Lição Bíblica EBD - 1º Trimestre 2013 - José Gonçalves

Embed or link this publication

Description

UMA REVISTA DE ESCOLA DOMINICAL,EDITADA PELA CPAD,1 TRIMESTRE DE 2013 FALA SOBRE ELIAS E ELISEU

Popular Pages


p. 1

www c pad.com.br jo ven sadu lto s 3Íbucas 1 ° tifim estre d e 2 0 1 3 elias e eliseu um m inistério de poder para toda a igreja

[close]

p. 2

r r tmrr^nwri r r mrm bí blicas · comentá r io josÉ gonÇalves lições do 1° t rim estre de 2 0 1 3 l iç ã o 1 a apostasia no reino de israel l iç ã o 2 elias o tisbita liç ã o 3 a longa seca sobre israel l iç ã o 4 elias e os profetas de baal l iç ã o 5 um homem de deus em depressão l iç ã o 6 a viúva de sarepta l iç ã o 7 a vinha de nabote l iç ã o 8 o legado de elias l iç ã o 9 elias no monte da transfiguração l iç ã o 10 há um milagre em sua casa l iç ã o 11 os milagres de eliseu l iç ã o 12 eliseu e a escola dos profetas l iç ã o 1 3 a morte de eliseu 3 11 17 24 31 39 46 54 61 68 75 83 90 l iç õ e s bíb l ic a s 1

[close]

p. 3

l iç õ e s bí blicas mestre publicação t rim e s tra l da casa publicadora das a ssem bleias de deus presidente da convenção geral das assembleias de deus no brasil josé wellington bezerra da costa presidente do conselho a dm inistrativo josé wellington costa júnior d iretor executivo ronaldo rodrigues de souza gerente de publicações claudionor de andrade c o nsultor d o u trin á rio e teológico antonio gilberto gerente financeiro josafá franklin santos bomfim gerente de produção jarbas ramires silva gerente comercial cícero da silva gerente da rede de lojas joão batista guilherme da silva g erente de com unicação rodrigo sobral fernandes chefe do setor de educação cristã césar moisés carvalho redatores marcelo de oliveira e telma bueno designer gráfico marlon soares capa flamir ambrósio av b ra s il 3 4 .4 0 1 b angu cep 2 1 8 5 2 0 0 2 r io dejane iro · rj t e l <21 2 4 0 6 7 3 7 3 fax 2 1 2 4 0 6 7 3 2 6 l iv r a r ia s c pa damazonas rua b arroso 36 c entro 6 9 0 1 0 -0 5 0 manaus am t ele fax 9 2 2 1 2 6 -6 9 5 0 e-m ail m anaus cpad.com .br gerente ricardo dos santos silva b a h ia av antônio carlos m agalhães 4009 loja a 4 0280-000 pituba salvador ba telefax 71 2104-5 300 e-mail salvador cpad.com .br gerente mauro gomes da silva bras Íl ia setor com ercial sul qd-5 bl c loja 54 g aleria nova o uvidor 70305-91 8 brasília df telefax 61 2107-4750 e-mail brasilia cpad.com .br gerente marco aurélio da silva pa ra n Á rua senador xavier da silva 450 centro cívíco 80530-060 curitiba pr · te 4 1 2 1 1 7 -7 9 5 0 e-mail curitiba cpad.com.br gerente maria madalena pimentel da silva pernambuco av dantas barreto 102 1 são josé 50020-000 recife pe telefax 81 3 4 2 4-6 6 0 0/2128-4750 e-mail recife@cpad.com.br gerente edgard pereira dos santos junior maranh à o rua da paz 4 2 8 centro são luis do maranhão ma 65020-450 t el 98 