Jornal Sinpol RP

 

Embed or link this publication

Description

Janeiro/fevereiro 2013

Popular Pages


p. 1

informativo oficial do sindicato dos policiais civis ano xix janeiro/fevereiro de 2.013 nº 196 eumauri contesta diretor do deinter presidente do sinpol demonstra em números a caótica situação da falta de funcionários enfrentada pela polícia civil o novo diretor do deinter-3 dr joão osinski júnior disse à imprensa que a instituição não tem falta de funcionários porém necessita qualificar o quadro atual eumauri e outros diretores do sinpol foram à campo e encontraram dps distritos policiais sem escrivão especializadas sem delegados e um volume enorme de trabalho para o efetivo bastante reduzido saiba mais sobre à polêmica na página 4 uniÃo policial com uma vida profissional atribulada e exaustiva muitos policiais civis acabam tendo reduzida a sua vida social e alguns encontram um relacionamento nas próprias fileiras da polícia civil veja como vivem os casais onde tanto o homem quanto a mulher servem à instituição página 6 e mais 4 dr osinski é efetivado no deinter e barretos tem novo seccional 4 em parabólica a ação dos policiais civis de toda a região 4 escrivão de são paulo filia-se ao sinpol 4 eumauri e kalinka participam de reunião da feipol/se 4 veja como andam as obras da nova sede social do sindicato 4 retificação da foto de memória de nossa edição 195 4 dr luiz carlos pires fala sobre sua carreira e seu dia-a-dia após aposentar-se atenção policiais civis que se aposentaram pela lei 1062/08 e que não estão contentes com sua atual situação a diretoria do sinpol pede a todos que entrem em contato com nossa central de atendimento sinpol telefones 16 3625-3890 3612-9008 e 3979-2627 a presidência do sindicato está desenvolvendo um trabalho para ajuizar uma ação visando garantir a integralidade e a paridade nos vencimentos informe-se no sinpol lei 1062/08 impresso especial 9912250402 dr/spi rofissÃo investigador de olÍcia profissÃo investigador de polÍcia em 23 de dezembro foi comemorado o dia do investigador de polícia em todo o estado de são paulo a carreira todavia sofre como todas as demais da polícia civil com os baixos salários com a falta de novos servidores e com a indefinição quanto à questão da valorização proposta pelo governador geraldo alckmin há dois anos leia na página 14 sinpol correios sinpol sindicato dos policiais civis da região de ribeirão preto rua goiás 1.697 campos elíseos ribeirão preto sp cep 14085-460 fone 16 3612-9008 fone jornal 16 3610-2886 jornaldosinpol@uol.com.br janeiro-fevereiro/2013

[close]

p. 2

editorial no dia 17 de janeiro tivemos nosso primeiro encontro com o novo diretor do deinter-3 dr joão osinski júnior pareceu-me uma pessoa digna determinada em trabalhar para a instituição até bem intencionado mas o encontro foi antecipado por conta de suas declarações à imprensa dando conta de que não faltam policiais civis bastando apenas qualificá-los para que o trabalho possa fluir com todo o respeito ao dr osinski não sei de onde ele tirou essas conclusões até porque seu antecessor mesmo admitiu uma grande falta de efetivo assim como diretores de outros deinters os consegs já se manifestaram junto ao governador o dgp e o próprio secretário de segurança pública ssp também já admitiu isso o fato é que além de prejudicar o atendimento à população a falta de efetivo tem causado uma sobrecarga tão cruel que muitos policiais civis acabam tendo algum problema de saúde e sendo afastados para licença médica além disso policiais civis estão sendo responsabilizados administrativamente quando não conseguem suprir a excessiva carga de trabalho como se fossem culpados pela omissão do estado na reposição de seu quadro de funcionários o governo é inegável investiu muito no policialmente ostensivo/preventivo tanto em equipamentos e tecnologia quanto em efetivo fazendo com que o quadro na polícia militar chegasse a um patamar quatro vezes maior do que o número de policiais civis há alguns anos a polícia civil tinha 38 mil funcionários enquanto a pm tinha 82 mil hoje regredimos para cerca de 30 mil enquanto a pm ultrapassou 120 mil policiais basta militares aumentando esse tipo de policiamento obviamente aumentou também o trabalho nas delegacias de polícia onde o efetivo todavia diminuiu são menos funcionários para mais inquéritos flagrantes e outros procedimentos quando estive reunido com o dgp dr maurício blazeck fui surpreendido ao ouvir sua preocupação com a falta de funcionários na ocasião ele disse que a ssp pretende contratar cerca de 6 mil novos policiais civis através de concursos para todas as carreiras mas o dr osinski a meu ver equivocadamente disse justamente o contrário talvez seja porque ele viva outra realidade no deinter-3 realmente não faltam mesmo policiais civis sai um que se aposenta imediatamente vem outro lá o efetivo é mesmo o ideal mas isso não condiz com a realidade do diaa-dia falta gente não só nas seccionais de ribeirão preto mas também nos outros deinters antes a principal preocupação do policial civil era a reposição das perdas salariais que são enormes mas hoje se perguntarmos a um colega de qualquer cidade de nossa região ele vai dizer que uma das principais preocupações é com relação à falta de efetivo na polícia civil temos muitos absurdos falta gente em todo o lugar em ribeirão preto realizamos um levantamento e nós mesmos nos surpreendemos no 5º dp distrito policial por exemplo não existe um único escrivão para tocar a pauta há um rodízio de escrivães para atender às necessidades de uma forma improvisada na ddm são 1.000 inquéritos em andamento e apenas duas delegadas quatro escrivães e três investigadores não se trata de um trabalho qualquer trata-se de investigar reunir provas elaborar e redigir um inquérito consistente para enviar à justiça e isso demanda tempo e tempo com um efetivo ínfimo como esses é algo impossível de se obter tudo compromete a qualidade na reportagem desta edição onde denunciamos a situação vale lembrar que nosso levantamento não inclui os companheiros que estão de férias de licença ou afastados ainda continuam com essa história de fechar distritos coisa que já fizeram em muitas cidades de nossa região um absurdo delegacia não se fecha abre-se mais para deixar a polícia civil cada vez mais próxima da população esse negócio de reengenharia é unir a miséria e ainda falam em criar a central de flagrantes no papel isso é muito bonito mas precisa de efetivo para tentar funcionar não há uma delegacia que funcione sozinha sem funcionários apenas por decreto o que deve-se constar é que o policial civil hoje trabalha em regime de escravidão por causa do pouco efetivo essa tal de central de flagrantes já mostrou que causa transtornos e dificuldade à população que se vê obrigada a um grande deslocamento para ter acesso ao serviço centrais existem em vários estados mas com problemas no rio de janeiro por exemplo há projeto de lei para extinguir a medida que comprovadamente não rendeu bons frutos à população a receita eu ensino e todos sabem de trás para a frente aumentar o efetivo da polícia civil eumauri lÚcio da mata presidente do sinpol sindicato dos policiais civis da região de ribeirão preto expediente o jornal do sinpol é uma publicação oficial de circulação mensal do sindicato dos policiais civis da região de ribeirão preto rua goiás 1697 campos elíseos cep 14085-460 ribeirão preto sp e-mail sinpolrp@sinpolrp.com.br diretoria presidente eumauri lúcio da mata vice-presidência célio antonio santiago paulo sérgio ribeiro chagas ricardo contin luiz henrique maringoli de lima josé gonçalves neto suplentes arnaldo vaz ferreira luiz henrique batista gino augusto franco sant anna sérgio ribeiro dos santos robert schmengler guilhaume kátia patrícia pagliari de souza e edmar alberto félix secretários kalinka cintra prado e doracy alves da silva suplentes Érica arrisse esteves dias e armando pisani júnior tesoureiros júlio cesar machado e sami haddad suplentes wagner cândido da silva e jin ciosaki patrimônio olavo elias dos santos suplente cláudia braga conselho fiscal joão carlos barbosa lima maurício kusumota e prisclia yishi s hashimoto suplentes neide amábile pastori e silva marisa lelis takata e jefferson pessoti delegados sindicais darcy gonçalez e licanor de souza campos suplentes ariovaldo torrieri júnior e reinaldo josé sanches o jornal do sinpol É uma publicaÇÃo exclusiva do laboratÓrio de notÍcias av portugal 304 cj 3 v seixas ribeirão preto sp fone/fax 16 3610-2886 diretor de jornalismo adalberto luque mtb 19.218 editor chefe júlio castro reportagens mariana araújo parras luque o jornal do sinpol não se responsabiliza por especificações ou informações que não estejam previstas no contrato de publicidade as cobranÇas serÃo feitas exclusivamente por sub ten res pm oswaldo bonfim departamento comercial contatos exclusivos devidamente autorizados fernando mendonça vanderlei garcia da costa israel leal de souza marcos antonio fernandes jorge pontes editoraÇÃo eletrÔnica laboratório de notícias fone 16 3610-2886 e-mail jornaldosinpol@uol.com.br os artigos assinados não refletem necessariamente o conceito do jornal e são de inteira responsabilidade de seus autores nota de esclarecimento eu maria de fátima belchior frança vem mui respeitosamente tornar público meu agradecimento ao eumauri lúcio da mata presidente do sindicato dos policiais civis da região de ribeirão preto sinpol/rp pela generosidade com que nos recebeu e acolheu a mim e ao meu esposo ali frança no período de 31/12/2012 a 07/01/2013 nas dependências do referido sindicato quando lá estivemos em situação difícil e delicada internada no hospital santa lydia nessa cidade para tratamento de oncologia e medicina nuclear dimen evidencio a atenção simpatia e cuidado da escrivã kalinka que nos recebeu e se prontificou colocando-se à disposição para toda e quaisquer necessidades pessoa iluminada de alma generosa que demonstrou que a polícia não é de estado mas sim uma família outrossim estendo o agradecimento ao sr joão responsável pela organização no sinpol/rp que esteve todo o tempo preocupado com nosso bem estar durante minha recuperação e estadia no sindicato reitero o agradecimento ao sr eumauri que conhece mais do que ninguém as lutas e dificuldades dos policiais civis quando da necessidade de assistência em outros estados com deslocamentos e despesas financeiras pude constatar in loco a competência do referido policial na administração do sinpol/rp e desejo que deus o recompense abençoando-o e à sua família por todo o carinho cuidado e atenção a nós dispensados desejo ainda que tenha uma profícua gestão no ano de 2013 em tempo coloco-me à disposição das pessoas acima nominadas bem como a qualquer dos colegas da família polícia civil de ribeirão preto/sp quando neste estado de mato grosso do sul se encontrarem à serviço ou a que motivo for proporcionando apoio e ajuda no que se fizer necessário atenciosamente maria de fátima belchior frança ipj mat 08427961 notas atenção policial civil a diretoria do sinpol alerta a todos os policiais civis associados que se receberem intimação para comparecer à corregedoria ou a qualquer outro órgão para depoimento busquem antes orientação no departamento jurídico do sindicato É direito constitucional que em todo e qualquer depoimento o depoente esteja assistido por um advogado para quem pretende se aposentar a diretoria do sinpol alerta os associados que pretendem se aposentar pela lei complementar 1062/2008 que perdas podem ocorrer e solicita aos interessados que entrem em contato com seus diretores para saber quais serão suas perdas imediatas maiores informações na sede social do sindicato à rua goiás 1697 ou através da central de atendimento sinpol pelos fones 16 3625-3890 3612-9008 e 3979-2627 atenção o sinpol comunica aos associados que está entrando com a ação referente à incorporação do ale adicional de local de exercício quem tiver interesse favor entrar em contato com a central de atendimento sinpol pelos fones 16 3625-3890 3612-9008 e 3979-2627 para obter maiores informações o sinpol deixa claro que não haverá problema algum de entrar com esta ação pois a que foi ingressada em relação ao ale foi um mandado de segurança novos associados associaram-se ao sinpol no mês de janeiro de 2013 os seguintes policiais civis adalberto tadeu florentino escrivão de polícia marta lúcia ribeiro tavares atendente de necrotério josé roberto chagas investigador de polícia levi mendes agente policial josé luíz torres investigador de polícia marcos reginaldo de souza silva investigador de polícia a diretoria do sinpol dá boas vindas aos novos associados e está à disposição de todos os policiais civis que quiserem integrar o quadro associativo do sindicato falecimentos a diretoria do sinpol comunica com pesar os seguintes falecimentos josé fernandes de lima neto investigador de polícia ocorrido em 12 de janeiro de 2013 luiz celso luzada machado escrivão de polícia ocorrido em 22 de janeiro de 2013 carimélio josé santana pai do carcereiro carlos josé santana ocorrido em 22 de janeiro de 2013 zuleika mendes osse mãe do investigador de polícia manoel mendes osse ocorrido em 23 de janeiro de 2013 o sinpol manifesta seus sentimentos aos familiares 02 janeiro-fevereiro/2013

