Revista Barbante - Ano I - Nº 02 - Abril de 2012

 

Embed or link this publication

Popular Pages


p. 1

revista ano i nº 02 18 de abril de 2012 À literatura infantil com amor

[close]

p. 2

nenhum livro para crianças deve ser escrito para crianças fernando pessoa

[close]

p. 3



[close]

p. 4

o livro que ganhei de p cida flores

[close]

p. 5

presente na infância u ma história infantil que mexeu comigo em minha infância foi iara mãe d água um mito brasileiro mas na verdade me marcou mais pelo fato de ser o meu primeiro contato com o livro eu era uma criança carente e este livro infantil foi presente da minha professora da qual tenho contato até hoje na época penso eu devia ser a mais carente da turma pois a professora daysi coelho pezenti não só doou este livro infantil como todo o meu material escolar lembro-me disso como se fosse hoje atualmente percebo o bem que qualquer um pode fazer a uma criança com pequenos ou grandes gestos estímulos à leitura e para aqueles que não leem ainda o contar das histórias infantis estas sensações marcam uma vida penso que a grande maioria dos profissionais da educação mesmo que não sejam tão valorizados em nosso país desempenham de coração o seu papel fazendo jus ao seu juramento e comprometimento diante de sua formatura.

[close]

p. 6

a literatura no ensino fundamental como ferramenta pedagógica williane soares da costa ufrn willianesoares1@hotmail.com

[close]

p. 7

resumo o presente artigo tem como objetivo discutir acerca do ensino de literatura no nível fundamental como ferramenta pedagógica pretende-se verificar o ensino nos dias atuais e mostrar como o trabalho do professor em sala pode contribuir para as aulas de literaturas serem mais proveitosas mostrar como a literatura pode ser uma importante ferramenta pedagógica para despertar no aluno o prazer da leitura e desenvolver habilidades e conhecimentos tornando-o um cidadão crítico e reflexivo mostrar também que a leitura é a ferramenta primordial para o desenvolvimento do aluno em sala e a importância da literatura para o ensino fundamental a literatura torna-se importante porque desenvolve a capacidade psíquica de quem lê trazendo maturidade conduz a criança ao desenvolvimento do seu intelecto da personalidade satisfazendo suas necessidades e aumentando sua capacidade crítica abstract this article aims to discuss about the teaching of literature at the fundamental level as a pedagogical tool it is intended to check the school today and show how the work of the teacher in the classroom can contribute to the classes of literature are more profitable show how literature can be an important educational tool to awaken the student s enjoyment and develop skills and knowledge making it a critical and reflective citizen also show that reading is the primary tool for the development of the student in the classroom and the importance of literature for the elementary school the literature becomes important because it develops the psychic ability of the reader bringing maturity leads the child to develop their intellect personality satisfying their needs and increasing their critical capacity palavras chave literatura ensino aluno introduÇÃo:

[close]

p. 8

nos dias atuais somos bombardeados por informações que estão a nossa volta são propagandas informativos homenagens e etc somos obrigados a ler tudo isso sem nos darmos conta nem tão pouco temos tempo de refletirmos sobre o que lemos ora uma das vantagens da literatura é fazermos pensar sobre o que lemos por muitas vezes nos perguntamos neste embaralhado de leituras e informações somos leitores proficientes a leitura não é apenas na decodificação do signo lingüístico como diria saussure muitos professores acham que os alunos devem ler e ler qualquer coisa basta na sociedade em que o consumir é mais importante pensar não se faz necessário necessário é consumir para que o aluno desenvolva seus conhecimentos e habilidades é preciso objetivos claros e material suficiente a leitura precisa ser trabalhada de acordo com o gênero utilizado a leitura e a literatura segundo antunes 2003 o trabalho com a leitura ainda esta centrado em habilidades mecânicas de decodificação da escrita muitas vezes sem reflexão sem dialogo com o texto quando usamos a literatura o fazemos com a intenção meramente avaliativa devemos sempre lembrar aos nossos alunos que a leitura é um processo de interlocução entre leitor /autor mediado pelo texto o leitor não é passivo mas agente que busca significações geraldi 2004 p.91 ler é viver a arte sentir emoções estar em um mundo que não é o seu mas experimentar novos costumes e vivenciar épocas distintas que a sua conviver com animais e brincar com o imaginário para kleiman 2004 existem duas concepções de texto e de leitura que existem ainda hoje no ambiente escolar ora o texto é visto como repositório de informações ou é visto como conjunto de elementos gramaticais quanto ao texto literário percebemos a inquietação de muitos alunos em interpretar a linguagem presente nos textos isso reflete a falta de conhecimento da natureza do texto literário diante dessa realidade não há interação entre aluno e o texto muitas vezes o não entendimento da linguagem leva o aluno a distanciar-se do texto e aceitar a interpretação do professor sem dialogar com o mesmo se analisarmos a trajetória do ensino de literatura percebe-se que sempre estava ligada aos interesses de grupos dominantes e a cada época com sua respectiva filosofia era ensinada