32 31-6030/2108-8400 e-m ail sao lu is cp ad .co m .b r g erente eliel a lbuquerque de a guiar ju n io r r io dejane ir o v ice n te deca rv a lh o av vicente de carvalho 1083 vicente de carva lho 2 121 0-000 rio de janeiro rj tel 21 2481 -210 1 2481 -2350 fax 21 2481 -591 3 e-mail vicentecarvalho@cpad.com.br gerente severino joaquim da silva filho n ite ró i rua aurelino leal 4 7 lojas a e b centro 2 4 020110 niterói kj t el 21 2620-4318 fa x 21 2621-4038 e-mail niteroi cpad.com .br n o va ig u açu av governador amaral peixoto 427 loja 101 e 103 gal eria veplan ce ntro 26210-060 -nova iguaçu rj -tel 21 2 667-4061 telefax 21 2667-8163 e-mail novaiguacu@cpad.com.br gerente francisco alexandre ferreira c e n tro rua primeiro de março 8 centro-rio de janeiro-rj tel 2509-3258 2507-5948 gerente silvio tomé shopp in g ja rd im guada lu p e av b rasil.22.155 espaço comercial 115-01 guadalupe rio de janeirorj gerente jucíleide gomes da silva santaca ta r in a rua felipe schm idt 752 loja 1 2 e 3 edifício bougainvillea centro 88010-002 florianópolis sc telefax 48 3225-3923 3225-1 128 e-mail floripa cpad.com .br gerente andré soares porto s à opau lo rua conselheiro cotegipe 2 l 0 beãenzinho 03058 000 sp telefax 11 2198-2702 e-mail saopaulo@cpad.com.br gerente jefferson de freitas m in as gera is rua são paulo 1371 loja 1 centro 301 70-131 belo horizonte mg -tel 31 3224-5900 e-mail belohorizonte cpad.com .br gerente w illiam s roberto ferreira f l Ó r id a .3 9 3 9 north federal highway pompano beach fl 33064 usa tel 954 941-9588 fax 954 941-4034 e-mail cpadusa cs.com site http w w w .editpatm os.com gerente jonas mariano d istrib u id o r c ea r Á rua senador pompeu 8 3 4 loja 2 7 centro 60025-000 fortaleza ce tel 85 32313004 e-mail cbiblia ig.com.br gerente josé maria nogueira lira pa rÁ e.l.gouveia-av gov.josé malcher 1 579 -c entro-66060-230belém-pa-tel 9l3222-7965-e-mail gouveia@pastorfirmmo .com .br gerente benedito de moraes jr ja p Ä o gunma-ken ota-shi shimohamada-cho 304-4 t 3 73-0821 t el 276-45-4048 fax <81 276-48-81 31 c elular 81 90 8942-3669 e-mail cpadjp hotm ail.com gerente joelm a watabe barbosa lis b o a capu av alm irante gago coutinho 1 58 1700-030 lisboa portugal t e l 351-21 -842-9190 fa x 3 51-21-840-9361 e-m ails capu capu.pt e silvio capu pt site w w w .cap u.pt m ato g r o sso livraria a ssem bléia de deus av rubens de men donça 3 .5 0 0 grande templo 78040-400 centro cuiabá mt -t e le fa x 65 644-2136 e-mail heliorap zaz.com .br gerente hélio josé da silva m in as gera is novasião-ruajarbas l d santos 1651 -ij.l 02 shop ping santa cruz 36013-150 juiz de fora mg tel 32 321 2-7248 gerente daniel ramos de o liveira sà o pa u lo socep rua floriano peixoto 103 centro sta bárbara d oeste sp 1 3450-970 tel 19 3459-2000 e-mail vendas socep.com .br gerente antónio ribeiro soares te le market in g