[close]

p. 3

mudanÇas dr osinski natural de cafelândia sp o novo diretor do deinter-3 tem 53 anos é casado tem dois filhos e é formado em direito ingressou muito jovem para a polícia civil tornando-se delegado aos 22 anos passou por diversas cidades mas atuou principalmente nas delegacias de lins e bauru até assumir a seccional de tupã onde permaneceu até 2004 joão osinski júnior veio para a região a convite do então diretor do deinter-4 departamento de polícia judiciária do interior com sede em bauru que era comandado pelo dr anivaldo registro que havia acabado de assumir a direção do deinter-3 com sede em ribeirão preto acompanharam o dr anivaldo nesta mudança o dr osinski que assumiu a seccional de barretos e o dr benedito valencise que na ocasião foi nomeado seccional de ribeirão preto hoje é diretor do deinter-4 em bauru na seccional de barretos o dr osinski foi o responsável por mudanças fundamentais nas cidades da região da seccional que além de barretos era formada pelos municípios de altair cajobi colina colômbia embaúba guaraci guaíra jaborandi olímpia e severínia segundo informações no site da ssp secretaria da segurança pública o dr osinski procurou modernizar as instalações e os equipamentos de informática no texto consta que ele aplicou uma filosofia de trabalho dinâmica e competente substituiu os móveis antigos da unidade proporcionando maior conforto e melhora no atendimento e principalmente recuperando a autoestima da equipe o texto prossegue na cidade coordenou ações contra a pirataria venda de produtos falsificados tráfico de entorpecentes desmanche de veículos e máquinas caça-níqueis além de administrar rebeliões e fugas na cadeia pública da cidade o dr osinski também atuou como professor universitário ministrando aulas de direito e processo penal direito in É o titular do deinter-3 que foi idealizado pelo dr osinski segundo a imprensa de barretos deve ser concretizado somente em 2014 segundo informações divulgadas pelo dr edson o processo está tramitando desde 2012 a central é um sonho para nós policiais civis disse à imprensa o novo seccional ternacional e medicina legal em faculdades de barretos e bebedouro além da academia de polícia de ribeirão preto desde a nomeação do dr valmir eduardo granucci como delegado geral adjunto o dr osinski vinha comandando interinamente o deinter-3 até ser efetivado oficialmente no cargo agora o dr osinski vai comandar a polícia civil em 93 cidades da região de ribeirão preto que estão agrupadas nas oito delegacias seccionais ribeirão preto são carlos franca bebedouro barretos araraquara são joaquim da barra e sertãozinho barretos para a delegacia seccional de barretos foi indicado o dr edson joão guilhem ele ocupa o cargo que pertencia ao dr osinski desde o dia 03 de janeiro o novo seccional atuou na polícia civil em são paulo colina e em guaíra onde atuou na ciretran circunscrição regional de trânsito e na delegacia do município o dr edson está em barretos há quatro anos e meio tão logo assumiu a seccional ele promoveu algumas mudanças de delegados de acordo com publicação no d.o.e diário oficial do estado o dr joão broncanelo neto que estava em olímpia é o novo titular da dise delegacia de investigações sobre entorpecentes de barretos já o titular da dig delegacia de investigações gerais de barretos dr marcos eduardo marques vai atuar como seccional adjunto cargo que era ocupado pelo dr júlio césar cardoso agora titular do 1º dp distrito policial de barretos atuando ao lado dos drs celso spadácio e mário renato em entrevista à imprensa o novo seccional afirmou que pretende continuar o trabalho de reengenharia já iniciado pelo dr osinski quando esteve frente à seccional de barretos atualmente a reengenharia já agrupou o 1º e 2º dps em um único prédio na região central de berretos já o 3º dp funciona em um bairro periférico as especializadas dig e dise já ocupam um único prédio e a ddm também está localizada na área central todas próximas à seccional a implantação de uma unidade central de polícia civil no prédio onde funcionava a cadeia pública de barretos todavia não deve ocorrer ainda neste ano o projeto janeiro-fevereiro/2013 03