[close]

p. 9

de maneira a corresponder a determinados objetivos segundo zilberman silva 1990 a literatura perdeu o caráter educativo que possuía na antiguidade e vive uma crise no seu ensino no que diz respeito a finalidades e objetivos para os gregos literatura era sinônimo de poesia sua origem estava nos mitos e com isso herdou seu caráter pedagógico com o passar do tempo foram incluídos novos gêneros a tragédia o drama e o romance isso dificultou a delimitação atual de classificar o que é literatura mesmo assim até o século xviii a literatura era vista como educativa com o surgimento das escolas modernas passou a ser estudo obrigatório ao invés de facultativo a partir daí foram criados graus e níveis do ensino passando a fazer parte à passagem de estágios da aprendizagem e as avaliações para as mudanças de estágios primeiramente privilegiou o ensino da cultura clássica e foi usado como modelo para o estudo das línguas grega e latina em segundo com a revolução francesa a língua oficial foi consagrada como sendo a língua dos poetas o que desprezou a linguagem popular e regional no brasil em 1970 surgia o ensino profissionalizante e a escola passou a ser vista como formadora de mão-de-obra para o mercado em grande expansão o aluno lia para atender a esse mercado que visava meios rápidos e fáceis de aprendizagem diante desta situação fica fácil compreender porque hoje a falta de familiaridade se faz presente nos alunos e professores É necessário desvinculá-la dessa pedagogia importada de realidades estrangeiras que oferecem receitas e modelos de leitura espelhada em determinadas classes sociais a literatura tem em seu caráter a educação por excelência porque trazem valores crenças ideias ponto de vista de seus autores e que podem enriquecer a vida daqueles que leem dependendo da forma com que é trabalhada em sala a literatura pode ser tudo ou nada tudo se conseguir unir sensibilidade e conhecimento nada se seguir cegamente os passos de uma pedagogia tradicional e burguesa para kleiman 2004 é preciso ter objetivos para a aula de leitura e quanto ao conteúdo do texto a ser lido o importante é que cada aluno perceba que para cada tipo de texto e principalmente para o texto literário ele precisa utilizar estratégias diferentes para a leitura e compreensão dos textos.

[close]

p. 10

para geraldi 2004 o sucesso para incentivar a leitura estaria na recuperação do prazer de ler dentro da escola já para barthes 2002 o prazer é subjetivo não podemos classificar o texto como bom ou não apenas pelo prazer que ele pode causar no leitor uma vez que o prazer é pessoal o professor precisa propiciar ao aluno o maior número de leituras possíveis para que a partir daí ele escolha qual lhe dará o maior prazer zilberman 1993 pag.17 afirma a escola pode ou não ficar no meio do caminho o que quer dizer dar oportunidade para que a sua tarefa se cumpra de modo global transformando o individuo habilitado à leitura em um leitor ou não o que pode reverter no seu contrário trabalhar como o texto literário em sala é permitir aos alunos suscitar o imaginário é ter a curiosidade respondida em relação a tantas perguntas é encontrar outras ideias para solucionar questões como as personagens fizeram É uma possibilidade de descobrir um mundo imenso dos conflitos dos impasses das soluções que todos vivemos e atravessamos dum jeito ou de outro ­ através dos problemas que vão sendo defrontados enfrentados ou não resolvidos ou não pelas personagens de cada história cada uma a seu modo abramovich 1994 p 17 a literatura permite ir além de nossa capacidade física e mental como podemos observar no seguinte trecho a literatura como qualquer arte vai além da informação conduz a criança ao desenvolvimento do seu intelecto da personalidade satisfazendo suas necessidades e aumentando sua capacidade crítica esta literatura como já foi expressa tem o poder de estimular e/ou suscitar o imaginário de responder as dúvidas do indivíduo em relação a tantas perguntas de encontrar novas ideias para solucionar questões e instigar a curiosidade do leitor nesse processo ouvir histórias tem uma importância que vai além do prazer É através de um conto e/ou de uma história que a criança pode conhecer coisas novas para que efetivamente sejam iniciados a construção da linguagem da oralidade ideias valores e sentimentos os quais ajudarão na sua formação pessoal silva,2010