[close]

p. 4

lição 1 6 de janeiro de 2 0 1 3 aapostas ia nore in o de is raeltexto aureo e su cedeu que co m o se fo r a co isa leve andarnospecados de je ro b o ã o filh o de ne ba te a in d a to moupormu lh erajezabel filh a de e tb a a l re idoss id ô n io s e fo i eserv iu abaal e se encu rv o u d ia n te d e le 1 r s 1 6 .3 1 verdadepr Á t ic a a apostasia na história do povo de deus é um perigo real e não uma mera abstração por isso vigiemos h in o s su g er id o s 75 212 3 0 5 l e it urad ia r ia segunda hb 6 .4 5 6 a apostasia como um perigo real t e r ç a 1 t m 4.1 a apostasia possui seus agentes quarta 2 t s 2 .3 ,1 2 a apostasia está sujeita ao juízo divino q u in t a hb 3 .1 2 a apostasia afasta o homem de deus sex ta a t 1 .2 5 a apostasia exemplificada s á bado hb 6 .1 1 1 2 a apostasia pode ser evitada l iç õ e s bíb l ic a s 3

[close]

p. 5

c a ro p ro fe ssor opastorjos é g o n ça l ve s p r o fe ssor de teologia escr ito r e v ice-p re sid en te da c o m issã o de a p o lo g ética d a ccad b é ocomen ta rista 2 9 e a ca b a filh o de o n ri co m eçou a re in a r so b re is ra e l no d a s lições bíblicas d e ste tr im e s tre an o trig é sim o o ita v o de a sa o tem aqueserá a b o rd a d o é e lia s e re i de ju d á e re in o u a ca b e e lis e u um m in isté rio de poderpa ra filh o de o n ri s o b re is ra e l em to d a a ig r e ja e s tu d a re mosa vida dessespro fe taseve re mosque ela sama ria vin te e d o is anos é um d iv is o r de á guas no m in isté rio 3 0 e fe zacabe filh o de o n ri e na h is to r io g r a fia ju d a ic a e lia seoquee ra malaoso lh o s do eliseu d e ix a ra m um leg a d o de p o d er sen h o r m a is do que todos os ousad ia s a n tid adeeabnega ç ã o à que fo ra m a n te s d ele suaposter id a d e apartir de seus 31 esucedeuque c omom in is t é r io s podemosverf lo rescer se fo ra co isa leve andarnos is a ía s jerem ia s ezequ ie l d a n ie lepecadosdejerobo ã o filh o o u tro s sa n to s h om ens que h o n ra ra m o de n ebate a in d a tom ou p o r ca m in hodaqu eles a u tê n tico s p ro fe ta s m u lh erajezabel filh a de do sen h or e tb a a l reidos sid ô n io s e fo i e s e rv iu abaal e se e n cu rv ouob je t iv o s d ia n te dele após esta aula o aluno deverá estar 3 2 e le v a n to u um a lt a r a apto a baal na casadebaalquele it urab Íb l ic a e m classe 1 r eis 1 6 .2 9 -3 4 in tera Ç Ã o e d ific a ra em sama ria 3 3 tam bém a ca b e fe z um m b o sq u e de mane ira que a ca b e fe z m u ito m a is p a ra ir r it a r ao sen h o r deusde is rael do que to d o s os re is de is ra e l que fo ra m a n te s d ele id e n t if ic a r as causas e os agentes da apostasia em israel consc ie n t iz a r s e sobre os perigos da apostasia comp re ender quais foram as conse quências da apostasia para israel 3 4 em seusd ia s h ie l obete lit a e d ific ouajeric ó m o rre ndoab irã o se u p rim o o r ie n t a Ç Ã opedag Ó g ic a g ên ito a fu ndou e m o rre n d o professor para a prim eira aula deste segube s e u ú ltim o p ô s a s trim estre sugerimos que você reproduza suaspo rta s co n fo rm eapa la v ra do sen h o r que fa la ra o esquema da página seguinte utilize-o para apresentar aos alunos um panorama pelo m in isté rio de jo s u é filh o geral da vida de elias e eliseu inicie a de num aula traçando as principais características desses profetas bíblicos diga à classe que mesmo diante de uma sociedade apóstata elias e eliseu obedeceram ao senhor eles porfiaram por realizar a vontade de deus contra quaisquer prejuízos 4 l iç õ e s bíb l ic a s

[close]

p. 6

de acabe com jezabel filha de etbaa rei dos sidônios como uma das causas da apostasia no reino in trodu Ç Ã o do norte o relato bíblico destaca podemos afirmar com seguran que acabe tomou por mulher a ça que um dos períodos mais som jezabel filha de etbaal rei dos brios na história do reino do norte sidônios e foi e serviu a baal e o j tam bém denom inado adorou 1 rs 16.31 israel ocorreu durante palavr ch a ve foi em d e co rrê n o reinado de acabe filho cia d e sse c a sa m e n to a posi t a s ia de onri acabe governou pagão que a idolatria aband ono ou entre os anos 874 e 853 entrou com força em a.c e o seu reinado foi israel embora se fale d e se rçã o da fé marcado pela tentativa de um casamento poií f de conciliar os elementos do culto tico as consequências dele foram cananeu com a adoração israelita na verdade espirituais a mistura f uma p rim e ira le itu ra dos sempre foi um perigo constante capítulos 16.29 22.40 do livro na h istó ria do povo de d eus de 1 reis revela que essa mis os crentes devem tom ar todo tura foi desastrosa para o povo o cuidado para evitar as uniões de deus na prática o culto ao mistas a escritura tanto no anti deus verdadeiro foi substituído go como em o novo testamento pela adoração ao deus falso baal condena esse tipo de união dt tr azendo com oconsequ ê n c ia 7.3 2 co 6.14,1 5 uma apostasia sem precedentes 2 institucionaliza ç ã o da e pondo em risco até mesmo aidolatria a un ião de a ca b e verdadeira adoração a deus com jeza beld em o nstro u logo ser desastrosa pois através de i as causas sua influência acabe levantou daapostas ia um altar a baal na casa de baal 1 =c asamentom is t o o tex que edificara em samaria 1 rs to bíblico põe o casamento misto 16.32 a institucionalização da caracterÍsticas gerais elias eliseu seu nome sig nifica o senhor é deus exerceu seu m inistério durante os reina dos de acabe e a cazias em israel tin h a um m in isté rio m ais so litá rio e pacato profetizou contra acabe ee enfrentou-o anunciando um a seca im inente foi assunto ao céu e d eixa um segado para eliseu seu nome quer d izer deus é salvação exerceu o seu m inistério nos dias de jo rão je ú jeoacaz e jo ás do reino do norte seu m in is té rio e ra m a is p e sso a l e social num leito de m orte eliseu encoraja o rei jeoás contra os sírio s m esm o num a se p u ltu ra seus o sso s transm itiriam virtude de cura para re ssu s citar um israelita texto adaptado d o d ic io n á r io b íb lic owyd iffe e d ita dope la cpad l iç õ e s b íb l ic a s 5 wÊsmÊÊÊa

