Aula 2 Curso IPT

 

Embed or link this publication

Popular Pages


p. 1

arqueologia estratÉgica como ferramenta de sustentabilidade e desenvolvimento social o protagonismo dos cientistas-cidadÃos aula 2 patrimonio arqueologico etnico o caso das Áreas sagradas do alto xingu curso integrado ao programa de mestrado em arqueologia e doutoramento em quaternÁrio materiais e culturas instituto politÉcnico de tomar universidade de trÁs-os-montes e alto douro portugal junho 2010

[close]

p. 2

espaÇo territÓrio e paisagem indÍgena desafios para uma arqueologia da supermodernidade · arqueologia do passado recente arqueologia de nÓs arqueologia de grupos vivos sÉculos xx ­ xxi · perÍodo iniciado na i guerra mundial:profundos processos de destruiÇÃo e rupturas desaparecimento de universos materiais e grandes remodelaÇÕes de territÓrios e paisagens por conta da colonizaÇÃo urbanizaÇÃo e industrializaÇÃo · mudanÇas nas identidades de comunidades tradicionais impactando a transmissÃo de sua heranÇa cultural · assim trabalhos por vezes tratam de eventos dramÁticos que ainda ocupam papel especial na memÓria viva de comunidades atuais · atuaÇÃo prescinde de anÁlises transdisciplinares e os prÓprios limites das disciplinas envolvidas se mostram tÊnues.

[close]

p. 3

papel da arqueologia reconstituir histórias a partir de caminhos alternativos lida com evidências que não aparecem no enorme volume de narrativas históricas e dados hoje disponibilizados com risco de neutralizar e banalizar o passado contextos de destruição/substituição resultam em evidências muito particulares em seus detalhes e em suas implicações políticas traumáticas caminhos alternativos reconstrução de uma narrativa incluindo vestígios materiais que não podem ser reduzidos a textos como percepção e simbologias de territórios e paisagens arqueologia lida com o suprimido o indizível que fica ao largo do discurso e dos registros produzidos pela literatura narrativa nos faz entender fatos arqueologia necessita nos fazer apreender significados tangibilizando a presença do passado mesmo ultra-recente de uma forma viva

[close]

p. 4

papel da arqueologia arqueologia lida por excelência com fatos fragmentados com a incompletabilidade essencial de seus vestígios sendo especialista em documentar o que não é revelado isto adquire grande força no tratamento do passado recente e em especial de situações de conflito carregadas do suprimido do indizível lida corriqueiramente com rupturas memórias ausências morte decadência e evidências cabe à arqueologia da supermodernidade recuperar a ritualização dos espaços trabalhando com memória e presença tornando os vestígios materiais e imateriais visíveis tangíveis e públicos trazendo presença ao discurso e materializando a memória arqueologia da supermodernidade não separa o passado do presente nela o passado percola o presente natureza traumática do passado recente especialmente para grupos minoritários e a natureza evasiva de seus registros traz o foro para atuação da arqueologia contextualização materialidade espaço e memória.

[close]

p. 5

cenÁrios e premissas arqueologia etnica populações indígenas arqueologia em terras e em territórios indígenas populações tradicionais comunidades que detêm conhecimento e estilos de vida locais voltados a ambientes específicos e com dinâmicas próprias de manejo do meio ambiente exemplos castanheiros babaçueiras quilombolas ribeirinhos caiçaras entre outros abrangÊncia patrimonial tratamento integrado das diferentes manifestações do patrimônio histórico e cultural envolvendo patrimônio arqueológico patrimônio histórico patrimônio cultural material e imaterial patrimônio paisagístico

[close]

p. 6

cenÁrios e premissas arqueologia colaborativa com relaÇÕes nÃo assimÉtricas ou hierÁrquicas entre os participantes equipe cientÍfica comunidade indÍgena garantindo efetiva participaÇÃo e gerenciamento conjunto dos trabalhos objetivo construÇÃo de uma histÓrica crÍtica produzida conjuntamente com as partes interessadas e com perspectivas alternativas de discurso a exclusÃo da comunidade indÍgena/tradicional no estudo e preservaÇÃo de seu passado aproxima perigosamente a prÁtica arqueolÓgica cientÍfica da pilhagem ou destruiÇÃo aos olhos destas comunidades talvez nÃo haja grande diferenÇa entre os sÍtios arrancados pelas mÁquinas de obras ou aqueles escavados e salvos pelos pesquisadores.

