse ainda que apesar da evolução significativa da milhões em projetos de agronegócio do sebrae com recursos agricultura brasileira nos últimos 50 anos o país sempre teve da instituição e de parceiros disse barretto dificuldade de mostrar ao mundo a riqueza e a eficiência inteligência estratégica desse setor para ele chegou a hora de o brasil ser protapara o presidente da embrapa maurício antonio lopes gonista no mercado internacional a discussão do código florestal serviu para mostrar o pouinovação e marketing co conhecimento dos brasileiros sobre os recursos naturais também presente à abertura do congresso de agribusie a realidade do campo no país no futuro ele acredita ness o ex-ministro marcus vinícius pratini de moraes dehaverá um ambiente cada vez mais complexo e para clarou que o futuro do agronegócio no brasil está calcado em três fatores inovação/tecnologia logística e marketing empreendedorismo no campo significa gente disposta a correr riscos e isso o brasil tem nossos produtos são bons mas precisamos de mais inovação tecnologia e marketing para valorizá-los reforçou pratini que também ressaltou o crescimento da produtividade e o aumento das exportações do agronegócio brasileiro representando o governador sergio cabral o então secretário de agricultura e pecuária do rio de janeiro alberto mofati lembrou que o estado é o segundo maior mercado consumidor nacional e que no passado foi um importante produtor de café cana de açúcar e pecuária hoje são 62 mil propriedades rurais no rio de janeiro sendo que 92 esfotomoreira o ex-ministro pratini de morais afirmou que o futuro do agronegócio no brasil está baseado em três fatores inovação tecnologia logística e marketing a lavoura no 694/2013 7 fotomoreira

[close]

p. 8

115 anos fotomoreira fotomoreira luis carlos carvalho presidente da abag à esq disse que o brasil precisa melhorar seu desempenho na economia verde márcio lopes de freitas à dir presidente da ocb abordou o papel das cooperativas frente aos novos mercados tão localizadas em áreas inferiores a 100 hectares entre as potencialidades atuais o secretário destacou a floricultura a fruticultura e os produtos orgânicos o secretário de desenvolvimento agropecuário e cooperativismo do ministério da agricultura hélcio campos botelho afirmou que o produtor rural depende cada vez mais dos ativos ambientais e que por conta disso o ministério da agricultura tem procurado incentivar pesquisas através da embrapa e para evitar que as informações fiquem represadas está sendo criada a agência de extensão rural para proporcionar aos produtores maior acesso à tecnologia pesquisa e tecnologia palestrante do painel pesquisa tecnologia e inovação o presidente da abag luis carlos carvalho anunciou que nos próximos 20 anos o brasil deverá responder por 40 da expansão da oferta de alimentos no mundo e que nos últimos 30 anos o ganho acentuado de produtividade compensou a queda nos preços no entanto afirmou que o país precisa aumentar seu desempenho na chamada economia verde segundo ele o conceito de sustentabilidade deve contemplar competitividade e para tanto é necessário investimento para reestruturar alguns setores da economia É momento de escassez de recursos naturais e precisamos substituir as energias fósseis que são responsáveis por emissões de co2 disse o presidente que ainda fez críticas ao crédito rural considerado por ele um sistema desatualizado e burocrático há certos aspectos do crédito rural que são de 1965 e isso o torna muito engessado há várias exigências que não fazem mais sentido como é o caso de uma série de certidões são pedidas todos os anos ressaltou carvalho enalteceu a capacidade competitiva excepcional do agronegócio brasileiro mas ressalvou que ela acaba na porteira da fazenda na opinião do presidente da abag o custo brasil não é simplesmente consequência de uma logística ruim mas de uma logística errada baseada no transporte rodoviário que onera tremendamente o custo final dos produtos evolução no campo em seguida sílvio crestana ex-presidente da embrapa defendeu uma qualificação maior da mão de obra nacional se não investirmos em capacitação cada vez mais especialistas estrangeiros serão contratados hoje há uma demanda por profissionais com novo perfil declarou ao observar uma carência de programas para a formação de recursos humanos o expresidente abordou ainda questões relacionadas à biotecnologia e nanotecnologia e mostrou que a inovação está mudando o cenário agrícola sobre as emissões de co2 eduardo assad pesquisador da embrapa informática anunciou que a instituição está realizando um levantamento sobre a quantidade de carbono presente no solo o boi brasileiro tem a menor pegada de carbono do mundo o brasil é o único país do globo que tem soluções de fotomoreira eduardo assad pesquisador da embrapa informática ao lado do secretário de desenvolvimento agropecuário do mapa hélcio campos botelho e do presidente do inpi jorge Ávila defendeu a ampliação da produção agropecuária com recuperação de áreas degradadas 8 a lavoura no 694/2013

