JORNAL O MARISCO 07

 

Embed or link this publication

Description

Cultura Praieira é Sucesso na Uergs / Desafinada / Ecologia Alerta / O Marisco e os Processos / Sumiu a Escolinha de Música da banda / O Mico do Camarão / Associação Amigos do Pinhal / E o Vestibular da Nossa Uergs? / A Comunidade do Litoral quer mais Uer

Popular Pages


p. 1

nº 07 músicos da praia e alunos da uergs resgatam a cultura popular do litoral michael martielli e jociel mileni lutiano e mestre julinho o resgate cultural do auto folclórico do boizinho ou boi-de-fogo realizado pelos músicos da associação de cultura em conjunto com os alunos da uergs fizeram um grande sucesso no i seminário regional de educação e desenvolvimento sustentável do litoral na uergs o espetáculo da cultura do litoral foi apresentado para todos os participantes do seminário e também para os alunos das séries iniciais da escola herlita teixeira a lenda do boizinho ou boi-de-fogo recolhida do folclore popular é comum em todo o país ganhando singularidades em cada região aqui no litoral ninguém mais dançava o boizinho até ser resgatado pela assoc de cultura e encenado pelos alunos da uergs participaram do auto os acadêmicos luiz fernando como seu chico marzana como dona catirina angelina como o doutor e silvana como o boizinho o evento veio consolidar o trabalho de valorização da cultura popular do litoral que vem sendo desenvolvido pela nossa universidade e ratificar a importância da uergs para a evolução do pensamento cultural de toda a comunidade cidreirense badá do túnel o público aplaudiu de pé a apresentação feita pelos músicos da praia e pelos alunos da uergs além da apresentação do auto folclórico do boizinho o grupo de cultura popular kikumbí apresentou as músicas praieiras premiadas nos festivais a banda municipal está vivendo dias de pesadelo a coordenadora alice fraga de lima ao apresentar para a prefeita o problema do sucateamento dos instrumentos da banda perdeu o cargo de forma absurda e injusta no outro dia durante apresentação por não estarem com os uniformes preferidos da prefeita um músico foi intempestivamente colocado prá rua na frente dos colegas de forma estúpida e antiética este músico era um dos instrutores peça fundamental da banda o poder pode até tirar todos os componentes da banda mas a desafinada é uma só o sol e o calor do final de semana contribuíram para que motoclubes de todo o estado viessem para nossa praia o i motopraia aconteceu na concha acústica com shows musicais e artequilíbrio máquinas especiais e motociclistas incrementados desfilaram pelas nossas ruas em um evento promovido jÁ se passaram 1.265 dias sem conselho de cultura o mico do camarÃo pág 04 sumiu o projeto musicanto e escolinha da banda pág.04 capela da fortaleza está em festa pág.07 Última página

[close]

