Figuras&Negócios - Edição Especial

 

Embed or link this publication

Popular Pages


p. 1



[close]

p. 2



[close]

p. 3

figuras&negócios nº 133 janeiro especial 2013 3

[close]

p. 4

edição de janeiro dedicamo-la essencialmente à província de luanda que comemorou no dia 25,437 anos mobilizamos as nossas forças para retratar luanda que acolhe a capital do país com o mesmo nome e por isso mesmo alvo das primeiras e principais atenções quer para os que cá vivem como de todos aqueles que vêm de fora afinal a principal porta de entrada e de saída legal para conhecer o país é luanda cuja capital se transforma a olhos vistos em alguns casos até descaracteriza-se porque o betão e o cimento tomaram a dianteira e parece que se vai esquecendo que o verde preserva o meio ambiente e cria o bem estar das cidades está ainda longe de atingir os patamares de cidade modelo que a carta do editor gostaríamos que um dia luanda fosse numa evolução que não pode somente ser medida nos arranha céus muitos que são erguidos mas fundamentalmente no estar e ser dos seus cidadãos onde aquí se reclama por razões óbvias um olhar cuidado e permanente na educação cívica dos cidadãos numa edição profusamente ilustrada procuramos mostrar o que vai sendo feito em prol da transformação da luanda velha e apresentamos declarações de pessoas que conhecem a província e que hoje têm responsabilidades na gestão governativa ouvimos cidadãos que opinaram sobre a forma como queriam ver amanha esta gigantesca cidade mas também emitimos bém a nossa opinião construtiva sobre esse processo de mudança de imagem que a capital de um país como angola com responsabilidades acrescidas no continente africano merece infelizmente nem sempre as portas rapidamente se abrem à comunicação social quando se pretende fazer uma análise mais detalhada sobre este ou aquele sector como era o nosso caso para luanda daí que o trabalho que vos apresentamos sem ser o melhor o mais perfeito foi o que conseguimos na senda de nesta altura em que se homenageia luanda por mais um aniversário reconhecer-se o trabalho de reconstrução que se faz mas não se esquecer de alertar que urge construir mentes arejadas e uma cidade saudável o que passa por respeitar zonas verdes locais propícios à pratica da cultura ao conhecimento e convivência com a natureza dá para perguntar nesta altura se é justo que luanda como cidade capital de angola não tenha sequer um parque para se conversar com a natureza um jardim zoológico por mais pequeno que seja 4 figuras&negócios nº 133 janeiro especial 2013

[close]

p. 5

figuras&negócios nº 133 janeiro especial 2013 5

[close]

p. 6

7 editoral luanda merece 8 destaque aguentar o desafio 17 em directo leitura do dia do fim 10 pÁgina aberta 19 ponto de ordem as makas da fiscalizaÇÃo duas casas para mais de dois milhÕes de habitantes 20 histÓria a histÓria de uma cidade sobrevivente com olhos postos no futuro 36 depoimentos um olhar misto sobre luanda 42 sociedade betÃo armado abafa os espaÇos culturais desperdicio que custa caro vaumara rebelo coroada miss angola2013 resenha fotografica luanda na visÃo do fotÓgrafo capa bruno senna 56 95 mundo real 108 vida social 112 figuras de lÁ 6 figuras&negócios nº 133 janeiro especial 2013

[close]