[close]

p. 7

idolatria em israel fica evidente quando o autor sagrado destaca que também acabe fez um posteídolo de maneira que cometeu mais abominações para irritar ao senhor deus de israel do que todos os reis de ísrael que foram antes d e le 1 rs 1 6 .3 3 não há dúvida de que o culto a baal estava suplantando o verdadeiro culto a deus havia uma idolatria financiada pelo estado vez por outra tem os visto s a ta n á s te n ta n d o se v a le r do poderestatalpa ra financiar práticas que são contrárias aos princípios cristão s por isso d e vem os orar pela nação para que ela seja um canal de bênção e · não de maldição s in opsedot Ó p ic o 1 tanto no antigo como em o novo testam ento as escrituras condenam o casamento misto responda 1 de a c o rd o com a hção q u a is fo ra mascausas da apos ta sia nebate 1 rs 16.26 e também ter aderido aos maus costum es dos cananeus trazid o s por sua esposa je zabel 1 rs 1 6 .3 1 esse fato fez com que acabe se to rnasse um instrum ento muito eficaz na propagação do culto id ó la tra a baal devemos ser imitadores do que é bom e não daquilo que é mau 2 jezabel de acordo com o relato de 1 reis 18.19 jezabel trouxe para ísrael seus deuses f a ls o s e ta m b é mseus fa ls o s profetas teve uma verd ad eira o b stin a çã o na im p lantação da a d o ra ç ã o a baal em territó rio israelita foi sem dúvida alguma uma agente do mal na tentativa de suprimir ou acabar de vez com o verdadeiro culto a deus não fo sse a intervenção do senhor através dos profetas em especial elias ela teria conseguido o seu intento o senhor sempre conta com alguém a quem ele levanta em tempos de crise s in opsedot Ó p ic o 2 em israel acabe e je za b e l foram os agentes mais eficazes da apostasia ii osagentesdaapostas ia 1 acabe onri pai de a ca responda be e rei de israel que reinou entre 2 de que fo rm aacabee je zabel os anos 885 e 874 a.c foi um se to rn a ra magen te s da a p o sta sia grande administrador tanto na em is ra e l política interna como na externa de israel mas foi um desastre iii as consequ Ê n c ia s como líder espiritual do povo de daapostas ia deus 1 rs 1 6 .2 5 ,2 6 o pecado 1 a p e rd a d a id e n tid a d e de acabe foi andar nos caminhos n acio n al eesp iritu a l as patavras idólatras de seu pai que foi um de elias até quando coxeareis seg uid o r de jeroboão filho de entre dois pensam entos rs 1 6 l iç õ e s bíb l ic a s

[close]