p. 2

pág.2 verão de 2003 opiniÃo o marisco nosso povo praieiro possui características tão singulares que as suas diferenças comparando-o aos demais aparecem como o abismos aberto na planura a história nos legou o pioneirismo da ocupação das terras do sul ao mesmo tempo nos negou o registro o estado vive sob a égide do centauro enquanto nós praieiros sobrevivemos na subjetiva condição de cavalosmarinhos introjetados em nós mesmos durante a maior parte do tempo grávidos de nossos filhos para só no calor explodir em milhões de pequenos seres que servirão de alimento para espécimes mais desenvoltos nossa geografia de ventos intermitentes apagou da areia as páginas da história que guardava as pegadas dos tropeiros do litoral e a construção social das paragens currais entradas significativas na evolução para o modelo das estâncias e fazendas condição econômica de domínio territorial e de desnivelação social o caminho da praia foi abandonado assim como o foi toda a história que passeou pela praia antes mesmo de iniciarmos o capítulo seguinte já havíamos desaparecido atrás da mobilidade dos cômoros e dos chavões de terra estéril e de pouca produtividade deserto inefável os pescadores da praia os coletores de moluscos ou simplesmente marisqueiros verificação humana que existe desde a pré-história parece que nunca existiram as barras oscilantes que acolhiam e expurgavam a vida não criaram nautas intrépidos pescadores valentes que enfrentavam as ondas furiosas na busca do peixe nosso de cada dia as mulheres dos homens do mar desmemoriadas não imitaram os pré-históricos mariscando na beira da praia mas no entanto mesmo negada a existência de seres inteligentes neste lugar abandonado de deus mesmo assim nas margens das barras formaram-se povoados de poucos fogos e os filhotes dos pescadores sobreviveram debaixo de seus chapéus de palha e ainda hoje seguem cantando histórias de tempos antanhos acontece um imenso vazio temporal e o espaço das areias malditas é pouco a pouco invadido pelos sentidos acalorados que instintivamente como os ancestrais marcham para a orla mas que alguém sabe é fresca qual não é a surpresa quando encontram pequenos povoados de gente humilde são pescadores são marisqueiras e aquela gente negra quem seria são crias das expediente associação de cultura do litoral associação casa de cultura do litoral cnpj o3.671.776/0001-02 este informativo é um equipamento de comunicação comunitária da acl e accl rua cauby da silveira n° 286 cidreira rs cep 95.595-000 fone 51681-3456 98226998 e-mail omarisco@terra.com.br nÃo editamos matÉrias pagas coordenação geral ivan therra direção liziane barbosa senzalas fugidas e paridas na beira da praia que gente estranha comendo molusco com farinha que povo esquecido lançando tarrafas no caminho dos botos que pobreza nos ranchos de palha que nobreza enfrentando o mar que grandeza comandando os ventos que maleza morrer de calor disto foram-se criando pequenos aglomerados de habitações de passagem de paragem de estalagem como era antes quando ergueram-se os sambaquis o espaço das areias virou o paraíso lugar de saúde lugar de descanso lugar de alegrias lugar de famílias acorreram as areias gentes de todos os cantos para construir o seu paraíso particular e iniciou-se um dos maiores movimentos migratórios de estação que existe no país juntaram-se aos que aqui estavam os pedreiros os marceneiros os oleiros e um sem número de obreiros que sonhavam construir também o seu paraíso um de cada região um de cada ponta convergindo ao meio natural cada qual trouxe um canto um pranto um sorriso uma dança e formou-se um imenso baile de babel o veraneio passou a existir real como o vento passageiro como a forma das dunas fugaz como o peixe eterno como o inverno hoje as vítimas do esquecimento histórico lutam com tentáculos de polvos tentando alcançar cada qual com o seu braço o referencial a bússola perdida o norte magnético para justificar o seu sul estético o praieiro aprende com o mar que quanto maior a onda mais forte o repuxo e quanto mais forte o repuxo maior o choque com a próxima onda que fatalmente virá nesse mar de ondas incessantes tenta lançar âncoras as vezes na história imigrante as vezes na ocupação branca as vezes no centauro dos pampas mas sempre a exemplo da história negando o espaço das areias a beleza é conceitual e o valor é individual sobrepujando o sofrimento coletivo o pensamento individual quer existir indiferente ao consciente coletivo tornando-se inconscientemente coletivo a construção do imaginário é estranha visto que são estranhos os avistadores da construção enquanto o mar insiste em açoitar a areia os perambulantes sem cais continuam a negar ao espaço natural o direito de dizer dos signos escancarados pela própria força da sua existência a vida passeia escondida submersa na referência estética na simbologia maior só superada as vezes pela esperteza de quem com a rede puxa a vida agora alimento para ser novamente vida a identificação poderá acontecer pela consciência coletiva quando então os signos se mostrarão pelos conceitos estéticos comuns já existentes já não mais poder econômico já não mais imposições preconceituosas mas simples consciência da necessidade da construção de uma sobrequilha para reforçar o cavername da imensa embarcação que leva os comuns para as viagens do existir coexistir sentir e evoluir comunitariamente na nau dos iguais dos ideais e dos sonhos comuns este informativo É produzido editado e diagramado em cidreira sempre com objetivos magnânimos como por exemplo o de qualificar os educadores é que aparecem os incríveis cursos palestras fóruns e outros do tipo sem discutir sem abrir debates apenas despejando verdades incorrigíveis fatos isentos de interpretação e dogmas históricos onde só o palestrante é o dono e senhor da verdade independente do poder de discernimento dos educadores o poder da informação é detida por um só cérebro que numa explosão de bondade resolve por bem passar aos pobres educadores seus bondes de conhecimento a justificativa sempre é a formação de agentes multiplicadores de uma mesma idéia onde o educador deve assimilar a informação e passá-la aos educandos sem críticas sem discussões sem atrapalhar o bom andamento da palestra os mandantes resolveram que é bom então é bom e pronto por força do poder econômico através da preservação dos empregos muitas das vezes nossos educadores são obrigados a assistir palestras sem qualquer fundamento ou repleta de conceitos ultrapassados e anacrônicos o discurso se repete envolto em fitas douradas está a interpretação unilateral do fato histórico o palestrante parece esquecer de interagir com a platéia por força do hábito pois não está acostumado a discutir pontos de vista diferenciados quando as verdades são despejadas boca a fora sem qualquer possibilidade de discussão cuidado você pode estar sendo vítima do antigo mas ainda muito usado sistema de educação goela abaixo!