[close]

p. 9

116 anos sustentabilidade destacou assad que defoi defendida pelo presidente da sofendeu a ampliação da produção ciedade rural brasileira srb cesário agropecuária com a recuperação de áreramalho da silva para ele o crédito as degradadas rural deve incluir também um seguro jorge Ávila presidente do instituto de renda ao produtor se não fossem nacional de propriedade intelectual inpi os excepcionais preços em chicago ao fazer um paralelo entre tecnologia e com a quebra da safra norte-americaagronegócio afirmou que é preciso levar na a crise no agronegócio brasileiro conhecimento ao produtor e encontrar seria muito grande com as perdas na meios de crescer em valor agregado em produção ocorridas neste ano no rio sua opinião o brasil tem capacidade de ser grande do sul paraná mato grosso líder não só no fornecimento de alimentos do sul e mato grosso afirmou como também na oferta de soluções sus o brasil é um dos poucos países tentáveis e tecnologias que possam do mundo capazes de atender a dealavancar a agricultura manda mundial de alimentos com como um dos caminhos para aumento condições plenas de sustentabilidana renda rural Ávila destacou as indicade a afirmação é do diretor da bolções geográficas igs uma ferramenta de sa de mercadorias e futuros bm&f valorização de produtos tradicionais vincu luiz carlos guedes pinto ex-ministro o brasil ivan wedekin para quem é fundanão tem tradição em seguros mas as perspectivas lados a determinados territórios ­ concei para o setor são muito favoráveis mental o desenvolvimento de polítito relativamente recente mas que crescas e estratégias competitivas a fim ceu muito no brasil nos últimos cinco anos a ig é uma oportude que o produtor brasileiro tenha sustentabilidade econôminidade uma maneira de agregar valor aos produtos de determico-financeira no longo prazo e menor suscetibilidade aos risnadas regiões por meio da organização dos produtores envolvicos da produção e de mercado o diretor da bm&f também dos na cadeia produtiva com o objetivo de levar ao mercado defendeu a necessidade de maior investimento em produtos tradicionais de uma região que congregam conhecimeninfraestrutura pois apesar de agregarem componentes to adquirido ao longo do tempo explicou o presidente do inpi tecnológicos as commodities agrícolas têm um valor unitário muito baixo por isso é fundamental reduzir os custos com frete crédito rural e seguro agrícola e demais etapas da logística para alavancar essa expansão luiz carlos guedes pinto diretor geral do grupo banco do o elemento principal é o capital precisamos construir pontes brasil/mapfre seguros lembrou que o seguro agrícola é uma inientre o agronegócio e os mercados financeiros e de capitais ciativa relativamente nova no país instituído por lei de dezempara injetar liquidez e viabilizar essa expansão concluiu bro de 2003 mas cujos primeiros contratos só foram fechados wedekin em 2005 daquele ano até 2011 o montante de seguros contratados somou r 8 bilhões para luiz carlos guedes apesar de o brasil não ter uma tradição em seguros como acontece em outros países as perspectivas são muito favoráveis segundo ele para o setor se expandir é preciso mais divulgação e ampliação dos subsídios concedidos pela maioria dos países por conta dos riscos climáticos inerentes à atividade agropecuária a necessidade de reformas na área tributária e no crédito rural fotomoreira oportunidades regionais no segundo dia do congresso a secretária de agricultura e abastecimento de são paulo mônika bergamaschi comemorou o crescimento da produção no estado e informou que o total do uso do solo agrícola em são paulo é de 20,8 milhões de hectares sendo 7,4 milhões de áreas de pastagens temos conseguido investimentos que contribuem muito para o aumento da produtividade principalmente nas áreas de ciência e tecnologia ao todo são 324 mil propriedades rurais sendo que a média é de 62 hectares para a secretária é importante incentivar o associativismo e o cooperativismo ela reforçou ainda que a sustentabilidade na agricultura é primordial vamos lançar o projeto integra-sp que pretende unir lavoura-pecuária-floresta o objetivo é promover a cesário ramalho da silva presidente da sociedade rural brasileira discursa ao lado de ivan wedekin conservação dos solos e da diretor da bm&f e do diretor da sna alberto de figueiredo na ocasião ramalho defendeu reformas na área tributária e no crédito rural fotomoreira a lavoura no 694/2013 9