p. 8

1 8.21 revela a crise de identidade dos israelitas do reino do norte a adoração a baaf havia sido fomen tada com tanta força pela casa real que o povo estava totalmente divi dido em sua adoração quem deve ria ser adorado baal ou o senhor sabemos pelo relato bíblico que deus havia preservado alguns ver dadeiros adoradores mas a grande massa estava totalmente propensa ã adoração falsa a nação que sem pre fora identificada pelo nome do deus a quem servia estava agora perdendo essa identidade 2 ojulgamentod iv in o nesse cenário que aparece a figura do profeta elias predizendo uma se ca que duraria cerca de três anos 1 rs 17.1 1 8.1 a fim de que a nação não viesse a perder de vez a sua identidade espiritual e até mesmo deixar de ser vista como povo de deus o senhor enviou o seu m ensageiro para trazer um tratamento de choque à nação julgamento semelhante ocorre durante o reino d ejeo rão filho de josafá e genro de acabe que recebe uma carta do profeta elias nela é anunciado o ju íz o divino sobre a sua vida e reinado 2 cr 21.1 2-1 5 o senhor mostrou claramente que a causa do ju lg a mento estava associada ao aban dono da verdadeira fé em deus tem pos depois o apóstolo dos gentios irá nos lembrar da neces sidade de nos corrigirmos diante do senhor 1 co 1 1.31,32 a perda da identidade nacional e espiritual e o julgamento divino responda 3 aapo sta sia tro u xe com ocon 1 se q u ê n cia a p e rd a da id e n tid a d e 9 n a cio naleo ju lg amen to divino de i É q ue fo rm a d eu s usou e lia s p a ra m a tu arne sse processo iv apostas ia i s in opsedot Ó p ic o 3 as consequências da aposta sia à nação de israel foram duas 1 um p e r ig o reas a apos tasia era algo bem real no reino do norte estava espalhada por 8 toda parte na verdade a palavra apos ta s ia significa segundo os £ léxicos abandonarafé ou mudar de re lig iã o foi exatam ente v isso que os israelitas estavam fa zendo e sta vamabandonan do a adoração devida ao deus v e rd a d e iro para seg uirem aos deuses cananeus em o novo testamento obser vam os que os cristãos são adver tidos sobre o perigo da apostasia na epístola aos hebreus o autor coloca a apostasia como um pe j£ j rigo real e não apenas como uma 1 mera suposição hb 6.1-6 se o d cristão não mantiver a vigilância a é possível sim que ele venha a 1 naufragar na fé j 2 um malev it á v e l já s o b serv amos que acabe foi um 4 rei mau 1 rs 1 6.30 em vez de l iç õ e s b íb l ic a s 7

[close]

p. 9

seguir os bons exemplos como os de davi esse monarca do reino do norte preferiu seguir os maus exemp lo s o c ro n ista d e sta c a que ninguém houve pois como acabe que se vendeu para fazer o que era mal perante o senhor porque je za b e l su a mulher o instigava 1 rs 21.25 ainda de acordo com esse mesmo capítulo acabe se contristou quando foi repreendido pelo profeta mas parece que foi um arrependimento tardio 1 rs 21.1 7-29 tivesse ele tomado essa atitude antes o seu reinado teria sido diferente por que não seguir os bons exemplos e assim evitar o amargor de um arrependimento tardio 5 faça um b re v e co mentá rio s o b re os p e rig o s da a p o sta sia conclusÃo ficou perceptível nessa lição que a apostasia no reino do norte pôs em perigo a existên cia do povo de deus durante o reinado de acabe a sua união com jeza bel demonstrou ser nociva não somente para acabe que teve o seu reino destroçado mas tam bém para o povo de deus que por muitos anos ficou dividido entre dois pensamentos em relação ao verdadeiro culto as lições deixadas são bas tante ctaras para nós não po demos fazer aliança com o pa ganismo mesmo que isso traga algumas vantagens políticas ou sociais a verdadeira adoração a deus deve prevalecer sobre toda e qualquer oferta que nos seja feita mesmo que e ssa s ofertas tragam grandes ganhos no pre sente todavia nada significam quando m ensuradas pela régua da eternidade s in opsedot Ó p ic o 4 a apostasia é um perigo real mas também é um mal evitável através da vigilância do crente responda 4 so b re o re i a ca b e o que o c ro n ista d e sta c a reflexÃo e lia s fo i um cam peão de d eus um dos m a is h um a n os e fa sc in a n te s p ro fe ta s do a n tig o t e sta m e n to lawrence o richards 8 l iç õ e s bíb l ic a s

[close]