[close]

p. 4

denÚncia eumauri o novo diretor do deinter-3 departamento de polícia judiciária do interior dr joão osinski júnior convocou a imprensa no dia 10 de janeiro para uma entrevista coletiva onde divulgou que a cidade deve receber uma delegacia 24 horas para atender aos flagrantes seria a central de flagrantes uma unidade que já existe na cidade de são paulo durante o encontro o delegado também garantiu que não há falta de policiais civis na região não precisamos de mais policiais a meta é qualificar a mão de obra já existente isso faz com que o serviço oferecido seja aprimorado disse o dr osinski ao jornal a cidade o presidente do sinpol eumauri lúcio da mata ficou surpreso ao ler as reportagens nos jornais da cidade e região imediatamente ele solicitou um encontro com o novo deinter que ocorreu no dia 17 de janeiro eumauri compareceu ao encontro acompanhado pelo delegado sindical do sinpol darcy gonçalez durante o encontro eumauri contestou o dr osinski deu para notar que o dr osinski é uma pessoa muito bem intencionada mas sinceramente não entendi essa posição dele ao afirmar que não falta pessoal para a polícia civil até mesmo o seu antecessor hoje delegado geral adjunto os demais diretores regionais o atual dgp o secretário da segurança pública todos admitem que faltam policiais civis e que os concursos em andamento não são suficientes para suprir a demanda os consegs não cansam de cobrar melhoria no efetivo da polícia civil nós não temos defasagem temos uma enorme defasagem de pessoal afirmou eumauri para constatar a falta de pessoal o sinpol realizou um levantamento somente na cidade contradiz deinter falta efetivo em encontro com novo diretor regional presidente do sinpol apresentou dados que comprovam a falta de funcionários na polícia civil segundo eumauri antes a maior preocupação do policial civil era em relação ao salário hoje uma das principais apreensões da categoria é em relação ao efetivo insuficiente de ribeirão preto a falta de funcionários é generalizada mas fizemos inicialmente só em ribeirão preto para provar que falta muita gente na instituição acrescenta eumauri de acordo com o levantamento a cidade tem 4.450 inquéritos instaurados para apenas 91 policiais civis essa é uma relação desumana não tem como trabalhar dessa forma até entendo que em nosso deinter não faltam policiais civis se um se aposenta logo tem outro no lugar mas essa não é a realidade no 5º dp [distrito policial por exemplo não temos um único escrivão para tocar pauta os colegas fazem rodízio para suprir a falta de escrivães constata eumauri no levantamento divulgado a situação mais grave é a do 1º dp são 900 boletins de ocorrência por mês que resultam em uma média de 550 inquéritos em andamento e uma média de dois flagrantes diários o dp conta com apenas dois delegados cinco investiga 04 janeiro-fevereiro/2013

[close]

p. 5

dores e cinco escrivães no 2º dp são 560 inquéritos em andamento para dois delegados cinco investigadores e quatro escrivães o 3º dp tem cerca de 375 inquéritos em andamento dois delegados três investigadores e quatro escrivães o 4º dp tem dois delegados e quatro escrivães para cerca de 700 inquéritos em andamento no 5º dp são cerca de 300 inquéritos em andamento para um delegado e três investigadores segundo o sinpol o dp não tem escrivães para dar andamento em inquéritos sabemos e afirmamos que escrivães de outras delegacias se revezam para dar cumprimento aos feitos assim como à pauta flagrantes e outros procedimentos administrativos diz eumauri o 6º dp tem cerca de 350 inquéritos policiais um delegado dois investigadores e três escrivães no 7º dp são 25 inquéritos para um delegado um escrivão e um investigador já o 8º dp apresenta cerca de 300 inquéritos em andamento para dois delegados quatro escrivães e quatro investigadores entre as especializadas o quadro mais crítico é o da ddm delegacia de defesa da mulher com cerca de 1.000 inquéritos duas delegadas quatro escrivães e três investigadores na dise delegacia de investigações sobre entorpecentes que realiza o maior número de flagrantes das unidades policiais são 160 inquéritos em andamento para dois delegados quatro escrivães e cinco investigadores a dig delegacia de investigações gerais tem cerca de 220 inquéritos para quatro delegados sete investigadores e quatro escrivães em 1998 por exemplo a especializada tinha mais de 50 investigadores e foi a responsável pela redução da criminalidade ressalta eumauri há ainda a falta de delegados titulares segundo o sinpol que atinge quatro especializadas e delegados de outros distritos acumulam o trabalho a diju delegacia de infância e da juventude tem dois escrivães e dois investigadores a delegacia do idoso e a delegacia de proteção aos animais têm juntas um investigador e um escrivão já a citetran circunscrição regional de trânsito tem somente um delegado É um quadro lamentável uma sobrecarga excessiva nas carreiras da chamada linha de frente mas isso atinge também todas as carreiras a polícia civil tem uma enorme defasagem o aumento da criminalidade e da demanda de trabalho é inversamente proporcional à quantidade de profissionais em 1998 no 1º dp havia 17 investigadores hoje são apenas cinco no 5º dp ocorre o maior absurdo não temos escrivães há um rodízio para se agilizar o trabalho o que não ocorre como deveria e ainda falam em fechamento de delegacia com essa tal de reengenharia isso é um absurdo enorme isso é afastar a polícia civil da população quando deveria ocorrer justamente o contrário abrir mais distritos para atender ao povo socorrer estar mais próximo facilitando a vida dos cidadãos mas para isso tem é que contratar dispara eumauri de acordo com o presidente do sinpol o policial civil está descontente com os baixos salários que vêm sendo praticados principalmente a partir de 1994 quando a categoria sofreu uma enorme perda salarial mas hoje em dia a reivindicação por um salário mais digno deixou de ser a primeira na lista dos policiais civis se perguntarmos aos colegas qual o principal problema o salário vem em segundo todos são unânimes em dizer que falta gente para trabalhar e não vê quem não quer enxergar não só em ribeirão preto va mos para todas as cidades falamos com nossos associados em todos os cantos do estado e a queixa é sempre a mesma falta pessoal esses concursos já cansamos de denunciar são como uma gota d água no oceano tem que contratar de verdade o policial civil hoje está desmotivado tem um salário miserável trabalha feito condenado e ainda havia o problema da corregedoria que todos sabem vinha agindo de forma arbitrária esperamos que esse tipo de coisa mude e que a corregedoria trate o policial civil com o devido respeito que se apure mas que se trate com civilidade e que o governo faça sua parte senão não vamos precisar fechar delegacias vamos ver o fechamento de toda a polícia civil conclui eumauri o diretor do deinter-3 dr osinski júnior o presidente do sinpol eumauri lúcio da mata e o diretor do sindicato darcy gonçalez durante encontro na diretoria regional da polícia civil janeiro-fevereiro/2013 05

[close]