[close]

p. 3

o marisco tarrafadas pág.3 verão de 2003 a festa do camarão superou as expectativas contou com uma estrutura excelente e teve um bom acesso do público tá na rede i seminário regional da uergs obteve êxito total de organização proposta e público tá na rede o boizinho ou boi-de-fogo é o auto folclórico resgatado da cultura popular litorânea e encenado pelos músicos da praia e alunos da uergs que fez o maior sucesso no i seminário regional da universidade tá na rede na fortaleza a comunidade rural de cidreira se divertiu à valer no arraial do bruno na festa junina estiveram além da comunidade rural convidados os músicos da associação de cultura e os alunos da uergs encenando o auto folclórico do boi-de-fogo tá na rede a secretária salete está articulando a criação do conselho municipal de cultura e casa de cultura reivindicações da nossa associação tá na rede o vereador ogandopp do balneário pinhal apresentou moção de apoio a bruno bottega gomes classificado no grêmio solicitando uma verba para transporte e estadia do atleta nos dias de treino tá na rede festa do senhor bom jesus da capela na fortaleza com o terno junino dos irmãos andrade imperdível tá na rede daniel maíba instrutor da escola do túnel verde levará uma coreografia criada para a música oração das sete ondas ivantherra jociel lima emanuel santos para o festival de danças de osório tá na rede caio rodrigues é o novo diretor municipal de cultura tá na rede ministério da cultura apóia projeto cultural em cidreira tá na rede maestro igídio da silveira da nossa banda municipal foi operado e passa bem nossos tambores estão vibrando e emanando energias positivas para o pronto regresso do nosso maestro ao meio cultural de nossa comunidade tá na rede a profª mariza estará levando a invernada artística da escola raul pilla para representar cidreira no festival de danças de osório a música coreografada é o filho de boto ivan therra marcelo maresia tá na rede janice gil teixeira filha do nosso tio pedro vai representar o brasil nos jogos panamericanos na modalidade tiro-ao-prato tá na rede alunos da turma 105 da escola raul pilla apresentam o auto-folclórico do boizinho para a comunidade escolar divulgando o trabalho de resgate realizado pela associação de cultura e uergs valorizando a cultura da praia tá na rede a banda marcial da escola herlita está de vento em popa tá na rede o ctg piazito concluiu a obra da cozinha e da churrasqueira a inauguração foi com um jantar muito concorrido tá na rede a biblioteca pública estará com o sistema de cadastro pronto e liberando a retirada de livros para leitura em casa até o dia 30 de julho promessa da secretária de educação tá na rede o grêmio estudantil da escola raul pilla apresenta projeto ecológico de coleta seletiva e reciclagem de lixo para o segundo semestre tá na rede festa amigos amigos vai ser no dia 01 de agosto no salão paroquial várias bandas da comunidade e mais convidados especiais estarão fazendo os shows e animando a galera tá na rede cd da música da praia continuam as gravações no estúdio tá na rede i motopraia trouxe para a nossa praia motociclistas de todo o estado movimentou a cidade e foi um sucesso total tá na rede a segurança da festa do camarão vinda de fora comprometeu a festa agredindo a comunidade mostrando total despreparo na sua função de tratar com o público enquanto as empresas aqui da praia foram esquecidas rasgou a rede o fiasco da prefeita i foi promover um discurso vazio e descabido contra o show da música da praia rasgou as rede o fiasco da prefeita ii foi acusar absurdamente os músicos profissionais por cobrarem pelo show da música da praia rasgou a rede o fiasco da prefeita iii foi afirmar que a prefeitura estaria pagando o espetáculo da música da praia conforme contrato quem pagou o show foi a atreb feiras e eventos e não a prefeitura rasgou a rede tá difícil conseguir uma reunião com o novo diretor municipal de cultura faz mais de quinze dias que a associação de cultura solicitou a reunião e até fecharmos esta edição não obtivemos resposta alguma rasgou a rede o povo já está repagando a iluminação pública mas ainda assim as ruas continuam escuras rasgou a rede a pedalada o roubo o furto estão em ascenção e a comunidade está apavorada com a facilidade para cometer delitos rasgou a rede te vira nos 30 minutos tempo médio de atendimento da bm rasgou a rede a coordenadora da banda alice fraga de lima por relatar a realidade do sucateamento do instrumental da banda e perdeu o cargo rasgou a rede o instrutor da banda michael dantas por não estar usando o uniforme preferido da prefeita foi absurdamente colocado na rua rasgou a rede a banda municipal está sem coordenador sem instrutor sem escolinha e com os instrumentos sucateados rasgou a rede as praças de cidreira parecem terrenos baldios rasgou a rede o i moto praia publicou seus panfletos colocando o depreciativo bandas locais isso não divulga o nome da banda desvaloriza o artista e depõe contra a organização do evento rasgou a rede finalmente o executivo municipal descobriu que sem conselho de cultura não há liberação de verbas do ministério da cultura rasgou a rede conselho municipal de cultura para cria-lo basta a vontade do executivo municipal cidreira ainda não tem o seu rasgou a rede!