p. 7

78 transporte prepara-se a mudanÇa radical 98 turismo restauraÇÃo dormir e comer em luanda 120 recado social a farra dos milhÕes dos estÁdios do can continua publicação mensal de economia negócios e sociedade ano 13 n º 133 janeiro ­ 2013 n º de registo 13/b/97 director geral victor aleixo redacção carlos miranda sebastião félix venceslau mateus e suzana mendes fotografia nsimba george e adão tenda colaboradores juliana evangelista crisa santos rita simões joão barbosa portugal wallace nunes brasil design e paginação humberto zage e sebastião miguel publicidade paulo medina chefe secretariado e assinaturas katila garcia revisão baptista neto distribuição e assinaturas portugal logista portugal distribuição de publicações s a Área industrial do passil lote 1 a palhavã 2894-002 alcochete londres diogo júnior e16-1ld tel 00447944096312 tlm 07752619551 email todiogojr@hotmail.com brasil wallace nunes móvel 55 11 9522-1373 e-mail nunewallace@gmail.com produção gráfica cor acabada lda tiragem 10.000 exemplares direcção e redacção edifício mutamba-luanda 2º andar porta s tel 222 397 185 222 335 866 fax 222 393 020 caixa postal 6375 e-mails figurasnegocios@hotmail.com artimagem@snet.co.ao site www figurasenegocios.com figuras&negócios nº 133 janeiro especial 2013 7

[close]

p. 8

8 figuras&negócios nº 133 janeiro especial 2013

[close]

p. 9

editorial n o mês de janeiro,dia 25,altura em que luanda comemora os seus 437 anos parece não ser muito importante fazer uma retrospectiva sobre o trabalho desenvolvido por todos aqueles que a governaram,e estamos a referir-nos apenas desde a proclamação da independência de angola,em 1975 mas fundamentalmente ao trabalho que é preciso fazer para se poder ter a capital do país que os angolanos sonham boa para se viver,com um trânsito que não seja um autêntico quebra cabeças e os níveis de vida sejam de forma geral aceitáveis para todos os habitantes independentemente do seu nível ou possibilidades luanda é verdade transforma-se de dia para noite quer na mentalidade do betão olhando-se para o conjunto de prédios e obras na horizontal que são erguidas mas quer nas suas gentes que a faz tornar numa cidade multicolor em todos os sentidos de raça credo religião e hábitos culturais mas mais importante que tudo e isso luanda deixa transparecer facilmente é que essa mudança tem de ser primeiro e acima de tudo interna na transformação do betão é importante que ao se levantarem torres ou conjunto de casas na horizontal se respeite o meio ambiente se criem condições infra-estruturais excelentes para que os projectos repousem em estacas fortes e fixas nas suas gentes que têm de ser educadas e sensibilizadas para saberem viver numa cidade moderna onde é importante cultivar uma permanente educação cívica para que o civismo o respeito para com o próximo e o bem público nunca sejam ignorados não se conhecendo ao pormenor de luanda merece forma pública os planos de desenvolvimento de luanda para os próximos anos é justo reclamar dos poderes constituídos uma interacção maior com cidadãos criando-se assim uma relação harmónica onde através das ideias de todos se conseguem sempre resultados mais salutares para o melhoramento desta que é a capital do nosso país temos uma grande responsabilidade para com o futuro e ela cinge-se fundamentalmente em trabalharmos para deixarmos amanhã uma terra melhor para os que mais novos e isso não pode ser visto apenas no conjunto de prédios que são erguidos acima de tudo na mentalidade das pessoas que aquí habitam urge criar o clima para serem sempre actores activos partícipes directos nesse esforço de mudança que se verifica se se olha para o espaço em branco na mira de se erguer mais uma torre de cimento urge não ignorar a importância das zonas verdes os jardins que hoje já começam a escassear para a harmonização do ambiente a questão da reciclagem do lixo e acima de tudo de se cuidar da formação das nossas crianças hoje carentes por razões que não se justificam de um parque um jardim zoológico onde desde pequenos podem e devem ter essa relação de proximidade com a natureza por isso se todos nós gostamos de luanda que muitos consideram como a parte do país onde o parto dói mais numa clara alusão à turbulência política que muitas vezes a governação aquí é submetida é fundamental que não existam apenas gestores de crises que os dirigentes que governam luanda saibam sempre fazer alianças para a criação do bloco de parteiros para a realização de acções de excelência 9 figuras&negócios nº 133 janeiro especial 2013