p. 6

especial unidos uma rápida pesquisa em dps distritos policiais especializadas e unidades da polícia civil pode constatar um fato que para muitos não é raro nem causa surpresa é grande o número de casais de policiais civis que vivem uma relação estável muitos dos quais casados e com filhos essa tendência é até incentivada por algumas empresas por defenderem que desde que não haja uma relação passional no ambiente de trabalho a produtividade entre os cônjuges até melhora em empresas como a companhia aérea tam por exemplo isso ocorre sem grandes traumas ao contrário do que acontece em empresas de menor porte onde o namoro ou casamento entre funcionários não é visto com bons olhos as estatísticas estão fazendo com que os empresários percebam que é muito mais vantajoso manter um casal em seu quadro de funcionários do que forçar a saída de um deles e ter o outro insatisfeito com a situação segundo um levanta pela instituiÇÃo não são raros os casais onde marido e mulher trabalham na polícia civil e para muitos os horários ingratos podem inviabilizar relacionamentos com quem não conhece a rotina policial mento feito pela sexóloga norte americana shere hite nos estados unidos 62 das mulheres e 71 dos homens já se relacionaram com colegas de trabalho entre os que responderam à questão afirmativamente 42 namoraram e 35 se casaram a pesquisa feita em 2010 foi publicada no site www.adimite-se.com.br e de acordo com a pesquisa não houve queda de produtividade especialistas todavia acreditam que a melhor forma de conduzir um relacionamento afetivo entre colegas de trabalho é tratando o assunto de forma transparente evitando esconder dos demais colegas principalmente dos chefes no portal g1 especialistas ouvidos em uma reportagem são unânimes ao afirmar que nenhuma empresa pode proibir dois funcionários de se relacionarem afetivamente a proibição extrapola o poder disciplinar do emprego o que o empregador pode impedir são atos como beijos e carícias no ambiente de trabalho diz eli alves da sil o investigador cavalline e a escrivã sandra estão juntos há 11 anos mas casaram-se no papel há pouco mais de quatro meses cláudia e daniel ambos investigadores há mais de duas décadas na instituição estão juntos há 22 anos va presidente da comissão de direito trabalhista da oab ordem dos advogados do brasil o funcionário que for dispensado por namorar um colega de trabalho pode entrar com uma ação na justiça e pedir indenização por dano moral explica a advogada trabalhista juliana borges e sobre a prática de algumas empresas transferirem o funcionário de departamento porque namora um colega de setor a advogada afirma que o empregador não pode adotar tal procedimento alegando que isso ocorreu por conta do relacionamento amoroso na mesma reportagem do g1 o professor do instituto de psicologia da usp universidade de são paulo ailton amélio da silva especialista no assunto vai mais além muitas vezes o envolvimento entre colegas de trabalho é inevitável de acordo com ele o motivo é que no trabalho as pessoas têm um grau de compatibilidade maior já que gostam de coisas parecidas e têm níveis educacional e social equivalentes além disso os colegas de trabalho ficam mais tempos juntos saem para almoçar e acabam se conhecendo melhor as pessoas ficam todo o dia repedindo as chances [de dar certo uma hora a coisa rola diz nos plantões entre os policiais civis são vários os casos em que o marido e a esposa trabalham na instituição para muitos a jornada muitas vezes ingrata com diversos plantões por cobrir e as dificuldades inerentes à carreira que muitas vezes impedem o policial civil de ter uma vida social mais intensa fora da instituição levam a um relacionamento que muitas vezes se torna casamento além dos horários ingratos muitas vezes incompreendidos por quem não trabalha na polícia civil há outros fatores que facilitam o envolvimento de policiais civis o principal desses fatores é o interesse comum na atividade poli 06 janeiro-fevereiro/2013

[close]

p. 7

daniela começou a namorar o escrivão rodrigo e como sempre quis seguir carreira na instituição prestou concurso e ingressou como escrivã cial mesmo sofrendo com a falta de material humano e com salários baixos principalmente em relação à grande maioria dos estados brasileiros o policial civil tem muito forte a vocação o amor e a dedicação pela carreira e foram os interesses em comum que uniram os investigadores daniel nicoleti da silva e cláudia adriana martins nicoleti da silva eles estão juntos há 22 anos e casados oficialmente há 12 anos eu trabalhava em são joaquim da barra quando o daniel ingressou na polícia civil puxávamos plantões juntos e o interesse entre nós surgiu explica cláudia ela está na polícia civil há 24 anos e ele há 22 anos ser policial civil não é fácil quem não exerce a carreira dificilmente compreende nosso ritmo analisa daniel segundo ele o segredo para que o relacionamento dê certo no ambiente de trabalho ou até mesmo com alguém que trabalhe na instituição porém não no mesmo local é ter cabeça boa É preciso saber administrar muito bem não levando problemas de casa para o trabalho e do trabalho para casa explica o casal têm filhos e admite que é muito melhor ser casado com alguém que conhece a sua rotina de trabalho nós tiramos muitos plantões juntos outros separadamente mas sabemos que a carreira exige isso acrescenta cláudia recém-casados josé roberto cavalline é investigador de polí cia há 16 anos sandra de Ávila holanda cavalline é escrivã há 18 anos os dois se conheceram no 5º dp distrito policial de ribeirão preto e com o passar do tempo trabalhando juntos porém em carreiras distintas não resistiram aos encantos do cupido assim como daniel e cláudia há 11 anos josé roberto e sandra decidiram juntar as escovas de dente e foram morar juntos na opinião do casal ia ser muito difícil se não fossem casados com alguém que compartilha os mesmos interesses profissionais e sobretudo o mesmo ritmo de vida o policial civil sabe que não vai poder tirar férias normalmente em janeiro ou em julho sabe que terá plantão no natal ano novo ou carnaval muitas vezes nossos filhos viajam nas férias com os parentes pois nossa carreira não nos permite ter férias em períodos mais convencionais explica sandra josé roberto concorda as nossas famílias não aceitam bem essa situação porque preferiam que estivéssemos com eles nesses momentos mas acabam compreendendo que essa é nossa vocação acrescenta josé roberto depois de mais de uma década morando juntos os dois são literalmente recém-casados eles oficializaram a união há apenas quatro meses apesar de já morarem juntos há vários anos uma década o escrivão daniel de oliveira pires conheceu a investigadora Érica dias no 4º dp de ribeirão preto o distrito ainda funcionava no boulevard na rua conde afonso celso aos poucos foram descobrindo afinidades isso foi há dez anos depois de algum tempo começaram a namorar segundo daniel o fato de ambos trabalharem como policiais civis ajudou no relacionamento nossos horários como policiais civis muitas vezes limitam nossa vida social explica daniel depois de quase quatro anos de namoro os dois se casaram e estão juntos há seis anos unidos na polícia civil o escrivão rodrigo rosas ingressou na polícia civil há 14 anos algum tempo depois ele conheceu daniela rosas há 12 anos os dois começaram a namorar a princípio apenas ele era policial civil eu sempre sonhei em ser policial civil conheci o rodrigo e algum tempo depois que começamos a namorar também ingressei na polícia civil foi uma decisão bastante acertada o relacionamento amoroso entre policiais civis facilita a vida porque quem está de fora tem dificuldade para entender que mais de um terço no mês passamos em plantões noturnos revela a também escrivã daniela casados há cinco anos rodrigo e daniela dividem a vida afetiva e profissional ele incentivou a hoje esposa a ingressar na carreira e garante valeu a pena porque ele e ela são apaixonados pelo trabalho apesar das dificuldades sou apaixonado por minha carreira meu pai foi delegado e sempre me vi trabalhando na polícia civil construímos uma vida a dois e temos muito orgulho disso conta rodrigo ingressando já casados entre tantos policiais civis que constituíram família ou que optaram por levar uma vida a dois está o presidente do sinpol eumauri lúcio da mata ele e sua esposa neusa aparecida pian da mata já eram casados quando ambos decidiram entrar na instituição na década de 1970 ambos fizeram carreira como investigadores passando por vários setores da polícia civil foi graças ao trabalho na instituição que eumauri e neusa criaram os três filhos com muito orgulho sempre nos dedicamos por inteiro ao trabalho na polícia civil criamos nossos filhos graças ao fruto de nosso trabalho e temos muitos exemplos de casais que se formaram na polícia civil e de outros que ingressaram para aqui juntos trabalharem isso ocorre porque a rotina do policial civil é bastante complicada quem não tiver uma cabeça boa não vai entender que o marido ou a esposa tenha que trabalhar num final de semana durante a noite e madrugada numa véspera ou num dia de natal por exemplo nossa realidade é muito difícil de ser compreendida por quem não é da área explica eumauri o casamento entre policiais civis da mesma carreira ou de carreiras distintas têm sido cada vez mais constante e não há relatos de problemas que tenham sido ocasionados por conta de tais relacionamentos a cumplicidade em casa também pode se transformar em cumplicidade no ambiente de trabalho quando o casal trabalhar junto ou até mesmo nas conversas na troca de ideias o fato é que esse tipo de união demonstra que a família policial civil é cada vez mais sólida e efetiva janeiro-fevereiro/2013 07