[close]

p. 10

116 anos fotomoreira muni lourenço silva jr presidente da federação de agricultura do amazonas à esq destacou o êxito da piscicultura no estado robert wilson iii presidente da ouranos venture partners disse que os setores de agricultura saúde biodiversidade e energia limpa constituem o futuro do brasil água a recuperação de pastagens a capacitação da mão de obra para a transferência de tecnologia além da promoção da mecanização e automatização dos sistemas de produção declarou peixes da amazônia muni lourenço silva júnior presidente da federação da agricultura e pecuária do amazonas enfatizou as atividades relacionadas ao aproveitamento dos recursos naturais abundantes em seu estado como é o caso da piscicultura produzimos 15 mil toneladas de peixe e a expectativa é alcançar 100 mil nos próximos cinco anos estimou silva júnior mencionou ainda oportunidades relacionadas à borracha e ao açaí entre outras em relação à pecuária anunciou que o amazonas já tem quatro municípios livres de febre aftosa com vacinação e a expectativa do presidente da faea é que todo o estado alcance esse status até o primeiro trimestre de 2013 celulose complexo soja e complexo têxtil alcançamos us 4,6 bilhões em exportações agrícolas disse vaz lembrando que o estado conta com 29 milhões de hectares de áreas agricultáveis vaz também apontou vantagens e oportunidades de investimento na produção estadual de soja algodão milho frutas fibras cacau bovinos leite biodiesel e etanol eucalipto entre outros enumerou os benefícios e incentivos oferecidos pelo governo em infraestrutura impostos e financiamento e abordou os esforços para a melhoria do sistema de transportes no estado valorização imobiliária participante do painel investimentos e oportunidades de negócios o diretor da agra/fnp josé vicente ferraz afirmou que as oportunidades de investimentos em terras estão cada vez mais técnicas ele informou que a valorização média das terras nos últimos dez anos tem sido de 14,22 ao ano mas regiões de alta produtividade como balsas no maranhão registram 22 de valorização anual enquanto a valorização da região de caatinga em picos no piauí não passou de 0,13 ao ano ferraz alertou que terra é uma mercadoria heterogênea sujeita a interferências regulatórias não agropecuárias como reserva ambiental urbanização expansão da infraestrutura do entorno portanto um mercado complexo e com preço extremamente variável fotomoreira potencialidades o superintendente de agronegócio da secretaria de agricultura da bahia jairo pinto vaz mostrou as potencialidades de seu estado destacando as áreas de agroindústria e de energias renováveis entre outras como alguns dos principais setores econômicos locais em 2011 o pib do agronegócio na bahia atingiu us 24,3 bilhões nas exportações do setor os maiores destaques foram os segmentos de papel e fotomoreira futuro promissor o presidente da ouranos venture partners robert wilson iii disse que os setores de agricultura saúde biodiversidade e energia limpa constituem o futuro do brasil proporcionando grandes oportunidades de investimentos para ele a tecnologia poderá levar o país a uma posição de liderança mundial na ocasião robert apresentou serviços e pesquisas deroberto smeraldi diretor da amigos da terra ­ amazônia brasileira antonio carlos guedes assessor técnico do cgee e guilherme braga filho diretor executivo do cecafé 10 a lavoura no 694/2013

[close]