[close]

p. 10

destaque ento bento é o actual governador provincial de luanda nomeado pelo presidente da república em 14 de novembro de 2011 ele tornou-se no 18º dirigente do mpla a governar luanda nesses pouco mais de 37 anos de independência o que dá uma média de dois anos para cada um ao contrário de todos os outros bento bento não vinha de nenhuma experiência governativa sendo sempre um destacado dirigente do mpla quando foi chamado a dirigir luanda ele acumulava o que acontece até agora com as funções de primeiro secretário provincial do partido dos camaradas em luanda natural da camabatela província do kuanza norte bento bento faz parte do grupo de jovens que fizeram carreira no mpla começando nas fileiras da organização de pioneiros do seu partido não se lhe conhecendo experiência comprovada nas questões 10 b desafio governativas bento bento é no entanto um dos mais destacados cabos eleitorais do seu partido com um discurso mobilizador porque dono de bento bento anunciou que em 2013 o seu governo vai inaugurar no prÓximo trimestre 21 estabelecimentos de ensino trÊs 03 unidades hospitalares 1 depÓsito de medicamentos 9 postos policiais e mais de 40 novos mercados populares e de peixe solicitando por isso a participaÇÃo da sociedade civil na sensibilizaÇÃo e mobilizaÇÃo dos vendedores no sentido de que a sua transferÊncia seja feita a contento uma oratória de fácil percepção em jornadas de massas mas o embate de governar luanda não o atormentou nem o fez mudar de postura continuando a adoptar o seu estilo de governação que privilegia o contacto com os habitantes dos diferentes municípios de luanda cauteloso evita fazer promessas distantes ataca frontalmente os problemas pontuais e arranja receitas para os debelar mas ele sabe que luanda é muito mais complexa exige programas de desenvolvimento a longo prazo e uma equipa à altura dessas responsabilidades no seu segundo ano de mandato bento bento em mensagem de final de ano definiu algumas prioridades para a sua governação dizendo-se conhecedor da amplitude dos problemas da província ele avançou com uma nova proposta de programa de desenvolvimento municipal da província cujo fundamento consiste no reforço das capacidades de intervenção das administrações municipais e da sua interacção permanente com o governo da província de luanda esta filosofia exige dos responsáveis das administrações municipais uma verda aguentar o bento,bento,governador provincial de luanda figuras&negócios nº 133 janeiro especial 2013

[close]

p. 11

destaque deira revolução no seu relacionamento com a comunidade e sobretudo a responsabilização solidária dos órgãos intermédios com a administração refiro-me aos conselhos de concertação social e outros fóruns de diálogo disse para bento bento os problemas que luanda enfrenta merecem uma redobrada atenção os desafios vindouros estão bem patentes nas dificuldades e problemas que a população de luanda ainda enfrenta na actualidade e merecem uma redobrada atenção nomeadamente levar o saneamento básico através da requalificação das zonas degradadas das cidades prover os serviços de água e energia e toda a rede de equipamento sociais às periferias e municípios que enfrentam os desafios do crescimento urbano e assegurar que as empresas locais tenham condições de competitividade suficientes geradoras de renda e novos postos de trabalho disse bento bento augurou que o ano de 2013 traga melhorias significativas na vida dos munícipes da capital para 2013 os luandenses poderão também esperar melhorias na iluminação pública sobretudo nas vias estruturantes onde circulam mais automóveis e infelizmente continuamos a assistir a um elevado nível de sinistralidade vamos continuar a criar mais vedações e obrigar que os munícipes passem pelas pontes aéreas e também iremos erguer mais pontes aéreas e trabalhar em mais acções de prevenção anunciou em 2013 continuaremos a melhorar a gestão da limpeza e recolha dos resíduos sólidos dando assim continuidade à evolução do desempenho já verificado durante o ano de 2012 na senda das melhorias iremos também melhorar o estado de salubridade dos nossos municípios e bairros e gerar algum rendimento monetário para as populações carenciadas realçou o governador no seu discurso bento bento olhou para trás,e reconheceu alguns êxitos na sua governação como programa luanda limpa que permite que as populações mais carenciadas obtenham alguns redimentos na luta contra fome e a pobreza ele anunciou que em 2013 o seu governo vai inaugurar no próximo trimestre 21 estabelecimentos de ensino três 03 unidades hospitalares 1 depósito de medicamentos 9 postos policiais e mais de 40 novos mercados populares e de peixe solicitando por isso a participação da sociedade civil na sensibilização e mobilização dos vendedores no sentido de que a sua transferência seja feita a contento ele apresentou ainda como ganhos da sua gestão a oferta de equipamentos comunitários cemitérios novos por inaugurar morgues mercados municipais mercados do peixe cozinhas comunitárias e lavabos públicos 11 figuras&negócios nº 133 janeiro especial 2013