[close]

p. 8

sinpol o presidente do sinpol sindicato dos policiais civis da região de ribeirão preto eumauri lúcio da mata e a diretora kalinka cintra prado estiveram na cidade de santos no início de janeiro de 2013 para participar de uma reunião organizada pela feipol/se federação interestadual dos trabalhadores policiais civis da região sudeste o encontro foi realizado na cidade de santos e faz parte de uma série de eventos que vem sendo realizados pela entidade para elaborar uma pauta de reivindicações a ser entregue ao governador do estado segundo eumauri o encontro foi bastante produtivo e cumpriu o previsto em um cronograma que inclui também uma consulta às bases na região do sinpol durante a reunião tratou-se do ingresso do sinpol da região de mogi das cruzes na federação o que foi aceito por todos na sequência os policiais civis da região de santos discutiram sua pauta de reivindicações o movimento vem ganhando forma e o objetivo é pressionar o governador a negociar e sobretudo cumprir nossa data base que é o mês de março pontuou o presidente do sinpol da região de ribeirão preto da pauta de reivindicações proposta pelos policiais civis de santos e região constam 14 cláusulas de reivindicações a principal reivindicação diz respeito ao reajuste salarial e contempla a reposição total da infração estimada no período entre março de 1994 até março de 2013 justamente o período em que ocorreram as maiores perdas salariais na história da polícia civil segundo os sindicalistas além disso os policiais civis elencaram outras cláusulas como a remuneração por subsídio a incorporação de 100 do ale ao salário base auxílio refeição auxílio creche melhores condições de trabalho com diversos itens relaciona dos imediata realização de concurso público aposentadoria especial jornada de trabalho qualificação e capacitação agilização da aposentadoria participação de representantes de todos os cargos no conselho da polícia civil comunicação aos sindicatos das punições disciplinares e a composição de uma mesa permanente de negociação ao término da assembleia realizada em santos o presidente da feipol/se aparecido lima de carvalho o kiko ressaltou a importância de todas as entidades integrantes realizarem suas assembleias ficam as entidades representativas dos policiais civis comprometidas a disponibilizar em seus meios de comunicação sites ou informativos um formulário para que seja aberta a oportunidade a todos os policiais civis do estado opinar sobre a pauta de reivindicações da categoria destacou o sinpol da região de ribeirão preto também deve organizar uma age assembleia geral ordinária onde os associados vão poder debater sugerir e definir a pauta de reivindicações na região tudo o que for proposto irá compor um documento onde constarão as reivindicações a feipol/se após a realização de todas as assembleias necessárias em todo o estado vai reunir todos os documentos elaborados e com base no que foi tratado vai elaborar um documento contendo aquilo que será encaminhado ao governador em nome da categoria ou seja a pauta de reivindicações de todos os policiais civis do estado acrescentou kalinka a assembleia em ribeirão preto ainda não foi marcada mas será oportunamente divulgada aos policiais civis da região desde os primeiros dias de 2013 a feipol se participou de assembleias em santos e marília e o objetivo é concluir os trabalhos e encaminhar a pauta até 15 de março para que o governador possa cumprir a data base dos policiais civis participa de reuniÃo da feipol escrivÃo de sp filia-se ao sinpol foto raphael abbate adalberto dir aceitou o convite de eumauri esq e associou-se ao sinpol atuando na polícia civil há 22 anos adalberto tadeu florentino sempre atuou como escrivão de polícia natural de são paulo-sp optou pela instituição e assim que foi aprovado no concurso iniciou seu trabalho e trilhou sua carreira num único setor o dpc órgão que recentemente passou a ter a sigla de dpcrd departamento de produtos controlados e registros diversos o setor onde adalberto trabalha é responsável por reunir a documentação necessária para a emissão do porte de arma aos policiais civis inativos segundo adalberto há muitos anos ele acompanha o trabalho do sinpol e conhece seu presidente eumauri lúcio da mata temos uma amizade de muitos anos e conheço o trabalho realizado pela entidade sempre que o encontro o eumauri me convida para conhecer a sede do sinpol e o clube de campo em ribeirão preto recentemente ele me convideu para tornar-me sócio e acabei aceitando o convite explica adalberto o escrivão apesar de atuar na capital acredita que as lutas do sinpol são de interesse de policiais civis de todo o estado e desta forma tornouse um dos mais novos associados do sinpol 08 janeiro-fevereiro/2013

[close]

p. 9

andamento as obras para a construção da nova sede social do sinpol continuam sendo realizadas de acordo com o cronograma nem mesmo as chuvas que ocorreram durante o mês de janeiro foram suficientes para atrasar o andamento da construção as paredes do segundo pavimento já estão sendo erguidas e a edificação dá mostras da grandeza da futura sede do sindicato dos policiais civis da região de ribeirão preto confira alguns ângulos da construção janeiro-fevereiro/2013 09

[close]

p. 10

aniversariantes a vida é um milhão de novos começos movidos pelo desafio sempre novo de viver e fazer todo sonho brilhar feliz aniversário aos nascidos em março 1 wilson miguel da silva ademar fonseca júnior ivaldo parma fernandes 2 rogério antonio segismundo lahoz júnior célia domingos de oliveira sandra cristina peguin garcia marcilene do prado tanganini 3 itamara cristina inocente de paula marcos tadeu casadore geraldo vital da silva douglas cardilli 4 josé benjamin de souza antonio nobel conti regina aparecida ribeiro de paula vera márcia tertuliano pereira antonio pedro segnorini enilza odete bonagamba de almeida 5 airton lisi walter lodi júnior arnaldo josé d avoglio filho silvana araújo da fonseca marisa paulo da cunha sérgio yukio hoshiba 6 josé roberto passeto vladimir augusto silva josé bernardino alecrin ovande garmes júnior rodrigo sertório rosas 7 clevis samuel lors de faria mercedes de souza lima amilton rinaldi cruanes márcia regina registro 8 maria heloiza de paula borges mariangela beraldi de toledo balsabino edinir donizetti valentin edivaldo genesi paiuca joão batista tonetto hidalgo bernardo de oliveira ana cristina nucci pirondi 9 antonio josé ipólito maria elizabet ribola helem de souza lima sílvio alessandro dos santos karina palmeira valerine damásio josé roberto lopes filho 10 ronaldo catalane andretta gilmar ivan de souza edison cardoso zueff 11 milton francisco cocito antonio geraldo barboza 12 jorge eduardo vasconcelos sandra helena camossa augusto coelho neto regina elisa rudge bortoli andré luiz garcia gonzalez 13 antonio luis nardy de mattos barreto laerte aparecido pereira pláucio roberto rocha fernandes heber ademir fiorelli 14 rita de cássia ongaro diogo maria emília gomes de castro rafael martins dos santos osmair freitas dos santos isabel cristina antunes ravacci scoqui 15 luciano roberto sandoval 16 eurípedes da silva stuque tereza cristina soares chiaretti faria 17 clóvis ferreira de castro antonio carlos costa campi 18 nilton wagner de oliveira joselina maria de oliveira carlos gonçalves pestana gisele aparecida bruzadin furlanetto romualdo josé bertozzi 19 luiz carlos calbello molina josé angelo marques josé messias rotta josé zerbato nelson moreira da silva juliano borges josé roberto zago gustavo fragiacomo 20 antonio josé de faria maria das gracas da silva garcia josé cláudio gonçalves sérgio luís dos santos 21 sônia alvarenga de magalhães fabiano de aquino frigo marcos ronaldo neroni Élcio gonçalves dos reis 22 augusto alves moreira josé roberto gonçalves da silva kalinka cintra prado francisco albertino dos santos júnior 23 rafael gentil júnior aparecida caineli de oliveira alcides elia rodrigo marcelo silveira cocito dimas lopes dos santos luiz geraldo dias marcelo florêncio alberto leandro cardoso dos santos 24 josé dos santos lúcia helena soares da silva devanir ferreira de souza antonio carlos aparecido bacaro 25 ronaldo nogueira de moura sueli aparecida rodrigues de almeida edvar minto luís eduardo persigo halace antonio remondini júnior 26 pedro moretti júnior luci helena rotondo kobelnik carlos alberto nogueira aparecido donizete galhardo lúcio josé valenti 27 cláudia braga rogério da cunha nogueira 28 joão batista martins de mello tomaz rafael scatolin wilson beazini vinícius menezes de souza 29 josé tadeu de figueredo luiz flávio moraes lawall fábio scafi nogueira sidney ferreira da silva dener r novais hernandes 30 lúcia silva simões aldo kuanzo nakaza josé luiz pugliesi emerson renato merlin manoel mendes osse maria beatriz cardoso v de moura campos 31 wesley osvaldo prudente daniel ap fernandes rodrigues fernando gonçalves de oliveira elizabete aparecida de souza branco memÓria errata de equipe unida em nossa última edição cometemos alguns erros na identificação da equipe que atuava na antiga delegacia regional de polícia civil de ribeirão preto onde hoje está instalada a delegacia seccional como foi citado na edição anterior apesar de não contar com a tecnologia dos dias atuais sempre imperou um clima de cordialidade entre os funcionários na foto acima policiais civis que integravam o setor de pessoal da esquerda para direita em pé estão neide paranhos ribeiro adail filete nogueira neusa pian da mata cristina júlia ikeda catarina aparecida pane e liliane garcia sentados joão hipólito afonso basílio do nascimento e dawel orsi do fundo do baÚ o sindicato dos policiais civis da região de ribeirão preto está criando um acervo de imagens relacionadas à polícia civil para tanto a diretoria está incentivando a participação de associados que tenham em seus arquivos fotografias que possam ilustrar diferentes aspectos da história da instituição os interessados em colaborar com esse resgate da memória da polícia civil da região podem entrar em contato com a secretaria do sinpol através dos telefones 16 3612-9008 3625-3890 e 3979-2627 ou dos e-mails atendimento@sinpolrp.com.br e secretaria@sinpolrp.com.br o sinpol lembra aos aniversariantes que é preciso fazer o recadastramento anual junto nossos funcionários irão digitalizar as fotografias para encaminhar ao jornal e o ao banco do brasil em qualquer agência ou naquela onde receber seus vencimentos ou original será devolvido imediatamente ressalta o presidente da entidade em caso de portabilidade no banco em que o beneficiário optou quem não se eumauri lúcio da mata recadastrar corre o risco de ter os vencimentos suspensos 10 janeiro-fevereiro/2013