[close]

p. 4

pág.4 verão de 2003 cidadania o marisco animais encalhados saiba como lidar e quem avisar É muito comum para nós que vivemos na praia a avistagem de animais marinhos encalhados ou em situação difícil principalmente nestes meses de inverno em muitas das vezes os animais podem estar apenas descansando pois somos rota de migração na tentativa de ajudar devolvemos ao mar animais cansados e sem condições de prosseguir a sua jornada condenando-os a morte para sabermos a melhor maneira de lidar com as diferentes espécimes que vem dar à nossa costa quando da avistagem com qualquer tipo de animal devemos contatar o ceclimar centro de estudos costeiros limnológicos e marinhos da ufrgs o ceclimar fica ali no imbé e pode ser contatado pelo fone 51 627-1309 qualquer informação sobre encalhe de baleias botos golfinhos e tartarugas marinhas na praia ou avistagens destes animais vivos no mar por favor entrar em contato com os integrantes do gemars através dos fones escritório gemars 51 3335-2886 ignácio moreno 51 9823-9458 daniel danilewicz 51 9674-6474 3346-1267 paulo ott 51 9973-1795 3328-5616 larissa oliveira 51 9681-3874 3284-1187 márcio martins 51 9901-7127 3320-2055 o marisco e os processos na reunião monólogo entre o executivo e a banda municipal foi imputada ao marisco e a sua equipe de redação a autoria de dois processos contra a prefeitura municipal cabe ao marisco esclarecer à todos os componentes da banda bem como à toda a comunidade que diferente do que foi relatado pelo executivo este informativo e sua redação nunca moveram qualquer processo contra a prefeitura tratando-se pois de uma deslavada falácia o que foi relatado se com esta artimanha está o executivo tentando responsabilizar o nosso informativo e sua equipe pelos atropelos e esvaziamento que vem sofrendo a banda isto é no mínimo ingenuidade da parte do executivo pois os componentes da banda são pessoas talentosas e com poder de discernimento para perceber que este informativo e sua equipe não tem como ser responsabilizado pelas dificuldades geridas pelo próprio executivo não foi o marisco que deixou de executar a restauração do instrumental da banda não foi o marisco que colocou a banda à tocar em inauguração de guarita não foi o marisco que fez com que os músicos da banda se vissem obrigados a vender rifa para confeccionar um novo uniforme não foi o marisco que aceitou a inclusão na folha de pagamento da banda de pessoas que não tocam nada não foi o marisco que convidou os adolescentes componentes da banda à faltarem as aulas para trabalhar ilegalmente na prefeitura não foi o marisco que acabou com as viagens da banda não foi o marisco que colocou a banda à tocar no lado de fora do restaurante enquanto os fanfarrões comiam à la farta não foi o marisco que acabou com a escolinha de música da banda enfim não foi o marisco que processou a prefeitura quem administra a banda municipal é o executivo e à ele devem ser imputadas todas as glórias e as desonras certa vez meu velho pai convidou-me para passear pelas ruas de cidreira era tardinha o sol se punha dando um espetáculo de rara beleza caminhando próximo aos cômoros lado a lado em silencioso ritual fomos andando e apreciando a natureza ao redor até que em determinado momento olhando longe e levando o dedo ao ouvido meu pai falou filho estás escutando respondi são os pássaros estou escutando sim são lindos não me disse ele escuta bem afinei o ouvido me detive um pouco e respondi É uma carroça que deve estar passando lá por trás dos pinus uma carroça vazia disse o meu pai ué como sabes que está vazia perguntei tomado de surpresa ele com toda a calma do mundo me respondeu porque se vem fazendo muito barulho é porque não tem nada dentro hoje passados alguns anos ainda não esqueci deste causo e sempre que chega alguma pessoa fazendo muito alarde gritando muito querendo chamar para si todas as atenções querendo falar sozinha todas as palavras querendo ser a dona da verdade sem querer ouvir ninguém intimidando as pessoas com berros com gestos espalhafatosos e frases de efeito lembro-me sempre do meu velho pai dizendo se está fazendo muito barulho é porque não tem nada dentro por e-mail martielli weiss a escolinha de música da banda misteriosamente silenciosamente sumiu a escolinha de música parte importante da banda pois é da escolinha que surgem os novos músicos que perpetuam o projeto cultural banda municipal sumiu sem avisar nada para ninguém o projeto foi extinto restaram apenas alguns poucos alunos sendo ensinados pelos músicos da banda o projeto musicanto anunciado pelo executivo no espaço centro solidário acabou a comunidade não ficou sabendo de nada as aulas não existem mais os alunos foram dispensados as crianças que foram procurar o projeto musicanto anunciado pelo executivo voltavam com a resposta de que não haviam mais vagas ninguém dizia que o projeto musicanto não existia mais o que será que aconteceu com o projeto musicanto além de não termos variedade de opções para que as crianças de cidreira não fiquem pelas ruas as poucas que existem são simplesmente extintas sem comunicação sem aviso sem responsabilidade para com os adolescentes que tem o direito de estar no projeto comunitário um espaço importante para a juventude de nossa comunidade pois podiam aprender música no turno inverso ao da escola um dos poucos projetos culturais do executivo que funcionava até isto acabou!