p. 11

116 anos senvolvidos pela empresa molecutex nas áreas de elaboração de novos remédios incluindo dispositivos de nanotecnologia de criação de produtos inovadores e na busca de novas soluções para a agricultura a linha de atuação da molecutex abrange alimentos com potencial saudável e produtos baseados na riqueza da biodiversidade brasileira fotomoreira ano histórico convidado para o painel infraestrutura insumos e equipamentos o diretor-executivo da associação nacional de defesa vegetal andef eduardo daher,considerou 2012 um ano histórico para o agronegócio brasileiro especi joão sampaio presidente da cosag/fiesp disse que o plantio de florestas é um dos negócios almente em razão do problema mais promissores para o produtor edson shiguemoto korin e fernado pimentel diretor da sna também participaram do painel que debateu as principais cadeias produtivas do agronegócio climático nos estados unidos mecanização este cenário alavancou os preços da soja no mercado internacional bem como o do milho o que trouxe uma renda exem seguida josé carlos pedreira de freitas diretor da traordinária ao produtor brasileiro com uma inadimplência abimaq ­ associação que reúne 450 indústrias de máquinas menor o produtor antecipou as compras de fertilizantes cujo agrícolas ­ destacou o papel da mecanização diante da cresvolume deve ficar próximo a 30 milhões de toneladas incente escassez de mão de obra no campo no brasil apenas formou o dirigente salientou que o mundo entendeu a im8 das propriedades rurais respondem por 85 da produção portância do brasil no cenário internacional como o segunagrícola garantiu freitas também forneceu dados compado maior produtor mundial de alimentos o que gerou rearativos da produtividade da mão de obra que no brasil é de ções dos mercados concorrentes hoje exportamos uma di23/ha/homem na frança é de 46/ha/homem e nos estados versidade de produtos alcançando 217 países afirmou unidos chega a 154/ha/homem segundo ele para que o país atenda à demanda e atinja a meta de aumentar a produção em 40 até 2020 sem prejuízos ambientais deve investir mais no sistema de plantio direto na agricultura de precisão adotada por 20 dos produtores de grãos com ganhos médios de 30 na produtividade e na integração lavoura pecuária e floresta finalizou fotomoreira custo brasil diretor da sna e membro do conselho superior da associação comercial do rio de janeiro paulo protásio relacionou e deu peso aos principais entraves ao desenvolvimento do agronegócio brasi mônica bergamaschi secretária de agricultura de são paulo comemorou o crescimento da produção do estado e falou sobre a importância do cooperativismo e da sustentabilidade a lavoura no 694/2013 11

[close]

p. 12

116 anos fotomoreira atividade florestal integrante do painel que debateu as principais cadeias produtivas do agronegócio o presidente do conselho superior do agronegócio cosag da fiesp joão sampaio cha mou a atenção para o plantio de florestas que classifica como um dos negócios mais promissores para os produtores brasileiros segundo ele entre as espécies mais rentáveis estão o eucalipto o pinus e a seringueira outra promessa é a teca árvore nativa do sudeste asiático bastante usada pela indústria da construção naval que já conta com alguns viveiros em desenvolvimento no pará norte do tocantins sul do maranhão mato grosso e rondônia o brasil tem condições de ser um grande produtor florestal consorciado com eduardo daher diretor da andef afirmou que a importância do brasil atividades florestais podemos alcançar a 5ª posição nos próno cenário internacional gerou reações dos mercados concorrentes ximos anos enfatizou leiro citando uma pesquisa que indica infraestrutura e soja livre logística como o principal `gargalo com peso de 76 na na sequência o presidente da abrange ­ associaçao brasequência foram apontados tributos câmbio barreiras cosileira de produtores de grãos não geneticamente modificamerciais questões ambientais e sanitárias crédito rural dos cesar borges de souza apresentou o programa soja tecnologia e seguro rural entre outros para ele falta geslivre que tem o objetivo de incentivar a liberdade de escotão e vontade política para resolver os problemas cujas lha do produtor ampliar a oferta de soja convencional e fasoluções no seu entender passam pelo aproveitamento das cilitar o acesso dos produtores a este tipo de grão para isso hidrovias e dos portos como o de itaqui no maranhão e é importante desenvolver e fortalecer parcerias para o transprincipalmente pela integração dos modais e das estrutuporte de cultivares convencionais de soja ponderou ras logísticas tais medidas são fundamentais para melhocafé certificado rar o desempenho interno e as exportações do agro pauo diretor geral do conselho dos exportadores de café do lo protásio também destacou o papel do georeferenciamento brasil cecafé guilherme braga abreu pires filho salienno aumento da eficiência do setor tou que a sustentabilidade na cadeia produtiva do café ocorprojeções reu gradualmente acompanhando os ciclos de alta e de baixa o assessor técnico do centro de gestão e estudos estrado produto no mercado internacional segundo ele o setor tégicos cgee antonio carlos guedes compôs o painel buscou se desenvolver de modo sustentável preservando alimentos ­ oferta e demanda no longo prazo e alertou empregos estimulando a produção e visando a atender aos para o papel que se espera do brasil no cenário global prointeresses de consumidores internos e externos o setor promover a sustentabilidade e sustentar a produção de alimencura trabalhar com uma produção certificada garantindo tos para tanto qualidade e proteção ao meio ambiente o que contribui para em parceria com a a melhoria do padrão econômico e social da cadeia afirmou embrapa o cgee dados do cecafé indicam que o brasil exporta 12 milhões de vem trabalhando sacas de café certificado da produção total de 50,483 milhões projeções para os de sacas nossa expectativa é que até 70 do café originado cenários dos anos do brasil possa ser certificado prevê pires filho de 2032 e 2050 sobre os desafios e oportunidades do sistema agroalimentar o modelo conceitual considera fatores internos como a política nacional para o setor e as mudanças climáticas e fatores externos como as políticas e césar borges de souza presidente da os acordos interabrange destacou durante o congresso o nacionais josé carlos de freitas diretor da abimaq destacou o papel da programa soja livre que pretende fotomoreira fotomoreira ampliar a oferta de soja convencional mecanização diante da crescente escassez de mão de obra no campo 12 a lavoura no 694/2013