[close]

p. 11

deu no jornal do sinpol gppe a polÍcia civil a edição número 15 do jornal do sinpol que circulou em novembro de 1996 tinha como a principal reportagem a atuação do gppe grupo de policiamento preventivo especializado o setor considerado de elite na então delegacia regional de ribeirão preto foi criado a partir da determinação do então delegado seccional da cidade dr moysés josé cocito e teve à frente o delegado sérgio salvador siqueira além do delegado a equipe era composta pelo escrivão marcelo moura sá e pelos investigadores fernando carrion ednan alberto feliz rodrigo c freitas e pedro moretti júnior o grupo atuava no sentido de reduzir a criminalidade à época em alta principalmente por conta do crescimento do tráfico de drogas na cidade em pouco tempo o grupo foi responsável por atuações expressivas e em pouco tempo conquistou a confiança da população e da alta cúpula da polícia civil mas esta não foi o único assunto da edição número 15 no editorial o então presidente do sinpol eumauri lúcio da mata lamentava a perda de representatividade no legislativo municipal já que o então vereador o escrivão josé rubens vieira não conseguiu a reeleição o jornal também abordava o trabalho realizado pelo então chefe dos escrivães do 3º dp jaime gilberto rosa ainda no caminho do editorial de eumauri uma reportagem mostrou o quadro das eleições/96 falando sobre o trabalho realizado por josé rubens na edilidade municipal o entrevistado da edição foi o dr josé manoel de oliveira que na ocasião havia trabalhado há 14 anos em ribeirão preto mas vinha atuando como titular da então seccional de bebedouro com a nomeação do dr moysés josé cocito para a regional de marília o dr josé manoel assumia interinamente naquela ocasião a seccional de ribeirão preto a edição de novembro trazia uma denúncia que infelizmente por muito tempo se manteve da mesma forma apesar da intensa luta do sindicato a improvisação na então sede do 3º dp distrito policial de ribeirão preto a unidade na vila tibério funcionava precariamente em um velho e mal conservado armazém a equipe atuava de forma improvisada e era responsável pelo atendimento do dp de maior área física na oportunidade o dp funcionava num local onde antes havia funcionado um supermercado entre os aniversariantes de dezembro listados na edição quem encabeçava a lista era liliane garcia na reportagem especial o jornal do sinpol mostrava a posse do ex-seccional de batatais e de ribeirão preto dr moysés josé cocito à frente da delegacia regional de polícia civil de marília o delegado um dos mais respeitados e emblemáticos da história da polícia civil na região de ribeirão preto encarava um novo desafio em sua carreira assumindo uma região igualmente pujante mas relativamente distante da cidade onde o delegado construiu boa parte de sua longeva carreira em causus o jornal do sinpol mostrou um golpe que rendia um bom dinheiro aos estelionatários à custa da boa fé das pessoas tratava-se do livro de ouro um meio de obter donativos para os mais diversos fins que na realidade acabavam indo parar no bolso dos golpistas a edição mostrou também a pujança das cidades de sales oliveira e orlândia na região de ribeirão preto que na ocasião destacavamse nas culturas de soja cana-de-açúcar e nas criações de gado e cavalos de raça também mostrava a magia de pouso alegre no sul de minas gerais localizada às margens do rio mandu contra-ataca arma de calibre 12 e teve morte instantânea equipes da dig delegacia de investigações gerais e dise delegacia de investigações sobre entorpecentes de araraquara e da dig são carlos se desdobraram nas investigações e no dia 15 chegaram aos autores do brutal homicídio o homem que disparou foi m.a.d velho conhecido dos policiais e traficante violento que agia na região o crime escancarou aquilo que o sinpol sempre fez questão de mostrar que o policial civil é mal remunerado e corre risco mesmo quando não está em seu horário de serviço uma situação gravíssima que infelizmente perdura até os dias atuais e que na edição número 15 tinha um triste exemplo prático disso edição de novembro de 1996 tratava entre outros assuntos da atuação do grupo de elite gppe criado a pedido do então seccional dr moysés josé cocito a nota triste era o brutal homicídio do investigador de ibaté edvaldo aparecido mangianelli que tinha apenas 26 anos de idade ele era considerado um exímio investigador apesar de ter poucos anos de polícia civil estava namorando e tinha planos de se casar estava construindo sua casa quando um criminoso acabou interrompendo seus sonhos mangianelli e outros companheiros da dp de ibaté recebiam constantes ameaças anônimas através de telefonemas mas o grupo continuava investigando e autuando membros de uma quadrilha de traficantes na noite de 11 de outubro enquanto aguardava um amigo também investigador do lado de fora da residência foi alvejado por uma reprodução de capa da edição nº 15 do sinpol que mostrava entre diversos assuntos a ação da polícia civil no combate à criminalidade janeiro-fevereiro/2013 11

[close]

p. 12

perfil eternamente a polícia civil surgiu de uma forma inusitada para o delegado aposentado luiz carlos pires no auge de sua juventude recém-formado pela faculdade de direito laudo de camargo hoje pertencente à unaerp ele começava sua carreira como advogado e tinha muita determinação para tornar-se um grande jurista na próspera ribeirão preto dos anos 1960 nascido em olímpia filho de um comerciante ávido por novos empreendimentos veio parar em ribeirão preto justamente por conta do temperamento empreendedor do pai por aqui a família se estabeleceu e ainda na faculdade de direito teve seu primeiro contato com a polícia civil na ocasião estudantes de direito podiam fazer uma espécie de estágio atuando como delegado estagiário eles tinham contato com inquéritos e a rotina do trabalho realizado pela polícia judiciária mas depois de formado o dr pires optou mesmo por atuar como advogado até que em 1969 estava caminhando com o pai no centro de ribeirão preto quando ambos encontraram o então deputado estadual joão costa durante a conversa o pai do dr pires comentou com o deputado que o filho havia se formado em direito imediatamente o deputado lembrou-o que a polícia civil estava contratando delegados substitutos para suprir as lacunas existentes na instituição o dr pires declinou do convite dizendo que preferia continuar atuando como advogado seu pai no entanto achou interessante e pediu ao deputado que fizesse então a indicação certa ocasião fui até a delegacia regional levando uma petição de um cliente ao dr renato ribeiro soares ao entrar em sua sala ele me perguntou `você veio para tomar posse não entendi nada então ele me disse policial civil penúltimo delegado regional o dr luiz carlos pires orgulha-se em dizer que é policial civil e lamenta não poder continuar compartilhando seus conhecimentos após os 70 anos o jovem e idealista advogado acabou contratado por indicação para delegado substituto mas gostou tanto do trabalho na instituição que pouco tempo depois prestou concurso e tornou-se delegado efetivo construindo uma carreira brilhante que havia visto minha nomeação pediu que a localizassem e havia sido publicada há 13 dias eu tinha 15 dias para tomar posse foi um turbilhão relembra o dr pires ele passou na regional clipper uma extinta loja de departamentos comprou à prazo terno e gravata e rumou para são paulo após os exames foi encaminhado para o então delegado geral dr josé renê motta o chefe queria que o dr pires assumisse na capital mas ele queria alguma cidade do interior só havia vaga para mogi das cruzes e registro ficou com registro que não conhecia mas segundo o delegado geral ficava no litoral na época o dr pires era noivo da sua hoje esposa a escrivã aposentada eliana teresa lessa pires encarou o desafio e foi para o vale do ribeira uma região inóspita por seus contornos naturais inimigo oculto aprendeu o ofício na prática do dia-a-dia 12 janeiro-fevereiro/2013