[close]

p. 5

o marisco associaÇÕes comunitÁrias pág.5 verão de 2003 uem pagou o maior mico na festa do camarão foi a nossa excelentíssima prefeita quando de microfone em punho incitava os visitantes da festa do camarão que estavam na praça de alimentação para que não assistissem ao espetáculo da música da praia que naquele momento estava acontecendo na concha além de não ser atitude digna de uma prefeita estar lançando impropérios e pagando mico em público se os artistas e a cultura da praia incomodam tanto bastava proibir que o espetáculo fosse contratado como aconteceu no verão durante a gestão do secretário adriano lima mas foi contratado o espetáculo que aliás foi excelente segundo o público que não deu a mínima para os chiliques na praça de alimentação e foi prestigiar os artistas de cidreira no show da música da praia porém o que mais impressionou aos visitantes e a comunidade foi a atitude descabida da prefeita que ocupou o seu tempo para esbravejar contra um show que fazia parte da programação da festa que ela mesma organizou e o que mais impressionou aos artistas que estavam trabalhando pois são profissionais da música foi o fato de a prefeita ter acusado os músicos por terem cobrado para fazer o show dizendo que a prefeitura teve que pagar r 1.500,00 pelo espetáculo a acusação é descabida pois é evidente que o show da música da praia tem custo assim como qualquer outro espetáculo executado por profissionais porém a nossa prefeita em ato falho faltou com a verdade ao falar para o público presente na festa dizendo que a prefeitura estava pagando o show pois não foi a prefeitura que pagou o espetáculo o show foi contratado e pago pela atreb feiras e eventos conforme contrato esta empresa ficou responsável pela contratação e pagamento de todos os espetáculos da concha o resultado final do mico foi a vaia do povo que estava na praça que não deu a mínima para aquela pantomima e foi ver o espetáculo além de tudo ainda estão desmentidas as afirmações de que a prefeitura estaria pagando e se estivesse não faria mais do que a sua obrigação pois é para isso que existe a prefeitura para fomentar a cultura e valorizar os artistas e a comunidade tudo isto poderia ser evitado se a nossa prefeita antes de se expor fosse ao dicionário saber o que significa a palavra Ética associaÇÃo amigos do pinhal a comunidade do balneário pinhal pela sua associação esteve participando do encontro promovido em poa quando da passagem do dia internacional contra o tráfico ilícito de drogas e 10ª semana gaúcha contra o uso indevido de drogas o encontro se deu na esquina democrática e a associação esteve distribuindo a 10ª edição da cartilha de orientação escolar contra o uso indevido de drogas e esteve presente na entrega ao governo do estado do abaixoassinado para a inclusão no currículo escolar da obrigatoriedade do ensino de drogas entorpecentes psicotrópicas e sobre aids contratante atreb feiras e eventos endereço av azenha 1591/304 poa-rs representante mauro reginato cnpj 01.214.156/0001-84 aluguel venda compra construção