[close]

p. 12

pÁgina aberta duas casas par dois milhÕes de h projecto de reconversão urbana do cazenga e do sambizanga 12 figuras&negócios nº 133 janeiro especial 2013

[close]

p. 13

pÁgina aberta o arquiteto bento soito é o rosto mais visível daquele que já começa a ser considerado como um dos projectos habitacionais mais emblemáticos da província de luanda um dos muitos e bons desafios do executivo angolano para o qual dispôs uma pesada máquina administrativa técnica material e financeira que só parará de funcionar quando o sonho de mais de dois milhões de cidadãos carregarem consigo os seus haveres e finalmente passarem a viver com mais dignidade deixando para trás as chamadas bolsas da miséria da província de luanda bento soito não arrisca falar em cifrões mas já se sabe que o projecto de reconversão urbana do município do cazenga e do distrito do sambizanga vai digerir umas boas centenas de milhões de dólares do cofre do estado por carlos miranda texto fotos de nsimba george e gtrucs a ra mais de e habitantes aposta foi lançada a sua implementação no terreno já é perceptível e tudo leva a indicar que veremos sim a desaparecer do mapa uma boa parte das referidas zonas da periferia da cidade mais pobre para que as máquinas milhares de homens e as empresas públicas e privadas pudessem meter a mão na massa no verdadeiro sentido do termofoi criado por um decreto presidencial datado do mês de novembro de 2010 o gabinete técnico de reconversão urbana do cazenga e do sambizanga gtrucs cujo director geral é bento soito que antes já desempenhara o cargo de vice-governador para a área técnica do governo provincial de luanda o arquiteto não se assustou por ter sido nomeado pelo presidente da república para juntamente com a sua equipa passar a executar coordenar acompanhar controlar e fiscalizar o processo de implementação dos projecto pelo contrário sente-se honrado pelo facto de o pr ter depositado em si tamanha confiança para levar adiante tais desígnios pois segundo ele desde o início entendeu as suas linhas orientadoras tendo-se então esboçado todo este nobre projecto que demonstra a sua enorme vontade política de resolver os problemas básicos da popu13 figuras&negócios nº 133 janeiro especial 2013

[close]