p. 10

0 a u x ilio b ib lio g r Á fic oisubs íd io lexográfico a postasia [do gr apostá sis afastamento abandono premeditado e conscien te da fé cristã no antigo testamen to não foram poucas as apostasias cometidas por israel só em juizes há sete desvios ou abjuração da v e rd a d e ira fé em d eu s para os profetas a apostasia constituí-se num adultério espiritual se a con gregação hebreia era tida como a esposa de jeová deveria guardarihe fielmente os preceitos e jam ais curvar-se diante dos ídolos jeremias e ezequiel foram os profetas que m ais e n fo ca ra m a apostasia israelita sob o prisma das relações matrimoniais no primitivo cristianismo as apostas ia s não eram desconhe cid as muitos crentes de origem israelita por exemplo sentindo-se isolados da com unidade jud aica deixavam a fé cristã e voltavam aos rudimentos da lei de moisés e ao pomposo cerimonial levítico há que se estabelecer aqui a diferença entre apostasia e heresia a primeira é o abandono premedi tado e completo da fé a segunda é a abjuração parcial dessa mesma fé andrade claudionor corrêa d ic io n á r io teoló g ic o 13 ed rio de janeiro cpad 2004 pp.56,57 r respostas dos exercÍcios o casamento misto e a institucio nalização da idolatria 2 promovendo a adoração ao falso deus baal e procurando suplantar o verdadeiro culto a deus 3 deus usou o profeta para predizer um período de grande fom e e dessa form a fazer o povo refletir sobre o seu pecado 4 q ue n in g u é mhouve p o is com o acabe que se vendeu para fa zero que era mal perante o se nhor porque jezabel sua m ulher o in s tig a v a 1 rs 2 1 .2 5 5 resposta pessoal l iç õ e s b íb l ic a s 9

[close]

p. 11

s u b s íd io biográfico e l ia s elias foi chamado para servir como porta-voz de deus na oca sião em que o reino do norte havia alcançado sua mais forte posição econômica e política desde a separação feita pelo governo davídico em jerusalém sua primeira missão foi enfrentar o rei acabe com o aviso de uma seca iminente lembrando que o senhor deus de israel a quem ele havia ignorado tinha o controle da chuva na terra onde viviam dt 11.1 0-1 2 em seguida elias isolou-se e caminhou em direção a leste do rio jordão nesse lugar ele foi sustentado pelas águas do ribeiro de querite e pelo pão e carne milagrosamente fornecidos pelos corvos É possível que esse ribeiro n ahal seja o profundo vale do rio jarmuque ao norte de gileade quando o suprimento de água terminou por causa da seca elias foi divinamente instruído a ir até sarepta na fenícia onde seria sustentado por uma viúva cuja reserva de farinha e óleo havia sido milagrosamente aumentada até que a estação das chuvas fosse restaurada à terra a identidade de elias como profeta ou homem de deus foi confirmada pela divina ma nifestação quando o filho da viúva foi restaurado à vida d ic io n á rio b íb lic owyd if f e 1 .ed rio de janeiro cpad 2009 pp.628-29 e l is e u seu ministério profético cobriu toda a última metade do século ix a.c atravessando os reinados de jorão jeú jeoacaz e joás do reino do norte sua influência estendia-se desde uma viú va endividada 2 rs 4.1 até um homem rico e proeminente 4.8 e mesmo até dentro do próprio palácio de israel 5.8 6.9 12 21 22 6 .3 2 7.2 8.4 13.14-19 além disso outros reis qosafá d e ju d á 2 reis 3.1 1-1 9 bem-hadade da síria 8.7-9 e altos funcionários do exército sírio 5.1,9-1 9 procuravam sua ajuda diferentemente de elias que tinha uma tendência ao ascetismo e a se afastar dos olhos do público eliseu viveu próximo às pessoas que servia e gostava da vida social tinha uma casa em samaria a capital 2 rs 6.32 mas viajava constantemente pelo país tal como samuel havia feito antes dele frequentemente parava para visitar seus amigos em suném exatamente como jesus fez mais tarde muitas vezes com maria e marta eliseu chorou quando falou com hazae pois conhecia muito bem o cruel sofrimento que este causaria a israel 2 rs 8.1 1,1 2 É evidente que muitos aspectos da pessoa e da obra de eliseu são capazes de reproduzir em muitos aspectos o caráter e o ministério de nosso senhor d ic io n á r io b íb lic owyc liffe 1 .ed rio de janeiro cpad 2009 p.633 10 l iç õ e s b íb l ic a s

[close]

p. 12

el ia s o t is b it atexto Áureo e ele lhes d isse q ual e ra o tra jo do hom em que vos veio ao encontro e vos faiou e sta s p a la v ra s e eles lhe d isse ra m era um hom em vestido de pelos e com os lom bos cingidos de um cinto de couro então d isse ele É elias o tisb ita <2 rs 1.7,8 verdadepr Á t ic a a vida de eíias é uma história de fé e coragem ela revela como deus sobe ranamente escolhe pessoas simpíes para torná-las gigantes espirituais h in ossuger id o s 8 4 3 3 6 3 4 0 l e it urad ia r ia segunda 1 r s 1 8 .3 6 o deus de elias t e r ç a 1 r s 1 8 .4 1 -4 5 a fé de elias quarta 1 r s 1 7.1 a vocação de elias q u in t a 2 r s 9 .3 5 3 6 a natureza do ministério de elias s e x ta 1 r s 1 8 .1 8 a função social do profeta elias s á bado mt 1 7 .1 0 13 o lugar de elias nas escrituras l iç õ e s bíb l ic a s 1 1