[close]

p. 6

pág.6 verão de 2003 arte o marisco estamos no mês de julho a estas horas deveríamos estar recebendo em nossa praia um número bastante expressivo de candidatos às vagas oferecidas pela nossa universidade porém com a mudança de governo fomos penalizados com o adiamento do vestibular da nossa unidade unido ao fato de não termos o vestibular de inverno também não fomos contemplados com a programada instituição de mais um curso em nossa universidade o que significa que menos 80 vagas serão oferecidas aos alunos de nossa região segundo comissão que foi ter com a reitoria da uergs o nosso vestibular de inverno foi transferido para o verão se formos pensar na questão acadêmica perdemos um semestre de continuidade em nosso curso se pensarmos na questão local deixamos de receber vários vestibulandos que trariam o desejado movimento à nossa praia É claro que a questão acadêmica é importante mas não podemos descartar a relevante movimentação que o vestibular de inverno traria para a nossa cidreira enquanto isso os movimentos políticos de nossos vereadores e do executivo que deveriam estar dando prioridade à defesa da permanência de nossa universidade parecem não encontrado respaldo pois até agora não temos assegurada sequer a certeza da continuidade da nossa universidade tá na hora de cobrar o voto a liberdade de expressÃo É livre a expressão de atividade intelectual artística de informação edecomunica ç ã o independentemente de censura ou licença diz a constituição do brasil mas não é o que se vê no decorrer da história na década de 30 em meio a uma grande desigualdade social o povo tinha tolido os seus direitos de expressar-se e se o fizesse vinham logo as punições em 1964 assumem os militares golpistas que cassaram os direitos políticos coibiram a liberdade do cidadão a liberdade de expressão e de consciência já nos dias de hoje esta intenção continuista de punição de repreensão perpetua-se em certas instituições que pela intimidação e pelo medo castram a livre expressão da atividade intelectual de manifestação do pensamento de criação da informação da indignação e da liberdade de comunicação com esta censura este crime contra a liberdade perde o cidadão perde a liberdade perdemos todos nós carlos m s silveira acadêmico da uergs a comunidade do litoral quer mais uergs já perdi as contas do número de pessoas que me procuraram para questionar a respeito de um futuro vestibular na uergs este fato acredito que seja uma prova indubitavel do interesse da comunidade em se manter informada sobre o andamento da universidade além de procurarem os alunos também se comunicam diretamente com a unidade buscando esclarecimentos acerca da sua ampliação essa expectativa de um novo vestibular ou da criação de um novo curso expressa o desejo de expansão cultural dos cidadãos de toda a nossa região muitos ainda tímidos ou descrentes mas a grande maioria demonstra uma enorme vontade de ter chance de cursar uma universidade de excelente qualidade e totalmente pública e gratuita o sonho é real a uergs está aí em pleno funcionamento trabalhando junto à comunidade a uergs tem contato efetivamente com a comunidade e com o comércio local que tem participado dos encontros desenvolvidos estabelecendo parcerias estabelecendo parcerias e recebendo novas propostas este vínculo universidade comunidade tem sido essencial para o crescimento e qualificação de todos a uergs tem muito à oferecer ao desenvolvimento litorâneo e conta com a sua participação quizi samanta werpp acadêmica da uergs grÊmio do raul pilla faz reciclagem de lixo na escola o grêmio estará apresentando para a comunidade escolar um projeto de reciclagem de lixo que visa a aquisição de equipamentos para a escola segundo o presidente matheus junges as turmas serão incentivadas a participar coletando garrafas tipo pet e latinhas para que sejam trocadas nas empresas especializadas por computadores copiadoras ventiladores tintas além de outros utensílios além deste projeto o grêmio ainda está otimizando o funcionamento da rádio para tanto já adquiriu caixas de som que serão distribuídas em todas as salas de aula facilitando a comunicação o grêmio estará preparando para a volta às aulas em agosto a semana do estudante quem És tu eu sou alguém querendo ser eu sou joão eu sou maria sou mais um no povo mais um na vida um corpo sem face em busca de pão estamos juntos somos todos irmãos quando alguém te perguntar quem és tu responda eu sou a vida eu sou parte eu sou um todo um todo que muda muda a forma e da forma a tudo eu sou mais um mais um que soma não subtrai nem trai e sou a vontade sou o desejo de mudar tudo mudando todos todos que estão perdidos enganados lesados expoliados mudar os caminhos estradas encontrar encontrando a resposta para estas pessoas que te perguntam quem és tu l f wanner acadêmico da uergs