[close]

p. 13

naquela época não havia academia passei num departamento peguei meu revólver e lá fui para registro lembra o dr pires para falar com a noiva ele tinha que seguir até a cidade de sete barras a alguns quilômetros de distância da sede registro fazia o trajeto em um velho jipe viatura oficial da polícia civil certa vez dr pires voltava de uma ronda acompanhado de um sargento da pm que dirigia a viatura ficou num bar para tomar um lanche antes de seguir para o hotel onde vivia na cidade tão logo chegou ao bar ouviu uma rajada de metralhadora correu ao local e viu o jipe crivado de balas todas disparadas na direção em que ele estaria se não tivesse descido momentos antes o sargento felizmente saiu ileso apenas levando um grande susto além do perigo natural que enfrentava indo a sete barras com muita neblina sobre a estrada bastante sinuosa e mal conservada havia ainda um inimigo oculto que o jovem delegado substituto só descobriu tempos depois o lendário capitão lamarca oficial que desertou do exército brasileiro para criar um grupo de guerrilheiros na luta armada contra o governo militar estava acampado naquela região eles chegaram a capturar e matar um tenente do exército mas poderia ter sido eu sem saber o risco que corria lembra o dr pires a carreira passado o susto o delegado substituto continuou seu trabalho na região de registro até que surgiu o concurso para delegado de polícia regularmente contratado prestou e foi aprovado corria o ano de 1970 e ele foi nomeado para a recém-criada seccional de catanduva na região de são josé do rio preto foi titular em paulo de faria acumulando também as cidades de riolândia e orindiúva de paulo de faria seguiu nomeado para jaboticabal onde ficou por três anos e oito meses depois foi para guaíra onde ficou por mais dois anos até que o dr irlandino neto sandoval então seccional de barretos convidou-o para ser assistente a essa altura dr pires era delegado de 3ª classe mas comissionado em 2ª sempre acatei às determinações de meus superiores em 1976 estava em barretos quando o então presidente general ernesto geisel visitou a festa do peão de barretos naquela ocasião o dr renato ribeiro soares delegado regional foi até a seccional e me convocou para vir para assumir a delegacia de sertãozinho apesar da tentativa do dr irlandino em manter-me em barretos o dr renato foi irredutível `quero o dr pires em sertãozinho amanhã e no dia seguinte estava na cidade lembrou o dr pires ficou na cidade por dois anos e o dr renato o trouxe para ribeirão preto onde ficou até junho de 1997 atuou em praticamente todos os dps distritos policiais da sede da delegacia regional de polícia foi titular no 1º 3º 4º dp e ciretran circunscrição regional de trânsito depois foi nomeado seccional de ribeirão preto onde ficou por três anos até assumir a delegacia regional de polícia foi o penúltimo delegado regional da cidade antes da mudança na estrutura da instituição em 1999 o último regional foi o dr ivan roberto mendes costa na regional o dr pires ocupou o comando por dois anos e oito meses foi nomeado para a corregedoria como delegado divisionário durante toda a minha carreira sempre acatei as transferências sem questionar mas ficou impraticável continuar em são paulo minha esposa era escrivã em ribeirão preto minha filha cursava universidade o custo ficou inviável na época ainda me ofereceram remanejar algum regional para me acomodar mas jamais aceitaria isso mudar um colega apenas para me beneficiar optei mesmo por me aposentar explica o dr pires academia apenas 18 dias após ter se aposentado o delegado instalou um escritório de advocacia no centro da cidade e há 15 anos ocupa o mesmo espaço atendendo seus clientes hoje dividindo o atendimento aos clientes com a filha luciana lessa pires também advogada mas antes mesmo de se aposentar o dr pires exercia outra de suas paixões a de professor ele era um dos professores da acade mia de polícia civil mesmo aposentado como delegado continuou na acadepol ministrando aulas por muitos anos até chegar aos 70 anos ocasião em que lembra com certa tristeza na polícia civil a idade limite é 70 anos após isso ocorre o que chamamos de `aposentadoria expulsória lembro até hoje que me preparei por muito tempo para esse momento mas confesso que no dia em que completei 70 anos recebi uma placa de prata muitos abraços o agradecimento e fui dispensado foi algo muito triste pois sabia que tinha muito para compartilhar com as novas gerações de policiais civis por muito tempo revela dr pires na acadepol o delegado lecionou para policiais civis de todas as carreiras e também no curso superior de polícia ministrado para delegados de 1ª classe e oficiais da polícia militar sempre me pautei para transmitir aos meus alunos o nosso objetivo como policiais civis ou militares polícia também se faz com carinho e respeito a todos antes de tudo o policial deve ser legalista para poder exigir a legalidade avalia em sua carreira dr pires garante sempre ter se pautado diante da máxima que defende ele garante que sob seu comando nenhum policial civil utilizou a força bruta em interrogatórios e mesmo assim sempre obteve os melhores resultados possíveis acredito que é preciso tratar o ser humano com o devido respeito mesmo sabendo que ele possa ter praticado uma atrocidade e sempre conseguimos os objetivos necessários tenho uma carreira honrada sobretudo ao trabalho realizado por todos aqueles companheiros que trabalharam comigo sob meu comando mas na verdade trabalhamos lado a lado foram delegados investigadores escrivães carcereiros agentes enfim sempre trabalhei com os melhores policiais civis que existiram para me transformar no delegado que fui tive exemplos de verdadeiras lendas na instituição como o dr irlandino neto sandoval o dr celso camargo de azevedo e muitos outros que ficaria impossível nominar cada um daqueles que trilharam o caminho da legalidade ao meu lado também devo à minha esposa eliana e à minha família tudo o que construí na vida por isso sempre tive e tenho orgulho em dizer que sou policial civil finaliza o dr pires por mais que tenha se preparado para o momento o dr pires sofreu quando atingiu a idade limite e teve que deixar de dar aulas na acadepol janeiro-fevereiro/2013 13

[close]