[close]

p. 13

so b re o ch amado de elia s com o ele se deu onde equando asescri tu ra s sile n c ia m em c o n tr apar tid a à í 1 então elias o tisb ita dos a b íblia m o stra um e lia s o u sa d o te m o ra d o re s de gueade d isse a m ente a d eu s e p ro n to p a ra re a liz a r a ca b e vive o senhor d eus de a von ta d e d ivin a isso é fru to de um a isra e l p e ra n te cu ja fa ce estou v e rd a d e ira vo caçã o d ivin a o v e rd a d e iro ch amadona sce no co que n e ste s anos nem o rva lh o ra çã o ele a rd e com o ch a m a in te rio r nem ch u va h a verá senão s e porém se desen volve p a ra m uito além gu ndoam inha p a la v ra 2 d epois veio a ele a p a la v ra do re cô n d ito da a lm a o ch amado de d eus na vida de um a p e sso a tam bém do sen h o r d iz endo flo re scepub lica m e n te vai além da 3 vai-te daqui e vira-te p a ra fa m ília e d a ig re ja lo ca l e sse ch a o o rie n te e escon d e-te ju n to mado que in unda à a lm a a ig re ja ao rib e iro de q u erite que está re conhece a lid e ra n ç acon firm a e d ia n te do jo rd ã o d eus u sa a fin a l de co n ta s qual é o 4 e há de s e r que beberá s seu ch amado do r ib e ir o e eu te nhoo rd enadoaoscorvosquea li te objet iv o s su ste n te m após esta aula o aluno deverá estar 5 foi p o is e fe z co n fo rm e a apto a p a la v ra do sen h o r p o rq uedescrevera vocação e a chamada fo i e h ab itou ju n t o ao rib e iro de elias de q u e rite quee stá d ia n te do jo rd ã o compreender como se deu a atua 6 eosco rv o s lhe tra z ia m ção do profeta elias pão e ca rn e pela m anhã com odestacaro papel de elias junto a tam bém p ã o e ca rn e à n o ite e monarquia e nas escrituras b eb ia do rib e iro 1 r e is 1 7.1-7 7 e su ce deuque p a ssa dosd ia s o rib e iro se seco u p o r que não tin hahav id o ch u v a na te rra o r ie n t a Ç Ã opedag Ó g ic a prezado professor para concluir a lição desta semana sugerimos uma ativida de prática você vai precisar de papel ofício e caneta distribua-os à classe em seguida solicite a cada aluno para que escreva o que mais gostam de fazer na vida logo após pergunte se o que apontaram tem haver com o chamado pessoal de deus conclua a atividade explicando o quanto eles precisam con siderar o chamado do eterno nas esferas de suas vidas afirm e que tal chamado pode ou não se dar na esfera eclesiásti ca mas tam bém na secular l e it urab Íb l ic a em classe in tera Ç a o 12 l iç õ e s b íb l ic a s

[close]