[close]

p. 13

fotomoreira 116 anos desmatamento na avaliação do diretor do conselho nacional de pecuária de corte cnpc sebastião costa guedes a pecuária é um dos setores que menos tem influenciado o desmatamento da amazônia brasileira muitos falam que o setor de pecuária está desmatando a amazônia mas isso não é verdade pois ele aparece apenas em quinto lugar entre as causas disse de acordo com guedes a ocupação de terras ilegais tem sido o principal responsável ainda que 76 do território da amazônia pertença ao governo em segundo lugar estão o comércio e a extração ilegal de madeiras nobres seguidos da extração de carvão em quarto lugar figuram os assentamentos somente depois de todos esses agentes causadores é que aparece a pecuária explicou o diretor ao lado de antonio alvarenga o superintendente de agronegócio da secretaria de agricultura da bahia jairo pinto vaz disse que as áreas de agroindústria e de energias renováveis são atualmente alguns dos principais setores econômicos do estado governança e gestão diretor da sna e da agrosecurity fernando pimentel abordou os aspectos financeiros econômicos de sustentabilidade e governança na cadeia produtiva de grãos entre várias questões citou a importância do mecanismo de proteção de preços hedging alertando que certas culturas como a do feijão e do arroz por não adotarem o sistema continuam enfrentando problemas no mercado ele defendeu o imposto de renda diferenciado para o produtor rural traçou um painel dos principais gargalos dos setores de seguro rural e crédito entre eles excessiva regulação estatal subvenção insuficiente e cobertura inadequada mencionou a importância da classificação de riscos de crédito rating por agências especializadas e destacou a evolução do processo de gestão interna da propriedade novos softwares e maior acesso às informações via internet ainda no campo da gestão o diretor da sna anunciou o programa soja plus que segundo ele pretende estimular a produção sustentável segundo os requisitos de desempenho ambientalmente corretos socialmente justos e economicamente viáveis adequados à realidade brasileira leite estabilidade de preço rafael ribeiro de lima filho diretor da scot consultoria traçou um panorama sobre o mercado de leite preços e perspectivas o país produziu 32 bilhões de litros do produto em 2011 com um consumo per capita de 170 litros/ano ainda abaixo da recomendação do ministério da saúde de 200 litros por habitante/ano lima filho considerou bom o preço médio de r 0,80 recebido pelo litro de leite produzido ao longo de 2012 ele destacou especialmente a pouca oscilação do valor pago ao produtor segundo o consultor o principal problema enfrentado pelo pecuarista de leite não é novidade o aumento dos custos de produção que reduz a margem de lucro o preço da soja subiu mais de 100 o poder de compra do produtor foi reduzido em 48 e a rentabilidade média da atividade chegou a 20 em 2012 comparado a 2011 a receita do produtor de leite é hoje 60 menor quando comprada a 30 40 anos atrás concluiu lima filho mercado de orgânicos sinônimo de produtos orgânicos a korin agropecuária foi representada por seu diretor edson shiguemoto para quem arroz irrigado rubens silveira do instituto rio grandense do arroz irga afirmou que debater temas que possam contribuir para o desenvolvimento das empresas é primordial nos dias de hoje o rio grande do sul possui a maior lavoura de arroz irrigado do brasil em área de 1,1 milhão de hectares e é responsável por 70 da produção nacional silveira destacou o papel da irrigação na estabilidade da produção riograndense e os avanços obtidos por meio dos programas de melhoramento genético que elevaram a produtividade média de 5.000 kg/ha para 8.000 kg/ha com exceções que chegam a 12 mil kg/ha o brasil produziu 11,6 milhões de toneladas de arroz na safra 2012 13 para atender à demanda interna de um milhão de toneladas ao mês fotomoreira fotomoreira rubens silveira diretor do irga o rio grande do sul possui a maior lavoura de arroz irrigado do brasil na avaliação do diretor do cnpc sebastião costa guedes a pecuária é um dos setores que menos tem influenciado o desmatamento na amazônia a lavoura no 694/2013 13