p. 14

investigaÇÃo em busca de soluÇÃo do paradeiro de pessoas desaparecidas das funções da carreira de investigador a mais problemática principalmente a partir da década de 1990 até setembro de 2009 foi sem dúvidas a escolta de presos a princípio a determinação no d.o.e se resumia apenas à prisão e escolta do indivíduo preso até a unidade carcerária com o passar dos anos e da falta de investimentos em novas contratações de policiais civis principalmente carcereiros e com a falência do sistema prisional que no começo do século atual passou a mudar de mãos da ssp secretaria da segurança pública para a sap secretaria de assuntos penitenciários a questão da escolta fugiu ao controle na polícia civil os presos passaram a ser escoltados por policiais civis em todas as situações além do acompanhamento do indivíduo a uma unidade prisional após a ocorrência de um flagrante ou cumprimento de um mandado judicial a questão sofreu um agravamento os policiais civis se viram obrigados a escoltar presos em atendimento médico-hospitalar e em depoimentos ao fórum nesses casos invariavelmente a escolta consumia um grande efetivo de investigadores e o trabalho de polícia judiciária de investigação efetiva passou a ser seriamente prejudicado o fim da escolta de presos por investigadores foi uma das grandes lutas travadas pelo sinpol durante muitos anos e só chegou ao final em setembro de 2009 quando a escolta deixou de ser uma atribuição dos policiais civis a não ser em casos específicos através da lei 14.575 de 04/10/2011 de autoria do deputado campos machado foi instituído em 23 de dezembro o dia do investigador de polícia a iniciativa é louvável mas cabe ao governo honrar a lei contratar mais policiais civis e findar as pendências com tão nobre carreira concluiu eumauri a carreira de investigador de polícia a mais numerosa e uma das mais vitais dentro da instituição comemorou sua data em 23 de dezembro o policial encarregado de investigar é uma figura especial nos quadros de uma organização policial e sua ação como estamos vendo é importante e muitas vezes decisiva nos trabalhos de natureza repressiva para ter possibilidades de ser bem sucedido deve conhecer não só as suas atribuições como também a dos demais policiais que trabalham ou cooperam para o mesmo fim necessita também conhecer os elementos que podem entrar na composição do inquérito policial em especial aqueles cuja descoberta e levantamento ficam normalmente aos seus cuidados não se exige que um pedreiro para trabalhar numa construção conheça engenharia carpintaria funilaria e eletricidade mas é evidente que se ele tiver noção do que a engenharia pretende realizar que se conhecer quais os materiais que vão ser empregados na obra e que se souber de que modo o seu serviço vai entrelaçar-se com os dos demais operários estará mais capacitado para executar a sua parte de trabalho o mesmo podemos dizer com relação ao investigador de polícia não se vai exigir dele que tenha habilitações para organizar o inquérito policial e nem que realize os trabalhos de escrivanato e de peritagens mas é também evidente que se ele tiver noção do objetivo que o conjunto procura alcançar que se conhecer os elementos que podem ser utilizados na composição do inquérito policial e que se souber da ajuda que pode dar ou receber estará em melhores condições para executar sua missão assim o dr coriolano nogueira cobra define a carreira de investigador em seu livro manual de investigação policial em sua terceira edição datada de 1965 considerada uma das carreiras da chamada linha de frente da polícia civil o cargo de investigador longe do glamour ostentado em filmes e novelas tem seu cotidiano de grandes dificuldades sobretudo em razão da falta de efetivo segundo o presidente do sinpol o também investigador eumauri lúcio da mata a falta de pessoal atinge todas as carreiras indistintamente a falta de efetivo é enorme no caso dos investigadores a situação é mais gritante pois cabe a ele reunir provas que esclareçam um crime e que sejam apresentadas ao judiciário de forma incontestável e é a consistência do trabalho do investigador que vai determinar a condenação ou absolvição de uma pessoa avalia eumauri acrescentando que na região de ribeirão preto é grande a lacuna de investigadores carreira de nível superior que porém ainda não recebe por parte do governo esse status funções o decreto que regulamenta as funções da carreira de investigador de polícia civil é o mesmo desde 1967 sem sofrer qualquer alteração as funções foram publicadas através do decreto 47.788 de 02 de março de 1967 no d.o.e diário oficial do estado segundo o presidente do sinpol apesar da evolução dos trabalhos policiais a princípio não se sabe de mudanças ou atualizações do referido decreto nesta mesma publicação encontramos diversas outras funções regulamentadas da secretaria da segurança pública as de investigador escrivão e carcereiro estão lá nominadas lembra eumauri a íntegra das funções é a seguinte investigador de polícia privativo da secretaria da segurança pública `36 investigações e recolhimento de elementos de convicção para esclarecimentos de fatos delituosos manifestos ou presumíveis de mediana gravidade ou autoria definida policiamento de locais públicos para prevenir ou reprimir a prática de crimes ou contravenções execução de mandados de prisão de busca e escolta de presos investigação foto setor de comunicação social da seccional de bebedouro a investigação é uma das ferramentas primordiais da polícia civil no esclarecimento de crimes 14 janeiro-fevereiro/2013

[close]

p. 15

parabÓlica batatais no dia 18 de janeiro policiais civis da delegacia de município de batatais prenderam v.l.f.o de 45 anos no conjunto habitacional salim jorge mansur naquela cidade os policiais apuravam denúncias que apontava um apartamento como ponto de venda e distribuição de drogas em diligência os policiais civis constataram que havia o tráfico no lcoal e apreenderam 40 porções de ckrack além de caderneta de anotações contendo a contabilidade do tráfico a mulher admitiu a prática e denunciou seu cúmplice r.c.b a mulher foi encaminhada à cadeia pública de franca e segue à disposição da justiça américo brasiliense no dia 15 de janeiro policiais civis de américo brasiliense efetuaram a prisão de j.o.s de 22 anos pela prática de estupro de vulnerável após denúncia recebida pela delegacia de polícia do município policiais civis dirigiram-se à residência do indiciado localizada no jardim são josé ii ele foi encontrado no local porém negou a prática do crime levado à delegacia o homem foi reconhecido pela vítima e acabou autuado em flagrante encaminhado à cadeia pública de são carlos onde ficará à disposição da justiça no dia 17 de janeiro os policiais apreenderam o adolescente b.w.f de 17 anos ele estava com porções de crack e cocaína na residência do menor infrator os policiais civis encontraram também uma balança de precisão e material plástico para embalar drogas ele foi encaminhado ao nai de são carlos onde posteriormente seria apresentado ao juízo da infância e juventude franca após denúncias investigadas pela equipe da dise delegacia de investigações sobre entorpecentes de franca os policiais civis cumpriram mandado de busca domiciliar no dia 14 de janeiro e prenderam c.a.m de 43 anos por tráfico de drogas a prisão aconteceu na residência da mãe do acusado na vila santa luzia no local várias pedras de crack foram encontradas prontas para serem comercializadas no dia 15 de janeiro os policiais civis da dise de franca cumpriram novo mandado de busca desta feita no jardim são luiz e prenderam em flagrante o.g.c de 36 anos ele foi preso portando diversas porções de crack e cocaína além de r 387 em dinheiro o local era apontado como ponto de venda de drogas ibitinga policiais civis de ibitinga deram cumprimento de prisão preventiva e capturaram f.p.c de 36 anos o homem é acusado de praticar violência doméstica e desobediência os policiais civis da cidade fizeram diligências e conseguiram localizar o homem encaminhando-o à cadeia pública de são carlos onde segue à disposição da justiça 8º dp no dia 09 de janeiro policiais civis do 8º dp distrito policial de ribeirão preto com o objetivo de dar cumprimento ao mandado de prisão temporária expedido pela comarca local realizaram diligências até o estado de mato grosso do sul onde prenderam na cidade de diodápolis f.g.g.a empreiteiro de 37 anos acusado de ter praticado o homicídio contra anderson delfino de 27 anos o crime ocorreu no jardim santa helena em ribeirão preto no dia 16 de dezembro e f era procurado por ser suspeito de haver praticado o homicídio ele foi encaminhado à cadeia pública de santa rosa de viterbo e posteriormente ao cdp de serra azul dise policiais civis da dise delegacia de investigações sobre entorpecentes de ribeirão preto realizaram duas prisões distintas no dia 08 de janeiro no primeiro caso eles prenderam o motorista t.f de 30 anos na região central de ribeirão preto o homem é conhecido nos meios policiais e contra ele há um mandado de prisão por ser fugitivo da penitenciária de bauru no outro caso os agentes realizavam investigações e ao cumprir mandado de busca e apreensão prenderam em flagrante o eletricista j.r.p.l de 26 anos j foi autuado por porte ilegal de arma de fogo em sua residência a equipe da dise encontrou um revólver calibre 38 e doze munições itápolis policiais civis de itápolis prenderam no dia 14 de janeiro e.a.m de 30 anos com o homem foram encontradas 37 folhas de cheque um telefone celular e uma pequena porção de maconha as folhas de cheque eram fruto de um roubo praticado pelo homem ele foi preso em flagrante e encaminhado ao cdp centro de detenção provisória de araraquara no dia 17 de janeiro policiais civis de itápolis esclareceram três roubos praticados por uma quadrilha que atuava na cidade foram acusados c.v.s de 29 anos i.m.s de 25 anos e m.a.m de 40 anos além de um adolescente de 14 anos a quadrilha utilizava-se de arma de fogo agrediam suas vítimas e concentravam suas ações em estabelecimentos comerciais da região com os acusados foram encontradas diversas peças de roupas capacetes óculos de grife e pequena porção de crack policiais civis de américo brasiliense flagraram adolescente de 17 anos traficando dise de franca realizou apreensão de drogas na cidade fotos polícia civil a polícia civil de itápolis prendeu homem que havia furtado talões de cheque janeiro-fevereiro/2013 15

[close]

Comments

no comments yet