p. 14

a elias mas foi elias que c o lo c o u tisbe no mapa in tr o d u ÇÃ o davi pedro paulo também construíram uma história cheia de nesta lição estudaremos mais sentido e significância todos nós detalhadamente os fatos relacio deveríamos imitá-los e viver de nados à vida e à obra de um dos tal modo que a nossa história se maiores personagens da história tornasse um testemunho para a í1 sagrada elias aparece nas páginas posteridade da bíblia como se viesse do nada de 2 sua fé e se u d eu s o nome fato a escritura silencia sobre a iden do profeta elias já revela aígo de tidade de seus pais e também de sua sua identidade pois significa ja v é parentela diz apenas que ele era x é o m eu d eus ou ainda tisb ita dos m o ra d o re s p a la v r a -c havejav é é deus elias era de ciieade parece muito um israelita e como tal fj pouco para um homem vocação que irá ocupar um gran e sc o lh a ch amamenp ro fe ssa v a sua fé no à d eus v e rd a d e iro que de espaço na história to d isp o siçã o através da história havia bíblica posterior se revelado ao seu povo todavia é esse ho com o desenrolar dos fatos vemos mem enigmático que protagoniza os o profeta afirmando essa verdade fatos mais impactantes na história por exemplo quando desafiava do profetismo de israel isso aconte os profetas de baal elias orou Ó f ce quando denuncia os desmandos senhor deus de abraão de isaque do governo dos seus dias e desafia e de israel manifeste-se hoje que os falsos profetas que infestavam o tu és deus em israel e que eu sou antigo israel elias é um modelo de teu servo 1 rs 18.36 deus era o autenticidade e autoridade espiritual senhor dos patriarcas da nação de a quem devemos imitar israel e elias era um servo dele deus i a id e n t id adede elias era o senhor de abraão um dos 1 sua te rra esua gente o maiores personagens da história relato sobre a vida do profeta elias bíblica mas elias estava consciente inicia-se com uma declaração sobre de que ele também era o seu deus i a sua terra e seu povo então elias assim como elias o crente o tisbita dos moradores de gileade deve saber de forma precisa quem é i rs 1 7.1 estas palavras põem no seu deus para que dessa forma pos i cenário bíblico uma das maiores fi sa ter uma fé viva e não vacilante 8 guras do movimento profético elias era de tisbe um lugarejo situado sino pse d o t Ó p ic o 1 na região de gileade e a leste do elias era oriundo de tisbe luga rio jordão esse lugar não aparece rejo a leste do rio jordão seu nome em outras passagens bíblicas mas significa javé é o meu deus é citado somente no contexto do profeta elias 1 rs 21.1 7 2 rs 1.3,8 responda 9.36 elias se tornou muito maior do que o meio no qual vivia na ver qualos ig n ific adodonome dade não foi tisbe que deu nome elias l iç õ e s bíb l ic a s 13

[close]

p. 15

is o m in is t É r io prof É t ic o de elias 1 suavoca çã oechamada a vocação e chamada de elias fo ram divinas da mesma forma como foram as vocações e chamadas dos demais profetas canônicos esse fato é logo percebido quan do vemos o profeta elias colocar deus como a fonte por trás de suas enunciações proféticas vive o senhor deus de israel perante cuja face estou 1 rs 17.1 em outra passagem bíblica elias diz que suas ações obedeciam direta mente a uma determinação divina 1 rs 18.36 somente um profeta chamado diretamente pelo senhor poderia falar dessa forma de uma forma geral todo cris tão foi chamado para a salvação po rém alguns foram chamados para tarefas especiais É a nossa vocação e chamada quem nos habilita para a obra do senhor 2 a n a tu re z a do se u m in is tério a natureza divina e portanto sobrenatural do ministério do pro feta elias é atestada pela inspiração bi e autoridade que o acompanhavam a história do profeta elias é uma história de milagres É uma história de intervenções divinas no reino do norte encontramos por toda parte nos livros de reis as marcas da inspiração profética no ministério de elias isso é facilmente confir mado pelo escritor bíblico quando se refere à morte de jezabel 2 rs 9.35,36 assim como elias predisse aconteceu elias possuía inspiração e autoridade espiritual de nada adianta possuir um ministério marcado pela popula ridade e fama se ele é carente de autoridade e poder divino 14 l iç õ e s bíb l ic a s s in opsedot Ó p ic o 2 a inspiração e a autoridade encontradas em elias denotam a natureza divina do seu ministério r e s po n d a 2 que fatos autenticam o m inistério profético de elias iii elias eamonarqu ia 1 b u sc andoajusti ç a na história do profetismo bíblico ob servamos a ação dos profetas exor tando denunciando e repreendendo aos reis 1 rs 18.18 o livro de 1 reis mostra que o profeta elias foi o primeiro a atuar dessa forma na verdade as ações dos profetas revelam uma luta incansável não somente em busca do bem-estar espiritual mas também social do povo de deus quando um monarca como o rei acabe se afastava de deus as consequências poderiam logo ser percebidas na opressão do povo a morte de nabote por exem plo revela esse fato de uma forma muito clara1 rs 21.1-1 6 acabe foi confrontado e denunciado por elias pela forma injusta como agiu 2 a re s ta u ra ç ã o do culto como vimos os monarcas bíblicos serviam tanto de guias políticos como espirituais do povo quando um rei não fazia o que era reto diante do senhor logo suas ações refletiam nos seus súditos 1 rs 16.30 a religião portanto era uma grande caixa de ressonância das ações dos reis hebreus nos dias do profeta elias as ações de acabe e sua mulher jezabel sofreram oposi ção ferrenha do profeta porque elas estavam pulverizando o verdadeiro culto 1 rs 19.10 em um diálogo que teve com deus elias afirma que

[close]

Comments

no comments yet