Amante da poeira vermelha / Vanda Ferreira

 

Embed or link this publication

Description

literatura /Poesia Ferreira Vanda/poesia Campo Grande/MS/BR

Popular Pages


p. 1

vanda ferreira amante da poeira vermelha

[close]

p. 2

ficha técnica título amante da poeira vermelha autora vanda ferreira capa a autora composição a autora revisão nena sarti este livro teve sua 1ª edição em outra versão plástica com mesma ficha técnica e acabamento da acf gráfica onde foi impresso em 1.999 foi lançado na casa da autora e na feira nacional do livro em campo grande mato grosso do sul em 1.999 com apoio cultural do movimento jornada poética e da união brasileira de escritos ­ ube-ms todos os direitos reservados à autora.

[close]

p. 3

aos meus avós in memorian paternos josé theodoro ferreira e rolandina taveira borges maternos josé bernardino de medeiros e maria adelina de medeiros por eu ter germinado em campo aromático.

[close]

p. 4

caríssimo leitor num desenrolar de descobertas fluiu amante da poeira vermelha em estrofes profundas como um grito a todos nós um brado para o despertar dos olhos do coração e da alma os versos reunidos formam uma bandeira pacífica e importante que proclama a boa forma de vida clama pelo desejo de sentenciar o hábito da leitura bem como divulgar um santuário e suas produções literárias inspiradas na flora fauna e geografia regional exponho caríssimo leitor de forma compacta realezas típicas sul-mato-grossense a autora

[close]

p. 5

d a fórmula esvenda para a boa forma de vida viaje!

[close]

p. 6

e para lua sol mbarca aguas doces de rios cenários poéticos romantismo ou rochas lendárias.

[close]

p. 7

e um desses palcos scolhe alguns ou todos descobre os inúmeros outros diversificados e por ora não revelados.

[close]

p. 8

te aposse deles incorpora o protagonista dança o coquetel de emoções dança atinja a supremacia humana.

[close]

p. 9

mãos à obra ou pés ou olhos ou alma ponha o cérebro e o coração na balança dosa a igualdade de ambos em valor e peso.

[close]

p. 10

sê equilibrado e aí abre a porta para a evasão da fragilidade saturada e acorrentada.

[close]

p. 11

n te reprima ão permita a comoção nada em sentimentos e cresce

[close]

p. 12

cesce assim r cérebro e coração alma e carne em evoluções paralelas em perfeição de nível.

[close]

p. 13

permite a ti uma chance toma dos cálices de emoção degustarás das cores o sabor À ti faculta a escolha.

[close]

p. 14

n fiques sem destino ão decida-te seleciona teu prazer bebe do branco do rosé do tinto.

[close]

p. 15

tens poder para escolher do branco de alvura virgem sem mácula de poluição;

[close]

Comments

no comments yet