p. 14

pÁgina aberta lação e sobretudo conferir maior qualidade de vida à população e à cidade de luanda por forma a que esta se transforme numa capital no nível das grandes capitais do mundo o nosso interlocutor conta que o projecto nasceu exactamente quando o chefe de estado começou a delinear as primeiras intenções para requalificar e reconverter estas zonas periféricas do centro urbano de luanda que estão ainda completamente degradadas como líder da nação penso que em boa hora acendeu-se-lhe a luz que o levou então a promover a execução desse projecto primeiro no sambizanga ainda com o arquiteto andré mingas e com a akua-sambila e depois estendeu-se para o cazenga nós após iniciarmos o exercício na direcção desse projecto acabamos por propor a inclusão do município do rangel de acordo com bento soito em termos de obras o projecto foi lançado a 8 de novembro de 2010 antes mesmo de ser criado o gtrucs senti-me muito feliz pelo facto de termos iniciado um projecto de capital importância para a vida da população das referidas localidades mas também da própria província de luanda e do país em geral porque qualquer acção que vise conferir dignidade e qualidade de vida naturalmente deve ser motivo de satisfação e orgulho acentuou 14 desde o seu lançamento que começou com a selecção das áreas que tinham terrenos livres já foram feitos trabalhos de infraestruturas e inclusive já se vêem erguidos alguns edifícios em ambas as localidades quanto a movimen nÃo queremos cid ades s at É lites que se encontrem isoladas deste territÓrio luanda para garantir que se prossiga o funcionamento lÓgico das coisas de maneira a que se descongestione o centro da cidade se descentralize uma sÉrie de serviÇos e se provoque uma melhoria na mobilidade da populaÇÃo tação de famílias de um local para o outro bento soito revela que o projecto prevê que o realojamento seja feito in situ a população não deverá deslocar-se da sua zona de origem para outras áreas ela deverá permanecer no seu município sendo certo que haverão situações excepcionais por exemplo caso não haja disponibilidade momentânea para essa transferência naturalmente que essa população ao invés de permanecer nessa altura no muncípio deverá ser transferida primeiro para um outro local pode-se dar por exemplo o caso da abertura de uma via face a isso terá mesmo que ser transferida enquanto essa via não estiver concluída de todo modo há garantias de que tudo está a decorrer tal como o previsto no projecto e está-se a trabalhar muito arduamente para que se atinjam os objectivos preconizados a população pode sim ficar descansada salienta o nosso interlocutor para já revela que a conclusão da primeira fase do projecto de reconversão urbana do cazenga e do sambizanga que já compreende a construção dos edifícios está prevista para o final do primeiro trimestre de 2014 bento soito considera que existem alguns constrangimentos para que as primeiras habitações não sejam edificadas já no final do ano em curso por exemplo no caso da primeira fase do cazenga nós já temos cerca de 50 da área praticamente infraestruturada temos oito edifícios de habitação social levantados estão a iniciar-se os trabalhos dos equipamentos sociais escolas creches centros de saúde etc mas temos parte do terreno ainda ocupado pelo centro emis figuras&negócios nº 133 janeiro especial 2013

[close]

p. 15

pÁgina aberta sor da rádio nacional que transmite para todo o território nacional e que não pode ser simplesmente desmontado num sítio e montado num outro portanto tem de se construir um e anular outro esse processo de desactivação do referido centro da rna provocou um relativo atraso no projecto do cazenga mas esperamos que se resolva este problema para pudermos completar essa primeira fase É um dos problemas que nós enfrentamos durante o projecto certamente encontraremos outras barreiras mas iremos arranjar formas para ultrapassá-las disse afinal ainda há um longo caminho a percorrer para que efectivamente os chamados musseques do cazenga e do sambizanga desapareçam definitivamente do mapa isto só daqui a dez ou quinze anos a revelação é do director do gtrucs e explica porquê em termos de perspectiva geral é o tempo que prevemos porque nós estamos a falar de uma obra inserida numa área de cinquenta e quatro quilómetros quadrados postos aqui uma pergunta se impõe no quadro de um horizonte de cinco/seis anos altura em que o projecto estará numa fase mais adiantada pois é já lá estarão a habitar cerca de um milhão e oitocentas pessoas numa área reconvertida concluido o projecto global ir-se-á contabilizar dois milhões e quatrocentos indiví duos neste momento no município do cazenga já se podem ver as obras de infraestrutura viária de esgoto saneamento abastecimento de água rede eléctrica passeios etc e edifícios de quatro andares levantados no caso do sambizanga toda a área está praticamente infraestruturada prevendo-se já para este ano a construção dos edifícios estamos a falar de dois mil fo gos iniciaram-se igualmente a construção dos equipamentos sociais isto é exactamente aquilo que as pessoas já podem ver nestes projectos quer no cazenga como no sambizanga disse entretanto o arquiteto adianta que tão logo foi assumida a direcção do gtrucs decidiu-se elaborar o plano director do cazenga e do sambizanga peça fundamental para que se concretize um pro15 figuras&negócios nº 133 janeiro especial 2013

[close]

Comments

no comments yet