[close]

p. 11

a literatura como recurso pedagÓgico a utilização da literatura como recurso pedagógico pode ser enriquecida e potencializada pela qualidade das intervenções do educador trata-se de operacionalizar espaços na escola e na sala de aula onde a leitura geradora de prazer possa ser vivenciada pelas crianças e jovens o professor como leitor mais experiente deve ensinar aos seus alunos estratégias de leitura solé 1998 nos mostra algumas estratégias antes da leitura a motivação o conhecimento prévio o estabelecimento de previsões sobre o texto a promoção de perguntas aos alunos sobre o texto durante a leitura tarefa de leitura compartilhada leitura independente erros e lacunas de compreensão o professor como aquele que poderá resolver esse problema depois da leitura a promoção de perguntas que encaminhem uma discussão sobre o texto lido a reflexão e a avaliação da leitura muitos alunos não gostam de literatura porque ainda não despertaram o gosto o prazer ao ler um texto literário à sensibilidade dos alunos precisa ser despertado desde as séries iniciais de início ouvir e contar história ler e reler bem como produzir novas versões ora só formaremos bons leitores se também formos leitores assíduos de literatura literatura no ensino fundamental deve ser sinônimo de prazer É preciso sentir prazer ao contar e ao ler uma história para os alunos e jamais ler um texto do qual não tenha gostado somente porque ele está no livro didático o professor precisa ler para os seus alunos seja em rodas de leitura ou outros mas ler pode trazer ao professor a sensibilidade de perceber o universo que seu aluno esta inserido e assim contribuir para que essa leitura realmente faça sentido para seus educandos nos anos iniciais os professores devem se preocupar com o despertar do gosto com a promoção do hábito de leitura de textos literários e aos poucos ir apurando o olhar dos alunos para o seu valor estético nós professores de língua portuguesa devemos nos preocupar em promover a leitura em habilitar os nossos alunos para a leitura dos mais diferentes gêneros no entanto é preciso que tenhamos um olhar especial para a literatura visto que embora ela por si mesma não seja capaz de transformar a sociedade abre caminhos para que quem a leia faça uma vez que promove a reflexão sobre a realidade sobre o ser no mundo.

[close]

p. 12

assim poderemos despertar em nossos educandos o letramento literário que é essa capacidade de apreciar o mundo por meio da literatura conhecer a história descobrir o valor da literatura e o que ela propicia aos seus alunos conclusÃo para se conseguir que o aluno se torne um leitor crítico o ensino deve colocar o texto como uma possibilidade de reflexão e recriação associando a atividade de leitura à produção de outros textos pelos alunos e facilitando a expressão de suas visões sobre o texto para criar e inovar o professor precisa investir em sua formação continuada e em uma constante atualização o texto literário deve ser só discutido e analisado por professores e alunos é numa relação de diálogo trocas e respeito à fala e à voz do aluno bem como às suas leituras anteriores que o saber será construído a literatura como toda arte é a expressão do próprio homem como expressão humana conduz ao autoconhecimento e por sua natureza ficcional à imaginação num mundo tão conturbado como o nosso a literatura é o espaço da criação da liberdade de pensar retirando a criatura da escravidão de pensamentos da passividade própria de uma sociedade dominadora ela desenvolve a criatividade humana leva a refletir sobre o indivíduo e a sociedade ao adentrar em um conto de fadas a criança vivencia mundo experiência sentimentos aos quais não seria permitida na vida real assim essa criança por ter vivenciado essas experiências provavelmente conseguirá lidar de maneira mais madura quando de fato ocorrer a literatura está ligada à vida uma vez que possibilita ao seu leitor a transcendência de valores experiências e ações literatura é também sinônimo de relaxamento ora é possível relaxar se divertir e pensar ao mesmo tempo em que o leitor rir se diverte ele aprende sobre a vida sobre suas possibilidades a literatura seja ela considerada canônica ou não nos permite sim o divertimento e isso faz parte da vida É uma necessidade humana.

[close]

p. 13

referencias bibliogrÁficas abramovich fanny literatura infantil gostosuras e bobices 4 ed são paulo scipione 1994 p 17 antunes irandé aula de português encontro e interação são paulo parábola 2003 barthes roland o prazer do texto são paulo perspectiva 2002 geraldi wanderley joão org o texto na sala de aula são paulo Ática 2004 a literatura infantil na escola 11 ed são paulo global 2003 http www.filologia.org.br/ixcnlf/6/07.htm acesso em 10/02/2012 http www.escolafatima.g12.br/revista/index.php?option=com_content&view=article &id=108:a-importancia-da-literatura-na-aprendizagem&catid=51:projetosescolares&itemid=75 acesso em 12/02/2012 kleiman Ângela b leitura ensino e pesquisa são paulo pontes 2004ª ­­­­­­ oficina de leitura teoria e prática são paulo pontes 2004b silva ezequiel t da elementos de uma pedagogia da leitura são paulo martins fontes 2003a ­­­­­­ leitura na escola e na biblioteca são paulo papirus 2003b silva f.c clÁssicos da literatura universal a importÂncia de lÊ-los no ensino fundamental.in encontro das ciÊncias da linguagem aplicadas ao ensino 5 2010 natal anais natal parábola 2010 solÉ isabel estratégias de leitura trad claúdia schilling 6 ed porto alegre artmed 1998 zilberman regina a leitura na escola in leitura em crise na escola 11 ed porto alegre mercado aberto 1993 p.17 zilberman silva literatura e pedagogia porto alegre mercado aberto 1990.

[close]

p. 14



[close]

p. 15



[close]

Comments

no comments yet