[close]

p. 7

a agenda de pesquisa ­ arqueologia Étnica abordagem da comunidade nacional portaria de pesquisa iphan definiÇÃo de Área geogrÁfica de pesquisa prospecÇÃo escavaÇÃo registro documental abordagem da comunidade indÍgena concordÂncia da comunidade definiÇÃo de Área de interesse permissÃo de acesso definiÇÃo de formas de intervenÇÃo incuindo nÃo escavaÇÃo ou coleta incorporaÇÃo de outros sentidos percepÇÕes e formas de representaÇÃo de patrimÔnio cultural paisagÍstico simbÓlico histÓrica oral guarda do acervo pela comunidade aprovaÇÃo da comunidade sobre o que pode ou nÃo ser divulgado dados e imagens incluir novas visÕes de passado presente e futuro desenvolvimento do projeto contribuindo com continuidades e desdobramentos voltados À sustentabilidade socio ambiental guarda do acervo em instituiÇÃo reconhecida pelo iphan divulgaÇÃo dos resultados educaÇÃo patrimonial produÇÃo de conhecimento cientÍfico

[close]

p. 8

plano de gestÃo cultural e ambiental pgca · identificação e caracterização de pontos de sensibilidade culturais em interface com programas ambientais · indicação de sensibilidades e pontos de responsabilidade difusa futuros impactos passivos · objetivo atendimento à comunidade ajustes e melhoria continuada refinamento das ações mitigadoras subprograma prospecção atendimento eia/rima pca · xxxxxxxxxx solicitaÇÕes de detalhamento iphan mp ibama · xxxxxxxxxx interfaces entre programas · xxxxxxxxxx sensibilidades ambientais · xxxxxxxxxx conteÚdo produtos pgca · xxxxxxxxxx marcos de decisÃo · xxxxxxxxxx · xxxxxxxxxxx · xxxxxxxxxxx · xxxxxxxxxxx · xxxxxxxxxxx · xxxxxxxxxxx · xxxxxxxxxxx resgate · xxxxxxxxxxx · xxxxxxxxxxx · xxxxxxxxxxx · xxxxxxxxxxx · xxxxxxxxxxx · xxxxxxxxxxx cultura imaterial · xxxxxxxxxxx · xxxxxxxxxxx · xxxxxxxxxxx · xxxxxxxxxxx · xxxxxxxxxxx · xxxxxxxxxxx arqueologia pública educação patrimonial · xxxxxxxxxxx · xxxxxxxxxxx · xxxxxxxxxxx · xxxxxxxxxxx · xxxxxxxxxxx · xxxxxxxxxxx manejo e sustentabilidade

[close]

p. 9

gestão do conhecimento environmental archaeology conhecimento fases programa marcos etapas envolvimento arqueologia colaborativa significância integração com programas de gestão sócioambiental estudos de patrimônio edificado estudos de evolução da paisagem conhecimento pesquisas com a comunidade estudos de documentação histórica pesquisas arqueológicas levantamentos de patrimônio cultural legenda patrimônio arqueológico patrimônio histórico patrimônio imaterial patrimônio edificado patrimônio paisagístico gestão sócioambiental

[close]

p. 10

gestÃo do programa e marcos de apoio À decisÃo aÇÕes cientifico integração de conhecimentos análises integradas de arqueologia da paisagem caracterização das dos sistemas sócio culturais sistematização de dados obtidos levantamento patrimônio histórico/cultural nos municípios prospecções e resgate arqueológicos de campo levantamentos documentais e montagem de cenários de ocupação organização de projeto e montagem de equipe elaboração projeto científico análise de contextos e definição científica regularização projeto junto ao iphan envolvimento comunidade prioridade de detalhamento de organização do modelagens de geração de terreno para base conhecimento sustentabilidade conhecimento e de patrimônio ecológica envolvimento cultural integração dos definição da plano de manejo da comunidade produção bases stakeholders em abrangência científicas do projeto abordagem socioambiental plataformas patrimônios x científica dos colaborativas comunidades patrimônios

[close]

p. 11

gp3 ferramenta de gestÃo institucional de projetos atendimento comunidades iphan ibama mp Órgãos licenciadores transparência no tratamento do patrimônio público

[close]

p. 12

as Áreas sagradas dos povos alto xinguanos saginhengu local sagrado do primeiro kwarup kamukuwaká local onde o deus foi preso pelo inimigo sol fugiu e iniciou o percurso sagrado.

[close]

p. 13

reconhecimento e preservaÇÃo de paisagens culturais

[close]

p. 14

reconhecimento e preservaÇÃo de paisagens culturais

[close]

p. 15

reconhecimento e preservaÇÃo de paisagens culturais sagihengu iheta ande tisitaginhuda inde canaranate tisügühütu kae sagihengu ihenügü kae tsetaha tisihugu otsogitsü atehe tseta egitsü otsogijü Üleateheha tubungu tiheke Üleatehe iheta tiheke ihitsüingi kagaiha heke tihísilaleha itsomi tsetaha kugugi uguka ipogoho iguka uguka ingikitsoho ikudu ha tseta redator ugise kalapalo revisor ugise kalapalo

[close]

Comments

no comments yet