[close]

p. 7

o marisco comunidade pág.7 verão de 2003 nos dias 09 e 10 de agosto estará acontecendo na zona rural de cidreira uma das festas mais tradicionais do folclore religioso de origem açoriana em nosso estado a festa do senhor bom jesus da capela da fortaleza é uma das manifestações religiosas mais antigas registradas na história do rio grande do sul este ano os festeiros zeno e sirlei andrade e sidinei e irene saraiva é que convidam toda a comunidade de cidreira e arredores para as atividades alusivas à festa do senhor bom jesus da capela venha fazer parte da nossa história programaÇÃo dia 09 sÁbado 21:00 celebração da palavra homenagem aos pais pastoral familiar 23:00 grande baile com o raça do sul dia 10 domingo 10:00 missa festiva procissão do senhor bom jesus 12:00 suculento churrasco c saladas trazer talheres 13:00 leilão rifas e pescaria 14:00 terno junino irmãos andrade 15:00 divulgação da rainha da festa 17:30 domingueira com raça do sul um dos registros mais antigos de festividades alusivas ao senhor bom jesus foi feito por j.c paixão côrtes em seu livro folclore gaúcho pesquisa realizada aqui na fortaleza zona rural de cidreira o primeiro foco populacional de nosso município foi na fortaleza onde existe água em abundância pasto e a terra é fértil para o plantio a família saraiva foi a pioneira a se instalar na nossa zona rural depois dela vieram outras famílias como os fraga os terra e os almeida todos de origem açoriana a religiosidade das famílias fez com que fosse erguida uma singela capela por devoção ancestral esta capela foi consagrada ao senhor bom jesus desde então tem acontecido na fortaleza zona rural de cidreira as festas em louvor ao senhor bom jesus da capela muito antes de nos tornarmos o primeiro balneário do estado a comunidade rural de nossa cidreira já reunia-se a cada ano para realizar novenas pagar promessas ou expressar sua fé e devoção participando da procissão em louvor a senhor bom jesus da capela da fortaleza em cidreira cidreira nos jogos panamericanos raul pilla escolhe a sua rainha janice gil teixeira filha do nosso famoso tio pedro estará agora em agosto representando o brasil nos jogos panamericanos da república dominicana a modalidade que janice foi classificada é tiro-aoprato os jogos panamericanos reúnem os melhores atletas das américas nas várias modalidades olímpicas o tiro-ao-prato é um esporte de precisão e exige altíssima qualificação estamos todos torcendo boa sorte a comunidade da escola raul pilla esteve reunida no dia 14/06 para escolher a sua rainha após o desfile das candidatas a comissão julgadora apontou o seguinte resultado rainha da escola:karina araújo broto andressa bernardes e broto mirim jéssica medina.

[close]