[close]

p. 14

116 anos o preço principal entrave ao crescimento desse mercado deve ser solucionado com aumento da produção para shiguemoto maior escala de produção pode ser alcançada por meio de parcerias investimento em tecnologia e gestão eficiente pioneira na avicultura alternativa produzindo frangos sem antibióticos e sem promotores artificiais de crescimento a korin foi a primeira a receber selo de bem-estar animal para frangos de corte e postura e em 2012 deu início à produção orgânica certificada cadastro ambiental diz izabella teixeira a ministra do meio ambiente izabella teixeira durante o 13o congresso de agribusiness da sna reafirmou que é falsa a dicotomia a polarização entre meio ambiente e produção de alimentos É um artifício político usado e adotado em várias sociedades para reunir grupos para as pessoas disputarem os seus espaços como é da natureza da democracia afirmou ela lembrou que a produção de alimentos é uma atividade econômica fortemente dependente dos ativos ambientais a produção de alimentos é a gestão da terra é a gestão de recursos hídricos enfatizou o desafio das pastagens roberto smeraldi diretor da amigos da terra amazônia brasileira salientou que a busca pela sustentabilidade é difícil de ser discutida de forma isolada sem uma plena abordagem envolvendo as cadeias do agronegócio segundo ele o principal desafio na busca pela sustentabilidade envolve as pastagens se não houver uma integração da cadeia de pecuária com cultivo de lavouras não conseguiremos impedir que pastagens deixem de ser degradadas mas se fizermos isso áreas poderão ser aproveitadas para a produção de combustíveis fibras e florestas de forma sustentável alertou smeraldi citou o caso da cadeia produtiva do café que procurou se unir para elaborar produtos com certificação aumentar a qualidade e garantir sustentabilidade o diretor também mencionou o setor de florestas plantadas para a produção de celulose que já nasce com processos de certificação de qualidade proporcionado investimentos em tecnologia e a adaptação de biomas cadastro ambiental rural izabella teixeira aproveitou a oportunidade para anunciar o lançamento do cadastro ambiental rural car uma exigência do novo código florestal cuja implantação deverá se estender até 2014 explicou que o procedimento de cadastro será automático pela internet o produtor terá acesso à imagem de satélite da propriedade e a informações relevantes como Áreas de proteção permanente app área de reserva legal cursos d água etc o próprio sistema emitirá um documento de cadastro e fará os cálculos para identificar os déficits e o que é preciso fazer para corrigi-los posteriormente sob orientação do órgão ambiental no futuro vamos lançar o auto de infração eletrônico provocou a ministra o car vai proporcionar um conhecimento da realidade do campo até então ignorada como as áreas degradadas ou de preservação permanente que segundo a ministra são estimadas na base do `chute vou trabalhar para ilegal se tornar legalizado afirmou no sistema todas as informações georreferenciadas serão disponibilizadas numa mesma plataforma e dialogarão numa mesma base de dados o ministério do meio ambiente adquiriu as imagens de satélite e assinará termos de cooperação para que estados e municípios tenham acesso a essas informações inéditas e consolidem seus cadastros regionalmente a nova base de informação favorecerá a análise e a discussão de políticas públicas e proporcionará uma visão estratégica do país valorizando a eficiência no uso dos recursos hídricos e incentivando o pagamento de serviços ambientais apoio aos pequenos o gestor do programa desenvolvimento rural sustentável da itaipu binacional sérgio angheben destacou os avanços do projeto desenvolvido em 29 municípios da bacia do rio paraná afetados pela hidrelétrica envolvendo 1.200 beneficiados entre agricultores familiares indígenas e assentados o objetivo final é a implementação da agricultura orgânica passando pelos estágios de práticas agroecológicas conversão do sistema convencional para o orgânico e certificação angheben informou que o programa inclui 22 associações de produtores orgânicos ­ incluindo agroindústrias familiares e sete cooperativas alimentos seguros ao abordar questões relacionadas à agricultura sustentável encerrando o painel das cadeias produtivas do agronegócio sávio josé barros de mendonça pesquisador da embrapa meio ambiente falou sobre a importância do alimento seguro assinalando aspectos como a aplicação de substâncias químicas os cuidados com a forma de manipulação dos produtos e o perigo da contaminação microbiológica fator que atualmente lidera o ranking de riscos da agência de medicamentos e alimentos fda dos estados unidos hoje os consumidores querem alimentos seguros e com qualidade declarou sávio que defendeu o sistema de produção integrada na agropecuária o palestrante informou que desde 2000 esse sistema contempla projetos em 30 cadeias produtivas 16 normas técnicas publicadas há outras dez em andamento envolvendo flores batata tomate arroz amendoim etc 14 a lavoura no 694/2013 pós-código florestal a ministra acredita que esta fase pós-aprovação do código florestal representará segurança jurídica transparência e informação para o agronegócio brasileiro o código florestal poderá ser um caminho para nos próxi-