p. 8

associação de cultura do litoral associação casa de cultura do litoral uma idéia da associação de cultura do litoral a associação de cultura do litoral foi criada em 1995 por um grupo de pessoas da comunidade de cidreira preocupados com o desenvolvimento cultural de nossa praia a partir da criação iniciou-se um trabalho de pesquisa valorização e divulgação da cultura do litoral o primeiro resultado apareceu já em 1995 quando cidreira foi pela primeira vez representada no iii festival da canção do litoral com a música princesa do litoral de ivantherra e david diaz faziam parte da associação de cultura os grupos cá entre nós marca campeira eco nativo pagode do julinho entre outros e artistas individuais como sergio teixeira no inverno de 1996 foi criada a sexta nobre que acontecia no cpc com apresentações dos grupos da associação em seguida já com trabalho de pesquisa da cultura do litoral foi criado o grupo kikumbí composto por músicos de cidreira este grupo registrou o seu primeiro trabalho em 1997 no cd da 11ª moenda da canção com a premiada música boizinho de ivan therra o grupo eco nativo foi premiado no vi pealo da canção de tramandaí o grupo cá entre nós vivia o seu auge sendo o grupo mais solicitado do litoral o grupo marca iniciava sua carreira que chegou a percorrer todo o estado a evolução do pensamento cultural em nossa comunidade e os resultados obtidos em festivais levou a associação a instituir no prédio da antiga sapc a casa de cultura do litoral um projeto da associação em parceria com o governo do estado estavam presentes um grande número de pessoas da nossa comunidade prefeitos do litoral dirigentes municipais de cultura presidentes de associações culturais do litoral representantes do governo do estado e a prefeitura de cidreira uniu-se à associação o grupo de capoeira de cidreira que passou a dar aulas de capoeira na sede da casa de cultura a casa de cultura do litoral foi instituida em 1999 iniciou-se o processo de restauração do prédio da sapc que estava abandonado a associação retirou o telhado velho e colocou uma estrutura toda nova trazendo de Águas claras de carreta postes com mais de 15m de comprimento foi pintada toda a fachada com uma grande onda e o interior com as matizes de azul para inaugurar a casa de cultura do litoral foi realizada em outubro de 1999 a festa da música da praia com espetáculos de vários artistas de todo o litoral logo em seguida foi realizada a festa da lua da praia e o i encontro municipal de cultura neste ínterim os grupos da associação vinham acumulando premiações em todo o estado o grupo kikumbí foi premiado na 11ª tafona da canção de osório e na i onda da canção do imbé sempre representando o nosso município foi criado o grupo daniel maíba e os tambores da praia e jociel lima e a tribo premiados na tafona da canção de osório etapa litorânea a casa de cultura oferecia diversos cursos na área da música teatro e dança várias pessoas da nossa comunidade participaram destes cursos inclusive com diplomas expedidos pela secretaria da cultura do estado as reformas que estavam sendo executadas na casa de cultura foram doadas pela comunidade e pelos músicos da associação de cultura os artistas da comunidade valiam-se do espaço instituído pela associação de cultura até que houve uma mudança no governo municipal os grupos musicais pertencentes a associação inclusive o grupo de capoeira o grupo teatro de areia e até a banda municipal que utilizava o espaço casa de cultura criado pela associação de cultura esperavam com a mudança de governo um apoio ainda maior pois o projeto mostrava-se importante para toda a comunidade de cidreira nossos jovens tinham um local para ir para confraternizar tinham cursos para fazer tinham atividades culturais para ocupar o seu tempo estava sendo criado um espaço comunitário de relevante importância para o desenvolvimento de nossa comunidade porém o que aconteceu foi exatamente o contrário o novo governo municipal assumiu e lançou um ultimato ordenando o abandono do prédio baseado em laudo de engenharia que condenava o prédio não houve sequer uma reunião com a associação de cultura nem explicação alguma para o fato simplesmente a mando do executivo municipal as paredes foram derrubadas a estrutura nova do telhado foi lançada abaixo sem qualquer responsabilidade as aberturas foram retiradas e destruidas a sala da diretoria da associação foi arrombada e os objetos que pertenciam a associação e aos seus associados tais como móveis fogão geladeira livros documentos da associação peças de artesanatos telas pintadas por artistas de cidreira equipamentos de som e instrumentos musicais foram subtraídos do local e levados para local incerto e não sabido assim por obra do executivo municipal o sonho de uma casa de cultura para a comunidade de cidreira acabou casa de cultura do litoral valorizar a comunidade praieira pela manifestação cultural é o objetivo da associação de cultura grupo eco nativo no pealo da canção grupo marca na festa do peixe mestre julinho maestro igídio grupo de capoeira daniel maíba e os tambores da praia a idéia foi aproveitar o prédio histórico da antiga sapc para instituir a casa de cultura com espaços para memória cursos oficinas e atrativos para a comunidade e visitantes os grupos da associação de cultura obtiveram várias premiações em festivais de música de todo o estado festa da música da praia hoje o que era a casa de cultura é um reduto de marginais desocupados e tráfico de drogas esta é a obra que o executivo criou ao destruir o sonho da comunidade de cidreira

[close]

Comments

no comments yet