[close]

p. 15

entrevista rural garantirá produção sustentável fotomoreira também o consumo interno e externo e para tanto é fundamental eliminar os gargalos da infraestrutura a ministra acredita que a discussão climática ganhará contornos de natureza estratégica do ponto de vista geopolítico e do ponto de vista econômico os setores produtivos têm sete anos para discutir o novo acordo do clima a vigorar a partir de 2020 equacionar os custos apontar caminhos para que a sociedade brasileira não sofra limitações ou que limites sejam impostos à nossa agenda de desenvolvimento de sustentabilidade alertou questões estratégicas izabella teixeira falou ainda de questões estratégicas do agronegócio que vão além da agropecuária como fertilizantes e bioenergia insumos agroindústria e distribuição mais do que isto disse ser essencial que o esforço brasileiro resulte em quatro palavras gestão eficiência transparência e credibilidade É absolutamente essencial que essa visão inovadora de competitividade oportunidade associada à sustentabilidade permeie uma visão transparente de políticas públicas no brasil e que essas políticas públicas consigam trabalhar o curto e o médio prazo naquilo que são as relações globais porque a agricultura brasileira ela é global e ganhará cada vez mais espaços globais quer pelos cenários da fao quer pela nossa eficiência de competir concluiu agricultura de baixo carbono ministra do meio ambiente izabella teixeira mos 10 anos o produtor rural afirmar eu produzo com sustentabilidade disse izabella teixeira em sua opinião a nova visão ambiental deve considerar erros e acertos eliminar essa mania de vilania e passar a considerar o lado bom desafio global estudo recente do banco mundial indica que o brasil estará no centro das discussões globais nos próximos 30 anos entre os grandes temas que nortearam as negociações políticas da rio+20 estão os objetivos do milênio o desenvolvimento sustentável a segurança alimentar e as discussões sobre o clima são objetivos independentes pois enquanto sustentabilidade exige um compromisso político permanente com metas para todos os países do mundo os objetivos do milênio são metas com duração de tempo até 2015 lembra segurança alimentar é um dos desafios do século ou seja a produção de alimentos para enfrentar o cenário de crescimento populacional e principalmente para promover a erradicação da pobreza para izabella teixeira é preciso garantir não só a produção de alimentos mas a ministra convocou todas as entidades ligadas ao agronegócio a se empenharem para colocar em prática o programa abc agricultura de baixo carbono somos o país que mais faz pelo clima e certamente temos condições de fazer muito mais na medida em que tenhamos asseguradas nossas condições de inovação tecnológica de desenvolvimento e erradicação de pobreza e se há um setor que traduz isso com muita objetividade é o setor da agricultura disse izabella teixeira segundo ela o brasil está trilhando um caminho novo com as instituições ambientais federais passando por reformas a discussão de licença técnica ganhando novos contornos a ministra vê a questão fundiária como outro desafio o brasil tem que colocar esta questão na mesa e mostrar onde estão os nossos problemas e onde estão as nossas soluções falar só do êxito ficou para trás temos que compartilhar as dificuldades e buscar um entendimento comum para construir novas saídas disse a ministra convocando engajamento de todos em prol do desenvolvimento sem preconceitos e com uma ideologia de desenvolvimento sustentável para mostrar à sociedade brasileira que é possível fazer um brasil melhor e a agricultura faz parte disso concluiu a lavoura no 694/2013 15

[close]

Comments

no comments yet